*Destaque Fiat Mercado SUVs

Fiat apostará em carros elétricos na Europa e SUVs no Brasil

Fiat apostará em carros elétricos na Europa e SUVs no Brasil

Sérgio Marchionne divulgou os planos da FCA para até 2022, mas não deu muitos detalhes sobre a Fiat, porém, o chefão do grupo ítalo-americano, que já está se despedindo, apontou que a saída para a marca sediada em Turim é a eletrificação, mas isso será somente na cenário europeu, já que os planos da empresa para a América Latina são outros, mas igualmente interessantes.


Nos últimos meses, rumores sobre a redução do portfólio da Fiat e mesmo do fim da produção de carros na Itália ganhou força. Porém, para focar mais nas americanas e nas luxuosas italianas, a FCA direcionará sua marca fundadora para o mercado de carros elétricos. Num arquivo dos planos estratégicos do grupo para suas marcas internacionais, a Fiat ganhará cinco novidades até 2022.

No âmbito europeu, a eletrificação é a saída para manter a Fiat forte. Assim, a FCA focará em carros compactos e elétricos para sua marca mais popular na Europa. Dois modelos em específico serão lançados até 2022, sendo eles a próxima geração do Fiat 500 e o chamado Fiat 500 Giardiniera, que provavelmente será a versão de quatro portas do clássico europeu, segundo rumores.

Há algum tempo, boatos falavam de um Fiat 500 de quatro portas e parece que isso será executado finalmente. Outro ponto é que os modelos Fiat 500X e 500L serão eletrificados, mas híbridos. A conectividade e a automação também serão disponibilizadas para estes dois modelos. Mas, além da Europa, a Fiat também reforçará sua posição no Brasil, onde perdeu a liderança após 14 anos.


Fiat apostará em carros elétricos na Europa e SUVs no Brasil

Por aqui, nada de elétrico. O foco será no segmento de utilitários esportivos. Nesse segmento, que cresceu muito no Brasil, a Fiat terá três produtos. Dois deles serão compactos para os segmentos A e B, enquanto o terceiro será do segmento D. Este último terá sete lugares, ocupando assim o lugar que um dia foi do Fiat Freemont. Mas e os outros dois?

Como a Jeep é a marca principal da FCA em termos de SUVs e vendas, a Fiat deve focar em nichos que a americana não atua, visto que a estratégia até o momento era de centralizar esse tipo de veículo em uma marca apenas. Como é muito popular, a italiana tem um potencial enorme de vendas ainda por ser explorado através de utilitários esportivos.

No caso do segmento A, a Fiat deverá dispor de um produto para enfrentar JAC T40, Chery Tiggo 2 e Honda WR-V, por exemplo. A base do Argo pode servir bem para se criar um crossover. Se for uma variante do hatch, não passará de um aventureiro mais consistente e talvez não atinja o que se espera. Agora, com uma carroceria ligeiramente alterada, mas com comprimento e entre-eixos do compacto da Fiat, seria mais viável como um produto diferenciado.

No segmento B, a mesma plataforma pode sustentar um modelo mais específico, que ficaria um pouco abaixo do Renegade mas, ao contrário deste, seria mais focado na família com espaço interno maior e porta-malas generoso. Nesse caso, um SUV com algo em torno de 4,30 m e com plataforma BSUW (a mesma da dupla da Jeep) poderia ter 2,60 m mais ou menos, podendo assim bater de frente com Nissan Kicks, Honda HR-V e Hyundai Creta, entre outros.

Por fim, no segmento D, o utilitário esportivo de sete lugares da Fiat é uma incógnita, mas a plataforma BSUW pode ser usada de forma alongada a partir do Compass, criando assim um SUV familiar menor que as propostas de Cherokee e Grand Cherokee com mais assentos. Um acréscimo nos 2,64 m de entre-eixos e os 4,41 m de comprimento do Jeep, o SUV pode surgir como o menor dos modelos de sete assentos da FCA.

Fiat apostará em carros elétricos na Europa e SUVs no Brasil
Nota média 4.4 de 12 votos

  • Augusto Brum

    Com tanto investimento em SUV eu começo a pensar que todo mundo do Brasil é rico, só pode. Infelizmente o mercado automotivo tem ficado cada vez menos democrático aqui no nosso país.

    • Renato1983

      Concordo que de fato parece que todos estão com dinheiro de sobra mesmo olhando por este lado. Em relação a ser um mercado menos democrático, discordo. Se a busca da maioria é por SUV’s, crossovers, “aventureiros” e similares, nada mais democrático que ofertar muitas opções nestes segmentos. Democracia é isso, quem decide é a maioria. Agora concordo que o mercado tende a ser menos diversificado em estilos diferentes de carrocerias. Carros com baixas vendas só dão lucro se forem muito caros. Logo, somem do mercado porque os poucos que gostam não podem comprar.

      • Augusto Brum

        Concordo plenamente, além da maioria decidir, a moda também decide, eu gosto de SUVs, mas vejo que aqui no Brasil quando lançam uma moda de carro ela toma conta, acaba com peruas, minivans, com carros 2p… E isso também tá acontecendo nos EUA, a gasolina barata tá derrubando até os sedans por lá.

      • Cleidson

        Será que não vivemos a ditadura dos SUV? As peruas vendem pouco porque as pessoas não compram ou porque tem poucos modelos à disposição? SUV tem novidade todo dia, já as coitadas das peruas…

        • Augusto Brum

          SUV tá matando quase todas as outras categorias infelizmente… E o povo paga por um carro mal equipado com altura maior do solo, alguns plásticos, sem tração AWD e pouco espaço interno…

          • Renato1983

            Se os SUV’s mofassem no showroom e as peruas fossem incessantemente requisitadas, acredito que apareceriam de novo. Penso mais por este aspecto.

          • Erivelton Freitas

            Eu nem chamo carro ‘esportivo’ que não tem tração AWD de SUV, prefiro ser honesto e chamar de CUV.

        • Renato1983

          Não existe ditadura do SUV. Ofereço o produto que tem mais apelo comercial. O Brasil já teve mais opções de peruas, mas o segmento de crossovers e SUV’s era caro. E os aventureiros ainda não existiam. As pessoas que tinham peruas, em sua maioria, as tinha por necessidade de espaço, não tanto por gostar. A maioria absoluta das pessoas que conheço, e eu também, sempre achamos as peruas com aspecto de carro de funerária. Além de que, o relevo acidentado e as estradas ruins são melhores de encarar com veículos que tem mais ângulo de ataque. E gosto é gosto. Pode ter certeza que as montadoras fazem pesquisas para fazer lançamentos. Se houvesse uma demanda enorme por peruas nas pesquisas, imediatamente lançariam. Hatchs, sedans, idem. Empresários não são idiotas, vão sempre investir no que vende mais e da mais lucro.

          • Augusto Brum

            Eu acho que o maior problema é o preço, pois cobram muito por crossovers e SUV que são derivados de carros compactos, o problema é que no Brasil vendem muito gato por lebre, basta dar uma olhada nas opções de SUVs que outros países possuem, com o passar do tempo já estamos pagando muito caro por um Honda HR-V, Nissan Kicks, Ford EcoSport e etc… Esse é o maior problema.

    • Jose Borges

      O mais engraçado nisso é o povo reclamar do preço da gasolina e comprar SUV que na maioria das vezes é mais beberrão que seus equivalentes hatch ou sedan.

    • Emanuel Schott

      Brasil? Esse negócio de SUV tomou conta do mundo inteiro.

      A própria FCA vai tirar a Fiat das fábricas da Itália pra focar nos SUVs da Jeep. Nos EUA a Ford já declarou que vai retirar todos os hatchs e sedans de linha pra focar em picapes e SUVs.

      • th!nk.t4nk

        Bom, felizmente aqui na Europa os SUV ainda são minoria (mas é um segmento em crescimento, sem dúvida, embora dificilmente vá dominar o mercado por completo). O fenômeno é bem mais forte nas Américas. No Brasil mesmo sempre me espanto, a quantidade de “altinhos” no trânsito é incrível. Nos EUA entao, sem comentários, virou o veículo-padrao deles há um bom tempo.

  • Pedrov154

    Quando desleixo da FCA com a Fiat! Aqui no Brasil, a marca está se apagando aos poucos, pelo menos no varejo. Acho que de agora em diante, o grupo vai focar seus investimentos na Jeep.

  • Fernando Bento Chaves Santana

    Minhas apostas sobre os SUV

    -Novo Uno way
    -Argo way
    -Toro SW

    • Lareiro

      E ainda seus respectivos irmãos da Jeep, apenas mudando o logotipo.

    • RRodrigo Souza

      kkk né
      novo uno working
      argo locker

  • Joaquim Grillo

    Ja começou atrasada pelo que vi a gm vai vir com um eletrico para nós daqui uns anos e a fiat nada vai ficar apra trás pois na hr que brasileiro pegar o gosto nos eletricos vai vingar

    • Lareiro

      Tem que ver a realidade do país. O Brasil não é primeiro mundo, então não é importante para receber as tecnologias mais avançadas. Oferecendo SUVs, já está de bom tamanho para os brasileiros e principalmente para as fabricantes, que investem pouco e lucram muito.
      Felizmente, existem fabricantes que veem muito valor em serem as pioneiras e investirem muito para introduzirem novas tecnologias, mesmo sem apoio governamental. Vide a Toyota com o Prius, e depois a BMW com o i3, e daqui a pouco a Nissan com o Leaf e a GM com o Bolt.

      • RRodrigo Souza

        quanto mais concorrência tiver mais barato vai ser, por exemplo se colocar um eletrico hoje a 100mil reais e só tem 3 opções de marcas.
        Mas se vier umas 4 ou 6 marcas trazendo cada uma um modelo a tendencia vai ser diminuir o valor e ou agilizar novas tecnologias dos eletricos

    • Emanuel Schott

      Elétricos só vão se tornar interessantes pras montadoras quando a alíquota de IPI baixar. Hoje elétricos entram na categoria de “outros motores” e pagam 25% de IPI.

      Hoje só valem a pena ser produzidos carros caros, como o E-Golf. Mobi’s elétricos só quando o governo abrir mão da sua parte.

  • Louis

    Eu me contentaria até com um Mobi elétrico.

    • RRodrigo Souza

      somos 2 ainda mais que em casa como só mora eu e meu irmão o valor da conta é baixo.

    • Ricardo Blume

      Elétrico no Brasil, só o aspirador de pó.

  • EDU

    A Fiat sempre foi agil e inovadora
    mas nos ultimos tempos perdeu a mao. Temos um 500 em casa e gostaria muito de ter um modelo mais novo desse que foi reestilizado na Europa em 2015. Deverian produzi-lo aqui. Se vier o 500x seria muito bacana pois e um carro bonito e de bom acabamento.

    • Fabricio

      exato.. também temos um e adoraria ter o X ou o L…. pena que não vieram.. quem sabe agora.

      • Rafael Oliveira

        São execelentes carros, já usei os dois por meses durante viagens a trabalho na europa… Rodei tanto em cidades quanto na estrada pelo menos uns 3000km em cada um… O X eu peguei até neve nas estradas francesas…

        • Fabricio

          Alugamos um 0.9 na Italia por uns dias também.. motorzinho dá pro gasto nas estradinhas de 130… e como eu já estou acostumado com o porta malas, não me decepcionei.

        • Miguel

          Se o 500X viesse pro Brasil já teria um comprador!
          Já vi ao vivo e gostei muito, mas duvido que a Fiat traria ele tão tecnológico e moderno pra cá. Bem capaz deles caparem o carro!

  • Hugo Leonardo Dos Santos

    Essa é a realidade hoje, deixaria Argo 1.0 começando em R$ 41990 e Cronos 1.0 com um aumento de potência por R$ 46990, até chegar na versão turbo por R$ 80 mil, daí pra cima só SUV e Crossover partir de R$ 70 mil. Os carros de trabalho manteria.

    • Verdades sobre o mercado

      Não viaja, R$ 42.590 é o Mobi Like que tem o mesmo motor Firefly do ARgo. Concorrentes inferiores ao Argo custam mais que isso.

      • Hugo Leonardo Dos Santos

        Não sei se vc viu ali, mas vou te ajudar, argo e Cronos SOMENTE, ou seja tchau Mobi, uno, grande siena

        • Verdades sobre o mercado

          Veja que o Ka que você citou que é um degrau abaixo do Argo custa R$ 45.490,00 (2019), não há como ter Argo a R$ 41.990,00, eu particularmente acho que a Fiat só está queimando o filme do ARgo colocando uma versão neste preço de R$ 44.990,00, era mais sensato uma versão a R$ 47.990,00 e bem equipada do que uma a mesmo preço(sem limpador e desembaçador traseiro, sem prep. som, sem ajuste altura banco motorista) de veículos inferiores.

          • Hugo Leonardo Dos Santos

            Ok

  • Emygdio Carlos

    Mais uma vez a prioridade é para os gringos, lamentavelmente!

    • Zé Mundico

      A prioridade de qualquer empresa é o mercado que dá mais lucro, pode ser gringo, chinês ou marciano.

  • Ricardo

    Linha FIAT

    New Mobi:
    carro subcompacto de baixo custos e com porte do atual UNO
    Concorrentes: QQ, Kwid, UP, Ônix Joy
    Motores: 1.0 e 1.0 turbo
    Produção: Betim

    Argo/Cronos:
    Uma remodelação com a adição dos motores Firefly turbo adição de alguns equipamentos já é suficiente
    Concorrentes: Ônix/Prisma, HB20/HB20S, Gol/Voyage, etc
    Motores: 1.0, 1.3, 1.0 turbo
    Produção: Betim

    Tipo/Tipo sedan:
    Trazer apenas como importado com preços entre o Argo e os hatchs médios
    Concorrentes: versões completas do Polo/Virtus e básicas dos médios
    Motores: 1.3 turbo

    A segment UV:
    Nova geração do UNO/ Panda transformada num pequeno crossover
    Concorrentes: HB20X, Tiggo, Ônix Activ, etc
    Motores: 1.3 e 1.0 turbo
    Produção: Betim

    B segment UV:
    Novo 500X
    Concorrentes: Creta, HR-V, Renegade, etc
    Motores: 1.0 e 1.3, ambos turbo
    Produção: Goiana

    D segment UV:
    TORO SUV com 7 lugares
    Concorrentes: sem concorrentes ( no máximo tiraria vendas dos SUVs médios, mas nenhum possui versão de 7 lugares mais em conta)
    Motores: 1.3 turbo e 2.0 diesel
    Produção: Goiana

    Nova Strada:
    Mantém tamanho próximo ao atual, utilizando a parte frontal da plataforma do Mobi e a traseira da Fiorino ( se fosse utilizada a plataforma do Argo aumentaria os custos e quem compra Strada não liga para esse tipo de coisa)
    Concorrente: Saveiro
    Motores: 1.3 aspirado e turbo
    Produção: Betim

    Toro:
    Apenas uma reestilizaçao para manter atual, e talvez a adição de versões cabine simples ou estendida
    Concorrentes: ? Por enquanto nenhuma
    Motores: 1.3 turbo e 2.0 diesel
    Produção: Goiana

    Picape média:
    Versão mais simples da futura picape RAM Dakota
    Concorrentes: Hilux, S10, Ranger etc
    Motores: 2.0 diesel e 3.0 V6 diesel
    Produção: Goiana

    Linha JEEP

    A segment UV
    Versão JEEP do novo UNO com desenho podendo ser baseado tanto no renegado quanto no Compass, com versões civis e OFF-ROAD
    Concorrentes: versões civis- concorrentes do novo UNO, versões OFF-ROAD – Jimny
    Motores: 1.3 aspirado e turbo
    Produção: Betim

    Renegade
    Nova geração poderia corrigir problemas de espaço interno e porta malas mantendo o design atual, porém não poderia crescer muito para não atrapalhar o Compass
    Concorrentes: HR-V, Creta, etc
    Motores: 1.3 turbo e 2.0 diesel
    Produção: Goiana

    Compass:
    Apenas reeatilizacao leve
    Concorrentes: IX35, ASX etc
    Motores: 1.3 turbo e 2.0 diesel
    Produção: Goiana

    Novo JEEP 7 lugares
    Versão JEEP do Toro SUV com mesma motorização concorrência e local de produção

    Cherokee
    Reestilizacao realizada no exterior
    Concorrentes: versões topo de linha do Tiguan, CR-V e básicas da SW4 Trailblazer
    Motor: 2.0 turbo
    Importado

    Grand Cherokee
    Acredito que deva estar sendo projetada a nova geração no exterior
    Concorrentes: SW4, GLC, X3, Q5, XC60
    Motores: 2.0 turbo e versões híbridas desse
    Importado

    Wrangler
    Uma redução nos preços seria interessante para aumentar as vendas
    Concorrentes: Nenhum
    Motores: 2.0 turbo
    Importado

    Picape Média
    Traria importada junto com o Wrangler com mesma motorização para completar a linha

    Linha RAM

    Poderia fazer a mesma linha de picapes da FIAT porém com desenho diferenciado ( mais robusto ) e versões mais completas
    -Obs: a picape média poderia ser montada em uma nova linha em Betim já que está tem grande capacidade produtiva não interferindo assim na produção de Goiana

    RAM 1500
    Se trouxesse já estava ótimo
    Concorrentes: em preço Hilux SRX e Classe X
    Motores: 3.0 V6
    Importada

    RAM 2500
    Continuar importando a próxima geração para atuar nesse nicho bem específico
    Concorrentes: nenhum
    Motores : o mesmo da atual
    Importada

    Linha Profissional

    Nova Fiorino
    Baseada na nova Strada só que adicionado um caixote atrás
    Concorrentes: talvez a nova kangoo e berlingo se vierem a ser lançadas
    Motores: 1.3 aspirado e turbo
    Produção : Betim

    Nova Doblò
    Trouxesse importada em pequenos lotes pois não teria concorrência
    Motores: 1.3 turbo

    Ducato
    Acabou de ser lançada a nova então não vejo motivos para alterar

    Alfa e Maserati

    A primeira poderia vir com sua linha completa importada, porque são muito bonitos, para concorrer com a tríplice alemã com preços um pouco inferiores pois não tem o mesmo prestígio

    A segunda vem com sua linha completa, concorrendo com Porsches e Jaguar

    Dodge

    Poderia atuar apenas com os muscle cars
    (se pelo menos os trouxessem oficialmente)

    Chrysler

    Essa, pelo menos no Brasil, eu não vejo muito futuro, porém no exterior se bem trabalhada poderia dar muito trabalho a Chevrolet e Ford, pois eu acho uma pena acabar com uma marca tão tradicional sem nem sequer se esforçar em salvá-la

  • Andre Pestana

    Concordo que as montadoras só olham para o futuro do Brasil com estes SUV e que não agregam nada a mais aos automóveis em qualidade e eficiência(só para o Brasileiro achar melhor passar pelos buracos e asfalto de péssima qualidade do Brasil que cada vez este bem pior que anos atrás e serem mais gastões tanto em combustível e manutenções), além de serem mais caros e o poder de compra dos brasileiros estejam declinando e os automóveis futuros SUV OKM ficam bem longes da grande maioria da população por causa que os SUV e bem mais caro começando em R$ 75 mil nos modelos manual e R$ 82 mil no Automático ou Automatizado. E depois as montadoras reclamam que não vendem automóveis no Brasil e que dificilmente voltam a vender como os anos de 2008 a 2015 e também o consumidor Brasileiro, pois vai vender como se a maioria dos carros custam a partir de R$ 75 mil e a população não tiveram este grande valorização em seu salário.

  • carlos rodrigues

    .. afinal, ter um SUV é sinal de prosperidade. sqn.

  • Zé Mundico

    O cara tem a sua razão. A Fiat deve se concentrar no que sabe fazer, que são carrinhos baratos e conômicos, ou compactos, prá ficar mais bonito. Já pude ver uns elétricos rodando lá na Itália, que são derivados do 500 e do 500X.
    No mundo empresarial, a montadora tem que estar conectada e antenada com a vocação de cada mercado, isso é regra básica de sobrevivência. Não adianta chorar, suv veio prá ficar e pronto. É pedra cantada há pelo menos uns 10 anos.

  • Fabricio

    A Giardiniera original era uma station wagon do fiat 500… não um SUV. Mas.. sendo da linha 500, tem lugar na minha garagem, em qualquer versão.

  • No_Name

    Segmento D? Feito em plataforma de Punto/Corsa? Pára que já está ficando feio, FIET!
    É provável que esse “segmento D” no qual a FIAT se refere seja de um SUV feito em cima da picape média da RAM que ainda surgirá.

  • Ricardo Blume

    Poderia ser ao contrário: SUVs para a Europa e elétricos para o Brasil. Ao menos uma vez, para podermos sentir o gostinho.

    • Emanuel Schott

      Fiat na Europa é sinônimo da “carro compacto”, por isso não vai investir em SUVs por lá e vai deixar isso com a Jeep. No Brasil elétricos não vão aparecer antes do governo abrir mão dos 25% de IPI.

  • Erivelton Freitas

    Tô só esperando eles lançarem um SUV com cara de Toro e chamarem de ‘Nova Weekend’. No mais, seria legal trazer os elétricos para cá, porque algumas outras já estão se movendo nesse quesito, e sendo assim, a FIAT ficará atrasada, de novo!

  • Eduardo Brito

    Minha aposta: Argo way, 500x nova geração capado e nova Freemont

  • Maycon Farias

    ”é a eletrificação, mas isso será somente na cenário europeu, já que os planos da empresa para a América Latina são outros, mas igualmente interessantes” Interessantes? hahaha. No mínimo irão jogar apenas híbridos para nós. Não que seja ruim, será ótimo, mas estaremos atrasados mais uma vez perante os países desenvolvidos com grandes ofertas de elétricos puros.

  • FFSB

    Ficará assim, ó:

    1. SUV Pequeno FIAT: Versão Aventureira do Argo, com visual distinto na dianteira e traseira, suspensão elevada e mesmo interior (com detalhes “aventureiros” no estilo FIAT). Ou seja, algo como a Honda fez com FIT e WR-V.

    2. SUV Pequeno Jeep: Versão compacta, menor que Renegade. Poucas informações a respeito, ainda. Especula-se que utilizará plataforma modificada do Panda Europeu. Possivelmente terá valores entre “Argo Adventure” e Renegade de Entrada.

    * Aliás, Renegade possivelmente terá acréscimo de preços na versão de entrada, para criar maior amplitude de atuação de Argo Adventure e Mini-Jeep.

    3. SUV Toro: visual distinto da PickUp, compartilhando diversos componentes, dentre mecânica e chapas. Visual já aprovado pela Diretoria, terá preços um pouco mais baixos que o Compass.

  • Mr Tony

    A Nissan com o LEAF e a GM com o Bolt agradecem!

    • Emanuel Schott

      Eles só vão aparecer por aqui quando o IPI pornográfico de 25% cair. Antes disso não espere populares elétricos no Brasil tão cedo.

  • Mr Tony

    E eu que ficaria contente com a Doblo que é vendida na Europa…

  • Hodney Fortuna

    Que coisa mais ridícula! O altíssimo custo cobrado hoje nas bombas dos postos já era para ocorrer uma reação de urgência das montadoras comecarem a oferecer alguns modelos elétricos! Dentro de alguns anos, com as irresponsáveis políticas de reajustes de preços dos combustíveis não duvido que o litro da péssima gasolina a nós oferecido chegue a mais de 20 reais! A hora de apostar em modelos elétricos é agora e não ficar focando no lançamento de modelos como SUVs que são veículos incompatíveis a nível de custo do combustível para o brasil!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email