Estados zeram impostos contra alta da gasolina nos EUA

Já falamos que tanto lá quanto cá, a gasolina está bastante cara e, da mesma forma, uma guerra política está sendo travada para conter a alta dos combustíveis.


Em ano de eleições nos EUA e no Brasil, ninguém no poder quer perder o próximo voto e medidas extremas já estão sendo feitas para segurar os preços nas bombas.

Nos EUA, pelo menos seis estados decidiram zerar os impostos sobre gasolina e diesel nos próximos meses, de modo a segurar a aceleração do preço do galão (3,78 litros).

Por lá, a carga tributária sobre os preços da gasolina e diesel representam, nas bombas, 12% e 11%, respectivamente. Parte disso pertence aos estados.

Em Nova Iorque, o governador determinou a eliminação dos impostos estaduais até o fim do ano, gerando assim uma economia de US$ 609 milhões aos motoristas.

Na realidade americana, os preços dos combustíveis são gerados pela cotação do petróleo, margem de refino, distribuição e marketing e impostos locais.

Nos EUA, vários postos já estão cobrando US$ 6,00 o galão, o que é bastante alto para o mercado local, onde a média em maior era de US$ 4,60/galão.

Os estados de Connecticut, Geórgia, Maryland, Nova Iorque, Flórida e Kentucky, zeraram impostos diante do próximo aumento da gasolina, estimados entre US$ 0,09 e US$ 0,25 por galão, dependendo a região.

Nem todos os estados cortaram os impostos de diesel e gás natural, entre outros, mas a gasolina é o alvo principal, já que ela move especialmente automóveis e a maioria das picapes.

No país, 36 governadores serão eleitos em 2022 e a corrida para a reeleição é o combustível para baixar impostos e dar incentivos para manter os preços baixos.

Aqui, em ano de eleição presidencial, várias tentativas já foram feitas para brecar o avanço dos preços, envolvendo tanto governo federal quanto estados.

Agora são as conexões políticas para as eleições que tentam segurar o que até agora não tem freio, os preços dos combustíveis…

[Fonte: Poder360]

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.

Deixe um comentário