Antigos Brasil Clássicos Esportivos Europa Ford

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

Um dos modelos mais famosos da Ford nos anos 80 e 90 foi sem sombra de dúvidas o Escort XR3.

Apresentado na Europa em 1968, o modelo compacto da Ford logo se tornou um enorme sucesso comercial e de vendas, e por aqui não poderia ser diferente, mas tivemos que esperar até 1983 quando o Escort foi apresentado de forma oficial, para então vermos o Escort XR3 nas ruas.


Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

Vamos falar da história de grande sucesso do Escort XR3 no Brasil, e depois vamos ver a trajetória dele lá na Europa.

Vamos ao Escort XR3 no nosso país:

Escort XR3 no Brasil

Escort XR3 1983 a 1992

Apresentado em 1983 no país do samba e do futebol, o Escort XR3 tinha outros modelos da linha Escort como acompanhantes.

O Escort tinha várias versões de acabamento, sendo elas a mais básica sem nomenclatura, a L, passando pela GL intermediária, a de luxo Ghia e a esportiva XR3.

As versões básicas e intermediárias poderiam vir acompanhadas dos motores 1.4 litro com 64 cavalos quando abastecido com álcool ou 57 cavalos nos modelos a gasolina.

E nas versões 1.6 litro com 65 cavalos para os modelos movidos a gasolina e 73 cavalos para os modelos movidos a álcool. Apenas o Escort Ghia e o Escort XR3 vinham com o motor 1.6 litro de 73 cavalos, sendo que no XR3 este motor rendia 83 cavalos por modificações no carburador e nas válvulas.

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

O visual do Ford Escort XR3 nacional seguia à risca o mesmo design encontrado no modelo europeu, com seus defletores aerodinâmicos e rodas de liga leve de 14 polegadas.

Outros itens faziam do Escort XR3 o sonho de consumo dos jovens dos anos 1980, como teto solar e bancos esportivos.

Já para 1985 a Ford apresenta o Escort XR3 Conversível, que foi o primeiro modelo fabricado em larga escala que tinha autorização para rodar nessa configuração, antes dele apenas o Volkswagen Karmann Ghia foi feito seguindo esses predicativos.

O motor da versão conversível era o mesmo que da versão cupê, o 1.6 litro de 73 cavalos.

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

Em 1987 o Escort XR3 ganha a sua primeira atualização de estilo, chamada de nova geração Mk4, acompanhando toda a linha Escort.

O visual era praticamente o mesmo visto na versão europeia, ou seja, faróis mais retangulares e novas opções de cores, acabamento com mais requinte e alguns detalhes extras para se diferencias das versões tradicionais do Escort.

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

Uma das mudanças mais nítidas no Escort XR3 de 1987 era o aumento de três cavalos no motor e ausência dos faróis de neblina mantendo apenas os de milha que ficavam na mesma altura dos faróis principais.

Já em 1989 a Ford faz o seu maior contrato com outra montadora e desse acordo nasce a Autolatina – união entre a Ford e a Volkswagen na América Latina – e o Escort XR3 foi quem saiu ganhando com essa parceria.

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

Agora o Escort XR3 usava o famoso motor AP da Volkswagen de 1.8 litros e 99 cavalos – na versão de topo de linha Ghia o motor era calibrado para render 90 cavalos. O modelo também ganhava um câmbio manual oriundo da VW.

Escort XR3 1993 a 1996

A segunda geração do Ford Escort XR3 foi apresentada no final de 1992 já como linha 1993.

O restante da linha seguia a mesma linguagem de design e estilo. Outro benefício adquirido com a Autolatina foi a adoção do motor AP 2.0 litros com injeção eletrônica e 115 cavalos para o Escort XR3i.

No ano seguinte o Escort XR3i adotava a mesma nomenclatura do modelo europeu e ganhava um novo motor 2.0 litros AP só que agora configurado para álcool e o novo motor rendia 122 cavalos.

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

Em 1995 o modelo passa a receber novas rodas de liga leve e ajuste de altura no volante, item pouco comum em um modelo de passeio nessa época e mais raro ainda num modelo esportivo.

Ford Escort XR3 1996: o Escort Racer

O fim de linha foi decretado em 1996, mas antes disso o modelo teve sua produção transferida para a fabrica da Ford na Argentina, com o intuito de abrir espaço na planta para o Ford Fiesta que estava sendo lançado na Europa e logo em seguida começou a ser fabricado por aqui.

A linha Escort perdeu nesse mesmo ano as versões Ghia – topo de linha – e as versões Escort XR3i e Escort XR3i conversível.

A alternativa restante para quem queria um Escort XR3i era se contentar com a versão Racer, que contava com o mesmo motor 2.0 litros AP, mas que não tinha o mesmo apelo visual e nem a mesma essência que o saudoso Escort XR3.

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

O modelo Racer era extremamente simples se comparado ao Escort XR3i, ele não vinha com bancos Recaro, dianteira com desenho exclusivo em relação as demais versões do Escort e os inúmeros itens de segurança e de conforto que o esportivo trazia desde que foi apresentado por aqui.

Sem o mesmo apelo do Escort XR3 tradicional, o Escort Racer saiu de linha poucos meses após ter sido lançado, provando que em time que está ganhando não se mexe.

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

A linha Escort ganhou uma nova geração em 1997 e com isso um novo motor para a linha, o moderno Zetec 1.8 litros com 16 válvulas e 115 cavalos e 16,3 kgfm de torque.

Além de um novo desenho para a carroceria e novas versões a Ford tentava emplacar agora pela segunda vez uma tentativa de ter um “esportivo” com o lançamento do Escort RS.

Já não existia Escort XR3.

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

A versão RS do Escort usava o mesmo motor do restante da linha, e tinha com maiores diferenciais o painel com fundo branco, aerofólio traseiro, saias laterais e novas rodas de liga leve com desenho exclusivo para a versão.

Fora isso ele era apenas e tão somente um Escort maquiado, quase que um precursor de modelos como a linha SS da Chevrolet com o Corsa, Meriva e Astra e Sporting da Fiat com Palio, Strada e Siena.

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

Para alguns chegava a ser blasfêmia a Ford colocar a sigla “RS” num modelo que não tinha preparação de fábrica no motor ou na suspensão que fosse realmente com o intuito de ser esportivo.

Na Europa a sigla “RS” é altamente respeitada e atualmente pode ser encontrada no Fiesta RS e no Focus RS com versões que passam facilmente dos 200 cavalos, dependendo da versão e do motor.

Escort XR3 Europeu

A terceira geração do Ford Escort foi apresentada em setembro de 1980 no mercado Europeu, e continuou o legado modelo que foi lançando inicialmente em 1955.

O Ford Escort XR3 foi criado para combater nomes de peso como o Volkswagen Golf GTI e outros modelos que apostavam no segmento de esportivos derivados de carros de passeio.

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

O motor da versão europeia era o 1.6 litro CVH, com carburador duplo, uma nova suspensão mais firme e outros detalhes mais estéticos.

Em 1982 a Ford apresentava o Escort XR3i com injeção eletrônica e câmbio de 5 velocidades.

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

Em 1986 o Ford Escort XR3i ganha uma variante cabriolet que rapidamente ganhou inúmeros adeptos, e se tornou uma das versões mais vendidas dentro da gama Escort.

Fora essa nova versão o Ford Escort XR3i ganhou uma leve atualização de estilo em 1985 o que deixou os faróis dianteiros mais amendoados e as lanternas traseiras quadradas e acrescentou no Escort XR3i a opção de ter luzes de milha junto dos faróis principais.

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

Já para 1991, a Ford apresenta a quinta geração do Escort que traz consigo novamente o Escort XR3i, com design mais jovial o modelo entra nos anos 1990 completamente renovado.

O design de modo geral era mais elegante que do modelo de 1986 e contava na versão Escort XR3i com características mais discretas que os modelos anteriores.

A única forma de perceber que ele era um XR3i era pelo discreto logo fixado na traseira.

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

O motor dessa geração para o Escort XR3i era o 1.8 litro Zetec, que deixava o modelo mais esperto e potente, aliado ao novo motor estava o câmbio manual de 5 velocidades.

O Escort XR3 saiu de linha no mercado Europeu em 1994 e a última geração do Ford Escort tradicional resistiu até meados de 2004, quando foi substituído pelo Ford Focus.

Escort XR3 – curiosidades

Além das versões comuns, da esportiva de verdade Escort XR3i, e da tentativa com a Racer e a RS o Ford Escort teve outras versões fabricadas por preparadoras nacionais que incrementavam o visual e a potência do modelo mais famoso da Ford no país.

Escort SR

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

Essa versão foi criada pelo Grupo Souza Ramos – que atua como rede de concessionários da Ford – e trazia um visual próprio para o modelo com nova grade dianteira, para choques e rodas de liga leve com desenho diferente.

A inspiração segundo a preparadora era o Ford Sierra XR4 europeu.

O motor do Escort XR3 recebia um upgrade com o auxilio de turbo Garrett e passava facilmente dos 100 cavalos que podiam levar o modelo a 180 km/h.

Além do modelo citado, a SR fez outra modificação, mas dessa vez mais profunda no Escort XR3 e o chamou de John Player Special, que trazia uma dianteira com visual exclusivo, faróis do tipo escamoteáveis e para lamas mais alargados do que as versões comuns.

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)
Escort XR3 John Player Special

Caltabiano Especial

Agora sob os cuidados de outra preparadora que também era revendedora dos modelos da Ford, a Caltabiano pegou como base um Escort XR3 de 1989 e juntou com um motor Volkswagen AP 2.0 – pouco tempo antes da Ford se juntar de fato com a Volkswagen para a criação da Autolatina – que se encaixava sem muitos problemas no cofre do motor que antes estava acostumado com o 1.8 litro.

Mas o modelo acabou que ficando meio de lado quando as duas marcas anunciaram a parceria e a criação real do modelo com o motor.

Verona SR

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

Você deve estar se perguntado, por que estamos falando do Verona, o sedan do Escort, mas já explico.

No início dos anos 1990 o mercado nacional abriu as portas para os modelos importados e o sonho de consumo da classe média alta brasileira era o BMW M3, mas como ele era importado e custava muito caro, a Souza Ramos decidiu tentar uma receita caseira com a versão sedan do Escort.

Na prática era apenas um Verona com um novo visual, saias laterais e rodas novas que tentavam – sem qualquer sucesso – compensar a falta de esportividade do modelo.

Escort XR3 SE – Special Edition 75

Escort XR3: história, anos, versões, motor, equipamentos (e detalhes)

Quando a Ford estava prestes a comemorar seus 75 anos de existência no país, ela decidiu comemorar em grande estilo e apresentou no início de 1994 o Escort XR3i SE 75, que vinha com pintura especial em preto na parte da carroceria e nos para choques em tom de dourado para simbolizar um Champagne estourando.

A versão escolhida era o conversível que além da pintura nova, contava com plaquetas nos para lamas dianteiros para distinguir das demais versões e todos os itens que eram opcionais no XR3, como os bancos Recaro, equalizador e antena elétrica.

O motor era o 2.0 litros com injeção eletrônica de 116 cavalos associado ao câmbio manual de 5 velocidades e com 17,7 kgfm de torque. Ao todo foram feitas 175 unidades construídas, e disponibilizadas para as 175 concessionárias da Ford pelo país.

Ficha Técnica

Ford Escort XR3 1991 1.8

Motortransversal, 4 cilindros em linha, 1.781 cm³, 2 válvulas por cilindro, comando de válvulas simples no cabeçote, carburador de corpo duplo
Potência97 cv a 6.000 rpm
Torque16 kgfm a 3.000 rpm
Câmbiomanual de 5 marchas, tração dianteira
Dimensõescomprimento, 406,2 cm; largura, 164 cm; altura, 132 cm;
entre eixos, 240,2 cm
Peso990 kg
Pneus185/60 hR 14 radiais

 

Ford Escort XR3 1994 2.0

Motortransversal, 4 cilindros em linha, duas válvulas por cilindro, comando de válvulas simples no cabeçote, alimentação por injeção eletrônica Bosch LE-Jetronic
Cilindrada1.984 cm³
Potência116 cv a 5.600 rpm
Torque17,7 kgfm a 3.200 rpm
Câmbiomanual de 5 marchas, tração dianteira
Dimensõescomprimento, 404 cm; largura, 169 cm; altura, 130 cm; entre eixos, 252 cm
Peso1.120 kg
Pneus185/60 HR14, radiais
Avatar

