Finanças Gadgets Mercado Montadoras/Fábricas

Fabricantes de veículos buscam receita com conectividade

chevrolet-cobalt-2016-android-auto-3 Fabricantes de veículos buscam receita com conectividade

Os fabricantes de veículos agora tem mais um meio para gerar receita, a conectividade a bordo dos carros. A transmissão de dados em tempo real entre veículo, usuários e o meio ambiente já estão tomando dimensões importantes dentro da indústria automotiva, que agora vislumbra lucros também com transferência de dados.

Para termos uma ideia, nos últimos três anos foram vendidos em todo mundo 5,5 milhões de carros conectados às redes de comunicação e internet, gerando cada um, tráfego de 25 GB de dados por dia. Isso é bem mais que sua franquia de dados de smartphone por mês, por exemplo.

Informações do veículo, rota, velocidade, desgaste de peças e componentes, localização, condições de tempo e tráfego na via formam um conjunto de dados chamados Big Data. Atualmente, essas informações são usadas para aumentar a segurança, mas podem ser usados para melhorar o relacionamento com o cliente através de serviços de concierge, bem como proporcionar aos revendedores uma receita extra com serviços de pós-venda.

Dos US$ 3,5 trilhões faturados pela indústria automotiva anualmente, 80% são referentes à comercialização de veículos e apenas 20% em serviços de manutenção. A chamada Monetização de Dados será a terceira fonte de renda dos fabricantes de veículos, especialmente daqueles focados carros autônomos, semiautônomos e conectados, que poderão assim atualizar serviços e parâmetros dos veículos de forma remota.

Mas isso não é um futuro distante em mercados como o brasileiro, por exemplo. No BRICS, a conectividade a bordo dos carros cresce em velocidade impressionante. Além disso, várias marcas no Brasil já estão gerando receita sobre os serviços conectados em seus carros, abordando desde a manutenção até o entretenimento.

Estimativas falam em US$ 1 trilhão em faturamento nos próximos 10 anos com compartilhamento de veículos, aplicativos, monitoramento, navegação mais precisa, diagnóstico remoto e entretenimento de qualidade. A experiência dos usuários a bordo dos carros, convertida em dados, terá um valor gigantesco para as empresas.

[Fonte: Automotive Business]

Agradecimentos ao  Luciano Hoffnembach.

Send this to a friend