Fiat Centoventi seria interessante sucessor do Uno, mas…

Fiat Centoventi seria interessante sucessor do Uno, mas...

O Fiat Uno disse “Ciao” recentemente e com ele a chance de um sucessor para o pequeno popular da marca italiana que, por 37 anos, foi o impulsionador do fabricante por aqui.

Se um sucessor estivesse ao alcance, certamente seria uma proposta diferenciada em relação ao produto que saiu. Com o Pulse sendo o principal SUV da Fiat, uma continuação do Uno só seria viável sob outras circunstâncias.

Nesse caso, a proposta de eletrificação seria interessante não só para o mercado brasileiro, mas também para a Europa, trazendo de volta o nome clássico, assim como a Fiat fez com o Tipo recentemente.

Fiat Centoventi seria interessante sucessor do Uno, mas...

O projeto Centoventi seria uma oportunidade de retomar o produto, mas somente se houvesse condições fiscais para sua introdução.

Embora ainda não se saiba qual será o primeiro fabricante de carros elétricos a introduzir um produto nacional assim no Brasil, o Centoventi certamente seria um candidato.

A ideia do projeto envolve baterias modulares para reduzir os custos de aquisição, contudo, o Centoventi surgiu antes da Stellantis.

Fiat Centoventi seria interessante sucessor do Uno, mas...

Com a fusão, criar uma plataforma própria para o Centoventi parece inviável no momento em que a Stellantis já definiu quatro bases globais.

Assim, o uso da CMP como STLA Small facilitaria a produção no Brasil, mais precisamente em Porto Real ou El Palomar. No projeto da ex-PSA, uma bateria de 37 kWh é considerada para o 208, de modo a reduzir seu custo.

Na Fiat, o Centoventi como “New Uno” poderia adicionar as mesmas células. A produção de um modelo elétrico no Brasil seria de fato interessante, mas…

Fiat Centoventi seria interessante sucessor do Uno, mas...

Como o país não possui um plano estratégico ao nível nacional para implementar tecnologias como dos carros elétricos a longo prazo, dificilmente qualquer esforço será feito pelos fabricantes.

Ainda que a ausência de renúncia fiscal seja o ideal, sabemos serem os governos os mais interessados em tecnologias que reduzam a emissão de poluentes, com a indústria seguindo o que eles desejam.

Fiat Centoventi seria interessante sucessor do Uno, mas...

Assim, sem perspectivas a longo prazo do Brasil seguir players mundiais como EUA, China e Europa, a alternativa no momento é usar o etanol em híbridos, sem um apoio velado do governo.

Isso porque atualmente os importadores temem aumento nos preços de carros elétricos e híbridos, dado que as alíquotas de redução para a entrada desses carros expira em 31 de dezembro. Por ora, propostas como do Centoventi, continuam para poucos…

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.