EUA Finanças Mercado

EUA: Estudo revela que a maioria das famílias não têm acesso ao carro novo

comprando-carro-eua

O preço médio do carro novo nos EUA está atualmente em US$ 33.865. Com base nesse valor, a consultoria Bankrate fez uma pesquisa entre as famílias das 50 maiores cidades americanas e descobriu que a maioria delas não têm acesso ao carro novo.

Levou-se em consideração a renda média familiar nestes centros urbanos, assim como uma taxa de juros de 4,24% para empréstimos e custos anuais com seguro.

De todas as 50 maiores cidades dos EUA, San José, localizada na Califórnia, foi a que mais se aproximou dessa média, sendo que a maioria pode pagar até US$ 32.855,81. Lá, o rendimento médio familiar é de US$ 87.210 e o custo médio com seguro fica em US$ 782,63.

Na outra ponta, Detroit teve o pior resultado, pois a renda média familiar na chamada “Motor City” é de “apenas” US$ 25.769 e o custo anual com seguro é de US$ 1.131. Com tudo isso, a família da capital do automóvel só pode comprar um carro usado de US$ 6.174,03. No mercado americano, o carro novo mais em conta é o Nissan Versa, que custa US$ 11.990.

O método utilizado pela Bankrate foi o chamado “20-4-10”, que consiste em até 20% de entrada, financiamento máximo de 4 anos e comprometimento da renda familiar mensal – incluindo seguro – de 10%.

[Fonte: Bankrate]





  • Tito Reis

    Vamos ver se assim “Os Críticos Especialistas” vulgo paga pau americano, para de vez com as frases de que lá é bom!

    • Pedro Henrique

      oque uma família com renda média brasileira consegue com comprometimento (incluindo seguro) de no máximo 10%?
      isso claro incluindo o valor médio de um carro, que assim como lá, vai ta bem longe do carro 0km mais barato a venda.
      é fato que lá não é mil maravilhas, mas ta melhor do que aqui, então puxar um saquinho pode sim, pq assim quem sabe o pessoal se conscientiza e tenta melhorar…(do tipo, se eles podem, por que eu não?)

      e olha que eu não gosto de estadunidenses e nem gosto de usar eles pra alguma comparação. (no caso de carros só o IIHS que tem que se tirar o chapéu)

      • Tito Reis

        Consegue o mesmo que a família de Detroit, comprar um carro usado em 48 prestações.

        • Louis

          Que tal comparar Detroit com a favela da Rocinha ? Afinal, temos que comparar periferia com periferia.

          • saosao

            Tá apelando hein… comparando abacaxi com strogonoff…

          • Antoniokings1

            Ou comparar com Oslo, Copenhague ou Estocolmo?

          • Megamente

            Correta análise. Na favela de lá, Detroit, o cara compra um carro usado em 48x. Na favela daqui, o mano compra uma moto usada em 48x.

            A classe média daqui compra Honda Fit, a de lá compra Honda Odyssey. E por aí vai…

            • Martini Stripes

              Entenda que essa diferença é pq ainda tem gente que passa fome, e nem energia elétrica tem. Enquanto existir essa diferença, carro é artigo de luxo. Esse é o ponto.

            • Lima

              Qual o PIB do Brasil? E dos EUA?
              Como é a distribuição de renda aqui? E lá?

              • João Cagnoni

                Cara, só cuidado com a palavra “desigualdade”, pois a cidade mais desigual do mundo é Nova Iorque. A diferença é que lá qualquer pobre tem carro e o básico pra viver, enquanto aqui o buraco é bem mais em baixo…

                • Lima

                  Tem razão. Obrigado.

          • Paulo Reis

            Compare e ira surpreender de como é a periferia deles. Para isso terá que saber usar o Google. Ah, detalhe, procure digitar também: “número de sem tetos bate record nos EUA!” e, “Cidades americas entram e calamidade pública devido ao grande numero de moradores de rua”. Ou esta esperando a grande mídia brasileira te contar? kkkkkk Espere o Bonner do JN contar essa kkkkk. Fica a dica heim, tem q saber usar o Google!!

            • MauroRF

              Paulo, eu faço ideia de como é. Por exemplo, saia um pouco do centro de Los Angeles (às vezes, nem precisa sair) para topar com um monte de sem-teto. Não estive em NY, mas muitos que lá visitam me contam que há muitos sem-teto. E recentemente, um tio meu foi a trabalho a Chicago e disse que lá a violência tem aumentado bastante, sendo motivo de preocupação dos habitantes locais, embora meu tio tenha dito que ainda não se compara à violência de uma cidade como SP. O que acontece é que eles mostram sempre o que é bom, e a gente tem a mania de mostrar sempre as desgraças. Ficaria fácil se a gente mostrasse ao mundo sempre a região da Avenida Paulista. Mesmo assim, os EUA são um grande país, as leis são bem mais respeitadas e há muito mais oportunidades que aqui. Embora existam esses problemas e esses moradores de rua, no geral, um pobre lá tem acesso a muito mais coisa do que nós aqui. Trabalhador de McDonalds consegue ter seu carro usado e bom, coisa que nós aqui sofremos para ter. Mas é como eu sempre digo: lá nos EUA tem muito mais dinheiro, logo, tem mais grana para distribuir, e como a desigualdade é menor, o pobre de lá ganha mais (porém, há os excluídos, como esse monte de morador de rua). Aqui também tem grana, mas boa parte dela fica na mão de poucos, e ainda tem essa desgraça da corrupção que rouba boa parte da grana que deveria chegar a hospitais, escolas etc.

              • paulo sergio berezovski

                Distribuição de renda é coisa de socialista, a culpa pelo desemprego não é do capitalismo,mas sim das leis trabalhistas e regulamentações que são criadas pelo governo,e ainda temos altos impostos que fodem com o poder de compra das pessoas,e quanto à segurança a única forma de acabar com isso é cada um ter armas e se defender

                • Paulo, vc é um gênio…. Acaba de resolver todos os problemas do Brasil.
                  Basta queimar a CLT (horas extras, férias, salário mínimo, EPI, tudo besteira), demitir todos os policiais (custam muito caro, aumentam nossos impostos…) e dar um 38 para cada cidadão e pronto!
                  Mas como ninguém pensou nisso antes…

                • Martini Stripes

                  Espero que vc tenha sido irônico em todos os aspectos. ahahahah

              • Paulo Reis

                O lance da msg é: a grande imprensa brasileira tem por definição enautecer os paíse do norte e, demonizar os do sul quando este é governado por um governo de esquerda, por eles poderia enforcar em praça pública o tal governo. A desigualdade esta no seu maior recorde de todos os tempos, 1% dos ricos ja teem mais de 50% da riqueza mundial, nos EUA então, esta gritante como ja percebeu nas ruas e, é uma curva crescente. Esta questão que menciona onde ” as leis são respeitadas e ainda é um país rico” pode ser uma verdade somente para quem é cidadão $$$. E, O “pobre ter acesso a muito mais coisas que nós” é uma falácias, pobre ai vive de doações , de ong, até porque o que vem do estado/governo é mínimo. Equanto o brasileiro não entender o papel da grande mídia maquiavélica o país não vai pra frente, falta pluraridade e mentiras são transformadas em verdade. É como se todas grandes influente aqui fosse a FOX ai em termos de notícia.

                • David

                  Paulo concordo contigo que todo pais tem coisa boa e coisa ruin. Mas nunca vi sem teto la invadir terreno e fica impune. Ja vi pessoas de rua que vivem assim porque resolveram nao da a minima pra responsabilidade e vivem de um dia pro outro. La um desempregado recebe ajuda desemprego, recebe ajuda pra aluguel, recebe ajuda alimentacao, recebe ajuda eletrica e pra gas ou seja, sabendo em qual fila fica vc consegue em torno de $24 mil dolores em ajuda anual. Problema e que la como aqui se vc arruma emprego perde essa ajuda, tipo a nossa bolsa esmola. So que o salario minimo de uma pessoal trabalhando 40 horas por semana num McDonalds ou Burgue King, KFC, Subway da pra comprar o seu carrinho, paga seguro, completa o tanque e ainda sobra pra ajuda na casa. La vc vive muito bem se a esposa e marido trabalham e juntam as economias. Com $90 dolores por semana vc faz uma excelente compra em qualquer supermercado. Vc compra tudo que vc quer como iogurtes, sucos, queijos, peixe, carne, produtos de limpeza, frutas, legumes e etc. Diferença e que aqui nem mesmo os dois trabalhando vc consegue junta um dinheiro decente pra comprar um carro. Vai no mercado e so compra o basico. La qualquer um que trabalha com salario minimo consegue comer bem e ainda sobra pra comprar roupa, coisas de casa e etc. O caro la verdadeiramente e aluguel ou imovel. Aluguel de um bom apartamento fica na faixa de $1200 mes. Vc tem uma certa seguranca, as leis de transito sao pra todos e vc consegue planeja as coisas. Diferente daqui onde vc corre so pra sobreviver. Pode fala o que quiser mas so quem ja foi la entende o que digo. Olha a situacao da Venezuela. Socialismo produz exatamente isso. Nao diferente do nosso PT aqui no Brasil. Um pequeno grupo se beneficia do povo. Nao existe sistema perfeito mas entre capitalismo e socialismo sou muito mais os beneficios do capitalismo que beneficiam quem tem coragem de trabalhar. La tem muita gente que nao gosta de trabalhar e sao esses que mais sofrem como sofrem qualquer um em qualquer lugar no mundo que nao gosta de trabalhar ou acha que o pais deve pra eles.

    • XandeeM

      Não é esse paraíso todo mas,a pesquisa foi feita com base no comprometimento de apenas 10% da renda.Aqui muitos comprometem 30% da renda ou até mais e levam um automovel inferior.

      • Tito Reis

        Verdade, mas é que aqui além dos 10% do dinheiro financiado, tem mais 10% do lucro Brasil e 10% dos impostos. Por isso, sempre pagamos 3 vezes tudo.

      • celso

        E levando em conta o preço médio, que é de US$ 33.865.
        Se fosse levado em conta o preço de um Civic, por exemplo, que é US$17,800, praticamente todas as famílias têm acesso ao carro novo.

      • David Ferreira

        mano la a galera paga muito imposto com casa aqui não só quem mora em casa alugada

    • Megamente

      Você parece que não é muito bom de conta, não é?

      Se pegarmos o pior caso apresentado, renda de Detroit, ainda assim a renda anual dá para comprar dois Nissan Versa.

      Aqui a renda média do brasileiro é de 2.000 reais, ou 24.000 ao ano. Isso dá para comprar metade de um Versa.

      Ou seja, o pior caso lá é 4 vezes melhor que aqui.

      Realmente, coitadinho deles.

      • Tito Reis

        Como você diz que não sei fazer contas, vou te passar alguns dados, divulgados pelo Departamento do Censo dos Estados Unidos:

US$ 56.080 (ano de 1.999) foi a maior renda anual média de uma família já registrada nos Estados Unidos, sendo hoje de US$ 51.017 da qual 8,3% foi a queda na renda anual média de uma família lá registrada desde 2007.

46,5 Milhões é o número de americanos vivendo na pobreza (com renda anual de US$ 11.945 ou menos, para uma pessoa que mora sozinha), ou 15% dos americanos vivem na pobreza.

        Ainda segundo dados oficiais, só a cidade americana de Nova York possui 57 mil sem-teto, contra 16 mil na capital paulista, 356% mais moradores de rua que em São Paulo, embora a população lá seja de 8,4 milhões, contra 11,9 milhões daqui. E sabe porque aumentou o número de sem teto em Nova York?, por causa do custo de moradia que foi afetado pela crise de 2008 e que subiu ainda mais no ano de 2015. 
Outro dado importante é que 15,4% é a porcentagem de americanos que não tem cobertura médica privada ou sequer do governo.

        Mas mesmo assim, vamos atentar a essa pesquisa publicada aqui em cima, que diz que, uma família que tem renda média de R$ 85.810,77 não consegue sequer comprar um carro zero quilômetro dos mais barato, custando R$ 39.926,70 e que se quiser comprar carro, tem que se contentar com usado e no valor máximo de R$ 20.559,52. Porque Será?

Como você pode ver, não sei mesmo fazer contas, só sei lidar com dados!

        *usei conversão do dólar R$3,33

        • Marcelo Ceno Dutra

          Fiquei muito interessado nesses dados. Sempre falo que lá não é “essa coca-cola toda” poderia me passar. A fonte de onde retirou os dados ? Gostaria de ler mais a respeito.

        • celso

          “Mas mesmo assim, vamos atentar a essa pesquisa publicada aqui em cima, que diz que, uma família que tem renda média de R$ 85.810,77 não consegue sequer comprar um carro zero quilômetro dos mais barato”
          Não é comprar um zero quilômetro dos mais baratos, mas comprar um zero quilômetro com preço médio de US$35,865 (o valor de uma Mercedes CLA).

          • FocusMan

            Voce precisa entender o que é prioridade.

            Aqui nos Eua o custo com saude é absurdo. Vc n pode comprometer sua renda com um carro como compromete no Brasil pq tb não tem seguro desemprego. Também vc precisa guardar bastante dinheiro para sua aposentadoria e para pagar faculdade dos filhos.

            • Louis

              Na Banânia, eu também tenho que pagar saúde particular. E também guardo dinheiro para minha aposentadoria (inss vai quebrar). E também guardo dinheiro para faculdade do meu filho.

              • Unicamp, USP, as federais… Claro, muitas vezes envolve morar longe e isso tem um custo, mas todas as faculdades públicas tem soluções para isso como moradia, estágios, bolsas…

                • Louis

                  Faculdade pública não tem vagas suficientes, se conseguir entrar tudo bem.
                  As universidades públicas são extremamente mal administradas por aqui, ralos de dinheiro público, e estão praticamente todas quebradas e sucateadas.

                  • O que você falou das faculdades públicas é verdade, mas não entro no mérito de administração, mas de qualidade de ensino. E elas (ainda) são melhores que as particulares. Ainda. E elas tem vagas: Basta vencer a concorrência.

                    • Delto Sampaio

                      Verdade, basta vencer a concorrência, e cotas pra até pai de santo tem..

                    • No meu tempo não tinha cotas. Mas sabe o que acho engraçado? A dificuldade que algumas pessoas tem de entender causa e consequência. Para quem é de Campinas, tem um bairro chamado Gramado. Esqueçam paulistas de Limeira a São Paulo, Alphaville, Jardins e Quetais: Gramado é para quem é chefe desses. E nem falo porque é na minha cidade, pois parece que muitos são paulistanos que correram da cidade grande. Pois bem, em frente a esse bairro tem um cemitério, de onde se pode enxergar nesse bairro uma senzala. Sim, uma senzala, sem uso mais que marca onde por 300 anos as pessoas se enriqueciam a custo do sangue e da vida dos meus antepassados. E a senzala está lá, o que significa que há 300 anos essas famílias estão lá usufruindo de riquezas que eles não construíram. Para passar no vestibular, tive que pedir para voltar a estudar no colégio estadual que estudava por não ter dinheiro para pagar cursinho. Sem autorização da delegacia de ensino, os professores permitiram meu acesso extra-oficialmente. Isso porque trabalhava de metalúrgico em uma outra cidade, de madrugada e descia do fretado na frente da escola bem no horário, cheirando a óleo solúvel e sem tempo para descansar. Será que meus concorrentes de Gramado tinham que passar por isso? Será que disputar uma vaga com eles era uma disputa justa? Será que quem critica as cotas está mesmo preocupado com justiça ou em ter as mesmas facilidades que tem há 400 anos por terem menos melanina na pele? Bom, eu não fiquei olhando para a senzala e chorando por não ser que nem eles. Mas é importante notar que ao contrário de mim eles olham para as cotas e choram.

                      Ah, um pai de santo representa a figura de uma pessoa que teve que camuflar o que é mais sagrado para um homem, suas crenças pessoais para não morrer porque acreditava em algo diferente que quem dizia ser seus donos. Já disse que sou contra as cotas mas não me surpreenderia se a solução de muitos fosse o extermínio ou castração química de quem não se ajoelha a quem eles se ajoelham.

                      Alessandro, Católico nascido a 20 de Janeiro, Dia de São Sebastião, Oxóssi para alguns.

                    • Delto Sampaio

                      Eu acho injusto as cotas SIM, mais isso é uma opinião minha. Falei pai de santo como um adjetivo para a quantidade de cotas que existem. Para deficientes eu super apoio, mais para as demais, deveria ser pelos pontos somados e só. Mais quem sou eu para mudar isso, não é mesmo ? Apenas to expressando o que acho. E Não o que acontece na realidade.

                    • Então Delto, temos a mesma opinião mas por motivos contrários! Hehehe
                      O negócio é o seguinte: Não fiquei chorando porque era um pobre negro da periferia, que não tinha dinheiro para cursinho, que só estava fazendo prova porque a irmã tinha pago o manual por exorbitantes 15 reais, que no primeiro dia da segunda fase teve o carro parcialmente destruído, bateu a cabeça em um poste porque foi andando olhando o gabarito. Preocupei apenas em “destruir” brancos, negros, deficientes, ricos, pobres, ateus, espíritas, cristãos, chefes, empregados, desempregados…
                      A propósito, também sou deficiente físico…

                    • Delto Sampaio

                      Você fez mais que o certo e parabéns, você é um guerreiro, um vencedor na vida. Tentei algumas vezes a pública para Eng. civil (único curso que me identifico e vejo que o mercado de trabalho me encanta) e não obtive exito, mais por pouco não consegui, em concorrência ampla (eu sou pardo, mais pouco importa, lá também tinha muita concorrência) mais se fosse disputado por pontos aberto para todos, eu teria sido classificado. Estou numa univers. privada, consegui financiamento pelo FIES. Sempre vai haver aquela questão da privada x pública.. Mais depende de cada um, depende muito do profissional que se tornamos.

                    • Não Delto, obrigado, mas estou longe de ser um vencedor. Acho inclusive que isso é um título que alguém só pode receber no dia da sua morte! Hehehe… Sou alguém sempre em batalha…. Como diria Gessinger: “Todo cara luta por uma menina”…

                    • Fernando S.

                      Muito bem colocado. As públicas AINDA tem educação melhor pois não se vendeu à relação aluno-cliente (quando o correto é o aluno-pesquisador). Uma pena, porque a maioria das universidades particulares dão de 10 nas públicas em infra-estrutura, mas lá há um enorme leque de aluno cupim, entra lá só pra pegar diploma “sem dor de cabeça”

                    • João Paulo

                      Não é bem assim, existem faculdades privadas tão boas quanto as universidades públicas. É que nego insiste em comparar faculdade mequetrefe com USP e UNICAMP que recebem um caminhão de dinheiro. Quero só ver a qualidade do ensino de certas federais lá dos rincões do Brasil. Já vi índices que mediam a qualidade e eles confirmavam exatamente o que falei, na ponta da lista havia tanto privadas como públicas, no fim da lista idem.

                    • De fato, falar que a particular é pior que a pública é generalizar. E desculpe ter essas na cabeça, é porque são as mais próximas da minha experiência. Mas a questão é outra: Recebem um caminhão de dinheiro? Sim, mas mais de 90% para pagar o funcionalismo. E mesmo assim investem muito mais em pesquisa. Porque a iniciativa privada não faz isso? A primeira razão: Pesquisa no nosso país infelizmente não é um bom negócio a curto prazo. E empresário no nosso país geralmente tem dificuldades com cenários de médio e longo prazo. A segunda razão: Muitos estão nisso para vender diplomas. Assim como sou formado nessas universidades, fui casado com uma secretária de uma faculdade particular. Qual? Coloque fogo no álcool e vai perceber, diabo velho ;)

                • Alessandro:
                  Dirão que Unicamp, USP, e as federais são antros de comunistas, que tem doutrinação de esquerda, que não servem p/ nada.

                  É uma desculpa esfarrapada p/ quem não consegue passar no vestibular, que realmente só os melhores passam.

                  E eu sou totalmente a favor de cotas de pobreza e étnicas, mesmo não fazendo parte do grupo que pode usufrui-las.

                  • Hehehe… Obrigado, pois sou formado em uma e pós graduado na outra. E se a esquerda se faz presente nesse meio, as melhores cabeças para “combatê-los” também saem de lá. E como sou formado em Exatas e pós graduado em Biológicas, não fui “contaminado” pelo ambiente.
                    Sobre cotas, minha posição pode soar polêmica mas vamos lá: Eu sou contra as cotas DO JEITO QUE ELAS ESTÃO ESTABELECIDAS. Eu era o único negro de uma turma de 45 pessoas, sendo um dos poucos que jamais tinha pisado em escola particular. No Campus tinham mais duas negras. Mas eu já era o único negro a se formar no segundo grau da escola da periferia onde estudei. Como querem que o ensino superior reflita a divisão étnica da população brasileira se nos níveis inferiores a distorção já existe? Não se começa uma casa pelo telhado. Mas antes que falem “Está vendo? Não é necessário cotas porque ele se esforçou e venceu na vida sem precisar disso e blá blá blá”… saibam que: Não, meus caros amigos da Casa Grande: O Crioulo aqui não está do lado de vocês, procurem a turma de vocês em algum país europeu da década de 30/40. Dizer que sou contra as cotas do jeito que são não quer dizer que eu não saiba que eu ainda não concorro às mesmas vagas que vocês com “peso extra”, nem que é muito fácil para um agressor depois de dar um soco bradar “Acabou a briga. Vamos esquecer tudo e começar do zero”. Significa apenas que eu não vou usar a cor da pelo como desculpa, mas tampouco vou fazer coro ao ódio velado de vocês que corre por trás das “desculpas”.

                    • Concordo TOTALMENTE com a questão do problema na educação básica.

                      Eu já li muito sobre cotas. Já fui contra, já fui a favor. Voltei a ser contra (as étnicas), e ultimamente estou a favor. Eu disse que “estou”, não que totalmente “sou”. OU seja, posso mudar novamente.

                      Mas eu não consigo ser hipócrita, isso vai de encontro (contra) meus princípios morais. Eu nunca pisei em uma escola pública, e para ingressar na federal pude fazer 2 anos no “melhor” cursinho de preparação do estado, comendo do melhor, em apartamento com ar-condicionado e com carro já aos 18 (ganhado obviamente), além de que minha mãe sempre me vestiu (quando adolescente/jovem / ainda sustentado) com roupas de grife.
                      No estudo, tinha tempo p/ apenas estudar, ler poesias, estudar artes de erudição (música etc), enquanto muitos precisavam trabalhar 8h/dia para se sustentar… Vale lembrar que eu cheguei a começar medicina em uma particular, custando 3,5k/mês e desistir p/ fazer direito na federal (onde passei após o cursinho). Bom isso já explica o porquê de eu defender cotas por pobreza, uma vez que tem muitos na minha frente, mas tem MUITOS, MUITOS sem toda essa base de apoio material e psicológica que eu tive.
                      Sobre as étnicas, eu sempre era contra pelos mesmos critérios que vc disse: a forma como a situação está posta. Porém, vale lembrar que eu cresci na cidade de Blumenau/SC (não sei de onde vc é), sendo inclusive neto de alemães, e ali se vivencia na prática um grande racismo contra negros – herança DIRETA (não adianta mentir) de velhos viúvos de Hitler, acredite se quiser. Não sendo suficiente, certa vez, ainda criança, acompanhando minha mãe no salão de beleza, as tiazonas fofoqueiras conversavam algo mais ou menos assim: “bom, na minha família, quando ainda tinhamos os negros na casa, tudo era mais fácil… hoje temos de pagar para eles mesmos fazerem o serviço de antes, cheios de direitos, e muito mais mal feito do que antes, sendo que estão querendo até disputar vagas de estudo/trabalho com NOSSOS filhos…”. Ou seja, isso bem ANTES de se pensar em cotas… Me marcou no sentido humanitário, no sentido emocional, e vence qualquer debate acadêmico, por mais intelectual que seja, na minha opinião pessoal.

                    • Cara, seu comentário complementa a resposta que acabei de dar a outro comentarista. Parabéns por acima de tudo ser um ser humano de verdade. Sei que muita gente vai te desmerecer porque você teve uma condição melhor, mas um homem não deve ser condenado por ser bem sucedido ou pelo sucesso dos seus pais. Talvez deva ser condenado por ver a injustiça e não assumir uma postura. Parabéns mais uma vez por não ser assim.

                    • Eu tive boas condições pelo amor dos meus pais, que obtiveram suas rendas trabalhando MUITO (meu pai das 7:30 da manhã até as 21, 22h da noite, empresário e professor, cuja empresa, verdade seja dita, é proveniente de família, mais adiante eu explico — minha mãe servidora pública, que trabalhava inclusive aos sábados, P/ AJUDAR OS CIDADÃOS, sem ganhar 1 real a mais — já viu servidor público trabalhar nos sábados?! Sim, tem gente honesta e humanista no Brasil, muita gente) e tiveram a bondade de dar a mim e meu irmão uma vida boa — exigindo que estudássemos muito sempre, com seus exemplos pessoais de honestidade e dignidade. Estudar, nesse meio, é um prazer, ver em seus pais o orgulho que vcs os proporciona, não é um dever.

                      Sei que muitos defendem a ideia de que o pai deve dar um pé no filho e mandar ele se virar, sendo isso a melhor escola, ou a escola da vida. São pontos de vista diferentes e eu respeito também.

                      E os pais dos meus pais (ambos) também eram na mesma linha dos meus. Meu avós paternos, p. exemplo, filhos de imigrantes alemães, eram dona de casa e meu avô tinha duas atividades: (1) pequeno empreendedor (comprou um ônibus p/ ajudar na renda levando pessoas do interior p/ a cidade) — se transformou hoje em empresa de transporte // (2) lavrador de terra particular, inclusive trabalhando de sol a sol, no intuito de obter renda com a venda e também de subsistência familiar (aí já não estudei tanto na história p/ saber como esses imigrantes alemães conseguiam terra, mas isso ainda era no tempo dos escravos e com certeza ABSOLUTA os meus antepassados eram mais “favorecidos” que os seus – mais um critério histórico que embasa minha defesa às cotas étnicas).

                      Vamos em frente, a humanização, sensibilidade, educação, amor ao próximo, compreensão, aclaramento dos obscurantismos morais e científicos, planejamento familiar (decorre da educação), tudo isso é o caminho, tenho certeza. E serei um pai totalmente protetor para com minha filha que vem.. kkk
                      Abraço

              • Henrique12

                Sem falar nas “casas”, entre aspas mesmo, custado 150K num país que a maioria ganha no máximo ralando muito 2k por mês

            • David Ferreira

              e a moradia tambem é cara ne mano?

              • FocusMan

                Depende. Tem alguns lugares como o que eu estou que é bem mais barato que no Brasil.

                Mas um amigo meu quase morreu aqui por falta de atendimento médico. A conta que veio depois foi bem salgada!

                • MauroRF

                  O Brasil, proporcionalmente falando, também tem lugares baratos de morar, basta sair dos grandes centros. O problema é ter emprego fora dos grandes centros, tem cidades baratas no interior de SP até, mas aí o problema é o cara ter emprego. Mas com o advento do home office, é certeza que muita gente começará a migrar para o interior.

            • Megamente

              Saúde é caro para quem não tem plano de saúde. E quem tem emprego oficial geralmente tem plano oferecido pela empresa. Você está ilegal aí?

              • FocusMan

                Eu não e pelo seu comentário você não sabe como é a situação.

                O plano de saúde é bem caro. Eu trabalho no Brasil estou aqui a business pela empresa que trabalho, mas para vc ter noção o seguro de a gente tem de 30 mil doláres não é o bastante para pagar uma simples internação para um procedimento de retirada de pedra no rim.

                • MauroRF

                  É interessante isso, Focus, pois eles têm carros mais baratos pela renda média, digamos, mas têm custo alto com outras coisas. Estive aí nos EUA uma vez e pude perceber que a saúde é uma das grandes preocupações deles (preocupação de conseguir pagar).

                  • FocusMan

                    As pessoas esquecem que o imposto de renda aqui é 35% e que vc paga Union e mais coisas que junto o plano de saúde levará uns 50% do seu salário. Ai você tem que pagar a previdência privada, que se você não trabalha em uma grande multinacional, é uma porcaria e vai levar 15% do seu salário. Sobra para o americano a vantagem de poder comprar quase tudo aqui mais barato porque o imposto cobrado sobre as mercadorias é de 6% na maioria dos locais, fazendo com que as empresas possam vender as coisas mais baratas e com uma margem de lucro menor também, gerando volume, criando uma grande cadeia de trabalho e de produção e de distribuição.

                    Essa pesquisa está mostrando a renda bruta dos americanos. Eu conheci gente aqui onde estou que a renda anual é de 15 mil doláres e isso refletenuma grande desigualdade social por aqui. Onde eu trabalho você consegue ganhar 10 mil doláres por mês com um emprego normal, se for funcionário local. A pessoa com quem eu falava quase teve um treco!

                  • A título de curiosidade é normal norte americano fazer tratamento médico em hospitais do Brasil devido ao custo menor. Naturalmente hospitais de referência, na qual dispomos alguns.

        • Retrato do Papai

          terra do tio sam: salário anual de 11.945 obamas = pobreza
          terra do molusco: salário anual de 3.492 temers = classe média

          prefiro ser pobre lá do que rico aqui

          • Vc está se autolimitando por esse critério falso de classe média… Não sei quem inventou isso.
            Classe média aqui seria A PARTIR DE uma família pai /mãe /2 filhos /vó /cachorro com uma renda mensal líquida entre 10 e 15k por mês, sem precisar pagar aluguel.
            O que eu quero dizer é que é preciso ter esse critério bem claro na cabeça p/ entender que é preciso LUTAR p/ conseguir as coisas. Ser classe média/alta não cai do céu.
            Ah, e outra coisa: muitos precisam esquecer o orgulho e assumir sua real condição, em vez de achar que está tudo bem…

            (claro, essa família pode ser pai /pai / 2 filhos /avô/ papagaio, não estou excluindo ninguém)

      • David Ferreira

        não da mano eles não podem mais de 20% da renda aqui muita gente consegue viver com 1000 1500 reais

      • Renato Duarte

        só que aqui temos seguro desemprego e FGTS . Conheço muita gente comprou carro 0km à vista quando saiu de um emprego de 10 anos por exemplo,, ou seja, cada país tem vantagens/desvantagens que não existem em outros países.

        • Henrique12

          Que vantagem é essa, o governo tomar parte do seu salário e te entregar quando vc sair do emprego, ou vc acha que FGTS é um bônus e não é descontado do seu próprio salário.

          • Eduardo Andrade

            Só INSS e IR desconta diretamente do salario, o FGTS é pago pelo empregador com base no salario bruto do individuo, em tese se o empregador não fosse obrigado a recolher este valor, não teríamos esse dinheiro, ou esse dinheiro se tornaria parte do salario, coisa que eu acho difícil que pudesse acontecer.

          • Renato Duarte

            acho que você está bem por fora, amigo. FGTS é depositado pela empresa, não é descontado nada do seu salário, o que é descontado é o INSS ( só 8 % ) pra garantir a sua aposentadoria ” INTEGRAL ” lá na frente.

            • Henrique12

              Todo $$ que a empresa deposita ela desconta do próprio salário do trabalhador que poderia ser mais alto sem essas firulas da banânia, não existe almoço grátis, todo mundo sabe que FGTS foi criado para o governo torrar esse $$, sabendo que todos não sacar ao mesmo tempo.

        • Marcelo Alves

          FGTS, dinheiro que o Governo te toma a força, que poderia render muito mais se você mesmo aplicasse o dinheiro, mas o Governo pega seu dinheiro para usar do jeito que ele quiser e no final te paga uma merreca de juros…

          • Renato Duarte

            Errado,, acho que você está bem por fora, amigo. FGTS é depositado pela empresa, não é descontado nada do seu salário, o que é descontado é o INSS ( só 8 % ) pra garantir a sua aposentadoria ” INTEGRAL ” lá na frente.

      • Lima

        No que tange a carros eles não têm mesmo do que reclamar.

      • Mas a reportagem fala em renda familiar, o que pressupõe marido , esposa e ainda poderia considerar adolescente que trabalham. Dependendo do ponto de vista de interpretação. Também não fica claro se é renda bruta ou líquida, que no Brasil faria uma diferença enorme.

        • Megamente

          A renda média de cada brasileiro foi de R$ 1.113 em 2015. Se considerarmos em média 3 pessoas por familia daria 3.500 de renda familiar. Melhora um pouco mas não muito. Esses estudos de renda sempre consideram a renda bruta. No caso do Brasil quem ganha pouco a renda liquida é proxima da renda bruta.

    • Delto Sampaio

      PAGAMOS PAU PROS EUA SIM. Trabalhe aqui no BRASIL ganhando um salário mínimo, se mantenha e compre um carro. 35 anos economizando ? ou 40 ? Depois de adquirir o desejado veículo, bora pros gastos com manutenção.. combustível e seguro. Não pera, tem o IPVA também.

      • Tito Reis

        Bom, no meu circulo familiar e de amizades não conheço ninguém que ganhe salário mínimo (acho até que nem você ganha né) E cara lá quem ganha renda anual no valor de um Nissan Versa, é considerado uma pessoa pobre, ok!

        • Luis Eduardo Bueno

          Esta explicado o porque do nível do seu comentário.
          Amigo, a grande esmagadora maioria da população brasileira ganha no máximo 2 salários mínimos.
          Acorde pra realidade.

          E não sabe fazer conta mesmo…
          “Detroit teve o pior resultado, pois a renda média familiar na chamada “Motor City” é de “apenas” US$ 25.769”
          Fazendo a conversão burra, isso da R$85810,77 reais (usando o seu câmbio de R$3,33).
          Isso da uma média de R$7.150,89 por mês.

          Agora me fala… Com excessão de 5% da população brasileira, quem é que tem uma renda dessa?

          Nem vou colocar na conta os outros custos.. Gasolina, seguro, manutenção.. nem vale a pena perder o tempo….

          • saosao

            Acho que vc está começando errado. Vc não pode simplesmente converter o dólar para real e fazer essa comparação. Tem que partir da comparação do poder de compra, baseado no salário mínimo.

            • Poder de compra não é baseado no salário mínimo e sim no médio. Sabia que até ano passado não tinha salário mínimo na Alemanha? Eles deveriam ser miseráveis, não?

            • O nosso poder de compra, dizem as pesquisas ser cerca de 20% do norte-americano.
              O da Coréia do Sul (exemplo que eu adoro), era menor que o nosso nos anos 60.
              Que eles fizeram? Colocaram todo mundo na escola (EDUCAÇÃO BÁSICA, NÃO APENAS SUPERIOR) mediante bolsa integral à família (assim como Países nórdicos) p/ compensar a falta de mão de obra das crianças em casa e hoje eles têm mais de 80% do poder de compra norte-americano.
              Já nós, nos anos 60, iniciamos a fase do Tiro, Porrada & Bomba (ditadura-funkeira-militar) e engessamos os investimentos em educação, que nunca aumentaram desde então, tampouco com a redemocratização (na verdade, só piorou). Além dos investimentos, as famílias brasileiras nesse período todo eram desacreditadas da educação, preferindo que seus filhos oferecessem mão de obra na área rural familiar // arrumassem um emprego braçal p/ sair logo de casa e casar, se sustentar etc., sem um pensamento mais amplo, planejado e a longo prazo de qualificação profissional.
              – “Então, Cão Preto, temos de colocar as crianças 8h/dia na escola, com pagamento de bolsa de pelo menos um salário mínimo (1000 reais) para as famílias que hoje recebem Bolsa Família de 200 pila? E temos que pagar salário de médico/magistrado/procurador para os professores da rede pública? E temos que criar escolas públicas federais de excelência em todos os estados da federação? E temos que incentivar a melhora das precárias escolas estaduais/municipais?”
              Sim, temos.
              – “Mas isso vai nos custar mais impostos… Sem retorno imediato”
              Pois é, o investimento é a longo prazo. Não existe 50 anos em 5 (no campo da educação).

        • Louis

          “no meu circulo familiar”, comparado com a média de outro país. Muito boa a comparação.

        • Henrique12

          Um país de 200 milhões de pessoas versus o circulo de amizades, essa foi de matar! A renda média do brasileiro é ótima, a classe média é que gosta de trocar tiro, morar em barraco e andar de gol, chupa EUA!

        • Delto Sampaio

          No SEU.. disse bem, bem ‘serto’ ..Agora toda a população brasileira vive com os mesmos patamares que você ? será mesmo ? Minha família tem rendimentos baseados no salário mínimo. E não comemoramos quando ele é aumentado pelo governo, pois junto com ele, aumenta juros sobre produtos como alimentos, combustível e etc. É subindo o preço do salário e os patrão sobre dos alimentos.

        • Martini Stripes

          Cara, deixa quieto, eles não vão dar o braço a torcer.
          E por texto ainda, e conversas de internet, vc pode apresentar todos os dados do mundo, a opinião deles continuará a mesma.

      • Pagamos quem cara pálida? Fale por você.

    • MMM

      Bom deve ser o Brasil…

      • Tito Reis

        Evidentemente que não, aliás nem disse isso, mas atente que para fins de comparações com o viver aqui e lá, os Estados Unidos não é essa maravilha toda não amigo.

        • th!nk.t4nk

          As pessoas exageram ao falar bem dos EUA? Sim. Mas os EUA ainda oferecem condiçoes de vida significativamente melhores? Sim. Na pior das hipóteses o cara lá que vai comprar um carro usado de 6 mil vai levar um ótimo carro pra casa, pode ter certeza. Aqui o sujeito da mesma classe social no máximo compra uma moto ou uma sucata ambulante.

          • fbl

            isso

          • Na verdade acho que o erro do Tito na discussão foi exatamente esse: Fazer a comparação. E concordo contigo em relação aos exageros, e digo mais: Geralmente eles são sem conhecimento de causa, pelo que “ouvi dizer” ou no esquema das “verdades absolutas que ninguém ousa duvidar”. Na minha experiência americana vi muitos sonhos de consumo, que gostaria muito que existisse a opção de compra por aqui. Mas também vi muitos carros bem usados rodando. Aí pensei “Porque alguém mantém um sedã com 10, 15 anos rodando sendo que um mendigo (Que existe lá, e são muitos! Muitos mesmo) conseguem comprar Ferrari?” Outro erro comum é usar parte pelo todo. “Porque na Europa…”. Espera, qual parte da Europa? Sul da Itália? Portugal? Leste Europeu? Reino Uni.. Quer dizer, Alemanha? França? Suiça? Dinamarca? São mercados diferentes com realidades diferentes. Esses dias me falaram sobre o mercado “europeu” do Chile. Lá tem muitas opções que não tem aqui, é verdade, mas não é nada incomum ver rodando apenas carros bem surrados ou clones chineses. Eu até me espantei com o número de chineses rodando, que depõe completamente contra o “mercado europeu” que alguns pensam que é o Chile. É questão de opção? Aqui você tem opção de Lexus, Ferrari, Porsche, Bentler, Mercedes, Camaro, Hilux, Volvo S90.. Mas você tem que pagar por isso…

            • Megamente

              Eu também vi muitos carros velhos lá. E não vejo problema algum, é questão de prioridade da pessoa. Se ela gosta do carro, ele está andando e ela quer fazer outra coisa com seu dinheiro porque torcer o nariz e achar que ela tem que trocar?

              A questão é que ela quis assim, não troca porque não quer, porque barato os carros são. Ou seja, é uma liberdade pessoal dela, uma opção.

              Aqui não tem opção. A pessoa está andando no carro velho porque foi o que deu para ela comprar.

              • Sim, porque somos mais pobres! Isso é natural! Mas entendi o viés do seu comentário.

        • Henrique12

          Pode até ser que não seja lá essas coisas, mas quem manda o brasileiro endeusar os EUA? Quem tem que gostar dos EUA são os americanos, não nós.

          • Acho tão sem sentido endeusar um pedaço de terra ou alguma pessoa ou determinado grupo por ter nascido nele…

        • MMM

          Tito, eu moro 15 dias no Brasil e 15 nos Estados Unidos. Todos os meses. O Brasil é bom mas não existe comparação.

      • É bom e você sabe MMM. E não falo isso fazendo nenhuma comparação. O problema está nos indivíduos, aqui ou fora daqui.

        • MMM

          Concordo mas a falta de educação das pessoas no Brasil em relação aos outros, aliada a questão da violência estão fazendo com que eu perca a esperança no país. Tem muita coisa boa mas as ruins estão se sobrepondo.

          • Entendo seu desânimo. Mas lembre-se: Para o mal vencer, basta os bons não fazerem nada.

    • CharlesAle

      Lógico que lá é bom..Dá até para comer feijão todo dia por lá…rsrs

      • Tito Reis

        Bom humor é tudo Charles, apesar que o feijão de lá é enlatado, então já não sei se é tão bom assim.

        • th!nk.t4nk

          Pior que tem feijão “normal” nos EUA sim. Preto, carioca, todos. No meu caso moro na Alemanha, e 99% do que tem no Brasil eu encontro aqui (sim, algumas coisas sao mais difíceis de achar, mas tem e o preço nao é muito diferente do Brasil nao!!). Os EUA têm seus problemas sociais, mas sao beeem mais contornáveis do que no Brasil ainda. Puxar saco demais é uma porcaria, mas temos que reconhecer os avanços também.

          • O pior de tudo é no Rio de Janeiro o feijão padrão não ser o carioca!

        • Augusto

          É possível encontrar feijão (in natura) muito facilmente, principalmente se estiver em uma região com muitos latinos.

      • David Ferreira

        cara la mau vende feijão

    • Zé Mundico

      Claro que país nenhum do mundo é um paraíso divino, ainda mais com a crise mundial que abateu muita gente em 2008/2009.
      Nos EUA tem pobre? Tem, e daí? Mas a economia é forte, inovadora, criativa e consegue estabelecer novas metas de crescimento, pois eles tem matéria prima humana de boa qualidade, educação, meios de acesso, logística, qualificação profissional, processos tecnológicos,etc,etc, tudo isso devidamente integrado e direcionado para o desenvolvimento. É um país que “funciona”.
      Usando os mesmo parâmetros da pesquisa americana (10% de entrada e comprometimento de 10% da renda mensal, que já é algo meio irreal, mas, enfim…), você verá que uma família brasileira não conseguirá comprar sequer uma motocicleta.
      Um trabalhador “médio” americano consegue ter um relativo nível de vida que um trabalhador “médio” brasileiro” nunca iria conseguir. Pode viver ali no arame, mas tem uma qualidade de vida onde não sobra nem falta. Basta ver o que tem de gente do mundo inteiro querendo ir viver lá nos EUA. Tem até brasileiro querendo ir ser pobre lá, imagine.

      • Henrique12

        Eu quero ir ser pobre em Detroit, ME LEVA TIO SAM!

        • Na boa: Entendi que é uma brincadeira, mas não, você não quer ser pobre em Detroit. Acredite.

          • SDS SP

            Já fui em Detroit e não pensaria em morar de jeito nenhum por lá. Agora em algumas cidades da região é bem bacana…

          • SDS SP

            Ano passado fui em São Francisco, e cara nunca vi uma cidade para ter tanto mendigo, pqp…Mas em compensação, a cidade é linda e organizada…

          • João Paulo

            Detroit é o reflexo do fascismo sindicalista. Primeiro aceleraram a descentralização da indústria automotiva, que foi em direção de estados e países como sindicatos menos intransigentes, depois a cidade comandada a trocentos anos pelos Democratas foi se afundando em dívidas e contratando um número de servidores públicos incompatível com arrecadação do município. Resumindo, tem que se lascar mesmo!

        • Vc Sabe que o lendário Tio Sam levava as pessoas p/ perder os braços e as pernas em campo de batalha né?

    • Louis

      Hahahahahahaha, passei aqui para rir do seu comentário KKKKKKK

    • fbl

      Só nao da pra ser burro de achar que aqui é bom e que tudo que esta acontecendo é normal. Os EUA sao uma economia monstra e nem pense em achar que essa reportagem quer dizer que essas pessoas nunca comprarão um carro zero (e um carro muito melhor que a media dos brasileiros pode comprar), ao contrario do brasil, onde as pessoas ciclicamente vivem enormes crises financeiras devido a péssima gestão, ideologias idiotas e demagogas arrombam a economia do país e jogam todos na lama de tempos e tempos, nao tendo emprego e muito menos um carro novo. Sim, lá que é bom perto disso aqui. Só sendo muito ignorante e nao conhecendo a vida das pessoas na américa e europa para achar que isso aqui se compara a algo lá. Nao que lá seja perfeito ou que nao tenham problemas mas isso aqui é um passo a frente da áfrica. Só os brasileirinhos tupiniquim não sabem e acham que ta tudo certo.

    • zekinha71

      Não se preocupe, os combustíveis vão subir pra poder pagar o rombo da PTbras.
      Vê se lá fora o povo tem dinheiro pra pagar o roubo do governo, nós temos, somos muito melhores.

    • celso

      Por esse mesmo método, praticamente 90% das famílias brasileiras não teriam condições de comprar um 0 Km.

      • Megamente

        Isso aí todo mundo entendeu, menos o sujeito hater. US$ 33.000 é um carro de padrão muito bom nos EUA, coisa de classe média alta. As pessoas normais lá vão andar de “mero” Civic. As normais daqui tem que se contentar com um Onix.

        • Como aqui é um site de carros, me parece que vcs estão defendendo a ideia de que qualidade de vida significa diretamente o melhor carro que eu posso ter gastando menos

          • Megamente

            Carro é um dos bens mais caros que alguém vai comprar na vida por isso que tem sempre essa discussão mas a diferença de preço de bens entre lá e aqui em regra geral se estende para qualquer outro tipo de bem.

          • Certa vez numa reportagem do globo repórter sobre a Suíça falava da qualidade de vida e da simplicidade. Quando filmavam os grandes centros se via basicamente carros compactos estacionados. E outra , muita gente andando de bicicleta.

    • Alexandre

      Ta ai os paga pau estadunidenses! kkkkkk

      • celso

        Cara, a pesquisa foi feita com base no valor de US$ 33.865.
        Esse é o preço de uma Mercedes CLA lá.
        Você queria que a maioria das famílias americanas tivesse condições de comprar uma Mercedes ?

        • Augusto

          Imagina a quantidade de navios pra trazer esses carros da Europa

        • Alexandre

          Bom, até onde eu sei. Classe média consiste em poder aquisitivo médio (óbvio), sendo assim se um alemão (independente do país de origem do veículo) tem condições de comprar uma CLA, logo, um estadunidense médio (se fosse considerar padrões globais) deveria ter as mesmas condições.

          • celso

            O estadunidense médio não compra Mercedes CLA, compra F-150, Silverado e Dogde Ram, que são “veículos” mais caros que Mercedes CLA.

    • Leonel

      Não existe lugar perfeito, porém, não dá nem para comparar os veículos deles com os nossos. A “Nova Tucson” (que nem deveria existir Tucson e IX35 aqui, mas ok) virá (segundo especulações) por R$140 mil, enquanto lá começa pouco acima dos US$22 mil. Ou seja, vamos por um teto de US$20 mil para eles comprarem carros. O nível de qualidade, segurança e etc do que eles podem comprar é MUITO superior ao nosso. Quem tem R$50 mil hoje mal compra um Gol…

    • Fabricio Conchon

      E QUE LÁ CAMARO É CARRO DE MENDIGO…. kkkkk

    • Renato Duarte

      quem sai daqui pra lá pra ganhar dinheiro tem que esquecer as palavras “FOLGA” e “DIVERTIMENTO”.

    • Fábio

      Lá é bom e MUITO melhor que aqui! E aí?

    • Megamente

      A gente tem que paga pau mesmo, baixar a cabeça e olhar para o próprio umbigo e ver as mazelas daqui. Esse papinho hater com EUA é coisa de comunistinha que gosta de louvar Cuba e seus “avanços”.

      Nos EUA não trabalha quem não quer. Até ilegais arranjam emprego lá. E são mais de 10 milhões deles. Quem fica na rua, fica por quer e não quer trabalhar e prefere ficar recebendo welfare, o bolsa família deles.

      No dia que tiver hordas de gente vindo ilegalmente para o Brasil para trabalhar, eu vou dizer que aqui está melhor lá, mas enquanto gente do mundo todo continuar indo para os EUA, inclusive muitos fugindo daqui, qualquer tentativa de negar a realidade é estelionato.

      • João Paulo

        Sem falar que boa parte desses indigentes deve ter problemas familiares, vícios ou ficha criminal. Empregos do tipo de Walmart e McDonald’s existem aos montes, é só deixar currículo que no outro dia já estão te chamando. Claro que com um trampo desses você não terá uma vida boa, mas se juntar com 1 ou 2 amigos já consegue alugar um teto pra não ficar mofando nas ruas, com o tempo dá pra ir subindo na carreira ou correr atrás de melhores serviços.

    • João Cagnoni

      Ai ai…

  • Lá os carros usados não valem NADA… Aqui valem ouro… E ainda vc é enganado e precisa reformar o carro inteiro depois de comprar…
    Enfim, mundos diferentes, lá é a meca do consumismo, como dizem. Eles produzem seus carros, nós importamos tudo (ou terceirizamos a montagem aqui, pois os projetos vêm de fora, salvo raras exceções).
    Já fui pra lá, gostei de comprar coisas (iPhone, roupa), conhecer outra cultura, mas nunca tive a menor vontade de mudar de País.
    Dá p/ viver bem por aqui, mas é preciso se esforçar bastante. Por lá, qualquer trabalho braçal já garante uma vida com os bens materiais necessários. (mas isso não implica felicidade automaticamente, pois o consumismo é uma alegria momentânea)
    Só que ter liberdade no trabalho é mais fácil aqui… E isso pra mim é mais importante (embora o dinheiro seja fundamental, essencial, absolutamente necessário).

    • Delto Sampaio

      Gostei da sua comparação sobre trabalho lá e etc.. Aqui carro vale muita coisa, lá é um bem comum e qualquer.

      • Vc tocou no ponto fulcral: Aqui o carro é uma conquista…
        Às vezes chega ao absurdo de representar uma graça divina… Quem nunca viu no face as pessoas agradecendo À sua “entidade suprema universal de preferência” a conquista do tão sonhado automóvel? Seja zero, seja “seminovo” (nome carinhoso para o bem usado). Ainda mais nesses tempos de igrejas evangélicas neo-pentecostais..
        E carro também é posição social… O estagiário precisa ir de busão; o funcionário de classe baixa de Gol mil; o chefe do setor de Voyage Evidence; o gerente de Golf, o Diretor regional de Jetta TSI; e o CEO da empresa NECESSARIAMENTE de Passat… Quando o chefão chega de Voyage as pessoas bugam, porque ele era esperado para ter um carro de acordo com seu cargo/posição… E isso motiva muitos a tentar transparecer uma falsa imagem mediante um carro que não condiz com sua renda…
        E aí as dívidas, enforcamentos, a supervalorização dos usados (porque rodar de Civic 2010 custa 35 pila, mas pode fingir que tem grana para um novo, ninguém precisa ber que é usado).
        Mesma coisa quando um zé rodela aparece de Evoque… Imediatamente ganha respeito e importância, sendo irrelevante se é um pilantra, se o carro está pago etc… Comum as minas sem cabeça se apaixonarem por esses nas baladas (cujas bebidas SEMPRE são falsificadas, fica a dica), que pagam tudo, têm carrão, e quando vê é um traficante
        EM suma: não gaste todos os seus trocados, compre um meio de transporte útil de acordo com a sua renda e pare de ser vítima da publicidade, consumismo etc. (A não ser que seja rico, aí vc está autorizado a torrar. Mas também acaba um dia)

        • automotivo

          Todos os ”presidentes ‘ ‘ da Herbalife também tirsm a foto oficial ao lado de um carrão.

          • Mera semelhança com a infame Telexfree é pura coincidência

          • Mas a idéia é essa ,fingir que trabalha numa empresa de referência só porque os funcionários possuem carro do ano. E tem quem acredite. Pegue o exemplo da Friboi que faz propaganda de carne , e tem gente que acha essa empresa uma referência no mercado. Depois pesquisa sobre a JBS , dona da Friboi no google para ver a realidade . em especial nas condições dos funcionários.

        • Seu comentário está razoável, mas está faltando o mais importante: Uma linha para eu assinar em baixo. Parabéns!

        • Lexfamulus

          Eu, advogado ainda em início de carreira, ouvi a pouco tempo que para o advogado seria um bom investimento comprar um carrão. Pois o cliente o veria em um carro caro e imediatamente deduziria que é um ótimo advogado. Em outras palavras, o “carrão” serviria para provar competência e a atrair clientela. Raciocínio absurdo, mas que reflete bem a realidade narrada em seu comentário.

          • Também sou do Direito e também ouvi isso.
            Um carrão, um escritório vistoso etc.
            Querendo ou não, as pessoas são muito influenciadas pela imagem.

    • Zé Mundico

      É por aí mesmo. Já estive lá um tempo e deu para conferir que lá tem pobre como todo lugar do mundo. A diferença é o nível econômico do país que permite ao indivíduo, mesmo sendo pobre, ter uma vida relativamente digna e com algum conforto material.
      Assim como aqui, lá tem operário, trabalhador braçal, garçom, motorista de taxi, balconista de loja, vigia, etc…..tudo ocupação de pessoas humildes, mas que mesmo assim conseguem ter uma vida decente e dentro dos limites da dignidade.

    • Vitão

      Pois é, ultimamente fiquei pesquisando que nem louco um jeito de sair daqui e ir pros EUA.

      Parece que lá nem tudo são flores, preço dos produtos, eletrônicos, carros, etc… Na realidade tem que dar o duro danado, trabalhar muito e dificilmente as pessoas conseguem msm comprar carro zero km. A maioria dos canais que assisto no Youtube, tirando raras exceções, compravam carros usados de 3 a 7 mil dólares.

      Tudo bem que pelo menos possuem acesso a saúde, educação (até o ensino médio) gratuito, segurança e tal. Mas os aluguéis são caros, universidade é caro e se não tiver plano de saúde já era… Se pensar em comprar uma casa, vai ser toneladas de prestações de 30 anos, fora as taxas de manutenção, cortar grama (senão é multa), impostos, reformas, seguros e mais seguros. Às vezes é uma ilusão.

      Pensei mto msm e acabei concluindo que a grama do vizinho parece ser mais verde. Mas que tbm no Brasil, tirando a política, violência, malandragem, creio que tem tudo para dar certo e ser uma benção…

      • saosao

        Exato Vitão! As pessoas acham que os EUA é uma maravilha e é só chegar lá que vai ter trabalho para podermos comprar uma Cherokee. Mas a pessoa só pensa nisso, em carros que podem comprar, mas se esquecem do custo de vida… lembrando que lá nem serviço de saúde gratuito eles têm (aqui temos o SUS, que mesmo funcionando mal, é um grande avanço para a sociedade em geral).
        Os únicos pontos que realmente fazem a diferença entre ficar aqui ou sair são os que vc apontou: corrupção, violência, malandragem etc. Porque de resto, o sistema capitalista age igualmente sobre todos, gerando riquezas e pobrezas.

      • Sabe qual é a questão? Vejo muita gente culpando o lugar pelos seus fracassos. Eles acham que trocando o campo de batalha, sua vitória é garantida. Claro que você pode muito bem se encaixar em um lugar e não se encaixar em outro, mas um fracassado no Brasil não se torna um vitorioso no EUA. E as vezes a questão não é nem fora do país: Quantas pessoas não migram de um lugar para outro dentro do nosso país buscando uma chance em outro lugar e só trocam de uma miséria para outra? A verdadeira pergunta não é o que o lugar tem a oferecer a você, mas o que você tem a oferecer para o lugar.

        • Henrique12

          Disse tudo agora, o problema do Brasil (e dos brasileiros) é achar que tudo deve vir com facilidade, os americanos tem uma vida melhor, sim! Mas trabalham muito pra isso, estudam pra isso, alguns tem 2, 3 empregos. O brasileiro tem a (infantil) visão de que os americanos recebem tudo de mão beijada. Todo país do mundo, rico ou pobre, se o indivíduo não empreender, não inovar, ou não ralar mesmo, não vai conseguir nada, esse é o fato.

          • Vattt

            Nos EUA se você empreender e estudar, vai ganhar muito dinheiro, no Brasil seus lucros vão virar imposto, e seu trabalho e esforço apenas prestação de serviço ao governo. No fim, o que você recebe é uma comissão sobre o que você produziu e estudou, e o governo com o lucro. Não acredito que você pense que brasileiro que ganhar na facilidade, o exemplo vem de cima, e nossos governantes que ganham na facilidade extorquino o trabalhador que perde o estímulo rapidamente quando o dinheiro recebido, dura só o tempo de pagar as contas de água, luz, prestação do carro, casa, comida, combustível, plano de saúde e educação.

            • “…Nos EUA se você empreender e estudar, vai ganhar muito dinheiro..”

              Não necessariamente. Se essa fosse a fórmula do sucesso não haveria pobres por lá.

            • A título de informação nos EUA uma pessoa física pode pedir falência judicial para ter suas dívidas perdoadas e começar sua vida financeira do zero. Até onde sei milhares de pessoas fazem isso anualmente, o que indica que você pode empreender e fracassar (quebrar financeiramente ) como em qualquer lugar do mundo. O Brasil possui inúmeras pessoas que empreenderam e se deram bem.

        • Louis

          Sim, concordo que um fracassado será fracassado aqui, ou nos EUA.
          Mas uma família de classe média tem uma qualidade de vida muito melhor em um lugar desenvolvido, do que neste curral aqui.

          • Depende Louis. A família Classe Média está no interior de São Paulo, na Serra Gaúcha ou em São Luís? A família class média americana mora em Nova York, em Detroit ou em Saint Louis? São tantos países dentro de um país. Não dá para generalizar.

        • Eu acho que aí vc matou o X da questão: Culpar o País, o governo, ou seja, terceiros, pelo fracasso pessoal

        • João Paulo

          “Dos norte-americanos oficialmente considerados “pobres”, 99% têm eletricidade, água
          corrente, descarga e uma geladeira; 95% têm uma televisão; 92% têm
          forno-microondas, 88% têm um telefone; 71% têm ao menos um carro, 70%
          têm ar condicionado, mais de 60% têm TV a cabo e 42% moram em
          residências próprias”
          Acho que eu sou considerado classe média pelo governo brasileiro, não tenho carro, não tenho microondas, não tenho TV a cabo e pra finalizar também não tenho residência própria.

          Primeiro bote uma coisa na cabeça, o padrão pobreza americano não é o padrão pobreza brasileiro! E segundo que muita gente que está em situação de sem-teto nos EUA se encontra assim por conta de seus atos, é dependente alcoólico ou químico, pratica pequenos crimes ou é incapaz de se fixar nos empregos que consegue.

          Pode ser que o vagabundo brasileiro não consiga se estabelecer na América, agora para o batalhador, certamente é bem mais fácil ele prosperar por lá do que por aqui.

          • Desculpa, quem comparou pobres de lá com pobres daqui? Nos meus comentários é que não foi. E não preciso “botar” nada na cabeça, preciso conversar com as pessoas para entender, conhecer a realidade dos lugares e daí tirar minhas conclusões. Leio coisas, converso através de fórum e blogs como estamos fazendo agora e também viajo bastante. Não quis fazer uma comparação com a realidade brasileira, apenas comentar que lá não é essa Xangri-la e que falam não. Há esses pobres que você falou e também há outros, abaixo dessa qualificação que não tem esses itens. E essa idéia meio “Auschwitz” de que o trabalho liberta não é bem assim não. E não tem essa do cara ser vagabundo aqui e trabalhador lá. Tem gente que se mata de trabalhar aqui com uma carga horária desumana e mal terá o que comer . E vai ter gente lá que também trabalhará direto apenas para suas necessidades básicas (Ah, namorei uma menina do “outro” Estados Unidos. E será que esse pensamento explica o motivo dos 20 principais filósofos/pensadores cujas idéias inspiraram o nazismo falarem inglês e não Alemão?).
            E porque será que a informação da situação da “muitos” dos sem teto do seu comentário foi o único dado que não veio com porcentagem (Não sei qual a fonte dos outros dados, mas vamos tomá-los como verdadeiros)? Porque será que ele não é oriundo do senso comum, daquelas “coisas que todo mundo sabe” que se está na rua ou é vagabundo, ou drogado ou criminoso? Pois assim como eu vi contrabandistas em Chinatown, também fui ajudado por um sem teto do Queens para chegar em um ponto que eu queria (E nem entrei no mérito dos vícios dele ou dos problemas com a justiça). Mas também isso nem vem ao caso: Agora vamos falar que os sem teto de lá são melhores que o sem teto daqui? Sem teto para mim é sem teto em qualquer lugar! Seja em Ruanda, Nova York, São Paulo ou Dubai! Talvez a diferença é que os mendigos de Nova York podem entrar na IBM de Hortolândia porque falam inglês! Heheheh… Ok, eles são desenvolvidos e nós não, o que não quer dizer que lá é o Paraíso e aqui o Inferno. Até porque falamos do 4 e 5 maiores países do mundo em extensão territorial e com mais de 500 milhões de habitantes, com milhares de “Brasil” e “EUA” dentro desses países. Só isso que falei. Será que daqui a pouco vamos estar falando que o EUA são superiores porque a comida dos sem teto de lá tem menos chumbinho?

            Mas vou terminar meu comentário com a sessão de horóscopo:
            Sorte do Dia: Você não é um negro no Texas.

      • sepchampions

        Se aqui tivesse segurança de 1° mundo 70% dos meus problemas estariam resolvidos

  • Rafael Yashiro

    A diferença é que o mercado norte americano de usados é gigantesco. Se vende muito carro, logo muito carro entra no mercado de usados.
    Outra, aqui no Brasil os juros conseguem ser mais altos, atualmente andam pedindo até 70% de entrada e com a nossa renda média o comprometimento da renda é bem maior.
    Mas ao menos nos EUA se consegue comprar um usado bem legal, aqui com R$ 10 mil, que já é muita grana para muita gente, da para levar um Palio 1.0 MPI 2001.

    • th!nk.t4nk

      Morando nos EUA o melhor negócio é comprar só usado (se tiver a grana na mão).

    • celso

      Nem é preciso recorrer ao mercado de usados.
      A pesquisa foi feita com base no acesso ao carro novo levando em conta o preço médio (US$ 33.865). Agora, qualquer família americana tem acesso a um Civic 0Km por US$17,800.

      • saosao

        Sem teto também?
        E a família que ganha US$17.800 por ano consegue ter um Civic 0km de US$17.800?
        E o dinheiro para os impostos de renda etc, o plano de saúde, casa, alimentação, combustível, educação, lazer? vai pagar quando?

        • celso

          Cara, quantas famílias americanas ganham US$17,800 por ano ?
          Uma família é composta por marido, mulher e filhos.
          Se a renda é baixa, os dois (marido e mulher) podem trabalhar.
          Se cada um deles ganhar um salário mínimo ( US$1,000 descontados os impostos), dá mais de US$22,000 anuais.

      • Rafael Yashiro

        Sim, eu sei, e tem o fato facilidade de compra. As vezes conseguir um juros baixo não é tão difícil, entre outras condições de compra, como o leasing.

  • Diogo Oliveira

    Imagina se esse estudo fosse no Brasil…

    • Fanjos

      Ia dar que 95% das famílias brasileiras não podem

      • durango

        Penso q o Sr. está sendo otimista!

  • zekinha71

    Tem certeza que esse estudo foi feito nos EUA, acho que foi feito na banânia.

  • FocusMan

    Estou aqui em Detroit no momento e o que mais tem na rua é carro velho.

    Nada como ver na realidade o que os outros acham que é uma pura maravilha.

    • Cara, você ainda está na parte boa. Pelo menos 1/3 da cidade virou cidade Fantasma! Impressionante! Parece New Orleans depois do Katrina.

      • FocusMan

        Eu já rodei bastante por aqui. Gosto de ficar rodando e tirando fotos kkk. É bem feio mesmo, parece que rolou uma guerra nuclear.

    • Henrique12

      Todo mundo sabe (inclusive aqui no Brasil) da “realidade” de Detroit, mas os EUA não é apenas Detroit, e mesmo se fosse, prefere morar na Detroit decadente ou no progressista Maranhão?

      • FocusMan

        Depende viu. Nunca dei tanto valor ao Sol do Brasil depois que passei algum tempo no inverno por aqui. Como eu disse, ter uma casa bacana por aqui é o mesmo preço de ter uma casa bacana no Brasil. Ter um carro bacana também.

        Andava aqui num carro com 390 cv e voltei ao Brasil para andar no meu carro de 135cv. Primeira semana foi depressão, na segunda semana eu já achava que tinha um carro muito bom de novo.

        Se eu fosse alguém sem uma boa profissão ou sem oportunidades no Brasil, pensaria diferente certamente, mas hoje acho que se você conseguir preparação para uma boa vaga de trabalho, viver aqui ou no Brasil é bom.

        A única coisa que me assusta no Brasil é a violencia. Mas isso vc consegue administrar.

        • Tosoobservando

          So que seu carro de 390cv nos Eua se bater vc nao morre facil, agora aqui dependendo do modelo é morte na hora, por isso que temos o maior indice de mortes no transito em acidentes fatais do planeta, alem do maior indice d e mortes por armas de fogo, isso pq aqui arma nem é liberado visse

          • FocusMan

            É o mesmo carro que vende no Brasil.

            Pare de culpar os outros pelos problemas. O problema do indice de morte não é dos carros, mas sim da gente que dirige muito mal. O que mata é a falta educação, não a falta de segurança nos carros.

            Se você não bater o carro pq está ultrapassando em um lugar errado, ou porque correu demais bebendo, ou porque fez uma conversão errada, ou porque se distraiu usando o telefone, realmente você teve um acidente e ai ter um carro seguro ajudaria a poupar sua vida. O mesmo vale para o próximo. Se ele cuidar da vida dele, ele ajuda a preservar a sua.

            Nos EUA e na Europa, os carros sào mais seguros por pressão das CIAs de seguro. Não acredite que os carros aqui são melhores pq os americanos merecem mais.

            Na velocidade que os carros andam aqui nos EUA, se batem, não importa se é 5 estrelas, o cara vai se estrepar. A Galera anda muito correndo aqui, mas todo mundo dirige bem acima da média no Brasil. Além disso existe uma coisa chamada respeito.

            • Tosoobservando

              Ja foi comprovado que a culpa é sim dos carros, senao nao existiria crashtest e a mesma pessoa nao morreria nas mesmas condições. Pare vc de tapar o sol com a peneira, uma coisa é vc nos Eua comprar um Corolla 5 stars no crashtest cheio de equipamentos de segurança e aqui vc so achar o mesmo nivel em carros acima de 50 mil, isso quando acha. Pare de fingir que a realidade é outra e minimizar as coisas.
              Veja uma pesquisa feita por instituto nos EUa que compara pq ae, mesmo tendo quase 6 vezes mais carros que aqui, tem 4 vzs menos acidentes fatais. Se isso tudo é culpa do motorista, somos pessimos entao.

              • FocusMan

                Aqui tem 10X menos acidentes. Somos péssimos motoristas mesmo.

                • Tosoobservando

                  vc falar que sao os mesmos carros feito no Brasil, o carro mais barato nos Eua Nissan Versa aqui com os mesmos equipamentos do basico la custa + de 50 mil, ou seja, os carros que lotam a maioria das cidades e estradas brazukas nao existem nos Eua e nunca passariam pelos criterios de segurança de la. Entao nao sao os “mesmos” carros, nunca, jamais.

                  • FocusMan

                    Não generalize. Acho que vc está sendo reativo ao invés de querer entender o meu ponto;

              • FocusMan

                Foi comprovado por quem que a culpa da quantidade de mortes é por causa dos carros? rapaz, não fique inventando estudo… rs

                • Tosoobservando

                  Foi comprovado nos crashtests onde os carros mais vendidos maioria tirou 0 a uma velocidade de 40 a 60 km/h, e os dummies demonstram, e nao, nao preciso inventar estudo, é so ver os videos do que acontece com esses carrinhos e seus “tripulantes”, depois ver alguns de acidentes pelo país, por alguma razão é igual meu brother, sera pq kkk

        • Mas Detroit está entre as 50 cidades mais violentas do mundo.

          • FocusMan

            Na realidade hoje é a vigésima. Já foi a quinta.

            • Tosoobservando

              Vc ta falando dos Eua, ele falou do mundo. Detroit nunca foi a 5ª no ranking mundial.

              • FocusMan

                É errei… ela foi a oitava. New Orleans que foi a quinta.

          • FocusMan

            Mas a violência aqui é bem diferente da do Brazil. Não existe latrocínio, nem assalto. Tem morte por violência relacionada a drogas e gangues. É como a violência do estado de Alagoas.

    • Tosoobservando

      Detroit é a cidade americana que quebrou, por culpa da propria cidade, e alem disso tem os maiores indices de violencia do país, fruto de que??? Ma administração, principalmente democratas ne kkk Eu acompanho tudo que ocorre e os proprios americanos ficam chocados com a situação que chegou a cidade.

      • FocusMan

        Foi culpa dos sindicatos. Como eu disse, é muito fácil jogar a culpa para os outros.

        Os sindicatos quebraram a indústria. A indústria fugiu da região e com isso acabou com o emprego. Fora isso, a maior parte das casas que hoje viraram até atração turística local, foram abandonadas durante as revoltas raciais na década de 70, entretando as pessoas ficam repetindo que elas foram abandonadas por causa da crise, o que nem sempre é verdade.

  • FocusMan

    Um monte de revoltado que ainda não tem emprego fica postando porcaria aqui.

    Se você pegar uma pessoa com um bom emprego no Brasil e nos Eua, o salário em valor monetário é bem parecido.

    Alguns bens de consumo nos EUA tem valor absurdamente barato e outras coisas tem valor absurdamente caro.

    Não achem que uma vida boa é ter uma casa bacana e um carro bacana. Exitem outras coisas que a gente tem no Brasil e que eles nào tem que me faz não querer deixar o meu país, mesmo tendo uma boa facilidade para tal.

    • Tem Focus aí, então não reclama! Hheheh

    • Louis

      O que, por exemplo, é absurdamente caro para um estado-unidense? Quando estive aí, achei comida cara, mas é porque eu ganho em reais.
      Nenhum país é perfeito, mas acho que viver nos EUA nem tem comparação com viver na Banânia. Isto aqui está cada vez pior. Não sei se está acompanhando o noticiário daqui, o estado do RJ está quebradinho, de 4, nem aposentadoria estão pagando. E em SP, estão invadindo empresas de transporte de valores quase todo mês.

      • FocusMan

        A coisa mais importante para viver: Saúde!

        Educação de nível superior também é bem cara. Nem todo mundo tem acesso.

        A percepção de pobreza depende muito das necessidades das pessoas. Nos estados unidos uma pessoa pobre tem uma vida melhor que no Brasil, porém se sentirá pobre do mesmo jeito.

        Nào tem como comparar, a vida aqui é muito mais confortável do que a vida no Brasil, mas de forma alguma é um paraíso como dizem.

        • Henrique12

          Mas e a infra-estrutura do país, onde fica? Minha cidade tem um bairro de ricos, todo esburacado, internet péssima, coleta de lixo idem, IPTU caríssimo, e assaltos, não adianta a pessoa ser rica num país pobre, com $$ ou sem $$ s pessoas terão serviços “de terceiro mundo” e consumirão produtos (como dizem as montadoras) para mercados “emergentes”. Sem falar da violência.

          • FocusMan

            Lembre-se que os EUA não é formado apenas pela California :)

          • Henrique não existe IPTU caríssimo no Brasil

            E a administração das cidades é feita por pessoas que o próprio povo elege p/ esse cargo (o Prefeito geralmente sai do meio do povo, é uma figura conhecida de todos, principalmente no interior… Não é uma figura que veio de outro mundo como a Dilma ou o Renan Calheiros)

        • Tosoobservando

          No Brasil temos saude de qualidade #sqn (aqui na minha cidade tambem ta o caos, o hospital federal da UFU fechou o PS por falta de pagamentos, remedios etc..). Temos saude de graça? Temos, mas nao temos, so se tiver disponivel (tem cidades do interior que mal tem hospitais, nas grandes maioria superlotado).
          Educação superior aqui tem? Vejamos kkk universidades publicas ainda 80% de quem entra é classe media alta pra cima (ate os que usam cotas pra negros, e de quem estudou em escola publica, maioria tem grana tambem). Particulares nem comento, pq é uma loteria, sao pessimas, e é tudo por dinheiro. Aqui nao é o inferno, mas esta proximo dele.

          • FocusMan

            É muito mais fácil ingressar na Faculdade no Brasil do que aqui se você for pobre, posso te gerantir.

            Se você for pobre, vai ter que estudar muito para conseguir uma bolsa. No Brasil, a galera não quer estudar. A galera quer cota pra passar de maneira fácil.

            • Tosoobservando

              Kra so se facilitou a entrada aqui na faculdade de uns 10 anos pra ca, antes era ainda mais dificil, nem cotas tinha. E outra, um pobre nao entra na faculdade pq tem preguiça de estudar, e sim pq nao tem condições mesmo, tem de trabalhar pra sobreviver, comer etc… alem do que a maioria dos cursos melhores sao integrais, entao nao seja tao simplista.
              E nos Eua o que mais tem é bolsa de estudo, mas talvez pelo fato de tudo ser cobrado, as pessoas deem mais valor, as familias economizam desde criança pro filho ir pro college. Aqui nao ja acontece tanto.

              • FocusMan

                Meus pais eram pobres e entraram na Faculdade Federal. Pobres mesmo. Meu pai vendeu até picolé na rua. A familia dele mandou ele estudar ao invés de jogar bola. Hoje ele ganha mais de 30 mil reais e vai se aposentar com salário integral. Minha mãe também seguiu o mesmo exemplo. Faculdade federal. 9 Irmãos, familia pobre.

                Vamos parar com isso. A vida está cheia de oportunidades, mas nego prefere ver o BBB e dançar funk e depois fazer filho pra eu sustentar pagando imposto para programa social.

                • Tosoobservando

                  SE ele tivesse jogado bola tambem ganharia os 30 mil talvez ou ate mais, seria milionario. E tem muito funkeiro rico tambem. Assim como tem muita gente que tem faculdade e nem emprego tem. Seu ex nao elucida nada, a vida nao é igual pra todos, sorry.

                  • FocusMan

                    Não seria não. Meu pai tem 65 anos.

                    • Tosoobservando

                      Vc nao tem como saber, e se seu pai fosse o Garrincha ou o Pele?

      • Henrique12

        Avisa ele da vacina da gripe que não tem, do surto de zika, de dengue, dos corredores lotados, hospital matando gente do SUS para dar vaga para os planos, das UPAs fechadas no RJ devido a falência do estado, vamos falar de saúde no Brasil… Ou melhor, da falta dela.

  • CanalhaRS

    Se tá complicado para os norte americanos comprarem carro, imagine para os “índios” aqui.

  • Vattt

    São consumidores apesar de consumistas, mas bem conscientes, e tem o fruto do seu trabalho e estudo mais na mão, diferente do brasil que vai 50, 60% de tudo que se aprende e produz para o bolso obscuro do governo. Recomendo a todos o programa GIGANTES DO BRASIL, do Canal History, para saber como rapídamente o Governo tomou posse de tudo que se existia no Brasil por que não queria investir nos empreendedores brasileiros e não permitiam que os estrangeiros invadissem nosso mercado.
    E apesar de não comprar muito carro novo, o mercado americano é o maior do mundo, sem comparar com a china por favor.

  • pedro rt

    aqui e 60% de entrada taxa 0% e o resto em ate 24 meses

  • Caio

    Eu, como muitos outros, ja fui muito deslumbrado com o consumismo americano, confesso que as facilidades deles em adquirir as coisas ainda me encanta, mas hoje isso nao é mais uma prioridade para mim, estou pesquisando paises para fazer um intercambio e posteriormente um college e o quesito principal da busca é: Segurança

    Sim, somente seguranca, o resto é consequência, mas quero pular para um país em que eu me sinta seguro, infelizmente ja nao me sinto aqui no brasil

    Algumas dicas??

    Tenho 3 em mente

    Eua
    Canada
    Irlanda

    • paulo sergio berezovski

      Canadá dizem ser mais seguro que os EUA

      • Caio

        Sim, Canadá é a minha primeira opção, mas quero olhar outros destinos

      • MauroRF

        Os próprios canadenses fazem piadas do EUA, dizendo que ali eles são iguais aos EUA, mas sem armas e com plano de saúde, kkkk.

        • Caio

          Hahaha o bom do canada é que estao ” pegando ” muitos imigrantes, é o mais ” fácil ” de ficar legal

        • Já os EUA dizem que os canadenses são EUA frescos, kkk

        • Tosoobservando

          Sem armas? Mas o Canada é o país com mais armas per capita do planeta.

          • MauroRF

            De onde você tirou essa informação? Só para saber sua fonte. Em rápida pesquisa aqui, vi que o Canadá está em 13º nesse quesito (digite “List of countries by number of guns per capita” e veja os dados (Wikipedia)), se bem que esses dados são de 2007 e não encontrei aqui dados mais atuais. E nas ocorrências que li, os EUA estão em primeiro lugar.

            • Tosoobservando

              Veja o doc do Michael Moore sobre armas no Canada, as informações sao que la tem mais armas do que residencias, sao mais de 7 milhões de armas registradas, pra uma população de 35 milhões de HAB.

    • Tosoobservando

      Australia tambem e é bem proximo do Brasil em clima.

      • Caio

        Austrália parece ser MUITO bom, mas sabe quando voce nao tem tanta vontade? Sei la, Austrália nao me cativa tanto

    • MauroRF

      Irlanda é ótima, cara, meu irmão morou lá 3 anos, eu fiquei 3 meses em 2012, o custo de vida é baixo até em Dublin, só que faz frio até no verão (digo, os dias mais quentes fazem 26, 27 graus, mas são poucos, porém o inverno não é tão rigoroso, mas eu adoro frio, então gostei), mas é um país “simples”, um povo muito simpático e as leis funcionam muito bem. Claro, sempre tem problemas, mas são mínimos perto dos que temos no Brasil. Em Dublin, por exemplo, é muito comum você ver uma pessoa dentro de seu carro, estacionado em uma rua qualquer, consultando emails em seus notebooks enquanto toma café, ou abrir seu note no transporte público sem problema algum.

      • Caio

        Eu tambem gosto de frio kkkkkk o clima sempre nublado da irlanda é um otimo atrativo kkkkk mas e a questao do sotaque deles? Dizem ser bem forte e bastante dificil de entender, o que me diz?

        • MauroRF

          Ah, sim, o sotaque é diferente sim, no começo, estranha, mas depois acostuma. Eu dava risada com algumas pessoas falando “Are you ready?”, eles falam isso de um jeito engraçado, forte, meio cantado, só estando lá para ouvir como é. E eu adoro aquele clima na maioria das vezes nublado da Irlanda. Em suma, a Irlanda pode ser um lugar onde morarei um dia ainda. Dublin é uma cidade grande organizada (grande naquelas, não tem 1 milhão de habitantes), tudo funciona, transporte público, respeito etc. E quando tem aqueles bêbados baderneiros que saem dos pubs, geralmente nas madrugadas de sábado pra domingo, a polícia fica em cima e prende mesmo se eles ameaçarem fazer arruaça. Totalmente diferente daqui.

          • Caio

            Hahahahahah la ta com um bomm CxB, e emprego la? Nao acho muitas informações na net

            • MauroRF

              Olha, não sei agora, mas na época, meu irmão disse que sim. Ele era “cleaner” lá e ganhava 2500 euros em média por mês, a esposa dele tirava mais que isso como “babysitter”. Eles levavam uma vida boa lá, mas tiveram que voltar porque os sogros dele aqui no Brasil estavam mal de saúde e não tinha ninguém para cuidar deles. Mas meu irmão disse que assim que der, vai voltar para lá, e agora disse que vai tentar trabalhar na área dele para ganhar mais.

              Em relação aos outros países que você citou, tenho um casal de primos morando na Austrália há 4 anos e estão superbem lá, não sei quanto ganham, mas disseram que não voltam ao Brasil nem em sonho. Já no Canadá não conheço ninguém que esteja lá. Nos EUA, eu conheço algumas pessoas e, acredite se quiser, as que falam que estão bem, que estão gostando e tal são as que vivem no interior dos EUA ou em cidades pequenas ou médias (sabe aquelas cidades de que você nunca ouviu falar?). Um casal de amigos mora em uma pequena cidade da Califórnia chamada Borrego Springs, e estão adorando. Ele conseguiu emprego em um hotel lá e está feliz da vida. Quando precisam de coisas “mais avançadas”, vão para San Diego (que é a cidade grande mais próxima). Outro casal que conheço está em Kansas City (conhece?). Eu conheci Kansas City (a do Missouri, que é a maior, pois tem outra cidade Kansas City colada, mas no estado de Kansas, incrível as duas cidades são coladas, mas só têm o nome igual, uma no estado de Kansas, outra no de Missouri, a do Missouri é a maior, a mais conhecida). Uma delícia de cidade, povo simples e muito acolhedor, igual às cidades do interior de SP aqui. Eles mesmos me perguntavam o que que eu estava fazendo ali “in the middle of nowhere” (no meio do nada), como assim eu não tinha escolhido NY ou outro lugar famoso e fui parar ali? rsrsr, é engraçado (expliquei que estava na casa de um amigo e tal), mas toda aquela região central dos EUA é bem diferente, o povo é bem mais humilde, mais simples, é aquele povo que vive o seu dia a dia, sem tanta frescura, nada a ver com a “riqueza” de cidades grandes como NY, LA etc. Aliás, o sotaque de toda aquela região é muito gostoso de ouvir, foi um dos que mais gostei. E por exemplo no Tennessee tem bastante estrangeiro fazendo intercâmbio, principalmente em Nashville (de onde saiu e sai um monte daqueles cantores country).

              Em suma, aqui no Brasil, nos EUA (e acho que em qualquer lugar do mundo), as cidades não muito grandes, mas com um bom grau de desenvolvimento (caso de muitas cidades médias daqui do BR) são os melhores lugares para estudar e viver.

              • Caio

                Bom que voce tem hospedagem grátis nos 4 cantos do mundo né??

                Hahahahaha

                Top mano, valeu pelo relato

                • MauroRF

                  KKKKKKKKK, falando sério, isso ajuda pacas, economiza bastante. Tenho os primos da Austrália em Sydney, um casal de primos em Paris (esses eu ainda não visitei, rsrs), fiquei 3 meses na casa do meu irmão quando ele morava em Dublin, fiquei em Borrego Springs na Califórnia (mas em Los Angeles e San Francisco tive que tirar a mão do bolso, rs), em Kansas City fiquei 1 semana na casa do casal de amigos (mas nos outros lugares, ficamos em hotel, como Tennessee, na Geórgia, Kentucky, passei até pelo sul de Illinois, mas faltou tempo para esticar até Chicago, fica pra próxima porque agora com câmbio mais alto complica mais.

                  Eu acho as viagens um dos melhores investimentos que podemos fazer. Você jamais esquece dos bons momentos, do que curtiu, viu, aprendeu.

                  Falta eu arrumar amigo/parente na África, no Japão e na Ásia no geral, kkkk.

                  Valeu

    • Zé Mundico

      Realmente, segurança tira qualquer um do sério. Conheço 2 casais amigos que já estão se planejando para ir morar em Portugal depois de se aposentarem. São profissionais liberais que conseguiram uma boa renda, os filhos já estão criados e pretendem se mandar daqui para viver num lugar mais civilizado.
      Eu mesmo já estive várias vezes em Portugal e posso dizer que pode-se andar calmamente nas ruas a qualquer hora do dia ou da noite, inclusive madrugada. Rapaz, não tem dinheiro no mundo que pague essa paz de espírito.
      Também já visitei amigos e amigas que moram em várias cidades da Itália (Pádua, Verona e Roma) que dizem que nunca mais pretendem colocar os pés de novo no Brasil.

      • Caio

        Pois é, segurança é tudo, recentemente minha mae foi assaltada 2 vezes num intervalo de 2 meses, nas 2 vezes colocaram arma na cara dela e falaram que iam mata-la se ela nao tivesse dinheiro, que covardia pqp fiquei louco, minha mae tem 1,60 e 60 anos, tava trabalhando no seu comercio, o seu lazer é trabalhar e vem esses lixos fazerem isso, hoje ela trabalha atras das grades, morrendo de medo, nao dá, simplesmente nao dá, a sensação de insegurança e impunidade ja me fizeram desistir do brasil, espero convenver a ” minha veia ” a me acompanhar nessa jornada mundo a fora

    • Por curiosidade, em que cidade brasileira vc mora e sente essa insegurança?

      • Caio

        BH meu amigo

  • Fortwash

    O problema nos EUA é que para você comprar um carro novo financiado você nunca pode ter o seu nome queimado na lista de consumidores feita pela associação lojista.
    A prestação de um carro novo não é muito caro, gira em torno de 450 dólares para um modelo mid size como o Camry. Lá há custos com aluguéis e saúde que não é baixo. mas, para as famílias esses carros normalmente mais procurados são modelos maiores como minivans, pickups ou SUVs. Quanto a automóveis, os mais procurados são modelos do porte do Camry.
    Mas, comparando com o brasil, lá estão há anos-luz de distância de nós aqui em termos de preço e acesso.
    Aqui carro de família padrão é um 1.0 novo na faixa de 40 mil como o Ford Ka.

    • Aqui os bancos (quem manda no nosso consumismo/carros) conseguiram finalmente legalizar o credit scoring também.
      Mas as “listas negras” de pessoas que reclamam no Procon/Justiça ainda são proibidas (até concordo).

      Enfim, isso tudo tende a baixar juros, porque diminui o risco dos bancos. Os bons pagadores acabam pagando os juros pelos maus

  • Nós somos divididos nisso.
    Mas a publicidade no Brasil nos metralha 24h/dia no sentido de que nossa felicidade está no consumo.
    É difícil lutar contra

  • duhehe

    Aqui é assim.
    Do rendimento do cidadão, 27,5% ja fica retido.
    Dos 72.5 que sobram, ele pode comprar um carro que paga outros 40%.
    Se ele não tiver como pagar a vista ainda precisa pagar outros minimos de 14.5% A.A para bancar a farra, que aqueles 27.5 + 40 não foram suficientes.
    Então, num salario de 10k bruto, ele consegue comprar um carro de 92.460 no final do ano.
    Dos 120 que ele ganhou 57360, voltou para o governo.
    Olha, estamos otimos !

  • paulo sergio berezovski

    Olha quanta asneira você tá falando aí,a única coisa que o Brasil é melhor que os EUA é não ter neve e furacão,fora isso o Brasil não é melhor em nada

  • Luis Burro

    É oito mil de rendimento médio,né?Pq não consigo acreditar q com 82 mil não sobre dinheiro pra comprar um carro de 11 mil!

    • Roger Rosato

      Não entendi de onde tirou esses valores…
      O rendimento médio mencionado é anual, desta forma o rendimento médio mensal em San José é de 7,2 mil dólares e em Detroit é de 2,1 mil dólares. A valor médio dos veículos é 33,8 mil dólares, portanto é uma comparação de médias.
      Supõe-se que uma pessoa que ganha a média poderia comprar um carro de valor médio e a pesquisa acaba por dizer que não é bem assim pra maioria dos estadunidenses.

      • Tosoobservando

        Mas estes veiculos que tem esse valor sao tudo F150, Silverado, Camry, Accord, nas versões intermediarias ne, nao pegaram carros de entrada nessa media.

      • Luis Burro

        A bom,entendi q era mensal,não prestei atenção!

  • Senhora Liberdade

    Isso tudo graças ao governo de Obama, os abastados estão “fugindo” do seu país devido ao aumento do roubo das suas riquezas. E o país decaindo em liberdade econômica, mas é ainda e um bom país para morar, e algo tem que ser feito pois se esse status quo continuar a maior economia do mundo pode estar em maus bocados.

    https : // www . mainstreet . com/ article / say – goodbye – america – the – rich – are – renouncing -their – citizenship – to – dodge – taxes

  • ‘classe média alta, com rendimento entre R$ R$ 641 a R$ 1.019’
    Isso é um absurdo completo

    • Retrato do Papai

      perfeito… no meu entendimento de leigo, classe média é a família que tem casa própria, carro popular do ano ou usado de categoria superior, faz pelo menos uma viagem ao ano, sem dívidas, enfim uma situação razoavelmente confortável…

      essa classe média alta do brasil é quem mora de aluguel em uma quitinete derivada de um puxadinho de um terreno que abriga mais uma dúzia de casas, não tem sequer uma bicicleta em bom estado e as únicas “viagens” que fazem é visitar parentes em municípios vizinhos, sem falar no nome sujo no SPC/SERASA, etc…



Send this to friend