Elétricos Mercado Montadoras/Fábricas

Dyson: desistência de carro elétrico pode indicar uma bolha no setor

Dyson: desistência de carro elétrico pode indicar uma bolha no setor

Ela é uma empresa britânica conhecida por fazer eletrodomésticos, tais como secadores de cabelo, aspiradores de pó e coisas do tipo. Porém, há dois anos, a Dyson decidiu que também queria fazer carros elétricos. Bom, queria, pois já desistiu. Após anunciar um investimento de US$ 2,5 bilhões, a companhia colocou um fim ao projeto.


Não foi por falta de dinheiro, mas viabilidade comercial. James Dyson, CEO da empresa e inventor do aspirador de pó de saco, enalteceu o projeto de seu carro elétrico, que seria de um produto premium. Mas, as coisas não deram certo por conta dos custos:

“No entanto, embora tenhamos tentado muito ao longo do processo de desenvolvimento, simplesmente não conseguimos mais encontrar uma maneira de torná-lo comercialmente viável”.

O encerramento da Dyson é mais um capítulo no nascimento do mercado de carros elétricos, que nos últimos anos viu nascer dezenas de startups focadas em oferecer produtos inovadores no segmento.


De acordo com especialistas, a desistência do inventor britânico é mais um sinal da formação de uma bolha no setor automotivo envolvendo os carros elétricos. Vários fatores estariam jogando por água abaixo diversos projetos de empresas pequenas.

Com a recente guerra comercial entre EUA e China, o primeiro tem colocado restrições à comercialização de carros elétricos no território americano. Em contrapartida, o governo de Pequim tem colocado um freio nos incentivos fiscais para que o mercado comece a andar com as próprias rodas.

Isso estaria contribuindo para elevação dos custos e dificuldade para muitos dos projetos. Além disso, a falta de experiência na produção automotiva e o próprio projeto de um automóvel, que é bem complexo e caro, especialmente no caso do elétrico, torna a situação bem difícil para pequenos empreendedores, atraídos pelo aparente sucesso da Tesla.

Alguns analistas não sabem exatamente qual o futuro da Tesla, mas a marca de Elon Musk pelo menos está cumprindo com um de seus objetivos, segundo o próprio co-fundador, que é o de fomentar o carro elétrico em nível mundial.

Se de um lado as startups não conseguem acompanhar sua evolução, do outro, os fabricantes de veículos colocaram a empresa como alvo a ser batido, investindo dezenas de bilhões de dólares no automóvel movido por eletricidade. Essa concorrência também aniquila as ambições das pequenas empresas. No mercado, acredita-se que a maioria fechará as portas.

[Fonte: Auto News]

 

Dyson: desistência de carro elétrico pode indicar uma bolha no setor
Nota média 4.6 de 8 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Fernando Bento Chaves Santana

    Uma coisa é projetar um carro. Outra bem diferente é manter uma estrutura de distribuição e manutenção em diversos mercados por décadas, visto tratar-se de um produto durável.

    • Erick Terto

      Prova disso é que existem poucos grupos globais de montadoras. Se o modelo a combustão que hoje é mais barato de produzir tem poucas empresas imagina os elétricos. Povo usa a Tesla como referencia, mas o Musk já tinha alguns caminhões de dinheiro para queimar antes de ter lucro.

      • Vinicius S K Aulicino

        A tesla não tem lucro, na verdade até onde eu sei nenhuma das empresas do musk realmente dá lucro, ele sobrevive com o dinheiro de investidores que acreditam que um dia haverá lucro

        • Cesar

          Os do Eike, assim pensavam também.

        • New World

          Mesma situação da Amazon que passou por vários anos, pq precisava investir demais pra crescer rapidamente, agora a Amazon é uma gigante da tecnologia e quase valendo 1 trilhão de dólares no mercado

    • th!nk.t4nk

      A Tesla é a maior prova disso. Estão tendo grandes problemas na Europa, pois venderam muito e agora não estão conseguindo dar suporte. Muita gente está com carro parado esperando peças. Também faltam técnicos treinados pra fazer a manutençao. Um caos.

      • Fernando Bento Chaves Santana

        A importância da Tesla foi a de romper o paradigma tecnológico. Agora veremos as cadeias de empresas tradicionais do setor serem reestruturadas sobre a nova base tecnológica. Acho que em uma ou no máximo duas décadas, quando a Tesla fechar o ciclo de produtos e estes deixarem de ser produtos vanguardistas graças a evolução da concorrência, o Elon Musk fechará a Tesla alegando que ela não tem mais sentido por cumprir seu papel revolucionário. A empresa passaria então apenas a fazer upgrades para carros já produzidos. Com isto os Tesla seriam convertidos em valiosos objetos de coleção. Seria uma saída mais honrosa do que ver a marca ser superada pelos concorrentes do que vendê-a para a concorrência.

        • Miguel

          Verdade, a Tesla mudou a história dos carros elétricos modernos.
          Quando os primeiros Tesla chegaram, era aquele design diferente, o povo falava: mas como que esse carro só tem uma tela enorme no centro do painel? Como assim dirige sozinho? É perigoso!
          Hoje a maioria dos luxuosos é cheia de telas e tentando condução autônoma…

          A autonomia que ela alcançou também, com o tempo foi se tornando cada vez melhor, muito antes dos concorrentes passarem dos 200km..

        • New World

          Eu acho que alguma empresa vai comprar a Tesla, a tecnologia de baterias, células de baterias e motores são superiores a concorrência e o sistema do carro é muito bom, ano que vem a Tesla começará à produção de novas células de baterias que duram 2x até 3x mais que as atuais, a produção dessas células será da própria Tesla, compraram uma empresa que produzem equipamentos para realizar à produção de células de baterias, esse mês começará à produção das versões do Model 3 mais acessíveis na nova fábrica na China, o maior mercado de carros elétricos do mundo, em 2021 a Tesla estará produzindo e entregando um milhão de carros por ano em todo o mundo

        • Sino Weibo

          Na verdade a grande revolução vira das terras da lua. Por isso os chineses mandaram sondas para o lado escuro da lua. Eles sabem que la tem um tipo de areia que tem um material a ser usado em baterias que ira aumentar a durabilidade delas. Quem chegar primeiro pega. Tanto que o projeto Chang’e fase 5 ja trara amostras, em torno de 2 kg, e os proximos preveem missão tripulada por humanos, eles tem interesse e querem tomar posse.

      • T1000

        Tenho dúvidas quanto à confiabilidade dos Tesla.
        Vi alguns vídeos de desmontagem, e é impressionante a quantidade de placas eletrônicas em todos os cantos do carro.
        Um detalhe que me chamou a atenção foram placas e mais placas dentro das caracacas dos motores elétricos; acredito que eles tenham embutido os inversores dentro dos motores.
        As placas todas se comunicam em rede.
        Muito complexo, muita coisa para dar problema; na verdade eu acho surpreendente como aquilo tudo consegue funcionar.

        • New World

          Eu vi tb, vi dezenas de vídeos sobre os Teslas, na Alemanha já tem um Model S com 1 milhão de kms e outros Teslas com centenas de milhares de kms, baterias com 90% ou cerca de 80% da autonomia original

          • Carlos

            Eu sou um grande entusiasta do carros elétricos e super fã da Tesla. Já vi vários videos e li textos sobre Teslas muito rodados somente trocando “coisas” de desgaste como pneus, pastilhas de freio (acho que tem de trocar óleo do diferencial após um certo tempo ou quilometragem). O power train e a bateria firmes e fortes.

        • Chap

          Você acha que um carro a combustão moderno tem quantos módulos embarcados? Modelos de luxo atualmente chegam a ter mais de 50 módulos se comunicando com a ECU via rede CAN. Então, nada muito diferente de um Tesla.

  • Bandit

    E só agora que foram perceber ?

  • Chap

    A Tesla disponibilizou todas suas patentes de forma livre para quem quiser, não? Desse modo, só não faz carro elétrico quem não quer mesmo.
    O motor a combustão chegou em um ponto de complexidade tão grande devido as exigências ambientais, que não tem mais viabilidade alguma sua continuidade para o futuro. O futuro é mais simples com o motor elétrico. E é apenas questão de tempo para se chegar numa bateria “perfeita” para os autos.

    • Samuel Jesus de Sousa

      Na verdade, infelizmente a tecnologia das baterias não evoluiu tanto… Alguns confiam no grafeno e etc.

  • SDS SP

    Esse mercado de startups está bem bolhado, não somente o de carro elétrico em específico. Essa farra é resultado de anos de dinheiro barato, fruto das políticas de afrouxamento monetário pós 2008.
    Fazendo uma análise mais fundamentalista, tem muitas empresas que são verdadeiras máquinas de queimar dinheiro.

    De toda forma, o motor à combustão não tem muito para onde ir, se as normas de emissões ficarem mais rígidas.

    • Corujinha Feliz

      Lembra das empresas .com em 2000, 2001? Mudaram de nome e hj sao chamadas startups kkkk.

  • V12 for life

    O mercado automotivo nunca foi fácil de entrar e menos ainda de se manter, não é a motorização elétrica que mudaria isso, principalmente no momento em que está deixando de ser nicho para ter volume.

  • BlueGopher

    Se até mesmo os grandes fabricantes estão se unindo, fazendo acordos, joint ventures, etc para conseguir sobreviver no extremamente competitivo mercado automobilístico atual, qual seriam então as chances de uma pequena empresa?
    A Dyson percebeu a tempo que US$ 2,5 bilhões não dariam para fazer nada.
    Seria melhor investir num campo mais lucrativo, como jogos eletrônicos ou algo assim.

  • RKK

    Realmente bateria custa muito caro, além de ter recarga demorada.

    A troca do conjunto de baterias do Leaf (da geração anterior, de 24 Kwh, e não 40 Kwh como o atual) no exterior custa US$ 7,5 mil. No
    Brasil, pode-se considerar o dobro disto, em torno de R$ 60 mil. A bateria do BMW i3, de 42,2 Kwh, custa r$ 160 mil no Brasil ! Quanto não deve custar a bateria do Jaguar I-Pace de 90 Kwh no Brasil ?

    • Bengador

      Empresas independentes já trocam a bateria do Prius por US$ 1.000 nos EUA.

      E outra.

      Compare com uma retífica de motor ou câmbio AT… Meu vizinho quebrou o câmbio CVT de um Civic modelo novo e o preço da caixa é de algo entre 20 e 30 mil reais. Sorte dele que o seguro vai pagar.

      O motor biturbo diesel de uma Amarok custa +/- R$ 34.000 (vi na nota fiscal da concessionária).

      Uma retífica em oficina independente sai cerca de R$ 20 mil.

      Pensando assim, o preço das baterias é normal, e tende a ficar mais normal ainda nos próximos anos.

      • Marcelo Ceno Dutra

        Às vezes bem trocam a bateria toda, só as células defeituosas

        • T1000

          Não se pode trocar apenas algumas células; tem que ser trocadas todas, para minimizar a diferença de carga entre células, o maior problema dos bancos de baterias, depois do aquecimento.
          Vi alguns vídeos de recondicionamento de bancos de baterias. Basicamente só se aproveita a carcaça e os circuitos de controle. Tem que trocar, além das baterias, todos os terminais, pois eles sofrem severa oxidação.

      • RKK

        De novo, a bateria do BMW i3, de 42,2 Kwh, custa r$ 160 mil no Brasil !

    • Alexandro Vieira Lopes

      o golf gte será lançado em breve no brasil, quanto custa a bateria dele? 9mil do corolla ou 35mil do fusion ?

      • RKK

        A bateria do Golf GTE tem 8,8 kWh de capacidade, está próximo do Fusion Hybrid.

        • Alexandro Vieira Lopes

          nossa, muito obrigado pela informação, você manja bem, parabéns!

          informação bem importante, eu tenho coragem de pagar 10mil em bateria depois de muitos anos, agora 35mil , meu sonho de GTE usado foi pro espaço haahahahahaah

    • Toyo_Highlander fan

      Inviável! Carro elétrico é um sonho igual quase como a de possuir um Honda Jet.

      • Corujinha Feliz

        boa comparação kkk

      • Luconces

        Inviável no Brasil…

    • Corujinha Feliz

      Caro demais. Agora imagina, pagar o preço que estão pedindo no carro elétrico, e adicionar à sua desvalorização (que por ser caro já é alta o bastante) o preço da troca da bateria na revenda. Não dá.

  • th!nk.t4nk

    A Dyson é uma excelente empresa de aspiradores de pó. E só.

  • Sempre que os governos interferem no mercado acontece esse tipo de coisa.

  • CanalhaRS

    US$ 2,5 bilhões para desenvolver um carro elétrico premium não dá nem para começar…quanta ingenuidade, Mr Dyson!!!
    A saída para ele seria comprar a plataforma MEB da VW para desenvolver somente a parte estética mesmo.

  • G. de F.

    “(…) De acordo com especialistas(…)”
    Pergunta-se: quais? especialistas em que? Aspirador de pó ou secador?
    Bolha seria se Porsche, VW, desistissem de projetos voltados a pesquisa e produção de carros elétricos. Agora, uma empresa que fazia secadores desistir de “produzir” um carro elétrico nada mais é do que a Lei da Evolução das Espécies sendo aplicada no ramo industrial… Só os mais fortes e capazes sobrevivem. Simples assim.

    • Sabe que foi o que eu pensei? Não faz sentido uma empresa que nõa é da area indicar uma bolha no setor de carros elétricos que também é algo ainda em estagio inicial.

      Fosse assim, carros elétricos começariam com baterias que trouxessem autonomia igual ou superior a combustão, teriam custo baixo de construção e por fim custos ainda menores de manutenção.

      Ou seja, se tbm estivessemos falando de anos nesse ramo e a desistencia como vc bem disse, poderia ser um alerta sério… mas diante da aceitação do publico para esses modelos, não vejo pq.

  • Toyo_Highlander fan

    Para mim o carro elétrico “perfeito” só ocorrerá quando houver baterias de “fusão nuclear”, ou seja, um carro “eterno” em durabilidade.
    Melhor coisa do Mundo é ir sonhando com isso.

    • Luconces

      Os Tesla com maior autonomia já batem os 600 kms.

      Enquanto existe muita pesquisa em cima de qual tipo de material e bateria, já tem pesquisas promissoras de baterias que teriam vida útil de mais de 1.6 Milhão de KMs.

      O futuro nos aguarda!

  • Tony

    O Prius híbrido foi lançado em 1997 no Japão e um conhecido meu,morador lá,adquiriu um modelo em 2006 e nunca trocou a bateria até hoje .
    Portanto,são 13 anos e acho que a bateria já se pagou. Quando a Toyota lançou o híbrido há 22 anos foi desacreditada por muitas montadoras e foi até motivo de chacota por parte de alguns fabricantes

  • ALEX SANDER REIS

    Eu diria que, tal CEO, inventor que é, presumivelmente mto inteligente e atento ao mercado financeiro, já se deu conta que há uma crise sem precedentes log na esquina.. logo não é exatamente um indício da Tesla, ou do ramo de veículos elétricos. Eu acho q é protecionismo generalizado msm.

  • Marcus Vinicius

    será que com Brexit essa empresa poderia reconsiderar ?

  • Zé Mundico

    Ainda bem que o cara teve o bom senso de ver a presepada em que ia se metendo. Fabricar carro elétrico envolve toda uma logística gigantesca de produção, distribuição, pesquisa, financiamento, assistência técnica, treinamento de pessoal, fornecedores, etc e tal.
    Outro ponto é uma empresa sem nenhuma tradição bater de frente com as gigantes européias, japonesas e chinesas que além de investirem zilhões em pesquisa ainda são especialistas em passar rasteira no concorrente. Esse cara ia ser devorado cru.
    Se ele quer mesmo ganhar dinheiro, quem sabe deveria investir em componentes específicos (baterias, cabos, terminais, disjuntores, por exemplo) e associar-se com uma grande como fornecedor e parceiro de desenvolvimento.
    Mas eu acho que na verdade a mulher do cara lembrou do colégio das crianças e da viagem anual a disneylandia e ameaçõu pedir o divórcio.

  • Sino Weibo

    A China nao colocou freio nenhum, tanto que tem planos que 25% de toda a frota seja de elétricos. Ônibus em grandes cidades ja sao praticamente 100%, fizeram uma lei que a partir de agora carros de apps de compartilhamentos e táxis também serão obrigados a serem elétricos. E as taxas para aquisicao de veículos a combustão na China sao altas, o mesmo não acontece com elétricos, alem de cidades onde so e liberado rodar em certas partes se for carro elétrico. Sem contar a estrutura de baterias, eles tem os maiores fabricantes do mundo, e pontos de recarga.

  • Nelson

    Pois é…vamos todos andar de carros eletricos, mas para recarregar as baterias deles a fonte continua sendo suja, alem do que o preço é proibitivo, portanto enquanto houver petróleo no mundo, carro elétrico vai continuar sendo uma fantasia de abonados que querem aparecer.

  • Danilo

    O futuro poderia ser (e estou torcendo pra isso) ser os combustíveis renováveis. Aguardo ansiosamente o Fiat turbo, injeção direta a etanol. Imagina um carro popular fazer uns 20 km/L com etanol? Dificultaria ainda mais a viabilidade dos elétricos. Ainda tem os japoneses começando a fazer motor a gasolina com explosão por compressão, coisa que deve aumentar bem a economia de combustível. Imagina isso atrelado ao etanol?! Ainda temos uma lenha, ops, etanol pra queimar ainda!

  • JW

    Os caras abrem acham que produzir carro é igual fazer fintech de banco virtual… O problema não é o carro elétrico, mas sim startups achando que podem produzir carros e concorrer com Volks, Toyota, Volvo

  • JW

    Os caras acham que produzir carro é igual abrir fintech de banco… O problema não é o carro elétrico, mas sim startups achando que tem cacife pra concorrer com Toyota, Volvo, GM…

  • Alvarenga

    Mais uma que descobriu que fazer veiculo não é igual fazer pastel ou liquidificador !

  • Eddie

    Nada de bolha. Montar automóveis em escala mesmo elétricos é pra gente grande é pros Big Five+. Os chineses ainda sobrevivem no mercado do Ocidente porque tem muita grana-subsídios em casa, se não já tinham jogado a toalha.

  • Marcio Souza

    A maioria das startups surgem com uma vontade de um bilionário entrar num ramo no qual nunca trabalharam. E também muito competitivo e as vezes cruel. Desenvolver um veículo tem que ter muito know-how. Não basta apenas contratar os melhores profissionais da área, mas tbm entender o mercado, ter um capital de giro pra segurar as pontas no começo, uma rede de concessionárias grande e convencer o consumidor a comprar o seu veículo, mostrando algo que só terá no seu e não mais do mesmo. No caso da Dyson, faltou planejamento para todos esses itens e tbm a concorrência “desleal” no mercado inglês (Jaguar, Honda, Ford e VW) que já tem produtos prontos ou já em fase final de desenvolvimento. Por enquanto nenhum fabricante no mundo chegou ao nível da Tesla. E discordo que há uma bolha no setor, pois a tendência é a eletrificação devido às legislações mais rígidas em relação a emissões que os países europeus e alguns estados americanos irão por em vigor nos próximos anos..

  • Fábio Peres – Conta Prof.

    Esperando a hora na qual o sucesso da Tesla se revelar um tigre de papel.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email