Kleber Silva

  • millemiglia

    Sou ex-distribuidor Ford e, por isso, tenho algumas correções a fazer: 1) o modelo de entrada era o Escort (sem L ou qualquer outro logotipo), ou seja, existiu sim um Escort standard que usava o motor 1.3 (e não 1.4 como dito pois a cilindrada total era 1341 cm³); 2) Os motores 1.6 da linha normal tinham 73 CV (incluindo o Ghia); 3) o motor do XR3 1.6 tinha 83 CV pois tinha algumas modificações em carburação, comando de válvulas e, se não estou enganado, também no tamanho das válvulas.

    • th!nk.t4nk

      Eu gostava do setup da Ford na época, com 2 versoes de topo (a Guia pra quem buscava luxo, e o XR pra quem buscava esportividade). E ainda por cima ofereciam uma versão cabrio (conversível). Bons tempos!

    • leandro

      Você é da galera das antigas que sabia tudo. Hoje quando vamos na css escolhem as vendedoras mais bonitas, mas geralmente não sabem nada do funcionamento do carro.

    • Pete Alves

      Verdade. Meu pai teve um Escort (Standard) bege

    • Incitatus

      Eu tive um, não tinha o L, não tinha nada, nem espelho do lado direito. Pé-de-boi. Mas era o que dava pra comprar na época e bebia pouco.

    • Adalberto Freitas

      Deixou muita revenda de peças e mecânicos ricos

    • Alexandre Morais

      Sim. Na mina familia teve uma festa onde tinha um Escort (sem letra) de um tio, nao me lembro de onde era a placa… um L cinza (era o meu), placa dd Uberlandia, MG … um Guia Dourado (duas portas) da minha irma. placa de Belo Horizonte BH. e um Guia Dourado, 4portas,placa de Varginha, MG. Alem destes…. um XR3 de uma tia do rio, Vermelho Placa do RJ e um outro tambem Vermelho de outro tio em Varginha…placa de Varginha

  • zekinha71

    Meu tio teve o primeiro XR3 em 86, quando saia alguma alteração ele ia na ccs e pegava um novo, meu tio era viciado em XR3 teve até um conversível branco, o mais legal e bonito além do conversível foi o 93 azul, a geração mais bonita.
    Daí quando saiu a porcaria do Racer fez a besteira de trocar, foi o pior carro que ele teve, um festival de problemas, qualidade ali passou longe, só serviu pra estragar o nome Escort.
    Na época ele ficou em dúvida em pegar um Mondeo ou o Racer, errou feio.
    Faz anos que não vejo um Racer na rua, não deve ter sobrado um semi inteiro, já os XR3 sempre aparece um, até conversível.

  • Robinho

    Sou fã deste carro, queira muito um XR3 Amarelo ou um Conversível (da ultima geração)…

    • Janduir

      Eu babo num Xr3 vermelho Cht 1.6 anos de 87 a 88

    • MauroRF

      Vi um amarelo 88 rodando com a capota aberta no sábado passado, na Avenida Lucas Nogueira Garcez, centro de São Bernardo do Campo. Não me contive, buzinei para o cara, parabenizei-o e, claro, perguntei o ano. Ele e a filha rodavam no carro, e a filha disse “meu pai está contando a história de quando ele era adolescente na época e sonhava com este carro”, no que respondi “sou da geração do seu pai e tinha o mesmo sonho, por isso que perguntei”. O trânsito estava bem lento na avenida, o que facilitou a nossa rápida conversa. Falando em Escort, tive dois: um GL 92 1.6 “completo”, com ar quente, vidros verdes, limpador/desembaçador traseiros, faixa degradê e rádio/toca-fitas com code com antena elétrica. Um charme, rs. Como o meu era dourado, tinha o interior com painel marrom e bancos na cor creme claro. O outro foi um GLi 96 1.8 já com a grade ovalada, também “completo”: tinha as mesmas coisas do 92, mais DH e AC, além de vidros e travas elétricos. Esse era mais firme e “parrudo” que o anterior.

  • TchauQueridos

    Um super esportivo de 70 cv.
    Bom que esses tempos ficaram pra trás!

    • Fabão Rocky

      Eles podem n ser considerados esportivos hj pela potência, mas p/ a época eram esportivos sim e hj se tornaram modelos clássicos. Fora q (acredito eu) a preocupação c/ um modelo desses de rua era mto c/ o design esportivo do q c/ a potência em si. Pior hj em dia q nem aparência de esportivo os carros tem. As montadoras c/ as economias porcas fazem apenas um kit adesivo, pinta as rodas de preto e pronto! Já dizem q é esportivo!

      • Vitor

        Isso é questão de gosto também. Gol GTi também não tinha tanta aparência de esportivo e tem consumidores quenão querem carros enfeitados.

      • Pete Alves

        Não é bem assim. Mesmo para a época o XR3 1.6 era fraco sim e não adianta comparar com os carros de hoje, sem considerar que custava uma fortuna. O problema é que com os portos fechados para os importados e sem a vasta mídia automotiva disponível hoje em dia, o brasileiro era completamente ignorante quanto ao que já existia no mundo.

  • Munn Rá : O de Vida Eterna

    Escort XR3, Kadett GSi, Gol GTS e Uno Turbo : podem não ser os maiores/melhores esportivos do mundo

    Mas ………………………………………………………………………………………… quem não gostaria de ter um destes ?

    • leitor

      Desses aí eu prefiro o Puma. Quanto aos outros, mesmo interessantes, um modelo atual resolve.

      • Munn Rá : O de Vida Eterna

        Gostaria tanto o Puma fabricado aqui quanto o Puma fabricado pela Ford

  • Ricardo

    A 1ª geração no Brasil é feinha, as outras são legais.

    • Janduir

      Xr3 1986 vermelho não acho feio não… mas obviamente melhorou bem em 1987…

      • MauroRF

        Eu gosto mais dos 87 a 92.

  • saulo

    O mais legal é que a diferença do modelo esportivo para o modelo de entrada era gritante, parecia até outro carro, o interior então não dá nem pra comparar, vide gol cl/gti, kadett sl/gsi e escort l/xr3, sem contar que quem optava (ou pudesse comprat) o modelo esportivo, tinha alguns cavalos a mais, não era só adesivos como hj.

  • Geraldo Xavier

    Esse foi minha paixão na infância. Como eu admirava

  • Régis Vasconcellos

    Muita informação errada. Demais! Mk3 1983 – 1986 tinha vidros elétricos na versão XR3. Os 1983-1986 e os 1987-1992, apesar de terem a mesma base, são consideradas gerações diferentes, como Mk3 e Mk4. Também há erro em dizer que houve XR3 1996. Não houve jamais XR3 1996 pois a produção terminou na linha 1995/1995. Essas matérias especiais de carros sempre vem com erros pois nunca consultam os clubes e usuários que entendem para escreverem uma matéria realmente correta.

    • mariombneto

      Os Escort Ghia sempre tiveram vidros elétricos também! Inclusive, estes vinham com aplique de madeira nas portas! Os Ghia e os XR3 vinham com conta-giros no painel (pois este era digital e, se não me engano, vinha no teto, como nos Del Rey). O Escort GL tinha o relógio analógico no lugar do conta-giros. O Escort L e o Escort básico não o tinham. O teto solar equipava os XR3 e opcionalmente os Ghia. Meu preferido é o Ghia até 1986. Acho o mais lindo de todos!

      • MauroRF

        Não sei nos Escort de 86 para trás onde vinha o relógio, mas os Ghia/XR3 de 87 até 92 eram no teto sim. E esse relógio foi usado pelo Hobby nas linhas 95 e 96 no pacote “completo” (que incluía, além do relógio no teto, rádio/toca-fitas com code, ar-quente e limpador-desembaçador traseiros, além de janelas traseiras basculantes). O painel do Hobby era igual ao do L de 87 a 92. Eu tive um GL 1.6 92 “completo” cujo relógio era analógico e ficava no painel.

    • nbj

      Esse Escort três volumes preto da matéria era o Engerauto 222. O Verona SR era feito com base no Verona nacional feito pela Ford (autolatina), trocando a grade por uma com quatro farois redondos,outros para choques e com apliques laterais.

  • Fabão Rocky

    É uma pena n vermos mais carros bonitos assim e c/ versões esportivas exclusivas. Infelizmente, as únicas opções q temos p/ comprar são: hatch quadrado, sedã de 4 portas ou Suv de shopping. E quem kizer alguma versão esportiva a situação fica ainda pior. Apenas um Kit adesivos, rodas pretas e pronto! Vc já tem um “esportivo” na garagem! Bons tempos q tínhamos carros de passeio como notchbacks, fastbacks, sedãs (compactos e médios) de 2 portas, peruas, versões esportivas de verdade e até conversíveis.

    • Cmenusi

      >>Apenas um Kit adesivos, rodas pretas e pronto! Vc já tem um “esportivo” na garagem! <<
      Levando isso em conta, então tenho 2 esportivos na garagem: Sandero GT Line e C3 XTR (este último, tem a esportividade de uma idosa paraplégica com seu motor 1.4 8v). Realmente, os tempo hoje são outros …

      • Fabão Rocky

        O Sandero realmente é o único modelo q tem uma versão realmente esportiva, neste caso o RS 2.0.

        • José Barbosa

          Peugeot 208 também.

  • Paulo Reis

    Tive a sorte de dirigir um XR3 1986, com o CHT de 83 cv alchool. Como de se esperar em um carro leve, aro 14, suspensão independente nas 4 rodas, acerto dinâmico de dar inveja. Fazia curva a 90º em qualquer velocidade, lembro q era muito difícil fazer os 4 novos pneus cantarem em uma serrinha fraca. Sensação de velocidade era absurda devido a segurança que transmite.

  • Zé Mundico

    E por muito tempo foi o carro mais caro do Brasil.
    E na pista só perdia para o GM Kadett, que voava baixo.

  • Gran RS 78

    Voltei no tempo com essa matéria. Que saudades do Escort! O que chama a atenção é como os carros atuais estão maiores que os de antigamente, pois o Escort nos anos 90, media 4,04 de comprimento, praticamente o mesmo que um Polo hj, que é considerado um compacto.

  • Confesso que não me lembro dessa versão SR, mas no ângulo da foto que ilustra a versão nesse post ele parece muito com o Chevette Junior.

  • nbj

    Por ter 1.341 cm3, a Ford dizia que o motor era 1.3. Inclusive chegou a equipar alguns Corcéis II L, em 1984.

    • millemiglia

      Isso mesmo, o Corcel II também chegou a usar o motor 1.3 na versão L (se não me engano) mas não durou muito tempo.

  • Luis Burro

    Comecei a me interessar por automóveis através dele!
    Agora sei daonde a Ford tirou a inspiração pro volante do ka 97.

  • Osni Duarte

    Quando Monza (1982) e Escort (1983) chegaram todos os outros carros ficaram irremediavelmente obsoletos. Estilo, qualidade, tecnologia, acabamento e dinâmica estavam muito à frente de carros como Passat, Corcel II, Chevette e Gol. O Escort pecava pelo motor obsoleto, oriundo da Renault e que equipou o primeiro Corcel lá na distante década de 1960 e que já era antigo naquele tempo. Mas trazia técnicas avançadas de pintura, sendo o primeiro carro nacional com garantia de 3 anos contra corrosão.

  • Ricardo Blume

    Saudades da Ford dos anos 80 e 90. Hoje, infelizmente, as coisas são outras.

  • Guilherme Gimenes

    meu tio teve um, e me lembro que adorava aquele som dele, com o radio em cima (n me recordo se existia cd ja ou era fita), mas tinha um equalizador gráfico logo abaixo.. eu ficava hipnotizado com esse equalizador

  • julio

    Eu tive um ano 1984, prata. Lindo demais! Saudades!

  • Evandro Santana

    Eu me lembro muito bem do lançamento do Ford Escort racer 2.0i 1996 no programa da matel/gazeta em 1996…Quanto ao Xr3 era muito bonito , principalmente o 1994 branco perola… Enfim boa época..

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email