EUA Mercado

EUA: Menos de 20% dos modelos vendidos no país possuem transmissão manual

Audi-R8-Transmission-700x465 EUA: Menos de 20% dos modelos vendidos no país possuem transmissão manual

Quanto do mercado automotivo nos EUA tem câmbio manual? Um levantamento feito nos EUA apontou que um pouco menos de 20% dos modelos oferecidos no país apresentam opção de transmissão manual. Parece que ninguém nos EUA quer saber de carro com câmbio manual, não é mesmo?



Ao todo são 50 modelos de 265 disponíveis no mercado interno, o que dá exatamente 18,8%. É uma proporção de aproximadamente quatro carros sem opção de câmbio manual para apenas um.

Na maioria das ofertas, os modelos são subcompactos e compactos, onde o preço mais baixo do carro com câmbio manual pode talvez chamar a atenção do comprador. Os modelos que tem essa opção são modelos tais como Fiat 500, Nissan Versa, Mitsubishi Mirage, Ford Fiesta, entre outros.

Já nos sedãs de maior porte, apenas cinco têm câmbio manual no lineup: Honda Accord, Buick Regal, VW Passat, VW CC e Mazda6. Nos esportivos, a coisa muda de figura, pois é muito interessante pilotar um carro esportivo com câmbio manual.

Destaque para Audi R8, Dodge Viper, Chevrolet Corvette, Porsche 911 e Mazda Miata MX-5. No segmento de luxo, Infiniti Q60 e Cadillac ATS, entre outros. A maioria das marcas têm de 30% a 40% de sua gama manual, enquanto VW, Jeep, Mitsubishi, Mazda e Subaru têm mais de 50% dos modelos com essa opção.

E você, se morasse nos EUA, compraria um carro com câmbio manual ou câmbio automático?

  • lheu

    E desses 18,8% quantos são efetivamente vendidos com câmbio manual? Muito, muito menos que isso…

    • 4lex5andro

      com manutençao em dia, gasolina em conta e uso essencialmente urbano, é até logico escolher pelo carro hidramático, mesmo com um consumo um pouco maior ..

  • Kohlsgrün

    Bem que eles fazem! Para o dia-a-dia de trânsito pesado, câmbio automático é muito melhor.

    • Rafael Kleinert Giovannini

      Em 99,5% das cidades do EUA não tem transito algum.

      • Fanjos

        Vc que pensa, eu só morei na Florida então não sei como são os outros estados, mas te garanto que todo dia no horário de pico pegava um transito desgraçado para voltar para casa, a viagem sem transito levava em torno de 20 minutos, mas as vezes levava mais de 1 hora para chegar

        • Angelo Lucca

          Fiquei um tempo em Orlando/Miami e as 5 da tarde é tudo simplesmente parado…

          • Rafael Kleinert Giovannini

            Sim, não disse que todos os EUA. Miami, Los angeles, NY, Atlanta (menos) e etc tem transito sim, e pesado. Mas qualquer coisa fora disso é tranquilo. Passei um tempo em Salt Lake City em Utah e é impressionante a fluidez do transito em horários “de pico”.

          • Fanjos

            Orlando ainda é um tikim mais de boa, mas Miami……pkp…tinha dia que eu ia xingando de ponta a ponta kkkkkkk
            Sem contar que o pessoal no transito de Miami é mais stressado tambem, e cometem mais barberagens, alias barberagens não é só coisa de brasileiro não, tem muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito americano barbeiro pra caramba

            • Angelo Lucca

              Ahh sim… bastava vc dar uma seta e entrar na frente dos caras que eles metiam a mão na buzina… E isso com uma margem de distância muito maior do que o normal aqui no BR…Se andassem aqui em SP na Radial ou na Marginal, teriam um ataque do coração nos primeiros 100 mts…

              • Fanjos

                kkkkkkkkkkkkk putz é bem isso mesmo, os caras ficam possessos! Acho que pelo fato de não ter muitas saídas, e as saídas serem longe umas das outras, eles simplesmente acham ruim de vc ficar trocando de faixa, acham que vc só quer costurar para ganhar tempo, que na maioria das vezes, pelo menos no meu caso não para isso.

            • Luis_Zo

              Sou da opinião que barberagem e extress tem mais influência do ambiente (ou seja, do engarrafamento) do que da nacionalidade… o que acontece com nos, no Brasil, é que temos menos infraestrutura e mai engarrafamentos, logo estamos com mais pressa e ficamos mais propensos a sermos “agressivos”.

        • Rafael Kleinert Giovannini

          Morei em Miami e em Boca. Realmente o trecho da 95 é bem pesado nos horários de pico, porém conheci durante 1 mês 8 estados americanos e posso te garantir que aquele país é muito bem espalhado. Ele é populoso, mas por ser muito bem distribuído ele é pouco povoado.

          • duhehe

            E tem gente que critica o modelo urbano dos states, em que é tudo espalhado e longe, mas pelo menos espalha o transito, tudo fica espaçoso, eu particularmente sou um admirador, pudera ter sido feito aqui igual, temos tanto espaço quanto.
            Odeio de como foi feito aqui ( modelo europeu) tudo socado uma coisa do lado da outra sem espaço para nada.
            Ai vira um circulo vicioso, uma vez que as pessoas estão todas no mesmo lugar, os serviços precisam ser ali, o trabalho também.
            Ai ninguém vai para lugar nenhum, uma cidade vertical, quando todos descem para o nível da rua fica insuportavelmente cheio.

            • Rafael Kleinert Giovannini

              Eles souberam aproveitar o espaço que tinham. Já nós, como você disse, com o modelo de vila européia do século XIII

              • Kohlsgrün

                O problema daqui é o povo viver como ciganos e não ficar e desenvolver onde precisa.

                • Rafael Kleinert Giovannini

                  Por causa da péssima distribuição de espaço. Lá nos EUA quase todas as cidades são iguais em termos de infra-estrutura. Vai em cidade de 200 mil habitantes tem Wal Mart, Harley Davidson, Toyota, e etc

                  • Kohlsgrün

                    Mas tiro como exemplo a cidade que agora estou a morar (no Sul do Brasil). A cidade teve colonização Germânica. Em pouco menos de 60 anos, eles transformaram uma grande floresta sem nada em uma cidade estruturada e autossuficiente, com até linha ferroviária, mas tudo com a ajuda do governo alemão(não brasileiro). Hoje em dia, graças a intervenção do governo e povo brasileiro na cidade, a evolução deu lugar a confusão. Mas o começo foi brilhante e muito espantoso! Estes alemães poderiam ter simplesmente largado o “meio do mato” e partir para o grande centro. Aqui falta vontade de trabalhar este país, por isto fica os grandes centros recebendo os “ciganos” e o pequenos vilarejos nunca desenvolvem-se. Enfim, falta ajuda e orientação para organizar este país.

                    • Rafael Kleinert Giovannini

                      Concordo plenamente. Aqui parece que é proibido fazer as coisas direito.

                    • Pedro Rocha

                      A verdadeira solução para os problemas que você levantou é uma palavra proibida: SEPARATISMO.

                    • Kohlsgrün

                      Concordo, uma casa menor é sempre mais fácil organizar e administrar que uma grande, velha e caída mansão.

            • Pedro Rocha

              A colonização norte-americana foi mais bem-distribuída em comparação com o Brasil por questões histórico-geográficas: duas costas (leste e oeste) e as Montanhas Rochosas, que separavam fisicamente as duas áreas de colonização, além de tribos indígenas pouco afeitas a “visitas” que viviam no centro da região, como os comanches.
              No caso brasileiro, nossas densas florestas dificultaram bastante a expansão populacional para o interior do país, deixando-nos pendurados nos morros à beira-mar, como no Rio de Janeiro/RJ.

              • Rafael Kleinert Giovannini

                Muito bem observado.

          • Gutto Morais

            Existem duas coisas bem distintas. Populoso e povoado. A China e o Canadá são populosos mas pouco povoados por causa de vastos desertos gelados. Os USA é o país mais povoado em relação aos 10 maiores do mundo pois praticamente todo o seu território é habitado. O Brasil é populoso e pouco povoado pois tem muito campo, muito mato e a maioria das cidades do interior é precária ao extremo por isso existem poucas cidades com mais de 2 milhões de habitantes. Os USA portanto é bem populoso e bem povoado….

            • Rafael Kleinert Giovannini

              Verdade. Estava me referindo ao pouco povoado por não ter muita concentração, mas você está certo.

        • duhehe

          Acho que nenhum transito é pior que na Califa … no sul e ao norte só em horário de pico, região de LA para tudo, só é calmo tarde da noite, durante o dia, mesmo durante o fds, tudo parado.
          E la também chove bem pouco, quando cai uma gota do ceu, as pessoas não sabem como dirigir exatamente, tudo praticamente para.

      • Angelo Lucca

        Acho que se você algum dia foi aos EUA, preciso saber em qual cidade, pois TODOS os centros urbanos tem trânsito tão ou pior que o nosso… Quem nunca viu um filme sobre o trânsito de Los Angeles ou Miami, só pra ficar nos mais “fáceis”…

        • Rafael Kleinert Giovannini

          Falou bem: “centros urbanos”. Vou retificar minha porcentagem: 90% dos EUA não tem transito algum.

          • Oli

            Bem, se for assim, 90% do Brasil não tem transito algum.

            • Rafael Kleinert Giovannini

              Não disse que tinha.

            • Pedro Rocha

              Realmente. Aproveitei minhas últimas férias para conhecer o sul do estado do Espírito Santo e parte do interior de Minas Gerais e deparava-me com poucos carros nas estradas. Algo bem diferente de Campos/RJ, para não ir muito longe.
              Por essas e por outras é que gosto de viajar pelas pequenas cidades do Brasil e não tenho planos para viajar para o estrangeiro nos próximos anos. Nessas cidadelas, o povo trata bem os visitantes (já fui convidado até para uma festa numa pequena cidade dessas), aprendemos ao vivo sobre a História do Brasil e há a paz social que não encontramos nos grandes centros, onde a Globo e o PSOL protegem bandidos e atacam a Polícia.

        • Charlis

          PIOR, que o nosso, eu não conheço.
          Já vivenciei muito tempo em NY, Los Angeles, Miami, Orlando, Tampa…
          Todas tem transito, mas são INCOMPARAVEIS com São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Porte Alegre …
          Até por motivos lógicos! Eles tem 4, 5 faixas nas ruas, e como o camarada mencionou muito bem ai em cima, eles tem planejamento, ou seja, espaço muito bem distribuído.

      • Kohlsgrün

        Não importa, continua sendo uma boa alternativa para quem pega trânsito muito pesado. Já conduzi um auto com câmbio Tiptronic e a sensação é muito boa. Além de não ser “manco” para andar como falam, à o poder de escolha entre automático ou eu fazer a sequência das marchas.

      • André Ismerim

        Estou morando em Toronto e aqui também não há trânsito pesado. Na hora do rush o máximo que existe é uma fila um pouco maior nos semáforos. Logicamente, nesse horário demora-se um pouco mais pra chegar ao destino, mas isso é natural. Sem stress, sem dor de cabeça.

  • riccorreasp

    Eles têm 265 modelos disponíveis por lá…

    Quantos será que nós temos?

    Apesar de nos EUA ter marcas inexistentes por aqui, o oposto também ocorre…

    • Rafael Kleinert Giovannini

      PS: 265 modelos diferentes, não Strada cabine simples, Strada cabine dupla, Strada cabine tripla, Strada sem cabine, Strada sem caçamba… haha

      • AndreiVieira

        Strada 2 portas, 3 portas, 1 porta, 0 portas, Strada sem estepe, Strada com volante, Strada com Locker, Sem locker, Semi-locker e Super-Locker!!!

        • Rodrigo

          Faltou Strada Trecking, Way, Sporting, Adventure, T-Jet, Fiorinada, kkkkk

          • Pedro Rocha

            Para variar, vem aí o Stradão (FCC4).

      • riccorreasp

        Hahaha

  • Filipo

    Que pena! Eles não sabem o prazer que um manual proporciona. Ainda mais nos EUA que tem pouco trânsito, um veículo com câmbio manual é só alegria.

    • David

      Não é o que o meu Joelho esquerdo acha e com CERTEZA você não mora em São Paulo SP ou em outra cidade média ou grande.

      • Andrew B.

        Realmente conforto indiscutível.Quem é que compra TV e joga fora o controle remoto?

      • BillyTheKid

        Alguns brasileiros parecem achar que EUA é o mundo da fantasia, que lá não existe corrupção, que a gasolina é pura (sem álcool), que não tem trânsito…

        • DougSampaNA

          sim , é verdade, o problema é o bicho homem; mas aqui é de desanimar qualquer um que não seja comuna ou petista, porque pra eles só é bom se for de graça, se todo mundo estiver na merda como eles querem , e se todo mundo falar amem pro partido ou ideologia.
          Trabalhamos pra tambem sustentar(os impostos tb servem pra isso) gente que realmente necessita de socorro, mas existe um grupo que não vale o que come se beneficiando do mesmo socorro do carente.

        • duhehe

          Olha tem corrupção também, mas pelo menos o estado funciona.
          La as coisas funcionam e são justas.
          Aqui a gente paga rios de dinheiro para a maquina estatal, nada funciona.
          Tirando beneficiados pelas infinitas bolsas do governo, ninguém obtêm nada compatível com o imposto que paga de volta.
          Quando a iniciativa privada tenta se esquivar do estado e fazer as coisas por conta propria, o estado encontra um meio de atrapalhar ( multar, taxar, cobrar proprina etc).

        • Minerius Valioso

          Mais liberdade te garanto que tem.

          • radiobrasil

            Pra eles 30% de caninha na gasosa ja é flex… aqui nossos carros mono terão q se virar.. pqp

        • André Flandres

          Perto da bagunça e, principalmente, da insegurança que vivemos aqui no Brasil, sim, os EUA são o paraíso. Mas o brasileiro ufanista está tão alienado do mundo e destituído do senso das proporções, que pensa que, ou deve haver algum mundo da fantasia por aí, ou é tudo ruim por igual.
          Não, rapaz. O fato de os EUA estarem longe da perfeição não significa que eles não estejam num nível muito, mas muito mais avançado e civilizado do que nós. O país dos 60 mil homicídios anuais (Brasil) tem de parar com essa mania de achar que é igual (isso quando não tem a presunção de querer dar lição) ao país com 15 mil homicídios anuais em quase o dobro de população (EUA).
          Pára de acreditar naqueles teus professores de escola e faculdade, que na verdade não passam de militantes ideologicamente orientados e que só sabem esquerdar, e começa a ver o mundo de verdade.

      • Não sou muito afeito a esse tipo de justificativa. Neguinho reclama do reles esforço de acionar uma embreagem e depois paga 200 paus por mês em academia pra malhar perna. Sei lá, ser humano é um bicho meio incongruente.
        Agora, sim, câmbio automático propicia conforto, tem seu benefício evidente, mas não se pode negar que a transmissão manual proporciona uma interação com o carro que jamais se terá com um câmbio automático. Assim, acho que haver a opção de escolha é sempre válido. Mesmo que seja sob encomenda, a presença no lineup de qualquer modelo da opção de transmissão manual é algo positivo. Atende a uma minoria que também merece ser respeitada.
        Cada um tem sua preferência, e aqueles que desejam um carro com transmissão manual têm o direito de assim preferir sem a crítica de outros que preferem a transmissão automática.

        • Rodrigo

          E vc critica quem opina que prefere que sejam todos automáticos…

          Vai entender..

          • Louis

            Por que você quer que todos sejam automáticos? Se eu quiser um manual, em que isso vai te influenciar ?
            Então se você gosta de carro vermelho, vai querer que todos sejam vermelhos?

            • Rodrigo

              Em nada bro, É minha opinião, Minha preferência, meu desejo, estou pensando em mim.. se vc quer o carro mecânico, nada irá me influenciar.
              As vezes tem casos e casos. Trocar marchas ‘manualmente’ podem ser feitas em Câmbios Automáticos.
              Agora quem pega estrada de vez em quando.. aí devem mesmo ter outra preferência.

              • Louis

                Entendi, mas da maneira como vc escreveu, dá entender que não quer cambio manual sendo vendido, apenas automáticos.
                Eu também prefiro o AT , até mesmo em estrada , mas não nego que o MT é outro estilo de condução.

          • Ué, onde está a dificuldade de entender? Não estou criticando quem prefere automático (meus dois carros em casa assim o são). Só acho que quem gosta de automático, compra automático, e quem gosta de manual, compra manual. Cada um na sua. É o direito que cada um tem de preferir aquilo que o agrada.
            Só não acho plausível que para impor sua opinião se utilize argumentos um tanto quanto próprios para impor sua preferência aos outros. Acha que pisar no pedal de embreagem “gasta” seu joelho? Beleza, você prefere o automático. Tem muita gente que não se incomoda de jeito nenhum com o “gigantesco” esforço de se pisar no pedalzinho da esquerda e gosta do maior domínio das reações do veículo que a transmissão manual proporciona. Deixe que tenham o direito de escolher um manual, ora bolas. Não interfere no seu direito de ter um automático. Foi esse o meu ponto de vista.

        • DougSampaNA

          Ubaldir, bom dia, a questão é que no ato de dirigir, vc tem varios esforços repetitivos, que ao longo dos anos te cobram preço; já tive problema no joelho esquerdo por causa de direção, problema nos 2 ombros por causa de postura, perna comprida+banco longe do volante+braço estendido muito tempo…o conforto do AT é impressionante;e te digo que te faz ter uma conduta mais tranquila; eu mesmo sou muito menos estourado no transito que antes; aquela coisa de estourar e transmitir isso para o ato de trocas de marchas parece que fica bem mais inibido, falo por experiencia propria.

          • Tanto meu carro quanto o da esposa em casa são desprovidos de embreagem, meu amigo Doug. Portanto, falo de “cadeira”.
            A questão em debate não é discutir a preferência de cada um, e sim respeitar a do outro. Se o cara tem preferência por carro manual, porque obrigá-lo a ter automático? Foram nesse sentido todos os meus comentários, e não de criticar a preferência por MT ou AT.
            Cada tipo de transmissão tem suas peculiaridades, vantagens e desvantagens. No caso da MT e da AT, as duas acabam por proporcionar um tipo diferente de relação com o carro. A forma de dirigir muda muito. A AT traz comodidade, conforto, descanso (de certa forma), mas trás quase via de regra consumo mais elevado, desgaste maior de freios e custa mais na aquisição. A MT trás maior interação com o carro, deixa o preço de aquisição menor e trás menor gasto com combustíveis, mas cobra seu preço em menor conforto no trânsito pesado. Cabe ao consumidor decidir aquilo que mais lhe agrada, de acordo até com o tipo de uso que faz do carro e com a disponibilidade de recursos para a aquisição do veículo.
            Assim como o vidro elétrico, a transmissão automática é um conforto. Milhões de pessoas antes de nós subiam e desciam vidros pelas manivelas, e ninguém morreu por conta disso. Transmissão manual é assim, pode até te dar uma “canseirinha” a mais, mas não vai matar ninguém pelo trabalho de acionar a embreagem e movimentar a alavanca, não. Se tem gente que quer ter carro com câmbio manual, que haja a opção disponível no mercado para tal, é esse o ponto.

        • duhehe

          Concordo, a interação com o conjunto é muito maior.
          Mas isso em carro esportivo ou com apelo para tal.
          Mas no modelo de carro americano, onde o conforto é a prioridade e os ajustem de suspensão e direção não são nada esportivos, a transmissão automática faz sentido.
          Acho que no carros nacionais isso também se encaixa, temos carros que o ajuste de tudo é complemente neutro, logo a transmissão manual não passa de ser um trabalho para o motorista.
          Na minha opinião, cambio automático é igual vidro elétrico, faz parte da evolução dos carros, trocar marcha é igual subir o vidro pela manivela, um corte de custo.
          Tive 2 carros manuais na vida, os 2 fiquei menos de 1 ano, não consigo gostar, me deixa estressado trocar marcha.

          • Certo, certo. Concordo com tudo o dito. Só acho que quem não concorda tem o direito de poder comprar o carro manual, certo? Esse é o ponto.

      • DougSampaNA

        OPa, eu entrei no AT por causa disso, depois de 30 anos dirigindo uma média de 80 kms dentro da cidade todos os dias; ele estava arriando; foi recomendação médica…hoje eu prefiro 10 vezes comprar um AT usado do que um MT zero, meu joelho sarou e minhas dores sumiram.
        E o cvt que tive realmente era muito economico.

    • Willian

      EUA pouco transito ? lá é caótico também… eu gosto da sensação do câmbio manual, mas a longo prazo o at é o melhor, com o tempo passamos a dar mais valor no conforto do que em muitas coisas, no começo achei “sem graça” dirigir o meu, mas hj não abro mão.

    • Rodrigo

      Sabe de nada!!

      • Filipo

        Imagina guiar o Corvette com o disponível câmbio manual de 7 marchas. Deve ser incrível!

    • Fabio Marquez

      Eu já estou enjoado, moro no interior hoje em dia, já tive 4 carros compactos com cambio manual (três com motor 1.6 e um com motor 1.8), quero um carro AT na minha próxima compra. Se eu ainda morasse na capital já teria o meu há tempos, só quem já ficou 3 horas pisando no pedal de embreagem e trocando entre ponto morto e primeira, que sabe o sofrimento que é.

  • Aqui no Japao entao…….. carro manual é coisa de Playboy, uma raridade pura.

    • Rafael Kleinert Giovannini

      Uma pena. Mas a época de ouro dos JDM foi de 80 até início de 2000. E nessa época tem MUITO manual rsrs

    • DougSampaNA

      em compensação está no paraiso dos cvt certo? Que privilégio amigo…e nós aqui ainda com cambiozinhos MT e ATs de algumas fabricas com qualidade duvidosa…fica por aí.

  • Feel Feelerson

    Bem que fazem, automático é muito melhor.

    • Roger Rosato

      “Muito melhor” só que não
      Hahauahauahuaha

      • Angelo Lucca

        Os câmbios automáticos/automatizados evoluiram muito nos últimos 15/20 anos, hoje temos câmbios que trocam as marchas mais rápido que qualquer ser-humano…

        • Roger Rosato

          Vários DCT e dois ou três automáticos convencionais, de fato, conseguem melhores marcas de desempenho e consumo que seus equivalentes manuais. Fim. O fato de que custam +R$10 mil talvez seja apenas um detalhe…

          • Marcos Souza

            normalmente a diferença é de 5mil.. e além do cambio at, vc ganha cruise control, e outros mimos.
            É uma questão de conforto, existem sofás confortáveis e sofás que acabam com as tuas costas, assim como um colega deu a entender: é uma tv com controle remoto e outra sem.
            carro automático pra mim, só se fosse esportivo. Minha LER no braço direito não me anima a ter um manual tão cedo(nunca)

      • Eu diria “muito diferente”. “Melhor” vai da preferência de cada um.

        • DougSampaNA

          perfeita observação..

    • Rafael Kleinert Giovannini

      Gearhead não localizado.

  • Peraldiano

    Desde que dirigi um Peugeot 408 automático há uns 3 anos atrás, nunca mais na vida eu quis saber de pisar em embreagem.
    Saí de uma Ranger para um Honda CRV e devo ter remoçado uns 10 anos. Até minha mulher está achando bom.
    Para o uso rotineiro urbano e longas viagens, o câmbio automático é melhor coisa que já inventaram.
    Desculpem os puristas e entusiastas, mas conforto e praticidade nunca serão superadas por uma falsa sensação de “controle” ou coisa parecida.
    Vamos deixar para os motoristas de caminhão o prazer de brincar de passar marchas.

    • FabioH

      Cada um com as suas prioridades, mas falsa sensação de controle, discordo.

    • GPE

      Se existissem caminhões automáticos mais baratos e maior disponibilidade de usados, pode ter certeza q os caminhneiros seriam os primeiros a comprar com câmbio AT

      • Colorado

        Não nos Estados Unidos onde os caminhoneiros abominam caminhões automáticos, caminhão la tem que ser manual e caixa seca

        • Pedro Rocha

          Em alguma coisa o mercado automotivo deles tinha que ser atrasado. Brincadeiras a parte, meu pai foi motorista de caminhão (começo com um Fargo) e me disse que os “caixas secas” são bastante robustos, motivo este de ainda serem usados nos caminhões de grande porte nos EUA.

          Para quem não conhece o caminhão Fargo: http://img.terra.com.br/i/2009/01/12/951692-1808-it2.jpg

      • Thiago

        Têm alguns caminhões que chegam ser mais confortáveis que carros, os Volvos são um belo exemplo

    • Nostress

      Caminhão manual novo hoje representa menos de 10% das vendas. Só automatizado. Estão mais avançados que os compradores se automóveis.

      • Angelo Lucca

        Bem colocado! Aliás quase todas as tecnologias de ponta que “importamos” dos outros mercados, chegaram primeiro nos caminhões e ônibus aqui…

      • Rafael Kleinert Giovannini

        Pô, não vai comparar o quanto um caminhoneiro anda e quanto um cidadão normal anda (salvo excessões)

    • Bruno

      Caminhão e caminhoneiros são os que mais necessitam de AT. Por diversos motivos: a maioria não sabe trocar as marchas corretamente (os motores têm muito torque e as caixas ficam muito sensíveis), encarecendo os custos com manutenção; numa viagem eles trocam de marcha centenas ou até milhares de vezes, proporcional a quantidade de marchas; e por último são os caminhoneiros que mais precisam do maior conforto possível, porque são eles que passam por muitas horas todo dia dirigindo, e não nós turistas de shopping center.

    • Rafael Kleinert Giovannini

      Falsa sensação de controle?

      • Peraldiano

        Ao contrário do que muita gente pensa, o controle do carro, antes de estar “na mão”, começa e termina pelos pés.

        • Rafael Kleinert Giovannini

          Exatamente, começa e termina pelos pés. Enquanto no manual você tem o controle das marchas, embreagem, punta taco e etc, no automático você tem um carro que pode simplesmente mudar a marcha dentro de uma curva, e tem 1 pedal a menos. Cara, não existe melhor e pior, apenas diferente. Automático é pra quem pega transito e usa o carro apenas como meio de locomoção do ponto A ao ponto B. Carro manual é quem sente prazer ao dirigir (no transito pesado realmente é mais chato)

          • David

            Claro claro compra um celta então para ter “prazer em dirigir”… Na boa câmbio mecânico tem que estar no museu ao lado do carburador e da Injeção mono ponto e analógica.

            • Rafael Kleinert Giovannini

              Celta nem é carro. O povo reclama de cambio manual por que anda de Gol 1.0 ou de Celta… Esses carros nem entram na conta de prazer x dirigir.

  • Guilherme Eduardo

    Conforto. Os apaixonados por carro adorariam ter uma lambo em casa, mas não usariam o carro no dia a dia para trabalhar e nem em longas viagens. Além disso, atualmente a tecnologia embarcada em câmbios sem embreagem estão tornando-os mais econômicos e rápidos que os manuais (imagine uma câmbio manual de 08 ou 09 marchas!!!!)

    • Marcos Souza

      se não me engano, os superesportivos na sua maioria são automatizados e com borboletas no volante. será que lhes falta prazer em dirigir???

  • Louis

    Aqui a tendência é cambio automático ir se popularizando.
    Mecânico que quiser ganhar dinheiro, se especialize em cambios automáticos, porque está em falta no mercado quem realmente entenda do assunto.

    • radiobrasil

      Tenho conhecido que é dono de oficina. Ele torce o nariz quando falo pra ele: VOCÊ PRECISA DE MECANICO PRA DIREÇÃO HIDRÁULICA E CAMBIO AUTOMÁTICO.
      A resposta é a mesma… por enquanto NÃO…

      • Louis

        Realmente cambio AT não deve ser fácil mexer, mas quem se especializar nisso vai ganhar dinheiro.

  • Rodrigo

    Tomara que vire 100% no Brasil ^^

    • Eu tenho hoje carro automático, mas não entendo o porquê de desejar que uma preferência pessoal seja empurrada “goela a baixo” de quem por um acaso tenha pensamento diferente. Em que influencia o fato de haver disponibilidade no mercado de modelos com câmbio manual na vida de quem tem preferência por automáticos?

      • Rodrigo

        Quantos mil habitantes tem sua cidade?

        • FabioH

          Acho que não é essa a questão Rodrigo, eu moro em SP capital e não gosto de AT, mesmo assim não é meu desejo que todos os automóveis sejam manuais, mas apenas que exista a possibilidade de escolha.

          • Rodrigo

            Cara é minha opinião.. carros sem pedal de embreagem… com opção de troca manual (exemplo: CRUZE) tem sua sensação de controle, vc muda a hora que quer, mas num trânsito intenso vc pode mudar pro Automático e fazer o carro ser seu escravo, e não vice-versa.

            • Angelo Lucca

              Você não muda “a hora que quiser”, quase nenhum câmbio automático aceitaria uma troca com um giro demasiadamente alto ou baixo, pois a central bloqueia qualquer ação que ela entenda como prejudicial aos componentes mecânicos. Mas dentro de uma normalidade e uma pessoa que tenha uma boa noção de pilotagem pode usar esse artifício sim pra ter uma relação mais interativa com o carro.

              • Rodrigo

                Óbvio né irmão… se vc tem um câmbio manual vc sai em 1ª e já coloca 5ª ou 6ª?? O que vc faz no manual o automático com opção de troca aceita também vc fazer.
                Eu ando com carro automático e quando não tem faixa dupla na estrada e tem um caminhão na minha frente eu jogo no manual e de 3ª ou 4ª eu deixo na 6ª marcha e ele aceita sim, uns aproximados 80~90km/h . E quando eu aperto o acelerador ele volta sozinho pra mim na 3ª e eu ultrapasso. depois já jogo na 5ª ou 6ª.

              • Marcos Souza

                mas no manual isso tbm ocorre…não é bem um bloqueio…mas em rotação alta, o fluxo de combustível é cortado ou vc erra a marcha e quebra o cambio. E se for em rotação muito baixa, o carro morre. nestes casos, é barbeiragem…no at, vc tenta fazer barbeiragem e ele não deixa.
                nosso o at é uma vantagem.
                um amigo meu virou motivo de chacota pq foi cumprimentar uma menina na rua e soltou a embreagem e o carro pulou na frente da moça…o cara passou a maior vergonha…todo mundo viu. e a piada era q quando a moça passava perto dele, alguém falava:-vai trepidar a embreagem.

            • Rodrigo, acho que você não está entendendo nosso ponto de vista: ninguém o critica por você preferir o AT. Ótimo se você gosta dele e pode possuir esta comodidade. Só não é razoável você querer obrigar que quem goste da MT só tenha a opção da AT. É só isso.
              Como eu disse, meu carro é automático, o da minha esposa também o é. Mas eu entendo perfeitamente aqueles que preferem a MT. São modos distintos de lidar com um automóvel, que possuem ambos entusiastas. Faz parte da diversidade de preferências.
              E o fato de outras pessoas terem carro com MT não influencia no seu uso do automóvel com AT, não limita o seu direito de preferir esse tipo de carro. Então por que querer impor sua preferência aos outros? Essa é que é a questão que estamos propondo.

          • Marcos Souza

            sim, concordo…tem que existir possibilidade de escolha. só que no brasil existem poucos carros automáticos….os automatizados que existem são sofríveis. é o inverso dos eua.

            • FabioH

              Sim, mas é uma realidade que já está mudando Marcos, antes só modelos mais caros tinham versão AT, hoje temos modelos compactos com essa opção, e em cada novo lançamento a versão AT é praticamente obrigatória, é uma tendência.

        • Perto de 1,5 milhão. Mas já andei um sem número de vezes no trânsito de SP, do RJ, de BH. Ninguém morre por ter que pisar em embreagem para trocar marchas em nenhuma dessas cidades, pode crer.

  • pedro rt

    sem duvida o cambio manual da mais prazer qdo se tem espaço nas ruas pra dirigir mas em situacoes criticas diarias “transito sempre muito cheio” o automatico e muito mais facil de dirigir

  • Mauro Schramm

    Eficiência energética é meu critério número 1 na escolha de um modelo de determinada categoria (juntamente com segurança). Fico feliz que atualmente existam carros automáticos tão econômicos quanto seus equivalentes manuais.

  • Márcio Krüger

    Comprei um automático e não quero mais manual..
    Deixa a tecnologia trabalhar.. ;)

  • Ric53

    Óbvio que o brasileiro não abre mão de carro automático, já que por décadas o manual assim como 2 portas foi imposto pelo cartel que aqui comandava.
    Mas eu pessoalmente adoro trocar marcha e não me vejo em um automático tão cedo.

  • Cidadão

    Nos EUA o câmbio automático domina. Mas na Europa, os manuais ainda são maioria. Não sei por que

    • Rafael Kleinert Giovannini

      Por que americano gosta de arrancada e europeu gosta de rally.

      • Guilherme Al Kuwait

        Depende muito de qual país estamos falando. Os Italianos, que são verdadeiros caipiras ao volante gostam de cambio manual e motor a Diesel. Na Holanda 50 % AT e 50 % MT. Dinamarca, predomina o AT. Suécia tbm.

  • Bruno

    Os americanos (consumidores em geral) não dão a mínima para automóveis, são muito desinteressados por carros, por isso impera os com transmissão AT, para o “tédio” deles com os carros ser o menor possível.

    • Angelo Lucca

      Acho que você não conhece a cultura americana… EUA é o país do automóvel. Lá carros são parte da família, eles têm verdadeira paixão por seus carros, a ponto de terem carros na família por 40/50 anos que passam de geração a geração, acontece que eles não compram carros pra mostrar ao vizinho, eles compram o carro que satisfaça seu gosto pessoal.Não é o fato de preferirem câmbios automáticos que faz de um consumidor um “desinformado” em relação a gosto de carros.
      As ruas e estradas na maior parte do país são largas e retas (coisas de país bem planejado, além é claro da topografia que ajuda). E eles tem acesso ao que tem de melhor no mercado em questão de automáticos/automatizados. Existem diversos veículos, principalmente lá, em que o câmbio automático consegue ter respostas mais rápidas que qualquer ser-humano com câmbio manual.

      • Bruno

        Desinteresse como eu disse e desinformação como você disse são coisas bem distintas, cara. Já convivi com americanos por algum tempo e é essa a percepção que tive. Mas enfim…

      • R5GT

        O país do automóvel é a Alemanha. A imagem do automóvel é associada muito mais à história recente da Alemanha do que com os Estados Unidos. Não me refiro somente ao interesse, refletido pela sociedade alemã, de Hitler por carros, com a Volkswagen, a preferência pela Mercedes e as Autobahnen, de concreto, para rápido deslocamento entre as cidades. O Automóvel teve papel fundamental na indústria alemã do pós-guerra, basta ver quantas marcas foram criadas. Além disso, está mais presente em produções cinematográficas e musicais do que para os americanos. Os americanos não gostam necessariamente de carros (refiro-me ao consumidor comum), eles gostam de emoção, viver intensamente, mostrar o carro ao vizinho (dizer que isso só existe no Brasil é, desculpe-me, a maior imbecilidade do senso comum da web automotiva, existe em qualquer lugar do mundo), conforto, sobretudo, é só ver como eles calibram suas suspensões e a proporção de transmissões automáticas em seus carros. Os carros americanos, apesar de terem mudado, à força, na ultima década, sofreram muito com carros alemães e asiáticos, ainda são sinônimo de, entre outras coisas, ineficiência energética e tecnologia ultrapassada. Aqueles que gostam de carro nos EUA, com a mente minimamente mais aberta, sabem muito bem que as coisas são melhores para os entusiastas do outro lado do Atlântico. Basta ver todas as tentativas fracassadas de penetrar no mercado europeu, sempre foram humilhados. Quanto ao fato de alguns manterem seus carros consigo durante toda sua vida útil, é relativo, os americanos têm muito espaço físico para guardar seus carros, os europeus não têm. Além disso, nos EUA, enquanto uns mantêm seus automóveis por toda a vida, carros com 10 a 15 anos de idade estão sendo sumariamente transformados em cubos de aço, bem antes do final de sua vida útil em detrimento de modelos mais novos, e isso é muito mais comum.

        • Angelo Lucca

          O americano em geral, cultua muito seus veículos, principalmente modelos antigos, estive em uma exposição no início do ano passado e o tanto de veículos das décadas de 20/40/50/60 que pareciam ter saído da loja era enorme! Eles tem um mercado gigantesco para reposição de peças para carros que saíram de linha há mais de 60 anos, como você disse, não se encontra nos EUA carros com 15/20 anos sendo “descartados” dessa forma. Creio que os Alemães são muito racionais não só nessa questão mas em tantas outras e nem tem como discutir engenharia alemã com qualquer outra do restante do mundo. Porém discordo sobre a questão de paixão por automóveis, como americano, acho que não tem em outro lugar. São puramente emocionais nessa questão. Responda sinceramente: O que “enche” mais seus olhos? Passar por você um Mustang Boss 70’s ou um BMW 2002 ti? Eu sinceramente não vejo emoção em desenhos da grande maioria dos carros alemães, tecnologia e efeciência é outra história…
          Se buscarmos no decorrer da história, teremos muito mais carros “marcantes” americanos do que qualquer outro. Isso é minha opinião…

          • R5GT

            Eu gosto muito das particularidades da cultura automobilística norte americana, das DRLs laranjas, dos bumper stickers, alertas de chave na ignição, portas abertas e luzes acesas, preferência pelos sedãs, acho tudo muito original. Quanto aos clássicos, se tem gente com dinheiro sobrando para restaurar carros antigos, vai haver mercado. Eles tem mercado para tudo. Não teria a menor chance de haver num país pobre como o Brasil. Nos países desenvolvidos, os carros antigos, quando resistem à reciclagem, estão todos inteiros, com praticamente todos os componentes originais. Tudo graças às condições de rodagem, uso moderado e nível de instrução e renda de seus donos. É possível perceber isso entre as regiões do próprio Brasil, infelizmente. O Mustang é mais atraente, pela presença e comportamento do motor, apesar de eu gostar de ambos. Acho que a aparência, embora você não esteja levando em conta somente isso, já é um campo subjetivo, os alemães tinham desenho conservador pela própria cultura, embora já tenham desenhado melhor (com mais ênfase à inovação, ousadia) do que os americanos nas ultimas décadas, em minha opinião.

            • Angelo Lucca

              A cultura de qualquer povo tanto europeu quanto americano é muito mais “civilizada” que a dos latino-americanos em geral, pra quase tudo. Realmente os EUA tiveram um “apagão” em matéria de design de veículos entre os anos 70 até o meio dos anos 90… Seus carros perderam toda a personalidade que tiveram por décadas. Hoje o que ainda chama a atenção são os carros com “releituras” dos modelos antigos como os Challengers, Mustangs, Camaros e etc. Do restante acho que ficaram muito parecidos e nisso a grande maioria dos asiáticos dominou o mercado. Eles tem bastante comércio de carros europeus, mas o que se vê muito são os Mazdas, Nissans, Toyotas e Hondas… Uma cultura que eu sempre admirei os desenhos de seus carros, são os franceses, se puxarmos décadas e décadas atrás, sempre teremos algum francês com personalidade nos desenhos… embora nenhum deles seja meu sonho de consumo, dá pra se ver que os Citroen 2CV, DS, Peogeot e Renaults de modo geral, tinham carros lindos e ainda hoje se vê isso neles. Difícil algum carro deles passar desapercebido.

              • R5GT

                De fato, é bem interessante ver clássicos americanos relançados para o século XXI, sem perder a identidade que os consagrou. Gosto muito dos carros franceses: Citroën GS e CX, Peugeot 205 GTI e 406 e Renault Kangoo I, R25, R5 e Clio I, são somente alguns mais marcantes para mim, embora eu goste de quase todos. Têm uma sensibilidade maior do que em qualquer outra nacionalidade com relação ao design e inovação, faz parte da cultura deles, de discutir cada detalhe. Entretanto, pecam em fiabilidade, mesmo na França, sobretudo nas categorias mais caras.

                • Angelo Lucca

                  Já dizia o Geremy Clarkson: “tirando os carros franceses qualquer carro foi feito pra durar”

    • R5GT

      Correto. O que pesa também para a preferência pela transmissão automática é a gasolina barata que consequentemente contribuiu para o aumento da distância percorrida por pessoa, através da divisão espacial mais vasta e malha rodoviária ampla e com rigorosos limites de velocidade, exigindo carros mais confortáveis e, portanto, menos esportivos.

  • BillyTheKid

    Já cheguei a ler notícia de uma mulher nos EUA que teve o carro arrombado, mas não conseguiram levar ele; o motivo? Era câmbio manual e o ladrão nunca tinha dirigido um.

    Acho que isso é um bom exemplo de “problemas de primeiro mundo”…

    • Rafael Kleinert Giovannini

      Car System não tá com nada haha

    • Rodrigo

      Rapaz outro dia vi na TV que o ladrão (Aqui no BR) pediu pro cara que ele estava assaltando pra ensinar ele usar o cambio automático… kkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Ao contrário.

    • Rodrigo

      Não era esse.. mas olha kkkkk

      https://www.youtube.com/watch?v=RI46e8agxUI

      • DINEIROO

        Câmbio automático opressor!

    • André Luiz D. Queiroz

      Acho muito mais que o ladrão achou que o carro não ia ter ‘valor de revenda’ por conta do câmbio manual, isso sim!…
      De boa? O câmbio do meu é CVT (meu segundo automático!…), e não sinto falta nenhuma de ‘passar marcha’! Até tenho o recurso de ‘selecionar’ as marchas, tanto na alavanca quanto no paddle shift, e se usei duas, três vezes até hoje, foi muito!
      Aliás, ter que ‘passar marcha’, na verdade, é uma limitação técnica do motor a combustão, que não gera torque suficiente em todos os regimes de rotação para tirar o carro da inércia, subir ladeira, etc. Daí a necessidade da caixa de câmbio! Motor elétrico já não tem essa limitação: há apenas marcha à frente, marcha à ré e ponto neutro! :)

      • BillyTheKid

        Eu bem que gostaria de ter um veículo com câmbio automático. Tô no meu primeiro carro, 15 mil km, e já enjoei de ficar trocando de marchas. Talvez por ser um 1.0 e não ter como “brincar”… Se eu pudesse ter um carro elétrico, melhor ainda: um Tesla Model S é meu sonho de consumo.

        Infelizmente não tenho uns 500 mil sobrando, então vai ter que esperar… heheheh

  • RFGV

    País evoluído é outra coisa! Já morei lá e percebi que as pessoas não demoram tanto tempo para arrancar em uma sinaleira, em conta do cambio automático. Mais conforto e mais praticidade.
    Eles também tem muito costume de comer/beber café ao volante, coisa que dificulta muito com um cambio manual. E pra quem gosta de esportividade, um cambio de dupla embreagem com shift paddles é muito mais afude. Se fazer marcha fosse sinal de esportividade, os F1 seriam manuais… Quem gosta de fazer marcha é caminhoneiro.

    • Rafael Kleinert Giovannini

      Tem muito o que aprender jovem gafanhoto.

      • RFGV

        tu que sabe muito civic 94!

        • Rafael Kleinert Giovannini

          – Civic Coupe 94
          – Camaro 68 RS
          e já foram embora:
          – Camaro 74
          – Camaro 82
          – Chevelle 74
          – Thunderbird 72
          .
          .
          .

    • ViniciusVS

      Nem caminhoneiro visto que diversos modelos já possuem transmissão Automática.

      Mas aqui muitos ainda olham como “carro de deficiente”, felizmente esta mudando visto que praticamente ninguém compra um médio com cambio manual, quando comentaram do Corolla sem rodas de liga e sem bancos em couro em uma versão manual sendo que na mesma versão com cambio automático os itens são de série, comentaram como se fosse um absurdo e em teoria até é mas na pratica não pois não vende nada. pouco a pouco o Brasileiro vai deixando o preconceito de lado conforme os equipamentos ficam acessíveis.

    • BillyTheKid

      Eu achava que piloto automático (controle de cruzeiro, no caso) só funcionava acima de uma certa velocidade (25~30+ mph)? Ou seria outro tipo de “piloto automático”?

      • RFGV

        desculpa, cambio AT.
        E já que voce falou, os pilotos automáticos (cruise control) também são muito usados nas highways.

  • Diego

    Por aqui deve ser o contrário

    • Rafael Kleinert Giovannini

      Europa também

  • Folha de ouro

    pow! os dois são bons …. em sampa automático é questão de sobrevivência já o cambio manual é legar para dirigir com diversão..imagina o mustang mecânico e um automático…qual é mais legal….os dois kkk mais o mecânico e de HOMEM ….

    • Rafael Kleinert Giovannini

      Tenho um Civic Coupe 94 e era cambio automático. Legal e tal… Dai fiz swap de cambio caseiro e estou com cambio manual. Simplesmente ganhei outro carro. O que antes era um pouco “xôxo” e bastão (6km/L), agora anda muito mais e faz 10km/l. Sem contar a diversão.

  • Alfredo Araujo

    Moro a 40kms do meu trabalho, e em um pouco menos da metade desse percurso é engarrafado. E meu carro é manual… com muito prazer !!! Não acho nem um pouco estressante passar marchas.
    E sobre a perna cansada… a perna que doi e que incomoda no trânsito é a direita ! kkk
    Cambio automático não resolve isso….

    Comprei um Civic no ano passado… o vendedor ficou doido quando fiz questão do cambio manual… rsrs

  • iFuel

    Como os próprios entusiastas de carro dos EUA dizem, melhor proteção contra roubo nos EUA é ter câmbio manual, quase ninguém lá sabe usar..
    Como lá não é requerido saber dirigir com câmbio manual, como aqui, ninguém se dá ao trabalho de aprender, apenas entusiastas mesmo

  • Ricardo

    Q triste isso!!

  • Maycon Farias

    Ta mais que certo. Cambio manual é passado. Estou no meu segundo automático, e manual nunca mais.

  • João Carlos

    Se fizer um outro levantamento do quanto desses 18,8% com opção manual são vendidos como automáticos, bem provável que o total das vendas de carros seja de quase 100% de veículos de 2 pedais.

    Por isso a Fiat nem pensou duas vezes em ter o 500 no bom e velho (na origem, não na tecnologia) automático.

    Certamente o maior campo de provas e que levou ao patamar de confiabilidade e durabilidade das caixas automáticas é o mercado americano.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend