EUA Gadgets Mercado

Estudo indica que aplicativos de transporte reduzem vendas de automóveis

suv-dealer Estudo indica que aplicativos de transporte reduzem vendas de automóveis

Tenho aplicativo de transporte, logo não preciso de carro. Esse pode ser o pensamento de muita gente que utiliza apps como Uber, Cabify ou 99, por exemplo. Se para os usuários é uma boa alternativa ao táxi e ao transporte público, por outra impacta diretamente nas vendas de automóveis, de acordo com um estudo nos EUA.



Os departamentos de tecnologia Transportation Research Institute e Texas A&M Transportation Institute, respectivamente das Universidades de Michigan e Columbia, realizaram um estudo na cidade americana de Austin, Texas, sobre o impacto de aplicativos de transporte sobre as vendas de automóveis.

O levantamento apontou que em áreas bem servidas por aplicativos de transporte, as vendas de automóveis tiveram ligeira queda. E não apenas isso, além de um volume menor de emplacamentos, a pesquisa indicou que as viagens com automóveis caíram substancialmente.

Mas como se chegou a esse resultado? Os dois institutos aproveitaram uma proibição local que interrompeu os serviços de transporte por aplicativo na região. Assim, a pesquisa entrevistou 1.200 dos antigos usuários. O levantamento apontou que 41% dos entrevistados passaram a usar o próprio carro – até então deixado de lado – para cobrir o vácuo deixado por Uber e Lift, os apps que funcionavam em Austin. Para outros 9%, a saída foi adquirir um veículo para atender suas necessidades.

Apesar de a pesquisa ter sido feita apenas em Austin, o impacto de Uber e Lift no mercado americano não é isolado. A locação de automóveis, um negócio que surgiu nos EUA há 101 anos, está em decadência. As empresas Hertz e Avis, as maiores do setor no país, alteraram suas projeções de lucros. O problema é um conjunto de ações e influências externas que estão levando o setor para um caminho bem ruim.

Nas ações, as locadoras acabaram por adquirir um grande número de veículos, acima da demanda verificada, gerando assim um enorme prejuízo na revenda, pois o mercado de usados não comporta grandes volumes no momento. Além disso, clientes corporativos e particulares estão começando a trocar o aluguel de carros por aplicativos de transporte, que possuem serviços mais especializados no momento. A imagem do carro de aluguel passou a ser de um veículo antigo e pouco atraente.

Isso porque muitos clientes acham dispendioso ir até um local designado para sair dirigindo e, em certos locais, enfrentar filas e preencher vários papéis para poder alugar um carro. Com o aplicativo de transporte, basta usar o smartphone e alguém chegará para pega-lo. Assim, como visto, as locadoras americanas ainda insistem na velha filosofia, enquanto os apps estão na vanguarda.

Mas, ao contrário do que ocorre no Brasil, onde o mercado ainda é imaturo, nos EUA o maior temor das locadoras é o carro autônomo, quando este buscar também aqueles que não desejarão mais dirigir ou que não serão mais obrigados a tirar licenças para dirigir.

[Fonte: Reuters/Bloomberg]

  • AugustoSeide

    Eu mesmo sou um exemplo. Depois que o Uber chegou aqui em Itajaí, não tenho mais intenção de comprar um carro e arcar com todos os custos disso.

    • Zergling

      Eu também, desde que vendi um 206, o cara não transferiu, levou 20 multas e eu perdi minha carteira. Entrei na justiça, ganhei indenização e a justiça ordenou o detran transferir o carro. Eu teria que tirar outra carteira, mas com os aplicativos, isso já não compensa pra mim, fora que sai 1/3 do valor mensal de manter um carro (comparando ao HB20 1.6 aut. que tinha comprado quando vendi o anterior), além de ser muito mais confortável.
      Eu conheço vários jovens de 18 anos que não querem dirigir por que, é claro, além dos aplicativos, a burocracia de ter que tirar uma habilitação que é cara e exige muito tempo.

      • Edson Fernandes

        Caraca habilitação no Brasil exige muito tempo?

        Coitado deles que não sabem o que é tirar carta em outro lugar então…

        • Zergling

          45h de aula teórica + 25h de aula prática é MUITO tempo.

          • Edson Fernandes

            Não é não. A demonstrar que as pessoas saem ainda assim semi preparadas, melhor ter horas de teste do que ficar do jeito ue é hoje com pessaos que não sabem dirigir ou desinteressadas a ler as placas de sinalização.

            • Pedro Henrique

              sim, 45h de aula teorica e 25h de pratica é muito pouco tempo
              na verdade é muito de teorica e pouco de pratica…

              • José Antonio Dos Santos Barbos

                Isto num cenário ideal. A maioria, até por fazer de qualquer jeito, gasta muito mais tempo em aulas e testes perdidos.

                Mas eu sou um dos que espera ansiosamente pelos autônomos. Hoje em dia ter carro é uma apurrinhação.

          • Depois que você vir o rombo no cartão de crédito passa a ser pouco.

        • Michel

          Coitado deles que não sabem o que é tirar CHT (carta pra pilotar avião) piloto privado, piloto comercial, mono motor, multi motor, instrutor, simulador ifr, etc,,,e ainda mais quando vc tem um órgão pior que o detran, nossa querida ANAC.

          • Aristarco Pederneiras

            Verdade, fiz os cursos pra PP, passei na ANAC, mas não consegui a grana toda nem para as aulas de PP. Complicado mesmo, sem contar que em outros países isso é bem mais simples e barato. Mas essa geração mais nova pensa diferente, eles não querem mais tirar carteiras de carro, moto, caminhão, barco, avião e etc. Não tiro a razão deles até, mas, eu ainda prefiro a privacidade e o prazer de dirigir/pilotar sozinho.

        • Qual outro lugar por ex. ? Porque nos Eua vc tira em um dia.

      • Michel

        Concordo com vc, eu mesmo estou doido pra voltar a morar em sp, na frente do aero, pra não precisar mais ter carro.

    • leandro

      recentemente fui a Gramado-RS, como meu voo chegava as 23h00 e já não tinha ônibus e estávamos em 3 pessoas pensei em alugar um carro na Localiza do aeroporto de POA e devolver na Localiza de Gramado. Ao fazer as contas só a taxa para entregar o carro no lugar diferente de onde retirou ia custar R$135, isso fora a gasolina, pedágio e o aluguel…. Então pedi um Uber e ficou por 180 reais pra me pegar no aeroporto e me deixar no Hotel em Gramado… Fiquei tão satisfeito com o serviço que ainda dei 50 reais de gorjeta pro senhor que era o motorista pagar os pedágios

      • klaus

        legal! sou de POA e estava curioso em saber quanto custaria um Uber entre cidades assim.

      • Edson Fernandes

        Leandro, saiba que o valor de R$180 já estava incluso o pedagio. Vc deu esse dinheiro para ele, já que vc já havia pagado no ato do aceite do serviço.

        • leandro

          Como eu disse, os 50 reais foi gorjeta.

          • Edson Fernandes

            Ah, ok, entendido agora.

    • Leonel

      Por isso eu defendo que a educação é a base de uma sociedade civilizada e inteligente. A educação financeira faz toda a diferença. Imagina se todos (ou ao menos a massa) fizesse os devidos cálculos entre a compra ou o uso de aplicativos de transporte? Pena que não é uma realidade.

      • José Antonio Dos Santos Barbos

        É o básico de países civilizados: utiliza-se transporte público para a rotina (trabalho e escola), e carro apenas nas exceções. Chique não é ter seu próprio carro, e sim poder usar o transporte público (ônibus ou metrô) de boa, confortável e seguro.

    • Gustavo Adriano

      Augusto, também sou de Itajaí e realmente tenho pensado da mesma forma, meu pai possui um C3 e utilizo ele quando realmente preciso. Utilizo o transporte público para vir para Balneário trabalhar, e a opção do Uber veio muito a calhar, acho que daqui em diante, carro só se eu realmente achar necessário e isso é uma evolução.

  • Hater x Haters

    Só estou esperando o Uber chegar na minha cidade para me livrar de um dos carros. Ficarei apenas com um.
    Combustíveis caros, IPVA, seguro, estacionamento, lava-jato…carro, mesmo que um “popular”, virou item de luxo e não estamos mais dispostos a arcar com esses custos altos.

    • Zergling

      Fiz a mesma coisa. Já uso há mais de 2 anos aqui em Brasília. Hoje só tenho um carro que é usado apenas pela minha esposa pra carregar as crianças, por causa das cadeirinhas (2 anos e outra de 3 meses).

    • João Cagnoni

      Fica tranquilo que lava-jato vai acabar.

  • Guilhe

    Se colocar na ponta do lápis não compensa ter carro nos grandes centros urbanos, dá para se virar muito bem usando os APP e quando necessitar viajar é possível alugar um carro por semana ou num Fds.
    Sempre que saio com a minha esposa, se considerar o ônibus ou metrô são 3,80 para cada, dão 7,60, é muito melhor pedir um motorista e gastar 15, de porta a porta.
    Mora na região central de SP e uso muito, pago entre 10 e 20 reais cada corrida, Qualquer restaurante com vallet ou estacionamento vc paga entre 10 e 30 reais, mais o combustível e o risco de acontecer qualquer acidente que pode ocasionar diversos prejuízos, por enquanto tenho carro e ele tem saído muito pouco da garagem, devo colocar para venda logo.

    Eu uso muito um APP que compara os preços entre Uber, Cabify, 99 TAXI e Easy Taxi e sempre rola uma promoção que só fico sabendo por esse APP, chama-se “VAH”, fica a dica. É muito útil.

    • João Cagnoni

      Pra mim é inviável ir trabalhar de Uber. 20km de estrada, estacionamento barato (R$150) e consumo de 14km/L. Meu sedan médio é antiguinho (2007), mas muito confortável, não teria o mesmo conforto andando de UberX e essas porcarias, mas sou pobre demais para usar Black todos os dias. Aqui o X está R$35 e o Black R$53 para cada viagem. Eu não gasto mais do que R$5 de combustível com meu carro neste percurso. Eu sei que existem vários outros custos, mas o combustível é de longe o mais caro. Andar de Uber pra mim representaria um aumento na faixa de 45 reais por viagem (2 mil reais a mais por mês). Eu até gosto da idéia de trabalhar dentro da viagem do Uber, mas fico enjoado muito fácil como passageiro de um carro, não consigo ler ou até mesmo ficar usando o celular sem passar mal. Entretanto, eu utilizo o serviço para determinados lugares, principalmente onde a distância é curta e o estacionamento é caro.

      • Guilhe

        Sim, cada caso é um caso, como trabalho perto de casa, vou a pé, até em dias chuvosos, então o Uber é sempre uma opção para saída a Shopping, Cinema , aeroporto e Restaurantes, praticamente só uso o meu carro para ir na casa do meus pais distantes 30km e supermercado.

        • João Cagnoni

          Verdade! Supermercado eu não usaria, já faz um tempo que compro online. Apesar dos valores maiores, eu também trabalho em casa, então consigo mais dinheiro trabalhando do que “economizando” indo até ao supermercado. Uma alternativa bem interessante são os carros alugados por hora, dependendo do percurso vale a pena.

          • Edson Fernandes

            Até alugar por diaria a depender da situação vale a pena. Dar o meu exemplo atual: Viajo todos os dias para Sorocaba.

            O meu carro deu problema em uma bobina e eu acabei alugando um carro para rodar. No final das contas, meu reembolso paga e me sobra uma graninha. E pensando pelo lado “automovel”: Se fosse assim para cada cliente que eu fosse, eu iria abandonar meu carro para usar um alugado. Sai mais barato do que manter meu carro.

      • José Antonio Dos Santos Barbos

        Seu caso é exceção, a maioria dos motoristas brasileiros não anda mais do que 1.000 km/mês, mas seria o exemplo de quando vale a pena ter carro.

  • durango

    Um prefeito como o ex de São Paulo, é muito pior que qualquer aplicativo destes.
    “Bom dia Paulistano, em que posso te atrapalhar hoje ?”

    • Ernesto

      E as ciclofaixas ainda estão aí, pouco utilizadas. Realmente o Suvinil foi péssimo!

  • Felippe Bandeira

    Não é difícil imaginar os motivos pelos quais o jovem de hoje opte por um Uber do que ter um carro (pelo menos no Brasil): carros por preços absurdos, processo para tirar CNH lento e caro, falta de emprego e perspectiva, IPVA, gasolina mais cara do mundo, violência desenfreada que aumenta os custos com seguro, etc…

    • Ubiratã Muniz Silva

      e tem o lado cultural também.

      antes dos aplicativos, o jovem que queria sair, dependia de terceiros (família) ou de esperar os tão ansiosos 18 anos pra tirar a carta e ter sua “independência”. eu mesmo sou dessa “geração” do “antes de ter sua carteira você não é ninguém”.

      em que pese ser vedado o uso do aplicativo por menores desacompanhados, é o que acontece. a “independência” da garotada vem mais cedo, e juntando ás perspectivas de economia consciente, meio ambiente e outros fatores de influência do século XXI, eles hoje perguntam-se “carro pra quê?”

      • Sem falar que com Uber se pode beber, e dirigindo, não.

  • Martini Stripes

    A vá

  • klaus

    dependendo do perfil da pessoa e onde mora, realmente é um bom negócio! ainda mais se conseguir associar ao hábito de pedalar e utilizar algumas linhas de bus/metrô em certos horários mais tranquilos.

  • André Andrews

    Esses aplicativos já são os carros autônomos tão desejados por muitos.

    Já podemos notar a tendência de que só terá automóvel quem gosta de guiar.

  • Ricardo

    Uber é mais barato que táxi mas continua sendo caro!

  • Elfo Safadão.

    Eu uso bastante (pelo menos 7 vezes por semana) esses serviços e não penso dessa forma, não é que eu não precise de carro ou de comprar um carro novo, mas sim quanto o que um carro faz de diferença na minha locomoção diária, se for meu o veículo, UM CERTEZA EU TEREI: Vou me preocupar com um monte de coisas que podem ser evitadas no uso do serviço de transporte, como verificar a pressão dos pneus antes de sair de casa para trabalhar, já que o trajeto é longo de casa para o trabalho, se tem combustível os suficiente para voltar e quanto tá o preço da gasolina, onde estacionar, se tem segurança no local onde parei (quando tem lugar para parar o carro), transito no horário de Rush, o risco de acontecer uma acidente por causa dos”barbeiros” ( não adianta nada dirigir com cautela sem tem um bando de navalheiros na estrada… Nesse quesito eu só vejo vantagens. Mas quando o assunto é viajar o carro tem que ser meu, eu sei o quanto de tempo tenho para aproveitar nos fins de semana e feriados (dirijo com segurança, mas no meu ritmo, não curto motorista roda presa), nessas ocasiões os valores das corridas ficam mais caros e não dá pra ficar viajando com a família no carro dos outros, a não ser que seja o que o sogrão emprestou.
    Tendo esse tipo de pensamento cheguei a seguinte conclusão: Ter um carro é bom? Sim, é… Mas tem as ocasiões específicas pra usar, no caso do trajeto para o trabalho é ótimo usar o serviços do Uber, mas quando preciso viajar, visitar parentes aos fins de semana, fazer compras ou até mesmo ir pro rancho vou no meu carro, no meu ritmo, se perdi algum tempo com algo a culpa é minha e não de terceiros…

    • Ducar Carros

      Sai mais barato alugar um para os finais de semana, do que ter um carro.

      • Elfo Safadão.

        Pena que na minha cidade não tem locadora.
        E usar o Uber só em Brasília, para ir ao trabalho tem que pagar uma van alugada, pra voltar a mesma coisa, fica R$370,00/mês pra cada passageiro sendo que são 8 daqui da minha cidade e mais 6 da cidade vizinha, acho que vou virar motorista de van.

  • Edson Fernandes

    Quando eu trabalhava no centro ou na zona sul (porém centro de lá) eu usava Uber. Sai coisa de R$200 mais barato que pagar estacionamento + combustivel. Isso que não contabilizei os gastos com desgaste do carro.

    Eu digo mais: Só o fato de vc não precisar caminhar para o estacionamento (eu pagava R$15 por dia) numa rua escura e alguem te pegar na porta, é um alento. Em dias muito frios ou chuva então… vc agradece por isso. Como eu gosto de Uber, uso muito para essas situações. Para locais mais distantes ou fora de mão, uso meu carro. Se o local permite acesso facil de onibus ou metro, uso eles.

    Ou seja, na pratica eu deixo de utilizar meu carro em uma série de situações. Não tem sido as atuais…rs mas a depender da situação é a melhor.

  • Ducar Carros

    Com o carro autônomo a situação vai piorar muito para as montadoras. Teremos Táxi/Uber 24 horas, em qualquer lugar, para qualquer lugar, pois o carro não terá horas ou lugar ruim para ir, pois não precisará ter motorista. Fará menos sentido ainda ter carro próprio.

  • Handlay P.B.

    A maioria da humanidade não tem paixão por carros, os jovens idem, preferem aparelhos eletrônicos. No futuro com esses apps e os carros autônomos, as massas vão comprar menos carros e vão adorar não ter + que dirigir.

  • FrankTesl

    O uber está fazendo com as locadoras de carro o que o netflix (e também os ‘torresmos’) estão fazendo ou já fizeram com as locadoras de DVD
    Mas como todo nova tecnologia, novo modo de pensar, as resistências ainda são imensas, então dá-lhe perseguição judicial ou mesmo ataques contra o uber

  • Daniel Baldasso

    UBER ESTÁ DANDO ATÉ R$50 EM DESCONTO. É SÓ CADASTRAR-SE COM O CÓDIGO: KZEIHZ

  • Ubiratã Muniz Silva

    na época em que eu trabalhava de Uber, tinha alguns passageiros frequentes (por conta dos meus horários de saída de casa) que se enquadravam nessa categoria do “deixei de ter carro pra usar os aplicativos”.

    sim, se colocar no papel todas as despesas com um carro, como combustível, seguro, impostos, depreciação, estacionamento (esse bem caro em algumas cidades) e outros, não compensa ter um carro.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend