FCA Fiat Mercado Montadoras/Fábricas

Fiat não emplaca campeão de vendas após perder liderança

fiat-palio-2017-9 Fiat não emplaca campeão de vendas após perder liderança

A Fiat virou FCA no Brasil ao integrar as operações da Chrysler, mais notadamente a Jeep, que possui um complexo industrial em Goiana/PE. Com a planta de Betim/MG, a empresa reduziu os custos de produção e introduziu processos internacionais do grupo para melhorar a gestão e a fabricação, conseguindo inclusive exportar experiências para as demais unidades no exterior.



Além disso, a Fiat reduziu enormemente seu lineup para torna-lo mais enxuto e eficiente diante da mudança no panorama do mercado, em especial por conta da crise econômica do país, mas até o momento não emplacou um novo campeão de vendas. Até 2015, a Fiat era líder de mercado e tinha no Palio seu best seller, um popular que brigava bem com os rivais e até se tornou campeão, ganhando inclusive uma campanha de marketing específica para o feito.

Então, veio a GM e abocanhou a primeira posição e com ela veio o Onix, que atualmente vende tão bem que ainda coloca uma boa vantagem sobre o segundo colocado. De acordo com especialistas, a Fiat ficou para trás por não responder de forma imediata às mudanças ocorridas no mercado. Seu lineup também envelheceu.

Mesmo com Mobi e Toro, a marca italiana viu o perfil de seu cliente mudar. Antes, os populares 1.0 moviam a “macchina” em Minas Gerais, mas o cliente passou para um nível acima e carros mais completos e modernos entraram no jogo, ainda mais quando o número de consumidores caiu. A Fiat Chrysler “está num nível muito melhor do que há um ano e meio atrás”, de acordo com Stefan Ketter, presidente da empresa no país.

fiat-palio-2017-9 Fiat não emplaca campeão de vendas após perder liderança

Ketter se refere as mudanças citadas no começo do texto e reitera que “quando se está numa mudança assim, é natural que haja um certo vale, mas é planejado.” No entanto, especialistas não acreditam em perdas pensadas. De acordo com Letícia Costa, especialista em indústria automotiva e sócia da Prada Assessoria, a Fiat envelheceu assim como a GM na crise de 2008. No entanto, salienta que a FCA tem “menos músculos” que a gigante de Detroit, visto que a Fiat vai mal na Europa e a Chrysler não é igualmente grande nos EUA.

Apesar de a Toro liderar os comerciais leves, a Fiat não tem um campeão de vendas como um dia foi o Palio. Os lançamentos recentes foram pensados há quatro anos, quando a situação da empresa e do mercado eram outros. O Mobi teve a estratégia de lançamento errada ao focar em influenciadores digitais, de acordo com especialistas no assunto. O Argo chegou, mas ainda não engrenou como deveria, estando ainda no meio do segundo pelotão dos automóveis mais vendidos mensalmente.

A Toro, no entanto, já mostra uma direção acertada da estratégia da Fiat, que será copiada por outras marcas. O mesmo em relação ao Jeep Compass, que briga pela liderança entre os utilitários esportivos. Se a FCA se deu bem nesses dois segmentos, agora perde espaço entre os automóveis, justamente por não dispor mais de um best seller como o Palio, que ajudou a marca a ficar 14 anos na liderança.

A Fiat diz que a liderança por marca não é mais importante e que a FCA está mais sustentável atuando em diversos segmentos, mas especialistas discordam sobre a sustentabilidade a longo prazo, por causa exatamente da capacidade financeira do grupo, que influencia diretamente na agilidade para responder às mudanças, algo característico da marca nos bons tempos de liderança.

[Fonte: Estadão]

COMPARTILHAR:
  • Fernando Bento Chaves Santana

    “a FCA está mais sustentável atuando em diversos segmentos, mas especialistas discordam sobre a sustentabilidade a longo prazo, por causa exatamente da capacidade financeira do grupo”

    Os “especialistas” devem lembrar que com Strada, Toro, Renegade e Compass entre os 20 mais vendidos a FCA conseguiu emplacar a Jeep como uma marca premium e se estabilizar em segmentos mais altos e mais lucrativos por unidade, e isto após décadas de fracassos nos segmentos médio e superior. Assim o quadro atual é muito mais interessante do que a crônica dependência de modelos 1.0 observada anos 90.

    Também não podemos esquecer que a oferta da FIAT para os 1.0 está fragmentada em 4 modelos: Mobi, Uno, Palio e Argo. Desta forma é difícil haver um “best seller” graças à concorrência interna, mas o conjunto das vendas dos quatro modelos é representativa em relação ao desempenho das fabricantes que oferecem um único modelo no segmento de carros pequenos.

    • Mario

      Concordo. O atual ‘campeão’ em vendas, o Onix, é o único da GM. Na soma dos populares, a FCA ficou pouco mais de 2mil carros a menos. O mesmo se dá com a VW.

      • Luiz Camurça Neto

        Onix o unico??? Prisma é o sedan mais vendido. S-10 a segunda picape media, brigando mês a mês com a Hilux. Spin não tem concorrente. Cobalt best-seller nos taxis e vende o esperado. e até a horrenda TrailBlazer melhorou suas vendas. Até o Cruze, apesar de nem fazer cocegas na disputa de liderança, mas disputa com o Civic o 2º lugar e o Hatch é o mais vendido na pequena categoria de Hatches médios. Infelizmente, digo isso devido as carroças vendidas aqui, no Brasil a GM ta sorrindo a toa.

    • Observador

      Discordo de você.

      Quem vende um único modelo no conjunto lucra mais, é menos marketing dispendido em vários modelos e, consequentemente menos custos.
      a FIAT precisa de 4 modelos pra vender menos que a GM com 1 só.
      Volkswagen no momento não é referencia pra ninguém, perdeu seu tradicional 2º lugar no share e segue afundando, seu próximo passo é decisivo com a família Polo.

      • TijucaBH

        Concordo!!! Além disso, 4 modelos é muito mais caro de produzir do que um só, pois perde-se economia de escala. Hoje na verdade a Fiat está com um problema sério de imagem. Nunca teve uma imagem irretocável, mas conseguia se manter na liderança porque conseguia agilidade para entregar ao mercado exatamente o que ele demandava (exceto por insistir no dualogic no lugar do AT de verdade!). Hoje o consumidor mudou e ela continuou parada…

        • Djalma

          Em praticamente todas as pesquisas de satisfação a Fiat tem estado mal.

        • Edinaldo_Tapica

          Mas você só está analisando o mercado interno. A Fiat com 4 modelos tem mais opções de exportação, a mercados por exemplo que priorizem carros compactos (Mobi), nome tradicional (Uno), ou novidade /conectividade (Argo).

          • TijucaBH

            Edinaldo, se ela nao está conseguindo vender no Brasil, quem dirá em mercados externos que são mais exigentes que a gente!!!
            Vai me desculpar, mas a marca está moribunda. O mercado mudou e ela nao acompanhou.

            A GM estava assim um tempo atrás, onde tinhamos no showroom celta, corsa, astra, vectra, zafira, meriva, blazer e S10. Parecia que voce estava em um museu. Os clientes do vectra migraram pra dupla corolla/civic e também para SUVs como HRV e cia. Da mesma forma que clientes da blazer foram pra SW4 ou para XC60, X1, etc. Olha que a GM sempre teve uma imagem muito mais forte que a Fiat e gastou muita grana pra dar a volta por cima.

            Já em relação à Fiat eu já fico em dúvida como marca pois em qual lugar do mundo que a marca Fiat é forte? Era somente na Itália e no Brasil. Até que ponto a FCA vai insistir numa marca que nem nesses 2 mercados é tao forte? Vale muito mais deixar a marca virar uma marca de nicho como uma Subaru e Suzuki e investir pesado na Jeep.

        • Renato Duarte

          hoje ela sofre do mesmo mal da VW. parou no tempo e tem medo de mudança.

      • Djalma

        É custo menor de produção mesmo, é inquestionável a economia!

      • Ducar Carros

        Discordo, em parte. Na verdade, Uno e Mobi são praticamente o mesmo carro, com poucas alterações, e o Palio já está pago há milênios (e deve sumir em breve).

        A estratégia da VW é outra, é aumentar a margem de lucro, oferendo carros antigos caros (Vale!), e novos mais ainda (“Das Auto”), vamos ver o que farão com o Polo.

      • Rafael Koch

        Concordo plenamente, mas imagina só… Seria muita prepotência da FIAT cobrar 80 mil na porqueira de um Mobi completo ne? Pra isso fizeram o Argo. e Palio e Uno deveriam ser um produto só, não entendi até hoje porque os dois tiveram nova geração (isso em 2010)

        – antes que me critiquem, sou proprietário de um novo Uno.

    • Roberto

      O que foi um tiro no pé da Fiat…
      Investiu grana no Mobi para perder vendas do Uno… se vendesse o Uno mais pelado pelo preço do Mobi já estaria no lucro… ele estava vendendo em torno de 6 mil unidades antes da chegada do Mobi
      O Uno podia ir de 30 a 40 mil, trazendo uma frente nova (e talvez a tampa de vidro igual ao Mobi) concorrendo com Onix Joy, Sandero, Up, Gol, Ka 1.0, etc e o Argo começar em torno dos 42 mil para concorrer com o Onix LT e suas versões superiores e trazer um SUV-compacto sobre a mesma base para concorrer na faixa dos 55-70 mil e preencher o espaço da Idea e Weekend, etc, reservando a faixa mais alta para a versão Adventure, tradicionalíssima na FIAT-BR…
      Hoje o que temos na Fiat?
      Carro barato pelado? Mobi a 32k (apertado pra carai)
      Carro compacto completinho? Uno 2010 40k, Palio 2011 42k
      Carro compacto “premium”? Argo a 46 mil 1.0, mesmo preço de um Ka 1.5, HB20 1.0T. A versão 1.3 é o mesmo preço do HB20 1.6 (sem desconto) e a 1.3 dualogic é mais cara que o HB20 1.6 automático
      o Argo 1.8 manual custa 62 mil.
      62 mil num carro de 4 metros de comprimento e 300L de porta-malas…

      • JCosta

        Concordo. Uma pena não utilizarem o Uno como versão de entrada. Esse Mobi é muito feio/apertado e caro pelo que se propõe.

        • Djalma

          E agora, comprovadamente inseguro!

          • Luciano RC

            Quer dizer… o carro não tem qualidade nenhuma. É feio e inseguro… e é caro.

      • Fernando Bento Chaves Santana

        Concordo que os produtos são, digamos, controversos, porém vendem bem. Com Jeep e Fiat a FCA tem 7 modelos entre os 20 mais vendidos no mês de julho. Destes 7 4 são produtos derivados do Palio/Uno. O Mobi é apertado, mas está em ascenção. O Uno resiste com números respeitáveis. A Strada continua competitiva mesmo com a concorrência domestica com a Toro e o consistente crescimento da Saveiro. Criticamos os produtos antiquados do fabricante, mas como explicar o êxito que estes obtém junto ao mercado?

        • CharlesAle

          Uno vendeu menos de mil unidades, só o Fiesta vendeu em torno de 2 mil unidades. Por ai você tem idéia de como o Mobi ferrou o Uno, pois nunca vendeu tão pouco…Dados do mês passado..

          • leandro

            Eu nao sei como nao vende mais fiesta porque a versao de entrada dele custa menos que up move e moby com op.

        • Verdades sobre o mercado

          Uno no varejo esta morto(Mobi matou ele). 70% da.venda é para locadoras e grandes frotas. Mesma situação de Voyage e Logan

          • Renato Duarte

            Não foi o Mobi que “matou” o Uno,, foi a crise economica que “forçou” o consumidor a engolir o Mobi,, já que este está mais em conta que o Uno. O varejo está agonizando , por isso vemos locadoras e frotistas em destaque no numero de vendas. Corolla está entre os mais vendidos pois a classe de quem tem grana pra comprá-lo não sabe o que é falta de dinheiro. Argo poderia embalar nas vendas, mas o porém fica por conta justamente da falta de clientes com poder de compra,, daí voltamos a onde falei em que o mobi está vendendo bem….

            • Luciano RC

              Concordo.

      • Edinaldo_Tapica

        É porque é estratégia da Fiat: Se você não gostar do carro que foi ver na css, pode gostar do que está no lado no showroom, que custa 2k só a mais… Desse jeito ela foi líder de mercado por todo esse tempo, mas acho que atualmente a estratégia não funciona mais, porque o brasileiro pesquisa mais, e porque a concorrência oferece boas opções

        • Roberto

          Negativo, ela era lidar quando concorria com Celta, Agile, Ka antigo, Gol Special.
          Depois que chegou Novo Ka, HB20, Onix, Novo Sandero, ela perdeu espaço porque ficou com Uno e Palio de 2010..

          • Edinaldo_Tapica

            Negativo, a Fiat foi lider até 2015. Onix, HB20 e Novo Palio são de 2012. O Sandero data de 2007 e já teria condições de desbancar Palio, Uno e Mille. Mas enquanto todas estas supracitadas vendiam apenas um ou dois modelos numa faixa de preço, a Fiat tinha 3. Estou falando sobre um relatório de uma empresa que dê consultoria na qual tive acesso, e baseado também numa informação que um gerente de marketing de uma css me disse ser a estratégia que saía de Betim

            • Roberto

              Ou seja, vocÊ confirmou o que eu disse.
              Chegaram estes modelos e, aos poucos, a Fiat foi caindo nas vendas porque não tinha mais nenhuma novidade.
              E não to negando esta estratégia… eles poderiam fazer isto com Uno, Argo e mais um, se houver espaço, como sempre fizeram com Mile, Uno, Palio Fire, Palio, Punto e Bravo

      • André Luis Versiani

        Sempre achei tiro no pé este Mobi, deveriam ter feito um “Novo” Uno com versão de entrada estilo o Kweed, basicão mesmo, ia vender bem, com certeza.

        • Roberto

          sim, um uno de entrada com a frente do Mobi a 30.000 com kit way faria o mesmo sucesso do Kwid

    • EDU

      Otima analise

    • Djalma

      Somando as vendas dos 4 modelos não dá a do Onix, por outro lado imagine o custo para produzir 4 carros diferentes, enquanto a concorrente fabrica um único, o Onix.

      • Victor Assis

        Economiza na hora de fabricar apenas um modelo e na hora de promover, a Fiat perde muito nos dois pontos.

      • VaeVictis

        Os motores firefly foram desenvolvidos em Basil e no futuro também será vendido na Europa. Por isso Fiat realiza lucros na América do Sul e na Europa. O Palio está no fim da vida, não custa nada para mantê-lo à venda. O Mobi vende muito bien na Argentina e no Mexico.

  • Joaquim Grillo

    Fiat moscou e continua moscando, cadê o tipo europeu? cadê a nova Dobló, Cadê o spider, cadê o 500x cadê o Fiat Ottimo que poderia substituir o Bravo? veio com carrinhos gambiarras deu no que deu, veio com o atual palio e gran siena aberração, matou o punto, moscou com o bravo, e ainda me lança o Uno atual e mobi meu deus que lasqueira, e o Argo para mim vai penar para ser lider talvez nem chegue no top 5 pois não inovou em nada, tudo bem que lançou Toro e a linha Jeep, poderia ter sido melhor

    • EDU

      O que fico besta foi o abandono do Fiat 500

      • daneloi

        Exatamente. Excelente carrinho. Bom acabamento e qualidade de construção. Mesmo com os aumentos absurdos da versão mexicana ainda é um excelente carro e poderia competir com o up já que este último virou carro de “nicho” também.

      • Gran RS 78

        Eu tbm não consigo entender isso. A marca não trouxe a versão reestilizada e só vende o 500 em versão cult 1.4 manual por caríssimos 68 mil reais. Acho que se a marca oferecesse o modelo com face lift e automático na casa dos 55 mil reais, seria um ótimo produto para quem procura um carro pequeno, descolado e com cambio automático, o que iria agradar principalmente as mulheres, seu principal público alvo.

      • Joaquim Grillo

        Já não ligo acho que ja tá cansado

    • Maycon Farias

      Concordo totalmente, devíamos ter a linha Tipo, a linha 500 e o novo Kubo e Ducato para utilitários. A Spider seria simplesmente perfeita em nosso leque. Fomos o segundo maior mercado da Fiat fora da Itália e de alguma forma acharam que não merecíamos os mesmo carros ofertados lá, criaram todos tipo de coisa ruim exclusivo para nós. Dou palmas para a Toro, mas o restante torço o nariz.

      • Gran RS 78

        E somos o segundo maior mercado consumidor da Fiat, ficando atrás somente da Itália. A marca faltou com o respeito com os consumidores brasileiros e está pagando caro por isso.

        • 4lex5andro

          Este é um detalhe notável: o Brasil é importante de tal modo pra Fiat, como nunca foi e nem deverá ser, pra Chevrolet [onde vende bem além dos Eua, no Canadá e Austrália, por exemplo].

          Tal qual a rival norte-americana, a montadora de Turim abandonou qualquer vínculo de seus carros vendidos no Brasil, com os vendidos nos mercados de origem das empresas.

          Se tal atitude já era incompreensível por parte da Gm , com o abandono dos Opel no país, muito maior incompreensão reside em a Fiat esnobar o mercado brasileiro desse modo.

          • Gran RS 78

            Ainda que a GM tem modelos mundiais como o Cruze, Tracker, Camaro, S10, Trailblazer e futuramente o Equinox vendidos por aqui, mas a Fiat realmente é de se estudar o que se passa com essa empresa.

        • VaeVictis

          Alguns anos atrás Sergio Marchionne disse: Fiat hoje é uma marca Brasileira com algumas actividades na Italia.

          • André Luis Versiani

            Eles sabem que vendendo porqueiras aqui os brasileiros compram mesmo, nem ligam para nós, carros bons ficam na Europa, aqui só salva a Toro e os Jeep, e olhe lá!

    • francis

      O Argo não chega a 10% da segurança do Tipo europeu, (aliás como boa parte da fiat), será apenas mais um no mercado, o Polo vai mostrar como se faz um carro desse segmento, o Mobi em que pese ficar acima das vendas do UP!, não repetirá o sucesso dos carros de entrada da fiat , tarefa que deveria ser do Uno ou do Palio em versão basica com a ultima carroceria… os unicos acertos da Fiat foram a Toro e ter investido na JEEP…. Fiat se perdeu…

      • CharlesAle

        O Argo nada mais é q um grand siena hatch.. Ou seja,não tem nada de novo ali…

        • Luciano RC

          Exatamente… e o Sedan será o novo Grand Siena que tbm não vai vender bem como o Siena vendeu.

      • Luciano RC

        Ainda acho que ela deveria investir na Chrysler como marca de médios no Brasil. Lançar um Hatch e um Sedan para brigar com o Corolla, Civic e Cruze e um Hatch para pegar o Cruze e o Focus.

        Deixa SUV para a Jeep, deixa Picapes para a RAM e busca algo para a Dodge.

        • Marcus Fenix

          Essa é a FCA dos sonhos!!!

          • Luciano RC

            Pelo jeito só dos sonhos mesmo, por que do jeito que anda está complicado. Só salva a Jeep.

      • Marcus Fenix

        Burra para cacete, achou que nós não merecíamos o novo Tipo e o 500, está levando o troco por não querermos aquelas aberrações de Mobi e Argo!

    • Luciano RC

      A Fiat hoje vive da Toro e da Strada. Se tivesse colocado ambas na RAM, ela estaria arruinada.

  • A FIAT em si está péssima (não considerando o grupo como um todo). Que carro referência para o público que ela possui hoje em dia, tirando a Toro? Nenhum. O que ela sabia fazer de melhor, que eram carros populares / baixo custo, hoje em dia não consegue emplacar mais. Até a Strada já está perdendo terreno para a Saveiro. Precisam urgente rever o portfólio.

    • João Cagnoni

      Veja como o preço dos carros da Fiat aumentaram ultimamente. Ela criou o Uno para “empurrar” os preço do Palio, depois criou o Mobi para subir os preços do Uno. Os carros estão com um preço absurdo, muito além do valor das outras marcas. Demoraram pra perceber que o brasileiro não aceitou muito bem os subcompactos, ninguém merece andar de Mobi e up. Eu sei que o powertrain e estrutura do up são boas, mas o carro é muito pequeno e feio, acho que já atingiu seu auge e daqui pra frente só resta a decadência para estes 2 carros. O Palio até então estava com preço de carro premium.

      • daneloi

        Poxa amigo, tirando o preço excessivo do Up, não entendo por que essa rejeição toda ao carrinho. Tem espaço interno muito bom pelo tamanho, acabamento bom e não acho ele feio. Tá certo, gosto é muito pessoal mas acho as linhas e proporções do up ótimas para um subcompacto. Muito mais acertadas (novamente, minha opiniao) do que o mobi, uno, palio e etios. Comparando até com os subcompactos europeus como 108, c1 e Adam acho o Up mais bonito e acertado. La, pra mim só perde pro novo twingo e claro, Fiat 500.
        Tenho um renegade diesel e um up tsi e admiro bastante os dois dentro do que se propõem. Pensei que um dia o Brasil fosse perder o preconceito contra subcompactos. Pelo visto a máxima dita pelo ex presidente da vw do Brasil em 2000/2001 continua valendo: ” carro menor do que o gol não vende no Brasil. ” infelizmente…. :-(

        • Jackson A

          “acabamento bom” = não, eu já usei um por 1 semana no interior, eu faltava pegar fogo de tão quente que o carrinho ficava quando deixava ele estacionado no sol, e as latarias internas nem se fala, fora que o ar ainda não tem as tubulações na frente, isso é horrível, eu realmente odiei isso.

          “não acho ele feio” = não é querendo ser chato, mas… não da pra entender como não achar aquilo ser feio externamente ou pobre por dentro.

          • daneloi

            As latarias na porta são de matar mesmo. Uma das poucas coisas que me incomodam no carro. Me lembram as portas do fusca, Brasília , gol bx e palio fire antigo. Não sei quantos anos você tem, então não sei se dá pra usar esses carros como exemplo…hehehe
            Por dentro acho simples mas nao tenho a percepção de pobreza como a qualidade dos plásticos e montagem do fiesta antigo e new fiesta. Veja bem, não estou afirmando que o interior do up é melhor do que o do fiesta e sim que os materiais e arremates aparentam ter melhor qualidade.

            Sobre ser feio…cara…nao sei se é um problema mental meu mas desde que vi o up como conceito em 2007 (Ainda com motor traseiro) achei o carro bunitim e funcional! Eu realmente gosto de microcarros😂😂😂

            • Edinaldo_Tapica

              Também gosto. Mas incrível como a vw conseguiu estuprar o conceito. A versão conceitual do Up era linda…

          • daneloi
        • Gran RS 78

          O Brasil não tem preconceito com sub compactos, o que não dá para aceitar é um Up custar mais caro que hatchs compactos. Vc verá que nesse segmento o que mais interessa é o preço, vide o QQ que depois que a Chery criou uma versão de 26 mil reais começou a vender bem mais que antes. Outro que irá sacudir o mercado será o Kwid, justamente por ser um modelo interessante e ter preços condizentes com o segmento que está atuando.

          • daneloi

            Concordo, Gran. Uma das coisas que matou o up foi o preço. Por isso não acho descabido esse reposicionamento agora. Já não estava vendendo o esperado antes, agora pelo menos só compra o carro quem quiser um carro de nicho…

            O kwid tem tudo pra ser o carro mais vendido do país e ainda fazer as concorrentes se mexerem! Reservei um kwid intermediário pra minha sogra.

            • Luciano RC

              O Kwid não vai conseguir tirar a liderança do Onix, mas com certeza vai estar no Top 5.

              • daneloi

                Será que não? Você diz isso pelo perfil de carros mais procurados não ser mais 1.0?

                • Luciano RC

                  Por que ele tem somente 3 versões. Só se a Renault eliminar o Sandero 1.0 e fizer o Kwid assumir o mercado dele.

    • João Cagnoni

      Eu saí da Fiat por problemas de acabamento. Acho que até as chinesas estão em um nível melhor.

      • daneloi

        Sei não amigo. Talvez os novos jacs suvs. Achava o j3, j5 e j6 terríveis.
        O acabamento da fiat é ruim mesmo. Só se safam 500, Punto (>2012), toro e o argo.
        A Ford que está chegando no nível das chinesas. (Ainda não vi a nova EcoSport)

        • Edinaldo_Tapica

          Gosto do acabamento do Novo Palio. Tenho um. Entre os concorrentes (Sandero, Gol, Ka e Onix) nas versões iniciais com kit dignidade, é de longe o melhor

    • Fernando Bento Chaves Santana

      A FCA entendeu que somos trouxas e ganha dinheiro com isto:

      -Descobriu que as pessoas estão dispostas a pagar mais caro por carros cuja imagem sugira o off-road. Assim se reinventou com a linha Adventure que custa ao menos 20% a mais do que as versões normais.

      -Descobriu que o mercado aceita a oferta de carros com projeto novo ao lado dos de projeto antigo

      -Percebeu que para os segmentos mais baixos precisa apenas oferecer produtos ordinários sem grandes diferenciais ou tecnologias avançadas.

      -Constatou que poderia fragmentar a oferta de produtos com variações do mesmo projeto: Mobi, Uno, Palio e Argo não basicamente o mesmo carro, que partilham o mesmo powertrain, as mesmas suspensões e oferecem carrocerias com ligeiras diferenças no espaço para passageiros no banco de trás e porta-malas e no acabamento. Estes modelos são variações do mesmo carro e vendem relativamente pouco quando analisados de forma isolada, mas somados tem participação muito importante no segmento de entrada.

      -Percebeu que seu “hardware” oferecido com embalagem premium Jeep teria boa aceitação no mercado – e ofereceria boas margens.

      -Transformou as singelas picapes pequenas em modelos com status junto ao mercado. E aproveitou para fazer deste um nicho mais lucrativo por unidade vendida em relação aos carros de passeio por que este tipo de veículo comercial paga menos IPI e dispõem de condições de compra diferenciada para PJ.

      E no final das contas a FCA vai bem: Somadas as vendas das marcas FIAT e Jeep o grupo está muito perto das vendas da líder GM, que está assentada sobre dois pilares: a dependência crônica do Onix, em um segmento que oferece baixas margens, e as vendas da lucrativa S10.

    • Joaquim Grillo

      E a toro não é tudo o que imaginam não eu acho bizarra a frente e desenho do acabamento interno feio demais, a unica coisa que vi legal é a inovação da tampa traseira só.

      • Maycon Farias

        A toro ganhou um prêmio Internacional de melhor design no ano que foi lançada. E nem foi daqui, foi na Europa. Bizarra ela não é.

        • Joaquim Grillo

          esses premios para mim são bancados que nem carro do ano

  • Louis

    Esse negócio de liderança é só uma questão de “ego”, e para briguinhas de fans e haters… O importante é dar lucro.

    • No_Name

      A FIAT em si dificilmente tem lucro com quatro famílias de carros populares (Mobi, Uno, Palio, Argo) que se somados não chegam a vender o mesmo ou que superam por muito pouco o líder do mercado (Onix)…
      Carros rentáveis para o grupo no momento são três: Toro, Renegade e Compass. E se servir de lição para a FIAT, são carros modernos, feitos em plataformas de primeiro mundo. Deu pra entender, FIAT? Carro tupiniquim, salvo algumas exceções (como o Onix), o povo não aceita mais.

      • Mario

        Também não entendi a estratégia de manter 3 modelos, já que o Pálio será descontinuado. Bastava Uno e Argo.

        • Observador

          Uno também pode sair de linha, já tem o Mobi, apesar de inferior ao próprio UNO não tem como tirar de linha um veículo recém lançado.
          como disseram nos comentários abaixo, o mobi não tem razão de existir, é como se fosse o Agile da Fiat

        • Djalma

          Na realdade o Pálio já foi substituído pelo Argo. Só sobrou uma versão do modelo porque a Fiat tem a velha mania de manter um versão modelo antigo. A única diferença é que dessa vez ela mudou o nome.do carro. Claro, o Argo substituiu o Punto também.

      • Verdades sobre o mercado

        Strada certamente é bem rentável também.

        • Luciano RC

          Mas já foi muito mais… atualmente não vende como antes e nem aquela fama. Em breve deve deixar de ser.

          • Verdades sobre o mercado

            Mas o volume atual ainda é interessante e a margem também é boa visto que tem apenas um concorrente, aí VW e Fiat deitam e rolam, sendo que o projeto da Fiat é ainda mais antigo, ou seja, altíssima margem unitária.

            • Luciano RC

              Eu acho que na linha de compactos, nenhuma montadora lucra absurdamente. Até por que, quanto mais vende, mais pós-vendas de problemas tem. Pra mim, o mercado de luxo da muito mais lucro e gera muito menos problemas.

              Por isso algumas marcas nem cogitam lançar carros mais baratos.

      • Edinaldo_Tapica

        HB20 em segundo, projetado pro Brasil…

    • EDU

      Fato

    • Hugo Borges

      Se não fosse lucrativo vender populares, eles não existiriam. Quanto maior o volume de vendas, maior o lucro, logo, a Chevrolet está tranquila porque emplaca o carro mais vendido do Brasil, com folga.

  • Alvaro

    O Mobi no meu ver foi um projeto errôneo, deviam se concentrarem no Uno, que foi um produto ótimo e merecia uma nova geração, ao invés de só “tapas” no visual.

    • MauroRF

      Também acho. O Mobi é tipo o Agile, não deveria ter existido. E fizeram bobagem com o Uno ao tentar “promovê-lo”. A Fiat já fez melhor, especialmente nos anos 2000.

      • Alvaro

        Exato, essa tentativa de promover o Uno para abrir espaço ao Mobi foi bastante errada. Já que nem um nem outro está cumprindo bem o papel. O Uno agora ficou perdido no line-up, já que o chamariz de um carro jovem ficou supostamente para o Mobi, pelo que se nota nas propagandas do subcompacto.

        • Luciano RC

          E o Uno é bonito. O Mobi ficou feio.

      • daneloi

        O mobi é nojento de tão ruim. Em todos os aspectos.

    • Miguel

      O Mobi foi um desperdício de dinheiro. Se tivessem focado na nacionalização do Tipo e em novos motores para equipá-lo acho que ainda economizariam milhões de desenvolvimento.
      Temos que combinar que a Fiat, apesar de já ter os novos firefly, ainda peca em motores de maior desempenho como um 2.0 ou motor turbo. Eles tem excelentes motores na Europa, mas não se preocuparam em trazer pra cá.
      Claro que o Tipo seria muito pesado pra um 1.0, mas poderia receber motores pequenos e turbinados para ser econômico na cidade e andar bem na estrada.
      Não trouxeram novos Doblo, linha 500 poderia estar aqui. Enfim, deixaram envelhecer porque erraram a estratégia.

      • HugoCT

        O segmento de Hatch médio na brasil esta morrendo, até a VW esta pensando em paralisar a produção do Golf que vende 250 unid/mes. Não compensa a Fiat fazer esse investimento do Tipo. Ela poderia ter uma versão do Argo a 41 mil.

      • daneloi

        Que motores a Fiat tem melhor na Europa tirando o twinair e os multijet? Nem o multiair 1.4 T é lá essas coisas hj em dia por lá…

        • Miguel

          Vc mesmo falou. Não são grande coisa hoje em dia, mas são motores premiados e eficientes, coisa que a gente não vê nos modelos brasileiros, que melhoraram agora por causa do firefly.
          Motores potentes ou com pegada esportiva só tem o 1.8, coitados!

          • daneloi

            Ainda tenho expectativas por um Firefly 1.3 Turbo em breve. Poderia aposentar de uma vez o etorq.

    • Franco da Silva

      O Uno tinha tudo para ficar ali com os subcompactos. Internamente, tem o mesmo espaço de passageiros e porta malas que o up! (já tive os dois, conheço bem). Quando a custo, era só não gastar projetando o Mobi e repassar o valor em forma de desconto no Uno, talvez com um facelift mais profundo.
      Hoje, com o Kwid querendo ser SUV, se o Uno assumisse só a versão Way com uma cara de Toro ou algo assim, venderia bem. O motor Firefly é bom e ele nem foi tão mal em segurança, sem falar que brasileiro não liga pra isso.

      • Alvaro

        Acho que é por aí mesmo, com o posicionamento do Mobi, o Uno atual está perdido no line-up, não é nem de entrada, nem refinado, nem carro jovial (já que essa alcunha supostamente agora é do Mobi). Inclusive para frotista, a Fiat ficou defasado, já que os primeiros Novo Uno cumpria muito bem esse papel pelo conjunto dela (não é a toa que se via muito Uno básico como carro de entrada na locadora).

      • Felipe S. Rangel

        Eles podiam ter concentrado em renovar a identidade visual do Uno, deixando-o com a aparência que hoje tem o Mobi e mantendo-o no segmento de entrada. Não gastariam com o Mobi, não matariam o Uno…

  • Tosca16

    Liderança com o modelo mais vendido vai demorar mas se trouxerem logo a nova geração da Strada já voltariam ao topo no geral em vendas… por mais que somando as vendas da JEEP o grupo FCA já seja o líder de qualquer forma; fora isso é só por o monstrengo nos mesmos preços de Kwid, ou até uma versão Fire mais barata que este, colocando o restante tudo com o Firefly, apesar de não gostar do Mobi hoje é o produto de maior saída nesta linha, só tende a melhorar se baixarem os preços pra equiparar com o que vem de novo no segmento de entrada.

    • Djalma

      Como disseram aí, a rentabilidade é mais importante que volume.

  • Mardem

    Os especialistas só elencaram o óbvio e ululante: A Fiat despencou no mercado porque seus produtos não são atraentes (exceto a Toro).
    A política das jabuticabas cobra seu preço. Só fizeram projetos toscos para o mercado nacional, mas o mercado – mesmo que ainda imaturo – ficou mais exigente.
    O Mobi é uma atrocidade – que agora, além de horrenda, é comprovadamente insegura – que só vende pra PJ por causa do preço. Com o Kwid, a situação tende a se agravar.
    O Argo é um carro tão sem graça que, apesar de ter apenas 1 mês de lançado, tem cara de figurinha repetida. Já comentei antes: projetaram um carro para 2017 levando em conta uma concorrência de 2012 e se esqueceram que esses concorrentes mudam de geração em 2018. Resultado: lançaram um carro velho.
    Espero que esse tropeço faça a Fiat rever sua política de produtos para o mercado latino, já que não se sabe até quando a Toro vai conseguir carregar a marca na caçamba.

    • MauroRF

      E no caso do Argo, tem o Polo vindo aí. Se o Polo vier bem posicionado em preço, a missão do Argo ficará mais complicada.

      • Luciano RC

        Eu acho que o Argo briga mais com Onix 1.4, HB20 1.6 e Gol 1.6 do que com o Polo. Concorrente do Polo é o Fiesta, o 208 e C3. A Fiat nem tem qualidade para brigar com esse Polo.

    • Djalma

      Hoje você entra num show room da Fiat, parece o Jurassic Park.

      • Jackson A

        Pra min, tirando a toro, gosto do visual dela.

        • daneloi

          Acho a toro linda e o argo com visual razoavelmente bem acertado. O uno ainda tem um visual aceitavel também. (Engraçado foi quando vi um Fiat Uno brasileiro na california, proveniente do México! Passei 2 meses vendo carrôes em todos os sentidos e de repente me aparece um uno vermelho!) Mas de resto…tudo horrível na minha humilde opinião…

      • daneloi

        Verdade. Igual a GM estava alguns anos atrás. Todas as Fabricantes que deixaram sua linha envelhecer em demasia perderam mercado em algum momento. Quando irão aprender?

  • Jefferson Ferreira

    Sinceramente não precisa ser especialista pra saber que nos carro de entrada o que manda é PREÇO!

    Pode pegar qualquer carro do lineup atual da fiat e colocar um preço abaixo de 40k que vai vender…

    Quem compra carro nesse segmento tá pouco se importando com segurança e qualidade, vide onix… qualquer porcaria vai vender pq o negócio é PREÇO e financiamento facilitado… Abaixa o preço do mobi, uno e argo pra ver se não vende…

    • Mario

      Verdade!

    • MauroRF

      Taí por que a GM vende tanto Onix. Não que ele seja barato, mas ela negocia e dificilmente perde negócio.

      • Djalma

        Tem a versão de 42 mil que ela vende por 37 mil. Só essa versão Joy representa quase 40% das vendas.

  • Will

    Eu acho que os executivos estão muito mais felizes vendendo Compass que chega nos 175 mil reais do que sendo líder de vendas com popular de 40 mil.

  • Marcio Mendes

    Fui conhecer o Argo e fazer um test drive e fiquei decepcionado com a pobreza do material e falta de equipamentos tecnologicos, mesmo na versão 1.8. O preço então, beira o ridículo. Mas pior mesmo foi a sensação de estar dentro de um Palio… Só que muito, muito, muito mais caro!

    • Luciano RC

      E eu ainda achei ele feio.

  • Filipe Augustus

    Se eu fosse responsável pela Fiat, o Mobi nunca existiria, eu posicionaria o Uno como carro de entrada e focaria justamente no espaço pra bater o Up, colocaria motor turbo e tudo mais, o Argo substituiria o Palio, talvez até manteria o nome Palio, já consagrado e o Tipo substituiria o Punto e o Bravo de uma vez só com direito ao sedan junto, e a perua viria importada da Itália! O 500 eu colocaria o maior número de pacotes de personalizações possíveis e cores exóticas em três versões com motores diferentes entre o hatch e o C, além de uma campanha publicitária envolvendo o 500Abarth e o 124 Spider como carros de imagem! Nas picapes, a Fiorino ganharia várias versões que substituiriam a Strada e a Toro ganharia uma versão cabine simples e estendida, pé de boi para trabalho com opção de motor diesel!
    O Argo sedan seria o novo Siena, e a linha Ducato viria importada do México! Os modelos mais caros da Fiat, acima do Tipo, todos seriam Chrysler,Jeep e Dodge! (Pelo Tipo ser pequeno, ele poderia substituir o Punto e não faria falta a Fiat ficar sem hatch médio) pois algum modelo da Chrysler como um possível novo Neon, poderia substituir o Bravo!

    • Agora não va dizer tambem que vc traria de volta a Alfa Romeo heheh ae mataria a pau!

      • Filipe Augustus

        Tinha que pensar bem em uma estratégia pra essa marca, ela tem carros muito caros, e seria difícil convencer o pessoal a compra uma Alfa e não um Mercedes um BMW ou Audi! rsrs

        • Luciano RC

          E com o histórico que tem, seria mais complicado ainda.

  • Maycon Farias

    Difícil emplacar com 3 carros meia boca com preços muito próximo um do outro. A verdade que não querem dizer para nós é que a Fiat não importa mais. A Jeep sozinha deve estar rendendo mais que a Fiat com várias jacas. A Toro que se salva nem parece pertencer a Fiat.

    • Luciano RC

      Pois é… a Fiat virou pato… 3 carros que não tem qualidade alguma. A concorrência deita e rola.

  • V12 for life

    Toda empresa tem um discurso besta quando não tem condições de brigar pela liderança de mercado.

  • JCosta

    Está no rumo do caminho da VW… antes líder, agora é mera concorrente no bolo dos demais.

    • Luciano RC

      Uma concorrente em queda… infelizmente.

  • Djalma

    Tá num nível muito melhor que a um ano atrás? O Mobi que o diga! A Jeep é outro esquema, mas a Fiat continua a mesma; pois se lançou o Argo, deixou de fabricar o Bravo.

    • Luciano RC

      O Bravo era um excelente carro. O problema era a falta do cambio automático de verdade, versões sem tantos opcionais e acessórios e marketing.

      Sempre odiei essa logica da Fiat: Essense e Absolute peladas… você poderia equipar ambas iguais. Ué, pra que duas versões então?

      Meu pai tem um Essense Top. Tem tudo que a Absolute Top tem, porém pagou o preço de uma Essense pelada. Ridículo isso. Deveria ter a Essense com poucos equipamentos opcionais e a Absolute recheada e alguns opcionais.

  • Jose Alexandre Mendonça Neto

    Apesar do Palio ter sido líder de vendas até 2014, A Fiat já começava perder mercado pela saída do MILLE, pra mim um dos carros mais originais que a montadora já teve. O Mille já teria que ser vindo aperfeiçoado a pelo menos 10 anos atras, ai continuaria no mercado como um produto pelo menos razoável, e ainda em condições de brigar nos 10 + vendidos. O MOBI se fosse o ultimo carro do planeta eu ainda pensaria no minimo 10 vezes antes de compro-lo, o carrinho meia – boqueta….

    • Luciano RC

      Acho que o Mobi venderia bem se viesse como “Novo Mille”, com preço bom. Focado em preço e frota.

    • daneloi

      Concordo. O Uno original foi um carro fantástico. Um projeto bastante a frente do seu tempo quando foi lançado.

  • Samluzbh

    A Fiat ta pagando por falar mentiras, sempre tentou empurrar seus carros como nível acima dos demais, dançou, e continua com a mentirada no Argo “Premium”, quem entra no carro vê que não tem nada de premium, e da-lhe mentiras.

  • HENRY ME

    Abandonou palio subiu preço uno seu carro entrada, e ainda lançou mobi
    .

  • Lucas Nascimento

    O cara que desenhou esse Palio devia estar bêbado. Que coisa horrorosa.

  • FocusMan

    Provavelmente hoje eles ganhem mais dinheiro do que antigamente.

  • FocusMan

    Essas conversas são boas apenas para tomar cerveja. Ninguém sabe na realidade o que está acontecendo, sendo que as empresas não são obrigadas a reportarem seus números aqui no Brasil.

  • Bruno Gomes

    O lançamento desnecessário do Mobi, a não introdução do 500X visto o atual cenário do mercado, a retirada precoce e jogada errada do Linea em um segmento que não era o seu. A Fiat teve muitas estratégias erradas, e hoje colhe o fruto do seu erro. Se tivesse colocado o TJet em outros modelos, focasse nos seus compactos mais “modernos” (Linea e Punto) e deixasse seu lineup com Uno – Punto – Linea – 500X – 500 e Toro teria mais aceitação e vendas.

  • Fábio A.

    Fiat parou no tempo, diferentemente de outros tempos. Faz por merecer e continuará perdendo mercado.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email