Crossovers Mercado SUVs

Febre mundial, os SUVs se tornam o melhor negócio para as marcas

Febre mundial, os SUVs se tornam o melhor negócio para as marcas

O SUV se tornou o produto principal na maioria das marcas de automóveis em todo o mundo. A febre do utilitário esportivo não é algo localizado, praticamente em todos os principais mercados do globo, a participação dos SUVs é generosa.


O movimento, que começou a ganhar força após a crise mundial de 2008, domina atualmente todos os cenários possíveis –  e impossíveis há algum tempo – do mercado mundial. Marcas de ultra luxo como Bentley e Rolls-Royce nunca antes haviam cogitado ter SUV em seus portfólios para poucos.

Até marcas de carros superesportivos como Lamborghini e agora a Ferrari, não seguirão adiante sem um produto que seja classificado como utilitário esportivo. Dos EUA à China e da Europa aos mercados emergentes, parece que todo mundo agora quer um SUV.

Febre mundial, os SUVs se tornam o melhor negócio para as marcas


Com um quinto das vendas globais, o SUV deve crescer ainda mais nos próximos anos, especialmente devido ao mercado norte-americano, onde marcas como Ford e Chevrolet deverão eliminar completamente seus modelos de outros segmentos, especialmente sedãs e hatches.

Nem todo mundo aposta nisso, como Honda e Toyota, que investiram recentemente bilhões de dólares em sedãs nos EUA. A ideia, nesse caso, é aproveitar a lacuna que será deixada pelas marcas americanas. De qualquer forma, até estas sabem que os clientes estão migrando para os SUVs.

Na China, os sedãs ainda tem grande participação, mas o que se vê em lançamentos é um grande aumento de utilitários esportivos em todos os níveis, das marcas mais baratas até as mais sofisticadas, algumas exclusivamente com este produto.

Para todos os bolsos

Febre mundial, os SUVs se tornam o melhor negócio para as marcas

Antes um produto para clientes que buscavam um veículo apto para levar uma família com conforto para o fora de estrada, o SUV passou então a agradar o público feminino, que buscava um carro mais alto, que passava a impressão de ser mais seguro. Além disso, quanto maior o veículo, maior o status.

Então, muitos começaram a buscar os SUVs como uma forma de ascender socialmente. Com o tempo, as marcas passaram a buscar cada vez mais estes clientes nas gamas de entrada, com produtos menores e mais acessíveis. Daí em dia, o que era nicho, como no caso do nosso Ford EcoSport da primeira geração, logo virou moda.

Hoje, não importa o poder aquisitivo do comprador. Há opção de utilitários esportivos para qualquer bolso. Um exemplo recente é o do Lamborghini Urus, que tem 16 das 20 reservas da marca feitas por clientes ricos do Brasil no primeiro semestre.

Febre mundial, os SUVs se tornam o melhor negócio para as marcas

Na outra ponta, o termo “SUV” foi explorado até pela Renault com seu Kwid de menos de R$ 30.000 no lançamento. É aí que as marcas começaram ver a “vaca do dinheiro”, como Carlos Tavares se referiu uma vez à rentável Dacia. Com um porte mais alto, ângulos de entrada e saída ampliados, assim como o vão livre, um utilitário é fácil de nascer.

Algumas marcas pegaram hatches ou minivans, adicionando frente alta e suspensão elevando. Com um tapa aqui e ali, criaram um novo produto com preço superior. Enquanto o original custa entre R$ 50 mil e R$ 60 mil, pode-se vender o “SUV” de R$ 70 mil a R$ 90 mil. Hoje, a média de preços aqui no Brasil entre este último e R$ 100 mil.

Embora as marcas não abram (jamais) os custos relativos aos projetos desses carros, não é preciso ser engenheiro para notar que a rentabilidade é no mínimo igual ou maior que de um hatch ou sedã. Analistas de mercado dizem o mesmo.

Febre mundial, os SUVs se tornam o melhor negócio para as marcas

Com o uso de plataformas já consolidadas e parte da estrutura dos carros que os originaram, os SUVs se tornam mais rentáveis, segundo eles. Isso sem contar com as projeções de crescimento nos próximos anos. Aqui no Brasil, a estimativa é que em 2022, o mercado terá um milhão de utilitários esportivos.

A VW, por exemplo, estima que dos 10 carros mais vendidos, até três serão SUVs. Mesmo com enorme concorrência, algumas marecas hoje estão praticamente fora do cenário em nível nacional e internacional, por exemplo. A Toyota é uma dessas, já que tanto localmente quanto globalmente, ela não dispõe, por exemplo, de um SUV compacto próprio.

Aqui, a Fiat é outra marca de peso que está ausente desse mercado. Em contrapartida, algumas marcas tem até mais de um no segmento de compactos, que aqui é o que mais cresce. A Renault tem Captur e Duster. A Honda vem com WR-V e HR-V. A líder Jeep emplaca Renegade e Compass com folga.

Só tem SUV…

Febre mundial, os SUVs se tornam o melhor negócio para as marcas

Mais adiante, a VW pensa em cinco ou seis SUVs no mercado nacional, a maioria de compactos. Aliás, tamanho não é mais diferença. Como já dito acima, os utilitários esportivos estão aí para todos os bolsos. Num estranho movimento de eliminação de hatches e sedãs baratos, modelos com 4,00 m ou menos ganham espaço até em países que jamais os considerariam.

Nos EUA, a Ford colocou o EcoSport e parecia ser algo louco a fazer, até que a Hyundai recentemente fez o mesmo com o Venue. Não seria estranho ver um WR-V circulando por lá também, dada a necessidade de preenchimento das lacunas deixadas por outros carros.

Febre mundial, os SUVs se tornam o melhor negócio para as marcas

Enquanto isso, o consumidor continua pagando mais pelos SUVs e ainda por desejo próprio. Porém, na próxima década, isso pode mudar completamente. Antes uma preferência, logo pode se tornar uma obrigatoriedade. Afinal, se não existirem mais hatches e sedãs para comprar, o que resta para colocar na garagem?

Por ora, essa não é uma preocupação em mercados emergentes como o Brasil ou Índia, por exemplo, onde a taxa de motorização está longe dos países ricos. Mas, nos consolidados, como EUA e Europa (esta motivada ainda por questões ambientais), o comprador não terá muita escolha. Será crossover ou SUV, e ponto final.

Agradecimentos ao Alexandre Cimini.

 

 

Febre mundial, os SUVs se tornam o melhor negócio para as marcas
Nota média 4.6 de 9 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Jeanphil

    Saudades do Golf VIII que não teremos…

    • invalid_pilot

      Saudades daquilo que não vivemos kkkkk

      Tem que se contentar com T-Cross e Polo mesmo

      • Jeanphil

        Kkkkkkk…. infelizmente…

        • fabio

          quem quer hatch compra hatch
          quem quer SUV compra SUV
          quem quer sub compacto compra sub compacto
          quem quer espoertivo compra esportivo
          quem quer perua nao compra nada

          • Gilberto Mariani

            Na verdade quem quiser uma perua terá que pagar caro em um exemplar alemão ou em um volvo.

    • Cosi fan Tutti

      Como se fosse ter msm que nao fosse a onda dos SUVs. O Brasil nunca foi prioridade para a VW, quanto tempo ficamos com o Golf 4,5 msm?

    • mjprio

      Pois é mas as marcas nao ajudam. Semana passada entrei numa CSS da VW e tinha no show room, acredite, um Golf MSI 1.6 AT 0km. Quando me aproximei dele imaginando quererem uns 78 mil mais ou menos, pra de repente fazer algum negocio com meu carro e baixar aquele preço, me deparei com uma etiqueta de 92 mil!!!!!.
      Nem.perdi meu tempo e fui me embora.
      Nota: ao lado dele um T cross 1.0 Tsi AT (modelo de entrada) por 89 mil.

      • Ric53

        Canalhas!!!!

        • mjprio

          1000 vezes

      • Carlos Henrique Kroeber

        Não sei como ainda tem Passat vendendo

      • Dherik

        Onde foi isto? Os Golf 1.6 MSI acho que são, no máximo, ano 2017.

        • mjprio

          Concessionária Real no RJ. Tinha do lado dela uma SpaceFox também, que eu nao sei se ainda é fabricada. Parecia que um lado da loja era um museu rsrs

          • Ernesto

            Normalmente carros que ficam mais tempo no pátio da concessionária são os que têm maior desconto. Pelo menos isso acontecia quando ia negociar algum 0Km na VW. O próprio vendedor falava: deixa eu ver quanto tempo esse carro está conosco. Aí calculava o desconto. Se estiver interessado mesmo, volte lá e faça jogo duro que é capaz de você conseguir baixar bastante o preço.

      • Ⓜ️arcelo

        pega trouxa. Mas com certeza o preço real é outro por se tratar de um carro com muito tempo de estoque

    • le0gt-r

      E do Focus IV.

    • Ele virá. Híbrido e Gti, que venha o R.

      Aqui como no mundo está se tornando um carro de nicho, aliás o segemento hatch médio está se tornando um nicho mundialmente.

  • SDS SP

    Se há demanda por esse tipo de veículo, paciência, temos que aceitar.

    • Guilherme Nascimento

      Não precisa aceitar. Existem outras opções de sedãs, hatch, cupês… Eu não compro nada “obrigado”.

      • SDS SP

        Pelo andar da carruagem, as opções ficarão cada vez mais restritas no mercado 0km. Infelizmente se os fabricantes dependessem só dos puristas, já teriam quebrado.

  • Fanjos

    “O SUV passou então a agradar o público feminino, que buscava um carro mais alto, que passava a impressão de ser mais seguro. Além disso, quanto maior o veículo, maior o status.”

    Talvez por isso eu não aceite SUV, não sou mulher e não busco status. Eu sempre vou preferir ter um carro melhor do que um carro com mais “status”.

    Status nada mais é do quer comprar uma coisa que vc não quer, para mostrar para pessoas que vc não gosta, uma coisa que vc não é.

    • Racer

      Esta história que é o gosto das mulheres que alavancou a venda de SUV…é balela. Elas passaram a gostar de algo que já existia e que era produto quase que exclusivamente comprado por homens.

      • mjprio

        Olha, nao discordo de vc, mas acho que faz até algum sentido. O mercado teve em média um aumento de 30 a 40% de compras por mulheres,, que precisam do tal do “empoderamento”. A industria percebeu isso.

        • Carlos Henrique Kroeber

          Componentes com desgaste 30% maior porque a montadora coloca batente,bucha,amortecedor,suspensão de Fit (HR-V), Sandero (Duster e Captur),Fiesta (EcoSport) em carros 200 kg mais pesados. Impressão mesmo. SUVs têm 2,5 vezes mais chances de tombar ou capotar do que um carro normal. E mesmo assim nosso mercado nao tem ESP em vários modelos

        • Ernesto

          Além disso, o poder de decisão da mulher na compra do carro da família também deve ser levado em conta. Muitas vezes o marido acaba cedendo à vontade da mulher.

          • Mulher tem o poder de veto. Muitas vezes o homem escolhe dez coisas, e a mulher veta nove.

    • th!nk.t4nk

      Em países como China e Brasil, status é tudo. O resultado é esse: modelos alongados especificamente pra esses mercados, pra parecerem maiores. SUVs monstrengos pra quem não precisa deles. Super valorização de itens como bancos de couro e do visual interno, em detrimento de tecnologias de segurança e dinâmica. Não adianta, a coisa é cultural mesmo e só tende a piorar.

      • Sino Weibo

        Sério que na Europa isso não existe? kkk então os europeus mantém marcas de griffe à toa, ou so pra vender pra fora mesmo?

        • Ric53

          Kkkkkk

        • th!nk.t4nk

          Aqui em Munique as marcas mais vendidas são, na ordem: BMW, Audi, Mercedes, VW. Note que as 3 primeiras são o que consideram “premium”, mas aqui são simplesmente marcas normais de carros. Um BMW Série 1 custa pouca coisa a mais que um Golf, é um carro acessível. Eu mesmo tenho um Série 3, e não é por status, mas por ter bom custo x benefício por aqui. Pra você ter ideia, a pizzaria perto de casa faz entregas com uma frota de Minis. Não tem nada a ver com grife, mas com poder aquisitivo pra optar por produtos melhores.

          • Sino Weibo

            Calma, ae tem uma excessão, uma das coisas que na Europa se fala é que estas 3 marcas não são totalmente premium mais, principalmente a Mercedes, visto que tem uma range muito grande de modelos, colocando até mesmo comerciais leves com sua marca. Na Alemanha tem carros delas mais vendidos por 2 motivos, um por serem marcas nacionais, e o segundo por elas próprias terem modelos de entrada acessíveis ao publico europeu, igual vc cita, o Série 1 custa quase o mesmo que um Golf. Por isso que na Europa existem marcas quase que exclusivas, porque estas ae que pra nós brasileiros são premium, na Europa se ve nas ruas normalmente, inclusive em taxis comuns (aqui apenas de luxo ou limousines). Agora não vai me dizer que para qualquer europeu ter Audi A8, um Classe S ou um BMW 7 Series é comum, ou ter bolsa Louis Vuitton, Prada, que qualquer um compra relógios Cartier, Rolex, que homens vão na loja e saem com um banho de Christian Dior, Dolce e Gabbana ou Armani (talvez na Itália hehe). Os Europeus tem griffes sim caríssimas, e nem mesmo eles tem acesso, se pobres.

      • Ric53

        Isso é complexo de vira-lata, essa ideia de status em países como China e Brasil… Se serve de consolo vc está enganado kkk

        • th!nk.t4nk

          Ric, já morei nos EUA, moro hoje na Alemanha e viajo constantemente pelo mundo. Sim, afirmo com tranquilidade que na China e no Brasil a ideia de status é muito superior a média. Quisera fosse vira-latismo, mas é a pura realidade. Na China e na América Latina você é o que você tem. Os EUA são um meio-termo nesse aspecto.

      • Mr. Pennybags

        Lembrei de uma história engraçada. Quando fiz um curso na Austrália teve uma dinâmica que era: o que faz você escolher um namorado(a). Dentre as alternativas, como por exemplo, ser fial, companheiro, amigo, etc, as asiáticas TODAS colocaram nos primeiros lugares: ser rico, te rum bom carro, etc… e repetiam sem nenhuma vergonha: “No money, no honey”

        • Cláudio Modesto

          Bando de rapariga kkk

    • leomix leo

      Vdd, um amigo comprou um iPhone 7plus anos passado, dividiu em 10x, só pra poder dizer que tem, agira ele não acha nem 60% do valor que pagou, e já quer um XS. Por isso a Apple faz como as montadoras, cada ano aumenta o preço, tem que se acabe pra pagar.

    • Cláudio Modesto

      i320 e C180

  • daRio

    odeio suv.

    • Adriano Cardoso

      eu também

  • Zé Mundico

    O problema é que hoje qualquer saboneteira é chamada de suv. Um bom suv não deixa nada a dever a bom sedã ou hatch, seja em espaço , conforto ou tecnologia. O SUV de hoje faz o papel da station-wagon do passado, com todo conforto e segurança. Está cheio de bons suvs por aí, alguns muito caros e outros caríssimos.
    Como já disse, qualquer coisinha mais altinha já é batizada de suv para levar o distinto consumidor na conversa. Como carros de uso urbanos, cumprem seu papel sem problema. Quem quer carro esportivo para andar a mais de 150 km/h tem toda a liberdade de pegar um hatch ou sedã desses que qualquer marca oferece.
    E quem não tem munição para um suv de verdade tem que se contentar com esses suvs genéricos e miniaturas de lego motorizadas. Segue o jogo.

  • Racer

    E que comece o mimimi de quem não gosta…..

    • mjprio

      Acho que a questão nem é nao gostar de SUV, mas desses engodos feitos sobre carros compactos e vendidos a preço de médios mais refinados construtivamente, sem que haja a contrapartida desse acréscimo de preço.
      Perto dos veículos aguerridos e imponentes vendidos nos EUA nossos SUV parecem brincadeira

      • Racer

        Neste ponto concordo….são arremedos do que deveriam ser. E mais caros também do que deveria…

    • Guilherme Nascimento

      Sou obrigado a gostar? E olha que acho o Renegade simpático e sou apaixonado pela Range Rover “raíz”!

      • Racer

        Não, ninguém é….Mas o discurso “odeio SUV” tá ficando coisa de criança birrenta. Tem uns que só dizem isto….ou então “SUV nojento fale”…..parecem crianças (poderia até dizer outra coisa, mas daí achariam que seria preconceito).

        • Guilherme Nascimento

          Assim como dizer que “tudo é mimimi”… Como eu disse: AMO a Range Rover! Mas fico triste pelas montadoras só investirem em SUV… Acabaram com o “carro”… Não?

          • Racer

            O “mimimi” foi fazendo referência a quem tem o discurso que citei. E mesmo estes…..certamente adorariam ter $$$ para ter um RR. O problema é que tudo hoje “vira” SUV…até o que não é (Kwid). E pra mim, meu conceito…SUV justamente o “raiz”. Estes aí são uma cruza de qualquer coisa..

  • Foonoslew

    Um negócio que poderia ser legal também era suv’s no formato de sedans como Accord, Azera, Passar e etc… Que fossem econômicos também.

    • th!nk.t4nk

      Bom, o GLC Coupé é quase isso. Mas se fala de modelos mais baixos, tem a linha allroad da Audi (A4/A6), que são peruas com suspensão elevada e tração integral.

      • cepereira2006

        Esse é um dos poucos Mercedes bonitos no momento.

    • Carlos Henrique Kroeber

      CR-V Tucson, Tiguan

  • mjprio

    E como nao poderiam ser? Pega-se uma plataforma de modelo compacto, com suspensão por eixo de torção e freio a tambor e motores pequenos e vende-se pelo preço de hatches ou sedãs médios alguns deles com motores de maior deslocamento ou performance, suspensões independentes nas 4 rodas e em muitos aspectos, maior refinamento construtivo. Tirando um ou outro SUV que possui tração integral e alguns dos gadgets que citei acima, é isso que acontece. Um verdadeiro engodo automotivo.
    Alguns fazem menção ao maior espaço interno ( que as Stations e as minivans também tem); outros se referem a altura do solo ( que apesar de ajudar com o asfalto lunar do Brasil, traz maior consumo pelo arrasto aerodinâmico)
    Enfim esse vai ser o triste fim do nosso ( e de muitos outros) mercado

    • leomix leo

      É isso, vendem gato por lebre pq a maioria não entende de automóveis, olhei um SUV antes de pegar um sedã novo, mais não entra em minha cabeça, pagar mais caro em pneus, tem consumo maior, menos segurança ( estabilidade ao fazer curvas) para ter mais altura do solo. Fiquei com o sedã, e agora com um Hatch pra rodar dentro da cidade.

    • Carlos Henrique Kroeber

      Maior consumo pelos pneus maiores,maior consumo pelo peso maior,maior consumo pela péssima relação peso potência. Você tem Renegade de 1446 quilos com 132 cavalos que acaba fazendo 5 km/l na cidade

  • Ewerton

    Já passei por dois suvinhos e a Santa Fé, aquilo sim é um SUV de verdade!

    • leomix leo

      Ele ou o Santa Cruz, seriam minha escolha, mais não posso manter seguro desses aí.

      • Carlos Henrique Kroeber

        VeraCruz

  • Guilherme Nascimento

    Pois é… Mas pra mim, ainda prefiro o cupê Corcel para dar risada com os amigos, o sedã “tiozão” Civic para viajar e o hatch Etios para trabalhar! E uma coisa é a Renault vir com o papinho furado que o Kwid é “SUV”. A imprensa também vai falar isso?!!??!!? Aiaiaiaiaiaiai…..

  • Eduardo Elias Silveira

    Aceita que dói menos. Os SUVs vieram para ficar e dominar.

  • delvane sousa

    Passei 20 dias com SUV emprestado pela CSS. Até tentei gostar mas não consigo: desconfortável, pouco espaço interno, motor fraco e beberrão, nem vi vantagem no nosso solo lunar. Ainda bem que devolveram meu sedan medio, ou seja, voltei ao paraiso. Certeza que ando de sedan enquanto existir, mesmo que so exista corolla (que não gosto) que deve ser o ultimo a sair do mercado quando so tiver essa tal de Suv pra comprar!!!

    • leomix leo

      Eu TB não sou fã dele, mais se só tiver essa opção lá num futuro, vai ser o jeito.

    • Osni Duarte

      Ao fim de uma guerra nuclear, com o planeta devastado, restarão somente as baratas e o Corolla.

      • Janio Candido

        provavelmente kkkk

  • Eskarmory .

    Kwid na matéria é pra fazer raiva no leitor? É claro…

  • Ric53

    Todo mundo aqui jogando o problema no consumidor brasileiro como se fossem dinamarqueses, suecos. Se intitulam uma minoria esclarecida, a personificação da própria EXCEÇÃO!!

    Por um acaso sou brasileiro e estou me sentindo insultado por tudo oque vocês nórdicos, austríacos, arianos frequentadores da página pensam sobre nos brasileiros, mil desculpas!

    • T1000

      Então se sinta insultado; de nada

      • Ric53

        Perdão nobre europeu

        • Cláudio Modesto

          kkkk tá engraçado isso aê táoquei?

  • lucas de jesus

    Uma coisa que me pergunto sobre SUVs e Crossovers, principalmente quando se pensa nos Estados Unidos, é por quê não há uma espécie de Crossover/SUV que que é uma mistura de Minivan com SUV?! Tipo, minivans não eram (e ainda são, só que não tanto) comuns com familias nos Estados Unidos? Eu sei que existem Family SUVs, só achei estranho não ter nenhum com portas deslizantes semelhante a uma minivan, é algo que em estacionamentos apertados e com crianças e um veículo enorme, parece que iria ser uma mão na roda.

    • Osni Duarte

      Tem a Spin Activ. Pensa numa côzalinda…

      • lucas de jesus

        Me referia a um SUV misturado com Minivan, a Spin Activ e uma perua “aventureira”.

  • RicardoVW

    O mundo acabando e precisando de carros pequenos e eficientes e as montadoras incentivando SUVs. Triste! Muito triste!

  • Carlos Henrique Kroeber

    É ruim que vou deixar de comprar sedan V6 torcudo ou perua para comprar um carro baseado num hatch compacto maquiado para cobrarem 100 mil nele…

  • Carlos Henrique Kroeber

    Acho estranho mulheres e homens de baixa estatura cairem tão facilmente neste conto do vigário que é comprar um SUV Compacto. Eles nao vêem que SUV Compacto é um hatch compacto que divide todos os componentes com ele,mas pesam 200 kg a mais e são “mais altos do chão” e tem algumas maquiagens na estética e no painel para “poderem cobrar 100 mil nele” e enganar o cliente?
    Dizem que compram para se sentir mais seguro. O QUE? SUV tem 2,5 mais chance de tombar ou capotar do que um carro normal e temos SUVs no mercado sem ESP. Fora os que se ferraram no Latin NCAP e outras traquitanas..

    • Antonio Sergio

      Se o SUV tem as mesmas portas do modelo hatch correspondente, tipo VW Polo e TCross, nem pensar. É pura enganação.

  • Carlos Henrique Kroeber

    O nosso mercado ainda é inocente em achar que EcaSport,Kicks no saco,Treckor,HR-V,EnCreca são SUVs. Ao invés de pagar 100 mil nisso, muito mais negócio em pagar 100 mil num Subaru Forester 2.0 XT 2017: Muito maior do que todos,23 cm de altura em relação ao solo, motor 2.0 boxer de 240 cavalos, 0-100 em 7 segundos,tração AWD. Realmente encara trilha. Realmente tem plataforma própria e não usa componentes de um carro pequeno num carro mais pesado. Além de ser super durável. Até mesmo se você tiver medo do preço das revisões na Subaru,ainda tem outras opções,como a RAV4 2017,a própria Tiguan 1.4 TSI entre outros

  • Baetatrip

    Pois é!
    Tá cheio de “SUV” de entrada nas ruas……
    WR-V/HR-V…. TCross…. Creta… Ecosport…. Captur… Kics, se acham que é “rico” que na verdade e o “puxadinho” dos carros baixos e é usado em urbano e só pega estrada vez quando e terra (nunca põe)
    No meu caso é diferente, pois pego estrada, enfrento terra sem dó e nunca deu problema… é SUV-Jeep que é completamente diferente que ve nas ruas, só carroca modernizada
    Pai da minha cunhada pegou 1 Santa Fé 3.5 V6 0km em 2015…
    Só p/ ter ideia: em 1 ano o carro nao aguentou e teve trocar todas as batentes da suspensão, pois encarava 8km de estrada de terra p/ ir a fazenda…… Ama pegar estrada, odeia estrada de terra….
    Do que adianta ter esse carro que as nossas ruas são esburacadas?
    Vendeu e voltou p/ Pajero… Dessa vez é Dakar!
    carros de SUV de entrada são baixa qualidade, muito platicos e bate tudo,
    Meu carro tem quase 140.000 km ano 12-12, aguenta muito bem na minha mão enfrento estrada+ terra+ passeios etc) que está bem melhor que 0km que ve na rua….!
    Meu é Szk GV3 4×4, resto é resto!
    Do que adianta ter 1 SUV se mal tem 4×4? Nesse caso é melhor ter carro baixo, sendo + economico, diribilidade bem melor que SUV de entrada (Que é tudo pior, suspensão é exato o do carro baixo…)

    • Osni Duarte

      Traduza “Szk GV3 4×4” e mate minha curiosidade, por favor?

      • zekinha71

        Suzuki Gran Vitara 3.

      • EdiSoares

        Suzuki grand Vitara

      • Baetatrip

        Suzuki Grand Vitara geração 3… ano 08 ate 16

  • karateTokyo2020

    Eu prefiro sedan

  • Hugosw

    Sempre gostei muito de carros Hatch pelo acesso ao porta malas e a praticidade que tem de carregar grandes volumes ao rebater os bancos. Porém já cansei de trocar amortecedores e desamassar rodas por causa de nossas ruas lunares.
    Os SUVs compactos vieream justamente para pessoas que antes queriam um Hatch e agora não querem mais se estressar com as condições das nossas ruas, pois o acesso ao porta malas é o mesmo e a versatilidade também. Porém há um ganho enorme com pneus de perfil alto e suspensão elevada em países com pavimentações ridículas como o nosso. Sem dizer as enchentes…
    Agora que eu entrei na onda dos SUVs provavelmente não voltarei atrás, assim foi quando tive o meu primeiro carro automático.

    • Retrato do Papai

      balela pura… a grande maioria desses pseudo suvs de hoje compartilham peças de suspensão com os hatchs dos quais derivam, incluindo buchas, batentes, pivôs e até amortecedores, mas como são mais pesados essas peças acabam durando menos… e pneu 55 é perfil alto?

      a única “vantagem” é serem altos e não rasparem facilmente, mas a conta chega de outras formas

    • Annita Fingenberg

      O maior problema nessa história é pagar 100 mil em um carro derivado de um modelo que custa 60, somente pelo fato de ser “altinho”. E digo mais, um bom Sedan é muito mais o confortável e absorve melhor as imperfeições das ruas que esse “hatchs de entrada altinhos”.

      • th!nk.t4nk

        É exatamente isso. Pelo preço de um crossover, dá sempre pra levar um modelo tradicional superior. Só faz sentido optar pelo modelo alto se realmente a pessoa passa frequentemente por locais acidentados (ex: zona rural), senão é uma escolha puramente emocional.

        • Cláudio Modesto

          Nem sempre tank, minha esposa tem a coluna toda lascada e atualmente tem uma Tracker, ela acha bem mais fácil de entrar/sair e pegar coisas no porta-malas, ela se abaixa menos. Antes tinha um C4 hatch e esse era dureza, pois é baixo, arrastava nos quebra-molas e rampas, era difícil de entrar/sair e o porta-malas era grande e fundo, às vezes ela tinha que se curvar pra pegar alguma coisa e incomodava a coluna, na Tracker o porta-malas é reto e quase na altura da cintura, é muito mais fácil de carregar e descarregar.
          Ela também se sente mais confortável na estrada, pois tem uma visão mais ampla devido à altura, no C4 via o asfalto “batendo na janela”.
          Claro que ela reclama de algumas coisas, o C4 era muito mais “premium” e mais fácil de estacionar em certas condições.

          Agora, o que se classifica como SUV o preço cobrando no Brasil são espetaculares, no mínimo.

    • Paulão

      Problema que a maioria dos suv´s/cross só tem a suspensão elevada e acaba por ai. Ela não é mais resistente a ponto de fazer diferença na manutenção e também não tem perfil de pneu maior, porque não é isso que o publico quer!
      Vide o renegade que vem com aro 19″ em alguma versão, é totalmente sem sentido!

  • klaus

    curti a foto do Kwid

  • cobaiao

    Não, as fábricas estão tendo só prejuízo mas é uma conspiração dos illuminatis para estabelecer a ordem mundial dos SUVs compactos a 140mil…. brincadeiras a parte, é mais que claro que não há nada mais rentável para fabricante quanto o SUV, produto geralmente derivado de carro de segmento inferior mas que podem ser vendido com um statu$ a mais.

  • Eu prefiro Hatch e Save The Wagons.

    Nothing More To Say.

  • Paulão

    Se é melhor para as montadoras ou não eu não quero saber, a gente tem que ver primeiro o nosso lado…
    Dito isto, recentemente a patroa trocou o 408 thp flex dela por um cactus thp flex também, coisa de 4 meses.
    Ela fez isso porque queria um carro para não raspar em lugar nenhum e nem se preocupar com isso e de preferencia menor que o 408 para ser mais ágil no transito.
    Tinha problemas de altura com o 408? Sim, em vários lugares como entradas e saídas de garagens, algumas poucas valetas de rua e talvez uma mesma quantidade de lombadas daquelas bem ruins. Isso era o dia a dia dela!
    Escolheu o cactus porque resolvia as 2 questões acima e era o que mais andava na categoria, pra ela que é pé funda fez toda a diferença.

    Sobre os sedans serem mais confortáveis que os suv´s/cross e tal, pode até ser, mas na troca que ouve aqui em casa a diferença é descomunal em favor do cactus, na porcaria da buraqueira é muito mais confortável que o 408, fora que se anda bem mais rápido nessas condições e a leveza da direção é algo sem igual…
    Perdeu um monte de coisas em relação ao 408? Sim, um monte, eu não teria feito a troca, mas para a realidade da minha mulher, aquilo que ela ganhou com o cactus, compensou as perdas, algumas delas inúteis para ela, tipo teto solar.

    Falei isso tudo, para ver se o pessoal para de rotular todo mundo que compra suv´s/cross, abram a mente e entendam que para algumas pessoas esse tipo de carro é mais funcional e essas pessoas não ligam para moda…

  • João Holmes

    Pode ter começado como moda, mas vai se tornar padrão por um motivo técnico. Nos veículos elétricos o melhor lugar para por 400kg de bateria é no assoalho abaixo dos bancos dianteiros e traseiros. Isso naturalmente eleva a posição dos bancos o que faz os SUVs ideais para acomodarem as baterias.

    • Fábio

      Acho que sua teoria não procede.

      Isso não foi necessário com os já no mercado a algum tempo: Fusion e o Prius. Sem contar os Teslas que só conheço sedans. Meu fusion é quase se arratando no chão, e mesmo a bateria no porta malas ainda tem muito mais espaço do que em um porta malas de um Compass como comparação.

      SUV é bom para quem vende, lucra mais.

  • andinmoraes

    a renault tá de sacanagem ao dizer que aquela porcaria de Kwid é um SUV de entrada…
    tinha que ser frances…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email