Fiat Fiorino – defeitos e problemas

Fiat Fiorino - defeitos e problemas

O Fiat Fiorino é um furgão compacto que a marca italiana emplaca no Brasil há 42 anos, tendo sido feita em três gerações. A primeira era derivada do Fiat 147 e durou de 1977 até 1988.


Depois veio o modelo oriundo do Uno, que ficou até 2013. Então, com base no Novo Uno, surgiu o produto atual. Mas, será que este último tem muitos defeitos e problemas?

O modelo atual é um projeto nacional, diferente dos outros dois, oriundos da Itália. O Fiat Fiorino mede 4,384 m de comprimento, 1,926 m de largura, 1,,900 m de altura e 2,717 m de entre eixos.

Pesando em torno de 1.120 kg, o furgão tem 650 kg de capacidade de carga e 58 litros no tanque, levando dois ocupantes e tendo um baú bem volumoso.

O projeto do Fiat Fiorino contempla motor Fire 1.4 8V com 85 cavalos na gasolina e 88 cavalos no etanol, ambos a 5.750 rpm, bem como 12,4/12,5 kgfm  a 3.500 rpm.

O câmbio é manual e a suspensão traseira é com eixo rígido e feixes de molas parabólicas de uma lâmina. O furgão só peca por não ter porta de acesso lateral de fábrica, o que facilitaria o manuseio de cargas leves e encomendas. O produto é oferecido numa versão de acesso por R$ 61.990 e na Hard Working com preço sugerido de R$ 70.990.

Embora seja um produto com boa demanda mensal, sempre estando dentro do Top 10 dos comerciais leves, o que inclui picapes, o Fiat Fiorino tem alguns defeitos e problemas recorrentes.

Os proprietários mais reclamam de falhas no ar-condicionado, bomba d´água, vedação das portas, barulhos na traseira e sensor de velocidade.

Confira abaixo os relatos de defeitos e problemas da Fiat Fiorino de terceira geração:

Fiat Fiorino – defeitos e problemas

Fiat Fiorino - defeitos e problemas

O Fiat Fiorino de terceira geração, presente no mercado desde 2013, acumula alguns defeitos e problemas, relatados pelos proprietários em fóruns, sites de reclamação, sites de opinião e outros canais na internet. Muitos relatos fala de problemas com a bomba d´água.

Alguns relatam que foram obrigados a trocar a bomba, com casos de troca na garantia, devido a vazamento de água. Um dos proprietários disse que um selo d´água estaria dando vazando com dispositivo, que é essencial para o motor, já que permite a circulação da água no sistema de refrigeração e sob pressão.

Ele afirma que a peça começou a vazar água do motor com 19.000 km. Nenhum  relato fala do custo de substituição do mesmo. No mercado, os preços (e a qualidade) variam muito, iniciando em cerca de R$ 90. Como parte dos relatos eram de carros mais novos, provavelmente ainda estão na garantia.

Ar condicionado

Fiat Fiorino - defeitos e problemas

Embora seja um veículo comercial, o Fiat Fiorino dispõe de ar condicionado de fábrica, sendo hoje mais uma necessidade do que realmente um luxo. Estranhamente, é a direção hidráulica que é opcional.

De qualquer forma, o problema nesse caso é o dispositivo de climatização do furgão compacto que, de acordo com as queixas, falha durante a operação ou simplesmente não gela.

Um dos donos disse que o ar condicionado do Fiat Fiorino só gela em dias de chuva, onde a temperatura cai um pouco mais. Outro falou que o sistema nunca funcionou adequadamente desde que adquiriu o carro zero. O sistema de climatização do furgão só atua dentro do diminuto habitáculo de dois passageiros.

Em relação à direção hidráulica, cita acima, alguns casos são de reclamações quanto ao sistema mecânico, que chega a ficar bem duro o volante, mesmo com clientes que alegam experiência com veículos comerciais desse tipo e sem assistência.

Velocidade e embreagem

Alguns donos de Fiat Fiorino reclamam do sensor de velocidade do furgão. Eles dizem que, de repente, o velocímetro deixa de marcar a velocidade, o que coloca o condutor em uma situação difícil, pois sem a referência, pode acabar levando multa em fiscalização eletrônica. Um deles se queixou que o sensor deu defeito antes de 51.000 km.

Outra item que tem alguns relatos é a embreagem. A reclamação geral é que o sistema de acionamento de platô e disco gera trepidação no pedal, incomodando muito os clientes da marca. Um deles relatou que mesmo com lubrificação do dispositivo de acionamento, o problema continua.

Barulhos e outras vibrações

Fiat Fiorino - defeitos e problemas

Existem diversos relatos de barulhos e outras vibrações entre os defeitos e problemas do Fiat Fiorino atual. Um deles está relacionado com a traseira, onde os clientes se incomodam com estalos vindos não se sabe exatamente de onde, segundo alguns. Outros alegam que vem da suspensão traseira, que é por feixe de molas parabólicas.

Num dos relatos, a concessionária trocou algumas peças do veículo, entre eles dobradiças e até mesmo as portas traseiras, mas mesmo assim, o veículo continuou com o mesmo problema, que é recorrente também na geração anterior, mas na suspensão. Os estalos ocorrem mesmo sem carga no baú.

Também reclamam de vibração excessiva do motor dentro do habitáculo. Alguns relataram troca de coxins de motor e câmbio, ainda dentro da garantia, o que deve ser a causa provável do problema.

Por fim, a vedação de portas é outra reclamação recorrente. Falam que as borrachas mal montadas permitem o ingresso de água no habitáculo, assim como poeira. Alguns relatam troca do conjunto das portas nas concessionárias e sob a garantia.

O Fiat Fiorino também é criticando pelo acabamento com plásticos de baixa qualidade, que geram ruídos, assim como por corrosão acentuada em veículos e câmbio com engates ruins, especialmente entre 2ª e 3ª marchas.

Também reclamam de acesso ruim ao compartimento de carga, apesar do bom volume interno, considerado pela maioria.

Ainda assim, é elogiado pelo consumo e facilidade de manutenção, bem difundida no Brasil com rede extensa. Em termos de capacidade de carga, alguns alegam que até mesmo acima da capacidade máxima de 650 kg, o veículo atende bem ao propósito. A suspensão é elogiada pela robustez.

Recalls

Fiat Fiorino - defeitos e problemas

Mesmo sendo de trabalho, sem nenhum apelo para o lazer, o Fiat Fiorino assumiu as vendas da Kombi, desde seu fim, vendendo um bom volume anualmente, sendo que apenas em 2018, vendeu 13.547 unidades.

Desde 2013, a geração atual, no entanto, passou por um bom número de chamadas devido a defeitos e problemas detectados e oficializados pela marca.

O primeiro foi a substituição do volante, devido à possibilidade de trinca na base de encaixe, que pode se desconectado do sistema de direção e fazer o motorista perder o controle do veículo. Foram mais de 62 mil unidades em conjunto com o Grand Siena, sendo para modelos feitos entre 2 de abril de 2014 e 18 de julho de 2014.

O alternador foi alvo do segundo recall do Fiat Fiorino, cujas unidades teriam de passar por análise, verificação e, se necessário, substituição do dispositivo. Todos os modelos ano/modelo 2016 e 2017 foram convocados, em recall que se iniciou em maio de 2017.

O terceiro foi a substituição da caixa de mudanças nos veículos de ano/modelo 2017, que poderia se desprender do diferencial e podendo provocar um acidente. Começou em outubro de 2017.

O alternador deu dor de cabeça para a Fiat novamente, em recall semelhante para unidades de mesmo ano/modelo da chamada anterior, só que começando em março de 2018, um ano depois do primeiro.

Em junho do ano passado, a Fiat chamou novamente os donos de Fiorino, agora para substituição de relês da injeção eletrônica e do sistema de ignição, que provoca alterações e falhas no funcionamento do motor, podendo mesmo desliga-lo durante a condução, o que pode provocar um acidente.

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.