Ecologia História

Elko: 22 anos atrás, motor multi-combustível revolucionou o mercado

Elko: 22 anos atrás, motor multi-combustível revolucionou o mercado

Faz 22 anos que apareceu em nosso mercado, ainda na era “anti-importação”, um motor revolucionário que poderia garantir ao país um futuro promissor no campo de combustíveis vegetais.


Neste caso, óleos vegetais poderiam ser empregados para movimentar motores de ciclo diesel e o precursor desse conceito era o motor Elko. O pequeno motor de três cilindros articulados, era turbo alimentado e possuía injeção direta.

O motor tinha uma bomba injetora para cada cilindro, além de ser feito todo de ferro fundido e refrigerado à óleo, o que ajudava a reduzir a perda de calor.

Este motor podia ser movido por qualquer tipo de óleo vegetal, sendo que até mesmo óleo usado poderia ser utilizado. Óleo de cozinha também estava no “cardápio” do Elko. Um modelo de veículo, poderia fazer entre 20 e 42km/litro! Em testes realizados no Brasil, um Audi 100 chegou a fazer 40km/litro de óleo vegetal.


Mas, o Elko era ainda mais revolucionário e podia receber qualquer outro combustível líquido, como gasolina, etanol, metanol, querosene, entre outros.

O potencial do Elko era tão grande, que podia servir como um gerador estacionário, marítimo, automotivo e industrial. Projetado pela alemã Elsbett, o Elko passou a ser um conceito para conversão de motores diesel para óleos vegetais, feitos pela empresa atualmente.

Hoje em dia, o mercado para motores deste tipo está em franco crescimento e sem dúvida, o Elko foi o movimento inicial no sentido de obter um combustível renovável e ecológico, já que polui menos que o diesel normal.

De tudo isso, só faltou chegarem os motores diesel para automóveis, algo que ao contrário dos óleos vegetais, ainda não virou realidade por aqui.

Imaginem a economia e o nível de emissões de CO2 que poderiam ser produzidos por um motor multi-combustível, como era o Elko, com a tecnologia dos dias de hoje?

Fonte: Elsbett/Revista 4 Rodas.

Elko: 22 anos atrás, motor multi-combustível revolucionou o mercado
Nota média 5 de 2 votos

29 Comentários

Clique aqui para postar um comentário

  • É a melhor notícia que ouvi nos últimos 22 anos. Afinal, na época do lançamento deste propulsor cheguei a ver teste de veículos na Alemanha c/ este motor. Na época era revolucionário, mas não se sabe porque que nunca mais se falou no assunto… Garanto que a maioria dos leitores do site nunca ouviram falar dele. Agora, por imposição de Obama muitas coisas boas que no passado foram esquecidas ressurgirão das cinzas e irá revolucionar o mercado. Imaginem que óleo de cozinha usado poderá ser usado nele. Isso sim é que é ser ecologicamente correto, o resto é resto…

    • Tu realmente não sabe por que não se falou mais no assunto? Imagina como ficaria uma petrobrás da vida se aparece um motor desse que funciona com qualquer coisa.

    • Provavelmente foi a força política de grandes empresas que não tinham interesse que algo deste tipo surgisse. A petrobrás ainda é pequena, mas pensa nas multinacionais como Shell, Exxon, Chevron… a força política delas era e é enorme. Olha o caso dos híbridos elétricos. Aqui no Brasil as iniciativas ainda são tímidas por causa da força dos usineiros que com certeza financiam muito político por aí.

      • Bem, depois de 6 anos, agora em 2015, a PETROBRÁS é a maior empresa petrolífera do mundo. E deve ser só coincidência que o Vampiro brasileiro José Nosferatu Serra queria fatiar o Pré-Sal com um projeto nefasto. Talvez por isso e para voltar a roubar é que o PSDB e os coxetas reaças querem derrubar a atual presidente.

    • Não é Wankel não. É um motor normal, ciclo Diesel, com 3 cilindros, turbo, pistões articulados, bloco e cabeçote de ferro fundido. Não usa refrigeração líquida ou ar. Somente existe um radiador de óleo. Considera-se como um motor semi-adiabático ou seja, converte a maior parte do combustível em energia. O interessante é que queimava qualquer combustível. Na época, o grupo Garavello traria a tecnologia para o Brasil inclusive chegaram a adaptar uma Kombi e uma Chevy para os testes. Quanto ao consumo, ele fazia os 40 km/l, mas somente com óleo diesel.

      • Tem razão, essa versão era mesmo com pistão articulado e ciclo diesel, embora tenha surgido na época uma versão Wankel com essa tecnologia, tanto que as duas únicas empresas no mundo que usavam era a Elsbett e a Mazda.

  • Com certeza é a melhor coisa que poderia acontecer no mundo automotivo, um motor desses ter seu desenvovilmento continuado. Estagio num laboratório que produz biodiesel e tem foco em energia, com certeza poder testar um motor desses pra viabilizar mercado ia ser ótimo. Tomara que Lula, quem sabe, dê uma de Obama, exija e dê subsidios pra se desenvolver esse tipo de tecnologia.

  • Eu lembro de ter lido isso aí na quatro rodas há mais de 20 anos… e tbém, se não me falha a memória, falou-se q haveria um “complô” para impedir o avanço dessa tecnologia, visto q a OPEP e outras potências não teriam interesse nesse tipo de motor…
    Verdade ou não… só sei q o troço nao foi para frente… se não me engano, a reportagem da quatro rodas era do longínquo ano de 1987… (tô ficando velho :P)

    • Tô velho também… lembro de ter essa quatro rodas, se fuçar no meu armario velho sou capaz de achar… mostrava o audi 100 com esse motor e fazia várias previsões do que poderia acontecer se pudessemos passar a abastecer com óleo de cozinha, lembro que era uma reportagem bem longa.

  • :batman:
    Esta empresa esta atuando no Brasil e em varios paises, acesse:
    http://www.elsbett.com.br
    ” Elsbett Brasil, cuja abrangência se estende por toda América Latina, México e África. ”
    Site muito bom e com bastante informação para quem gosta de Automoveis, Moteres, Tecnologia, … .

  • PESSOAL, RECOMENDO A TODOS VISITAREM O SITE DESSA EMPRESA.

    LEIAM OS RELATOS DE QUEM USA O MOTOR… CLARO QUE EU TENHO ESSA QUATRO RODAR DE VINTE ANOS ATRÁS, MAS O QUE EU JAMAIS IMAGINARIA É QUE ESSA EMPRESA AINDA EXISTE, FUINCIONA, E ESTÁ VENDENDO CONVERSÕES DE MOTORES, INCLUSIVE SENDO SUCESSO DE PÚBLICO !

  • Um motor desse não gera interesse econômico, por isso é “mascarado” e não tem nenhum tipo de incentivo… Tudo no mundo só vai pra frente se gerar lucro para “os grandes”, o que não é o caso deste, visto que cada proprietário poderia produzir o seu próprio combustível e parar de abastecer em postos!!!

    Apesar disso, existem muitas fazendas autosustentáveis na questão de combustível, utilizando óleos vegetais em motores diesel adaptados…..

  • Pouco depois da matéria publicada na Quatro Rodas na época, foi divulgado que a Scania teria comprado a patente deste motor, e aplicado apenas parte da tecnologia dele nos motores desde então. Esta parte de aproveitamento adiabático, então, não foi aproveitado nada… Apenas a evolução do uso de óleo vegetal que teve certa contribuição deste conceito.

    • Essa é uma realidade, quem tem poder de mercado compra estas tecnologias (que normalmente são originadas de empresas de pequeno porte) e coloca na gaveta! Pra esfriar a idéia e deixá-la esquecida!

  • POST CHOCRÍVEL!

    Eu tenho essa revista!!! é da grossura de um catálogo…. já as de hoje…. parece tv de papel….

    E os flex só chegaram anos depois, por que? Por que esse motor destruiria o império do petróleo. Teriam que esperar esgotar as reservas, pelo menos, dos eua para “permitirem” a popularização do motor….

    Por aí.

  • um post desses me deixa P*** da vida
    22 anos atras!!! meu
    tem noção?
    q raiva desses politicos de empresarios!
    hj em dia talvez nem se falasse em efeito estufa ainda..

  • O minha gente esses poderosos ricos cheio da grana donos de petroliferas, são pessoas obsecadas por riqueza, ignorantes e arrogantes, só pensão em si e o seu bolso. Essas coisas ou “pessoas” só vão mudar quando o mundo piorar de vez, porque hoje ainda vivemos “bem”, mas quando o calor ecessivo chegar na terra, não terra dinheiro que mude, a grana toda não valera NADa! :>:

  • ja tinha estudado esse motor! é tão bom ! e economico para a pessoa que o teria ! que fariam o consumo do petroleo cair drasticamente. vejo que grandes empresas que vendem combustiveis, de alguma maneira boicotaram esse projeto…….
    capitalismo!

  • Acredito que a indústria petrolífera deva ter comprado a patente deste motor, porque nunca mais ouví falar dele, desde 1987 quando a revista Quatro Rodas apresentou testes com um audi 100 e uma chevy 500 equipados com esse motor!!!

    Acho que pela revolução que esse motor representava (e ainda representa!!!) era uma ameaça à industria do petróleo!!!

    K D o motor ELKO?

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email