*Destaque Manutenção Segurança Tecnologia

Durabilidade dos LEDs em automóveis

novo-chevrolet-cruze-sport6-avaliação-NA-21 Durabilidade dos LEDs em automóveis

Uma questão interessante foi levantada pelo leitor Renato Andrade sobre a durabilidade dos LEDs em automóveis. Pesquisando mais sobre o Chevrolet Cruze Turbo, ele descobriu que as luzes diurnas compostas por diodos emissores de luz, disponíveis apenas na versão LTZ do sedã da GM, não podem ser substituídas independentemente se queimarem.



Ou seja, se isso acontecer, o proprietário terá que pagar R$ 4.952 pelo conjunto de farol completo. Esse é o preço de apenas um dos lados e já vem com regulagem elétrica de altura dos projetores. No entanto, de acordo com Andrade, pode-se encontrar o farol completo por R$ 2.074,77, mas sem LEDs diurnos ou regulagem de altura manual, que seria mais indicado para a versão LT.

O leitor então questiona o argumento dos vendedores da rede Chevrolet, que dizem que os LEDs possuem alta durabilidade, embora a garantia para iluminação seja de apenas seis meses. Andrade faz uma comparação com lâmpadas de LED domésticas, que duram de 25 mil a 50 mil horas, segundo um estudo sobre o assunto.

Considerando vibração a bordo do veículo e o fato de permanecerem acesas durante todo o tempo de funcionamento do carro, ele estima que durem em torno de um ano e dois meses. O argumento do leitor é baseado em informações da internet, onde indicam que a durabilidade de um LED automotivo é de cerca de 5 mil horas. Seu cálculo leva em consideração 15 horas de uso diário durante seis dias por semana. A Philips, por exemplo, divulga que seu LED automotivo tem vida útil de 5 mil horas ou 250.000 km rodando a 50 km/h.

mercedes-benz-c200-avantgarde-avaliação-NA-99 Durabilidade dos LEDs em automóveis

Andrade comenta que, de acordo com os cálculos acima, o proprietário de um Cruze Turbo LTZ teria que bancar R$ 9.904 na troca de todo o conjunto ótico do modelo. Ele lembra que os LEDs diurnos também são integrados aos faróis de outros modelos da Chevrolet, como o Prisma, por exemplo. Ele cita o caso de uma proprietária de Volkswagen Golf GTI que teve LEDs diurnos queimados.

Mas será que é isso mesmo? Um LED automotivo dura bem menos que um doméstico? Os LEDs a bordo de automóveis não são novidade, visto que os diodos emissores de luz já existem há muitas décadas. Quem lembra das luzes de equalização agregadas aos antigos toca-fitas nos anos 80? Agora, essa tecnologia saiu da decoração e passou a ter uma função mais prática e segura, a iluminação.

Algumas marcas têm mesmo LEDs diurnos agregados ao conjunto de lente e projetor de seus modelos. Outras, porém, decidiram coloca-los em separado, como no caso dos Citroën C3 e Aircross, por exemplo. O Volkswagen Polo 2018 é outro que não terá as chamadas DRLs em LED nos faróis, mas sim no para-choque, ao lado dos faróis de neblina. Isso de fato facilita sua substituição e, melhor, sua introdução como acessório.

novo-peugeot-3008-impressões-NA-6 Durabilidade dos LEDs em automóveis

Modelos mais caros ampliam o uso dos LEDs, tanto com projetores de foco baixo quanto com os chamados full LED. Indicadores de direção (Mercedes-Benz) ou com dupla função (DRL também) também são usados, tais como no Peugeot 3008, por exemplo. As lanternas traseiras também utilizam LEDs individuais ou em feixes, também presentes em faróis, como no Peugeot 208, por exemplo. Mas os LEDs já não se limitam aos carros. Hoje estão presentes em motocicletas, caminhões e ônibus, incluindo os urbanos convencionais.

No setor doméstico, por exemplo, existe uma variedade de lâmpadas de LED com durabilidade muito variável, dependendo disso vários fatores, entre eles a origem do produto ou mesmo a instalação elétrica. Basta ver que neste momento, existe um recall para um tipo de lâmpada de LED de 9 watts que interfere – através de alterações eletromagnéticas – em aparelhos domésticos, podendo até queima-los.

citroen-c3-puretech-avaliação-NA-17 Durabilidade dos LEDs em automóveis

No caso de faróis automotivos e as tecnologias que são atribuídas a eles, um componente automotivo passa por um processo de testes de durabilidade bem extremo, as montadoras exigem ao máximo das empresas fornecedoras, pois se der problema, as montadoras tem sua imagem “queimada”. De qualquer forma, todo equipamento elétrico ou eletrônico pode sim falhar e, dependendo do caso, gerar um custo considerável.

Ainda assim, muitos carros já bem rodados mantém seus LEDs em pleno funcionamento. Em busca pela internet, verificamos que há poucos relatos sobre queima de LEDs de fábrica, sendo a maioria dos casos de LEDs adaptados em faróis de carros que originalmente não os possuem, algo que virou moda recentemente. E você, conhece algum caso de LED diurno queimado?

Agradecimentos ao Renato Andrade.

  • Deadlock

    15 horas de uso diário? Só se for motorista de Uber…

    • Matheus

      Conta maluca…

      • Catucadao

        tem gente reclamando de que o carro não vem farol de led ai está… vão começar mudar de ideia kkk

    • ViniciusVS

      Realmente deve durar os 250mil km, nunca vi um carro com defeito em LED.

      De qualquer maneira para a montadora o que vale é quem compra 0km, ou seja se durar 3 anos e atender o primeiro dono ótimo…

      Montadora não da a mínima para quem compra usado, pois esse não da lucro nenhum para eles.

      O cenário mais provável é que o carro quando cair na mão do terceiro ou quarto dono em diante, dificilmente o proprietário pagaria o valor que a concessionária pede, é mais fácil ele comprar uma peça duvidosa de Mercado Livre ou fazer alguma gambiarra no auto elétrico do seu Zé.

      Pouco provável que no futuro quando esse carro desvalorizar vão pagar 40% do valor do carro no conjunto de faróis…

      Se a montadora realmente pensar em quem compra carro usado, ainda andariamos de fusca a ar… A galera faz gambiarra até em motor AP que tem peça barata, imagina o que não vão fazer com motores mais sofisticados? Isso é natural do consumidor comum que só quer andar com o carro gastando o mínimo do mínimo possível… O mundo não pode parar por causa deles, seja caro ou barato a tecnologia tem que evoluir sempre.

      • Lucas de Lucca

        Vira e mexe vejo Ecosport com o DRL queimado ou fraco.

        • fredggp .

          Vale lembrar que o Ecosport (antes do facelift) não tinha DRL apenas um filete de LED estético…

          • No_Name

            O Onix também não chega a ser um DRL, Argo… Entre outros…

          • Renato

            Cara, quanto a denominação do que é DRL e o que não é, ainda é meio confuso.
            O Significado do DRL é Daylight Running Light, traduzindo seria Luzes de rodagem diurna. Pelo significado, não especifica se obrigatoriamente tem que ser em LED ou Halogena, e também quanto a intensidade de luz, ou potência para ser considerado DRL ou não. Em breve pesquisas, também não foi encontrado esses dados técnicos em nenhum lugar. Mesmo fixados no Para choque (como C3, Fluence etc) também são considerados Luz de rodagem diurna (não necessariamente o DRL tem que ser dentro do farol.
            Ainda é confuso isso, se for fazer um analise mais profunda.
            Agora uma coisa é certa, sendo considerado DRL ou não, se queimar um Led desse, o guarda pode autuar, seja na Rodovia ou Urbano! Ou dar problema na hora de qualquer vistoria de transferência ou emplacamento)
            E como não tem conserto oficial no presente momento, terá que gastar uma fortuna trocando o Farol.

        • Ⓜ️arcelo

          O EcoSport não tem drl, é led de enfeite, igual o fiesta mexicano e o Edge

          • Lucas de Lucca

            Jurava que fazia a função de DRL aqueles LEDs lá. De toda forma, sempre vejo vários queimados.

            • Ⓜ️arcelo

              Sim, eles só acendem com as lanternas ligadas, então tem gente que pra aparecer acaba ligando as lanternas de dia, mas somente em dias escuros dá para se notar.

              Os drls de led são bem fortes, tanto que nos carros premium eles tem dois estágios, para de dia, forte com função drl, e para a noite, para função de lanterna ou visual.

              • Lucas de Lucca

                Bacana, não sabia mesmo. Valeu pelo esclarecimento.

      • Renato

        Cara, permita-me expor meu ponto de vista e discordar de você. Um carro é bem sucessido pelo que ele oferece aos consumidores, sendo 0 km e principalmente depois de muito tempo de uso.
        Exemplo: Toyota Corolla, que é conhecido pela sua durabilidade. Se o fabricante não pensar no “depois”, elas não vendem mais nenhum carro no “amanhã”.
        O Corolla é um bom exemplo… mesmo sem oferecer recursos e equipamentos desejados por nós consumidores, ela ainda é lider em vendas, mesmo com seus valores quase surreais, pois tem a fama de ser duravel, por gerações.
        O Vw Gol tem/tinha a fama de ser durável, o Fusca, entre outros.
        Muitas vezes, a fama de um carro ser bom ou não é a sua durabilidade ao longo de anos, mesmo passando por diversos donos.
        Óbvio que os cuidados ao longo do tempo também é um fator importantissimo, mas a qualidade construtiva de fabrica é primordial.

        • ViniciusVS

          Qualidade construtiva e durabilidade é o básico em um carro médio modelo 2018.

          O que eu coloco em questão é Justamente soluções tecnológicas, onde a montadora pensa sempre no primeiro dono… O próprio Corolla se não me engano também precisa trocar a lanterna inteira se um filamento queimar, o primeiro dono acha lindo e vai usufruir sem ter dor de cabeça, é nele que a Toyota está pensando e se durar os 3 anos que é o tempo do proprietário usar e trocar por outro Corolla, ótimo…

          Quando queimar esse carro estará na mão do quarto dono daqui uns 10 anos e ai a Toyota não quer saber o que o futuro proprietário pensa ou pretende fazer…

          O mais provável é algum auto elétrico arrumar pois duvido que vai pagar caro em uma lanterna que vale metade do valor do carro, principalmente se o proprietário for um dos que criticam as montadoras e são contra quem compra carro 0km… Esses aí vão passar longe da concessionária.

          Sem hipocrisia, a montadora pensa em quem compra carro novo e faz revisão na rede autorizada deles, trocando óleo a preço de ouro e trocando de carro de 2 em 2 anos, é esse o consumidor que as montadoras querem fidelizar.

          • afonso200

            nos EUA, as pessoas passam 5-7 amos com um carro

          • Filipe Augustus

            Não sei se a Toyota pensa assim, quando eu fiz o Recall da minha Fielder 2005, eles me atenderam muito bem, e ainda fizeram uma checagem completa no carro e me entregaram lavado por dentro e por fora, nos horários combinados, me tratando tão bem, quanto quem estava comprando um Lexus zero km! Algo parecido aconteceu tbm na Honda, quando eu tinha um Civic ano 2000, e precisava de peças, eles sempre me atendiam bem e me ajudavam a manter o carro em ordem, diferente da GM, onde fui levar meu Vectra pra fazer uma revisão e não quiseram nem colocar a mão no meu carro!!!!! Vai de marca, mas a Honda e a Toyota tratam bem quem comprar carro zero e quem tem um usado de 10/12 anos de uso!!!!!!

            • ViniciusVS

              Sim, conheço o pós venda das duas. No caso da Honda já foi beeem melhor, está acima da média ainda mas caiu bastante o nível.

              Existe pós venda Honda antes e depois do Hrv…

        • mjprio

          Vc nao esta errado. Mas se vc for a uma css ou feirão da Toyota ve o pessoal trocando o carro com 1 ano de uso. Nao da nem tempo de dar problema rsrsrs.
          No entanto e um fato o que vc disse. Conta também o fato de Toyota nao vir com tanta coisa sofisticada ou as caixas pretas que os franceses tem

      • heliofig

        Defeito nos leds, só tenho visto na lanterna traseira da S10..

        • Bem lembrado. Realmente é o único carro que vejo com led queimado.

          • Rafael Lima

            Até o Onix só vejo com lanternas queimadas, já vi modelos sem placa com uma das lanternas traseiras queimadas

            • Pedro Gonçalves

              Mas nenhuma versão do Onix tem as lanternas traseiras em LED.

        • th!nk.t4nk

          A parte elétrica sempre foi o fraco dos GM, tanto no Brasil quanto nos EUA.

      • João Martini

        Já vi uma C180 novo com um Led queimado.

        • O carro não estava dando seta? Porque ele apaga o LED frontal na hora de dar seta.

          • Alexandre

            Senão me engano é dual-LED, as cores convencionais brancas / azuladas são substituídas pelas alaranjadas (se for essa última geração de C Class).

          • João Martini

            Então foi a seta que queimou rs.
            No C180 seta e Led são os mesmos. Tava apagado só de um lado mesmo.

        • truco

          tem uma parada no comando de farol das mercedes que nao sei pra que serve, que fica so com um lado de LED ! se algm souber o pq tenho curiosidade.
          Eh um simbolo de P com duas setas uma em cima e em baixo

          • Luiz Pereira

            Essa é a luz de estacionamento. Quase todos (ou todos) os carros europeus têm. O objetivo é deixá-la acesa quando o carro fica estacionado em locais de pouca visibilidade.

            • Filipe Augustus

              Meu Vectra 94 tem isso, se eu deixar a chave de seta acionada ele deixa um lado do carro ligado a lanterna e um dos faróis, mudando a chave ele muda o lado, sempre vi essa função, mas não sabia que era pra isso!!!!!!

              • Tem explicação disso no manual, quando meu pai tinha um Omega 94 na minha época de adolescente, eu cheguei a ler isso no manual. Explicava que era para dar visibilidade ao carro quando estacionado.

                • Filipe Augustus

                  Acho que acabei nunca lendo sobre essa parte! Preciso melhorar em leitura! rsrs

          • João Martini

            O Ka tem isso. Se vc desligar o carro e dar seta pra um lado, ele fica com a lanterna acesa do lado que vc posicionou a seta.
            Mesmo depois de travar com a chave, um lado continua aceso.

            • Mr. Pereba

              no peugeot 208 tambem tem…acredito que muitos carros tenham mas pouca gente sabe/utiliza….

        • No_Name

          Será que não estava dando seta? A Mercedes, o Jetta (com xénon), Cruze, Toro etc apagam o DRL ao acionar a seta.

      • afonso200

        Sorrento 2010 com aquelas lanternas cheia de led, ja vi varias queimadas, os azeras e suas lanternas nos 2008-2010

      • Eduardo Alves

        veja essas S-10 com lanternas de LED que verá muitos queimados.

    • Renato

      Uber, taxi, viaturas policiais, ônibus, caminhões. Vamos pensar em um casos desses, onde o veículo permaneça circulando por 15/20h dia (revezamento os condutores).
      15h /dia x 6 dias por semana = 90h/semana (considerando 1 dia não trabalhado pela maquina).
      90h/semana x 4 semana no mês = 360h por mês
      360h mês x 12 meses = 4.320 h por ano

      Segundo a Philips (conforme descrito no texto) e o Diretor da Valeo (link abaixo), o LED é projetado para ter duração de 5 mil horas. Sendo assim, em casos de uso severo como os citados acima, em um pouco mais de 1 ano os faróis (que tem o Led integrado) já correm o risco de queimar e necessitar a troca de todo o conjunto dos faróis (visto que não trocam só o LED).

      https://www.philips.com.br/a-w/about/news/archive/standard/about/news/press/article-201011191.html

      http://revistaautoesporte.globo.com/Revista/Autoesporte/0,,EMI135026-10142,00-SAIBA+TUDO+SOBRE+OS+FAROIS+DE+LED.html

    • Wilson Junior

      Achei que estavam falando de ônibus circular kkkk

    • Ia comentar justamente isso. 15 horas diárias? Que pesquisa sem pé nem cabeça.

      • Rodrigo

        Em qualquer tipo de teste de validação considera-se sempre o pior caso (ou o mais extremo).

    • Beluga

      Parei de ler nessa hora

  • Rodrigo Figueiredo Bertelli

    Quanta bobagem!!!!! Vai queimar a lâmpada do farol umas 3 vezes pra poder queimar um led do DRL.

    • Louis

      Se for considerar o preço de se trocar um farol inteiro por causa do DRL, não é bobagem.

      • Rodrigo Figueiredo Bertelli

        O 1º dono vai vender o carro, o segundo dono vai vender o carro, o terceiro vai vender o carro e o LED ainda não queimou. E outra, toda essa falação, esse textão, é só com base em chute, não tem nenhuma informação oficial de nenhum instituto, fabricante, nada. É tudo chute!!!!!

        • Louis

          Uma coisa concordo, LEDs de qualidade normalmente duram muito, se não vierem com defeito.
          Podem reparar nas Blazers velhas, ano 99, 2000, sempre reparo que o brake-light está funcionando. Mas no caso dos DRL, que ficam acesas muito mais horas, não sei como fica a durabilidade.

          • ObservadorCWB

            Os Azera e Vera Cruz tem um verdadeiro “mar de LEDs” nos freios desde 2006 …. e até hoje não vi nenhum queimado.

        • Zergling

          A melhor parte foi essa:
          “Considerando vibração a bordo do veículo e o fato de permanecerem acesas durante todo o tempo de funcionamento do carro, ele estima que durem em torno de um ano e dois meses”

          Hahah, que piada…

        • Renato

          “Enquanto uma lâmpada incandescente dura em torno de mil horas, o led pode chegar a cinco mil horas”, explica Carlos Takata, diretor técnico da Valeo.

          http://revistaautoesporte.globo.com/Revista/Autoesporte/0,,EMI135026-10142,00-SAIBA+TUDO+SOBRE+OS+FAROIS+DE+LED.html

          http://blog.carlider.com.br/2017/01/12/farol/

          • Filipe

            Ok, dura 5 vezes mais. Entretanto, custa 100 vezes mais

            • Renato

              Sim, correto, e isso é um dos pontos que estamos conversando por aqui.
              Inclusive, sobre as informações dos fabricantes (Philips, citado no texto do NA) e no diretor da Valeo (nos links acima), falando da durabilidade dos led em cerca de 5 mil horas, sendo assim, não se tratando de chute, e sim, de informações veridicas dos proprios fabricantes e desenvolvedores.
              Partindo disso, cada um pode fazer um calculo simples e ver, ao longo da sua utilização, qual seria o tempo estimado para a troca dos Farois ( visto que se forem integrados a ele, não troca só o LED, e sim todo o Farol) após vencer o prazo estipulado pelos fabricantes.
              Um ônibus, uma viatura policial, um taxi, um carro de aplicatiuvo, entre outros exemplos podem circular por mais de 15h/20h dia (com revezamento de motoristas).

              • Angelo_RSF

                Não precisa queimar…basta uma batida de frente quebrando os faróis. O custo do dono do Cruze LTZ taí.

                • Renato

                  Pois é, e não é só do Cruze não, é do Corolla também, é do Jetta, do Golf, da Peugeot, da Audi, de todos que usam a luz em Led integrados no farol.
                  Parece que não dá para substituir apenas os Leds, somente trocando todo o conjunto do farol, que custam uma fortuna.
                  Mas com relação ao Led, sendo ela um item de iluminação, tem a garantia diferenciada com relação ao carro, e se der algum defeito pós garantia…ferrou!

  • Mayck Colares

    Já foi feito a conta com 5 mil horas de cerca de 250000 km e o cara vem me fazer uma conta que rodaria isso em pouco mais de 1 ano? Aí fica difícil.

    • Jamilson Junior

      É um simples exemplo de uma conta mais fácil de ser entendida do que falar que usa o carro três horas por dia dia sim dia não, etc. Foi apenas um exemplo simplificador.

      • Mayck Colares

        Um outro cara até respondeu ali em cima, ninguém que use o carro pra trabalhar vai usar o carro 15 horas por dia, 6 vezes por semana, então o fato é que elas não vão durar apenas 1 ano e poucos meses. Entendeu?

  • GABRIELCSFLORIPA

    Até hoje só vi leds com problema de funcionamento em carros chineses.

    • Louis

      Já vi em caminhões, ônibus, e também Audi A4 e S10 com leds traseiros queimados. E não é o conjunto todo, vi que metade estava acesa, outra metade queimada.

      • AlemãoMoreira

        A S10 acende metade dos leds mesmo, só acende tudo quando freia.

        • Louis

          Não, estava queimada mesmo, porque estava diferente o lado esquerdo do direito, na lanterna, sem considerar o freio.

          • No_Name

            Também já vi S10 e Trailblazer com as lanternas LED queimados, Golf Highline etc. Caminhões com “tecnologia” made in Brazil (como os implementos rodoviários) então nem se fala, idem para os ônibus nacionais…

        • Arthur Lopes

          A S10 é fácil ver com leds queimados, provavelmente a GM utiliza Leds de baixa tecnologia, pois carros da Kia e Hiunday, é dificil ver com leds queimados, tenho um vizinho que tem um Azera a mais de 5 anos e a noite dá a impressão de novos ainda …

  • O Pato

    Sendo durável ou não, é um tanto quanto estúpido ter uma peça como essa fundida com o farol. Custava aplicar um mínimo de engenharia e colocar os leds removíveis como qualquer outra lâmpada?
    Dizem que dura 250 mil km, mas falar até papagaio fala, depois que sair da garantia o problema é seu.
    Se bem que o sujeito ja comprou um carro turbo, não deve estar esperando ficar muito com o carro, qualquer coisa é só jogar fora e tirar outro 0 km.

    • No_Name

      Até porque a iluminação por LED é feita por pontos de luz, não é uma lâmpada inteira e contínua como aparenta ser. Poderiam muito bem viabilizar a reposição. Mas isso deve acontecer (não permissão de reposição) pois essas lâmpadas não são padronizadas como as halógenas. Existe uma infinidade de tipos, de lúmens, tonalidades etc.

    • Renato

      Pois é Pato, se realmente os fabricantes tem essa certeza de que podem durar bem mais que isso, porque não dar a garantia por 5, 10 anos apenas para esse item, né?
      Ou deixam a opção da troca apenas do Led.

  • Aristeu Junior

    Se preocupe mais com a durabilidade das lâmpadas de filamento que ainda são usadas em 99% dos carros.
    Estou dirigindo mais no período da noite e estou impressionado com a quantidade de veículos novos que rodam com luz de posição e/ou freio queimada. O campeão nesse quesito é o onix. Ontem mesmo vi dois onix com as lâmpadas dos dois lados queimadas, foi salvo pelo brake light. Mas costumo ver carros novos de todas as marcas com esse problema.

    ps; queimou o led do DRL? quebre o farol e acione o seguro

    • ViniciusVS

      Tirando a parte de quebrar o farol e dar o golpe na seguradora, concordo contigo…

      • Aristeu Junior

        golpe? se o farol apresentou defeito, o seguro cobre.
        acho q nem precisa quebrar pra trocarem. é igual para brisa, não precisa quebrar, basta estar trincado.
        ps; tenho seguro e nunca usei pra nada

        • ViniciusVS

          “ps; queimou o led do DRL? quebre o farol e acione o seguro”

          Se o seguro cobre farol com LED QUEIMADO não precisa quebrar, só ligar para o seguro e pedir um novo.

          Quebrar o farol para simular uma colisão e pedir um farol novo não me parece honesto… Vai de cada um.

        • Renato

          Aristeu, seguro não cobre defeitos!
          Quem cobre defeitos (ou deveria) são os fabricantes.
          Seguro cobre avarias!

          • rafa

            correto, somente avarias, e dá uma olhada na apólice do seguro quando o veiculo possui farol/lanterna em led a franquia é por volta de 1500 a 2mil

            • GPE

              1000 reais nas 2 q eu fiz seguro

        • Lauro Agrizzi

          As seguradoras são trouxas.Não vão cobrir troca de farol de LED com LED queimado. A esperteza sempre vira contra o esperto.

      • Artur Barbosa

        Autêntico huehue.

        • No_Name

          Kkkkk!

    • Lucas Santos

      Verdade, tbm reparei os carros novos, principalmente Onix com luz traseira queimada, funcionando só de um lado. Aí eu fico imaginando a qualidade da lâmpada que a GM comprou do fornecedor e colocou no carro rssr É pra dar manutenção mesmo, durabilidade muito alta não gera necessidade de manutenção e todos os fornecedores deixam de ganhar.

    • Renato

      Cara, é mais fácil jogar a responsabilidade para o outro lado (no caso o seguro) do que o próprio fabricante dar a garantia a mais por esse item (já que duram, podem dar garantia de 5, 10 anos sem problemas para esse item, correto?
      Essa semana saiu uma reportagem aqui mesmo no NA falando dos preços dos seguros.
      Mas o X da questão é não poder trocar apenas o LED, e sim, ser obrigado a trocar o farol todo!

    • Lucas Vilanova

      Quando eu tinha o Onix, assim que qualquer lâmpada externa do carro apresentava defeito, aparecia na tela do painel um código de erro, indicando qual lâmpada era. Você pegava esse código, buscava no manual, e achava-o. O que eu vejo é muito motorista desligado, não prestando atenção nas coisas que o carro informa.

      • ViniciusVS

        Realmente aquela peça entre o volante e o banco tem que ajudar também kkkkk

        • Jose Borges

          Essa costuma ser a peça mais problemática do conjunto todo.

    • leomix leo

      Vejo muito grand siena Tb, punto, civic 2007/11.

    • Uranium

      Esse defeito do Onix também acontece com o Prisma. Não é lâmpada queimada, mas sim problema elétrico. As lanternas dos dois lados ficam inoperantes nas luzes de posição e de freio.

  • Franco da Silva

    Isso é igual quem calcula custo de bateria dos elétricos. Se calcular muito, nem carro o cara compra. Carro é paixão!

    • Aristeu Junior

      igual aquelas contas mirabolantes comparando carro próprio com uber e taxi
      jogam preços altíssimos nas contas pra beneficiar o uber ou o taxi haha

  • Fábio Henrique

    Ja vi na rua um tracker e uma eco com um dos leds queimados

    • A.T.

      Não estava com a seta ligada?

      • Achei interessante isso de apagar com a seta ligada. A primeira vez chama atenção.

      • Fábio Henrique

        Eu acho q nao hein, mas pode ser

  • Wagner Lopes

    Comprei umas lâmpadas de led de uma marca chamada Galaxy que estavam em promoção em uma loja elétrica e em cerca de 04 meses, duas já queimaram. Retornei a loja e trocaram na hora. Uma coisa é a grande durabilidade de um led…outra coisa é a baixa qualidade do led adquirido, em sua maioria, da china…

    • Louis

      Comprei umas 4 vezes aqueles Leds para lanternas (T10) da china, não duram 1 semana.
      Depois paguei R$ 50,00 pelo par de leds Philips T10, estes já duram 1 ano. Acho que também vêm da China, mas a qualidade do renomado nem se compara.

  • Louis

    Comentei ontem mesmo em outro blog, uma coisa que não entendo é que tem muita gente com carro com DRL, mas anda de dia com farol aceso, muitas vezes + neblina.
    E quando se acende o farol, o DRL baixa a intensidade, perdendo sua utilidade.

    • O Pato

      Texto mal elaborado da lei explica.
      Diz a lei que devemos andar com farol baixo, o contran disse que pode usar drl, mas o drl não está escrito na lei, apenas na resolução.
      É mais uma lei daquelas para o guardinha te multar se ele estiver de mau humor.

    • Aristeu Junior

      o que eu não entendo é gente andar com farol desligado a noite!
      vejo todo dia vários cornos andando só com a porcaria do farol de neblina ligado no meio da cidade como se aquilo fosse sinônimo de “estilo”
      da vontade de jogar o carro em cima (se fosse uma f250 eu faria isso e ainda alegaria que não tinha visto o carro do dito cujo por não estar com a porcaria do farol ligado)

      • Louis

        Me incomodo mais com Xenon xing-ling, Xenon no neblina, farol alto ou desregulado, esses sim me atrapalham .

  • Guedes

    Pra chegar a conta considerou uso de um carro por 15 horas diárias. Nem ônibus roda isso tudo num dia.

    • Jamilson Junior

      Foi uma conta simplificadora. Para termos uma ideia de forma simplificada. É mais fácil do que dizer que o carro roda 4 horas por dia em dias ímpares da semana e 3 horas por dia em dias pares, sendo que faz viagens no final do ano para o Nordeste que duram aproximadamente 20 horas… etc.

      Muito mais simples para termos base.

      • Guedes

        “15 horas de uso diário durante seis dias por semana”.

        Mas se vc faz um estudo partindo de uma premissa errada ou enganosa, compromete todo o resultado.

        Quase ninguém roda 15 horas num dia.

        • Guilhe

          Pois é, nem quando fui para Patagonia de carro, rodando ao todo 14500 km num mês, não rodei 15hrs num dia…

        • Renato

          Simples, um taxi por exemplo, que tenham dois condutores; um carro de aplicativo, um ônibus, uma viatura policial, entre outros.
          15h de trabalho dia x 6 dias por semana = 90h / semana
          90h x 4 semanas no mês = 360h no mês.
          12 meses x 360h = 4.320h /ano

          Obs: Conta apenas simbolica, para estipular um prazo futuro. Podem ser alterados. Mesmo que seja 7h por dia, a troca deveria ser feita em 2 anos e pouco?

          Partindo da informação do diretor da Valeo (link abaixo) que os Leds podem duram 5 mil horas, no caso acima, podemos considerar que podem parar de funcionar com pouco mais de 1 ano e menos de 2 meses de uso!

          http://revistaautoesporte.globo.com/Revista/Autoesporte/0,,EMI135026-10142,00-SAIBA+TUDO+SOBRE+OS+FAROIS+DE+LED.html

          http://blog.carlider.com.br/2017/01/12/farol/

          O grande X da questão é não poder trocar apenas o LED, e sim, o conjunto todo do fárol.
          Se duram bem mais, porque as montadoras não dão garantias de 5, 10 anos somente para os mesmos?
          Se garante o que faz, pode dar essa garantia tranquilamente!

          • Guedes

            Quantos taxis com DRL vc já viu na rua?

            • Renato

              Em São Paulo, vários Corollas, Prisma, Ecosport, novos Civic, HR-V, alguns Gm Cruze e Vw Jetta, Focus Sedan, Fusion e já vi também Mercedes Benz C180, E250, integrados aos farois.
              Existem outos veículos como Fluence, C3 que possuem, mas não são com conjutno com os farois.
              Não sei afirmar que as TrailBlazer utilizados pelas policias (Militar, Civil ou Rodoviaria) já possuem, mas na linha 2017 já saem com o DRL.
              Um outro fator a considerar é uma tendencia positiva quanto a utilização da luz diurna no Brasil, sendo obrigatório a partir de 2021 em novos projetos de carros e em 2023 em todos os veículos 0 km no Brasil, podendo ser ou não em LED.

              Seria tão simples poder substituir apenas o LED e não o farol por completo em caso de defeitos ou queimar, diminuindo os custos aos consumidores.

              Outro ponto a considerar é que se elas realmente duram tanto (eu também acredito que sim), porque as montadoras não dão garantias de 5, 10 anos somente para as mesmas (como por exemplo a Ford fez com o cambio Powershift; A VW que oferece garantia de 3 a 12 anos contra corrosão de carroceria para seus modelos)?

              • Guedes

                Em nenhum momento eu disse que durava muito.
                o meu ponto é da premissa falaciosa/ pouco provável que o estudo se baseou pra chegar na conclusão, a saber, utilização de carro durante 15 horas ININTERRUPTAS por 6 dias de cada 7 dias da semana.

                Eu como consumidor obviamente queria poder trocar somente o LED, mas daí a botar fé nesse estudo…

                • Renato

                  Com relação a conta, é bem simples. É sabido que a duração do LED automotivo (nesse caso supracitado) é de 5 mil horas, conforme o fabricante Philips e o diretor da Valeo informou (nos links acima).
                  Dessa forma, temos um número oficial do fabricante para saber o limite que ela foi desenvolvida.

                  Como calcular:
                  Horas de utilização por dia (estimado) x 1,2,3,4,5,6,7 dias por semana
                  = resultado acima x 4 semanas (perfazendo 1 mês).
                  = resultado acima x 12 meses (por ano)

                  A partir dai, basta cada um fazer o seu calculo de proporcionalidade.
                  Se o consumidor usa em um Taxi ou Uber que rode 15h por dia, a duração será de um ano e pouco.
                  Se for um ônibus que rode 20h por dia, sera de menos de 1 ano.
                  Se for em um consumidor que usa 1hora por dia, a duração pode ser de mais de 14 anos….

                  Lembrando que nesse caso, enquanto o motor está em funcionamento (mesmo no momento de desligamento do sistema star-stop), a luz fica ligada, portanto, contabilizando o tempo de vida útil.

                  Pode ser que durem 20 anos em um ônibus, ou dure só o que o fabricante diz que elas foram projetadas para durar.
                  Mas partindo da informação que o fabricante informa, temos como base o número para calcular, cada um no seu perfil.

      • Jorge

        Eu fiz uma conta simplificadora também, usando o meu carro 2 horas por dias, 7 dias por semana, o farol teria que ser trocado a cada 6 anos e 10 meses.

    • Rodrigo

      Normalmente esses testes procuram reproduzir o pior cenário. Assim cobre-se 99% das situações reais de uso.

      • SDS SP

        Exato, na homologação de motores, há testes de mais de 500 horas em plena carga, reproduzindo a pior situação de funcionamento.

  • Eduardo Balby Gandra

    Tenho um Audi A4 2012 cuja faixa de LEDS do lado esquerdo é mais fraca do q o lado direito. Nunca descobri a causa esse defeito q aparentemente só seria resolvido c a troca do farol inteiro q seria 3000 reais no mercado paralelo. Ou seja, vai ficar assim mesmo.

    • Renato

      Pois é Eduardo, isso realmente pode ocorrer, e o consumidor sempre fica na mão, pois não dá para trocar o que está com defeito, e sim, o farol por completo, cujos valores são muito elevados.

    • Rodrigo

      Provavelmente é o módulo ou reator de alimentação.
      Todo circuito LED possui um e é a primeira coisa que geralmente dá problema.

      • Eduardo Balby Gandra

        Isso. Cheguei a comprar um reator, porém sem resultado

  • Ric53

    Meu C3 2013 continua com os LEDs funcionando perfeitamente e eu mesmo nunca vi um C3 com LEDs queimados.. mas já reparei em carros de segmentos superiores com LEDs nos faróis em que um lado estava mais fraco que o outro

    • Robson

      Bem curioso isso, acho que nunca vi C3 com Led queimado mesmo. Mas na Vila Olímpia onde trabalho o que mais vejo é Audi, BMW e Mercedes (além do próprio Cruze) com esses Leds sem funcionar.

      • Daniel

        No Cruze quando se dá seta com faróis apagados, os Leds apagam momentaneamente.

  • Alexandre Volpi

    Quando eu tive um Golf MK7, tive o problema com o DRL em “U” de um dos lados do farol, que foI ficando mais fraco ate nao acender mais. A css trocou em garantia, mas depois do ocorrido passei a andar com os faróis de neblina sempre acesos porque a intensidade do DRL é reduzida nessas ocasiões.

    Tenho colegas com outros veículos com DRL/Farol em led, mas não relatam problema algum.

  • Diego

    Eu só me lembro de problemas sério com LED na luz traseira por infiltração de água.

  • Fernando

    já vi varias fiat toro com led queimado. tudo caolho, só funcionando de um lado.

    • No_Name

      Toro ainda não vi. Mas você sabe que alguns carros desligam o DRL (caso do Toro, Cruze) ao acionar a seta, certo?

      • G.Alonso

        kkkk tem que lembrar desse detalhe, né…

      • Fernando

        não. to falando que é falha mesmo. já vi 2 rodando assim. só com um lado ligado

  • Zergling

    “Considerando vibração a bordo do veículo e o fato de permanecerem acesas durante todo o tempo de funcionamento do carro, ele estima que durem em torno de um ano e dois meses”

    É uma piada isso?

  • Filipe

    Não há argumento plausível para justificar um conjunto óptico (luz/lanterna) ser tão caro assim! Isso se chama estelionato para cima da população!!

    • No_Name

      As lâmpadas de xenônio originais eles cobram de R$ 1500 pra cima, por lâmpada…

    • Lucas de Lucca

      Famoso custo Brasil.

    • No_Name

      Mas no mundo inteiro é esse roubo com esses faróis “tecnológicos”, lá na Europa também custam pequenas fortunas.

    • Rodrigo

      É o preço da tecnologia que está começando a se popularizar. Aqui acaba sendo muito mais caro devido a impostos e o lucro exorbitante, mas lá fora também é. Não é dificil olhar em sites como eBay lanternas em LED por US$500 ou até mais cada unidade. Tanto que até saiu no N.A. e em outros veículos de imprensa gangues especializadas em roubar faróis e lanternas em LED de carros estacionados na Europa.

  • Bruno Luís

    Leds automotivos deveriam durar mais , no meu caso meu Fiat Punto tive que substituir a lanterna traseiro devido os leds pararem de funcionar com 6 meses de uso , acionei a garantia que não deu em nada.

    • D136O

      O punto tem um problema crônico de umidade nas lanternas traseiras isso pode ter ocasionado a queima

  • MarcioMaster

    E eu ainda acho esses DRL’s ridiculos, parecem carros xuning made in paraguai.

  • heliofig

    Outra dúvida para a GM: a S10 2.5 flex tem horimetro. Quantas horas de uso é o intervalo ideal para troca de óleo do motor? Na ccs, ninguém sabe…

  • Freaky Boss

    Bom questionamento.
    Se esse problema não aparece hoje pois os carros com LED ainda relativamente são novos, deve começar a aparecer em breve.

  • Jurandir Filho

    cálculo maluco desse cidadão, fosse assim ia ter um monte de c3, c4 lounge, entre outros, todos com os leds queimados

  • Draga

    Se pelos calculos dura 1 ano e dois meses, meu farol e lanternas vao queimar em menos de seis meses… Mas isso nao acontece…

    • Renato

      É muito relativo, cada um pode fazer um calculo de acordo com sua utilização.

      Taxi, veiculo que fazem transporte de passageiros em geral, viaturas policiais, ônibus, caminhões. Vamos pensar em um casos desses, onde o veículo permaneça circulando por 15/20h dia (revezamento os condutores).
      15h /dia x 6 dias por semana = 90h/semana (considerando 1 dia de não trabalhado pela maquina).
      90h/semana x 4 semana no mês = 360h por mês
      360h mês x 12 meses = 4.320 h por ano

      Segundo a Philips (conforme descrito no texto) e o Diretor da Valeo (link abaixo), o LED é projetado para ter duração de 5 mil horas. Sendo assim, em casos de uso severo como os citados acima, em um pouco mais de 1 ano os faróis já correm o risco de queimar e necessitar a troca de todo o conjunto dos faróis (visto que não trocam só o LED).

      https://www.philips.com.br/a-w/about/news/archive/standard/about/news/press/article-201011191.html

      http://revistaautoesporte.globo.com/Revista/Autoesporte/0,,EMI135026-10142,00-SAIBA+TUDO+SOBRE+OS+FAROIS+DE+LED.html

  • Dá nada, no Brasil sempre vai ter uma lojinha nos arredores de shopping center ou perto de uma rodoviária onde o cara dá conta de destroçar todo esse conjunto e substituir esses leds por qualquer duzentão…

    • No_Name

      Kkkkk!

  • Ubiratã Muniz Silva

    O argumento não é válido.

    Luzes de LED domésticas têm construção diferente das de LED automotivas.

    as feitas para uso em veículos já possuem uma construção mais própria para aguentar vibração.

    Quem manja de moto sabe que Harley-Davidson vibra pra caramba. E desde 2013 as Touring (linha maior, de viagem) já usam faróis principais e auxiliares de LED. Não conheço NINGUÉM que já tenha queimado um farol desses. Eu mesmo instalei na minha há um ano (nem instalei originais, comprei “knock-offs” Made in China) e rodo diariamente (20 mil km por ano), e nada.

    E não tô falando de DRL não, tô falando de luz principal, que no caso da moto fica acesa 100% do tempo.

  • Rafael Neves

    Vão pensar que é estória mas já vi VÁRIOS Tiggos com LEDS diurnos queimados!

    • No_Name

      Chinês…

      • Antonio

        Todos são chines, ate o dos japas

        • No_Name

          Produção na China é uma coisa e desenvolvimento/projeto chinês é outra hehe.

  • HenriqueHJ

    Os LEDs duram muito. o que as vezes acontece as vezes são as partes eletronicos que vai na fita de LED que causam esses problemas de metade da trilha acesa e outra metade não. como a css não é de conserto de eletronicos, eles vendem logo o farol todo. mas se conhece algum tecnico de eletronica bom eles conseguem realizar a troca da fita de LED. ruim é que na maioria das vezes essas fitas de LED ficam enxertado no farol. ficando impossivel de acessar eles. mas a explicação que a vedação é necessaria pois a humidade estraga boa parte desses componentes eletronicos.

    escutando o relato de um cara que trabalha em oficina mecanica, formado em eletronica. teve um carro premium não lembro se foi a jaguar, BMW ou MB que a luz do painel não acendia de jeito nenhum e na css recomendou a troca da peça toda. ao custo de 4 mil isso a 4 anos atrás. esse amigo desmontou o painel e viu a placa de controle do painel levou pra casa e testou com o voltimetro e viu que era uma pecinha de 15 reais, bastou tirar a peça e soldar o novo que voltou a funcionar perfeitamente.

    LEDs antigos de BrakeLight são aqueles LEDs vermelhos de 2 perninhas soldado um uma placa. ao inves de trocar ele todo pede pra cara da oficina desmontar, e você mesmo leva em uma eletronica para trocar os leds ou os resistores que volta a funcionar de boa.

    se vibração estraga LED. som antigos que tem equalizador com LEDs não deveria funcionar depois de 3 meses.

    • Ubiratã Muniz Silva

      exato. normalmente quando dá problema em luz de LED é solda fria da placa que trincou.

  • Allysson Santos

    Já vi com certa frequência, principalmente nas lanternas em led, alguns pontos queimados, exemplos como Mercedez compressor ( aquela Hatch que tem um break light em led bem grande), Audi A4 e A3 sedan, S10.

  • Renato

    @hen@henriquehj:disqus
    A comparação foi apenas alusiva, mostrando a diferença de durabilidade de uma lâmpada halógena de carro x halógena residencial. A do carro tende a queimar mais rápido devido a vibrações do movimento do carro x alta temperatura do filamento, em comparação com uma “lâmpada fixa” residencial (que não tem vibrações). O fato de ocorrer vibrações pode também, ao longo prazo levar, danificar algum componente eletrônico dos LEDs, fazendo com que a durabilidade de uma lâmpada LED automotivo seja menor que um LED residencial, por exemplo.
    A Philips mesmo diz que uma de suas lâmpadas podem durar mais de 25 mil horas.
    http://www.ecycle.com.br/component/content/article/37-tecnologia-a-favor/866-philips-lanca-lampada-que-dura-ate-20-anos.html

    Mas, ao pesquisar o LED veicular do mesmo Fabricante Philips, a estimativa de durabilidade é de apenas 5 mil horas
    https://www.philips.com.br/a-w/about/news/archive/standard/about/news/press/article-201011191.html

    Se não tivesse diferença (seja por vibrações, entre outros fatores) a durabilidade de uma lâmpada em LED automotiva deveria (na teoria) durar as mesmas 25mil horas da lâmpada de LED utilizado nas residencias, por exemplo, ou algo mais próximo disso, e não ser 400% menos duravel, em comparação.

    • Antonio

      So para reforçar, Não dá pra comparar algo que consiste sua função num filamento, no caso das luzes, onde um módulo está instalado num corpo IMÓVEL como e as lampadas na grande maioria, e outro basicamente com os mesmos princípios, mas instalados em um corpo MÓVEL ou algo mais, em AUTO-MÓVEL, que mesmo havendo um sistema de amortecimento de impacto, esse filamento vai sofrer muito mais avarias, mesmo que no caso do projeto do LED, seja mais compacto e numa outra disposição em duplicidade de fios

  • Alexandre Maciel

    Eu sei que led veicular, pelas condições de uso, tem durabilidade diferente dos utilizados em residência. Mas, se serve de exemplo, tive um gabinete para PC chamado Thermaltake Tsunami e ele tinha 2 pontos de led na tampa frontal. Além do alumínio que ainda estava intacto, os leds continuaram funcionando no curso de 11 anos. E meu pc costumava ficar ligado umas 10 horas por dia (10horas x 11anos x 365dias = 40.150 horas).

    Particularmente acredito que a durabilidade dos leds está mais ligada aos materiais empregados e ao projeto eletrônico adotado. No mais, concordo com a ideia de que eles deveriam ser substituíveis como acontece com lâmpadas alógenas.

  • Mr. Pug

    Meu Peugeot 2008 tem quase dois anos de uso e pouco mais de 45 mil kms rodados e ainda não notei nada diferente nos leds diurnos. Imagino que para trocar deve custar os dois olhos e mais um rim, os filetes de led ficam na parte superior do conjunto, não sei é possível a substituição apenas deles ou se precisa trocar o farol todo, mas na próxima revisão vou sanar essa dúvida com o pessoal da concessionária. Não farei, mas que dá vontade de desligar, depois de ler um texto desses, ah isso dá…

    • Renato

      Pois é, se falarem que é possivel, verifique o preço da peça.
      Fui em duas concessionárias de marcas diferentes e me disseram que dava para trocar sim, pois a fabrica não ia desenvolver algo e deixar que não desse para substituir. Após insistência, o vendedor foi pocurar informações detalhadas com a oficina e balcão de peças e voltou até sem graça, retificando e dizendo que não tinha como trocar o LED, somente os farois por completo.

  • Vattt

    Obsolescência programada!!! A gente nunca sabe quanto vai durar, mas eles sabem!!!

  • Não sei se o que vou falar se aplica ao LED, mas a durabilidade de uma lâmpada, em horas, está ligada diretamente a quantidade de vezes que ela é ligada e desligada. Quando uma lâmpada está fria o desgaste é maior, já depois que ela esquenta pode deixar ligada horas a fio que o desgaste é mínimo. Estou me referindo a lâmpadas residencial, ouvi isso de um funcionário de uma fabricante.

  • zeh

    …durabilidade ou não…mas ja é futuro da luz…mas convenhamos, que o preço pedido pra troca, beira o absurdo e a insanidade….não tem nada alí que justifique tal preço,..quanto será que eles pagam para os fabricantes pela peça…???

  • Ricardo

    Com certeza na Europa a substituição é possível, barata e não se torna um problema como no Brasil!

    • No_Name

      Não é não. A VW orienta trocar os faróis/lanternas defeituosos e a Ford também. E assim como aqui custam caríssimos, até para os padrões de lá.

  • Gran RS 78

    Meu carro tem leds diurnos e foi fabricado em 2013/14. Uso todos os dias e sempre com eles ligados e até agora funcionam normalmente. Acho que existe sim uma opção se queimar o led sem ter que trocar o conjunto inteiro.

  • Meu Cerato (e284) tenho desde 2013, e está tudo funcionando que é uma beleza.

  • Bourgelat Marinho

    Vocês poderiam me informar se luzes de LED do Sentra 2014 é DRL ou de posição?

  • Offshore LLC

    Jah tive Jetta 2.0 Tsi com led queimado, porém trocado pela Css na garantia.
    Trocou o farol inteiro.

  • Alexandre Santos

    Acho uma sacanagem que aqui em Natal, a Concessionária da Audi deixa durante a noite toda os Audis 0km com os DRL acessos para chamar a atenção. Isso com certeza diminui a vida útil dos DRL dos Audi.

    • fsjal

      isso é em qualquer concessionária da Audi, determinação da matriz

  • Dreidecker

    É o oligopólio nacional aproveitando o frisson da nova tecnologia LED para meter a faca no consumidor.

  • afonso200

    a lanternas do old azera, cheia de leds, volta e meia relatos no azeraclub uma ou outra queimada, a Sorrento 2010 cheia de led na sinaleira, as vezes queimava uma ou outra

  • Fabão Rocky

    N sei se é led ou DRL mas já vi vários Puntos (reestilizado) na rua c/ a lanterna traseira queimada ou fraca.

  • Antonio

    Renato Andrade sempre com meterias espetaculares,
    Vamos ao LED
    Mas primeiro vamos aos farois que vem com um mix de luzes compostos do tal LED, muito bem aprofundado pela matéria, e a moda atual, e concebido como “tecnologia”
    Mas essa do Novo Cruze sport foi de dor os tímpanos.
    Isso quer dizer que essa fitinha, “porque realmente e uma fitinha” ate parecida com aquelas de enfeitar árvore de natal, ou fitilho como quiserem, simplesmente colaram esse enfeite, internamente num recipiente oco ovalado de vidro ou acrílico, denominado de Farol, blindaram tal conjunto e instalam isso como modulo, a um preço estipulado por cada pacote de quase cinco mil reais, um conjunto chagando a quase 10 mil reais, o preço de uma bateria da TESLA, que equipa o hibrido Prius da Toyota, mas que com essa bateria (tecnologia) um dono de um prius economiza meio tanque de combustível todas as vezes que ele vai ao posto, e esse enxerto tecnológico tem durabilidade de no mínimo dez anos
    Voltando ao Farol do Cruze, e bonito, chamativo e encanta, mas só por estar colado ao para-choque já e peça vulnerável a quebrar a qualquer descuido, ainda pra piorar, tem vida útil minguada de no máximo dois anos, e temos que conceber isso como tecnologia?
    Vai se ver muito desses sem essa sobrancelha reluzente depois da “fitinha” queimada, ou terá que se ter uma ampla apólice de seguro para substitui-lo por tal preço

  • Bandit

    Se for para ser assim é melhor por temporizador no farol e abandonar essa de led diurno de vez … tá louco com um farol desse dá para trocar a lampada comum umas 60 vezes ou mais

  • 1945_DE

    Tem alguma coisa errada nestas informações divulgados pelo leitor. A Philips divulga que uma lampada de led H4 para farol dura até 12anos. Precisa ver qual foi o calculo que eles fazem.
    https://www.philips.com.br/c-p/12953BWX2/x-treme-ultinon-led-lampadas-para-farois-automotivos/especificacoes

    • Renato

      “Longa vida útil com durabilidade de 5.000 horas ou 250.000 km a uma velocidade média de 50 km/h”
      Fonte: https://www.philips.com.br/a-w/about/news/archive/standard/about/news/press/article-201011191.html

      Trata-se de uma DRL – Daylight Running Light, e não uma lâmpada H4.

      Pode durar realmente 12 anos, mas tudo é relativo ao tempo que a mesma passa ligada.

      Como calcular:
      Horas de utilização por dia (estimado) x 1,2,3,4,5,6,7 dias por semana
      = resultado acima x 4 semanas (perfazendo 1 mês).
      = resultado acima x 12 meses (por ano)

      A partir dai, basta cada um fazer o seu calculo de proporcionalidade.
      EXEMPLO fictício – Considerando o uso 6x por semana:
      Se o consumidor usa em um Taxi ou Uber que rode 15h por dia, a duração será de um ano e pouco.
      Se for um ônibus que rode 20h por dia, será de menos de 1 ano.
      Se for em um consumidor que usa 1hora por dia, a duração pode ser de mais de 14 anos….

      Partindo da informação inicial do fabricante, cuja duração está estipulada em 5 mil horas.

  • Ricardo Timm de Souza

    Nunca tive problemas com as DRL ou as lanternas traseiras em LED de meu Peugeot 508 2012/13.

  • Douglas

    Já vi vários Punto, Lifan X60 e S10 LTZ com a lanterna traseira defeituosa.

  • Bruno Carvalho

    Já existem reparadores independentes que desmontam até a cinta do airbag do volante. Desmontar o farol e substituir o LED não é tarefa de outro mundo. Conforme o carro envelhece o mercado paralelo se “especializa” e tudo se ajeita, no seu devido custo!

  • Dieki

    Eu já vi BMW X1 com o angel eye queimado. Fica bem estranho… Mas acredito que não precise trocar o farol todo ao invés de substituir uma “lâmpada” apenas.

  • Fernando_S

    Meu passat é 2012 e deve ter mais de 100 LEDs contando farol e sinaleira. Até agora nenhum queimado. Creio que sejam feitos para durar toda a vida útil do veículo.

  • durango

    Nascemos no Brasil para andar de fusca mesmo!

  • Luis Burro

    O q tem a ver a velocidade com a durabilidade?Eh mais facil comprar um conjunto de natal no 1,99 e gambiar no carro!

  • duhehe

    Estão comparando laranja com abacaxi.
    Uma coisa é uma lampada domestica xingling de 8 reais , feita com o que ha de mais barato na china ( Custa US$0,80 uma lampada dessa em lote), ligada na rede eletrica que oscila o tempo todo.
    Outra é conjunto de LED ligado no farol do carro com uma tensão muito menor e controlada, e muito provavelmente as montadoras usam leds de qualidade, que possuem uma durabilidade muito maior.

  • Ygor Soares

    “Seu cálculo leva em consideração 15 horas de uso diário durante seis dias por semana.” Que conta maluca foi essa? Dirige 15h e dorme, come, bebê, descansa e solta um barro em 9h apenas?

    Meu 308 anterior durou 3 anos e ps Leds funcionavam 100%

    • Renato

      No site da Philips (oficial) diz: “ Longa vida útil com durabilidade de 5.000 horas ou 250.000 km a uma velocidade média de 50 km/h”
      https://www.philips.com.br/a-w/about/news/archive/standard/about/news/press/article-201011191.html

      Partindo das informações técnicas oficiais de um fabricante do DRL automotivo (Philips), considerando a vida útil de um LED de 5 mil horas, vamos calcular:

      Horas de utilização por dia (estimado) x 1,2,3,4,5,6,7 dias por semana
      = resultado acima x 4 semanas (perfazendo 1 mês).
      = resultado acima x 12 meses (por ano)

      A partir dai, basta cada um fazer o seu cálculo de proporcionalidade.
      Se o consumidor usa em um Taxi ou Uber (2 motoristas, por exemplo), Viaturas Policiais, ou outro tipo de uso severo, que rode 15h por dia, 6x na semana (vamos considerar um dia de descanso para a máquina), a duração será de um ano e pouco – (4.320h ligado por ano)
      Se for um ônibus que rode 20h por dia, será de menos de 1 ano – (5.760 horas/ano)
      Se for em um consumidor que usa 1 hora por dia, a duração pode ser de mais de 14 anos…. (288h/ano)

      Independente do tempo, seja de 1, 3, 5, 7 anos, ter que trocar um faról inteiro por causa de um Led gera um alto custo.

      Obsolescência programada!!! A gente nunca sabe quanto vai durar, mas eles sabem!!! – @vat@vattt:disqus

      • Ygor Soares

        Usei meu 308 bastante por 3 anos antes dele dar PT e nenhum LED deu problema. Tenho um amigo com um 308 2012 até hoje 100% os Leds 100%. Isso é apenas uma estimativa do tempo de vida, assim como lâmpadas incandescentes também possuem um tempo de vida esrimado que é até menor que o LED na verdade.

        Acho que é muito barulho para algo que pode ocorrer 1 em cada 1000!

        Abs

        • Renato

          O que ninguém está levando em consideração é que o uso dos Leds eram para carros de luxo, ou de classes superiores aos populares (onde o processo de fabricação e qualidade dos materiais empregados são diferentes). Agora estão sendo implantados em carros mais simples, e que muitos deles podem ser usados para fins profissionais (tais como viaturas policiais, Taxis, carros de aplicativos, ônibus entre outras funções).
          Os fabricantes informam que os Leds foram projetadas para durar 5 mil horas. Partindo dessa informação oficial, cada um pode estimar a vida util de acordo com sua utilização.
          Um proprietário de um Audi, BMW, Mercedes certamente não roda muito com o carro (mais de 3h/ dia). Nesse caso, a durabilidade de um Led pode ser de 10, 20 anos!
          Agora pega um carro popular que seja usado nas condições acima, que rode 10, 12h por dia. Será obvio que não irá durar muito.
          Ai entra o preço do farol, pagar tão caro para trocar um farol inteiro por conta de um filete de Led.
          Tanto é, se os próprios fabricantes confiassem tanto assim, porque não dão garantia de 5, 10 anos somente para os Leds??
          Nós consumiodres nunca sabemos quando eles vão queimar, mas os fabricantes sabem.

  • Guilherme Batista

    Independente do calculo polêmico, eu não tinha parado pra pensar nisso, começarei a reparar mais em casos assim.
    Já que a durabilidade é tão grande assim, as montadoras deveriam dar uma garantia maior para essas peças, pois mesmo com durabilidade comprovada, existem defeitos de montagem e problemas em manter qualidade em todos os faróis, como no caso da mulher com os faróis do Golf queimados

    • Renato

      Finalmente um comentário de alguém deve ter lido o texto por completo, e entendeu a essência do caso supracitado.

      No site da Philips (oficial) diz: “ Longa vida útil com durabilidade de 5.000 horas ou 250.000 km a uma velocidade média de 50 km/h”
      https://www.philips.com.br/a-w/about/news/archive/standard/about/news/press/article-201011191.html

      “Enquanto uma lâmpada incandescente dura em torno de mil horas, o led pode chegar a cinco mil horas”, explica Carlos Takata, diretor técnico da Valeo
      http://revistaautoesporte.globo.com/Revista/Autoesporte/0,,EMI135026-10142,00-SAIBA+TUDO+SOBRE+OS+FAROIS+DE+LED.html

      Partindo das informações técnicas oficiais de um fabricante do DRL automotivo e de um diretor da Valeo, considerando a vida útil de um LED de 5 mil horas, vamos calcular:

      Horas de utilização por dia (estimado) x 1,2,3,4,5,6,7 dias por semana
      = resultado acima x 4 semanas (perfazendo 1 mês).
      = resultado acima x 12 meses (por ano)

      A partir dai, basta cada um fazer o seu cálculo de proporcionalidade.
      Se o consumidor usa em um Taxi ou Uber (2 motoristas, por exemplo), Viaturas Policiais, ou outro tipo de uso severo, que rode 15h por dia, 6x na semana (vamos considerar um dia de descanso para a máquina), a duração será de um ano e pouco – (4.320h ligado por ano)
      Se for um ônibus que rode 20h por dia, será de menos de 1 ano – (5.760 horas/ano)
      Se for em um consumidor que usa 1 hora por dia, a duração pode ser de mais de 14 anos…. (288h/ano)

      Geralmente a garantia dos itens de iluminação (lâmpadas etc) ou desgaste natural (pastilhas, coxins, amortecedores, baterias etc) não acompanham a garantia do veículo.
      Exemplo real: Olhe nos comentários sobre a queima da lanterna de freios do Fiat Punto e da S10 (sem garantia), da luz de licença – placa e da lanterna de freio da S10, entre outros casos.

      Imagine ter que trocar os faróis dos carros para poder substituir o Led, caso seja necessario, o alto custo disso?

      • Guilherme Batista

        Pois é cara, fica inviavel.
        Eu acredito que lâmpada é um objeto de desgaste do veículo, assim como amortecedores, pastilhas de freio, oleo e etc. Todas essas coisas vc já sabe que eventualmente terá que trocar. Já o conjunto ótico não é algo de desgaste, é perfeitamente possível você ter o farol pra sempre, só estraga com impacto de alguma coisa.
        Então os Leds sendo lâmpadas, deveriam ter uma forma simples de serem trocadas e não somente junto com o farol, pra mim isso é venda casada

        • Renato

          Exatamente Guilherme. Ainda mais se pensarmos que com o tempo as vedações podem deixar de ser 100% eficazes e começar a infiltrar agua ou criar umidade dentro dos faróis, e isso provocar danos as lâmpadas e LEDS…

  • mjprio

    Ta certo que isso nao vale muito pro mundo automotivo, maa me lembro quando uma simples TV Led 40 e poucas polegadas custava quase o preço de um veiculo seminovo. Hoje elas sao vendidas em supermercados a cerca de 2 mil reais. ( vi uma samsung 4k 48pol por 2800 ontem)
    Acredito que a amortização dos custos e a concorrência pode fazer com que os preços caiam. Mas tenho os pes no chão e sei que depende das montadoras e dos fornecedores de autopeças.

  • Superleggera

    Na familia temos um Peugeot 308 comprado em 2012, até agora sem substituição de LED

  • Ralex

    Esses dias vi um A5 com led queimado em um dos farois. Deu ate pena do dono..

  • fsjal

    os audi A4 da 4ª geração foram lançados em 2008 e introduziram os DRL em led. quase 10 anos depois eu vejo alguns modelos desse carro sem problema algum nos leds. Aliás, nunca vi carro com problema no led.

    essa conta de carro rodando 15h por dia só se for ônibus e taxi… que conta doida

    • Renato

      As pessoas estão se apegando mais ao calculo de exemplo citado, do que ao fato de não poder trocar apenas o LED (em caso de necessidade), ficando a merce dos fabricantes a troca do faról por completo, a preços absurdos!
      Sim, considerando casos de uso severo (taxi, carros de aplicativos, viaturas policiais, ônibus, caminhões, entre outros). A luz diurna será obrigatória entre 2021 (projetos de carros novos) e 2023 (todos os veículos), conforme exigências da lei.
      O Audi A4 é um carro caro para compra e nas reposições de peças, sendo assim, pouco usado para fins profissionais, mais para lazer e locomoção diaria, e nesse caso, pode durar até mais que 10 anos, dependendo das horas diarias de uso.

      No site da Philips (oficial) diz: “ Longa vida útil com durabilidade de 5.000 horas ou 250.000 km a uma velocidade média de 50 km/h”
      https://www.philips.com.br/a-w/about/news/archive/standard/about/news/press/article-201011191.html

      “Enquanto uma lâmpada incandescente dura em torno de mil horas, o led pode chegar a cinco mil horas”, explica Carlos Takata, diretor técnico da Valeo
      http://revistaautoesporte.globo.com/Revista/Autoesporte/0,,EMI135026-10142,00-SAIBA+TUDO+SOBRE+OS+FAROIS+DE+LED.html

      Partindo das informações técnicas oficiais de um fabricante do DRL automotivo e de um diretor da Valeo, considerando a vida útil de um LED de 5 mil horas, vamos calcular:

      Horas de utilização por dia (estimado) x 1,2,3,4,5,6,7 dias por semana
      = resultado acima x 4 semanas (perfazendo 1 mês).
      = resultado acima x 12 meses (por ano)

      A partir dai, basta cada um fazer o seu cálculo de proporcionalidade.
      Se o consumidor usa em um Taxi ou Uber (2 motoristas, por exemplo), Viaturas Policiais, ou outro tipo de uso severo, que rode 15h por dia, 6x na semana (vamos considerar um dia de descanso para a máquina), a duração será de um ano e pouco – (4.320h ligado por ano)
      Se for um ônibus que rode 20h por dia, será de menos de 1 ano – (5.760 horas/ano)
      Se for em um consumidor que usa 1 hora por dia, a duração pode ser de mais de 14 anos…. (288h/ano)

      Geralmente a garantia dos itens de iluminação (lâmpadas etc) ou desgaste natural (pastilhas, coxins, amortecedores, baterias etc) não acompanham a garantia do veículo.
      Exemplo real: Olhe nos comentários sobre a queima da lanterna de freios do Fiat Punto e da S10 (sem garantia), da luz de licença – placa e da lanterna de freio da S10, entre outros casos.

      Imagine ter que trocar os faróis dos carros para poder substituir apenas o Led, caso seja necessario, o alto custo disso?
      Mesmo que em 1, 2, 4, 6, 10 anos…

      • fsjal

        A obrigatoriedade será para luz diurna, não necessariamente em LED.

        O fato de não poder trocar só o led é ruim sim, mas isso é para a fábrica/concessionária. Daqui dez anos o pessoal vai dar jeito de abrir o conjunto óptico e trocar o led.

        Hoje não se compra peças separadas na concessionária. Já tentou comprar só a capa de um retrovisor? Muitas vendem apenas o espelho inteiro.

        No paralelo não é isso que se vê

    • Renato

      @@disqus_wBAwK29euT:disqus Cada vez mais a integração dos LEDs nos sistemas de iluminação externa automotiva estão mais frequentes, sejam na luz diurna, nos farois baixos e altos (para carros mais caros), ou lanternas traseiras (setas, freios, luz de neblina etc).

      Quanto a duração, é muito relativo. Talvez dure 10/15 anos para o caso do audi A4, onde geralmente a pessoa usa esporadicamente, em poucas horas diarias, e tendo a qualidade construtiva de um Audi A4.

      Mas hoje em dia é comum ver a aplicação dos LEDs como luz diurna em veículo considerados “populares” (não pelo preço, mas sim pela categoria), como Gm Onix, Prisma, HB20, e as versões de entrada da linha Peugeot, como o 208, e outros modelos / categorias mais caras, como Fiat Punto e Gm S10 (cujas lanternas traseiras em LED foram alvo de reclamações nesses mesmos comentários abaixo sobre problemas/queimas), sem direito a “garantia de muitos anos” que foram comentados em outros comentários.

      Certamente a utilização diaria desses veiculos “mais simples e comuns” será muito mais frequente do que outros veículos mais caros e luxuosos (em muitos casos pode ser o único carro de uma familia, e também, por alguns desses modelos serem utilizados para fins profissionais, como taxis, carros de aplicativos, viaturas policiais, etc, onde a utilização diaria será intensa, perfazendo varias horas/dia).

      Imagine ter que trocar o faról a esses preços absurdos a cada 2, 4, 6 anos.

      Isso faz com que os seguros aumentem seus preços consideravelmente, inclusive nas suas franquias.

      Também acredito que o mercado paralelo logo mais vai mostrar algo para substituição, mas o X da questão é entender dos fabricantes, se é algo tão duradouro, porque não dar a garantia na mesma proporção de anos que falam que duram? Ou dar acesso a susbtituição dos mesmos componentes.

      • fsjal

        nem na europa que o custo relativo é mais baixo a maioria dos carros possuem DRL em lâmpada halógena. você não vai ver um Gol 1.0 com luz diurna em led.
        Led continuará sendo um diferencial para carros topo de linha por muito tempo.
        O Golf que é um carro caro, a maioria esmagadora são os conjuntos com as lâmpadas halógenas.

        O mercado dirá se as concessionárias terão a necessidade de criar um conjunto óptico que dê acesso ao LED diurno. Difícil prever… ninguém vê esses leds dando problema ainda.
        Por ser um equipamento que tem vida útil longa, a preocupação maior da concessionária é com o primeiro dono do carro, como já foi dito aqui. Então, se não der problema na mão dele, ela não vai se importar em continuar oferecendo um farol blindado.
        De qualquer maneira, a maioria esmagadora dos terceiros, quartos donos de um carro não fazem qualquer tipo de manutenção em concessionária, que dirá cotar peças.

        Sendo assim, pra mim, esse será um mercado a ser explorado por terceiros.

        • Renato

          Nem sempre colega, como citei no comentario anterior, GM Onix e Prisma vem com LED diurnos integrados nos farois já, e eles competem na mesma categoria de Gol e Voyage, assim como os Hyundai HB20 e HB20S, Peugeot 208. Esteticamente eu acho bacana, passa um ar de modernidade, além claro da sua principal função, a de ser visto!
          Sendo assim, não é só em carros de luxo que os LEDs estão presentes não, até nos ” vulgo” populares já, e essa gama deve aumentar daqui pra frente.

          • fsjal

            Uma correção: as faixas de LED do Onix e do 208 não são DRL, são apenas assinatura de led. Eles são muito fracos, mal dá pra ver de dia (como as da Ecosport, Edge e Fiesta mexicano), e, com exceção do 208, esses carros só possuem esse led nas versões topo de linha, como eu comentei acima.
            Eu tenho um 208 e fiquei bem decepcionado ao perceber isso depois que eu comprei, pois, colocando na ponta do lápis, é um retrocesso em relação aos anos anteriores que traziam DRL mesmo em lâmpadas halógenas.

            Entendo seu ponto em questionar a questão da garantia, uma vez que, dando problema numa faixinha de LED mequetrefe, o cliente seja obrigado a trocar todo um conjunto óptico em perfeitas condições de uso, mas como eu disse, eu ainda acho que não surgiu a necessidade de as montadoras pensarem em algo desse tipo ainda, pois esses dispositivos ainda não dão problema.
            Pode ter certeza que se isso se tornar uma dor de cabeça, a solução vai ser colocar esses LED pro lado de fora, como nos Cruze, Optima. Sorento, Classe C da geração passada, Fluence, etc.

            • Renato

              Pois é caro colega, por isso que nem usei a descrição de DRL, e sim de LEDs apenas. Alias, é outra coisa que ainda deixa dúvidas, pois DRL significa – Daytime Running Light, ou Faróis de Rodagem Diurna no português, podemos entender que qualquer tipo de luz que fique acessa (halogena ou LED) pode ser usada para esse fim, e não tem nenhum material de consulta confiavel que mostre a intensidade luminosa que diferencie o que é DRL e o que não é DRL.
              Mas mesmo nos casos em que não é considerado DRL, ainda sim podem ser considerados como luz diurna e rodar somente com as mesmas nas rodovias sem tomar multas, correto?
              Assim como também, se ocorrer uma queima de uma delas e andarmos com elas queimadas, podemos tomar multas.
              Caso saiba a diferença técnica do que pode ser denominado DRL e o que não pode, e suas diferenças, por favor, compartilhe conosco o seu conhecimento. Será de grande valia.

              • fsjal

                Os leds desses carros que eu citei não servem como luz diurna. Como eu disse, mal dá pra ver durante o dia. Se eu rodar só com o led do meu 208 aceso, eu vou tomar multa.

                Tecnicamente eu não sei o que é necessário para ser considerado DRL, mas sei de uma coisa: não tem como desligar, e, pelo menos do 208, a barrinha de led só acende se eu deixar o seletor do farol na posição de laterna, que, afinal, é o que essas barrinhas de “assinatura” representam: luz de posição ou estacionamento, ou lanterna, ou pingo, dependendo de como chama.

                O C4 Lounge, por exemplo, tem essa assinatura de LED na moldura do farol de neblina, mas ela é muito fraca também, e o farol principal possui o DRL em lâmpada halógena, que nunca apaga.

  • Alessandro

    qualquer LED tem sua vida util diminuida pelo simples fato do calor de operação. Um LED residencial, tem seu uso predominantemente em um ambiente fechado com menos incidência solar, o que não acontece com o automotivo, que fica exposto ao calor do motor mais irradiação solar. Logo, não me assusta dizer que um LED automotivo dura 10x menos que um LED residencial. As montadoras sabendo disso, deveria criar mecanismos para troca e substituição dos mesmos.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend