Fiat 500 elétrico é visto novamente antes do lançamento

Fiat 500 elétrico é visto novamente antes do lançamento

O Fiat 500 elétrico chegará ao mercado nacional no começo de agosto, mas já anda sendo visto em São Paulo. O subcompacto da marca italiana foi visto sem nenhuma camuflagem.


Flagrado pelo jornalista Leandro Alves e publicado em seu canal @decaronacomleandro, o Fiat 500 chegará na versão Icon e, segundo ele, o preço será de R$ 250.000. O carro da foto estava em uma concessionária e na cor Cinza Maat.

Fiat 500 elétrico é visto novamente antes do lançamento

O Fiat 500e chegará com seu pacote de motorização e bateria mais potente, entregando aí 118 cavalos e 22,4 kgfm, tendo ainda células com 42 kWh, que lhe garantem autonomia de 320 km no ciclo WLTP.

Na Europa, o Fiat 500 elétrico tem uma variante mais fraca e barata, que chega a custar € 9.000 no norte da Itália. Esta opção tem bateria de 24 kWh com autonomia de 185 km no mesmo ciclo de medição.

Fiat 500 elétrico é visto novamente antes do lançamento

Contudo, não é somente isso, pois, além de conteúdo menor, tem também motor elétrico com menor potência, entregando 95 cavalos. Mas, no mercado brasileiro, o pacote mais completo da Icon trará o máximo que o produto pode oferecer.

Ainda assim, o preço proposto é bem elevado, concorrendo aí com produtos como o MINI Cooper SE, que custa R$ 239.990. Além disso, haverá também outra novidade da Stellantis com preço próximo, o Peugeot 208 e-GT.

Com exceção desse, que terá autonomia de 350 km, o Fiat 500 elétrico leva vantagem sobre o Cooper pela autonomia maior, já que o MINI oferece até 234 km de alcance.

Fiat 500 elétrico é visto novamente antes do lançamento

Sendo um produto de imagem e para clientes premium, espera-se que o Fiat 500 elétrico tenha baixo volume por aqui, servindo mais de chamariz para a tecnologia da marca, que no Brasil aposta ainda nos carros comuns.

Na Stellantis, a hibridização terá ainda dois players, os Jeep Compass e Renegade híbridos plug-in. Com o quarteto eletrificado, dado que não há previsão de algo semelhante da Citroën ou RAM, o grupo seguirá sua estratégia local com base em flex, gasolina e diesel.

[Fotos: Reprodução]

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.