Argentina Europa Fiat Hatches Lançamentos Mercado Montadoras/Fábricas

Fiat Bravo na Argentina é italiano, pois o brasileiro é mais caro

fiat-bravo-europa1

O consumidor brasileiro já sabe que paga bem mais por um carro que em outros países. Apesar do segredo absoluto sobre o custo de produção e as altas remessas de lucro para o exterior, as montadoras no Brasil perdem terreno até mesmo para o país vizinho.

A Fiat Argentina decidiu importar do Bravo da Itália por ter custo menor que o feito em Betim. Ou seja, é mais barato importar um carro com mais de 11 mil km navegados pelo Mediterrâneo e Atlântico do que rodar 2,7 mil km do centro de Minas até a capital portenha.

Além do Bravo, o modelo Qubo também é importado da Itália e o Doblò de última geração também deve ser importado. Este, no entanto, deve chegar da Turquia. O lançamento oficial do Bravo deve acontecer em breve do outro lado da fronteira.

[Fonte: Autoblog Argentina via R7]





  • tiago90j

    Isso tudo com um sindicato implacável na itália, certa vez eu li que todas as fabricas da fiat na italia produziam menos que uma unica na polonia, e mesmo assim, compensa pra argentina trazer o bravo do outro lado do mundo, que faaaseeee!!!

    • AutoIng

      É senhores, se o único problema fosse o lucro exorbitante das montadoras nacionais, ainda dariam um jeito de exportar pra Argentina com preço melhor. Só que vai muito além disso, o "custo Brasil" é o maior problema, e ele engloba não só impostos, mas dezenas de outros aspectos que encarem absurdamente o custo de produção. Inacreditável o que acontece.

      • Edson Roberto

        Auto, pensando um pouco em problemas entre Brasil x Argentina, será que todo esse impasse que sempre tem ocorrido mes a mes relacionado a receber automoveis fabricados na Argentina e produtos brasileiros não tem sido outro fator determinante para isso?

        Pensando nisso, seria uma forma da Argentina ir criando ao mesmo tempo, barreiras para produtos fabricados aqui. E assim podendo aos poucos, romper cada vez mais acordos e exigir mais do Brasil.

        As vezes a decisão pode ser politica e pode fazer sentido. O que acha desse pensamento ?

    • MecanicoDigital

      A que ponto chegamos meu Deus!

    • zemarreta

      Culpa do governo. Se não fosse essa estupidez dos tais 60% de peças nacionais, as montadoras poderiam procurar fornecedores em todos os cantos do mundo pelo que interessa, que é preço e qualidade. No fim das contas, não como nossa indústria sabe que tem "mercado cativo", não é obrigada a melhorar a produtividade, nem investir em P&D coisa nenhuma, basta apenas investir na amizade com as pessoas certas, que o futuro fica garantido…

    • Alessandrex

      Falando em sindicato implacável, seria esta medida apenas uma forma de dar escala à produção na fabrica italiana.

  • Ph4ntomf4

    O mercado brasileiro é tão predador que ele é predador consigo mesmo. Não consigo entender como a "lógica" do nosso mercado é capaz de criar uns absurdos desses. Alô Fiat do Brasil? Tem alguém aí??

    • Euzi0

      Será que o problema é somente da Fiat?

      No fim, quem ganha MAIS dinheiro? A FIAT pois ela importa de lá por SER MAIS BARATO. Quem perde? O Brasil, que deixa de exportar.

      • Ph4ntomf4

        Por isso que eu escrevi "Fiat do Brasil"…

        • Euzi0

          No fim vai tudo para a Fiat italiana… rsrs.

          Abraços

          • MecanicoDigital

            A diferença é que se mandar o carro direto da Itália pra Argentina, o dinheiro a mais que seria perdido pagando os imposto$ brasileiro$ vai sobrar nas contas italianas …

        • aprs

          Nem acho que é culpa apenas da Fiat. É todo um ambiente impróprio pra fazer carros acima das carroças padrão. Quantas montadoras fabricam hatches médios no Brasil? A Fiat foi corajosa(?) em assumir esse risco desnecessário. O carro nem vende bem e a imagem da Fiat nesse segmento e acima dele não é boa.

    • Pedro_Rocha

      A "lógica" é simples: oligopólio + protecionismo estatal. Ganham os empresários (menos concorrência), ganham os políticos (financiamentos de campanha) e perdem os consumidores (nós).

    • ahsoliveira

      não é só a FIAT o problema é tributário e falta de concorrência o governo cobra impostos de mais a montadoras aproveitam e trabalho com uma margem de lucro mais gorda, o próprio presidente da ANFAVEA disse que até 2014 se nada for feito será impossível exportar carros fabricados aqui.

      • fabio_augusto

        Quero mais que governo e as montadoras se explodam! Só assim pro consumidor brasileiro finalmente abrir o olho e perceber essa exploração toda! Lembrando que a Peugeot chilena fez o mesmo, e agora importa o 206,5 da França pq é mais equipado e mais barato que o brasileiro.

        • ahsoliveira

          em 1992 o Brasil foi campeão mundial de volei essa noticia foi transmitida por um sistema de telecominacações recém instalado no Brasil chamado TELEX, enquanto o resto do mundo já usava e-mail, não tinhamos dinheiro para investir logo em internet? tinhamos o Telex saiu tão caro quanto e POR QUE o governo comprou essa bagaça na época?! os políticos Brasileiros são burros?!! Não, Não são, o negócio é o que mesno interessa para eles é o povo!!! ano passado o Setor Automotivo Rendeu mais impostos aos cofres públicos do que instituiçães financeira em NENHUM outro país isso acontece!

          • Edson Roberto

            E nesse caso, é a situação de TODAS as fabricantes que aqui estão instaladas exigir isso para o governo.

            Não adianta simplesmente reclamar de uma decisão a curto-prazo (Redução de IPI), o negocio é reclamar de toda a plataforma de geração de tributos que o Brasil possui contra esse tipo de empresa.

            Enquanto as empresas não reclamarem dessa situação, nada muda. Se bem que para mim, não me parece de interesse das fabricantes se manterem com diversas empresas, por outro lado, acredito que se o controle de produção passasse a ser de outro país sem precisar de se estabelecer aqui, seria um favor do governo para elas. Mas vai chegar em um momento que as fabricantes terão que partir para reclamar daquilo que elas mesmos precisam de fazer: Vender produtos.

            Que um dia se continuar dessa maneira, voltará a termos aquela situação de 1990 para trás em relação a compra de carros. E viveremos basicamente de carros usados para termos condições de compra-los.

    • Tiagostg

      A fabrica de Betin, está sobrecarregada!

      eles tão cag…e andando pra gente…..uma prova disso é a produção tosta do Palio, demora 150 dias pra entregar um carro, e os 1.0 e 1.4 estão produzindo na argentina…..

      ou seja, o lucro aqui é tão grande pra Fiat q ela nem se preocupa com esses pequenos tiros no pé, mas um dia a coisa muda!

      gosto dos carros da Fiat e tenho um, mas sinceramente estou pensando em migrar de marca num proximo carro, nao pela qualidade, mas pela falta de respeito!

      • guihounter

        pois é. já fiz estágio na fiat, e o graúdos estão cagando e andando pros consumidores… ta vendendo muito…. e com certeza em todas são assim.
        expansão da fábrica? nova linha de montagem? modernização? pra que??? lucro ta só crescendo!!! e se diminuir manda os chão de fábrica embora e tudo se resolve!!!

      • Kleverson_G

        Mas se a demanda é grande, como ele vai passar por cima dos primeiros ?

        Fiat produz em sua fabrica aqui no brasil: UNO, PALIO, IDEA, DOBLO, BRAVO, PUNTO, LINEA e STRADA… Entre esses 4 vendem relativamente bem, exatamente os que estão em falta!

  • Luciotz

    Deve-se levar em consideração que a motorização dos carros na Argentina se aproxima muito mais do que se tem no mercado Europeu do que o Brasileiro, como motores Diesel e gasolina pura (E zero).
    Talvez, isso justifique o preço menor vindo da Itália.
    Imagine importar um motor destes para o Brasil apenas para atender um mercado.

    • luidhi

      Alguns motores a diesel são produzidos aqui somente para exportação.

    • Castle_Bravo

      Há E10 na Itália também e na Argentina não existe "E0", por lei a mistura mínima é de 5%.

  • Felix_BSB

    Que sorte, a dos "hermanos"!…

    • Sias

      Só consegui pensar a mesma coisa: que sorte a deles.

      • blindzector

        NOssos hermanos tem mais modelos de carros q nos, isso pq o territorio deles e bem menor, vide Chile tbm, la tem Opel… *-*

    • Punto

      Vão pegar o Bravo com suspensão mais baixa, rodas 18" e outros equipamentos não disponíveis por aqui… O motor é menor, mas mesmo com menos de 130 cv no turbinado deve dar bem pro gasto (tendo em vista a beleza do modelo).

      • luidhi

        Com um consumo bem melhor.

    • Sorte? Vai passar uma semana na Argentina então, pra ver a sorte deles, hehe.

      • Pedro_Rocha

        Argentino acha que é europeu, mas a única coisa europeia que há em solo argentino são as Ilhas Falklands.

        • Castle_Bravo

          Talvez algum nazista que fugiu para lá pós Segunda Guerra ainda esteja vivo… :)

  • epa

    Essa lógica mercadológica Brasileira desafia até as leis da gravidade!!! hihihi

  • pumagtb76s1

    essa musica diz muito somo nós, brasilenhos..
    [youtube 9aHoWTs6xE0 http://www.youtube.com/watch?v=9aHoWTs6xE0 youtube]

  • farleytito

    o brasil deve ser o pior país do mundo para se comprar carros. tudo aqui é caro (muito caro) e a qualidade sempre deixa a desejar.

    • AlexMa

      Tudo porque as montadoras visam apenas lucro no Brasil.
      No resto do mundo o custo é semelhante (em alguns casos até maior que o nosso), mas o lucro é menor.

      Enquanto no Brasil o lucro é superior a 60, 70%, na europa o lucro é de 10%.

      Vale lembrar que o lucro, em percentual, representa um valor alto.
      Quando você compra uma calça e paga por ela 50 reias, o lucro é de cerca de 30, 40% pois o valor da mercadoria é baixo.
      Com automóveis e imóveis é diferente, o percentual é menor, mas o valor do lucro é muito maior.

      E é assim que deveria ser no Brasil. O Governo deveria limitar o lucro em até 10% para forçar a concorrência.
      Hoje tem concorrência, mas para ver quem lucra mais…
      Sei que é complicado essa intervenção do Governo, mas para beneficiar a população acho plenamente cabível.

      • JottaElle

        Não vejo como o Governo poderia limitar o lucro de forma legal. Apesar de existir concorrência entre os fabricantes, as concessionárias são agrupadas, por exemplo, aqui no Rio de Janeiro, um grupo tem concessionárias de várias marcas, então se você desiste de comprar marca A e compra a marca B, de fato você está comprando do mesmo grupo. Na verdade a concorrência só ocorre entre 3 ou 4 grandes grupos.
        Agora se houver suspeita de cartel, aí a coisa muda de figura, o Estado teria a obrigação de investigar e punir os criminosos.

        • farleytito

          CONCORRÊNCIA FAJUTA. certa vez em uma visita a uma fabrica de automóveis (montadora) avistei diversos automóveis de outras marcas. e ao questionar esse fato ao guia ele explicou que se trata de "espionagem industrial" que nada mais é do que a troca de automóveis entre montadoras para analise em todos os aspectos. a partir de então fiquei com a impressão de que a concorrência entre montadoras na verdade não existe e que juntando-se todas elas temos uma maquina de extorquir brasileiros um verdadeiro cartel. pois nunca vi tanta concorrência em um mercado e os preços continuarem sempre em valores astronômicos.

          • Edson Roberto

            Se bem que, existe regulamentação para lucros.

            Uma empresa não pode atingir um patamar perante o resto do mercado com aquele produto. Porém isso na pratica não existe fiscalização.

            Eu penso que, o governo é aquele policial corrupto que faz vista grossa fazendo de conta que não viu nada e ao mesmo tempo, a montadora é um Juiz que devido a sua posição, faz o que quer e quando quiser.

            Mas temos que de fato entender porque algumas empresas não conseguem disputar de frnete com outras: E parte disso é o limite de carros disponiveis e falta de assistencia domesmo.

            • Castle_Bravo

              A única maneira de limitar os lucros é com concorrência, nenhuma empresa ou pessoa deve ter seus lucros limitados ou auditados por nenhum Estado ou Governo, não há necessidade de leis ou regras ou "vigilantes" movidos por populismo ou lobbies.

              • blindzector

                Castle… temos dois " problemas determinantes ai… " vide…

                Importação… chineses começaram a invadir praticamente o território, as 4, comeraçam a xiar com o governo falando asneiras… o qe ocorreu? IPI 30% pra importados! feliz e pra qm tem…

                Produzir carro Popular 100% brasileiro. Tenta abrir uma fabrica aqui no Brasil… vc e executado no dia seguinte… Qe até hoje, JPX, Gurgel… sumiram do mapa! Troller so fez aumentar os valores… e akela outra do sul q esqeci o nome, mas carros populares com valor de carro popular… tipow 20 mil… nao existem mais… Tinha um jornal aki em casa, mostrando uma propaganda da VW… Gol Special 15 mil… Saveiro, 17 mil… a da fiat era legal… uno 14 mil… palio 22 mil… palio weekend adv 35 mil…. hj? praticamente dobraram o valor…

                O governo… o povo mediocre… infelizmente todos pesam nessa equação…

                • plextor2012

                  O interessante dos chineses é que nem lá eles querem. Entra tudo que é germânico, e vendem bem por sinal, mas os produzidos lá mesmo vem pra cá. É uma piada.

                • Castle_Bravo

                  Como comentei outra vez, considero a China um país "parasita" do comércio mundial, movido por dumping e políticas econômicas predadoras.

                  Eles não são um país capitalista, e não merecem ser tratados como um, países com "capitalismo de estado" deveriam sim ser taxados, e violentamente, ao meu ver.

                  Sobre os problemas de abrir fábricas, de novo são culpa de quem? do Estado brasileiro que complica tudo com regras absurdas, taxas e mercado fechado.

                  Se o Estado simplesmente "saísse do caminho", sem leis, sem regras, sem incentivos nem estímulos, tendo que concorrer com importados (de países verdadeiramente livres) os preços seriam justos ao consumidor.

                  • JottaElle

                    Há outra corrente de pensamento que contesta que livre-comércio, liberalismo e globalização trazem crescimento em todas as situações, seria o equivalente a tratar todos os doentes com o mesmo remédio. Referências:
                    http://www.guardian.co.uk/profile/hajoonchang
                    http://www.huffingtonpost.com/ian-fletcher/a-revi
                    http://books.google.com.br/books?id=D4MzrBWGY_AC&…

                    • Castle_Bravo

                      O "Keynesianismo" é bem antigo, na verdade é dominante em nossas universidades, graças a ele e as ilusões de um "estado corretor e regulador" é que são raras economias verdadeiramente livres, e graças ao "estado atuador" e a benefícios exagerados é que a União Européia está agonizando hoje, bem como nosso crescimento é pífio.

                      De qualquer forma, obrigado pelos links. ;)

                    • JottaElle

                      Isso não tem relação com Keynes, é bem anterior a Friederich List ( https://en.wikipedia.org/wiki/Friedrich_List ) por exemplo, passando por exemplo por Hamilton ( https://en.wikipedia.org/wiki/Alexander_Hamilton ) e até as origens da industrialização Britânica. O protecionismo foi usado por várias nações para se desenvolver e depois que atingem um alto nível de desenvolvimento pregam as virtudes de laissez-faire para os países pobres e em desenvolvimento. Eles usam um método para se desenvolver, depois escondem o "ouro". Seria parecido com o que ocorre com a floresta amazônica, querem que o Brasil preserve-a às custas de seu desenvolvimento, mas não querem recuperar as florestas deles.

                    • Castle_Bravo

                      Eu diria muito mais o mercantilismo foi usado por estes países se desenvolverem, o que não seria uma maneira ideal hoje, usei o termo entre aspas já que hoje este nome é praticamente um sinônimo da intervenção estatal na economia, mesmo que ele seja muito mais antigo que Keynes.

                      Os EUA por exemplo, eram até meados do fim do século XIX foi um país bem próximo do laissez-faire, e este foi o motor do desenvolvimento deles para segunda ou terceira economia do mundo até a Primeira Guerra, diferente do que houve na Europa, onde o mercantilismo e a exploração de colônias eram a fonte de recursos. Algo pouco prático de se fazer atualmente…

                      Ninguém "esconde" o ouro para se desenvolver, a maneira única e possível hoje é a mesma de 300 anos atrás, trabalho e liberdades econômicas, meu país não precisa ser rico ou poderoso, a população sim é que precisa ser livre, para caso queira, ser rica ou poderosa.

                      Sobre os recursos naturais, tens toda razão, quem usou até o limite suas florestas não tem moral para vir aqui "ensinar" como devemos tratar as nossas.

                    • JottaElle

                      Mas antes dessa época os EUA tinham tarifas altas. Aqui vai uma citação de https://en.wikipedia.org/wiki/Tariff :
                      "A program within the US intelligence community, Project Socrates, that was tasked with addressing America's declining economic competitiveness, determined that countries like China and India were using tariffs as an integral element of their respective technology strategies to rapidly build their countries into economic superpowers. It was also determined that the US, in its early years, had also used tariffs as an integral part of what amounted to technology strategies to transform the country into a superpower."

                    • Castle_Bravo

                      Sim, mas o tal Projeto Sócrates fora apenas um devaneio protecionista do até então liberalizante presidente Reagan, ele nunca chegou a ser posto em prática, foram apenas estudos à partir de 1983 que segundo tua própria fonte, foram sepultados em 1990, na administração Bush.

                      Nos anos 80 a economia americana já era há décadas, a maior do mundo.

                      Sobre as tarifas de proteção e "incentivo" à indústria, obviamente os EUA foram tentados a fazer isto, afinal nenhum governo é imune aos lobbies e às "saídas fáceis" que esta solução oferece, contudo após a Guerra de Secessão (Século XIX) este tipo de medida fora praticamente abandonada, sendo reduzida mais ainda a partir de 1930.

                      Não foram "incentivos" ou "proteções" estatais que tornaram os EUA a maior economia do mundo, foi o trabalho de pessoas que tiveram um ambiente na maior do tempo pacífico, com poucas regras e taxas para poder empreender e enriquecer.

                    • JottaElle

                      Eu sei que o projeto socrates foi descartado, mas outras tarifas altas foram impostas por força de lobbies, conforme o próprio artigo cita, como exemplo posso citar uma tarifa que protege os produtores de algodão dos EUA (conforme Beattie, Alan em False Economy:
                      A Surprising Economic History of the World – http://www.zahar.com.br/catalogo_detalhe.asp?id=1… e que o Brasil entrou com uma representação na OMC e foi autorizado a fazer retaliação. Mas, conforme tabela em http://en.wikipedia.org/wiki/Tariffs_in_United_St… as tarifas alfandegarias só começaram a cair mesmo após 1944 e não no século XIX conforme você falou

                    • Castle_Bravo

                      Andrew Jackson em 1833 (século XIX) reduziu as tarifas protecionistas principalmente em razão dos protestos dos estados do Sul (Carolina do Sul, com mais vigor) que se negaram a aceitar as medidas por aumentar os preços dos produtos não produzidos por eles.

                      http://en.wikipedia.org/wiki/Andrew_Jackson#Nulli

        • Eu acho que há um jeito simples: liberar as importações a impostos semelhantes do Chile DESDE que o valor do carro praticado aqui no BR não ultrapasse uma margem pequena de % (sei lá, uns 5%) do preço de venda do carro no país de origem. As "nacionais" teriam de acompanhar e ainda assim teríamos a "invasão" de marcas boas como MAZDA, Skoda e SEAT (se a VW deixar), e por aí vai. Apenas um esboço de idéia.

  • Armando_Perez

    Olha a qual ponto chegamos, isso que o EURO tem a cotação muuuuuito mais alta perante o real, então você imagina quanto está incluido o custo e o lucro brasil.
    é de ficar triste.
    mas olha pelo menos vejo o lado bom, não queria tá na pele deles nesse momento. tem o carro mais barato, mas a inflação e o preço da gasolina tá comendo solta, fui semana retrasada pra lá e os postos estão cobram 2.90 pela gasola.

    • Louis

      2,90 reais ou pesos ?

      • Armando_Perez

        2,90 reais em pesos tava perto de 7….

  • maycu7

    comprei um… muuito bom o carro, bem superior aos concorrentes

    • tbc_

      bom é pouco… o carro maravilhoso! anda bem, estável, espaçoso, acabamento impecável e belíssimo!

    • victorcvs

      Também comprei, pesquisei muito e descobri que esse era o melhor custo benefício, sem dizer que pessoalmente eu acho ele o mais bonito.

  • Castle_Bravo

    A única parte ruim é de não vir um carro adaptado às condições locais, principalmente acerca do combustível (que em geral tem mais baixa octanagem na Argentina) e a suspensão menos resistente ao solo latino, que lá é similar ao daqui.

    No geral mesmo, pode ser apenas um arranjo para balancear as importações com exportações, ou algum limite estourado para com o Brasil ou com nossa moeda que força a FIAT a fazer essas manobras, acredito que seja muito mais relacionado às trapalhadas do governo Argentino se intrometendo nos negócios do que necessariamente um alerta sobre nossa competitividade.

    • Long_life_tobigcars

      Essa questão de suspensão adaptada penso que não existe mais isso. Só era visto as diferenças até os anos 90. Hoje em dia todos os carros são nivelados na qualidade e preparo de cada um. Os EUA exportam carros para o Oriente Médio, países onde há guerras e atentados cujas crateras causadas por bombas sejam absurdas em tamanho.
      Produzir um produto com diferenças mecânicas para determinados países só fazem é aumentar o custo de produção. A única diferença, penso eu, seja apenas na questão de adaptação de combustível já que tal varia na questão de qualidade.
      Vejo carros importados dos anos 90 ainda rodando aqui em Fortaleza. Muitos ainda possuem a suspensão ainda original salvo as trocas de amortecedores e borrachas. Seus proprietários ainda os conseguem manter encomendando peças ao EBAY que são muito mais baratos que os vendidos aos nacionais. O único e sério problema é só na alfandega e sua maldita burocracia.

      • Castle_Bravo

        Quem tem os primeiros franceses e coreanos a aportarem por aqui pelo ano 2000 não acha a mesma coisa acerca da suspensão… :)

        Sobre o Oriente Médio, sabemos que quem compra carros importados de luxo ou esportivos não é exatamente quem está em guerra ou sofreu conflitos recentes, mas sim Emirados que têm estradas quiçá melhores até que as americanas e europeias.

        • Long_life_tobigcars

          Essa questão de suspensão adaptada penso que não existe mais isso. Só era visto as diferenças até os anos 90.

          Bagda, Jalalabadh (acho que é assim que se escreve, cidade afegã) e Beirute há carros novos também.

          • Edson Roberto

            Acredito meu amigo, eu tenho um Citroen Xsara e se denota pela forma de comportamento do modelo que a suspensão não foi feita para as buraqueiras, devido a ter um curto curso de suspensão que faz o amortecedor atingir seu limite batendo seco com facilidade.

            O que eu faço? Ando com menor velocidade que outros carros nessas condições esburacadas. Assim preservo a mecanica. Mas existe sim…. nesse caso o meu é um hatch médio de 2001.

            Abraços!

          • Landrutt

            Li um artigo da BBC que os afegãos só gostam de carros japoneses, dizem que são os mais adequados para as condições das estradas do país. Até dizia que em Cabul de cada 10 carros novos vendidos 7 eram Corollas e que eles gostam muito de importar carros usados do Japão. Em outro artigo, vi que os iraquianos eram fãs de carros, pasmem, americanos. Lá são símbolo de riqueza e são sonho de consumo dos iraquianos que estão melhorando de vida, e que mauricinho e patricinha iraquianos que se prezem tem ou um Jeep ou um Chrysler. Em contrapartida, no rico Curdistão Iraquiano, região autônoma tida como poço de desenvolvimento social e econômico no Iraque e onde a guerra entre sunitas e xiitas não chegou, é moda ter carros europeus, especialmente alemães e franceses. Quanto a Beirute, eu conheço a cidade e posso afirmar que lá se vende MUITOS carros de luxo. A situação do Líbano é semelhante a do Chile, o país não fabrica carros e todos são importados, com taxação zero. E mesmo tendo sido bombardeada por Israel recentemente as ruas parecem mármore de tão lisas, o governo libanês se empenhou bastante em devolver à cidade o clima de primeiro mundo que ela possui. Praticamente todos os taxis são Mercedes-Bens, a maioria modelos novos, e há muitos BMW's e Audis nas ruas. O smart fortwo e o MINI Cooper fazem bastante sucesso por lá também, em virtude de a maioria dos apartamentos no centro da cidade não possuírem vagas de estacionamento próprias, como acontece em Paris.

      • AlexMa

        Existe, em diversos casos, apenas alteração quanto à pressão dos amortecedores. Mas é coisa bem pequena.

        Se você comparar um carro mundial que tem aqui no Brasil e em qualquer outro lugar no mundo, verá que há a questão do mapeamento da injeção eletrônica e calibração dos amortecedores. Basicamente isso.

        A injeção eletrônica é só conectar o computador e atualizar o software. Amortecedor é só colocar mais pressão. Bem simples. Pode rodar feliz em qualquer lugar do mundo.

        • JottaElle

          Outros componentes alterados são: molas (altura livre do solo), batentes (evitar pancadas), buchas (mais elemento elástico), etc.

          • Edson Roberto

            Alias, só um adendo, os batentes precisam receber peças para atuar na base hidraulica já que o curso é menor em outros países. Tudo isso para que o amortecedor não bata seco e consiga superar as buraqueiras em mais tempo.

            Não a toa, lá fora eles costumam dizer que o sistema de absorção de impactos para o Brasil é reforçado. E muito mais robusto que em outros países (mas isso não quer dizer que essa robustez é para se traduzir em estabilidade / dirigibilidade…)

    • A Argentina privatiza empresas ao próprio deleite, essa presidente é outra populista latina. Estavam brigando com o México por causa da balança e concerteza não compram do Brasil por causa da enificiência economica. Veja o imposto cobrado sobre produtos brasileiros é altíssimo. Esse Mercosul é um tratado entre países sem compromisso algum, todos predadores, quebram acordos quando bem entendem…

      • Edson Roberto

        Bem… quando o Brasil desrespeitou o livre comercio ao cobrar 35% de taxa de I.I. nos automoveis importados, ele não deixou de atuar igualmente ao que a Argentina faz….

        • Castle_Bravo

          Limitar o comércio contra países parasitas como a China é até algo perdoável, mas o que a Argentina fez foi rasgar acordos de livre comércio, impondo quotas e desrespeitando parceiros ao seu bel prazer, além de impor regras ridículas e burocráticas aos importadores e controle de moeda estrangeira violento.

          Ao aumentar o IPI, tecnicamente o Brasil não quebrou acordo algum, porque o I.I. (que é o imposto que "conta" neste caso) não foi alterado.

      • Castle_Bravo

        Acho que quisestes dizer "estatiza", não? partidos de esquerda não costumam ser inteligentes ao ponto de diminuir o tamanho do Estado.

        • CharlesAle

          POis é Castle,mas os comunas sabem privatizar como nunca,aliás,são melhores que qualquer um,quando se trata de "privatizar"como fizeram com o governo e estatais,não é a toa que o Brasil vive o maior nível de corrupção da história,pois está tudo dominado por eles,lula foi o melhor presidente nesse quesito,instalar parasitas sanguessugas para roubar adoidado o governo……

  • Piemonte

    Precisamos avaliar todos os detalhes….1- em relação ao Peso, o Real é super valorizado; 2- existe as cotas de quantos carros podem ser exportados/importados entre Br e Arg; 3- os custos do Br são maiores mesmo que em qualquer outro país, por conta dos impostos, principalmente no segmento do Bravo, onde os componentes são bem afetados pelos impostos em cascatas; 4- talvez o modelo vendido seja a diesel, já que na Arg pode-se usar; 5- para aproveitar o transporte de outros modelos, como a matéria diz, o Kubo por exemplo, acrescenta-se outro modelo para 'completar' a carga……enfim, as relações comerciais entre as nações e empresas não são tão simples!

    • JottaElle

      Para maioria, é mais fácil apelar para o senso comum e minimizar a complexidade dos sistemas, preferem apelar para o viés narrativo. Acham que todas os sistemas são lineares e tem respostas da seguinte forma: para um esforço x consegue-se resultado 2x, para um esforço 2x consegue-se resultado 4x. Aí chegam a essa conclusão de que se o Bravo é importado da Itália para a Argentina é porque o Brasil tem custo alto.

  • marcelo_ricardo

    Importante é que somos penta! e a copa é no Brasil em 2014!

    Uhul!

  • AlexMa

    Sem falar que o importado tem bem mais qualidade…

  • CanalhaRS

    NA época das eleições ninguém lembra disso, pois votam em qualquer palhaço para nos representar no poder.
    Depois não adianta reclamar.

  • Long_life_tobigcars

    Engulam essas seus petralhas. .Tornaram o país brasil inviável em tudo! Até os ditos vizinhos do mercado ideológico MERCOSUL já estão preferindo importar seus carros das matrizes já que são bem mais baratos e de melhor qualidade que vendidos na Banânia. Afinal penso eu! Onde está esse desejo bizarro dessas montadoras ridículas em colocar plantas de produção nesse país se nem mais para exportação não estão mais servindo? Soube há alguns dias que o Honda City tem pretensão de ser fabricado no México já que importado do brasil está saindo mais caro e suas vendas cairem. Ou seja, as montadoras terão que ficar reféns apenas do mercado interno e torcer para que não haja nenhuma crise mediana. Caso contrário, será um verdadeiro EFEITO DOMINÓ.

  • bcaliari

    Acho que vou parar de acompanhar o NA pra não precisar ficar sabendo dessas coisas =/ país fudido esse nosso! Não ainda acontece isso mesmo tendo "acordo de livre comércio" entre os países se é que se pode dizer que ainda existe isso.

  • marciors01

    Outro ponto, e o mais importante, enquanto o nosso bravo utiliza a plataforma do stilo o europeu utiliza uma plataforma moderna 5 estrelas no euroncap,

  • Kravicz

    Como diz aquela propaganda:

    Brasileiro é muito maix experto. TOMA

  • kohlsgreen

    Será que é muito dificil ir morar na Argentina? rsrs
    Bem que a Argentina faz, só porque o Argentina é do lado não quer dizer que tem que pagar o que o Brasil quer.
    Esse pensamento deveria ter também o povo brasileiro. Esta caro? Não compro.

  • msbiel13

    vcs num tão levando em conta uma coisa , custo de transporte , q aki é feito por caminhões ( oq é bem caro em longas distancias ) e vindo da europa é d navio ( bem + barato a longas distancias ) , isso somado a outros fatores extras q todo mundo ja ta careca d saber , fazem ser + vantajoso importar da italia msm

  • GuilhermeMMatos

    sorte a deles…
    e só complementando o título da matéria: Fiat Bravo na Argentina é italiano, pois o brasileiro é mais caro E PIOR

  • RmouraTW

    Não comprem carro novo, essa é praticamente nossa única arma, divulguem que somos roubados descaradamente, estamos sustentando esse estado corruPTo, e não obtemos beneficio algum, A SAÚDE É UMA B**TA, EXPERIMENTA… SEGURANÇA É SALVENSE QUEM PUDER, EDUCAÇÃO É UMA BRINCADEIRA… ESTE PAIS VAI ENTRAR EM COLAPSO GRAÇAS A ESSE MODELO ECONÔMICO ESCROTO

    • ahsoliveira

      Educação é uma Vergonha! quase 90% das universidades federais em Greve o governo anuncia um anúncio de Até 45%, só não anuncia que é para professore s com Doutorado em Fim de carreira e e o aumento só vai chegar a esse patamar progressivamente em 3 anos, quais engenheiros teremo para produzir essas carroças!

  • ahsoliveira

    Estamos nos tornando exportadore de comodites, matérias primas, onde o valor agregado é baixo e o lucro vem do volume, até 2016 estaremos em uma crise interna FO**

    • RmouraTW

      Exatamente, somos um fazendão do planeta, vivemos da terra e pouco criamos e inventamos,,, mandamos nossa nosso aço pra China e eles nos devolvem em forma de Jac Motors. Vejo hoje um Brasil com uma massa de idiotas e ignorantes que só aumenta apesar dos pseudo avanços sociais. Vc está certo, em 2016 a bomba arrebenta,

    • Nasckar

      não sei não, eu adiantária uns dois anos sua previsão (2014) !

  • granrs78

    Enquanto no Brasil não acontecer a tão sonhada reforma tributaria, veremos essas aberrações ocorrendo com muita frequencia por aqui. Quem perde com isso além do nosso país, somos nós, pois com menos vendas e exportações, menos dinheiro e recursos serão empregados em nosso país. Já está mais do que na hora do nosso Governo acordar e fazer as mudanças que a anos estamos esperando. Brasil um país do futuro, só que esse futuro nunca chega!!

    • DougSampaNA

      Reforma tributária só com a vinda do AntiCrsito, que vai ser um grande governador mundial e todo mundo vai babar…e quem não obedece-lo morre…ainda bem que a Dilma não lê a Biblia…hahahhahahhahha
      Vai que de repente ela quer antecipar o Bichão….hehehhehehhehe

  • Alessandrex

    A viagem de navio pode até ser mais barata do que a viagem rodoviária. Estranho são os impostos, pois a exportação no Brasil é livre de IPI, ICMS, PIS, COFINS e etc e no lado argentino existe acordo para não pagar imposto de importação. Salvo se mudaram as regras recentemente.

  • MM_

    DUVIDO que seja mais barato.

    Aposto que isso é balela pra matar 2 coelhos com uma cajadada: pressiona o governo brasileiro e ainda mantém a produção na(s) fabrica(s) da Italia, que devem estar com alta ociosidade devido a crise na Europa.

  • Diggo

    Ridículo! Não existe outra palavra.

  • kikofar

    Sou de Ipatinga-MG e estou aqui passando alguns dias na casa dos meus pais. Vejo o exemplo aqui, numa das maiores siderúrgicas das Américas, a Usiminas. A conversa que mais ouvi por esses dias é que a empresa está mal das pernas. Não consegue produzir com eficiência e seus produtos tem preço acima do da concorrência, o que leva à diminuição das vendas/encomendas. Inclusive já se vê reflexo disso no mercado imobiliário da região: mais de 6 mil imóveis à venda, alguns custando preços extratosféricos, mas anunciados em 10, 11 imobiliárias há quase 2 anos!!!!!

    Infelizmente, o que se vê nessa reportagem é o absurdo do absurdo. Mostra o quão esse país cobra de impostos e o quão ineficiente é para escoar sua produção, por estradas subestimadas, mal planejadas e pessimamente asfaltadas, onde privilegiou-se o transporte terrestre sobre rodas com total descaso do transporte por linhas férreas. Burocracia paralisante e lamaçal fiscal completam o cenário devastador às nossas indústrias.

    Como diria o meu cunhado: A INDÚSTRIA NO BRASIL MORREU, MAS NINGUÉM AINDA TEVE A CORAGEM DE DIZER!

    • CharlesAle

      Kikofar,tudo bem!!!então você vê a olho nú o que os empresários reclamam faz muito tempo,que o Brasil,com sua carga tributária absurda,com custo brasil lá em marte de tão alto,corrupção matando a pau e não mais escondido,mas agora escancarado,infelizmente não espere que,sem reação do povo,a coisa vai mudar,o que lamento é que um país com tanto potencial,com tata matéria-prima,numa situação vexatória dessas,empresários a maioria se pudesse,nunca mais mexia com empresa,ia viver de outra coisa,até mesmo ser empregado,de tanto aborrecimento,raiva e desestimulo,e pior,com essa gangue que se apoderou de brasilia e está roubando tudo que pode antes que a vaca vá para o brejo,essa é a verdade,lá instalada pelo pior presidente da história(sapo pinguço)não tenho esperanças de mudanças a longo prazo,pois o povo está anestesiado por mentiras 24 horas na TV,enfim,vamos ver qual será o final disso,valeu….

    • O_Corsario

      E quem matou?…

  • Jason

    E isso que a economia dos argentinos não anda nada boa… Não vai ser um carro barato por lá, vai ser um carro acessível para poucos. Pelo visto, do ponto de vista de importar poucas unidades, também compensou para a Fiat trazê-lo da Europa.

  • plextor2012

    Só dá para rir de uma coisa dessas. A verdade tá escancarada, só não enxerga quem não quer. Vivam as carroças!!! :S

  • andresluzala

    E depois os argentinos que sao os trouxas??? eu tenho minhas duvidas rsrsrsrsrsrsrsrsrs.

  • Leonardi1986

    O que importa realmente é que "nóis" é penta-campeão! braZZZZZZZZZZZZZZZil!

  • cepereira2006

    Vai ver que a fábrica daqui não teria mais capacidade instalada para atender aos Hermanos…deve estar no limite, enquanto a Itália está em crise e precisa muito exportar.

  • sammylito

    O Brasil está seguindo para um caminho sem volta, uma vez que sabidamente a locomotiva do nosso país e da maioria dos outros países em fase de desenvolvimento são as industrias, e principalmente a indústria automotiva. Se com a China por ai dominando tudo quanto é segmento industrial já está difícil, imagina perder mercado para qualquer outro país. Eu trabalho em uma empresa de automação pneumática que presta serviços para o setor automotivo e está tudo uma calamidade, o que não fechou está devendo até a alma. O Brasil está sofrendo um processe de desindustrialização forte, daqui a pouco só teremos produtos chineses à venda por aqui, nada mais vai ser feito aqui. E quando eu vejo no jornal que o Brasil está com a menor taxa de desemprego da história eu fico me perguntando aonde está todo mundo das industrias? A menor taxa de pobreza já registrada? Quero ver até quando, tomara que eu esteja errado, mas eu fico me perguntando qual vai ser a saída que nós brasileiros vamos encontrar, porque a China não vai decrescer, nós precisamos de alguma outra saída, e sinceramente eu não acho que o PT vai conseguir tirar o Brasil da lama. A Dilma e o Lula parecem Robin Wood, pois estão tentando enriquecer a classe mais baixa arrancando os trocos de quem tem dinheiro, isso não deu certo uma vez lá com Karl Marx. Não acredito que vá dar certo agora.

  • O_Corsario

    É isso que venho dizendo desde a suposta "invasão dos importados".
    O problema do Brasil não é falta de competitividade frente à China.
    É a falta de competitividade frente à Itália, Alemanha, EUA…
    Sairia mais barato importar TUDO de fora do que comprar o fabricado aqui.

  • Alxalm

    Até argentino vai poder rodar com Doblò nova geração ! A Doblò foi atualizada na europa, turquia … No Brasil ??? mesma coisa desde 2002 … só face lifts !!! Isso mostra o quão importante é a operação da Fiat no Brasil e o respeito com o cliente brasileiro.



Send this to friend