Matérias NA Renault SUVs

Duster 2019: consumo, motor, preços, versões, ficha técnica

Duster 2019: consumo, motor, preços, versões, ficha técnica

O Duster 2019 receberá dois anos antes, a última atualização visual antes da nova geração, que chegou no começo de 2020. O SUV compacto da Renault é um projeto ousado da romena Dacia, que faz parte da empresa francesa.


Na linha 2019, o Duster mantinha ainda uma boa oferta de versões e equipamentos, sendo as opções Expression e Dynamique, mas com motores 1.6 SCe com câmbio manual ou CVT, bem como o antigo 2.0 da família F4R.

Este último com opções manual de seis marchas ou automática com quatro, além da versão com tração 4×4, que emprega a suspensão traseira multilink. Nesse pacote, o SUV da Renault preservava sua concepção original de robustez e off road.

Projeto bem-sucedido, essa primeira geração do Dacia Duster, que foi vendida como Renault e até Nissan (Terrano, na Índia), teve êxito porque alinhou pela primeira vez, o baixo custo de produção e desenvolvimento num SUV de massa.

Com dimensões generosas para seu segmento, o Renault Duster 2019 mostrou a versatilidade da plataforma B0, que foi estendida – além dos demais modelos da Dacia – para o Captur e também o Arkana, sustentando ainda a picape Oroch.

Medindo 4,33 m de comprimento, 1,82 m de largura, 1,68 m de altura e 2,67 m de entre eixos, o Duster combina o espaço interno do Logan com a robustez de um veículo destinado aos mercados emergentes ou em desenvolvimento.

Simples mecanicamente, o utilitário esportivo romeno permitiu que a Renault adicionasse um produto com um alcance muito maior que o Renault Captur europeu, menor e mais caro.

Com suspensão e componentes resistentes às condições ruins de rodagem em muitos países de fora da Europa, o Duster 2019 ampliou os horizontes da Renault, especialmente em países como Índia, Rússia e Brasil.

Além disso, para dar conta de regiões com pavimento ruim, muito lama ou neve, como a Rússia, por exemplo, a Dacia havia adicionado ao projeto um sistema simples de tração 4×4 que, no entanto, obrigou mudanças na traseira.

Isso não só fez introduzir um sistema multilink, como também reduziu o tamanho do porta-malas, que caiu de 475 para 400 litros. O sistema foi compartilhado com o Kaptur russo, que perdeu ainda mais espaço, assim como o Arkana local.

Essa plataforma B0 tem como característica um assoalho traseiro alto, que emprega estepe externo, mas que também impede um recuo maior do assento traseiro, a fim de ampliar o espaço para as pernas. Isso ficou mais evidente no Captur.

Também aconteceu na nova geração, mas o Duster 2019, tem um bom espaço nesse quesito. Muito do volume interno se deu com peças e componentes ajustados para ocuparem menos espaço do habitáculo. Seu porta-malas grande é destaque.

Além disso, o acabamento simples do projeto Logan, da qual deriva o Duster, favorece mais o volume do habitáculo do que luxo ou comodidade. Com menos componentes, o SUV direciona seu foco para a versatilidade no uso diário.

Quando chegou o Brasil, o Renault Duster chegou a ter uma versão de acesso totalmente pelada, com detalhes externos sem pintura, inclusive os para-choques, assim como rodas de aço sem calotas. Bem ao estilo Dacia.

Obviamente, o modelo evoluiu, melhorando depois seu aspecto visual, mas não em acabamento, fiel ao projeto do leste europeu. A atualização visual realçou suas formas e amenizou o impacto da chegada do Captur.

Nas mudanças, trocou o velho motor K4M pelo recente H4M, que é originário da Nissan, ficando ainda mais eficiente com a adoção do câmbio CVT X-Tronic, também da marca japonesa.

Contudo, não conseguiu evitar a permanência do F4R, um longevo motor da Renault, que surgiu no início dos anos 80 e até hoje é empregado em modelos como Sandero R.S. 2.0, Captur e Oroch.

O câmbio automático de quatro marchas era outro fator limitante para o Duster, que se ressentia de não dispor de motor diesel no mercado nacional. Até poderia se o sistema 4×4 tivesse uma caixa de redução ou redução eletrônica.

Este último poderia ser simulado pelo CVT, passando assim o modelo pelas regras nacionais. Com muito potencial, o produto é o SUV de seu porte, mais em conta na Europa. Aqui, infelizmente, o Duster 2019 não foi barato quanto se esperava.

Duster 2019 – detalhes

Duster 2019: consumo, motor, preços, versões, ficha técnica

Desenhado no centro de estilo da Renault na Europa, o Duster 2019 é um veículo de linhas volumosas e robustas, que emprega pouca área envidraçada para reforçar sua estrutura, além de boa altura e espaço interno.

A frente é larga e empregava faróis quadrados com lentes múltiplas, tendo duas parábolas, repetidores de direção e luzes diurnas (sem LED) no conjunto ótico. A grade retangular tinha o logotipo da Renault bem destacado.

Tinha ainda barra horizontal dupla em cromo escuro, bem como grelha personalizada. O para-choque envolvente vinha com moldura em cor cinza que fazia alusão à clássica barra de impulsão, que se tornou proibida no Brasil.

Ela formava ainda uma boca inferior para refrigeração, bem como dispunha de um protetor inferior metalizado, reforçando assim a aptidão do Duster 2019 para enfrentar o fora de estrada.

Molduras laterais pretas com faróis de neblina, enquanto as laterais tem para-lamas abaulados, chegando a ter molduras na base das portas, além de colunas sem acabamento, como é uma característica do projeto Logan.

Maçanetas semi-embutidas também estavam presentes (ainda estão na nova geração), bem como barras longitudinais no teto com acabamento personalizado e o nome Duster. O SUV não teve teto solar, mas sua proposta dispensa esse recurso.

Na traseira, a tampa do bagageiro era ampla e as novas lanternas com LED, ajudaram a criar relevos na tampa que reforçaram o visual robusto, tendo ainda cobertura da placa em preto brilhante e vigia ampla com limpador e lavador.

As colunas C do Duster 2019 eram largas e reforçavam o visual parrudo do modelo. O para-choque traseiro também tinha protetor em cinza, bem pronunciado e destacado no conjunto.

Já as rodas de liga leve aro 16 polegadas com pneus 205/60 R16, pareciam com calotas, mas deixavam o visual mais interessante. Tendo retrovisores compactos, mas de bom tamanho, o SUV da marca francesa agradava pela honestidade.

Por dentro, o ambiente era amplo e simples. O painel de cor preta tinha um console central verticalizado em preto brilhante, mas o restante dos materiais tinham muito plástico duro aparente.

O volante de ajuste longitudinal vinha com aplique preto brilhante e tinha complexos comandos de piloto automático e limitador de velocidade, acionados sob o freio de estacionamento, entre os bancos. Ele ficava ao lado do modo Eco.

Em local ruim, esses comandos tornavam a ergonomia sofrível no habitáculo do Duster 2019, que tinha um volante de aspecto simplório e com couro parcial na versão Dynamique. Como habitual, havia a haste para comandos de mídia e telefonia.

O cluster de boa visibilidade trazia conta-giros e velocímetro, além de nível de combustível, temperatura da água e outros dados, num display central e digital. Com motor 2.0, parte do painel tinha a mesma cor marrom clara dos bancos.

Estes eram revestidos em couro opcionalmente, tendo dois tons. Essa tonalidade também era adicionada nas portas, que tinham puxadores em preto brilhante e maçanetas cromadas. Na versão 4×4, havia uma identificação no volante “4WD”.

As portas tinham bases para os comandos dos vidros elétricos e dos retrovisores. De volta ao painel, os difusores de ar circulares davam o tom da simplicidade, mas tinham acabamento marrom também.

A multimídia MediaNav vinha com navegador GPS da TomTom com dados de tráfego, mas não muito preciso ou intuitivo. O display de sete polegadas sensível ao toque vem ainda com Eco Scoring, que dá pontuação para condução eficiente.

Tinha ainda câmera de ré e conexões USB e Bluetooth, bem como recomendações para uma condução econômica. A alavanca de caminhão automático ou CVT possuía indicação no pomo e opção de mudanças manuais.

Já na versão 4WD, um seletor ficava no painel com as opções 2WD, Auto e Lock On/Off. A primeira preservava a tração apenas nas rodas dianteiras.

Na segunda, uma embreagem de acoplamento variava a força entre os eixos, transferindo força para as rodas traseiras quando necessário. Por fim, a Lock bloqueava o diferencial, deixando a tração permanentemente nas quatro rodas.

No caso de o veículo ultrapassar 60 km/h, o bloqueio desligava, retornando para a opção Auto. Era uma medida para proteger o sistema de danos em velocidades altas. Foi desenvolvido para uso em situações ruins de tração.

Na parte de trás do Duster 2019, bom espaço interno e banco bipartido e rebatível, tendo apoio de cabeça central para o quinto passageiro apenas na versão Dynamique.

Já o porta-malas tinha 475 litros (400 no 4×4). O acesso traseiro era bom, tendo espaço acima da média do segmento, fazendo jus à família Logan.

O que não era bom, o acesso ao estepe sob o assoalho, algo só existente no Duster, Captur e Oroch. O SUV da Renault era suscetível ao roubo do pneu sobressalente.

Duster 2019 – versões

Duster 2019: consumo, motor, preços, versões, ficha técnica

  • Renault Duster Expression 1.6
  • Renault Duster Expression 1.6 CVT
  • Renault Duster Dynamique 1.6
  • Renault Duster Dynamique 1.6 CVT
  • Renault Duster Dynamique 2.0
  • Renault Duster Dynamique 2.0 AT
  • Renault Duster Dynamique 2.0 4×4

Equipamentos

Duster 2019: consumo, motor, preços, versões, ficha técnica

Renault Duster Expression 1.6 – Motor 1.6 com transmissão manual de cinco marchas, mais ar condicionado, direção eletro-hidráulica, vidros elétricos nas quatro portas, travamento central elétrico, Isofix, barras longitudinais no teto, retrovisores externos com controle interno, para-choques na cor do carro, rodas de aço aro 16 polegadas com calotas, pneus 205/60 R16, luzes diurnas em lâmpadas, coluna de direção ajustável em profundidade, sistema de áudio com CD player e MP3, USB, comandos de mídia na coluna de direção, tampa do porta-malas, espelhos nos para-sóis, retrovisor interno dia e noite, antena no teto, lavador e limpador do vidro traseiro, desembaçador traseiro, abertura interna do tanque de combustível, banco traseiro rebatível, cintos de segurança de três pontos para todos, apoios de cabeça para quatro, banco do motorista com ajuste de altura, fonte de 12V, computador de bordo, conta-giros, entre outros.

Renault Duster Expression 1.6 CVT – Itens acima, transmissão automática CVT X-Tronic com seis marchas virtuais, mais controle de tração, controle eletrônico de estabilidade e assistente de partida em rampa.

Renault Duster Dynamique 1.6 – Itens acima, menos o CVT, mas com apoio de cabeça central, faróis de neblina, multimídia com tela de 7 polegadas sensível ao toque, navegador GPS, Bluetooth, retrovisores com ajustes elétricos, volante parcialmente em couro, sensor de estacionamento traseiro e rodas de liga leve aro 16 polegadas.

Renault Duster Dynamique 1.6 CVT – Itens acima, mais transmissão automática CVT X-Tronic com seis marchas virtuais, controle de cruzeiro com limitador de velocidade e câmera de ré.

Renault Duster Dynamique 2.0 – Itens acima, mais motor 2.0 e câmbio manual de seis marchas.

Renault Duster Dynamique 2.0 AT – Itens acima, mais transmissão automática com quatro marchas e mudanças manuais na alavanca.

Renault Duster Dynamique 2.0 4×4 – Itens acima, mais câmbio manual de seis marchas e tração 4×4 com opções 2WD, Auto e Lock On/Off.

Preços

Duster 2019: consumo, motor, preços, versões, ficha técnica

  • Renault Duster 2019 Expression 1.6 – R$ 69.990
  • Renault Duster 2019 Expression 1.6 CVT – R$ 77.490
  • Renault Duster 2019 Dynamique 1.6 – R$ 75.990
  • Renault Duster 2019 Dynamique 1.6 CVT – R$ 81.490
  • Renault Duster 2019 Dynamique 2.0 – R$ 86.790
  • Renault Duster 2019 Dynamique 2.0 AT – R$ 87.740
  • Renault Duster 2019 Dynamique 2.0 4×4 – R$ 89.290

Duster 2019 – motor

Duster 2019: consumo, motor, preços, versões, ficha técnica

O Duster 2019 era equipado com dois motores diferentes de origem Nissan e Renault. Um deles era o 1.6 SCe, que havia substituído o longevo K4M, enquanto o segundo era o F4R 2.0, sendo ambos com 16V.

O primeiro é conhecido dentro da Renault como H4M, sendo em realidade, um propulsor de origem Nissan, da família HR, recebendo modificações na marca francesa, mas sendo basicamente o motor usado pela japonesa no Brasil.

Como HR16DE, ele é utilizado nos modelos March, Versa e Kicks no mercado brasileiro. Na Renault, o H4M recebeu modificações para adapta-lo às exigências da marca.

Construído em alumínio, o 1.6 SCe (seu nome comercial) tem cabeçote com duplo comando de válvulas, sendo apenas o de admissão com variação. São quatro válvulas por cilindro, totalizando 16.

O quatro cilindros da Renault recebeu alterações para reduzir o arrasto e o atrito durante o funcionamento, inclusive com óleo lubrificante de viscosidade exclusiva, bem como anéis, pistões, bielas e virabrequim modificados.

Dotado de injeção eletrônica multiponto sequencial, porém, o 1.6 SCe ainda mantém o reservatório de combustível para partida a frio no sistema flex, utilizando para isso gasolina.

Tendo taxa de compressão de 10,7:1, o 1.6 SCe – com seus 1.598 cm3 – entrega 118 cavalos na gasolina e 120 cavalos no etanol, ambos a 5.500 rpm. Isso é um pouco além do oferecido nos modelos Sandero e Logan com o mesmo motor.

Já o torque foi unificado, assim como na Nissan, tendo 16,2 kgfm a 4.000 rpm, em ambos os combustíveis. Essa configuração também é compartilhada com a picape Duster Oroch e Captur.

No outro lado, a Renault ainda mantinha no Duster 2019 o motor F4R, um propulsor de quatro cilindros com bloco em ferro fundido e cabeçote de alumínio, que tem duplo comando de válvulas, sendo apenas a admissão variável.

Também com 16 válvulas, o F4R foi retirado do Novo Duster por já ser um motor ultrapassado, que não atende mais em consumo e emissão de poluentes.

Com 1998 cm3, esse propulsor com origem em 1981, sendo praticamente um “GM Família II” da Renault, não tinha mesmo como se manter na nova geração do Duster.

Tendo 11,2:1 de taxa de compressão, o longevo F4R entregava 143 cavalos na gasolina e 148 cavalos no etanol, ambos a 5.750 rpm. Apesar de não ser muito potente, ele tem muito torque disponível.

O torque é de 20,2 kgfm com o derivado de petróleo e 20,9 kgfm no combustível vegetal, ambos a 4.000 rpm. Esse propulsor vem com transmissão manual de seis marchas ou automática com quatro velocidades e conversor de torque.

Esta última tem opção de trocas manuais na alavanca, mas é considerado limitado. Já o 1.6 SCe emprega um câmbio manual de cinco marchas, mais o CVT X-Tronic da Nissan, que tem conversor de torque.

Nela, existe a simulação de seis marchas para dar a sensação de força e melhorar a saída do carro, sendo que a caixa, de fato, utiliza duas cintas de aço e duas polias duplas variáveis com relação infinita de velocidade.

Desempenho

Duster 2019: consumo, motor, preços, versões, ficha técnica

  • Renault Duster 1.6 MT – 11,8 segundos e 166 km/h
  • Renault Duster 1.6 CVT – 13,0 segundos e 166 km/h
  • Renault Duster 2.0 MT – 10,4 segundos e 186 km/h
  • Renault Duster 2.0 AT – 11,0 segundos e 176 km/h
  • Renault Duster 2.0 MT 4×4 – 10,6 segundos e 187 km/h

Consumo

Duster 2019: consumo, motor, preços, versões, ficha técnica

  • Renault Duster 1.6 MT – 7,5/7,9 km/l e 11,1/11,4 km/l
  • Renault Duster 1.6 CVT – 7,1/7,9 km/l e 10,3/10,8 km/l
  • Renault Duster 2.0 MT – 7,3/7,9 km/l e 10,6/11,4 km/l
  • Renault Duster 2.0 AT – 6,1/7,3 km/l e 8,9/10,5 km/l
  • Renault Duster 2.0 MT 4×4 – 6,7/7,6 km/l e 9,9/11,0 km/l

Duster 2019 – manutenção e revisão

Duster 2019: consumo, motor, preços, versões, ficha técnica

Revisão10.000 km20.000 km30.000 km40.000 km50.000 km60.000 kmTotal
1.6R$ 459,09R$ 513,34R$ 513,34R$ 896,58R$ 567,59R$ 567,59R$ 3.517,53
2.0R$ 519,99R$ 574,24R$ 574,24R$ 808,96R$ 628,49R$ 628,49R$ 3.734,41

Duster 2019 -ficha técnica

Duster 2019: consumo, motor, preços, versões, ficha técnica
Renault Duster 2019
Motor1.62.0
Tipo
Número de cilindros4 em linha4 em linha
Cilindrada em cm315971998
Válvulas1616
Taxa de compressão10,7:111,2:1
Injeção eletrônicaIndireta FlexIndireta Flex
Potência máxima118/120 cv a 5.500 rpm (gasolina/etanol)143/148 cv a 5.750 rpm (gasolina/etanol)
Torque máximo16,2 kgfm a 4.000 rpm (gasolina/etanol)20,2/20,9 kgfm a 4.000 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão
TipoManual de 5 marchas ou CVT de 6 marchasManual de 6 marchas ou automática com 4 marchas
Tração
TipoDianteiraDianteira
Direção
TipoEletro-hidráulicaEletro-hidráulica
Freios
TipoDiscos dianteiros e tambores traseirosDiscos dianteiros e tambores traseiros
Suspensão
DianteiraMcPhersonMcPherson
TraseiraEixo de torçãoEixo de torção ou multilink (4×4)
Rodas e Pneus
RodasLiga leve, aro 16 polegadasLiga leve, aro 16 polegadas
Pneus205/60 R16205/60 R16
Dimensões
Comprimento (mm)4.3294.329
Largura (mm)1.8221.822
Altura (mm)1.6831.683
Entre eixos (mm)2.6742.674
Capacidades
Porta-malas (L)475475/400 (4×4)
Tanque de combustível (L)5050
Carga (Kg)497 (MT), 480 (CVT)493
Peso em ordem de marcha (Kg)1.214 (MT), 1.240 (CVT)1.276 (MT), 1.303 (AT), 1.362 (4×4)
Coeficiente aerodinâmico (cx)0,400,40

Duster 2019 – fotos

 

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

    Quem somos

    O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por 15 anos. Saiba mais.

    Notícias por email