EcoSport 2014: versões, detalhes, motor, consumo, revisão, etc

EcoSport 2014: versões, detalhes, motor, consumo, revisão, etc

O EcoSport 2014 chegou ao mercado com algumas mudanças, sendo elas o fim das versões S e a introdução da FreeStyle 2.0 Powershift. Em tempos onde não havia concorrência acirrada, ele só media forças com o Renault Duster.


Fabricado em Camaçari-BA, o EcoSport compartilhava a plataforma com os modelos Ford Ka e Ka Sedan, que tal como o SUV compacto, deixaram de ser produzidos no Brasil em 11 de janeiro de 2021, quando a Ford saiu da produção nacional.

Desenvolvido localmente em 2004, o EcoSport se tornou um player solitário no segmento de SUVs compactos até a chegada do Duster muitos anos depois. Tendo mudado de geração em 2012, o utilitário esportivo da Ford virou referência.

Em 2014, de janeiro a setembro, o modelo emplacou mais de 40 mil unidades, enquanto o rival da Renault vendeu mais de 33 mil unidades. Num mercado carente de novidades, o EcoSport reinava absoluto, mas isso não durou muito.

Com a chegada de Honda HR-V, seguido de Jeep Renegade, logo EcoSport e Duster perderam o apelo, ainda mais depois que Kicks e Creta foram inseridos no contexto nacional.

A Ford ainda tentou revitalizar o EcoSport com adição do Powershift no motor 1.6, que passou a ter 128 cavalos. Ele até modificou bem o visual do modelo em 2018, quando trocou o Sigma 1.6 pelo Dragon 1.5, de três cilindros.

O propulsor de alumínio e três pistões não chegou a ser turbinado pela Ford e o EcoSport nacional nunca recebeu seu motor mais popular no mercado internacional, o EcoBoost 1.0 de 99 a 155 cavalos de potência.

Fabricado inicialmente no Brasil, o Ford EcoSport ganhou o mundo na segunda geração, passando a ser feito na Índia, Rússia, China, Romênia e Tailândia. Ele ousou até mesmo chegar ao mercado americano, algo impensável há pouco tempo.

Verdadeiro SUV compacto de acesso da Ford, agora não se sabe qual será seu destino, uma vez que o projeto com a indiana Mahindra foi cancelado, assim como seu sucessor no Brasil.

No EcoSport 2014, o pacote de equipamentos era generoso naquela época, envolvendo seis airbags, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, SYNC com Bluetooth, ar-condicionado automático, bancos em couro, etc.

Tinha ainda dois motores, sendo eles o Sigma 1.6 de até 115 cavalos e o Duratec 2.0 com até 147 cavalos, ambos com câmbio manual de cinco marchas, mas o segundo teve opção 4WD com seis velocidades ou automático de seis marchas.

O EcoSport 4WD tinha um arranjo de suspensão traseira similar ao do Duster 4×4, trocando o eixo de torção das versões de tração dianteira pelo sistema multilink com diferencial suspenso, semieixos e cardã, além de homocinéticas traseiras.

Com estepe na traseira, o Ford EcoSport media 4,241 m, mas seu real tamanho passava muito pouco de 4,00 m, o que o fez ser vendido na Índia, sem o pneu sobressalente externo.

É oferecido assim em outros mercados, mas aqui não deu certo, por conta da legislação sobre o pneu sobressalente, uma vez que não tinha estepe, mas pneus run flat e reparador com calibrador.

Com design moderno e bem fluido, o compacto da Ford só pecava pelo acabamento com muitos plásticos e pouco espaço no porta-malas, contudo, ainda é um projeto atual.

EcoSport 2014 – detalhes

EcoSport 2014: versões, detalhes, motor, consumo, revisão, etc

O EcoSport 2014 tinha um visual fluido, tendo faróis compactos monopárabola com luzes diurnas e repetidores de direção, sendo que o capô curto começava num friso preto que funcionava como grade superior, onde havia o logo da Ford.

A grade principal era centralizada e com formato octogonal, tendo friso prateado entre as grelhas, bem como para-choque integrado com faróis de neblina em molduras pretas e com canhões dotados de aros cromados.

Havia ainda um bumper central com abertura para refrigeração e acabamento cinza, além de molduras laterais pretas. A base da carroceria também tinha a mesma moldura de proteção.

Os retrovisores com repetidores de direção e maçanetas eram pretas, enquanto a linha de cintura era bem alta. No teto, barras longitudinais, dependendo da versão. A área envidraçada tinha vigias nas colunas A e C.

Na traseira alta, as lanternas eram horizontalizadas e cortadas pela tampa do bagageiro, tendo ainda um acabamento cromado no lado direito, onde essa peça era o puxador de abertura da tampa, que era lateral.

Essa porta traseira sustentava ainda o estepe externo, que podia ou não ter capa protetora, mas tinha travamento elétrico de segurança. O para-choque preto tinha refletores e luz de neblina, bem como suporte para placa.

A vigia traseira vinha sempre com desembaçador, limpador e lavador. Trazia ainda luz auxiliar de freio no topo. Já as rodas eram de aço sem calotas com acabamento texturizado na versão SE, com aro 15 polegadas e pneus 205/65 R15.

Havia opção de liga leve na versão SE 2.0 Powershift, mas nas demais versões, o EcoSport 2014 tinha aro 16 polegadas com liga leve e pneus 205/60 R16. Com suspensão alta, o SUV da Ford era um pequeno guerreiro.

Por dentro, o EcoSport trazia interior com padronagem em cinza escuro e bege, tendo apliques prateados no volante, difusores de ar e moldura da multimídia SYNC, que tinha display de 3,5 polegadas no topo do painel.

O EcoSport 2014 tinha ainda teclado para discagem e comandos físicos de áudio na parte central, enquanto na parte inferior, ficavam os comandos físicos do ar-condicionado, que tinha um display digital na opção ar automático.

Já o volante de três raios podia ter acabamento em couro e vinha com ajuste em altura, além de assistência elétrica. Ele tinha comandos de mídia, telefonia e computador de bordo, bem como controle de cruzeiro nas versões automáticas.

O cluster era analógico com mostradores grandes de ponteiros. O interior tinha ainda acabamento com duplo tom nas portas, banco do motorista com ajuste em altura, bancos em tecido ou couro, banco traseiro bipartido e trio elétrico.

Além disso, havia cintos de 3 pontos nas laterais, assim como apoios de cabeça. O porta-luvas tinha bom tamanho e o porta-malas de 362 litros podia ser ampliado com o rebatimento do banco traseiro.

Na versão Powershift, havia seletor com opção de mudanças manuais por botão na alavanca e na 4WD tinha um comando para mudar a tração de dianteira para integral.

EcoSport 2014 – versões

EcoSport 2014: versões, detalhes, motor, consumo, revisão, etc

  • Ford EcoSport SE 1.6 MT
  • Ford EcoSport FreeStyle 1.6 MT
  • Ford EcoSport Titanium 1.6 MT
  • Ford EcoSport FreeStyle 2.0 MT 4WD
  • Ford EcoSport SE 2.0 AT
  • Ford EcoSport FreeStyle 2.0 AT
  • Ford EcoSport Titanium 2.0 AT

Equipamentos

EcoSport 2014: versões, detalhes, motor, consumo, revisão, etc

Ford EcoSport SE 1.6 MT – Motor 1.6 e transmissão manual de cinco marchas, mais ar-condicionado, direção elétrica, coluna de direção ajustável em altura, rodas de aço aro 15 polegadas, pneus 205/65 R15, vidros elétricos nas quatro portas, travamento central elétrico, retrovisores externos com controle elétrico, multimídia SYNC com Bluetooth, volante com comandos de mídia e telefonia, faróis e lanterna de neblina, retrovisores com repetidores de direção, vidros verdes, para-brisa degradê, desembaçador do vidro traseiro, lavador e limpador do vidro traseiro, estepe externo, retrovisores e maçanetas pretas, airbag duplo, freios ABS com EDB, cintos dianteiros com pré-tensionadores, cintos de segurança de três pontos nas laterais, quatro apoios de cabeça, banco traseiro bipartido, retrovisor interno dia e noite, entre outros.

Ford EcoSport FreeStyle 1.6 MT – Itens acima, mais rodas de liga leve aro 16 polegadas, pneus 205/60 R16, controle de tração, controle de estabilidade, assistente de partida em rampa, sensor de estacionamento, alarme volumétrico e computador de bordo.

Ford EcoSport Titanium 1.6 MT – Itens acima, mais airbags laterais, airbags de cortina, bancos em couro e tecido, sensor de chuva, sensor crepuscular, retrovisor interno eletrocrômico, chave presencial, botão de partida e volante em couro.

Ford EcoSport FreeStyle 2.0 MT 4WD – Itens do FreStyle 1.6, mais motor 2.0, transmissão manual de seis marchas, airbags laterais, airbags de cortina, ar-condicionado automático, barras longitudinais no teto, bancos em couro e tecido.

Ford EcoSport SE 2.0 AT – Itens do SE 1.6 MT, mais motor 2.0 e câmbio automatizado de dupla embreagem com seis marchas, piloto automático, controle de tração, controle de estabilidade, assistente de partida em rampa e rodas de liga leve aro 15 polegadas.

Ford EcoSport FreeStyle 2.0 AT – Itens do FreeStyle 1.6 MT, mais motor 2.0 e câmbio automatizado de dupla embreagem com seis marchas e piloto automático.

Ford EcoSport Titanium 2.0 AT – Itens do Titanium 1.6 MT, mais motor 2.0 e câmbio automatizado de dupla embreagem com seis marchas e piloto automático.

Preços

EcoSport 2014: versões, detalhes, motor, consumo, revisão, etc

  • Ford EcoSport SE 1.6 MT – R$ 63.290
  • Ford EcoSport FreeStyle 1.6 MT – R$ 67.840
  • Ford EcoSport Titanium 1.6 MT – R$ 76.490
  • Ford EcoSport FreeStyle 2.0 MT 4WD – R$ 78.390
  • Ford EcoSport SE 2.0 AT – R$ 71.890
  • Ford EcoSport FreeStyle 2.0 AT – R$ 74.390
  • Ford EcoSport Titanium 2.0 AT – R$ 83.290

EcoSport 2014 – motor

EcoSport 2014: versões, detalhes, motor, consumo, revisão, etc

O EcoSport 2014 era equipado com dois motores e eles eram das famílias Sigma e Duratec, embora de mesmo parentesco. O nome do primeiro é uma derivação para identificar os propulsores pequenos e aspirados do segundo.

Lançado em 1995 como Zetec, o Sigma evoluiu e passou a ser chamado de Zetec-S. Depois, foi renomeado como Duratec e finalmente como Sigma. A Ford produziu uma confusão enorme, incluindo a versão Zetec, que não tem relação com motor.

Com bloco e cabeçote em alumínio, o Sigma tem duplo comando de válvulas variável com o sistema Ti-VCT, tendo ainda quatro válvulas por cilindro, coletor de admissão em plástico e gerenciamento eletrônico avançado.

Tendo injeção eletrônica multiponto com tecnologia flex de partida a frio com uso de tanquinho de gasolina para injeção do combustível derivado de petróleo, em dias de baixa temperatura, de modo a facilitar a partida.

Os comandos no cabeçote são acionados por corrente, dispensando assim a manutenção nesse caso até 240.000 km. O Sigma 1.6 16V Ti-VCT tem 1.596 cm3 e taxa de compressão de 11:1.

Ele entregava ao EcoSport 2014 uma potência de 110 cavalos na gasolina e 115 cavalos no etanol, ambos a 6.000 rpm, tendo ainda 15,7 kgfm no primeiro e 15,9 kgfm no segundo, ambos a 4.750 rpm.

Foi usado inicialmente apenas com transmissão manual de cinco marchas, mas em 2016, recebeu o polêmico câmbio automatizado de dupla embreagem Powershift, mas já sem esse nome, sendo descrito como “automático sequencial”.

Nessa época, a Ford atualizou o Sigma 1.6 para que alcançasse 125 cavalos na gasolina e 128 cavalos no etanol, acrescentando mais torque e desempenho ao carro.

Além do Sigma 1.6, o EcoSport 2014 tinha ainda o motor Duratec 2.0 que, assim como o citado, foi desenvolvido na Alemanha em conjunto com a Yamaha no Japão. Ele também foi vendido como Volvo Modular, Mazda L e Cyclone.

Essa série surgiu em 1993 como um V6 americano, mas logo gerou o bloco de quatro cilindros Zeta. A partir daí, ele evoluiu para Zetec e Zetec-SE, chegando então ao Duratec, embora o nome já fosse usado no V6, tal como Cyclone.

O Duratec foi de um 1.25 até 2.5 litros de cinco cilindros, usado pela Volvo. A confusão é tamanha que ele chega a ser listado na mesma família do Zetec Rocam, uma modificação brasileira para inserir um cabeçote 8V no motor pequeno.

Com bloco de ferro fundido e cabeçote de alumínio, tem duplo comando variável Ti-VCT com quatro válvulas por cilindro. Igualmente acionados por corrente, os dois eixos controlados eletronicamente abrem e fecham em tempos diferentes.

Tendo 1.999 cm3, o Duratec 2.0 tinha 10,8:1 de taxa de compressão, entregando assim 141 cavalos na gasolina e 147 cavalos no etanol, ambos a 6.250 rpm. Os torques eram de 18,9 kgfm no primeiro e 19,7 kgfm no segundo, a 4.500 rpm.

Era um motor forte, porém, beberrão, assim como o Sigma 1.6, tendo evoluído para o Duratec Direct, com injeção direta de combustível no lugar da multiponto, chegando a ter 176 cavalos e 22,5 kgfm no EcoSport Storm.

Muito usado no Focus, esse motor saiu de linha com o fim do EcoSport no Brasil, tendo sido usado com transmissão manual de cinco marchas na tração dianteira ou seis marchas na versão 4WD, com a primeira funcionando como reduzida.

Também usou o câmbio Powershift inicialmente, mas depois o mesmo foi trocado por uma caixa automática de seis marchas com conversor de torque. Esta equipou apenas o Dragon 1.5 de até 137 cavalos, usado no EcoSport 2018.

O câmbio automatizado de dupla embreagem e seis marchas foi fabricado pela alemã Getrag e recebeu o nome Powershift da própria fabricante e não da Ford, como muitos pensam. É um câmbio usado em várias marcas.

Na Ford, ele apresentou problemas de durabilidade e defeitos, como superaquecimento, travamento, bloqueio de marchas, vibração, ruído excessivo e outros, que chegaram a imobilizar veículos.

Afetando desempenho e economia dos carros, o Powershift deu muita dor de cabeça aos donos de carros da Ford no Brasil, gerando inicialmente um recall “branco” que acabou virando um mega recall oficial.

Na estratégia da Ford, valeu até trocar o nome para “automático sequencial”, mas o estrago já havia sido feito. A Ford atualizou a caixa de dupla embreagem, como também forneceu kit de reparo na rede e aumentou a garantia para 10 anos.

Mesmo assim, a crise do Powershift fez com que a montadora americana desistisse completamente desse sistema, adotando uma transmissão automática de seis marchas e conversor de torque, mais confiável que a DCT alemã.

Atualmente, a Ford não usa mais transmissão de dupla embreagem no Brasil, tendo apenas caixa automáticas de seis ou 10 marchas para tração traseira e outra de oito marchas em transversal para o Edge ST. Fora o CVT do Territory.

Desempenho

EcoSport 2014: versões, detalhes, motor, consumo, revisão, etc

  • Ford EcoSport 1.6 MT5 – 12,4 segundos e 180 km/h
  • Ford EcoSport 2.0 MT5 – 10,5 segundos e 180 km/h
  • Ford EcoSport 2.0 MT6 AWD – 10,9 segundos e 180 km/h
  • Ford EcoSport 2.0 AT6 – 11,4 segundos e 180 km/h

Consumo

EcoSport 2014: versões, detalhes, motor, consumo, revisão, etc

  • Ford EcoSport 1.6 MT5 – 7,0/8,2 km/l e 10,2/11,8 km/l
  • Ford EcoSport 2.0 MT5 – 6,0/7,2 km/l e 8,5/10,5 km/l
  • Ford EcoSport 2.0 MT6 AWD – 5,7/7,0 km/l e 8,6/10,3 km/l
  • Ford EcoSport 2.0 AT6 – 6,6/8,0 km/l e 9,7/11,5 km/l

EcoSport 2014 – manutenção e revisão

EcoSport 2014: versões, detalhes, motor, consumo, revisão, etc

O plano de revisão do Ford EcoSport 2014 era a cada 10.000 km ou 12 meses, o que no caso do SUV compacto com alguns anos de estrada significa um custo de R$ 5.074 para até 60.000 km, tanto no 1.6 quanto no 2.0.

Nas revisões da Ford, o veículo é inspecionado em motor, câmbio, suspensão, direção, freios, sistemas de segurança, entre outros. São feitos ainda serviços cobrados para troca de peças e componentes de desgaste natural.

Nesse caso, pastilhas de freio, discos de freio, lonas de freio, buchas de suspensão, pivôs de direção, bieletas, rolamentos, batentes das torres, molas, amortecedores, pneus, coxins de motor e câmbio, entre outros, são verificados e trocados.

Já no serviço regular de revisão, são trocados óleo lubrificante, filtro de óleo, filtro de ar do motor, filtro de ar da cabine, filtro de combustível, velas, fluido de freio, líquido de refrigeração, correia em V, correia dentada, entre outros.

Também são feitos serviços de rodízio de pneus, alinhamento, balanceamento, cambagem, funilaria, pintura, atendimento de recall, remapeamento condicionado à ordem de serviço, instalação de acessórios, higienização e limpeza oxi-sanitária.

Revisão10.000 km20.000 km30.000 km40.000 km50.000 km60.000 kmTotal
1.6R$ 599,00R$ 819,00R$ 599,00R$ 1.279,00R$ 739,00R$ 1.039,00R$ 5.074,00
2.0R$ 599,00R$ 819,00R$ 599,00R$ 1.279,00R$ 739,00R$ 1.039,00R$ 5.074,00

EcoSport 2014 – ficha técnica

EcoSport 2014: versões, detalhes, motor, consumo, revisão, etc

Motor1.62.0
Tipo
Número de cilindros4 em linha4 em linha
Cilindrada em cm315961999
Válvulas1616
Taxa de compressão11:110,8:1
Injeção eletrônicaIndiretaIndireta
Potência máxima110/115 a 6.000 rpm (gasolina/etanol)141/147 cv a 6.250 rpm (gasolina/etanol)
Torque máximo15,7/15,9 kgfm a 4.750 rpm (gasolina/etanol)18,9/19,7 kgfm a 4.500 rpm (gasolina/etanol)
Transmissão
TipoManual de 5 marchasManual de 5 ou 6 marchas ou dupla embreagem de 6 marchas
Tração
TipoDianteiraDianteira ou Integral
Direção
TipoElétricaElétrica
Freios
TipoDiscos dianteiros e tambores traseirosDiscos dianteiros e tambores traseiros
Suspensão
DianteiraMcPhersonMcPherson
TraseiraEixo de torçãoEixo de torção ou Multilink
Rodas e Pneus
RodasAço ou liga leve aro 15 polegadasLiga leve aro 16 polegadas
Pneus205/65 R15205/60 R16
Dimensões
Comprimento (mm)4.2414.241
Largura (mm)1.7651.765
Altura (mm)1.6961.696
Entre eixos (mm)2.5212.521
Capacidades
Porta-malas (L)362362
Tanque de combustível (L)5252
Carga (Kg)433401 (MT) 375 (AWD/AT)
Peso em ordem de marcha (Kg) 1.243 1.260 (MT) 1.404 (AWD) 1.316 (AT)
Coeficiente aerodinâmico (cx)0,360,36

EcoSport 2014 – fotos

https://www.youtube.com/watch?v=TbYltiWhFt0

Ricardo de Oliveira
Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

Deixe um comentário