Europa Fiat Hatches Mercado

Fiat: Investimento de € 5 bilhões pode garantir retorno do Punto

Fiat: Investimento de € 5 bilhões pode garantir retorno do Punto

Tal como a GM em São José dos Campos, não se esperava da Fiat Chrysler um aporte extra na operação da Fiat na Itália. Considerada de elevado custo para o grupo, a casa da marca principal do país é menos eficiente que outras regiões, mas é aquilo, é de onde tudo começou…


Os € 5 bilhões serão aplicados no portfólio da Fiat na Itália e isso significa alguns projetos interessantes para que a marca local continue em evidência dentro do grupo, apesar do foco maior em Jeep e Alfa Romeo. Entre as novidades, a que interessa nesse caso e a possível volta do Punto.

O hatch compacto da Fiat durou mais do que deveria (tanto lá quanto aqui) e ficou sem sucessor por lá (aqui é Argo assumiu parte da tarefa). Feito sobre uma plataforma que surgiu do acordo com a GM, o que originou também o atual Opel Corsa, o modelo se desgastou e acabou morrendo.

Fiat: Investimento de € 5 bilhões pode garantir retorno do Punto


No entanto, em sua reorganização, a Fiat Europa deixou uma lacuna, exatamente um carro no porte do Punto. O conceito Centoventi é um vislumbre de um futuro Panda, talvez elétrico e mais próximo de um crossover, assim como o Novo 500, que terá uma versão elétrica feita em Mirafiori.

No caso do Tipo, feito na Turquia, o hatch deverá passar por um facelift em 2020 e, provavelmente, será melhorado para atuar de forma mais consistente no segmento médio. Ou seja, deixará de ser pobre como agora, passando a ter um nível de qualidade e acabamento superior. O Skoda Scala manda lembranças nesse aspecto.

Fiat: Investimento de € 5 bilhões pode garantir retorno do Punto

Assim, o buraco deixado pelo Punto precisará ser preenchido por um hatch pouco maior que 4 m. A Fiat não tem mais a Índia como alvo, então não precisa limitar o tamanho em 3,99 m, como no Argo. Não que este tivesse o mercado indiano como missão secundária.

Fala-se muito no Fiat 500 Giardiniera, mas um carro funcional e sem proposta retrô parece mais adequado para enfrentar VW Polo, Peugeot 208, Renault Clio e outros renovados recentemente.

A plataforma poderá ser a mesma do futuro SUV compacto da Fiat, que terá entre 4,10 e 4,15 m de comprimento, exatamente para pegar o VW T-Cross europeu e outros do tipo. A plataforma será a mesma do Fiat 500 de nova geração, segundo rumores. Viria? Podemos esquecer essa ideia desde já.

[Fonte: Motori]

 

Fiat: Investimento de € 5 bilhões pode garantir retorno do Punto
Nota média 3.8 de 14 votos

  • Emanuel Schott

    Não entendo porque a Fiat fica fazendo projetos locais e não investe em projetos globais.

    A VW vende o Polo em todo lugar, a GM vai unificar a plataforma dos compactos nos mercados emergentes, aí vem a Fiat com o Argo pronto aqui e vai torrar grana pra criar outro compacto com projeto completamente diferente.

    • Gabriel

      Concordo, e esse projeto deveria ser o Punto, e não devia ter saido de linha.

      • Emanuel Schott

        Nada.. Punto já estava cansado. Tanto aqui quanto na Europa já se mostrava um projeto antigo.

        O Argo é superior a ele, por mais que alguns haters não queiram admitir.

        • HugoCT

          Fazendo produtos locais, as montadoras tem mais chances de acerto.

          • Emanuel Schott

            Mas também tem custos maiores.

            • Danilo

              Creio que essa afirmação sua possa ter um contraponto. É só ver os produtos locais que tem uma roupagem diferente pra parecer a nível mundial como o Captur (que é feito sobre a plataforma do Duster) e o finado Idea (que usava a base do palio) assim como a até hoje vendida Montana (produto local más com base mundial) com sua base do corsa. Acho que as grandes montadoras podem sim atender muito bem seus mercados específicos com modelos particulares com custos interessantes desde que se aproveite a linha de montagem local para produção desses modelos. Pra gente que é do terceiro mundo isso é uma porcaria pois vamos cada vez mais ficando presos às coisas mais básicas e antigas, más é uma solução. É só ver o sucesso de vendas que foi o Agile nos seus primeiros anos, eu gosto demais de enaltecer a GM por isso, pegou uma base muito más muito antiga e cheia de limitações e conseguiu fazer um carro atraente e de um certo modo até bom com isso. Imagina as margens de lucro de projetos assim?

        • Gabriel

          Quando digo que o punto não deveria ter saído de linha, não significa que ficaria o velho eternamente, digo que ao invés de vir o argo, seria melhor apenas uma nova geração do punto,(só que a nova geração do punto teria que vir antes, na época que saiu o argo)

          • Henrique

            Concordo com vc….. a FIAT fez a maior cagada de tirar de linha um dos seus melhores carros ja produzidos, alias projetado pelo mesmo designer do golf. Torço para que volte.

        • ViniciusVS

          O mesmo vale para o Corsa C nacional e o Onix.

        • Henrique

          Cara me desculpe, mas acho que você nunca andou num Punto e mal sabe o que esta falando. Argo e um carro para você dirigir, Punto é para pilotar…… Desculpa ai….. mas 1.8 sporting ou TJET mandam lembraças……

          • Anderson Luiz

            Você está equivocado na minha opnião. Como dono de ambos os modelos acho o HGT muito mais gostoso que o Sporting. Quanto ao TJET aí não há como comparar.

            • Henrique

              Ser gostoso de dirigir não significa nada. Não se compara a dirigibilidade do Punto com a Argo, alem do que o Punto tem uma estabilidade e um acerto da suspensão muito melhor que o Argo, Isso sem falar na feiura que é este carro, começando pela mediocre traseira, que alias no Punto são faróis de LED. Nem vou falar do resto….. pq quando vi esse carro na concessionária para uma troca futura, deu vontade de chorar a merd@ que a FIAT fez.

              • Anderson Luiz

                rs, vc tá certo então.

          • Eduardo Alves

            Dirigi um e nao me senti nenhum piloto. Longe de ser esse lixo todo que o povo fala, mas falar em pilotagem é ser extremista do mesmo jeito

          • Emanuel Schott

            O HGT é gostoso de “pilotar”, mais que o Sporting. Quanto ao Tjet, não tem nem como comparar, precisa dos motores turbo chegarem antes.

            Mas as versões Drive e Precision são superiores às antigas Attractive e Essence.

        • leitor

          A questão é que o modelo precisa evoluir para continuar, desde sua aparência até suas tecnologias. Outras marcas fizeram isso e seus carros ultrapassados e até menos cansados continuam em linha com tudo diferente e muito mais interessantes. O fato do Argo ser superior ao Punto não depende do Punto, depende da Fiat.

          • Emanuel Schott

            Maioria só mantém o nome, VW é especialista nisso e mesmo a Fiat já fez com o Uno e com o Tipo europeu por exemplo.

            Talvez manter o nome Punto seria uma estratégia valida, mas não mudaria nada o fato de ser um carro complemente novo.

            • leitor

              Sim. Se a questão for o carro, o seu nome, o que precisa é isso. Quem eram o Civic, Corolla, Camaro, Corvette, Mustang, de dezenas de anos atrás? Alguns mais novos também. Outros mudam somente o motor e as lanternas. Iguais aos de 5 anos não podem ser. Se outras marcas fazem então a Fiat pode fazer.

        • Edinaldo_Tapica

          Rapaz, tirando o Firefly vejo pouca evolução. Esqueça o marketing…

          • Emanuel Schott

            Câmbio automático, direção elétrica, espaço interno maior, porta malas maior, central multimidia.. da pra enumerar muita coisa aqui.

      • Marcus Mendes

        Saiu prematuramente de linha. Basta olhar o design do veículo, tem muito veículo recém lançado, que tem praticamente o mesmo design do Punto.

    • Dudu Pimentel

      Pq a Fiat sabe que os brasileiros aceitam pagar por coisas de baixo custo (pois são menos exigentes), já os europeus são mais críticos…então fazer um produto exclusivo para um mercado é mais chance de sucesso e que resulta em mais vendas.

      • pedro rt

        se vende onix e hb20 por aki dos 40mil ate os quase 70mil pq nao vender um new palio “argo” pelo msm preço?

      • Emanuel Schott

        Não é que aceitam pagar, é o que dá pra pagar. Não dá pra querer que um brasileiro tenha o mesmo nível de exigência de um europeu que ganha mais. É a mesma coisa de querer que uma pessoa rica tenha os mesmos gostos e exigências que uma pessoa pobre.

        E não é só a Fiat, carros globais tem diferenças entre os mercados. O Ka, o Polo, o Up, o Sandero e mais uma cacetada de carros são vendidos em ambos os mercados e não são exatamente iguais.

        • Vitor C

          Uma coisa é ter cortes de custos em equipamentos, acabamento e etc, como a volks e a Ford fazem.
          Outra totalmente diferente é ficar criando projeto emergente com plataforma remendada de anos como a Fiat faz.
          Você realmente quer comparar o projeto de carros como fiesta, polo, fit com argo? Ele não tem a mínima chance de se dar bem no mercado europeu, simplesmente não é bom o suficiente para aquele mercado. Basta olhar até as soluções de design e carroceria de carros como polo, novo clio, 208, c3 e etc no mercado europeu.
          Além disso ainda há o suporte a tecnologias e condução autônoma e semiautonomas, eletrificação e hibridização, você acha que a plataforma do argo suporta essas tecnologias?

        • Dudu Pimentel

          Aceitam sim…o mercado latino-americano, chinês e indiano são mto pouco exigentes, já os europeus, e os norte-americanos, são mais exigentes. Nesses mercados, os carros são bem construídos e têm powertrains modernos.

          Vc nunca verá um 1.0 aspirado nos EUA, México e Canadá…nesses países o mínimo é 1.3 ou 1.4…nem 1.0T (os europeus nesse quesito são mais flexíveis).

          • Emanuel Schott

            Leia meu comentário de novo, talvez você entenda..

            PS: na Europa tem 1.0 aspirado, inclusive em carros que seria um absurdo por aqui.

      • Caulazaro

        Quer coisa mais baixo custo do que o Polo?
        Um Golzão que os fã de VW ficam babando.
        Acabamento interno ridículo, de tão pobre.
        A VWB deve morrer de rir dos brasileiros sem noção.
        É uma tristeza, mas é isso mesmo que você falou.
        Mobi e Kwid, deveriam custar R$ 20 mil, de tão ruim que são.
        Onix, era para ter entrado no lugar do Celta. Mas tentaram colocar no lugar do Corsa e colou.

        • Ricardo

          A mecânica do Gol é infinitamente superior a do Pálio!

          • Caulazaro

            Um pouco melhor, eu acredito. Mas será mesmo, que é tão superior assim?

            • Ricardo

              Conjunto motor, câmbio, suspensão e dirigibilidade é insuperável!

              • Caulazaro

                Nossa… a VW do Brasil deveria colocar ele a 300 mil Reais então. Os fanboys iam comprar muitos. Melhor carro do mundo. Fiquei impressionado. Acho que até vou comprar um.

                • Ricardo

                  Insuperável contra seus concorrentes diretos, que, ou não tem motor, ou a suspensão é ruim ou a câmbio é uma M!

        • ViniciusVS

          O Onix é melhor que o Corsa.

          Sei que é uma triste realidade, mas…

          • Matafuego

            Melhor em que sentido? Existe uma diferença de mais de 10 anos de projeto entre Corsa C e Onix. Ainda acho que o Corsa é muito melhor que o Onix (colocando na balança a época de lançamento e os concorrentes). É só comparar os arremates e a estamparia da carroceria de ambos. O Onix é bem mais simples, tem lata sobrando na tampa do porta-malas que faz o vidro traseiro parecer uma escotilha. As maçanetas do Onix também são mais simples que a do Corsa.

          • Caulazaro

            Sim, é a evolução.

        • Diego Amaral

          E você realmente acha que a qualidade do plástico é que define o custo de um projeto?

          • Dudu Pimentel

            Sim…repare que o plástico presente em um Onix é inferior do Cruze…por isso e por outros motivos que ele (o Onix custa praticamente 0,5 Cruze)

          • Caulazaro

            Não deve ter custado tanto o projeto, porque o que há de defeitos…

    • Zé Mundico

      Porque a Fiat só existe na Itália, Argentina e Brasil. Não está nem entre as top 10 na Europa. Em outros países tem apenas participação residual e não tem presença de mercado que justifique um produto global. Tem que trabalhar no varejo local mesmo.

      • Murilo Soares de O. Filho

        Este é o argumento mais infeliz que ouço nos Fóruns, pois tem várias marcas que não vendem em todos os mercados, são poucas as marcas que conseguem vendas expressivas nas maiorias dos mercados.

        • Zé Mundico

          Claro,lógico e evidente que nem todas as marcas têm presença total em todos os mercados do mundo, mas a Fiat só consegue vendas expressivas nesses 3 países, custa aceitar isso?

          • Murilo Soares de O. Filho

            Seja feliz…

      • Junoba

        A Fiat tem forte presença na Turquia. Não sei hoje, mas a alguns anos o Linea era o carro mais vendido por lá.

        • Emanuel Schott

          Ainda é. O Tipo (que lá e conhecido como “Egea”) é o carro mais vendido do país.

      • Marcus Mendes

        Voce quer ser ajudado? A empresa está presente em diversos países. Foi uma das pioneiras na construção de fábricas no Leste Europeu, especialmente na antiga União Soviética, com fábricas em Vladivostok, Kiev e Togliattigrad. A empresa russa AutoVAZ (mais conhecida por Lada) é o exemplo mais conhecido. Possui hoje fábricas no Brasil, Turquia, China, Polónia, Argentina, África do Sul, México e Índia, onde produz modelos adaptados aos mercados locais e às vezes voltados à exportação, como a linha Palio. No Brasil, segundo o site da montadora, a FIAT está instalada desde 1976 em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A fábrica começou a ser construída em 1973, sendo inaugurada três anos depois. O primeiro veículo a sair de suas linhas de montagem foi o Fiat 147[7]. Sua planta de Betim é a maior produtora de veículos do Grupo no mundo.

        • Zé Mundico

          Gostei do release, só não está bem de acordo com a realidade financeira da empresa.
          Uma marca que não está presente no mercado norte-americano, não existe no mercado chinês e não está sequer entre o top 10 da Europa sempre pode ter algo a melhorar…

    • Yuri Lima

      Mas o Argo não é “padrão Europa”. Talvez leste europeu. Como foi o Palio. Na Europa tiveram o Punto (não o Grande Punto da foto que veio para cá como Punto). Creio que o Argo teria que receber um banho de loja se for para o velho continente.

      • pedro rt

        ja saiu uma materia na 4R dizendo q os europeus gostaram do ARGO mas q tinham q mudar principalmente o acabamento pra ser vendido por la alem claro da seguranca e design mas em poucas coisas nisso.

        • dallebu

          O acabamento não precisa mudar pois o Argo já tem um ótimo acabamento, no máximo um material emborrachado na parte alta do painel. O que é preciso mudar mesmo (e é mais caro) é a estrutura da frente do carro, pra que ela fique mais “macia” em caso de atropelamento. Outras alterações simples são a adição de farol de neblina traseiro, DRL e radar pra frenagem automática, etc. Estruturalmente o carro atende

        • Marcus Mendes

          Só o acabamento? Então a plataforma é boa.

      • Emanuel Schott

        É só refinar o projeto pra aquele mercado, ou acha que Polo, Golf e cia são exatamente iguais no Brasil e na Europa?

        • Yuri Lima

          Exatamente o que eu disse. Precisaria de um banho de loja para desembarcar por lá.

          • Emanuel Schott

            Não precisa de muita coisa. Basicamente tem que adicionar controles ativos de segurança como mais airbags, sensor de pedestre e anti-colisão, que por lá são obrigatórios.

            • Ernesto

              Mas a estrutura do Argo já foi testada aqui pelo Latin NCap? Não me recordo de qualquer matéria falando disso.

              • Emanuel Schott

                E desde quando não ser testado significa proteção ruim?

                • Ernesto

                  Fiz uma pergunta valida. Não entendi o porquê dessa sua resposta.
                  E o contrário também vale, ne? E desde quando não ser testado significa proteção boa?

      • HugoCT

        Segundo engenheiros da Fiat, o Argo tem um ótimo projeto e que poderia ser vendido na europa, sem problemas. As mudanças seriam para se adequar aos leis de lá, como capo com proteção para pedestres, sistemas de segurança, acabamento interno.

    • Zaskia Gotik

      veja “Alita: Battle Angel” neste site! todos os filmes disponíveis !! copie o blog aqui: FAMILYSERIESHD.BLOGSPOT.COM

    • Alvaro

      Imagino que a filial brasileira necessitava renovar o portfolio enquanto a matriz encolhia quando foi idealizado o projeto do Argo. Mas de fato, poderia ter esperado para unificar as linhas para ganhar escala.
      Esperamos que o Argo não seja como o Agile que foi um projeto nati-morto que veio no paradigma da crise da GM, enquanto a matriz sucumbia, a filial deu seu jeitinho para “oxigenar” o portfolio.

      • Unknown

        O Argo não é tão fraco em vendas como foi o Agile, um dia…

        • HugoCT

          Ele não é fraco em vendas, um carro no Brasil que figura entre os 20 primeiros, ou entre os 10, não se pode dizer que não vende, pois a concorrencia para todos.

        • Alvaro

          O Agile chegou a vender muito bem, inclusive batendo de igual com o Fox.
          Mas acredito que o Argo será diferente já que foi investido muito nele e a plataforma, embora derivada do Punto, não foi tão polêmico como a do Agile que foi derivado do Celta/Corsa B, sendo que o Corsa C estava no mercado.

          • Unknown

            E na época a concorrência era um pouco menor… ficar próximo à 10ª posição, não era grande coisa…

    • Lorenzo Frigerio

      Não, no Brasil os carros têm que usar plataforma de Palio misturada com Idea e suspensão de Doblò.

      • Marcus Mendes

        Qual o carro da Fiat usa essa plataforma?

        • Enzoando

          Se eu não me engano o Fiat Linea tinha uma gambiarra parecida.

  • Angelo_RSF

    E a matéria fala em Punto mas coloca as fotos do carro que na Itália era conhecido como Grand Punto…o Punto era outro carro, menor por sinal. Fico na dúvida de qual carro realmente está se falando.

    • ricmoriah

      Quando eles falam em Punto, é o carro que voce ve nas ruas aqui. Maior que 4 m e nao a primeira geração.

  • Domenico Monteleone

    Realmente o atual portfólio da Fiat na Europa está cadavérico.

    • pedro rt

      eles so tem panda, tipo e a familia 500 ou seja produtos fraquissimos qdo se trata de ser global.

    • Gran RS 78

      Se fosse só na Europa tudo bem, mas na América do Norte e mesmo aqui no Brasil, que a marca insiste em não ter um suv para brigar com os concorrentes, inclusive sendo a categoria de carros que mais cresce por aqui, já mostra que nível que a marca se encontra no Brasil, que já teve muitos modelos globais como Punto, Marea, Brava, 500, Tempra, Tipo e etc, hj ainda temos modelos arcaicos como o Grand Siena, Strada e Doblo sendo vendidos em pleno 2019.

      • Danilo

        Eu não consigo entender o atraso da Fiat nesse segmento. Era só colocar uma roupagem diferente no Renegade, algo um pouco mais profundo que foi feito com o Freemont e colocar no showroom das concessionárias e faturar. O que acho que acontece é que a fábrica de Pernambuco já esteja cheia, sem possibilidades de acrescentar mais um produto na linha, só pode ser isso.

  • Chap

    Eu acho que não volta, não. A não ser que seja eliminado algum outro pequeno (500, Panda) ou o Tipo do line-up.
    As vendas de hatchs pequenos incrivelmente têm declinado também na Europa em detrimento dos crossovers que estão em ascensão.

    • pedro rt

      o panda e um classico na italia, esse tenho certeza q nunca saira de linha pq e o carro mais vendido por la ha decadas outros q vendem muito por la sao o renault clio e jeep renegade.

  • Yuri Lima

    Ora, mas lá, por enquanto, o Tipo não faz essa tarefa? Pelas dimensões e pelo preço, ele se encaixa nas versões deixadas pelo Punto. Com o Facelift que virá, aí sim o Tipo sobe de patamar para dar espaço ao Punto.
    Ou não?

    • Murilo Soares de O. Filho

      Tipo é médio, porém com boa relação custo/benefício.

      • Ernesto

        Se tem boa relação custo/benefício deve estar vendendo bem, né? Qual a posição de vendas dele na Europa, comparando com seus concorrentes Golf, Focus, 308, entre outros?

        • Murilo Soares de O. Filho

          Não está acima desses, lógico, mas não é tão ruim assim não, não vamos comparar com Golf e Focus que são campeões e mesmo 308 que vende muito na Europa. Acho que o problema da Fiat é dar continuidade aos nomes, o que é um erro. Mas enfim, o que critico são as pessoas que gerenciam e não a marca, marca não é nada, são pessoas que a gerenciam, só que associamos os erros à marca. Me pergunto as vezes se o CEO não consegue perceber esses erros. Quantas marcas vemos cometer erros atrás de erros e ninguém parece perceber. A GM é um exemplo também, cometeu tantos erros que hoje já não é a potência que foi um dia, mas é só um exemplo.

          • Miguel

            Acho o Tipo um carro interessante, e inclusive acho todas as versões dele bem charmosas, principalmente a perua.
            Se a Fiat quer subir de patamar e chamar a atenção das pessoas com esse carro, primeiro ela tem que dar uma voltinha no centro de design da Alfa, rssss, e voltar com um desenho bem impactante como os novos PUG 3008 etc.

            Carro menor pro lugar do Punto poderia vir da familia 500, com design chamativo e menos retrô, pra focar no público jovem, mas é exatamente o que vc falou, eu não sei em que BURACO esses executivos vivem, porque é cada uma que eles aprontam…

            • Murilo Soares de O. Filho

              Fico pensando se esses executivos, os de Topo, ao menos entram nos carros para experimentar, eu acho que não. Se eu fosse um deles, com certeza iria testar todos.

            • cepereira2006

              O Tipo teria outra receptividade aqui no BR. Tem outro porte, outro nível, é um carro com desenho harmônico. Fora a tradição do passado. A Fiat investiu para desenvolver lançar o Argo. Deveria ter trazido o Tipo que já estava pronto na Europa. O Argo fica bem mixuruca perto dele e no preço das versões de topo daria para vender o Tipo, que é um médio, e portanto justificaria o preço.

              • Miguel

                Também acho, e aí o Uno não sofreria tanto e seria deixado de lado.
                Vamos ver se a Fiat vai transformar o Uno num pequeno SUV ou não…rs

  • FREDRED

    Pra mim não faz falta, hoje o punto só vejo na mão dos chora boy, que rebaixam de forma exagerada e ficam ouvindo música de gosto duvidoso, é o típico carro da “comunidade” para se aliciar menores, vulgo “novinhas”.

    • pedro rt

      eu ja tive punto e nunca fui chora boy nem vileiro atras das novinhas e nem vi ninguem por aki assim, nao confunda com quem tem tempra, tipo, marea ou stilo..

    • Retrato do Papai

      nunca vi um punto assim… os que mais vejo “manolozados” são gol, golf e, principalmente, “new” civic

      • Alvaro

        hahahahhaha nossa, é verdade, golf sapão e “old new” civic é muito comum mesmo. O Stilo idem.

        Mas acredito que a próxima “nova tendência” nesse nicho é o Fusion da primeira geração, já vi alguns rodando com músicas de gosto duvidoso e banco do passageiro deitado. hahaha

      • klaus

        raio manolozijador

      • Rafael

        Sem querer generalizar, mas na minha opinião o old new Civic agora é só dos chora boy e já vem até com luz “xemano” de brinde.
        O Golf eu nem passo nem perto, principalmente o sapão que já vem com uma touca ninja no porta-luvas e um vale tatuagem de palhaço. Só vileiros com som pesadão gostam desses tumultos.

    • Vitor

      Musicas??? Você não quis dizer funk.

    • Murilo Soares de O. Filho

      Mas esse é o destino de quase todo carro…kkkk

  • Alexandro Henrico von Mann

    Texto confuso e mal redigido. Ou feito a partir do Google Translator. Enfim… A gestão Marchionne não foi sadia pro grupo FCA em geral, mas quem sou eu para criticar o falecido guru. Afinal ele era o chefão e eu nem no chão de fábrica da FCA Powertrain trabalho…

    • Murilo Soares de O. Filho

      A gestão Marchionne priorizou as finanças, pois o grupo estava bem mal na época, acredito que Manley será o contrário, mas ainda assim vai priorizar bastante a gestão financeira, seguindo os passos do Marchionne.

  • pedro rt

    pra ca tenho certeza q nao volta mais. o maximo q temos por aki qdo se trata de hatches da marca e o argo q nao e o sucessor do punto nem do bravo, e somente do palio. e so ver oq e o carro da maneira geral por fora e por dentro, alias um bom sucessor do palio.

    • Emanuel Schott

      Nunca deve ter visto um Palio, um Punto e um Argo de perto pra falar um negócio desses. Argo é mais refinado e bem construído que o Punto, quem dirá em comparação ao Palio.

      • Verdades sobre o mercado

        Realmente o Argo é bem construído, mas o Argo não causou o mesmo impacto que o Punto. Creio que seja o design do Punto.

  • Andre Pestana

    Na época que lançaram o Punto(na Europa Grand Punto) em 2006 era um carro bem moderno para aquela época e que salvou a marca Fiat da falência daquela época do tamanho o sucesso em vendas na Europa, mas os anos passaram e a Fiat Europa parou de investir em seu carro chefe e focou na família 500 e não criou nova geração do Punto deixando no esquecimento e focou os investimento na compra da Jeep e investir em novos modelos da Jeep. Se a marca Fiat quiser sobreviver na Europa terá que investir principalmente neste segmento de carro onde o Punto se encaixa para concorrer com o Polo, Fiesta, Opel Corsa e Clio, onde é o segmento principal da Europa.

    • Unknown

      Segmento principal da Europa, por pouco tempo, eu diria…

      • Vitor

        Esperemos que não hatches médios são o melhor segmento do mercado.

  • Ricardo

    Q bom para os fãs, a notícia comum seria investimento para um novo SUV.

    • Alvaro

      Massss nunca se sabe, vai que a idéia deles é transformar o Punto em um “SUV compacto” rs rs… estamos traumatizados.

      • Ricardo

        Haha

  • Wendel Cerutti

    E ai donos de Punto , algum comentario sobre prós e contras ?

    • Vitor

      Claro prós pega fogo sozinho, contras não apaga sozinho. hhuehueheuheuhe. BRINCADEIRAAAA. Não levem a sério até pq é o bravo q pega fogo sozinho.

      • Murilo Soares de O. Filho

        Tipo né

      • Wendel Cerutti

        Não seria o Tipo ?

        • Vitor

          Esse tbm

      • Emanuel Schott

        Era o Marea que pegava fogo.

        • Vitor

          Esse tbm.

      • Enzoando

        Brava**

    • Da_torre

      Recentemente tive que vender minha maravilhosa Hilux para fazer um investimento, e fui atrás de um carro barato. Achei um punto ELX completo 2009 1.4 verde Lagoon. Única dona, Transação particular. Paguei o equivalente a 3 iphone xs max. Nunca tive um FIAT antes, mas me encantei com esse Punto. Carro honesto, mecanica robusta, simples e barata. Na faixa de preço dele só achava gol g5 (motor descartável), celta (espaço interno ridículo) e fiesta da geração passada (todos com histórico de superaquecimento). Em que pese alguns defeitinhos (mecanismo das maçanetas são frágeis e quebram, portinhola do bocal de abastecimento difícil de fechar, alguns rangidos na suspensão) estou satisfeito com o meu punto.

      • Verdades sobre o mercado

        Bom carro, só o motor 1.4 que é bem fraquinho pro Punto.

  • Miguel

    Mas aí a Fiat não percebe que o segmento dos médios está morrendo e resolve subir o Tipo de categoria e transformar num médio?

    Eu gosto do Tipo, mas porque não transformam ELE num novo Punto? Ainda ganham versão sedã e perua! Se bobear pode sair mais barato do que desenvolver outra plataforma pra eles.

    Poderiam usar uma plataforma pra fazer o novo Panda e Uno brasileiro (transformado em Mini SUV), mas aí seria pedir demais, né…

    Pega a familia 500 e usa a plataforma nos outros também, mas nem pense, DONA Fiat, em cancelar qualquer coisa relativa à família 500, inclusive tragam todos pro Brasil!!!! Kkkkk

  • Bruno Gomes

    Tiro no pé a retirada do punto sem um substituto à altura. Deixaram órfãos quem tinha modelos com teto solar, Tjet, BlackMotion e até mesmo as versões comuns. Ao meu ver o Argo não substitui em nada o saudoso Punto que chegou sacudindo o mercado, mas por uma falha terrível da FCA, mataram o carro sem um substituto, num momento em que Hatchs voltaram a bombar junto com os “SUVs” pequenos.
    A Ford tá indo pelo mesmo caminho e vai precisar correr muito pra não ficar só com Eco e Ka. A Fiat podendo pensar num modelo global pra chegar batendo na concorrência, esperou apanhar, perder mercado pra finalmente pensar numa nova geração do compacto. Fora a demora pra ofertar um modelo que tá virando tendência no cenário nacional. O 500X preencheria o vácuo deixado pelo fim da família adventure e pra quem ficou sem opção após a saída do Bravo. Infelizmente é uma tendência essa onda de suv, e quem não embarcar ou demorar a pegar a onda, vai morrer na praia.

  • leitor

    Uma das coisas que tirou o interesse pelo Punto, pelo menos aqui no Brasil, foi uma mudança para ter uma identidade da marca baseado em um modelo mais simples da marca, no caso o Pálio. Penso que até uma tentativa do contrário compromete um pouco o modelo maior, muito mais como foi. Por isso o modelo anterior me chama mais a atenção.

  • Dreidecker

    Argo na Europa nem pensar, né ? Há algo de podre neste reino da Banânia…

  • Yair

    Acredito que esse possível novo Punto só chegaria em meados de 2021, coincidindo com a previsão da chegada das novas gerações de Argo e Cronos segundo o planejamento da FCA.
    É possível que a partir daí, o novo Punto e o novo Argo sejam o mesmo carro (exceto pelo nome) e enfim a Fiat tenha um carro Mundial de grande volume. (Fiat 500 é carro de nicho na maior parte dos mercados onde é vendido).
    Isso também abriria espaço para o sucessor de Panda e Uno que também tendem a ser o mesmo carro, sem que um invada (muito) o espaço do outro.

    O portfólio da Fiat no mercado europeu pode ser formado daqui a dois anos por:
    Panda
    500
    500x
    Punto
    Punto sedan (baseado no novo Cronos)
    B-SUV (Crossover tido como projeto mundial e que terá porte similar ao do antigo Croma)
    Tipo HB, Sedan e SW (agora médios de verdade)

    Toro e Toro Fastback tem muumu po

  • Excelente noticia, el Punto es un gran auto…

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email