Chevrolet EUA Hatches Montadoras/Fábricas Sedãs

EUA: empresário propôs comprar Cruze por 5 anos para manter produção

EUA: empresário propôs comprar Cruze por 5 anos para manter produção

Assim como a Ford pretende fechar as portas de Taboão, a General Motors fez e cumpriu promessa semelhante em Lordstown, Ohio. Nessa planta americana, a montadora fazia o Chevrolet Cruze, que se despediu no último dia 6 de março e levou consigo as chaves da instalação, que foi encerrada com a demissão de 1.500 trabalhadores.


Lordstown já havia sido um ponto de debate entre o presidente Donald Trump e a indústria automobilística americana, quando se discutia a geração de mais empregos no país e menos investimentos no exterior, notadamente no México, onde a GM também fazia o Cruze.

Mas, em seu derradeiro dia, a fábrica de Lordstown recebera uma última ação para salvar empregos e manter o Cruze em produção. E isso não veio nem do sindicato e muito menos da GM. Bernie Moreno apareceu na cena deste condado de Ohio com uma proposta para manter a instalação em funcionamento.

EUA: empresário propôs comprar Cruze por 5 anos para manter produção


Moreno teria proposto à GM, a compra de toda a produção do Chevrolet Cruze pelos próximos cinco anos. Isso garantiria os empregos e permanência do modelo em produção, mas provavelmente não no mercado americano. Isso porque o empresário de Cleveland, cidade do mesmo estado, quer lançar um serviço de aplicativo de transporte como Uber e Lyft.

O Cruze seria o carro principal desse serviço que, devido ao tamanho do mercado americano, poderia ser suficiente para manter a produção regular do médio da GM em dois turnos de trabalho.

A estimativa de Moreno – que tem redes de concessionários nos EUA – era de comprar entre 150.000 e 180.000 unidades. O sindicato UAW confirmou a proposta do empresário, que não revelou detalhes, pois eram confidenciais. A montadora também reconheceu que um acordo estava sendo negociado.

Porém, a GM reiterou que o segmento do Cruze está em declínio e que não é mais possível mante-lo em produção nos EUA e nem no México, já que ambos atendem basicamente o mercado doméstico americano. A resposta foi não.

Se a proposta de Moreno fosse atendida, seria a primeira vez que um modelo regular sustentaria um serviço de compartilhamento. É exatamente isso que a própria GM quer fazer no futuro, ter uma produção essencialmente voltada para o uso do produto e não sua posse, algo que chocou muita gente dentro e fora dos EUA. Entretanto, com seu próprio serviço via app.

[Fonte: The Vindicator]

EUA: empresário propôs comprar Cruze por 5 anos para manter produção
Nota média 4.5 de 8 votos

  • Mr. Pennybags

    (L) Iniciativa privada

  • Louis

    O mundo muda, a demanda por produtos muda, os empregos mudam. Se os saudosistas conseguissem manter antigos empregos, ainda estaríamos fabricando milhares de máquinas de escrever, e pagando ascensoristas.

    • Cesar

      Nem tanto. Ainda temos frentistas de posto e cobradores de ônibus.

      • Louis

        Pois é, eu preferiria encher meu próprio tanque e pagar menos pelo combustível, visto que todo o custo de manter frentistas é repassado ao consumidor. Mas os pelegos sindicalistas venceram esta.

        • Franco da Silva

          Boa parte do dia, os frentistas ficam escorados nas bombas, sem ter o que fazer. Seria só passar o cartão e encher o tanque. Qlq um faz…

          • DinhoRoxxx

            Cara eu acho que viraria um ponto de assalto sem o frentista com a falta de segurança publica e um lugar deserto onde o povo chega com dinheiro

        • Bruno Machado

          Você acha MESMO que sem o frentista você pagaria menos pelo combustível? É tipo o papo de pagar menos pela passagem de avião depois da cobrança da bagagem. Ou o papo de que se acabar o 13o o salário vai aumentar. Só inocente acredita.

          • TchauQueridos

            Como ainda tem muito inocente nesse mundo!

            • Jr

              Parece até que ele não conhece o país em que vive

            • Verdades sobre o mercado

              Fácil, fácil. Basta os postos oferecerem os 2 serviços (como aconteceu por um breve período há cerca de 20 anos). Bombas de auto-atendimento (com preço mais baixo) e bombas com frentistas. Quem quiser preço vai no auto-atendimento, quem quiser serviço vai no frentista. Você pode até afirmar que aí os postos vão colocar bombas de auto-atendimento com o preço atual e vão aumentar os preços das bombas com frentista, e digo que num primeiro momento isso pode realmente acontecer, mas existe uma coisa que se chama concorrência (mesmo com a força dos Sindipostos) que acaba forçando os preços para baixo, ou seja, depois tudo se acomoda.

              • Eder Tomate

                Nunca teve bombas com dois pecosp, tinha sim posto com frentistas e posto só com 2 para ajudar na pista.
                E o ptecp não caiu.
                Aumentou o lucro do dono de postos

              • As 2 opções já existem no supermercado imperatris aqui de florianopolis SC, vc pode ser atendido no caixa normal ou se autoatender, porem não tem desconto nenhum se autoatendendo, isto prova que o lucro vai vir só pra empresa que vai justificar pagar mais caro pela manutenção do auto atendimento, maior furada isso, é só mais serviço pra nos mesmos sem pagar menos e causando desemprego.

          • Cássio

            O maior gasto do posto de gasolina é com folha de pagamento.
            Se reduzissem os funcionários, o custo de se manter o posto reduziria bastante.
            Mas aqui existe o Lucro Brasil, logo, essa diminuição do custo não seria retirado do consumidor. Iria para o bolso do dono do posto.

            • leitor

              O maior gasto do posto de combustível são os impostos. Os postos acabam trabalhando para o governo. Isso sim que deveria ser privatizado. Mas com a principal cláusula, o preço mais baixo. Senão é tiro no pé, vai abrir muita concorrência.

              • Ricardo Gasparino

                Posto de gasolina praticamente não paga imposto. É tudo retido na fonte: ST (substituição tributária). Quem paga é a distribuidora.

                • leitor

                  Dá no mesmo. A distribuidora repassa tudo.

                  • Ricardo Gasparino

                    Não dá no mesmo camarada! Corrigido sua frase inicial, pois esta errada, o mais gasto do posto de combustível é o custo do combustível.

                    • leitor

                      Não diga!

                  • Ricardo Gasparino

                    Não dá no mesmo camarada. Corrigindo sua frase inicial, que esta errada, o maior gasto do posto de combustível é com o próprio combustível.

              • Verdades sobre o mercado

                Na verdade o posto de combustíveis não paga imposto sobre a venda de combustíveis. O combustível é um produto que é submetido ao regime de substituição tributária, ou seja, os impostos incidentes sobre a venda final já são todos recolhidos antecipadamente pela distribuidora. O mesmo acontece com automóveis onde os impostos jobre a venda à varejo já são recolhidos pelos fabricantes e/ou distribuidores. As css não recolhem impostos sobre a venda de automóveis.

            • Olha, apesar de nunca ter tido acesso a contabilidade de um posto de combustível sei que a maioria aluga o terreno onde tem o estabelecimento. E o aluguel de um terreno grande numa avenida movimentada em um capital com certeza é maior que o custo da folha salarial. Um terreno de esquina no centro de São Paulo pode chegar tramquilo a uns 150 mil mês.

              • Allysson Santos

                Mas a obrigação legal vale para todo o Brasil, não apenas São Paulo. Nem toda cidade tem estes aluguéis caríssimos, além disso lembre que além do salário, o empregador tem que pagar todos os direitos trabalhistas, insalubridade e adicional noturno, fora os custos com assalto ao posto, que quase sempre visam os frentistas.

                Se uma rede de postos deixa apenas 30% dos postos com frentistas para comodidade do cliente e os outros recebam dinheiro apenas de forma automática, os custos caem muito.

                Cabe a concorrência entre os postos derrubar os preços para o consumidor, principalmente com atuação incisiva do MP para evitar a formação de cartéis, este sim a pior coisa para o consumidor e o que impede o preço de cair.

                • leitor

                  A concorrência é quase inexistente se os lucros não são consideráveis ou razoáveis.

              • Cássio

                Eu disse com base no que diz um primo da minha esposa, que tem posto de gasolina em Minas Gerais.
                Mas você pode ter razão sobre o custo do aluguel ultrapassar o custo de pessoal. Mas 150 mil o aluguel? Ou vc viajou ou estou muito por fora mesmo.

          • Louis

            No médio prazo sim, a tendência é ser revista as margens, talvez não 100%. Mas há concorrência. Para quem acha que ter posto é lucro fácil, tente abrir um. Ou se procurar nos classificados, deve ter alguns sendo vendidos. Aí quero ver se é tão fácil ganhar rios de dinheiro, como vocês sempre dizem.

            • Tosca16

              Na época de meu ensino médio fizemos o teste da qualidade da gasolina aqui na cidade, apenas um ou dois passaram, e justamente um posto que na época nem bandeira tinha mais; pequeno, e no centro da cidade, na época sem espaço nem para crescer. E a rede que mais tem postos aqui, bandeira da Petrobrás, eu não abasteceria nem a Shineray que tinha hehe.

              • Louis

                Que há vários postos “picaretas”, isso eu concordo. Culpa da lei fraca, falta de punição exemplar.

                • Dario Lemos

                  Todos sabemos o porquê a existência da impunidade nesta colônia. E ainda tem gente que defende essa laia.

                • Tosca16

                  Tem consumidor que também sabendo da adulteração ou desconfiança da qualidade ainda abastece no mais “barato” hehe.

                • leitor

                  Culpa de lei fraca não. Culpa de desonestidade fiscal dos administradores públicos políticos.

                  • SDS SP

                    Tem muito político que é dono de posto somente para lavar o dinheiro das negociatas.

              • MauroRF

                Me avisa onde é sua cidade para eu tomar cuidado quando for aí, hehehehehe.

                • Tosca16

                  Tem anos isso, mas foi no interior de Sergipe; Itabaiana mais precissamente.

            • Mr. Pennybags

              Concordo. A maioria dos posto tem dívidas enormes. Tenho amigo com posto que diz que o dinheiro mesmo ele tira da conveniência, a gasolina é só pra chamar movimento. Lembrando que os preços da conveniência é quase o mesmo da casa das primas, a diferença é q no posto quem leva a tromba é vc. kkkk

            • SDS SP

              Me chamaram para ser sócio de um posto de gasolina. Investimento não era tão alto, mas pesquisando bem, achei melhor deixar o dinheiro parado mesmo, do que ter uma grande dor de cabeça.

              • MauroRF

                Deixa aplicado que você ganha mais: só a dor de cabeça que teria com o posto… meu pai teve posto de gasolina por 2 anos para não ter nunca mais, é um enchimento de saco danado, impostos adoidados, tem que ter muito movimento para ter lucro.

          • Marcelo Amorim

            Verdade,o mesmo se aplica aos carros que eram importados e agora são feitos aqui na Bananandia,BMW e LR só pra citar,os carros não baixaram os valores.

          • thewes

            E daí? Se isso virar lucro, que bom. Lucro sempre é bom.

            • SDS SP

              Com um lucro maior, o cara pode poupar mais e investir no empreendimento que por sua vez, vai gerar uma demanda por serviços. Mas como todo bom brasileiro, adoramos demonizar aquele que ganha dinheiro. A famosa mentalidade anticapitalista que a nossa verdadeira mazela.

              • Bruno Machado

                É, o rico cada vez fica mais rico. E o pobre cada vez fica mais pobre. :)

                • SDS SP

                  Continue com essa mentalidade que nunca teremos nada na vida.

          • saulo

            Concordo 100% com vc, não iria abaixar nada, já que o brasileiro está acostumado a pagar $5 no litro da gasolina, pra que abaixar, que continuem pagando enquanto eu economizo com funcionários.

          • SDS SP

            Não acho que a chave iria virar do dia para noite, mas manter uma demanda falsa de emprego não resolver a vida de nenhum país.
            O featherbedding é um problema crônico no Brasil.

          • Verdades sobre o mercado

            Há cerca de 20 anos houve um breve período em que era permitido bombas sem frentistas e estas tinham preço inferior ao cobrado nas bombas com frentista. Eu acredito que devia ser liberado esta possibilidade, de forma que um mesmo posto teria bombas de combustível sem frentista (mais barato) e bombas com serviços de frentista (preço normal), onde o cliente poderia optar se quer com serviço ou sem. Tem muita gente(especialmente mulheres) que não querem se dar ao trabalho de abastecer por medo de sujeira ou contaminação.

        • Pete Alves

          No Brasil, você encherá seu próprio tanque e o dono do posto aumentaria seu lucro, com o que deixou de pagar a um frentista.

          • Tosca16

            Acho que nem o dono de posto confiaria deixar a bomba para que abastecêssemos sozinhos hehe.

            • Rodrigo Santos

              Vc paga antecipado para abastecer. É simples.

              • Tosca16

                Eu nem digo apenas por isso, vão alegar vandalismo, mal uso… aqui, vai demorar a ter algo parecido com os EUA hehe. Eu conheço pessoas que usam GNV, que mesmo sabendo ainda acham ruim ter que sair do carro, imagina. E por falar nestes, quem usa GNV também abasteceria sozinho?

                • Allysson Santos

                  Aqui já teve posto de auto atendimento, lembro que na cidade em que eu morava, de 300mil habitantes, tinha posto bandeira Esso com autoatendimento. Funcionava tranquilo, aí veio a regulamentação obrigando ter frentista e depois de um ou dois anos a rede inteira fechou e vendeu as unidades.

                  Os postos poderiam manter frentistas caso quissesem, aí os motoristas que nao gostam de autoatendimento seriam atendidos por estes postos. O problema é ser obrigado a ter.

              • Tosca16

                Eu sou cético, já fui mais confiante aqui no “Lisarb”; algo mais simples, como Arla na bomba não se tem fácil, imagina isso. Aqui o cara compra no galão, pagando mais caro, sem ter disponível na bomba algo que todo caminhão, salvo alguns modelos, usa obrigatoriamente.

        • SDS SP

          Mas o featherbedding é uma prática comum aqui no Brasil de se gerar uma falsa demanda por certos empregos. E todo mundo paga essa conta e um número que ninguém ver é o da produtividade.

        • Cesar

          Também. Mas aqui sabe como é: Nossos governantes adoram fazer graça para os outros com nosso dinheiro.

        • Geruzzus Filho

          Quanta ingenuidade… Você está no Brasil? Parece que não. Mesmo que esse serviço fosse implantado aqui o valor JAMAIS! seria reduzido e melhorado pra o consumidor, serviria apenas para nos fazer trabalhar de GRAÇA para os donos de postos e SÓ (aliás, você deve ser dono de posto para acreditar nisso e achar “bom”).

          Lembra das aéreas com a extinção da franquia de 23Kg e cobrança pelo despacho de suas malas? Com aquela balela de “baratear” as passagens? Foi tudo direitinho como elas disseram né? As passagens ficaram bem mais baratas não foi mesmo?!

          Ah! Teve também a retirada dos lanches feita bem antes, com a mesma promessa de “baratear” as passagens.

          Fora isso a violência que seria ainda pior por não ter ninguém no posto, só o otário abastecendo e esperando o bandido para lhe dar um tiro na cara e levar seu carro.

          Aqui é BRASIL!

          • Louis

            Se você acha que aérea também ganha rios de dinheiro, compre ações da GOL na Bolsa. Qualquer um pode. Esta empresa tem prejuízo ano após ano. Avianca BR também está na pindaíba, nem sei se já acharam comprador.

            • 4lex5andro

              Pois é, a Avianca está a beira de ser comprada por outra companhia aérea, Varig e Vasp eram as maiores do país por décadas e caíram, enfim, a roda gira, no exterior, British Caledonian, TWA e a então líder absoluta Pan Am virou passado também.

              O pensamento ludista é muito presente no Brasil, daí se explica por que muitos condenam inovações e mudanças nesse país.

              Com relação á jabuticaba chamada frentista de posto, isso não quer dizer que os preços dos combustíveis iriam melhorar, mas eliminaria um dos grandes argumentos que justificam que sejam elevados.

              • Geruzzus Filho

                Mudanças sim, ludibriação, não.

            • Geruzzus Filho

              Não, não acho. Só mostrei um exemplo real de corte de benefício para o usuário usando argumentos mentirosos e que só prejudicaram o consumidor.

              O mesmo irá acontecer com a extinção da profissão de frentista de posto. Nós é que seremos o frentista sem ganhar NADA! E ainda correremos riscos bem maiores de assaltos.

              • Louis

                É por esse tipo de pensamento que a produtividade média do brasileiro é 1/5 da do trabalhador norte-americano. Aqui trabalhos como de frentista são obrigatórios, um serviço que não agrega valor nenhum à sociedade. Nos EUA o trabalhador que seria frentista está fazendo algo mais produtivo para a sociedade.

        • Ernesto

          Me assusta a quantidade de gente que não concorda com você sobre a redução do preço do combustível caso você mesmo abastecesse, sem a necessidade de um frentista.

          • Verdades sobre o mercado

            Fácil resolver isso, há cerca de 20 anos por um breve período foi permitido a venda de combustíveis sem frentistas, onde as bombas de auto-serviço tinham o combustível a preço mais baixo(algo em torno de 3% se não estou enganado), e o mesmo posto tinha bombas com serviço de frentista. Tem clientes que vão preferir pagar pelo serviço.

        • Antonio Falm

          Em Belo Horizonte a maioria dos ônibus coletivos não tem mais trocador. Você acha que a passagem abaixou? Nenhum benefício social: aumentou o desemprego, o serviço dos motoristas e o lucro dos empresários.

          • Louis

            Aí temos 2 outros problemas, transporte público é máfia em qualquer lugar do BR. E temos que considerar também as meia-passagens para estudantes (sabemos que há fraudes) e isenção dos idosos (há cada vez mais idosos). No final, quem paga passagem cheia está pagando por 2.

      • Gabriel Molina Pinheiro

        Pois o brasileiro é metido a esperto. Se fossem educados não haveria a necessidade dos mesmos, vide Estados Unidos onde esses cargos de trabalho não existem.

        • Dario Lemos

          Nunca que se terá a devida educação por aqui, faz parte desta maldita cultura.

        • Cesar

          Mas isto existe não pelo fato de brasileiros serem espertos, mas sim graças aos nobres sindicalistas.

      • Cássio

        Eles existem porque a lei manda, e a lei é saudosista.

      • Tosca16

        A modernização é válida, mas não podem fazer como é comum aqui; tira o “cobrador” mas continua o mesmo tipo de cobrança e passamento de troco em dinheiro, usando o motorista com dupla função, a de motorista logicamente e a de cobrador, desempregando pais de família e não modernizando as linhas.

      • Gran RS 78

        Mas na maioria dos países de primeiro mundo não existe frentista, os próprios consumidores abastecem e pagam por seu combustível, isso ajudaria e muito abaixar os preços diretamente nas bombas, pois os postos não precisariam de mão de obra, encargos trabalhistas etc.

        • Cesar

          Me referi ao Brasil.
          Aqui ainda temos frentistas de posto, cobradores de ônibus e outras mazela.
          Para se ter uma ideia, ouvi falar há um tempo que em nossa gloriosa agencia espacial temos um datilógrafo na folha de pagamento.

        • Geruzzus Filho

          Isso, países de primeiro mundo, não BRASIL.

      • Danilo

        por exemplo, aqui na Alemanha não tem frentista, e em muitos outros países tambem não tem. E aqui o proprio motorista de onibus que cobra, quando cobra. pq a maioria possui passe eletronico.

    • Unknown

      Lá no Congresso paga-se ascensoristas, e muito bem, aliás! Kkk

    • Nicolas

      Enquanto o povo achar que ter lucro é pecado e ser empresário é ser pilantra, o Brasil vai continuar um sendo um país de miseráveis, O lucro é o salario de quem tem empresa. Ser empresário é gerar produção e pode gerar empregos. O mundo caminha para o fim do emprego devido a tecnologia, cada um de nós será o seu próprio chefe , empregado e dono da empresa, seremos todos prestadores de serviço vendendo o nossos conhecimentos, pois o resto a máquina vai fazer.

    • Mas vc falando assim da a entender que o Cruze é algo ultrapassado e esta saindo de linha por ser antiquado, sendo que na verdade se trata do carro mais moderno em seu segmento aqui no nosso mercado e um dos mais modernos mesmo la nos EUA.

  • Yamaha Mt-09

    Negocio daqui pra frente é as fabricas dedicarem para híbridos e elétricos.
    Negocio que essas montadoras de carros de grande escala estão enrolando demais para começar a colocar carro elétrico e popularizar a tecnologia, é cara mais com essa onda verde vão vender bem.

    • Louis

      No mundo desenvolvido já há muitas opções para quem quer um elétrico, aqui só com o tempo mesmo. Vamos aguardar a tecnologia baratear para podermos ter os nossos futuramente.

      • Dario Lemos

        E bem capaz que boa parte de nós nem esteja aqui para comprar tais veículos.

    • Gabriel

      Não gosto mas concordo, os elétricos não ajudam o planeta mas ilude muito bem as pessoas o que vai ajudar a levantar as vendas.

    • Gabriel Molina Pinheiro

      Carro elétrico é igual cobertor curto. Cobre de um lado pra descobrir do outro. Você para o consumo de combustíveis fósseis, mas polui, desmata para a produção de energia elétrica (vide as represas, que inutilizam grande áreas, muitas vezes florestas e também locais que utilizam energia vinda de queima de carvão).

      • Gabriel

        Carro elétrico é a maior migue da historia em ecologia.
        Tão poluente quanto um a gasolina.
        os carros a etanol são os mais ecológicos atualmente.

        As baterias dos elétricos que tem vida útil de 8 a 10 anos (com uso correto) são extremamente poluentes em sua fabricação gerando enorme quantia de gases poluentes (quantia essa que um carro a gasolina demoraria anos para emitir), o descarte incorreto delas que provavelmente ira ocorrer tbm tem impactos gigantescos.

        Como vc disse, esta apenas parando de gerar energia debaixo do capo, vai continuar a ser gerada em algum lugar, e a maior fonte de energia no mundo são as termoelétricas extremamente poluentes, ou seja não resolve só ilude.

        • RafaelH

          Discordo, o veículo elétrico é sim infinitamente melhor para o meio ambiente. Segundo a Eurostat, na Europa, países Nórdicos utilizam de 50 – 60% de energia renovável, alguns outros países da EU vão de -5% (poucos) e a maior parte utilizam entre 20-30%. Isso significa uso de uma energia que não retira da natureza sua produção em totalidade e não a agride. Sobre o descarte das baterias, isso pode acontecer em países subdesenvolvidos. Mas vai lá na Alemanha colocar uma latinha ou até resto de comida em uma lixeira errada. E o mais importante é que traz também independência do indivíduo, tem muitas pessoas que tem energia solar em casa que não consomem energia de fora e utilizam até para carregar seu carro. Ou seja, traz a liberdade de escolha. É perfeito? Não! O gasto de energia para fabricar as baterias do carros elétricos é gigante, mas quanto maior a demanda mais eficiente será a produção. Ah.. mas no Brasil nada disso funciona.. Não estamos falando do nosso Brasil Bird Box, estamos falando de futuro.. Se você quiser, na sua casa hoje você já pode ter placas solares e ajudar a reduzir esse consumo ;)

          • Gabriel

            Pelo que tenho lido, as termo ainda representam a maior % da geração de energia total no mundo, é bom que tenha países que são exceção e tbm que investem nas fontes mais ecológicas.
            Todo mundo zoa o Brasil, mas somos um dos países que mais trabalha com energia renovável e menos poluente, mas trabalham próximo do limite, se crescer a demanda tem de usar as termoelétricas (e construir novas usinas, o que é demorado)
            O Estudo realizado pelo Instituto Sueco de Pesquisa Ambiental se não me engano de 2017 (que é no que estou me baseando) ressalta a enorme poluição e emissão de gases poluentes causados na produção das baterias dos carros elétricos, em que alegam que para produzir uma bateria da Tesla de 100kwh (ótima bateria) emite co2 equivalente a rodar 138mil km com um Cruze 1.4 que ja não é dos carros a combustão menos poluentes.

            Creio que me equivoquei quando disse que poluem tanto quanto um a gasolina, mas poluem mais que a etanol.

            O maior beneficio que vejo no uso dos elétricos é a redução dos gases em área urbana, pq no resto, continua impactando o meio ambiente, efeito estufa etc em proporções não diferente dos que usam combustão.

            Placas fotovoltaicas está na lista de coisas a fazer na minha casa, no máximo até o ano que vem já terei realizado.

        • FrankTesl

          fale que o etanol é ecológico para quem mora perto de queimadas ou de refinarias de etanol

        • Louis

          Vocês que vivem repetindo que a bateria descartada de forma incorreta polui, também consideram que carros a combustão trocam de óleo inúmeras vezes? E que muitos proprietários fazem isso em casa (principalmente no interior) e que o óleo é descartado no meio do mato? E outra, só de diminuir os caminhões em circulação que transportam combustíveis já seria um enorme ganho, esse tipo de coisa ninguém leva em consideração nos atuais carros a combustão.

          • R. Rover

            Sem contar os milhões de carros à combustão abandonados em milhares de ferros-velhos e garagens enfurnadas em cidades pelo Mundo afora, vazando tudo quanto é líquido poluindo o ambiente.

      • FrankTesl

        carvão é mineral, extraído de minas.
        Não sei de onde o povo tira idéias para insistir nessa toada de “Termoelétricas à carvão”
        A maioria das termoelétricas são movidas a GÁS natural de petróleo

        energia elétrica é possível de ser produzida em casa.

      • Raul Cotrim de Mattos

        Dos mesmo criadores de “A Terra é plana!”, vem aí “Carro elétrico poluí mais!”…

        • Gabriel Molina Pinheiro

          Não diria que polui mais, diria que polui a mesma coisa. Você deixa de emitir CO2 através dos carros, mas emite para produzir energia elétrica.

  • Gabriel

    Fico na torcida para os sedans voltarem com tudo no futuro e essas marcas quebrarem a cara.

    • Hélio

      melhor você já comprar um pra ter um como relíquia daqui alguns anos

      • Gabriel

        Vão ter parcela menor de mercado e menos opções, mas ainda irão existir.

    • Zé Mundico

      Olha, eu acho que daqui a uns 50 anos talvez os sedãs voltem a estar na moda. Até lá, é ir se conformando.

  • TchauQueridos

    Mais uma fábrica fechada pelo alto custo de mão de obra, impostos e sindicato!
    Até onde vamos com esse protecionismo!!!

    • leitor

      Que custo de sindicato?

  • Cássio

    Para serviço de aluguel, transporte pago e de compartilhamento, não precisa de um carro tão “refinado” e espaçoso. Um do tamanho de um Fit atenderia muito bem.
    Penso que é preciso mudar a forma de pensar sobre tamanho, formato e refinamento dos carros para esses novos objetivos.

    • Dod 2019 New Era

      Mas o Cruze não é refinado e nem tão espaçoso assim. Aqui no Brasil é que é “carro de luxo”, nos EUA, ainda que não seja dos modelos mais baratos, é carro popularzão, de quem se enquadra na classe C americana e que faz questão de ter um zero km e compra através de leasing pagando uma ninharia por mês, ou então de estudante classe média que ganha um carro popular dos pais quando completa 16 anos ou vai para a faculdade (leia-se como carro popular sedãs e hatches endeusados aqui e tidos como “Premium” ou “coisa fina” como Corolla, Jetta, Golf, Civic, o próprio Cruze e mais trocentas opções de carros zero km até a faixa dos 25 mil dólares). E um Honda Fit custa basicamente o mesmo preço do Cruze por lá, ambos começando ao redor dos 17 mil dólares.

      • Cássio

        Sim, é um bom argumento. Mas quando eu disse refinado (até coloquei entre aspas), quis dizer com tantos mimos e soluções.
        Há um tempo venho pensando nisso, um carro para serviço de compartilhamento ou para aluguel ou outra coisa do tipo não precisa de tanto espaço, conforto e tecnologias que buscamos quando compramos um carro para nós mesmos, que sirva para todos os usos que possamos ter.
        Aquelas projeções de futuro com carrinhos pequenos para 2 pessoas já não me parecem tão estranhas assim…

  • Fábio

    Minha teoria da conspiração: Apareceu uma bala de prata para matar a justificativa de encerramento da produção mas mesmo assim a GM não mudou de decisão. A GM quer mesmo é encerrar a produção do cruze e pronto. Justificativas cria-se. Deve ter um motivo mas o motivo real de acabar com a produção não foi revelado. Estratégia é assim, sigilo de informação que não deve ser revelada.

    Os empregos estão mudando, só espero conseguir enxergar as mudanças no meu emprego (e me readequar antes) para eu não me afundar junto com ele.

  • Daniel

    Será que veremos o declínio do segmento de sedãs igual o dos hatches em escala global?

    • Fanjos

      La no EUA ambos vão para o cobre, e pelo andar da carruagem sedãs serão as próximas vitimas, até vc só poder escolher entre SUVs PP,P,G ou GG e só

    • TchauQueridos

      Já é a realidade…

    • Zé Mundico

      Disfarça, mas sedã já está praticamente em extinção em quase todo mundo.Relaxa que dói menos…rsrsrs

  • ocampi

    Alô Ford Eu prometo comprar Ford Fiesta. Desde que paguem o IPVA, emplacamento, insulfilm e quero ser atendido por uma mulher. Não aqueles cuecas de css.

  • Aleferreira1000

    Bicho bruto!!!

  • R. Rover

    Esse empresário é tosco ou só inocente?
    Ele está achando que a GM vai manter ‘presa’ toda uma estrutura produtiva por causa de um modelo que está morrendo.
    A resposta da GM foi exemplar.
    Por empresários assim que o EUA estão perdendo a proeminência econômica no Mundo

    • Zé Mundico

      Não, ele viu uma oportunidade e jogou certo. Levar não na cara também faz parte da vida.

      • Junoba

        Nas nossas vidas levamos não 98 vezes e sim 2 vezes. Exceção quando se leva um sim. A não ser que você seja um burguês filhinho de papai.

    • Ernesto

      Um esquerdista, crítico ferrenho de qualquer empresário, elogiando o posicionamento da GM e esquecendo dos 1.500 empregados demitidos. Rsrsrsrs

      • R. Rover

        Sim. Porque esquerdistas são inteligentes. Sabem que uma decisão empresarial pode fazer sentido ou não.
        Né, Ernestinho do MBL?!?!?!

        • Ernesto

          Esquerdistas são inteligentes? Piada da noite! KKKKKKKkK!

          • R. Rover

            Piada da noite é só mais uma declaração do Bozzo.

  • CanalhaRS

    Realmente, manter toda uma unidade, e sua cadeia produtiva, para fazer 180 mil carro em 5 anos ( em torno de 35 mil unidades/ano) não parece muito vantajoso do ponto de vista empresarial.
    No aspecto econômico seria uma boa, já que muita gente manteria seus empregos e geraria mais riqueza na região.

  • Joãozinho

    Um SUV custa 5% a mais para produzir e pode ser vendido por 15% a mais.
    Alguns colegas AINDA acreditam que as empresas que fabricam esses produtos chamados carros têm algum tipo de “alma”, “nostalgia”, “filosofia”, “amor ao que fazem”, entre outras fantasias.
    Pode até ter lá dentro 1, 2 ou 3 engenheiros apaixonados pelo que fazem… Que foram devidamente doutrinados para isso, a fim de trabalharem feito loucos, sem cobrar maiores salários.
    Mas no geral, o interesse é muita grana, quanto mais melhor 🤑🤑🤑

  • Ricardo

    Responderam:
    Não! Compre um SUV ou Pickup e se F!

  • Zé Mundico

    É a chamada produção on demand, onde uma fábrica produz bens conforme a necessidade e conveniência do freguês, no caso tendo a exclusividade da compra.
    Prá quem não sabe, lá na China isso é o pão de cada dia. A fábrica que produz um celular top de linha é a mesma que fabrica aqueles xing-ling que derretem na primeira carga. Mas esse tipo de coisa só é possível em economias altamente especializadas, fortes e com alta demanda de bens e serviços.

    • R. Rover

      Nesse caso, não seria exatamente isso.
      A fábrica da GM será fechada e a ‘solução’ seria mantê-la aberta apenas para produzir esse modelo que está saindo de linha.
      Isso sob encomenda desse empresário. E só isso.
      É um pouco diferente de uma fábrica que produz diferentes produtos sob encomenda de diversos clientes. e pode ajustar a produção conforme essas necessidades.

      • Zé Mundico

        Pois então? A GM fabricaria o modelo exclusivamente para atender a demanda do empresário mediante contrato de venda dirigida!!.

  • Gran RS 78

    Uma pena a GM americana ter acabado com o Cruze, que é um modelo muito bom, especialmente na parte mecânica e do conforto ao rodar. Espero que aqui no Brasil ele dure mais, pois ficaremos órfãos de um sedan/hatch médio da Chevrolet.

  • Esse tem coragem $$$

  • Hodney Fortuna

    Vejam bem no destaque em negrito: “É exatamente isso que a própria GM quer fazer no futuro, ter uma
    produção essencialmente voltada para o uso do produto e não sua posse
    ,
    algo que chocou muita gente dentro e fora dos EUA. Entretanto, com seu
    próprio serviço via app.

    Minha opinião.
    A própria GM deseja o FIM da propriedade do automóvel, sendo assim restrito apenas ao compartilhamento coletivo.
    Só com isso ela já demonstra o desejo de que você não seja mais dono de um automóvel como eu e os que admiram o mundo automobilístico. Bem mesmo tentando a GM a satisfazer o desejo de um grupo seletto globalista que quer mudar os destinos da humanidade e do Mundo a força com o uso de políticas repressivas e com teses comunistas.

  • Hodney Fortuna

    Muitos vão discordar da minha opinião. O Cruze é, mais uma vez na minha opinião uma escolha mais racional que o Toyota Corolla. Um carro com mais tecnologia, mais belo no design e custo de manutenção um pouco menor. A GM trabalhou muito no projeto dessa segunda geração tornando-o um rival a altura do modelo Toyota. Mas a religião Toyoismo foi mais forte, o Corolla seguiu seu caminho sem resistência e lidera sozinho o segmento.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email