Eventos Salões do Automóvel

Especial Salão de Detroit 2012: uma nova globalização que aproxima mercados até então distantes

Detroit/Estados Unidos – Houve um tempo – nem tão distante assim – em que o Salão de Detroit tinha pouca identidade com o consumidor brasileiro. Lá era a terra dos sedãs gigantescos, das picapes enormes e dos SUVs hipertrofiados, todos repletos dos cromados tão ao gosto do consumidor norte-americano.

No Brasil, a maioria dos carros seguia as tendências de design europeias, mas o consumidor local valorizava mais suas “jabuticabas” – modelos que existiam apenas no mercado nacional. Hoje a General Motors oferece mundialmente sedãs projetados na Coreia do Sul – como o Cruze e o Sonic –, a Ford anuncia a globalização total de seus modelos e a cada lançamento da Chrysler se suspeita que possa vir a surgir um futuro Fiat, Alfa Romeo ou Lancia.

Ou seja, as marcas norte-americanas não são as mesmas – e o Salão de Detroit 2012 reflete bem essas mudanças. Uma delas, bastante notável, é o gênero de veículos apresentados no evento automotivo norte-americano. Esse ano, raras novas picapes – no máximo, um ou outro facelift.

No Salão de Detroit 2012 são os cupês e sedãs, de diversos estilos e tamanhos, que dominam a cena. E as marcas locais, embaladas pelos números crescentes de vendas em 2011 no mercado norte-americano – que há pouco tempo parecia destinado a se tornar um playground dos fabricantes japoneses –, fizeram de tudo para exibir o atual vigor. E, de quebra, intimidar a concorrência estrangeira.

Entre os novos modelos conceituais apresentados em Detroit, a maioria são cupês. Só a Chevrolet exibiu dois – o quatro portas Code 130 R e o duas portas Tru 140 S. A intenção é avaliar a reação do público do evento para orientar as tendências estilísticas dos futuros esportivos da marca.

A Honda mostra uma versão conceitual cupê do Accord, que revela os traços do futuro sedã, e a Acura – marca sofisticada da Honda para o mercado norte-americano – investe no elegante NSX suas esperanças de fazer as pazes com o consumidor local, onde suas vendas caíram 8% em 2011.

A concorrente Infiniti – marca de luxo da Nissan nos Estados Unidos – aposta no estiloso Etherea, enquanto a marca de luxo da Toyota, a Lexus, exibe o arrojado LF-LC. Como cupês que chegam ao mercado, destaque para a Hyundai, que trouxe o novo Genesis Coupé e a versão turbo do Veloster, com 204 cv.

A marca californiana Tesla exibe seu Model S – com estreia agendada para o próximo semestre –, enquanto a Scion debuta o F-RS – derivado do Toyota GT 86, que debutou no Salão de Tóquio em dezembro e partilha plataforma com o Subaru BRZ, que também está em Detroit. No nicho de altíssimo luxo, os holofotes ainda brilham sobre o suntuoso cupê Bentley Continental GT V8.

O segmento de sedãs também aproveitou o evento para fazer apresentações mundiais importantes. Entre os principais lançamentos de Detroit 2012, a briga é entre os novos Ford Fusion – que chega ao Brasil no segundo semestre e na Europa se chamará Mondeo –, do Chevrolet Malibu e do Dodge Dart – produzido em parceria com designers italianos da Alfa Romeo.

Os três irão disputar o segmento norte-americano de sedãs – médios para eles, médios-grandes para os brasileiros. A Audi traz o S4, a versão mais “nervosa” do A4. Na esfera do alto luxo, a também norte-americana Cadillac, da GM, marca presença com o sofisticado ATS, enquanto a concorrente Lincoln – da Ford – conta-ataca com o MKZ, uma verão mais refinada do novo Fusion. Já o alemão BMW ActiveHybrid 3 se encarrega de dar à renovada Série 3 uma pitada “ecologicamente correta”, tão ao gosto do marketing automotivo atual.

Aliás, os modelos que prometem reduzidos níveis de consumo e emissões têm lugar de destaque no evento – como ocorreu em qualquer motorshow desse século. A Volkswagen lança a versão híbrida do sedã Jetta – que, produzida no México, automaticamente entra na lista dos modelos cotados para desembarcar no Brasil.

E ainda mostra o conceito elétrico e-Bugster. Já o Volvo XC60 Hybrid por enquanto também é apenas um conceito, mas chegará rápido às linhas de produção da marca sueca. Na Ford, a versão Energi do novíssimo Fusion e o Focus elétrico também tentam agradar os consumidores “verdes”, mesma função que a Toyota atribui ao seu modelo de nome mais pomposo, o NS4 Advanced Plug-in Hybrid Concept – que também se propõe a ser um exercício de estilo.

Mas nem só de cupês e sedãs, híbridos e elétricos se faz o Salão de Detroit 2012. Mercedes-Benz SL e Porsche 911 Cabriolet travam uma batalha particular pelo título de conversível mais charmoso do evento. E irão também disputar consumidores abastados – e arejados – ao redor do mundo.

E o divertido Smart For-us, um misto de targa com picape, também se habilita ao posto de descapotado favorito do público. Nem tão leve, mas bastante instigante, é o monovolume 700C, um conceito que revela algo do que seria um futuro modelo familiar da Chrysler.

E modelos como o novo Nissan Pathfinder Concept, Maserati Kubang, Infiniti JX, Mazda Cx-5, Audi Q3 Vail e Buick Encore se encarregam de lembrar ao mundo que os utilitários esportivos, tão tipicamente norte-americanos quanto uma torta de maçã, ainda têm seus fãs incondicionais no maior mercado automotivo do planeta. Apesar dessa tal de globalização.

Principais destaques do Salão de Detroit 2012

Chevrolet Code 130R e Chevrolet Tru 140S

São dois cupês conceituais desenvolvidos pela General Motors com foco nos jovens e baseados na plataforma do Chevrolet Cruze. Com ares de um Corvette para quatro passageiros – traz até as clássicas bandeirinhas cruzadas na laterais –, o Code 130R é um cupê de três volumes e quatro lugares, equipado com tração traseira e uma frente agressiva. O conjunto mecânico é composto pelo motor 1.4 litro. O Tru 140S se destaca pelo design mais exótico e futurista, com perfil próximo ao do coreano Hyundai Veloster. Ele também conta com sistema start/stop e injeção direta de combustível, para melhorar o consumo de combustível. O motor e a transmissão repetem o conjunto mecânico do Code 130R. Ambos possuem ligação sem fio para internet e integração para o smartphone com o sistema Chevrolet MyLink.

Honda Accord Coupe Concept

Já é normal a Honda adiantar a nova geração do sedã médio-grande Accord para o mercado norte-americano com um conceito cupê em Detroit. Com a promessa de impor um estilo mais dinâmico e agressivo que da geração atual, o Accord Coupe Concept deve chegar às ruas dos Estados Unidos no segundo semestre deste ano, já como modelo 2013. A nona geração do sedã Accord aparece apenas no ano seguinte. O modelo tem versão especifica para os Estados Unidos – a mesma importada para o Brasil – e é diferente do vendido no Japão e na Europa.

Acura NSX Concept

Apresentado com o emblema da Acura, divisão da Honda que cuida de veículos com foco em desempenho e luxo, este protótipo adianta a próxima geração do NSX, superesportivo que deve chegar às ruas em três anos. Com clara inspiração no bólido original, sucesso nos anos 1990, conhecido como a Ferrari Japonesa, o NSX conceitual é animado por propulsão híbrida, composta pelo V6 a gasolina com mais de 300 cv de potência, responsável por girar as rodas traseiras, e por dois motores elétricos, que somam 100 cv e cuidam da tração dianteira. O conjunto é acoplado a uma transmissão automatizada de dupla embreagem com sete velocidades.

Lexus LF-LC Concept

A missão deste conceito é adiantar o visual da próxima geração de modelos da divisão de luxo da Toyota. Com motorização híbrida, trata-se de um cupê 2+2. O que mais chama a atenção no LF-LC é a dianteira com design agressivo e futurista. As linhas repletas de curvas e vincos também intensificam a vocação esportiva. Apesar disso, as vendas tímidas do superesportivo LFA devem impedir que o conceito chegue às vias de produção.

Hyundai Genesis Coupé

Apresentado pela primeira vez em 2008, o Genesis Coupé finalmente ganha visual em dia com os lançamentos mais recentes da Hyundai. A referência de “escultura fluida” está presente nas novas linhas, que acentuam ainda mais o apelo esportivo do cupê baseado no luxuoso sedã Genesis. Mas as novidades não se restringem à aparência. A motorização, composta de propulsores de quatro cilindros e V6, passou por ajustes para melhorar o desempenho e a eficiência energética. Além disso, há a incorporação da transmissão automática de oito velocidades, com opção de trocas manuais por borboletas no volante.

Ford Fusion

Uma das novidades mais aguardadas do evento, a nova geração do sedã da Ford é um carro global – em alguns mercados, como Europa e Argentina, herda o nome Mondeo. Já chega aos Estados Unidos com quatro versões de motor: a gasolina 1.6 e 2.0 litros, híbrida e híbrida plug-in. São três versões de acabamentos e equipamentos – S, SE e a top Titanium. O desembarque no mercado brasileiro, onde a geração anterior é vendida desde 2006, está previsto para o início do segundo semestre, nas versões 2.0 litros e híbrida.

Dodge Dart

Desde que a Fiat assumiu o controle da Chrysler, em junho passado, os carros do grupo norte-americano começaram a ser convertidos em modelos italianos, como o Fiat Freemont, a partir do Dodge Journey, e o Lancia Thema, originado do Chrysler 300C. Agora, o Dodge Dart marca o primeiro modelo norte-americano desenvolvido a partir de um italiano, no caso por meio de uma plataforma alargada do Alfa Romeo Giulietta. O sedã ressuscita o nome do clássico dos anos 1960 e 1970, mas com dimensões compactas e a atualíssima proposta de melhorar o consumo.

BMW ActiveHybrid 3

Na carona da nova geração do Série 3, a BMW apresentou em Detroit a variante híbrida de seu carro-chefe. O sedã alemão é empurrado por um motor 3.0 litros turbo com 300 cv, que trabalha auxiliado por um propulsor elétrico que desenvolve potência máxima de 55 cv. Em modo combinado, a potência chega aos 355 cv. O sedã tem tração traseira e transmissão automática de oito marchas. A BMW anuncia consumo na ordem de 16 km/l.

Volkswagen e-Bugster Concept

A Volkswagen já havia prometido uma versão conceitual elétrica da nova geração do Beetle, mas o e-Bugster mostrado em Detroit não se limita a trocar apenas a propulsão do famoso besouro. O design também recebeu modificações significativas, com destaque para o teto 9 cm mais baixo e os para-choques com leds. Com o motor elétrico de 85 kW – 115 cv – e baterias de íons de lítio, este protótipo de Fusca tem autonomia de 160 km. Em modo de recarga rápida, 80% da capacidade das baterias podem ser preenchidos em apenas 30 minutos.

Volvo XC60 Hybrid Concept

Com a promessa de chegar ao Brasil entre 2014 e 2015, o SUV híbrido da marca sueca foi apresentado em Detroit ainda como conceito. O utilitário combina o novo motor a gasolina com 280 cv e quatro cilindros – que promete o mesmo desempenho do antigo de seis cilindros – a um propulsor elétrico de 70 cv, acoplado a um câmbio automático de oito velocidades. No modo elétrico, a autonomia é de 45 km. Em modo híbrido, a Volvo anuncia consumo médio de 43,4 km/l.

Toyota NS4 Advanced Plug-in Hybrid Concept

Referência na aplicação de tecnologias híbridas, a japonesa Toyota tem no conceito híbrido plug-in NS4 sua proposta mais avançada para a mobilidade no futuro. Além da utilização de fontes alternativas de energia, o NS4 foca na conectividade e na segurança. Na apresentação do modelo, a Toyota cita parcerias com empresas como Microsoft e Salesforce, que irão criar recursos que transformarão o modo como o usuário se conecta ao veículo. Uma das principais novidades é a interface homem-máquina, que concentra todos os comandos em um aparelho multimídia do tamanho de um smartphone, permitindo que o veículo “memorize” as preferências do condutor mesmo à distância.

Mercedes-Benz SL

O notório conversível de dois lugares da Mercedes já acumula uma tradição de 60 anos e chega à sexta geração como um dos ícones de esportividade da estrela de três pontas. O novo SL se destaca pela utilização intensa de alumínio em sua construção, o que significou redução de até 140 kg em relação ao modelo anterior. O design mais agressivo incorpora faróis mais largos e luzes diurnas com leds. Mais comprido – 5 cm – e mais largo – 5,7 cm – que o antecessor, o roadster é animado pelo V8 de 4.6 litros e 435 cv na versão topo de linha SL 500, mas também recorre ao V6 de 306 cv na SL 350. De série, o sistema start/stop e a transmissão automática de sete velocidades melhoram o consumo.

Porsche 911 Cabriolet

De olho no mercado norte-americano, que deve representar 25% das vendas globais da Porsche em 2018, a fabricante alemã tratou de apresentar a versão conversível do novo 911 em Detroit. O 911 Carrera Cabriolet chega às ruas do país em março e traz o mesmo 3.4 litros boxer de 350 cv da versão com teto. A variante mais apimentada Carrera S tem propulsor boxer de 3.8 litros e 400 cv. A esportividade tradicional dos Porsche é garantida pelo câmbio manual de sete marchas.

Smart For-us

A também alemã Smart criou um pequeno mimo para o consumidor norte-americano, historicamente apaixonado por picapes. Como a marca do grupo Daimler não tem qualquer tradição no território das grandalhonas como Ford F-250 e Chevrolet Silverado, o resultado foi a pequena For-us. A picapinha tem apenas 3,5 metros de comprimento, 1,5 m de largura e 1,7 m de altura. A minicaçamba de 90 cm de comprimento é equipada com tomadas para carregar as baterias da bicicleta elétrica da marca. O motor elétrico de 56 kW, 75 cv, é o mesmo do ForTwo ED. O nome do conceito tem duplo sentido: pode significar “para nós” ou “para os Estados Unidos”. Mas a homenagem dificilmente verá as ruas e deve permanecer apenas no campo conceitual.

Chrysler 700C Concept

Esta minivan elétrica pode adiantar linhas das próximas Chrysler Town & Country e Dodge Grand Caravan. A apresentação do protótipo em Detroit tenta jogar luz no segmento de monovolumes, em queda nos Estados Unidos. Com design de linhas arrojadas, a 700C tem visual mais próximo aos modelos da italiana Lancia do que com a atual gama da marca norte-americana. O interior privilegia o acabamento cuidadoso e a funcionalidade, com diversos porta-objetos. A 700C comporta até sete passageiros.

Nissan Pathfinder Concept

A quarta geração do utilitário esportivo japonês teve suas linhas adiantadas por este conceito. O Pathfinder de produção deve chegar às ruas em setembro, já como modelo 2013, e seguirá o visual indicado pelo protótipo mostrado em Detroit. O SUV compartilha a plataforma de Infiniti JX e Nissan Murano e promete mais espaço interno e melhor acabamento, para fazer frente a rivais como Ford Explorer, Jeep Grand Cherokee e Dodge Durango no mercado norte-americano. O Pathfinder Concept tem um propulsor V6 de 3.5 litros e 268 cv, combinado com um câmbio de transmissão continuamente variável e tração integral. De acordo com a Nissan, este conjunto mecânico proporciona economia de combustível de até 25%, fazendo do Pathfinder o SUV de sete lugares mais eficiente do mercado.

Buick Encore

A General Motors do Brasil não pretende ficar de fora do segmento de crossovers e utilitários compactos, ainda mais disputado após a chegada do Renault Duster e a apresentação do novo Ford EcoSport. A solução pode vir do Buick Encore, que usa a mesma plataforma da quarta geração do Opel Corsa e é 25 cm menor em comprimento que o Chevrolet Captiva. O crossover pode chegar a mercados emergentes, como o Brasil, ostentando o emblema da gravata dourada. Na Europa, ele veste a roupa da alemã Opel e será rebatizado de Mokka.

Por Auto Press





  • AutomotiveEngg

    Há um caráter cíclico no porte dos carros norte-americanos:

    1. Durante crises econômicas: carros diminuem de tamanho e peso;

    2. Durante períodos de normalidade econômica: carros aumentam de tamanho e peso.

  • FAELTIMAO

    Belos lançamentos,pena que de todos esses apenas um está confirmado aqui,o Fusion…….

    • Alex_JW

      Pois é, não entendo direito essa tal "globalização".

      Um exemplo é a nova, e bela, EcoSport. Enquanto outros mercados ganharão o moderno motor EcoBoost (mais econômico), ficaremos com o Sigma e Duratec (sem querer dizer que são ruins, aliás nem tenho conhecimento técnico para tanto).

      Enfim, ao menos por fora os carros já começam a ficar iguais, mas isso é muito pouco para o preço que pagamos, sustentando assim o luxo dos mercados americano, europeu…

      É duro ser brasileiro.

  • granrs78

    Esse Buick que possivelmente será vendido no Brasil com a marca GM, tem tudo para se dar bem no segmento de Suvs compactas, se não forçar no preço, pois em beleza, para mim está melhor até que o belo projeto do novo Ecosport. A briga promete esquentar, e quem ganha com isso somos nós.

  • expresso222

    Muito bonito este Buick Encore, mas se vier para cá e colocarem a frente de Ágile/Cobalt vai estragar este belo design!

    • Davi8U

      So esta faltando a grade e o emblema da Chevrolet porque os farois sao parecidissimos com o do Agile/Cobalt. Prova de que em alguns casos esses farois caem bem.

  • Jr_Jr

    Esse Dart é incrivelmente lindo!!

  • RafaelPimenta

    na minha opiniao, o Code, tru, Accord, Genesis e LF-LC sao mto lindos. o NSX parece um R8 com modificaçoes. mas ainda sim lembra um R8

  • allan2m

    Esse Fusion global na verdade é um Mondeo que vira para o Brasil com o nome de Fusion, meu pai tem um Mondeo (se não me engano 2004) e esse "Fusion" se aparece mais com o Mondeo do meu pai do que com um Fusion.
    Se ele tiver as dimensões de um Mondeo será melhor ainda, o Fusion é um bom carro mas o Mondeo (principalmente os novos que vendem na argentina) são incríveis, diferente do Fusion não parece estar dirigindo uma barca no transito.

    • Davi8U

      A proposta da Ford Americana e Europeia e de unir os dois em um so nome. Ainda nao ficou definido se o nome definitivo sera Fusion ou Mondeo. Acho que o nome Mondeo pro Brasil e Europa leva mais peso porem com o sucesso recente do Fusion em vendas nao se pode desprezar um pelo outro

  • vini_c_a

    Nossa aquele Chrysler 700C parece até um Ssang Young!

  • Alex_JW

    Esse Dodge Dart está simplesmente indecente.

    Uma mistura intessante italo-americana.

    Dos carros que vi acima, foi o que mais fugiu do lugar comum, ou seja, dos carros da Hyundai e Kia (longe de querer dizer que são feios, muito pelo contrário).

    Infelizmente não acredito que a Fiat o traga para cá (torço para que o faça), e se o fizer, talvez fique com o preço acima do que esperamos.

  • dipereira0123

    esse novo fusion ficou… Horrivel… o design kinect que era lindo lindo foi abandonado =(

    agora.. olhando o tru s140 até que da pra engolir, melhor que o lerdoster
    genesis coupe – todo carro deveria ter essa traseira e akeles farois de neblina… lindos d+

    O NSX é lindo, futuristico, olhando essa frente parece o optimus prime rersrsrsrs ficou quase tão bom quanto o i8 da bmW

  • DiMais

    o 700C é um Lancia qualquer coisa, mas nunca um Chrysler, logo aparece em algum salão Europeu também com o logo da italiana já que serão praticamente a mesma marca..

  • Alvarenga1

    Realmente os mercados estão mais próximos, e estariam mais ainda se aqui no Brasil não houvesse um sumidouro de dinheiro chamado governo, onde jamais se reduz imposto, apenas se aumenta.
    Qualquer um dos veiculos mostrados poderia ser comprado aqui por pessoas de classe media, não fosse a absurda carga de impostos e regulação "entre amigos" promovida pelo governo.

    • Alex_JW

      Alvarenga, se esqueceu da margem de lucro estratosférica praticada pelas Montadoras.

      De boazinhas elas não têm nada.

    • Davi8U

      Alvarenga, certamente se o governo nao praticasse o abuso o povo estaria num patamar bem aquem da que vivemos hoje. Infelizmente como ninguem tem coragem de questionar (tiramos os ministros do poder sem eles terem que ser julgados ou devolverem o que roubaram) deixamos o Governo que elegemos e que representa o seu povo meter a mao no nosso bolso e leva o que ele quer.



Send this to friend