Europa Fiat Lançamentos Minivans

Fiat Fiorino Qubo

fiat-fiorino-qubo-1 Fiat Fiorino Qubo







Falamos da nova minivan Fiat Fiorino Qubo sabendo que essa é mais uma daquelas notícias onde o leitor do NA comenta: “carro, que carro??”

Mas tudo bem. Parece que a Fiat quer mesmo vender essa minivan pra quem frequenta a praia junto com a mulherada. Só não entendo porque eles ficam sorrindo o tempo todo. Isso deve dar uma dor danada na boca. A Fiat Fiorino Qubo seria uma mistura moderna entre Doblo e Fiorino??

fiat-fiorino-qubo-2 Fiat Fiorino Qubo

O interior é bem espaçoso, os bancos podem assumir seis configurações diferentes e o preço básico é de 13.000 euros, algo em torno de 30.000 reais. Veja na foto do interior que o câmbio é do tipo Dualogic.

fiat-fiorino-qubo-3 Fiat Fiorino Qubo

Os motores podem ser dois: 1.4 gasolina de desanimadores 73 cavalos e 1.3 diesel de também desanimadores 75 cavalos. Veremos esse modelo lá no Salão de Paris 2008, em outubro.

fiat-fiorino-qubo-4 Fiat Fiorino Qubo

[Fonte: Fiat]



  • DarK_FlooD

    Horríivel esse beiço.. bah.. :pao:

  • LFSP2

    Aquela que tava de bíquini roxo na primeira e na segunda foto e com um biquíni vermelho na terceira é gostosa demais :heart: :heart:

    Agora, falando do carro, essa é a Fiorino dos Europeus, realmente o beiço a enfeiou, porque a cor verde dela é bem bonita, um carro de passeio, para levar a família, para ir a praia.
    Já a Forino brasileira: mais quadrada que uma caixa de leite, um Furgão que tem o mesmo design desde quando foi lançado, não tem versão apra passageios e só vem na enjoativa cor branca

  • Diguinho

    Gostei bem q poderia vir pro BRAZIL ZIL ZIL :cool: la pra 2029 chega :hauhau:

  • fl4v10r04l

    de fato .. a solução é interessante..

    mas o beiço…..

  • JoaoV27

    gostei…
    mas bonita que fiorino ou dobló, só que esse “sorriso” ficou meio esteanho, né….
    :teeth: :teeth:

  • Luis.J.R.

    Essa ai poderia substituir a nossa boa e cansada fiorino?É mesmo a nova doblo não iria ser lançado esse ano? :??:

  • mandabala

    Beicinho da peugeot!

  • IGAUM

    Ficou OTIMO essa atualização em cima do Doblo

    Poderiam fazer isso no nosso! Ia melhorar MUITO! Não só a frente, mas os vidros da porta de correr e as lanternas traseiras, alem da tampa traseira!

    De fiorino issi nao tem nada a nao ser o nome semelhante.

    Fiorino aqui é carro de TRABALHO.

    Outra coisa: na Italia existe uma limite de 75cv para pessoas que tiram habilitação recém.

  • erom

    Gostei do beiço…

  • danix

    não vai vir pro Brasil nem a pau.. se vier.. airbag torna-se um excelente porta trecos e bom.. o resto 6 sabem.

  • Gustavo Miranda

    Vichhhh… e eu que achava o pára-choques do Stratus um exagero tremendo…
    É, se mexerem no pára-choque e trazer ele para bem perto dos faróis, aí vai melhorar muito, se vier para cá vende bem, talvez mais que Kangoo. :cool:

  • Anderson Puff

    :clapp: :clapp: :clapp: :clapp: :clapp:

    Muito LOUCO, FIAT DOMINA…. Lindo o carro, um design exclusivo… a cor tambem.

    Pena que não vem pro Brasil né dona Fiat……
    Nós merecemos… maior mercado da fiat..

    SHOW este FIORINO QUBO

  • Filipe Augustus

    [Comentario #102096 sera citado aqui]

    Se não estou enganado existe uma versão Peugeot e Citroën dela tbm,uma delas chama Nemo só não lembro qual é o nome de qual!!!!?

    =D

  • Giovanni

    Por que “desanimadores 73 cv”? Na Europa a maioria dos carros médios têm versões de 70 e poucos cv, incluindo sedãs. Essa busca insana por potência é coisa de brasileiro. Um carro de 100 cv na Europa é considerado apimentado, enquanto aqui é “fraco”. Brasileiro prefere uma carroça potente, do que um bom carro de motor pequeno.

  • Gustavo Miranda

    [Comentario #102120 sera citado aqui]

    É que é extremamente enervante dirigir um carro na cidade que não responde quando vc pisa no acelerador, e não é uma questão de correr, sair costurando na pista ou fechar os outros, é de dirigir de maneira ágil e agir de modo a evitar um acidente ou não ser entrave em um tráfego denso.
    Outra coisa que dá nos nervos é ter que ficar trocando de marcha constantemente por causa de um motor com torque ridículo e câmbio curto, como costuma ser essas coisinhas destinadas a Roma, Londres, Berlim e Madrid. Nossas cidades, as distâncias que percorremos de casa ao trabalho e a freqüência com que o brasileiro viaja com seu próprio carro a grandes distâncias é muito maior que a dos europeus, esses tipos de motor e câmbio definitivamente são incompatíveis com o costume brasileiro. :laugh:

  • boltcrank

    bem que poderia vir pra cá mas acho que mataria o Doblò sendo que ele em breve vai ganhar uma restilização se igualando ao Europeu

  • [Comentario #102120 sera citado aqui]

    porque uma potencia dessa é desanimadora. se carro de 100 cavalos é apimentado, então os carros de 300 ou 400 cavalos de lá são o que??

    eu não prefiro carroça potente do que um bom carro com motor pequeno, não queira me definir assim.

  • delnb

    [Comentario #102123 sera citado aqui]

    Gustavo, seu comentário foi extremamente contraditório… Mas ressaltou pontos interessantes.
    Concordo com vc que é realmente inervante dirigir um carro de cambio curto demais (o que virou padrão aqui no Brasil)Mas, dirigir de maneira agil e agir de forma a evitar acidentes deve ser uma característica do motorista e não do carro. Desde que vc conheça seu carro e a forma que ele responde, isso é possível com carros de motores pequenos e cambios longos. Outra incongruência é quanto ao curso do cambio, vc troca mais de marchas num cambio longo qe num carro de cambio curto,afinal vc tem de colocar o carro no regime de rotação da marcha; num cambio curto ao passar numa lombada vc não precisa reduzir de terceira para sair, enquanto num longo vc tem de reduzir sempre pra segunda marcha (se tiver um gol 1.0 ou celta VHC, faça a experiência). Se trocar de marcha é um ato inconveniente, seria mais interessante um cambio automático, e não a redução da relação de marchas do cambio, simplesmente por que o cidadão tem preguiça de reduzir a marcha pra segunda toda vez que passa por uma lombada ou uma valeta…
    Outra incongruência é quanto aos carros de motores pequenos europeus, que apesar de serem pequenos, são geralmente 16V e acoplados a caixas de cambio de relações longas… Mais incongruente ainda pra cabeça de um brasileiro, não?? – afinal de contas pro brasileiro, os motores 16V são fracos em baixas rotações, e cambios longos são lerdos… então por que juntar os dois???? Pra criar uma tartaruga sobre rodas? – Não, a resposta é está na economia de combustível, e no uso racional do carro justamente pelos trechos urbanos mais longos que vc relatou (geralmente usa-se o carro pra sair da periferia da cidade em trechos de vias expressas e pra voltar).
    Aqui no Brasil nos acostumamos a olhar fixamente só o numero de cavalos que o carro tem, esquecemos de ver qual o torque e também o conjunto mecânico do carro (tamanho das rodas, pneus, etc…) talvez esses 73cv sejam suficientes para uma condução diária eficiente e inteligente. Afinal de contas até o Golf é vendido com motor 1.4 de potência parecida por lá… (Marea também vinha com motor 1.4; Vectra B saía com unidades 1.6 16V; Astra também teve unidades 1.4; O Passat alemão tem unidades 1.6 (!!!)todos tanto a gasolina quanto diesel,e são carros de porte médio e grande)

  • Gustavo Miranda

    [Comentario #102128 sera citado aqui]

    Não não, não há incongruência ou contradição no que falo, é que vc deixou o motor de baixa cilindrada em evidência. Eu defendo motores com alto torque e câmbio longo, pois assim, como nos carros da GM, vc põe em quarta e não mexe tanto no câmbio, que, com um motor de bom torque, suporta pequenas reduções na velocidade e retomadas sem mexer na marcha.
    Já um motor com 70 cv + câmbio curto, vc tem que ficar com o pé lá no fundo no acelerador e ficar com a mão no câmbio direto, qualquer redução da velocidade e lá vai os pistões baterem um papo cara-a-cara com as válvulas… O motor berrando como um porco no abate, isso é muito irritante.
    Eu defendo os motores 1.4, 1.6 onde o fabricante tira o máximo de potência e torque, pode ter as primerias marchas reduzidas, mas com as finais longas, proporcionando conforto ao condutor e economia.
    Eu tenho um Celta VHC, e seu câmbio é muuuuito curto, não é tão horrível de dirigir como o Gol, mas em terceira ele quase freia e vc não consegue andar em muito tempo com ela, já em quarta, qualquer coisa e vc tem que mudar para terceira para poder voltar a andar.
    Não acho motores 16v bons, em baixa são letárgicos e beberrões, além do que em cidades com ladeiras como Pato Branco aqui no PR, vc tem que abrir um programa de fidelidade com algum posto.

  • Gustavo Miranda

    Ah, quando falo de carros da GM com bom torque, me refiro ao Astra 95 por exemplo, que para mim, tem uma ótima desenvoltura em baixa rotação do motor e oferecia uma ótima relação de consumo para um motor 2.0 e da GM e ainda exportado do Brasil para a Antuérpia, na Bélgica onde eram e são montados os Astras para a Europa.
    Eu acho que não precisaríamos de um 2.0 (apesar de ser o motor ideal para o Brasil, desde que fossem econômicos, como desse Astra, do qual podia fazer até 9,5Km/l), mas as potências que Honda e Toyota conseguem extrair de motores de baixa cinindrada são grandes e esses motores seria uma excelente saída, mas aqui temos a concorrência e o mercado, que ainda aceita os motores débeis que os fabricantes nacionais oferecem, aí dificilmente teremos coisa melhor se o antigo ainda vende bem…
    Quanto ao câmbio do Celta, parece uma escola de primário, tem as marchas escalonadas em 1.ªA, 1.ªB, 2.ªA, 2.ªB e 3.ª, é assim que eu sinto as 5 marchas de um câmbio curto. No Celta acontece o cúmulo de vc poder sair em segunda de tão reduzida que é…

  • Giovanni

    Gustavo, experimente os novos motores 16v, vai se surpreender… Acabou a letargia em baixas rotações, a maioria já fornece bom torque a somente 2.000 rpm (exemplo: os 16v da Renault). Deixam bem pouco a desejar em baixas rpm, são superiores em médias rpm e demonstram muito mais força em altos regimes. Creio que esse preconceito que se formou em torno dos 16v é mais localizado no Brasil, e algo ultrapassado, pois de fato é a categoria de motor que mais cresce na Europa (onde 8v virou raridade). O que nos falta é ter acesso a estas tecnologias que permitem fazer bons 16v, como o comando variável de válvulas. Outra coisa, motores 16v não são beberrões. Na verdade é bem ao contrário: têm maior eficiência térmica, resultando em menor consumo por cv. Lógico que pisando vai beber mais que um 8v, pois está gerando maior potência também. Mas andando de forma tranquila o 16v é sempre mais econômico que o 8v. Basta ver o excelente consumo que o Zetec 16v já obtia há 10 anos atrás, e a presença dos motores 16v da Renault sempre nos primeiros lugares das listas de mais econômicos do Brasil. Veja o PUG 206 16v, é um carro de 110 cv e bebe menos que a maioria dos 1.4 do mercado. Vamos deixar o preconceito com motores 16v um pouco de lado, eles são uma tendência.

  • Hodney Souza

    [Comentario #102128 sera citado aqui]

    Carro potente do Brasil é mais uma questão de exibicionismo. Possuimos um combustivel de péssima qualidade e acima de tudo um verdadeiro preço assaltante.
    Um veículo potente tende a beber mais. Mesmo nos EUA onde a gasolina é quase a metade do preço praticado aqui e assim mesmo com um poder aquisitivo muito maior ao brasileiro, os americanos buscam carros de motor raquitico tudo em detrimento do preço do combustível. :water:

  • Gustavo Miranda

    [Comentario #102140 sera citado aqui]

    Olá Giovanni, confesso que faz tempo que não ando com um 16V ou acompanho as melhorias que esses motores tiveram, de acordo com o que vc falou eles se tornaram uma ótima opção, é algo para eu levar em conta na próxima troca de carro. Quanto à essa privação que a gente sofre de tecnologia, isso é f… mesmo, poderíamos ter ótimos carros por aqui, e o que vemos é que essa as baixas vendas de algumas subsidiárias brasileiras das montadoras não importam muito às suas matrizes, como no caso da GM, Ford e VW. Talvez se a Fiat e PSA continuarem a inovar e tentar acertar o nosso passo com o da Europa isso obrigue as demais a tomarem alguma providência…
    Eu sou adepto de um tipo de carro, mas também sou aberto à novidades que tragam benefícios à gente, tenho um Celta por pura necessidade de algo que não dê manutenção e que resista à engarrafamentos sem superaquecer, além da economia, o que me inviabiliza ter um grande ou médio usado, mas se algo novo, mais econômico e tão robusto quanto aparecer, eu serei um dos primeiros a experimentar!
    Falou!!! :cool: :cool: :cool:

  • Rodrigo joi

    Na europa carros com pequenos motores é comum, vide bravo 1.4, golf 1.4 de 74cvs, cogitam até 1.2… mas muitos são diesel turbo com melhor torque e consumo.

    O parachoque avantajado não fica legal esteticamente, mas se observarem os lançamentos de maneira geral (audi é fácil perceber), os parachoques estão ficando maiores e mais arredondados por causa da segurança dos pedestres, e esse carro ai segue o mesmo caminho … na europa a segurança é levado + a sério que um parachoque “pontudo” e bonito esteticamente…

  • alessandro_170

    Mais um com cambio easy tranco… :hauhau:


Send this to a friend