Conversíveis Esportivos Ferrari Finanças Governamental/Legal

Ferrari F40: dentista brasileiro é processado por copiar esportivo

Ferrari F40: dentista brasileiro é processado por copiar esportivo

A Ferrari está de olho na confecção de réplicas de seus carros em todo o mundo. A marca italiana dos superesportivos mais famosos sempre está ligada em anúncios de cópias de seus produtos e não perde tempo em processar os envolvidos. Esse é o caso do dentista Vitor Estevan (31), no interior de São Paulo.


Ele próprio construiu o carro em casa, mas ao passar por dificuldades financeiras, não imaginava que a venda da réplica, uma alternativa para cobrir os prejuízos pessoais, acabaria lhe rendendo um processo movido pelo fabricante do cavalino rampante. Morador de Cachoeira Paulista, no Vale do Paraíba, Vitor não tinha intenção de vender o carro.

Fã da Ferrari desde criança, ele decidiu construir uma réplica em casa e para uso próprio, utilizando para isso peças e componentes de carros usados, comprados em leilões de carros avariados, bem como chapas e vigas da estrutura, adquiridas em lojas de materiais de construção.

Ferrari F40: dentista brasileiro é processado por copiar esportivo


O modelo escolhido para ser construído foi a Ferrari F40, que surgiu originalmente em 1987 e foi sensação na época. Ela tinha motor V8 2.9 Biturbo de 478 cavalos e câmbio manual de cinco marchas, indo de 0 a 100 km/h em 4,3 segundos. Com produção até 1992, o bólido de Maranello teve 1.311 unidades comercializadas em todo o globo.

Entretanto, ao anunciar a réplica da F40 – ainda inacabada – a Ferrari lá na Itália descobriu a oferta e contratou um advogado brasileiro para mover um processo contra Vitor. O veículo, que demandou 1 ano e dois meses de trabalho artesanal, onde até mesmo o ferramental teve de ser construído, acabou sendo apreendido sob a alegação de que o dentista estava infringindo a lei de patentes.

Ferrari F40: dentista brasileiro é processado por copiar esportivo

A defesa da Ferrari alega que Vitor utilizou desenhos industriais protegidos pela marca. O veículo foi apreendido e levado para a Polícia Civil. O carro havia sido anunciado por R$ 80 mil, mas o anúncio foi retirado e Vitor teve que vender o consultório para pagar as dívidas, em decorrência de um assalto ao estabelecimento.

Ainda assim, a Ferrari continua com o processo que vai apurar se o dentista construiu o carro visando lucro. O fabricante italiano pede a destruição da réplica, mas isso só ocorrerá se a perícia determinar que houve essa intenção na fabricação do veículo. O inquérito tem de ser concluído até 12 de fevereiro.

Vitor pode ainda responder por copiar desenho industrial sem autorização do fabricante. Não é de hoje que a Ferrari busca réplicas pelo mundo, visando descobrir principalmente aqueles que visam lucro na venda e que tenham uma linha de produção. O caso está repercutindo nas redes sociais.

[Fonte: Estadão/G1/Fotos: Arquivo pessoal]

Ferrari F40: dentista brasileiro é processado por copiar esportivo
Nota média 4.4 de 7 votos

  • Leonardo F J

    Sério, Ferrari?! Que iniciativa estúpida. Mais um motivo para eu evitar esta montadora, Ferrari nunca mais.

    • Dead Lock

      Ferrari faz carro para rico e quer permanecer assim, não é à toa que é a marca mais valiosa do mundo. A marca protege seus investimentos e não vejo nada de estúpido nisso. Cópia é cópia, mas os chineses são que causam mais danos..

      • RicLuthor

        Uma coisa é você criar uma réplica para vender, auferir lucro com a réplica seriada…

        Legal mesmo é ver Ferraris que são acidentadas por famosos embriagados e/ou usuários de cocaína, e que são apreendidas nas casas de políticos corruptos, empreiteiros corruptores, sonegadores de impostos, traficantes de drogas e de armas, ditadores…; acredito que isso mancha muito mais a imagem da empresa.

        • Andre Luiz Melo

          Antigamente a MP Lafer fabricava réplicas de um esportivo inglês, tinha um fabricante que fabricava réplicas do Porsches spyder do “James Dean”, não sei se era lenda, mas dizia-se que até a Porsche elogiou o modelo.
          Até em países como a Inglaterra, existem inúmeras pequenas fábricas de automóveis, cujo carros já estão em domínio público.

          • ricmoriah

            era a Envemo que fazia o Super 90 e sim, foi elogiado. A Porsche confere um reconhecimento de originalidade para certos fabricantes de réplicas, que recebem os planos originais do modelo. isso significa que estas réplicas tem alto nível de qualidade e originalidade. Os Super 90 tinham muitas peças originais da Porsche. Mas, o 356 Speedster é um dos mais perfeitos se for bem feito.

            • Lorenzo Frigerio

              A Porsche do James Dean era a 550. Havia uma empresa chamada Chamonix que também fazia réplicas Porsche… não me lembro qual modelo.

              • Eduardo Zacchi

                Se não me engano eram o Spyder 550 e o 356…
                Eram EXCELENTES de tão bem executados e com componentes originais inclusive…

        • Edu

          Carrões nas mãos de bêbados, corruptos, bandidos e ditadores: isso não é exclusividade da Ferrari.

          • RicLuthor

            No entanto é quem está processando o cidadão por fraude industrial de um veículo que saiu de linha há 27 anos.

      • Andre Luiz Melo

        A patente do desenho industrial da F40 já está em domínio público há vários anos. Inclusive está em acordo com as regras do direito comercial internacional, convenção de Genebra. Não só automóveis, como livros , músicas, filmes, etc, após um tempo ficam em domínio público.
        Imagina você , se um espertalhão quisesse cobrar direitos autorais da Bíblia…..

        • Dead Lock

          Isso eu sei, o prazo de proteção é limitado no tempo, mas o advogado disse que os desenhos ainda estão protegidos, só se ele comeu bola.

          • JOSE DO EGITO

            Só uma duvida, como o juridico da ferrari ficou sabendo dessa replica aqui no interior paulista??? ahhhhh para vai!!!

            • Creio ser a concessionária via Itália que representa a marca no Brasil com autorização da matriz.

        • Jonathan

          Segundo a lei dos direitos autorais, os direitos patrimoniais do autor perduram por setenta anos, contados a partir de 1º de janeiro do ano subsequente ao falecimento do autor.
          Mas de qualquer forma, creio que o Design/desenho de um carro não se enquadre nas condições protegidas por essa lei.

        • Jonathan

          Segundo a lei dos direitos autorais, os direitos patrimoniais do autor perduram por setenta anos, contados a partir de 1º de janeiro do ano subsequente ao do falecimento do autor.

          • Gustavo Adriano

            Eu acho que estás enganado, de acordo com o INPI são 20 anos até cair em domínio público.

            • Jonathan

              Na verdade nós temos duas leis, a de direitos autorais (fala em domínio público após 70 anos) e a lei de propriedade industrial (que fala que o registro será válido por 20 anos). Mas eu não sei como funciona na prática, creio que esse prazo seja renovável. Nao creio que caia em domínio público assim tão simples, se fosse assim o fusca estaria sendo produzido a rodo por aí… Ou mesmo depois do prazo de 20 anos seja necessário algum tipo de autorização, não creio que caia em domínio público assim tão “fácil”.

              • Gustavo Adriano

                De fato eu teria que questionar meu professor de Propriedade Intelectual, porém convenhamos que não faria sentido ser renovável para um veículo que não é fabricado há cerca de 30 anos não é mesmo?

                • Jonathan

                  Pois é, mas vê com o teu professor e esclarece pra nós hahahah

              • Andre Luiz Melo

                Direitos autorais seria relativo a músicas, livros, etc.. , o prazo é maior. De propriedade industrial seria de 20 anos.
                Quanto ao Fusca, não haveria interesse comercial, pois é um “carro barato”, se fosse produzido artesanalmente teria um preço exorbitante, por isso, as réplicas são de carros “caros”, geralmente de esportivos como Ferrari, Porsche, Lamborghini, etc., pois ninguém compraria uma réplica mais cara do que um carro original antigo .

          • Zé Mundico

            Olha, eu acho que isso mudou, hoje deve ser coisa de 20, 25 anos e só vale para os descendentes do cara.

            • Jonathan

              Direito autoral ainda é 70 anos. Porém há a lei de propriedade industrial, essa sim fala em 20 anos.

      • Prafesta Rio

        Ferrari a marca mais valiosa do mundo?hahahahah nem no ramo de automóveis isso é uma verdade, ela não aparece nem entre as 10 maiores marcas mais valiosas do mundo. Vamos pesquisar….

        • oloko

          Vamos pesquisar mesmo… a ferrari passou mcdonald’s e coca cola como a marca mais valiosa em termos de força e não de valor, obvio que a ferrari não vale mais que essas empresas em termos de valor, e sim de imagem

          • Romualdo Vieira

            Deu um nó na cabeça. É a mais “valiosa” mas não em “valor”? Pode isso Arnaldo?

            • Holandês Louco

              Argumento dilmesco: vale mais mas não de valor…. uahuahuauahua

      • Edinaldo_Tapica

        Cópia de um carro dos anos 90, que nem é produzido mais, e feito sem capacidade de escala de produção, um simples entusiasta… E nem é 100% igual! Sinceramente, nesses momentos eu queria ser juiz… Ferrari tinha tudo pra usar isso como publicidade, levar o cara pra conhecer Maranello… Que feio!

        • Holandês Louco

          Anos 90 não, é da década anterior: 1987

      • JOSE DO EGITO

        A Ferrari se preocupa tanto em manter esse status imbecil de escolher seus compradores e outras praticas mais segregadoras e agora vai processar um Fã da marca por fazer uma replica e bem “meia boca” Torço pra vcs (FERRARI) serem vendidos para um grupo CHINES ai quero ver se essa arrogancia toda vai se manter

      • Felipe

        Comentário besta. Obvio que o cara não ia produzir em escala, não is trazer nenhum problema pra empresa. Acho estupido ainda julgarem algo assim. Quem compra isso sabe que é uma porcaria perto da original, e nunca vai trazer problemas pra marca.

      • Henrique12

        Concordo. E mais, como se pode comprovar a segurança dessa réplica? Ano passado o escapamento do meu veículo foi reprovado, pois estava fora dos padrões do INMETRO. Daí vem um cara e constrói um carro numa garagem e quer rodar por aí de boas, ah tá…

    • Sasaki

      Quem ve pensa que v ia comprar uma kkkkkk

    • Stunt

      Concordo! Tchau, Ferrari #ferrarinuncamais

    • beto

      Depois dessa vou continuar com meu gol bolinha.

    • Zé Mundico

      Concordo, estou pensando seriamente em mudar para Lamborghini.

      • No Brasil a mesma concessionária representa a Ferrari e também Lamborghini, e isso é um caso único a nível mundial.

    • Pedro Henrique

      esse se ferrori

    • Flight_Falcon

      Vai comprar o que agora? Um 147?

      • Reichstag

        kkk Acho falta de creatividade fazer copia de F40. Se vc tem a capacidade tecnica para fazer um carro podería fazer umo proprio, de autor. E uma gran oportunidade.

    • Bruno Augusto

      tanta coisa importante pra se preocupar e os cara fica prendendo por causa de carro copia mano sem noção parça

  • Benedict Benedito

    Pqp!!
    Se moda pegar, coitado daquele cara que fez a replica da Lambo e outro do Bugatti.

    • Zé Mundico

      Fazer é uma coisa, querer vender é outra bem diferente.

    • Andre Luiz Melo

      Nesse caso não poderia. O Bugatti ainda não caiu em domínio público.
      Mas está cheio de gente vendendo “carroceria “ ou “projeto “ de Bugatti, de Aventador, etc , na internet

    • Reichstag

      A Autosfibra em SC fez replica de tudos issos carros, ainda Ferrari, Rolls Royce, Porsche.. Ja vi muitos deles nas garagens de casas exclusivas, nas minhas ferias no Jureré Internacional (SC Florianopolis). E cossa diaria. Disculpa meu portugues, e ruim.

      • Guilherme

        A autosfibra é só marketing, nunca fez uma replica decente (se é que já fez algo…) Vi que eles estavam fazendo umas gallardos totalmente fora das medidas e a replica da f430 que eles usam pra se aparecer qlqr um que conhece um pouco de carro vê de longe que é falsa, trabalho deles é ridículo e as postagens a maioria são falsas com fotos que não são deles. Os carros que você vê em jurerê com ctz são carros autênticos, tb sou de SC e ando muito por lá pra saber.

  • Ronaldo Prado

    Esse pessoal que coloca emblema de Ferrari nos Fiat Cupê tão lascado.

    • Ernesto

      Já via Fiat 147 com as argolas da Audi. Rsrsrsrs

    • Fernando Gabriel

      Mais aí tá em casa, mesmo grupo…kk

      • Emilio

        Fiat e Audi, msm grupo? Não msm

        • Fernando Gabriel

          Me referi ao Ronaldo Prado em relação a Fiat e Ferrari.

  • Carlos Eduardo

    Copia é copia. Mas se preocupar com isso ao invés de se preocupar com lamborguini e porsche que tao comendo ela nos carros nao ne! Que podre. Atitude de pobreta com inveja do outro que tentou copiar de forma tosca. essa replica prejudicou em quantos milhoes a venda dos carros originais?

    • Fernando Gabriel

      Praticamente em nada, pois quem tem $$ compra a original com ou sem réplicas e ainda acho que ajuda a vender mais, pois o Comprador estilo Pato Marrento que tem grana para comprar a Original, vai ficar se gabando que tem a “Original”

  • RicLuthor

    Achei terrível a atitude da empresa! Se o cidadão teve todo trabalho para desenvolver sua própria réplica é porque gosta muito do modelo e da marca em si; isso deveria inspirar a marca.

    Acredito que Ferraris que são acidentadas por famosos embriagados e/ou usuários de cocaína, e que são apreendidas nas casas de políticos corruptos, empreiteiros corruptores, sonegadores de impostos, traficantes de drogas e de armas, ditadores…, mancham muito mais a imagem da marca do que a réplica de um fã.

  • Andre Luiz Melo

    Iniciativa estupida da Ferrari, tendo em vista “. A patente de invenção e o desenho industrial têm validade por 20 anos, e o modelo de utilidade, apenas 15 anos. Após esse tempo, elas passam para o domínio público.”, ou seja, a patente da F40 já caiu em domínio público há vários anos. Só lembrar, que sites como o mercadolivre apresenta inúmeros anúncios de venda de carroceria de carros com patente de domínio público , você jamais verá a venda uma Ferrari recém lançada.
    Tenho um amigo que tinha uma réplica de um Porche 911, detalhe, ele comprou algumas peças na própria concessionária , normalmente .

  • Paulo_Mathias32

    A fabricante tem todo o direito de defender sua marca. As próprias declarações do advogado da Ferrari pontuam que o objetivo do processo não é vetar a produção de réplicas, mas sim atitudes como a deste cara, que tentou obter lucro com uma marca que não pertence à ele, ao anunciar o carro num site de vendas por 80 mil como sendo da marca Ferrari, tendo 300cv, câmbio automático, etc. Por mais que seja uma batalha judicial desproporcional, há de se ponderar que propriedade intelectual e patentes não podem ser subjetivadas, senão tudo vira casa da mãe Joana. Mas na real, o que todo mundo devia estar se perguntando no fim das contas é: QUEM RAIOS PAGARIA 80K NISSO?

    • Zé Mundico

      É a mesma coisa que eu me perguntei : será que tem otário que pague 80 mirréis por uma coisa dessa?
      Se eu comprasse e chegasse em casa dirigindo uma coisa dessa, no mínimo eu levaria uma vaia da vizinhança inteira….kkkkkkkkkkkkkkkk

  • th!nk.t4nk

    Pior que a Ferrari tá com a razão sim, numa análise fria. A empresa vive de sua marca, de sua imagem. Pode parecer mesquinho, mas esse é o ponto forte da companhia e eles estão corretos em defendê-lo. Quanto ao sujeito, fico espantado com a inocência: oferecer num site uma réplica não-autorizada, de um produto cujo desenho vale milhoes? O anúncio ficou visível pro mundo todo. Lógico que tinha um potencial gigante de dar errado. Rolou uma ignorância (ou cara-de-pau) fortíssima aí. Enfim, propriedade intelectual tem que ser respeitada. Uma pena que no Brasil tanta gente ache que isso é bobagem.

    • Uau!

      Pior que numa análise fria a Ferrari não tem razão não.

      Recomendo o livro; Contra a Propriedade Intelectual do Stephan Kinsella
      advogado especialista na área de patentes, autor/editor de vários livros e artigos sobre leis de propriedade intelectual, direito internacional e outros tópicos jurídicos.

      Tem PDF gratuito
      Enfim, o mundo estaria bem melhor sem essa lógica de PI. Enquanto milionários se preocupam com isso, centenas de milhares morrem todos os dias fora do acesso á medicamentos baratos e outros produtos que avançariam nossa qualidade de vida.

      Ah e como uma empresa vai ser incentivada a inovar e ser criativa sem patente?
      A indústria da moda não tem isso e existe inovação e exclusividade de grandes marcas famosas, mesmo que desenhos estilísticos não poderem ser patenteados.

      Os irmãos Wright geraram tanta polêmica com a inauguração do primeiro voo complexo como invenção do avião pq eles estavam executando tudo escondido e protegido pra correr atrás de patentes e dinheiro com a invenção deles, q sobrou tempo do Santos Dumont sair na “frente” ao público e levar o mérito da invenção durante um bom tempo.
      Enquanto os irmãos pensavam na lógica do mundo de hj sobre as invenções e patentes, Dumont deixou aberto pra humanidade suas ideias que fomentaram de forma louvável décadas de evolução numa das áreas mais desafiadoras do progresso humano.

      • th!nk.t4nk

        Legal. Então bora derrubar a patente de todos os medicamentos caros. Pronto, ninguém mais vai ser louco de investir em pesquisa de novos fármacos, já que nunca conseguirá sequer amortizar o volume absurdo de dinheiro que vai nessas pesquisas. Só pra ir da Fase 1 pra Fase 3 de desenvolvimento de um medicamento pra câncer, por exemplo, chegam a ir bilhoes de USD às vezes. É muita estrutura e gente envolvida, no mundo todo (já que você precisa testá-lo em populaçoes diversas). É um inferno pra coordenar tudo isso, leva anos até um medicamento sofisticado ser finalizado, aprovado (que outra novela que leva anos adicionais) e chegar à população. Se a patente é quebrada logo depois, você inviabiliza todo o investimento e acaba com qualquer motivação pra novos desenvolvimentos.

        • Andre Luiz Melo

          Todo produto tem prazo para a patente, NO MUNDO TODO. Medicamentos após um certo tempo (não sei ao certo) perde a patente, ou em caso de calamidade pública ou de alto custo.

          • th!nk.t4nk

            Depois que a patente vence, que se lasque. Daí qualquer um pode copiar mesmo. Mas enquanto estiver em vigência, deve ser evitado a todo custo. Querer fazer o bem é uma coisa, mas inviabilizar o trabalho a ciência e desenvolvimento de produtos é outra. Eles se programam pra amortizar o investimento num certo prazo, ter mais um par de anos de lucro, e aí 2 coisas podem acontecer: 1) a patente vence; 2) um concorrente surge com algo ainda melhor. Normalmente é o caso 2 que tem prevalecido nas últimas décadas. Por fim, pra casos realmente extremos (como do coquetel contra AIDS) sou a favor de quebra de patentes com critério (verificar há quanto tempo o medicamento está disponível, se irá afetar seriamente o mercado e/ou o desenvolvimento de novos medicamentos, etc). Nao se diz nunca assim na lata “tem que quebrar patente de tudo mesmo”. Isso é tiro no pé.

        • Andre Luiz Melo

          E inclusive existe casos em que a justiça do Brasil quebrou a patente de medicamentos, com amparo nas leis, mesmo estando no prazo de vigência, como em caso de “calamidade pública “ ou de “medicamentos de alto custo”.
          A dificuldade não é só “descobrir a fórmula “, e sim produzir um medicamento com preço e qualidade melhor que o original.
          A maioria dos medicamentos produzidos no Brasil não tem a “base”, os “sais” , fabricados aqui , são importados , como “numa farmácia de manipulação “ em escala industrial..

        • Uau!

          Esse debate é excelente embora longo, nesse caso dos medicamentos pesquisadores de leis de patentes Boldrin e Levine descobriram que a indústria farmacêutica historicamente cresceu “mais rápido nos países onde as patentes eram menores e mais fracas.” A Itália, por exemplo, não forneceu nenhuma proteção de patentes para produtos farmacêuticos antes de 1978, mas tinha uma próspera indústria farmacêutica. Entre 1961 e 1980, era responsável por cerca de nove por cento de todos os novos compostos químicos ativos para medicamentos. Depois que as patentes chegaram, a Itália não viu nenhum aumento significativo no número de novos medicamentos descobertos por lá – ao contrário do que sugerem as previsões dos defensores da PI.

          Fonte: Michele Boldrin and David K. Levine, Against Intellectual Monopoly (New York: Cambridge University Press, 2008)

          Entendo o seu argumento mas ele incorre ao que chamamos de utilitarismo. O que é muito comum das pessoas defenderem.
          E no debate ético, o que é útil sempre está atrás do que é certo.

      • Gustavo Adriano

        Pior! Eu tenho esse livro (que é um artigo científico na verdade), muito bom seu posicionamento.

    • Ernesto

      Pior que um cara aqui disse que a Ferrari deveria aproveitar para fazer marketing com isso, até levar o dentista para Maranello (Rsrsrs). Imagine se o pessoal da China fica sabendo disso! KKKKKK!

    • Andre Luiz Melo

      “12. EXTINÇÃO DA PATENTE: ART. 78, LPI

      A patente da invenção ou do modelo de utilidade extingue-se em razão de:

      – Decurso do prazo de duração

      – Caducidade

      – Renúncia do titular, ressalvado o direito de terceiro

      – Ausência de representante legal no Brasil (art. 217, LPI)

      – Ausência de pagamento da retribuição

      Deve ser acrescentado ao rol legal previsto no art. 78 a possibilidade da nulidade da concessão da patente como fator extintivo do direito industrial, hipótese que também se verifica em relação aos bens industriais (marca e desenho industrial) registrados no INPI. Vale lembrar que extinta a patente por qualquer razão, o objeto cai em domínio público e qualquer pessoa pode fabricar o produto livremente.“

      • Edu

        Você cita a lei brasileira mas ela vale para o mundo todo?

    • Mas no Brasil se vende armas, drogas e medicação para aborto via Internet. E a casos em que empresas que pagavam propina para políticos exigiam assinatura em recibo.

  • Zé Mundico

    Pode parecer excesso, mas a Ferrari está certa. Além de defender e preservar a imagem da marca e coisa e tal, tem também a questão do desenho industrial, que é uma patente reconhecida e que pertence a uma empresa que pagou para tê-lo. Lamento informar, mas criação industrial também tem dono!!
    Acho que o dentista considerava a coisa mais um hobby do que negócio, pois a fabricação era artesanal e a coisa se limitava a copiar o design para uso, digamos, recreativo. Até aí tudo bem e não vejo muito problema.
    Mas na hora que você resolve vender (e lucrar, óbvio) com o desenho patenteado de uma marca, aí a coisa muda de figura.

    • Gustavo Adriano

      Discordo querido, até porque de acordo com o INPI a vigência de lucro em cima de patente tem uso durante 20 anos.

      • Zé Mundico

        O problema é que o desenho industrial em pauta está vinculado a fabricação de um produto com domínio de produção. Em outras palavras, o desenho pertence a um produto específico, o que chamamos de “marca registrada”. Enfim, o “produto” Ferrari F-40 só existe por causa desse desenho, que o define e identifica.
        Exemplos: ninguém se atreve a copiar o logo da McDonalds, apesar dele já ter mais de 50 anos. Da mesma forma, ninguém é besta de copiar o logo da Coca-Cola, apesar dele já ter mais de 100 anos. O Fusca saiu de produção há uns 20 anos mas vai ver se algum maluco tem a coragem de copiar o Fusca e fabricar em série! No dia seguinte a VW chuta a porta e fecha o barraco.

        • Gustavo Adriano

          Concordo em partes, estamos falando de um projeto solo de uma pessoa física. Isso não faz o menor sentido, tenho quase certeza que o dentista irá ganhar a causa.

        • Andre Luiz Melo

          Desenho industrial é uma coisa, PERDE A PATENTE, MARCA é outra, inclusive as com “certificado de origem”, como Champagne ,SÃO só as de determinada região da França, o resto é “espumante “, o mesmo serve para “Vinho do Porto”, etc..
          A discussão e o caso não é a propriedade da marca FERRARI, e sim , o de um carro fora de linha chamado F40, o máximo que a Ferrari tem direito é impedir a comercialização com adesivos, emblemas , etc da Ferrari, e ser comercializada como Ferrari F40, o mesmo serve para “réplicas “ de relógios Rolex, etc.

          • Zé Mundico

            O problema, amigo, é que o dentista não está vendendo simplesmente um “‘desenho”, pois ninguém compra desenho, mas sim um produto industrial que tem dono.

      • Edu

        Esse INPI tem abrangência mundial? Uma coisa é valer aqui e outra é valer no mundo.

        • Gustavo Adriano

          Então, quando eu falei dos 20 anos tem a ver com essa situação do INPI proteger produtos nacionais. Porque pelo pouco que eu sei sobre direito de patente, quando uma invenção é internacional, a marca tem que patentear de fato aquela ideia em cada país, justamente para não ter gente copiando a revelia. Vamos lembrar do caso do Lifan 320 em que a BMW entrou com um processo contra a marca aqui no Brasil por terem copiado o Mini. Acabaram perdendo porque a sentença delimitou-se a pronunciar que o carro, apesar de similar, tampouco atuava na mesma faixa de preço e segmento do modelo Britânico. Daí te pergunto, um carro que foi projetado na década de 80 possui patente registrada em solo nacional? Não (até onde eu sei ao menos). Por isso acho que a chance de a Ferrari ter que pagar honorários sucumbenciais para o Sr. Dentista é praticamente certa. Vai da defesa do Sr. que como já disse em outro comentário é uma “Pessoa Física”, a Ferrari nem deveria estar cometendo ou preocupada com tal ato. Eu já não sou fã da marca, agora mesmo, menos ainda….

          • Edu

            Comentei porque a Ferrari não é uma empresa brasileira e, em se tratando de proteção intelectual, existe órgão internacional (OMPI) do qual o Brasil é signatário. Quero dizer que a lei nossa não vale para o mundo inteiro.

          • Edu

            Qual tribunal vai condenar a Ferrari a pagar “honorários sucumbenciais” ao dentista?

            • Gustavo Adriano

              E tu achas que irão preder o cara e responsabilizá-lo à pagar uma multa? Acho que você está sendo inocente meu querido.

              • Edu

                Não tenho nada a ver com a Ferrari ou com o dentista, para mim esse fato está bem distante. Mas pergunto onde o dentista vai recorrer legalmente? Qualquer tribunal internacional vai se apoiar no que está acordado na OMPI.

  • marcos

    Nesse caso do dentista, como fez a sua réplica por gostar da Ferrari, deveria receber um agrado da montadora. Uma visita grátis à fábrica e até uma ajuda financeira para não fechar seu consultório e ter que vender seu trabalho na cópia da F40. Ao contrário, a Ferrari poderia até dar um certificado de réplica para ele. Afinal, trabalhando como dentista numa cidade pequena, nunca poderá comprar uma Ferrari. Desculpem, acho que estou sonhando….Quanto aos chineses, estão copiando todo mundo e praticamente impunes. Ferrari, Lamborghini, Porsche e tantas outras tem lá suas cópias Xing Ling vendendo e dando lucro aos seus fabricante.

  • Hugo Leonardo Dos Santos

    A pergunta é, como que a Ferrari descobriu o cara no fim do mundo (com todo respeito)?

    • Zé Mundico

      Pode parecer piada, mas o mané publicou na Olx……rsrsrsrsrs

      • Hugo Leonardo Dos Santos

        🤣🤣🤣, se tivesse colocado como Thunder acho que ninguém perceberia.(Quem não conhece digita Thunder esportivo brasileiro)

    • Fernando Gabriel

      Alguém pode ter visto o anúncio e denunciado para a Ferrari. Brasileiro quando não ajuda, só visa prejudicar.

  • Louis

    Isso que dá ficar idolatrando uma porcaria de uma marca. E não me refiro só a Ferrari, me refiro a qualquer marca que tenha seus fãs cegos.

  • awatenor

    ferrari sendo ferrari… italiano quando dá pra ser arrogante……….

  • Marcelo Ecosta

    Povo defendendo marca de produtos caros aqui e criticando preço de carro popular ali. Chega a ser cômico.

  • Domenico Monteleone

    Deveria ser processado por pedir 80 mil nesse monte de remendos

  • Paulo Henriq

    Processa o governo Chinês..

  • 🅰🅽🅳🅴🆁🆂🅾🅽 – 🆂🅿® ✅

    Coitado do cara, foi fazer uma Ferrada, um cosplay pobre da F40 e saiu bem mais caro que o imaginado, a Ferrari poderia entrar em um acordo e extinguir o processo exigindo do cara destruir o clone dele.

  • Cosi fan Tutti

    É por isso que eu gosto da China, eles fazem isso lá e ninguem ousa enfrentar kkk A Ferrari fica caladinha senão não vende nada no maior mercado do mundo. Agora no Brasil, é mimimi com uma pessoa que foi assaltada e perdeu tudo nessa joça sem lei. Uma pena a empresa ser tão desumana.

  • Cássio

    Devem estar processando o dentista porque ele descobriu como não deixar a Ferrari pegar fogo.

  • Guilherme Martins

    Ahhh, como um designer odiaria ver uma ideia minha copiada/banalizada…
    Mas neste caso ae, foi mais uma homenagem que deu muito errado, ele vai ter até um refluxo ao ouvir o nome Ferrari… Eu acho que a montadora devia em off falar com ele :”ô, isso ae é crime, pode não… tira..” iria causar menos repulsas daqueles que não podem ter uma Ferrari, mas graças a eles fazem a Ferrari ser… a Ferrari

  • Guilherme

    Exagero do lado da Ferrari, como sempre a marca tendo esse tipo de atitude… como o cara vai produzir isso em massa? Ele errou em ter colocado a venda, isso sim, porém chegar a esse ponto é ridículo. Essas replicas estão em alta e no youtube se acha alguns caras fazendo Gallardo e até LaFerrari aqui no Brasil e isso que são modelos atuais, acredito que só não da problema pra eles pq não colocam a venda…

  • Hodney Fortuna

    Meu Deus! O cara baseava-se pelas fotos e não por desenho industrial! A Ferrari teria que provar que esse dentista estava usando o projeto original da fábrica para produzir o seu em fundo de quintal! Isso é no mínimo ridículo e ainda mais que o dentista construiu o seu carro para uso pessoal e o mesmo teve que vender por causa de prejuízos relacionados a uma realidade que todo brasileiro nessa pocilga de país passa, os assaltos de cada dia!

  • Marcos Drawer

    Sou a favor de quem tiver capacidade construir seu próprio carro. O que talvez pudesse ter funcionado neste caso, era o carro se inspirar na F40 e não copiá-la integralmente. Mudanças na frente / traseira com um design original, e um nome próprio, sem menção a Ferrari ou a F40, algo como VE-GT, o livrasse destes processos, passando despercebido. Mas…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email