Europa Fiat Mercado SUVs

Fiat estaria preparando SUV com plataforma de Compass e design do Argo

jeep-compass-sport-4x4-11 Fiat estaria preparando SUV com plataforma de Compass e design do Argo

De acordo com o site italiano CarPassion, a Fiat prepara um novo utilitário esportivo para 2019. A proposta não é uma nova geração do Fiat 500X, mas um substituto para o conhecido Freemont, que em realidade é o já cansado Dodge Journey. A aposta do fabricante de Turim é na plataforma Small-Wide 4×4, que deu origem ao Renegade e também ao Compass, ambos feitos em Goiana, Pernambuco. Essa base também é usada no Fiat 500X e na picape Toro, também brasileira.



Com base na experiência com o Jeep Compass, a Fiat estaria preparando um novo SUV de porte médio. A decisão seria naturalmente lógica, dado o crescimento do segmento em todo o mundo, especialmente na Europa. Além disso, a solução está ao alcance da engenharia local, que não precisaria investir em algo partindo do zero. No entanto, apesar da pretensão em tirar o Freemont, este oferece a opção de sete lugares, o que um equivalente Fiat ao Compass não faria.

A solução, nesse caso, resultaria em um segundo SUV, um modelo maior para preencher esse vazio que será deixado e ainda bater de frente com Volkswagen Tiguan Allspace e Skoda Kodiaq, por exemplo. Isso poderia ser resolvido com uma variante do Cherokee, por exemplo. Mas, há outra questão em relação ao projeto. O design. Segundo o site italiano, o projeto envolveria aplicar o mesmo estilo do Fiat Argo, que é um derivado (em design) do Tipo europeu. Considerado “racional” por Turim, esse layout está se provando um sucesso para a marca e sua aplicação igualmente traria bons resultados.

Outra característica importante do projeto da Fiat é que este novo SUV nasceria com DNA 4×4 e excelente capacidade off-road, sendo assim bem explorado em mercados que precisam de um carro mais robusto. Com o compartilhamento de peças e componentes com o Jeep Compass, fica fácil imaginar o novo Fiat com motores 1.4 MultiAir Turbo ou 2.0 Tigershark, dependendo do mercado, mas também com o diesel Multijet 1.6 de 120 cv e 2.0 com até 170 cv, além de transmissão automática com seis ou nove marchas.

Infelizmente, a nova proposta não deve ir muito além em termos de mercado global. O foco deve ficar na Europa e talvez nos EUA, ambos servidos atualmente pelo Fiat 500X. Por aqui, a questão é a presença da Jeep, que dá um resultado bom para a FCA. O grupo já deu indícios claros de que não pretende atrapalhar o desempenho da marca americana. Ou seja, nada de concorrência interna neste segmento. Para ampliar ainda mais a presença da Jeep, um SUV menor e mais barato que o Renegade já estaria em gestação.

[Fonte: CarPassion]

  • Mario

    Esse Compass é lindo!

    • André Luis Versiani

      É mesmo cara, meu vizinho tem uma branca a Diesel e fico admirado com o design dele, muito massa!

  • Sasaki

    A Fiat esta investindo no Brasil por que deve ser um dos unicos país que sustenta ela e mesmo assim cobra caro por esses carros,eu queria que uma grande marca comprasse ela e transformasse ela e uma marca gigante.

    • José Eugenio

      Aqui já foi o paraíso das montadoras, agora vão ter que rebolar pra vender, chega de empurrar o lixo pra cá! VW já começou a se mexer, não vai demorar pra que as outras sigam o mesmo caminho.

  • marc west

    O Argo não é feio, mas tem uns ângulos que deixam partes dele meio desproporcionais. Talvez em tamanho XXL isso melhore.

    • André Luis Versiani

      Encontrei alguém que pensa exatamente como eu, cara desde o ultimo Palio tenho notado isso em especial no para lamas dianteiro. Argo poderia ser melhor, o Stillo era muito mais lindo em minha opinião.

  • Raimundo A.

    Notícia estranha ou mais uma do C CUV, que era para ter sido lançado ano passado, ou este ano.
    Especulação, pois não passe disso até surgirem detalhes mais confiáveis, a Jeep faria um Compass alongado para levar sete pessoas, isso no mercado chinês.
    Se fariam na China, a mesma base pode ser usada para um derivado Fiat mantendo, se realmente houver interesse, capacidade de ocupantes que o Freemont tem.
    Sobre a mecânica, em 2019, a Fiat já deve ter os Firefly turbo iniciando substituição dos T Jet. Além disso, na Europa e na América do Norte, o Tigershark 2.0 não devem ser usados. A FCA usa na Europa e Ásia os T Jet e MultiJet. Na América do Norte, 2.4 Tigershark. Até na Argentina, o Compass usa o 2.4. O 2.0 parece exclusividade nossa e como o texto diz, não querem até então concorrente diretos internos aqui.

    • Thiago Maia

      O jJourney/fREEMONT é grande patra a Europa, de tal forma que devem lançar yum veículo entre o tamamho do Compass e um Skoda Kodiak( se for, de fato, ter 7 lugares).

      O Jeep Yuntu/K8 será mais próximo do tamanho de um Journey e terá, de fato, um irmão sob a marca Chrysler para suceder o journey na América do norte. O Journey sai´ra de linha e entrará um crossover esportivo do mesmo segmento9D) mas menor, com 5 lugares, feito na Itália

  • Filipo

    Vishe, um Compass com a cara do Argo e Mobi. Fujam para as colinas! Kkkkk…

  • V12 for life

    Mesmo tendo a Jeep representando é importante ter SUV na linha de produtos já que é isso que está chamando cliente para as lojas, mas o Argo não o melhor exemplo de design dentro da marca.

  • Fernando Bento Chaves Santana

    Faz sentido. Mas a longo prazo o Renegade sairia de linha para evitar a concorrência domestica. Mas seria muito complicado deixar a Jeep, que vive um bom momento no Brasil, com apenas um modelo “nacional”.

    Assim penso ser mais provável um SUV sobre a plataforma do Argo para concorrer em um segmento abaixo do Renegade.

    • Não faz sentido tirar o Renegade, até porquê dentre os SUV’s, em cada classe tem dois estilos de carroceria, uma mais citadina (on-road) e outra mais off-road. Na FCA, falta um SUV compacto com maior semelhança ao HR-V, tal qual a Renault tem o Captur e o Duster para o perfil off-road.

      • Raimundo A.

        Com apelo on road e até tem 4×4, a Fiat tem o 500X.
        Compacto com espaço de médio ou médio menor, falta a Fiat, pois até então só o Compass da Jeep.
        Já vi comparativos dizendo que o HRV tem espaço interno similar ao Compass.

    • Raimundo A.

      É mais fácil vender um Jeep aqui pelo que cobram a um Fiat. Não vendem o 500X que seria tão caro quanto o Jeep ou, se simplificado, valor pouco menor, mas para tirar vendas da Jeep? Já disseram que não querem isso aqui. Em outros mercados, não fazem questão 500X e Renegade concorrem entre si por n motivos.
      É melhor esperar por um Renegade NG maior, mas seria pouco devido ao Compass que chegou depois.
      Eu acho mais prático até pela demanda, a Fiat fazer um Argo Way. Não atrapalharia diretamente o Renegade e teria predicados que o Jeep tem como vão livre, porta malas e espaço internos melhores.
      O que vejo de Sandero Stepway sendo o Argo melhor e mais chamativo que o Renault.

  • Mardem

    Baseia no Tipo, pelamordedeus! O Argo é muito pobre em estilo! O Tipo é infinitamente mais bem resolvido! Por favor Fiat, nunca te pedi nada!

  • KevinGR

    Porque a fiat nao traz esse motor 1.6 turbo diesel e joga nas versões mais baratas (ou intermediarias) dos seus SUVs e picapes? (Toro, renegade, compass)

    Levando em conta o gosto do brasileiro faria mais sentido uma toro intermédia 1.6T diesel que a 2.4 e creio que o compass venderia mais com esse 1.6 ante o 2.0 na de entrada.

    Um compass fazendo 12 ou mais por litro seria uma maravilha.

    • Raimundo A.

      Tem cliente que gosta de picape a gasolina/flex, então puseram o 2.4 no Toro que compete de certa forma com S10 e Hilux flex.
      O povo aqui gosta de motor a diesel, mas potente. Tem quem reclame do Toro, Compass e Renegade diesel porque acima de certa velocidade perde fôlego
      No caso do Toro, a mecânica diesel é mais em conta que concorrentes que são mais potentes ou equivalente. Potência menor poderia baixar o preço, mas como disse, desempenho inferior.
      No caso dos Jeep, motor a diesel obrigatoriamente teria que ter o 4×4 e de toda a forma a tributação seria maior. Outra que o 1.6 diesel usa caixa marchas manual e a grande maioria das vendas do Jeep, diria mais de 90% aqui são AT.
      Seria uma oferta mais cara.
      O que precisa aqui é um motor mais eficiente que os Tigershark e o 1.8. Há o TJet, mas como aqui tem a questão do flex, só deve surgir com os Firefly turbo que nasceriam flex devido aos aspirados. Com estes teríamos motor com potência, consumo, torque bons sem obrigação de ofertar o 4×4 para cumprir legislação.
      Por falar em motor a diesel, acho que foi um erro a Jeep lançar o Compass Sport 4×4 flex. Deveria ter lançado um Sport ou Custom diesel 4×4.
      O cara pensar na mecânica amdiesel e só a partir da Longitude. Se vende a Sport flex, embora pouco, uma diesel seria melhor que uma flex 4×4. O motor é melhor e não seria muito mais cara, ainda mais se fosse uma custom.

      • KevinGR

        Não é sempre obrigado a ter 4×4 pra ter motor diesel, a toro diesel manual tem versão 4×2 bem como a hilux antiga tinha uma versão srv diesel 4×2.

        Eu particularmente prefiro motores gasolina a diesel pelo silêncio, suavidade, desempenho e manutenção mais barata, mas não conheço absolutamente ninguém que pense igual a mim (todos falam que sou maluco por ter uma picape v6, pois bebe muito), por isso levantei esse questionamento.

        A ford inclusive ja pratica essa ideia com dois motores diesel (2.2 e 3.2) na ranger.

        • Raimundo A.

          A regra é clara, é antiga, então ou tem 4×4 com sistema redutor ou você carrega 1ton. Obviamente, os dois podem está num produto.
          O Toro é uma picape e com o motor a diesel foi homologado para carregar 1ton, independente do tipo de tração. Nas flex, a limitação de carga é inferior a 800kg. Jeep ou Fiat, terá que cumprir a legislação.
          A Amarok, com único motor, tinha ou tem duas potências. A maior, biturbo, a menor, um turbo.
          Você falou de Toro intermediária, mas as versões com o mesmo motor que garante uma escala maior e redução de custos fazem isso.

          No lançamento, eu questionava a ausência de uma versão diesel com AT sem ter que pular para a topo Volcano. Tempo depois veio Freedom diesel 4×4 AT. Para uma minoria que gosta de motor a gasolina mais potente, criou a Flex 2.4 AT9 Freedom. A Fiat viu os buracos, necessidades, e criou as ofertas. Fragmentar mais tem um custo e estamos vendendo em várias marcas redução de versões e mecânicas por n motivos.

          Se fosse para explorar mais os nichos, seria possível Volcano e Freedom, ambas Flex 4×4 AT9.
          Um motor a diesel menos potente não reduziria muito o preço final e esse bloco 1.6 com apenas 120cv seria mais um bloco a ser importado num segmento que os consumidores querem potência.
          Ranger e a Amarok menos potentes a diesel eram as que menos via na ruas, exceto nas mão de PJ, instituições públicas.

    • G.Alonso

      Ela deveria trazer o 1.6 Turbo Diesel na nova Strada, com AT6 e 4X4 numa versão de até 90 mil reais. Ficaria show.

      • Raimundo A.

        A Strada NG não deve suportar 1ton, então apesar de ser picape, por não atender a regra de carga, teria que ter o 4×4 com reduzida e o AT6 não suporta, tanto que o Compass flex 4×2, que usa o AT6, com o 4×4 usou o AT9 que tem 1° marcha reduzida.
        Outra, seria um conjunto caro demais para uma picape compacta.
        É só especulação dizer que terá porte de Oroch. Se for assim, o Toro teria problemas nas versões de acesso.

  • tiago

    Melhor basear no Tipo, o Argo, não que eu ache feio, é que de alguns ângulos o acho estranho, já o Tipo parece uma obra de design mais completa.

  • Duh

    Eu querendo um com a cara da Toro…

    • Alexandro Henrico

      Jeep Cherokee

  • Gu92

    A Jeep deveria usar a base do Fiat Panda 4×4 e fazer uma versão Jeep, para ficar como modelo de entrada da marca, provavelmente seria um grande sucesso de vendas!!

    • Raimundo A.

      Especulam sobre isso.

  • Danilo

    Um SUV menor e mais barato que o Renegade poderia ser um Argo Adventure com uma roupagem Jeep? Pra brigar em vendas com HB20X, Onix Activ e Sandero Stepway?!

  • Psicopatadabr

    Toyota e Kia vao trazer novos Hatchs premium no ano que vem. A Fiat e a VW já fizeram este ano. Sera o fim da euforia SUV?

    • Iran Borges

      Acho q não hein… quem anda de carro alto não quer voltar pra carro baixo, da mesma forma q quem acostuma com câmbio automático não quer mais saber de manual.

  • Ricardo Blume

    Ainda bem que escolheram o Argo. Imaginem se fosse o Mobi!

  • Wanderson Bonifacio

    Por que não com o design da Toro?

  • Eduardo Cerqueira Dos Santos

    Não seria a tal versão SUV da Toro?

  • Whering Alberto

    Trazia o 500x… Ah, lembrei, ele não é um projeto para emergentes…

    • Raimundo A.

      E o Renegade é para emergentes? Não querer concorrência interna faz parte da estratégia e não tem haver a ter ou não produto para emergentes.
      O Compass não é para emergentes também e especularam sobre um SUV do Toro aqui. Novamente, descartaram esse projeto porque o Jeep era a opção SUV no grupo aqui.
      Ainda querem um Jeep abaixo do Renegade ao invés de um Fiat. Em outras palavras, pensou em SUV no grupo FCA aqui, só na Jeep.
      Se a Fiat tiver algo do gênero aqui, para mim será por crossover. O Mobi e Uno Way são exemplos. Não sei o que estão esperando para fazer um similar com o Argo para concorrer com Stepway, HB20X, CrossFox, etc. Embora não tenham intenção de vender o Argo na Europa, o novo Fiesta ganhou uma versão aventureira.

      É uma opção mais fácil de virar realidade, atenderia ao público que quer veículos com características de SUV, e não concorreria diretamente com os Jeep.

      • Whering Alberto

        Mas estamos falando de FIAT. A Jeep não é para emergentes mesmo. A plataforma do Compass (que é a do Renegade) pode ser simplificada pela engenharia italiana, a fim de atender aos critérios ($$$) de mercados emergentes. Tudo são suposições.

        • Raimundo A.

          Caro, na verdade, a plataforma é Fiat e na Jeep fizeram ajustes por conta das necessidades off-road. Essa plataforma é usada no Dobló curto e longo e do longo, com alteração no eixo traseiro e acréscimo do eixo de tração traseiro e reforços vindos das modificações da Jeep, gerou o Toro. O 500L e os Tipo as usam. Em nível menos radical, 500X a usa e tem o 4×4 a disposição.

          Da receita do Compass, que foi usar a estrutura alongada do Renegade, o mesmo podem fazer com um SUV Fiat sem ter que simplificar nada partindo do 500X ou do próprio Compass passando a ser uma mula.

          Como você disse, são suposições, mas a base não é. A origem é Fiat.

          • Whering Alberto

            Interessante dado. Eu jurava que a plataforma era Jeep.

  • Nome

    Coitado de quem compra esses lançamentos da Fiat! Pouco tempo ela tira de linha ou muda o nome e quem tem perde… leia-se Linea Punto Idea e tantos antes destes como Stilo Marea Tempra tudo ela tira. Agora vem enganar com Argo e esse sedan que já nasce morto..

  • Gambixx

    É irônico a FIAT apostar tanto em uma plataforma lá do Corsa anterior, que compartilhava com o Punto. Daqui a pouco vão esticar tanto essa plataforma que vão fazer médio grande nela (e estreita ne)

  • Marco

    Talvez, façam isso para colocar um produto no lugar da Palio Weekend, que sobrevive por aparelhos. Mas só se for para ter um produto sob a marca FIAT, com um acabamento inferior a um produto de mesmo tamanho dentro do portfólio, chamado RENEGADE.

    Seria apenas “mais do mesmo”, Vamos aguardar…

  • Licergico

    será argo grande e feio ….

  • Eduardo Balby Gandra

    Faria mais sentido se fosse sobre a plataforma do Renegade, não? Afinal Compass e Argo são muito diferentes no tamanho

    • Pedrob

      Plataforma Renegade = Plataforma Compass = Plataforma Toro

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend