*Destaque Fiat Hatches Lançamentos Linha 2018 Test Drive

Fiat Mobi 2018: preços, fotos, versões, consumo e detalhes

fiat-mobi-drive-gsr-2018-impressões-NA-7 Fiat Mobi 2018: preços, fotos, versões, consumo e detalhes

O Fiat Mobi 2018 já está sendo vendido e a versão Mobi Drive GSR é a maior novidade da linha do subcompacto da marca italiana. O Fiat Mobi 2018 chega de forma geral com preços a partir de R$ 33.700, mas esta opção automatizada parte de R$ 44.780. Com recomposição de versões, conteúdo e preço, o urbano da FCA quer ampliar sua participação no mercado.



Agora com a concorrência do Renault Kwid 2018, o Fiat Mobi 2018 terá de reinventar-se para continuar vendendo bem, já que o rival chega com polpa para tirar-lhe o brilho, e não sem razão, pois tem preço, conteúdo, espaço e outros atrativos para conquistar o consumidor, o mesmo que até agora vem apostando no popular da Fiat.

Fiat Mobi 2018 – detalhes

A meta da Fiat é passar das atuais 3.500 unidades, média mensal do Mobi, para 4.500 na linha Mobi 2018. Com isso, o volume deve alcançar 50 mil unidades/ano. Desde o lançamento, o modelo já emplacou 38 mil exemplares no país.

Com 3,56 m de comprimento, 1,63 m de largura, 1,50 m de altura e 2,30 m de entre eixos, o Fiat Mobi 2018 é um subcompacto genuíno, mas com projeto antiquado, dada a grande preocupação em manter um capô longo em detrimento de um habitáculo mais espaçoso, que daria melhor sensação aos ocupantes. Além disso, aplica-se a despreocupação com o espaço do porta-malas, que cabe apenas 215 litros e ainda tem uma caixa chamada Cargo Box para separar objetos, mas parece mal projetada.

Dotado de frente quadrada e com grandes faróis de lentes simples, o Fiat Mobi 2018 tem ainda lanternas na mesma medida atrás, mas para-choques com um desenho mais envolvente e um pouco mais agradável. As colunas C possuem molduras para se harmonizar com a vigia traseira, que substitui completamente a tampa de aço do porta-malas, dando assim uma impressão mais urbana e despretensiosa em comparação com o Fiat Uno 2018, por exemplo.

fiat-mobi-drive-gsr-2018-impressões-NA-1 Fiat Mobi 2018: preços, fotos, versões, consumo e detalhes

Fiat Mobi 2018 – novidades

A versão Drive com câmbio GSR, é uma proposta de automatizado acessível, mas com uma performance diferenciada em comparação com o antigo Dualogic Plus, nunca oferecido no Mobi, mas já bem conhecido em outros modelos da marca. O Fiat Mobi 2018 ainda mantém o velho Fire Flex e o novo Firefly Flex, ambos com 1.0 litro.

No Fiat Mobi 2018, o chamado Gear Smart Ride (GSR-Comfort) não vem fazer o trabalho sozinho. pois precisa do esperto motor 1.0 SGE Firefly com três cilindros e apenas 6 válvulas. Ele entrega 72/77 cv e 10,4/10,9 kgfm. Porém, apenas a versão Drive é contemplada com o propulsor, pois as demais versões do Mobi ainda vêm com o conhecido 1.0 Fire Flex de quatro cilindros e 8 válvulas.

Fiat Mobi 2018 – equipamentos

Fiat Mobi Easy 1.0 – Motor Fire 1.0 Evo Flex e transmissão manual de cinco marchas. De série com rodas de aço aro 13 polegadas com calotas,  pneus 165/70 R13, retrovisores externos com controle interno, retrovisores e maçanetas pretas, painel com iluminação por LED, display digital de 3,5 polegadas, espelho no para-sol para motorista e passageiro, airbag duplo, freios ABS com EBD, para-choques na cor do carro, vidros manuais, banco traseiro com dois apoios de cabeça ajustáveis, indicador de marcha, entre outros.

Opcionais: Kit Functional (limpador e lavador do vidro traseiro, desembaçador do vidro traseiro, vidros elétricos dianteiros com one touch, travas elétricas nas quatro portas e pré-instalação para rádio (2 alto falantes dianteiros, 2 alto falantes traseiros, 2 tweets e antena) por R$ 1.937. Desembaçador do para-brisa com ar quente por R$ 533.

Fiat Mobi Like 1.0 – Itens de série do Easy, mais ar-condicionado, direção hidráulica, faróis com máscara negra, maçanetas e retrovisores externos na cor do carro, computador de bordo, banco traseiro bipartido e rebatível, console central com porta-objetos e porta-copos, comando interno de abertura do porta-malas e da tampa do tanque de combustível, revestimento externo nas colunas B e C das portas, rodas de aço aro 14 polegadas com calotas,  pneus 175/65 R14, vidros elétricos dianteiros com one touch, travas elétricas nas quatro portas e volante com regulagem de altura.

Opcionais: Kit Live On (sistema com bluetooth, rádio e aplicativo para smartphones IOS e Android  e volante com comandos do rádio/telefone, suporte retrátil e entrada USB para carregamento) com display TFT no painel e limpador/lavador/desembaçador do vidro traseiro por R$ 2.511. Kit Connect (rádio Connect com Bluetooth/USB/auxiliar, volante multifuncional com comandos de mídia/telefonia, pré-instalação para rádio e limpador/lavador/desembaçador do vidro traseiro) por R$ 2.194.

Fiat Mobi Way 1.0 – Itens de série do Like, mais para-choques exclusivos Way, quadro de instrumentos com grafia exclusiva Way, rodas de aço aro 14 polegadas com calotas exclusivas Way,  pneus 175/65 R14, suspensão elevada, saias de rodas com proteção, barras longitudinais no teto e proteção nas caixas de ar laterais.

Opcionais: Kit Live On (sistema com bluetooth, rádio e aplicativo para smartphones IOS e Android  e volante com comandos do rádio/telefone, suporte retrátil e entrada USB para carregamento) com display TFT no painel e limpador/lavador/desembaçador do vidro traseiro por R$ 2.511. Kit Connect (rádio Connect com Bluetooth/USB/auxiliar, volante multifuncional com comandos de mídia/telefonia, pré-instalação para rádio e limpador/lavador/desembaçador do vidro traseiro) por R$ 2.194.

Fiat Mobi Drive 1.0 – Motor Firefly com transmissão manual de cinco marchas. Itens de série da versão Like, mais direção elétrica com função City, limpador/lavador/desembaçador do vidro traseiro, grade dianteira com pintura preta, pré-instalação para rádio e sistema de partida a frio sem tanque auxiliar de gasolina.

Opcionais: Kit Connect (rádio Connect com Bluetooth/USB/auxiliar, volante multifuncional com comandos de mídia/telefonia, pré-instalação para rádio e display TFT no painel de instrumentos) por R$ 1.517. Kit Tech Live On (sistema com bluetooth, rádio e aplicativo para smartphones IOS e Android  e volante com comandos do rádio/telefone, suporte retrátil e entrada USB para carregamento) com display TFT no painel por R$ 1.671.

Kit Tech (chave canivete com telecomando para abertura e fechamento das portas e vidros, faróis de neblina, sensor de estacionamento traseiro, banco do motorista com regulagem de altura, console de teto com espelho auxiliar, alarme antifurto, retrovisores elétricos com Tilt Down e indicadores de direção, Cargo Box, personalização interna com tecidos e itens exclusivos, rodas de liga leve aro 14 polegadas) por R$ 3.864.

Fiat Mobi Drive GSR 1.0 – Itens da versão Drive manual, mais câmbio automatizado GSR-Comfort com modo Sport e paddle shifts, além de acionamento por botões e indicador de marcha engatada no painel com display TFT.

Opcionais: Kit Connect (rádio Connect com Bluetooth/USB/auxiliar, volante multifuncional com comandos de mídia/telefonia e pré-instalação para rádio) por R$ 1.404. Kit Tech Live On (sistema com bluetooth, rádio e aplicativo para smartphones IOS e Android  e volante com comandos do rádio/telefone, suporte retrátil e entrada USB para carregamento) com instalação de som (2 alto-falantes dianteiros, 2 alto-falantes traseiros e antena) por R$ 1.568.

Kit Tech (chave canivete com telecomando para abertura e fechamento das portas e vidros, faróis de neblina, sensor de estacionamento traseiro, banco do motorista com regulagem de altura, console de teto com espelho auxiliar, alarme antifurto, retrovisores elétricos com Tilt Down e indicadores de direção, Cargo Box, personalização interna com tecidos e itens exclusivos, rodas de liga leve aro 14 polegadas) por R$ 3.864.

fiat-mobi-drive-2017-1 Fiat Mobi 2018: preços, fotos, versões, consumo e detalhes

Fiat Mobi 2018 – versões

O Fiat Mobi 2018 é oferecido nas versões Easy 1.0, Like 1.0, Drive 1.0, Way 1.0 e Drive 1.0 GSR, que é essa versão com câmbio automatizado. O único motor do Mobi é o 1.0, mas apenas o Drive tem o propulsor mais recente, o Firefly Flex da família GSE, que é também composta pelo quatro cilindros 1.3 Firefly Flex, que entrega até 109 cv.

Fiat Mobi 2018 – preços

Fiat Mobi Easy 1.0 – R$ 34.210
Fiat Mobi Like 1.0 – R$ 39.780
Fiat Mobi Drive 1.0 – R$ 41.260
Fiat Mobi Way 1.0 – R$ 41.260
Fiat Mobi Drive 1.0 GSR – R$ 45.450

fiat-mobi-drive-impressões-NA-18 Fiat Mobi 2018: preços, fotos, versões, consumo e detalhes

Fiat Mobi 2018 – motor

O Fiat Mobi 2018 tem dois motores basicamente, sendo o velho Fire Flex atualizado e o novo três cilindros Firefly Flex.

O velho propulsor foi atualizado para a linha 2018 da marca, incluindo o sedã Grand Siena 1.0 e agora está no Fiat Mobi 2018. O Fiat Uno 2018 usa somente o Firefly em suas versões. A montadora fala em atualização de pistões, cabeçote, anéis, entre outros itens internos, buscando assim mais eficiência energética e um desempenho melhor. O 1.0 Fire Flex de quatro cilindros e 8 válvulas, entregando 73 cv com gasolina e 75 cv com etanol, ambos a 6.250 rpm. Já os torques são de 9,5 kgfm na gasolina e 9,9 kgfm no etanol, obtidos a 3.850 rpm.

Mas, essas alterações no Fire Flex não foram testadas pela imprensa especializada, já que as atenções estavam centradas no GSR-Comfort, que equipa o Fiat Mobi 2018. Além do vetusto motor, gerado no começo dos anos 2000 no Brasil, o modelo tem o novo Firefly Flex, um 1.0 de três cilindros com seis válvulas e feito todo em alumínio, entregando 72 cv com gasolina e 77 cv com etanol, ambos a 6.250 rpm. Já os torques são de 10,4 kgfm na gasolina e 10,9 kgfm no etanol, obtidos a 3.250 rpm.

O automatizado GSR-Comfort do Fiat Mobi 2018 agora dispõe de um novo software de gerenciamento, que provê trocas de marchas com mais agilidade e menos “buracos” no processo, algo típico de transmissões como essa. O objetivo é tornar o processo mais suave com redução de trancos e ausência de força na hora do acionamento da embreagem.

Além da função Creeping – que mantém o veículo levemente em movimento com o câmbio engatado em inclinação de até 8%, como nos carros automáticos – já presente no Dualogic Plus, agora o Fiat Mobi 2018 com GSR traz uma comunicação direta entre os módulos de comando do câmbio e do motor.

O Fiat Mobi 2018 ainda mantém a velha caixa manual de cinco marchas, com engates macios, porém, longos. O conjunto tem um equilíbrio pouco agradável no Fire, mas uma sinergia bem superior no caso do Drive, obtendo assim uma boa performance e economia de combustível.

fiat-mobi-drive-2017-8 Fiat Mobi 2018: preços, fotos, versões, consumo e detalhes

Fiat Mobi 2018 – desempenho

Como já se sabe, o Fiat Mobi 2018 apresenta uma performance bem melhor com o novo motor Firefly 1.0 em comparação com o Fire Flex – antes da atualização deste, garante a Fiat – utilizando transmissão manual. Nesse último caso, a performance é muito ruim, perdendo muito em baixas rotações e exigindo mais pé no acelerador para compensar a fraqueza do antigo propulsor. Isso evidentemente aumenta o consumo e torna a dirigibilidade prejudicada. Ele faz com gasolina na cidade 11,9 km/l e percorre na estrada com 13,3 km/l. No etanol, são na cidade 8,4 km/l e na estrada 9,2 km/l.

Mas no caso – específico do Fiat Mobi 2018 – a comparação com o velho motor revela grande discrepância, mesmo entre manual e automatizado, onde sempre houve um tempo enorme nas respostas, dessa vez a diferença entre as duas opções de câmbio ficou bastante reduzida.

Leve, o Fiat Mobi Drive GSR 2018 apresenta um movimento trepidante na partida, que parece indicar o contrário do que se espera. A impressão inicial é de certa hesitação na saída, mas logo isso muda com o passar das marchas e o ganho de velocidade. No drive com câmbio manual, ele responde bem também, mas não chega a ser econômico na cidade como o automatizado. Ele faz na cidade 13,7 km/l e 16,1 km/l na estrada. No etanol, faz na cidade 9,6 km/l e na estrada 11,3 km/l. Já o GSR-Comfort permite 14,0 km/l na cidade e 15,9 km/l na estrada quando com gasolina, além de 9,8 km/l na cidade e 11,1 km/l no rodoviário, ambos com etanol.

As trocas realmente ficaram bem mais suaves, reduzindo também as perdas de força com o acionamento da embreagem. Dá para notar seu funcionamento mais preciso, garantindo assim uma condução mais confortável e ágil. O tempo de resposta do motor Firefly é bem superior ao do Fire Flex e sua disposição segue no mesmo caminho, apresentando um bom torque em baixa e deixando o Fiat Mobi 2018 bem mais gostoso de dirigir.

fiat-mobi-drive-impressões-NA-23 Fiat Mobi 2018: preços, fotos, versões, consumo e detalhes

Mesmo no modo Drive do Fiat Mobi GSR 2018, cujo objetivo é economia “ao extremo”, consegue-se imprimir uma condução muito melhor do que se espera de um automatizado, especialmente com motor 1.0. O funcionamento do propulsor com giros acima de 2.500 rpm, garante boas saídas para a proposta do carro, com o gerenciamento monitorando o comportamento do motorista para efetuar as mudanças no tempo certo.

A agilidade do novo conjunto do Fiat Mobi 2018 é notada imediatamente nos primeiros metros e no comportamento em trânsito pesado. Com a direção elétrica com a função City facilitada bastante a vida e torna a condução muito menos cansativa no anda e para interminável do trânsito urbano em São Paulo. Porém, essa leveza traz uma sensação melhor quando se explora – em vias de trânsito rápido, é claro – a “nova” função Sport.

Com isso, no modo Sport do Fiat Mobi 2018, o gerenciamento do GSR-Comfort não apenas favorece trocas de marcha em rotações mais altas, mas também altera o funcionamento do 1.0 Firefly para que este responda melhor às exigências do condutor. A Fiat introduziu também a função Auto-up Shift Abort, que monitora o movimento do acelerador e permite “saber” a intenção do condutor em fazer uma retomada, impedimento a entrada de uma marcha mais alta para que se explore giros mais altos do motor SGE. A ideia é ter acelerações mais vigorosas, inclusive em ultrapassagens.

Em resumo, o Fiat Mobi 2018 – que no manual já havia recebido vida nova – agora ficou também muito interessante na proposta automatizada, que sempre foi o calcanhar-de-aquiles de qualquer carro com opção semelhante. O bom casamento entre GSE e GSR trouxe uma disposição inesperada ao pequenino Fiat Mobi 2018.

O GSR-Comfort mantém o giro alto, mesmo com o pé fora do acelerador, mantendo o Firefly cheio e garantindo retomadas muito interessantes. O som do propulsor de três cilindros  do Fiat Mobi 2018 se torna bem mais graves e dá a impressão de ter ganho alguns cavalos a mais, mas essa resposta melhor vem mesmo de seu gerenciamento alterado no modo Sport, que funciona em parceria com o controle do câmbio. A Fiat fala em “casamento perfeito” entre os dois. Para nós, a dupla ficou em uma boa sintonia.

Aceleração de 0-100 km/h

  • Fiat Mobi 1.0 Fire – 13,8 segundos
  • Fiat Mobi 1.0 Drive – 12,0 segundos
  • Fiat Mobi 1.0 Drive GSR – 13,9 segundos

Velocidade máxima 

  • Fiat Mobi 1.0 Fire – 154 km/h
  • Fiat Mobi 1.0 Drive – 164 km/h
  • Fiat Mobi 1.0 Drive GSR – 164 km/h

Fiat Mobi 2018 – consumo

Motor 1.0 Fire

Consumo gasolina
Consumo cidade 11,9 km/l
Consumo estrada 13,3 km/l

Consumo álcool
Consumo cidade 8,4 km/l
Consumo estrada 9,2 km/l

Motor 1.0 Drive

Consumo gasolina
Consumo cidade 13,7 km/l
Consumo estrada 16,1 km/l

Consumo álcool
Consumo cidade 9,6 km/l
Consumo estrada 11,3 km/l

Motor 1.0 Drive GSR

Consumo gasolina
Consumo cidade 14,0 km/l
Consumo estrada 15,9 km/l

Consumo álcool
Consumo cidade 9,8 km/l
Consumo estrada 11,1 km/l

Fiat Mobi 2018 – manutenção e revisão

Revisão

Custo

Quilometragem

Motor 1.0 Fire

Motor 1.0 Firefly

10.000 km

R$ 236

R$ 236

20.000 km

R$ 444

R$ 444

30.000 km

R$ 584

R$ 584

40.000 km

R$ 708

R$ 708

50.000 km

R$ 412

R$ 412

Fiat Mobi 2018 – ficha técnica

Motor

Motor 1.0 Fire

Motor 1.0 Firefly

Tipo

Dianteiro transversal, Gasolina e Etanol

Dianteiro transversal, Gasolina e Etanol

Número de cilindros

4 em linha

3 em linha

Cilindrada em cm3

999

1389

Válvulas

8

6

Taxa de compressão

12,15:1

13,2:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Multiponto

Potência Máxima Líquida (ABNT NBR 5484)

Gasolina: 73 cv @ 6250 rpm / Etanol: 75 cv @ 6250 rpm

Gasolina: 72 cv @ 6250 rpm / Etanol: 77 cv @ 6250 rpm

Torque Máximo Líquido (ABNT NBR 5484)

Gasolina: 9,5 kgfm @ 3850 rpm / Etanol: 9,9 kgfm @ 3850 rpm

Gasolina: 10,4 kgfm @ 3250 rpm / Etanol: 10,9 kgfm @ 3250 rpm

Transmissão

Tipo

Manual 5 marchas

Manual 5 marchas / Automatizado GSR-Comfort 5 marchas

Freios

Tipo

Disco / tambor

Disco / tambor

Direção

Tipo

Mecânica / Hidráulica

Elétrica

Suspensão

Dianteira

McPherson, independente

McPherson, independente

Traseira

Eixo de torção

Eixo de torção

Rodas e Pneus

Rodas

Aço aro 13 polegadas / Aço aro 14 polegadas

Liga Leve aro 14 polegadas

Pneus

165/70 R13 / 175/65 R14

175/65 R14

Dimensões

Comprimento total (mm)

3566

3566

Largura sem retrovisores (mm)

1633

1633

Altura (mm)

1502

1502

Distância entre os eixos (mm)

2305

2305

Capacidades

Porta-malas (litros)

215

215

Tanque (litros)

47

47

Carga útil, com 5 passageiros mais bagagem (kg)

400

400

Peso em ordem de marcha (kg)

933

945

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

ND

ND

Fiat Mobi 2018 – Galeria de fotos

Leia avaliações, notícias sobre carros e compare modelos em NoticiasAutomotivas.com.br.

Veja também maiores informações sobre o Mobi 2018 no site da Fiat.

4.0

  • Bruno Silva

    O problema deixa de ser o câmbio e passa ser o carro. Não imagino pagar 45mil nesse Mobi.

    • Maycon Farias

      Pois é, nem um rádio tiveram coragem de colocar. Faltou tirar as calotas e a pintura. Devia se chamar Econômico Total.

      • Tosca16

        Um New QQ Smile de R$ 25.990,00 já vem com rádio e vidros elétricos dianteiros kkkk

        • Leandro

          E só. Fora o fato que o carro desmancha rapidamente.

          • Tosca16

            O New QQ nacional é bem montado, claro que o nível de ruídos internos e acabamento é compatível com o seu preço mas no geral é um carrinho honesto, tem gente que testou e diz que em alguns aspectos é melhor até que o Celer, como no câmbio.

        • automotivo

          Ah tá, minha vizinha tá tentando se ”livrar” de um QQ

          • Tosca16

            Eu faço parte de 2 grupos do QQ, a maioria quer vender para passar para o nacional Flex, e os que não gostam muito da versão anterior ou não tem revendas próximo, maior queixa nos fóruns é esta.

            • ALVIN_1982

              Tosca, você ta parecendo um petista, defendendo o indefensável… QQ é um lixo e ponto. Mobi é lixo e ponto. Gol é lixo e ponto. Onix é lixo e ponto. Ka é lixo e ponto. Para de defender o indefensável. NUNCA o QQ será um carro mediano, quanto mais bom.

              • Tosca16

                Não discuto com vc, e não me chame de petista. Se todos são ruins pra vc ao menos o QQ cobra menos pera “ruindade” que é, passar bem.

                • ALVIN_1982

                  KKKKK não fica nervoso não… são só fatos…

                  • Tosca16

                    Não tem nada de fatos aí, passar bem.

              • Ney Lira Lira

                Alvin você só fala merda, nunca teve, nunca dirigiu, não vê que o preço é muito menor que a concorrência, você é um pau mandado, abra sua cabeça, os Japoneses, depois os coreanos eram lixo e hoje estão mandando em muitos mercados

        • pedro rt

          mas numa revenda vale 15mil enquanto isso o mobi vale 12mil a mais

          • Tosca16

            Me mostre um New QQ mesmo importado a esse preço que compro até dois.

  • luiz

    Esse carro não desce, não adianta. É muita gambiarra, além de caríssimo.

    • Tosca16

      Não é um carro que me agrada, mas se a Fiat estiver triste com as vendas do modelo a VW deve está ainda mais desanimada, porque o Mobi tem vendido mais que o UP; que é reconhecido o melhor desta categoria.

      • Verdades sobre o mercado

        O Mobi vende 10% mais que o up. Se você considerar que o preço medio do up é bem mais alto(45k contra 40k) ele vende proporcionalmente melhor que o Mobi.

        • Tosca16

          E se levar o custo do projeto ? Especialmente a versão que mais vende do Mobi, com o antiquado Fire 1.0; bem capaz do lucro por unidade ser maior no modelo da Fiat.

          • Mr. On The Road 77

            Se bobear o retorno do investimento do Up é muito maior, pois o carro é vendido na Europa, a preços maiores do que aqui no Brasil. O custo para o desenvolvimento foi maior, sem dúvidas, mas o retorno deve ser muito, mas muito maior.

            • NaoFaloComBandeirantes

              Se levar em conta de o Up brasileiro é bem diferente do Europeu (esticaram, trocaram a tampa de vidro por metal, mudaram os vidros traseiros) e que o Mobi é um Uno cortado, meio que empata nesse aspecto.

              • Mr. On The Road 77

                Se me permitir descordar, não acho o Up brasileiro tão diferente do europeu assim não. A essência do carro está lá, intacta. Inclusive, as mudanças não foram meramente por motivos econômicos, mas sim, para tentar adequar o carro às necessidades do consumidor brasileiro.

            • Tosca16

              Não sei das vendas na Europa, ao menos aqui o mesmo até agora não emplacou como a VW queria, mas é compreensível porque por melhor que seja é caro, e pouco equipado nas versões de acesso.

              • Wellington Myph13

                Exato. Essa mania de deixar a versão take pelada e ter que colocar opcional de tudo ou nada só atrapalha.
                Devia vir ao menos com kit dignidade sem ar porque muita gente e frotistas ainda compram assim. Um take por 31500 2p e 34000 4p faltando só ar por um 3000 que seja, estaria mais dentro do preços dos completos de entrada dos concorrentes. (Mesmo que fosse tipo 2000 mais caro na tabela do que o praticado nas CSS, já funciona)…
                E um painel 2din também ajudaria.

        • automotivo

          Mas, para o que se investiu…

  • Artur

    A Fiat podia abandonar de uma vez os Fire e trocar o Etorq por versões com turbo dos Firefly.
    Um Renegade com motor GSE 1.3 turbo ficaria excelente.
    Para completar, enxugar a linha toda: deixa o Mobi, o Uno e a Toro, introduz os X6 (hatch, sedan e picape) e mata todo o resto.

    • ricmoriah

      a questão, segundo eles, é o custo. O Fire, mesmo atualizado, é mais barato de fazer do que o Firefly. Como o primeiro já pagou o investimento há anos, o segundo precisa retornar o primeiro investimento para assim ficar mais em conta.

    • Raimundo A.

      Você já deve ter ouvido falar em custo de produção, oferta e demanda, retorno sobre o investimento, políticas ambientais, etc.
      Um HVR com 1.0 ou 1.5 turbo seria ótimo, mas tem?
      Um 2008 com 1.2 Thp AT6 idem.
      O Renegade como o Compass no exterior usdam os TJet MultiAir de 140cv, 160cv e 170cv, com AT6, DCT 6 e 7, AT9. Temos aqui?
      Por que ao invés do 2.0 flex, o Creta não usou o 1.7 turbo do novo Tucson?
      Certas mecânicas não temos porque há um custo maior, precisaria de um investimento extra para tornar flex em versões com menor demanda que podem não compensar.
      A Honda sabe que aqui motores flex tem saída e tornou flex o 1.5 T? Idem para a Ford com o 1.0 Ecoboost.
      Antes a Fiat não tinha aspirados com maior potência e são mais fáceis de tornar flex,válido para os nacionais. Para mim, Firefly turbo pode surgir primeiro na Europa, porque lá tem demanda para tal configuração e as leis cobram. Aqui, nova lei não deve ser mais exigente e assim motores mais eficientes só viriam se o fabricante ver interesse.

      • Artur

        É claro que estou ciente de tudo o que você citou. O que quis dizer no meu comentário é pura utopia, o que ocorreria em um mundo ideal, se nosso país fosse visto com a mesma seriedade de países de primeiro mundo pelas montadoras.
        Mas como aqui o que manda é a lei do cobrar o máximo e oferecer o mínimo, tudo pode…

    • automotivo

      O fire ainda é vendido na Europa.

      • Tosca16

        Vendeu na Europa é bom, né ?

  • Mr. Car

    Não gostei deste negócio de câmbio de botão. Se queriam fazer diferente, podiam colocar uma alavanca na coluna de direção, que ia ficar bem mais legal e ainda liberava espaço. De qualquer forma, como meu uso do carro é 95% rodoviário e não faço questão de câmbio automático ou automatizado, colocaria mais R$ 1.200,00 e trocaria esta comodidade pelo motor mais forte e o espaço maior de um Etios X MT.

  • Tosca16

    Está caro porque começar em praticamente 45mil reais não é nada barato, entretanto as versões que de fato se aproveitam do Mobi já começam nos 40 mil, porque as mais baratas ainda estão com aquele motor antiquado Fire 1.0. Sinceramente não gostei deste nome “GSR” acho o Dualogic muito mais comercial, ao menos para transmissão; mas sei que vide a má fama o mesmo teve que ser retirado, se fosse um câmbio bem aclamado seria um “Dualogic Plus” da vida… e particularmente tiraria esse sistema de botões e colocaria o tradicional câmbio, gosto pessoal por achar mais prático e bonito.

    • Leandro

      O dualogic na linha de populares não é ruim de mercado. A mudança de nome foi para frisar a mudança de comportamento do câmbio… Chamar de dualogic novamente ia chover de hater que nunca dirigiu um dualogic recente avacalhando por aí…

      • Verdades sobre o mercado

        Fui gerente de vendas de CSS Fiat por 4 anos e apesar do Dualogic Plus ser um bom cambio, os veículos equipados com qualquer cambio seja Dualogic, imotion ou easytronic são ruins de mercado, as vezes são vendidos usados ate mais baratos que os manuais

        • natan ravel

          É igual ao dsg, tem um bando de desinformado falando mal do dsg em videos de jetta tsi, dizendo que o cambio trava e não sei o que, quando na verdade o cambio problemático é o dsg 7marchas do golf,audi a3,audi a1. Se ligam muito no nome mas esquecem das especificidades tecnicas. O dsg 6 marchas do jetta não tem histórico de problemas.

  • Tosca16

    A Chery poderia ter o título de automatizado mais barato do mercado com o New QQ Flex 2018, porque se a versão ACT mais completa custará R$ 32.500,00 (mais barato que o Mobi pelado por tabela) daria muito bem para por um automatizado na cada dos 35 mil reais, R$ 34.990,00 seria um preço matador !

    • ricmoriah

      Eles tinham o EZ-Drive desde a primeira geração do QQ. Chegou a ser colocado também no Face, assim como no S18.

      • Tosca16

        Deveria ter algo do tipo vindo agora, aproveitar o embalo do modelo Flex … e no Celer se quiserem manter na gama colocaria uma central de série, sem ser acessório; e as mesmas alterações mecânicas do Tiggo2. Um Celer automático, mesmo que de 4 velocidades, na casa dos 45 mil não estaria ruim.

    • Tosca16

      Se depender de pessoas como vc teremos um Fiat 1.0 começando em 50 mil e pra vc tá bom.

      • automotivo

        Suponho que ja tem o seu

        • Tosca16

          E eu suponho que vc é um hater, mas digo que irei sim ver o mesmo na revenda aqui da capital, entretanto só poderia embarcar em um lá para o meio do ano, no momento não mas lá para junho ou julho quem sabe.

  • Pedro Mello

    Meu Punto tem o Dualogic Plus, e não é assim como você descreveu.

    • TijucaBH

      Ja tive tambem Punto e Linea Dual e gostei, teria novamente.

      • Pedro Mello

        Também tive o Linea. Também era um bom carro, pena que foi mal lançado e com preço acima do que deveria.

  • Matthew

    Nossa, mano. A Fiat anuncia alterações no velho Fire a cada novo ano-modelo e/ou carro novo. Quando lançarem o X6H vão falar um monte da novidade é na nota de rodapé estará lá: “também adotaram nova calibração no Fire de 4 cilindros visando menor consumo de combustível”.

    • Hater x Haters

      O X6H não vai vir com Fire
      ahh tá, vc foi irônico né…ufa…

  • MIN💀S

    Gostei da proposta para um City Car.
    Mas ainda não consigo entender, pq 4 portas em um carro que na maior parte do tempo levará apenas o motorista!?

    • th!nk.t4nk

      No Brasil o povo tenta enfiar a família toda e mais tia, sogra, etc, nesses populares. Triste realidade.

  • Walter Augusto

    Mais uma matéria da coluna Bizarrices Automotivas.

  • Hugo Victor

    Só entrei pra comentar a péssima qualidade das fotos. Parece de celular intermediário.
    Sobre o carro, tudo que eu acho já foi dito aqui.

  • RKK

    “GSR traz uma comunicação direta entre os módulos de comando do câmbio e do motor.” – Não deveria ser padrão ?

    “Por fim, como não há Hill Holder ou assistente de partida em rampa, a Fiat adicionou ao GSR-Comfort um compensador para manter o veículo parado em aclives com mais de 8%. A saída da engenharia foi alterar a rotação do motor com o carro engatado. No momento em que o condutor tira o pé do freio para imprimir força no acelerador, o sistema eletrônico identifica o movimento e o ângulo de inclinação – graças ao acelerômetro incorporado – elevando o giro numa faixa entre 850 rpm e 1.580 rpm, evitando que o veículo se movimente no sentido contrário e possa até colidir com um veículo logo atrás.” –> isto não é aconselhável, queima a embreagem do veículo…

    • Edson Fernandes

      Para isso se investe ou não em melhorias para um determinado tipo de peça no carro né? Antes os motores não tinham variação no tempo de abertura de valvula, depois apareceu, os carros sequer tinham ar condicionado, depois tiveram e por aí vai.

      O mesmo ocorre com esse cambio. Ele teve atuadores que tinham uma central propria (Magnetti Marelli para a Chevrolet e VW/Fiat usam Bosch, ou vice-versa…rs)

      Encontraram um meio de embutir mais uma programação na central eletronica que acaba por ter mais um conjunto de instruções.

  • Jaques Pereira

    Muito preço pra pouco carro…

  • celso

    Custava colocar uma manopla em vez desses botões ?

  • Wellington Myph13

    Conjunto interessante no carro errado. Mobi nem devia existir (ou custar 34990,00 completo com Firefly e só). O Uno custa pouquíssimo a mais e pode receber tudo que o Mobi recebeu. A Fiat só precisava baixar a bola do Uno e deixar o Palio acima. E o X6H vindo no lugar do Punto.
    Teríamos Uno de entrada, Palio com mais mimos e motor maior, e o X6H como Hatch Premium. Mas sabemos que não vai ser bem assim, já que a Fiat quer enfiar até o 1.0 no X6H e tem Mobi de 50mil… Comédia.

  • Marcelo Henrique

    30 mil conto tava bom.
    O salário de muitas pessoas não dobrou nos últimos 4 anos.

  • Edson Fernandes

    E eu que pensava que poderia existir compacto 1.0 com cambio automatizado/ar condicionado/ direção/vidros e travas elétricas até 35000…. vejo que sempre foi ilusão. O up imotion segue o mesmo caminho que me desanima na consideração de um subcompacto para se locomover sem pedal da embreagem.

  • Gildean Batista

    Se você tem pressa em receber o MOBI DRIVE GSR, NÃO COMPRE, pois eu comprei um no dia 12/05/2017 na BALI de Brasilia, e até hoje “19/07/2017” o carro nem se quer foi faturado e não dão nenhuma justificativa do atraso, já se foram quase 70 dias é uma vergonha.

  • Andre Henrique Melo

    Olha esse câmbio maravilhoso e nova bomba da Fiat.Fujam.https://www.youtube.com/watch?time_continue=3&v=y9Wd7-NIsAE

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend