Chrysler Dodge EUA Mercado Sedãs

Dodge Dart e Chrysler 200 devem dar adeus em um ano e meio

dodge-dart-2014-2

Sérgio Marchionne revelou que a FCA está mudando seu foco para crossovers e picapes. Assim, a intenção é eliminar alguns sedãs do lineup americano. Dois deles já são conhecidos oficialmente: Dodge Dart e Chrysler 200.

Ambos feitos sobre a mesma plataforma ítalo-americana C-Wide (que também dá forma aos chineses Fiat Viaggio/Ottimo), Dodge Dart e Chrysler 200 não estão tendo uma boa recepção no mercado americano.

Chrysler 200

De acordo com o chefão da FCA, a dupla desaparece nos próximos 18 meses. Um dos motivos para a retirada dos dois é que os preços da gasolina caíram bastante e o consumidor americano, como sempre, migra para utilitários esportivos e picapes.

Com isso, uma versão SRT4 do Dart deve ser cancelada. Já em relação ao 200, recentemente o sedã recebeu críticas por conta do acesso ao banco traseiro. A FCA já está planejando a transferência da produção de picapes, há décadas feita no México, para o estado de Michigan.

[Fonte: FCA/Detroit Press]





  • rafael morozini

    Tão bonitos porém diferente dos brasileiros para os americanos beleza não basta !

    • Fabio Marquez

      É porque o line up deles é muito grande, sobra carro para o gosto e o bolso deles. Ser só bonitinho não basta. Mas sinceramente aqui no Brasil não conheço muitos carros que vendem pela aparência, o por trás de vendas ruins aqui está muito mais associado a aceitação da marca e a forma que ela trata seus clientes. A Ford e seu sexto lugar em vendas no inicio desse ano que o diga.

      • rafael morozini

        Hb20 , ix35 , uno…

        • Fabio Marquez

          O Uno não vende tão bem quanto antes, mas é barato e acha peça em qualquer esquina, além de ser um carro durável, o que agrada o pessoal do PJ. O IX35 tem a confiabilidade mecânica e os donos não reclamam do pós venda, além do preço está menor do que encontrado em outros SUV’s da mesma categoria dele, já o HB20 tem uma garantia extensa, bom pós venda e é um carro bem construído. Um caso a parte nisso tudo é o Etios, que tem tudo que eu mencionei nos modelos citados , mas não vende bem. Mas isso pode ser causado por ele ser um carro funcional demais e do lado ter Corolla e Hilux que reúnem as mesmas qualidades dele, mas são bonitos.

  • leitor

    Carros até bonitos, poderia servir de base para outros modelos ou atender outros países.

    • Mario

      Verdade. Mas como dizem, ado ado ado, cada um no seu quadrado. Lá SUVs e Pick-up, aqui carroças 1.0.

  • MMM

    Faz todo sentido considerando a preferencia por outros tipos de veículos, considerando ainda a queda brutal do preço do barril do petróleo, que tem reflexo imediato no preço da gasolina na bomba. Diferentemente do Brasil que se encontra em outro planeta.

    • DiMais

      a Dodge tudo bem, já haviam anunciado que ela seria focada em nichos de mercado como os muscle cars, mas a Chrysler perder o 200 é deprimente já que para a FCA vai ficar um espaço em branco na linha de produtos compactos/médios (padrão EUA), resta a Alfa mas com status de marca premium.

      • MMM

        Eu condordo, digo, gosto muito principalmente do Dart, mas em um mercado acirrado como esse, produtos que não tem vendas satisfatórias não tem chance de continuar sendo fabricados. Foi nesse contexto que disse que faz sentido.

      • Fábio

        Chrysler deveria estar no patamar de Lincoln, Lexus, Cadillac… E a Dodge vendendo apenas os populares muscle cars e cupês, deixando os suvs para a Jeep… Foi um grande erro da Fiat inventar o 200 concorrendo com o próprio “ïrmão” e numa terra em que Toyota e Honda imperam nesse nicho, além da Nissan, Ford, BMW, Mercedes…

        • Thiago Maia

          Isso não foi “culpa da Fiat”
          Fiat tem culpa em relação à Lancia, pela gestão anterior

          A Chrysler há anos estava nessa de fazer modelos Dodge mais arrumados. Estava mais pra Mercury e Buick do que Cadillac e Lincoln.
          E a própria Chrysler nunca foi uma marca de alto luxo, mas premium ou quase isso. Tanto é, que seus modelos mais luxuosos ganhavam denominação especial: Imperial, que chegou a ser uma sub marca

          A FCA só precisava de uma marca prêmio, e em todas teria de investir pra recuperar prestígio. Qual marca poderia retornar a fabricar carros globalmente? Alfa, Chrysler ou Lancia?

          Escolheram a Alfa

          • Fábio

            Chrysler sem dúvida! Tanto é que está contido no nome fantasia FCA! Chrysler é “patrimônio EUA”. Alfa Romeo só tem mercado na Itália! Fiat nos Eua é semelhante a carro chinês aqui, pois vende pouco.Alfa nos Eua é mini Ferrari e vende pouco também. Consulte o site googcarbadcar que contém número de vendas e compare. Chryler vendeu 177889 ‘200’ em 2015 e Dart foi vendido para 87392 pessoas em 2015, seria um grande desrespeito com os consumidores se foremdescontinuados! Alfa 4C vendeu menos de 700 veículos em 2015! Chrysler tem muito mais mercado no cenário mundial que Alfa! Alfa está agonizando…

            • Thiago Maia

              Amigo, ambas as marcas têm história, mas a Alfa é mais conhecida internacionalmente e tem símbolo forte e facilmente identificável, o que é bom para uma marca premium.
              E Chrysler e Lancia? Nem uma identidade visual possuíam!

              E a Chrysler pode usar o mínimo de prestígio que tem, para tirar vantagem no mercado generalista. Algo como a Hyundai fez quando entrou no Brasil, ganhava mercado por que o consumidor via “algo diferente” nos seus carros.

              Claro que a Alfa vende pouco. Só tem um esportivo, o 4C! Mas lembre-se de que a Chrysler só tinha 3 modelos velhos – um sedan médio desprestigiado no mercado, e vivia da minivan e do estiloso 300. Poderia ter sido elevada à marca global? Sim, mas certamente houve debate.

              Quem acabou com a Chrysler foi a badalada Daimler,a Fiat fez o que pôde para salvá-la para depois ser salva por ela. A Chrysler era muito doméstica, a Fiat não participava do mercado americano e não tinha SUVs. Foi uma boa fusão. A questão é direcionar as marcas.

              Se até Cadillac e Lincoln estão correndo atrás do prestígio de Audi, BMW e Mercedes, a Chrysler – que há décadas não competia com essas – precisaria de um esforço enorme pra ser uma marca premio global, assim como a Alfa.

              E o Dart é rival do Corolla, não é da categoria do 200.
              A FCA quer acabar com essa estratégia de modelos repetidos entre Chrysler e Dodge.

            • David

              Putz, que mercado louco e esse que 200 mil de um modelo e pouco pra eles??? Nosso campeao vende isso num ano e os fabricantes ficam rachando de vaidade. Logico que 178 mil do 200 e 87 mil do Dart comparado com 170 mil do onix/prisma numeros de janeiro. Eita tenho que muda pra um pais assim pois agora entendo porque tem tanto carro usado com preco em conta. Qualquer um que trabalha compra carro. Aqui o sujeito tem que ser primo do gerente do banco pra conseguir um bom financiamento. Tem ainda 0% de juros em cinco anos pra quem tem bom credito. Veio, compraria uma picape
              Denali da GMC ou Tundra da Toyota. Sera que Obama deixa eu morar la?

      • Thiago Maia

        Vários sites internacionais repercutiram isso. Mas a declaração teria sido: ” as plantas americanas vão produzir mais SUVs e picapes, inclusive a nova RAM sendo produzida na fábrica do 200″

        Mas Marchionne diz ” “There will be a number of things that will be put in place in the next 18 months — things that have been agreed and detailed, that will effectively withdraw the Chrysler 200 and Dodge Dart from the marketplace, for a long period of time, during which we will be continuing discussions with potential partners,” Marchionne said.

        Há um site de fãs da marca (allpar) que sugere a fabricação de um sucessor do 200 ( o Dart é incógnita) numa fábrica da Mitsubishi(quer uma plataforma para sedãs) ou Mazda(fabrica no México). Tanto é, que Marchionne fala em “nossos parceiros podem fazer isso(fabricar os sedãs que serão substituidos por RAM e SUVs nas fábricas americanas da FCA)

        De toda forma, foi uma frase desnecessária, e a chiadeira entre os fãs da MOPAR é geral

        • David

          Talvez algo como fizeram pro Viper. Ele e fabricado dentro de Detroit de um antigo galpao reformado e so funcionarios apaixonados pelo Viper trabalham no que seria a linha de montagem. Um numero de pessoas reduzidos produzindo algo com paixao.

    • LSM300C

      Acho estranho está noticia, o 200 responde por mais de 50% das vendas da chrysler, já o dart não vez o sucesso esperado.

      • Thiago Maia

        Creio que o 200 seja deslocado dos EUA – ele disse isso, que a planta de Sterling heigths fabricaria RAM – , mas não quer dizer que vão se retirar do segmento.

        A importação de um Chrysler chinês é viável – e lá teria mercado – ; a planta mexicana vai abrir espaço sem a produção do Journey , e pode-se importar o sedan do segmento C da Europa ou do Brasil(na plataforma do tipo). Fora a alternativa preferida de Marchionne: encontrar outra montadora que fabrique o sedan pra eles.

        Na prática, Marchionne prefere aumentar a participação da RAM em seu segmento, do que a do sedan 200.

      • Holandês Louco

        Bloquearam o tópico de nossa conversa do Hell cat…
        Você disse que o Hellcat não é turbo, sim é verdade, mas ele não é aspirado, tem indução forçada por supercharger, sendo assim, a comparação como turbo é válida.

  • DiMais

    mais alguns carros civis americanos devorados pelos orientais.

  • Matheus Ulisses P.

    O Dart não é surpresa por ter sido um fiasco desde o lançamento, mas o 200… recém-lançado?

    • DiMais

      também achei estranho o 200, mas parece que eles estão abrindo o caminho para a Alfa Romeo (mesmo que Alfa seja premium e Chrysler não).

      • Matheus Ulisses P.

        Brigar com Mazda 6, Fusion, Malibu, Camry, Accord, Altima, Legacy, Optima, Sonata e Passat não deve ser nada fácil, isso sim!
        Os Alfa entrarão como premium, o 200 não é.

        • MMM

          O 200 não briga com esses carros.

        • DiMais

          no Automotive News está melhor detalhado o plano da FCA.

        • celso

          O Chrysler 200 vende mais que Mazda 6, Legacy, Passat, Optima.
          O problema é encarar a trinca nipônica Camry, Accord e Altima.
          Mas aí até a Ford com o Fusion e a GM com o Malibu também não conseguem encarar.

          • Matheus Ulisses P.

            Eu sei, só coloquei todos os rivais diretos na ordem decrescente da minha preferência!

          • David

            Alguem me corrija se estiver errado mas creio ser o Fusion da Ford o mais vendido. Sei que antes era o Camry da Toyota porem parece que a Fusion conseguiu o titulo. Verdade?

      • Thiago Maia

        Amigo, te respondi lá em cima, nem tinha visto

        É isso, mesmo. Esta uma confusão danada e os sites internacionas repercutem diferente. Induziram o NA a pensar assim – mas a culpa é de Marchionne.

        Eu mesmo, nao reparei nisso

    • Murilo Soares de O. Filho

      Fiasco seria exagero, mas ficou longe de atender as expectativas da empresa…

  • Eduardo Brito

    São bons carros, mas não foram muito bem recebidos na América do norte.

    • David

      Isso se chama “experiencia”. Aos poucos vao aprendendo. Mas fizeram bem no Brasil e creio que a Fiat ira se da bem nos EUA. Parece que agora ela vai engrena com tudo. Resta saber se vao conseguir bater na veia ou se o publico vai rejeita os produtos.

  • Junior_Gyn

    ”A FCA já está planejando a transferência da produção de picapes, há décadas feita no México, para o estado de Michigan”

    Ou seja, adeus possibilidades da RAM 1500 no Brasil ???

    • DiMais

      pelo preço que a Toyota cobra na Hilux acho que não ficaria tão mais cara assim…

    • Fábio

      Ram 1500 seria carro de luxo no Brasil.. Lá é para o trabalhador comum…

      • Junior_Gyn

        Ela viria pra competir com as pickups tops que já beiram os R$ 200.000

    • Thiago Maia

      A demanda está alta.

      Haverá veículos na fábrica de Toluca Mexico, inclusive boatos dão conta de que o proximo 200 pode vir de la

  • Fábio

    Manda pro Brasil via México e venda como veículo premium (Dart 2.4 16v, Journey 2.4 16 v, Challenger v6 e Durango v6)… Tanto dinheiro que a Fiat tem, mas fica inventando porcaria a cada biênio no Brasil, vide Fiat Mobi… O que poderia ser feito no Brasil para um upgrade: trazer o Ottimo e Viaggio chineses e nacionalizá-los como Stilo Hatch e Stilo Sedan. Transformar o Toro em Jeep. Trazer o Panda e Panda Cross e nacionalizá-los como Palio e Palio Cross. Trazer o Tipo italiano e nacionalizá-lo como Siena. Descontinuar Uno, Punto, Idea, Weekend, Doblo, Bravo, Linea, 500 e Freemont.

    • kravmaga

      Infelizmente a maioria das pessoas no nosso mercado só tem dinheiro para comprar Mobi, Uno, Palio, Kwid, Onix, Ka e cia. E os que tem dinheiro para comprar os sedãs médios vão continuar comprando Corolla sem ESP e sem grandes tecnologias por causa da fama e da revenda mais rápida.

      Todos os carros médios que a Fiat tentou emplacar no Brasil depois do Tipo e Marea não venderam.

    • David

      Cara entendo sua frustracao mas infelizmente nosso mercado esta muito aquem dos Ottimos e Viaggios, e sim pra Mobi e Uno. Nacionalizar esses carros que vc citou seria uma boa porem a tecnologia embarcada via seguranca e tudo mais os torna inviaveis. Teriam que pela os coitados pra conseguir vendlos na faix dos 35 – 45.

  • Bruno Silva

    Não me recordo, mas lembro que vi uma matéria falando que esse 200 estava vendendo razoavelmente bem. Já o Dart sempre foi ruim de vendas mesmo.

    • Thiago Maia

      Dart foi projeto tampão, por exigencia do governo americano.

      Eu não acredito em descontinuação do Chrysler 200. Segundo alguns, Marchionne teria dito que iria priorizar SUVs e picapes – próxima RAM iria também para a fabrica do 200, que seria relocado e, se possivel, ser feito dividindo custos com uma parceira( outra montadora)

      Daí as críticas, e as notícias divergentes

    • Maycon Farias

      É verdade. Ano passado o 200 teve o melhor ano da história dele.

    • Thiago Maia

      Vendeu 177 mil unidades, o 200

      Não deve sair de linha, mas ser transferido para fora dos EUA

  • Thiago Maia

    Americanos estão revoltados com Marchionne. Mas a repercussão em sites foi divergente.
    ATENÇÃO:

    Marchionne teria dito que vão priorizar SUVs, e a próxima RAM iria para a fábrica do 200, que poderia ter sua produção deslocada pra outro local ( México?)

    É LOUCURA a FCA sair do mercado de sedãs médios lá (aqui chamados sedas medio-grandes)

    O Toyota Camry é um dos mais vendidos!

    O fato é que Marchionne fala muita besteira. Os fãs da Mopar estão achando que ele só mantém interesse em Jeep e RAM

    • Murilo Soares de O. Filho

      O problema é que Marchionne muitas vezes é mal interpretado…

      • Thiago Maia

        Amigo, concordo. Mas o homem prudente evita ser mal interpretado.

        Agora para quê separar a RAM da Dodge?

        A Chrysler teria de sair dessa posição de “Mercury” , e definir se vira prêmio de verdade – coisa que há decadas não é – ou assumir o mercado generalista, que é enorme nos EUA.
        Não foi definido que a Alfa seria a marca destinada a rivalizar com as alemãs?
        Então a Chrysler assume o papel de rival de Toyota, Honda, Ford…

        E a Dodge? Foi deslocada para focar em seu legado “esportivo”, nos muscle cars.

        Pode ser bem sucedida, mas lembre-se da Pontiac… É possível que em 2020 só haja novas gerações de Charger e Challenger em produção.

        • David

          Mercury era divisao media da Ford sendo Lincoln luxo, Mercury medio, Ford de entrada. Os Plymouth eram divisao de entrada com Dodge e depois a Chrysler. A Chrysler comprou a Jeep e herdou os fantasticos 4×4 que como a GMC produzem carros diferentes da outras divisoes.

  • Zé Mundico

    Sinal dos tempos. Sedãs estão em baixa, ainda mais Fiat….

  • Maycon Farias

    Tô confuso agora… ano passado a própria FCA declarou vários recordes de vendas do 200 no EUA, chegou a números nunca atingidos antes…
    Achei uma bobagem isso, a categoria deles ainda vende muito lá, Não aceito essa justificativa.

  • Fanjos

    Carros bacanas, que são menos que um Uno no EUA e são desprezados por ter coisa melhor. Um sonho!
    Por isso que quem fala mal do EUA é gente consumido pela mais pura raiva e inveja.

    • alex

      Toda vez que vejo um comentário seu, fico rindo por causa da foto. Lembro daquele filme ridículo rs!

      • Fanjos

        Excelente filme xD

        • alex

          Não mesmo rs!

  • Thiago Maia

    Espera-se um esclarecimento de Marchionne. Repercutiu muito, isso aí.

    No entanto, a imprensa inglesa – isso foi dito após o anúncio do plano Alfa, em entrevista – pode ter interpretado mal um anúncio de que as plantas da FCA, nos EUA, não fabricariam mais sedãs(Dart e 200, pois os grandes Charger e 300 são canadenses) abrindo capacidade produtiva para a RAM e os SUVs.

    Portanto, a FCA pode fabricar sedãs no México ou China ( o 200), ou ainda terceirizar a produção para Mazda, Mitsubishi ou outra parceira.

    Na prática, ele abriu mão de buscar a liderança do segmento, mas não deve ficar sem representação, ao menos no segmento médio deles.

    • David

      Agora e que os Dart nao vendem mesmo. E o 200 vai fica encalhado. Queria esta morando la pra comprar Chrysler 200 com 5 mil dolares de desconto. Eita terra boa pra quem adora carros.

  • Bruce Wayne

    Vai ser engraçado se ela não conseguir emplacar a Alfa nos EUA novamente.

  • Murilo Soares de O. Filho

    Lendo as noticias ontem, sobre o balanço de 2015, que entendi, na verdade, não seria o fim destes modelos, mas sim que Chrysler pretende achar um parceiro para diluir os custos na próxima geração…em outros sites, meses atrás havia conversas entre a FCA e Mitsubishi desenvolverem em conjunto um substituto para o Lancer, junto a próxima geração do Dart, o que se isso ocorrer mesmo, poderia ser estendido ao 200 Também. Vale Lembrar que o Dart entrou em um segmento dominado pelos Japoneses, onde a própria Chrysler ficou sem representante por muito tempo. Quanto ao 200, ele vende mais que a geração anterior, e a concorrência é feroz neste segmento. O Incrível, em que a maioria das avaliações são positivas sobre o modelo são positivas. Engraçado que o americano reclama da linha curva da porta traseira que dificulta o acesso. Eles querem um carro quadrado….

    • Thiago Maia

      É isso mesmo.

      O único porém, a meu ver, é que eles têm muitas marcas para gerir, modelos a lançar, e menos capital que grupos como Toyota e VW.

    • David

      Creio que seja algo da engenharia. E so comparar com outros modelos vendidos. As vezes a boa engenharia tem que da lugar aos projetistas que exigem uma curvatura ou abertura pra da charme ao modelo. Pode ser que a porta esteja um pouco comprida ou a curvatura do teto seja um pouco baixo comprometendo o egresso do veiculo e o modelo fica marcado pela stigma. La esses erros nao sao perdoados. Nao e comum modelos passarem por um upgrade com seis meses de lancamento, geralmente e pra corrigir esses erros que se nao forem mudados vai gerar um tremendo prejuizo.

  • Logo essa onda de picapes e SUVs vai passar e aí eu quero ver…
    O 200 é um excelente carro, seria uma pena tirá-lo de linha.

    • David

      Ai traz o 200 da Malasia ou India e vendem como agua. Isso vai se repetindo desde os anos 70 quando longas filas foram formadas durante o Governo do presidente Carter. Sem dizer que estao produzindo picapes tipo F-150 e Silverado com motores que produzem a potencia de V6 ou V8 com consumo de um quatro cinlidros. La o preco do combutivvel esta ligado diretamente ao mercado internacional. Ou seja subiu la subiu na bomba. Baixou la baixou na bomba. Nao existe uma Petrobras que cordena um monopolio. Eu e vc podemos abrir um posto e comprar petroleo no mercado. Engracado e que aqui enquanto o petroleo estava a quase $140 o barril ums 5 anos atras e hoje esta abaixo dos $40 no nosso Siil Siil o preco so sobe. Imagina o quanto a Petrobras ja lucrou com isso? Esquece o presal. Coisa do novededos pra se promover e dizer que seriamos autosuficientes. Fica em torno de $80 dolores o nosso petroleo pra produzilo. Podemos importa por metade do preco e esfola o pobre do Brasileiro. Monopolio que nao ajuda o cidadao Brasileiro. Consequentemente enquanto que nos EUA o preco e um dos mais baixos, aqui na Bananolandia temos um preco interno dos mais caros. Hoje o americano ja aprendeu a ser flexivel porem nao abre mao de um carro seguro, espacoso com um motor posante. Nasci no pais errado…kkk.

  • Joel David Riobueno Herrera

    Hasta cuando los crossovers!!!! El CAliber fue un total desastre, una buena idea mal ejecutada. Es que no aprenden. Una lastima que pase estos, tanto el Dart como el 200 son autos hermosos.

  • Mario

    Incrível como eles tem a flexibilidade. Petróleo baixo, vende mais os beberrões, pára a produção de pequenos, isso chama-se renovação. Aqui um modelo fica 300 anos, isso chama-se pobreza!

  • Henrique de Campos

    A péssima mania da Fiat em “matar” seus carros vai se estender pelo seu conglomerado. Era de se esperar. Ao invés de melhorá-los para torná-los cada vez mais competitivos, matam e colocam outro do mesmo porte no lugar, com outro nome. A concorrência mantém um modelo em linha por 15, 20, 40 anos, por um motivo óbvio: criar um “legado” do modelo e fidelizar clientes. Fideliza porque (se o modelo é bom), o cliente vai trocar por outro mais novo e assim sucessivamente. Fideliza porque não torna a troca onerosa. Modelo que sai de linha perde muito mais valor.
    Algumas marcas andam ressuscitando alguns modelos por um apelo nostálgico, alterando seu status (para cima ou para baixo, vide novo Santana ou futuro Ford Escort), o que é uma proposta mais aceitável do que a filosofia da Fiat. Filosofia burra, diga-se de passagem. E antes de ser classificado como hater, já tive 02 modelos 0km da marca: um Marea (que não deu um probleminha sequer, talvez por sorte, talvez por ser bom mesmo) e um Stilo. Mas não dá pra ter um carro que será assassinado logo na primeira geração.

    • Fábio

      Fiat deve pensar que é a Ferrari, porque mesmo andando com um carro descontinuado ainda tem visibilidade…

    • David

      Verdade, caso do Honda Civic, Do campeao Toyota Corolla, Do Chebrolet Malibu e etc. E pra vcs que choram e reclamam de motor alguns desses ainda levam o mesmo bloco so melhorado na area da combustao, da injecao e etc.

  • Fábio

    A FCA poderia remasterizar o Dart para versão muscle car v6, porque venderam mais de 80000 veículos em 2015 e não 8000…

    • Thiago Maia

      E o plano é esse mesmo: a Dodge será uma marca focada nos muscle cars americanos, e nao será mais a marca generalista o grupo, tarefa agora da Chrysler, que há muito tempo estava no meio termo.

      A Pacifica vai substituir Town&Country e Caravan, A próxima geração do Journey será um Chrysler e por aí, vai.

      A Dodge ficaria apenas com Charger, Challenger, um crossover esportivo e, talvez, o Viper

      • David

        Pacifica e um jipe logo substituir uma van e logo a com maior hegemonia entre vans que e o Town & Country acho dificil. A Chrysler estaria comentendo suicidio aposentar esse nome pela Pacifica que nao esta ligado a nada espetacular. Pacifica esta mais pra Journey nao?

  • Fabão Rocky

    Sedãs tão belos como esses não temos aqui! O Brasil tá virando caminholândia tbm.

  • Lorenzo Frigerio

    Será que é para não canibalizar as Alfas de 4 cilindros?

  • Bittencourt

    Uma pena, o Dart é tão lindo…

  • Sby Bh

    Vamo lá Fiat! —-> A hora é agora

    Transfere a planta de produção do Dart e do 200 pro Brasil e coloca eles com preço de carro popular.

    Ai você vai ver se você não vira a líder de vendas aqui.

    Os dois carros são lindassos. Os brasileiros vão se apaixonar na hora, vão ficar babando, loucos pra comprar….

    Claro, que tem que ter preço. O brasileiro quer preço. O que o Ricardo não tem.

    • David

      SBY BH, Mais de 250 mil por ano gostaram. Suficiente pra ser campeao de vendas aqui no Brasil. Infelizmente la a realidade e outra. 200 mil por ano nao da pra paga as contas. kkk. E trazer um carro desses pra ca no minimo depois que o governo coloca o “preco” deles mesmo sendo fabricado aqui e paga sindicato duvido que consigam por no mercado por menos de 200 mil e olhe se nao passa dos 230. Ai vc esta entrando na area dos Audis, BMW e Mercedes. Mesmo problema que a Fiat teve nos EUA. Agora quanto a Goiania eu diria fica no Nordeste mesmo e traz de navio pra Santos ou porto do Parana. Muito mais barato que fica andando de caminhao sem dizer que pra exporta esta muito mais perto do canal do Panama.

  • Diogo Oliveira

    Esse tal de Sergio Marchionne só fala merda, ele é um péssimo líder para a Fiat. #RessucitaOGiovanniAgnelli



Send this to friend