China EUA Finanças Governamental/Legal Mercado Montadoras/Fábricas

EUA x China: guerra comercial afeta fabricantes de veículos

buick-envision-china EUA x China: guerra comercial afeta fabricantes de veículos

Os fabricantes de veículos deverão ser duramente afetados pela mais recente guerra comercial, que começou a ganhar volume essa semana entre EUA e China. A administração Trump uma sobretaxa de 25% para 1.300 produtos chineses no mercado americano e isso inclui carros. O montante chega a US$ 50 bilhões em arrecadação extra para o governo americano.



Um dia antes, porém, o governo chinês taxou 128 produtos americanos por conta de uma retaliação envolvendo aço e alumínio, feita por parte do governo americano. Mas até aí, não incluía carros. Nesta quarta-feira (4), porém, a China anunciou mais taxas extras e dessa vez inclui aviões e automóveis, especialmente elétricos.

Embora ainda não tenham sido executadas e provavelmente tenham efeito mais intimidador do que prático, visto que os EUA pressionam a China em relação aos direitos de propriedade industrial e o gigante asiático entende que os americanos querem controlar sua economia. Nessa guerra comercial, as montadoras é que serão afetadas diretamente.

buick-envision-china EUA x China: guerra comercial afeta fabricantes de veículos



Uma das que mais podem perder com isso é a Tesla, que não tem fábrica na China. Uma sobretaxa sobre carros elétricos afetaria as vendas da empresa de Elon Musk diretamente. A montadora da Califórnia já sofre enorme pressão pelos atrasos na produção do Model 3 e pelas maiores perdas trimestrais de sua história, fazendo com que o bilionário mudasse novamente para a fábrica em Fremont, a fim de comandar pessoalmente a retomada do ritmo.

Do outro lado do Pacífico, a General Motors também está com as barbas de molho. Feito por lá, o SUV Buick Envision é exportado diretamente ao mercado americano, sendo uma peça fundamental nas vendas da marca em casa que, aliás, se tornou seu segundo mercado, após evidentemente o chinês. O mesmo deve acontecer com parte das startups chinesas que querem vender carros elétricos nos EUA, as principais anunciaram plantas localizadas.

No caso da Ford, a montadora de Detroit tem planos para transferir a produção dos próximos Focus e Fusion para a China, mas a empresa adiantou que não os importará para os EUA – o motivo é a baixa procura por sedãs e hatches no mercado local – escapando assim de algo semelhante. Mas, a Lincoln exporta muitos carros para a China. Já a Volvo, que importa da China para os EUA, constrói uma fábrica em território americano, o que também ajuda a escapar de possíveis tarifas extras.

Se de um lado as montadoras poderão ser afetadas nessa troca, de outro a localização de produção dos dois lados do oceano poderão ser intensificadas. Caso a disputa atual termine nos discursos, os fabricantes não perderão, mas o risco de outro evento semelhante ser colocado em prática será ainda mais alto. Por isso, os fabricantes poderão acelerar suas joint-ventures na China para se precaver contra possíveis retaliações comerciais no futuro. A presença automotiva nos EUA é discreta, mas no sentido contrário, há muito mais a perder.

 

COMPARTILHAR:
  • yurieu

    Todos querem vender nos EUA, um país riquíssimo com baixo imposto. Agora, todos os outros países não abrem mão do imposto ou até mesmo proíbem produtos americanos. Quando foi que vi um produto made in USA no mercado? NUNCA!!!

    • Luciano C. Gallon

      Talvez porque o que é produzido para exportação vai para mercados ricos (Europa) onde o poder de compra é maior,isso deve acontecer também com produtos Europeus que provavelmente você nuca viu por aqui também.

    • RRodrigo Souza

      mas muitos produtos de marcas americanas sao fabricados na china por exemplo, olha o iphone vem com etiqueta mada in china, tenho um amplificador de guitarra de uma marca chamada marshall e o modelo de estudo que é o que eu tenho foi fabricado na china. então é complicado vermos uma etiqueta made USA pois eles tambem procuram baixos custos.

    • Pedro Henrique

      ketchup heinz no seu mercado mais próximo(o pote grande)

      • zekinha71

        Que agora o dono é brasileiro.

        • Pedro Henrique

          o produto continua sendo importado.

  • Antonio

    Se a China colocar restrições à atuação de montadoras americanas no País, a GM vai minguar. Pode até afetar sua sobrevivência. Se não me engano, a GM e suas associadas por lá produzem mais de 3 milhões de unidades por ano.

  • Maycon Farias

    Quero pipoca e refrigerante para assistir isso. O Trump não bate bem da cabeça.

    • Jok Jok

      Governo populista, o voto vem em primeiro lugar. Epa; já vi isso….

    • Wellington Myph13

      Ele quer tornar os EUA o maior pólo comercial do mundo, “só isso”…
      Ele tentou chamar a Apple pra produzir lá, mas na China é muito mais vantagem, os direitos trabalhistas e impostos são ridículos na China, e o Trump tentou chegar em um meio termo, mas não rolou, então ele está tentando forçar o que ele quer de outra maneira… Pode ser louco, mas é esperto, rs…

      • Maycon Farias

        Existem uma dúzias de atos péssimos dele, repudiados pela grande maioria das nações. Na verdade mais da metade dos norte americanos não aprova as ideias dele, nem mesmo alguns integrantes do governo.

        • Wellington Myph13

          Quanto a certos atos eu sei que ele se mostra um ser repugnante.

          • Maycon Farias

            Pois é, essa que é a questão. Entendo perfeitamente seu ponto de vista em que ele só quer fazer o país crescer, mas o mundo hoje é globalizado e muito raramente se sobrevive sem se doar um pouco. Protecionismo não funciona mais, ele só não admite e quer fazer valer a qualquer custo.

            • Nem ele aceita, tampouco quem votou nele (muitos dos quais jogados às traças pelo mundo globalizado).

          • Maycon Farias

            Pois é, essa que é a questão. Entendo perfeitamente seu ponto de vista de que ele quer apenas fazer o pais crescer de certa forma internamente*, mas é muito difícil sobreviver sem doar, as nações são condicionadas a globalização. Ele que cercar o EUA do jeito dele mas não é assim que funciona mais. Ele anulou praticamente todas mudanças que Obama com 80% de aprovação fez. Então já que nem a própria ONU aprova veemente ele, nós mortais então rsrsrsrs

            • Ernesto

              Se você souber como a ONU é hoje, talvez nem criticasse tanto o Trump.

        • Trump é um presidente detestável para aqueles que se adequaram à globalização. Para a turma dos pequenos centros, contudo, ele é o cara que os americanos precisavam – aquele que vai tentar, ainda que com bastante dificuldade, segurar os efeitos de um mercado global na vida do cidadão.

  • Igor Pricandi

    A culpa pela transferência de know-how e tecnologia para a china de forma direta ou “indireta” é culpa dos próprios americanos que transferiram suas fábricas para lá atraídos por mão-de-obra barata e capacitada, e principalmente, nenhuma garantia trabalhista. Os americanos, alemães, etc, levaram para eles não apenas produtos, mas os processos fabris. A galinha dos ovos de ouro. Ao mesmo tempo os chineses mandavam seus filhos estudar nas melhores universidades americanas, inglesas e alemãs. Pensaram no longo prazo.
    Mas o pior para os EUA, Europa e Brasil não é comprar produtos chineses. É a transferência de empregos. Uma fábrica na china gera empregos na china.
    Entre em qualquer magazine de roupas e veja as etiquetas, tudo made in china. Empresas 100% brasileiras e produtos 100% chineses. Riachuelo é uma delas. A sua “grife” pool é o melhor exemplo. Não se trata de trump estar certo ou não. O que conta mesmo são os empregos e a transferência irregular de tecnologia e processos. Voltando, os americanos começaram, os chineses enriqueceram, e hoje estão comprando tudo, e isso incluí comprar os EUA, rsrsrsrs.

    • Só acrescentaria uma coisa: nem todos conseguirão se adequar às novidades de um mundo global. O americano das Costas (Leste e Oeste) pode consumir produtos chineses à granel, ele não está concorrendo no ramo do mercado xing-ling – ao contrário das indústrias americanas, que vão minguando dia após dia.

  • Rodrigo

    o livre comércio….

  • Erivelton Freitas

    É o que eu falei… Trump está com ódio dessa prática NeoLiberal de levar a produção para a China e encerrar postos de trabalho no USA. Ele fará de tudo para trazer as empresas de volta ao mercado norte-americano e fazê-las abrir fábricas por lá, empregando o povo por lá! Talvez por essa atitude, ele venha a perder o apoio do empresariado americano dentro de pouco tempo!

    • Cosi fan Tutti

      E fazendo isso ele poderá ferrar a vida de várias pessoas que exportam pra china, e vai causar desemprego, pois as empresas quebram, e a consequencia é aumento de preços no mercado interno, como ocorreu com um certo país continental da America do Sul…. O que é ironico é que os americanos criticam todos os países que fazem isso, principalmente o Japão, brigaram com o Brasil na OMC, e agora estão fazendo o mesmo. Isso é péssimo pra imagem do pais, por causa de alguns empregos? Parece alguns governos populistas da America Latina, destrói toda a reputação de um país apenas pra manter votos do grupo que o elegeu, não pensando no bem maior e em tudo que os Eua representa! Pensando muito pequeno o Mr. Trump.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

receber-noticias Notícias por email