Europa Fiat Híbridos Hatches Mercado Tecnologia

Fiat Panda ganhará motor Firefly 1.0 e hibridização leve

Fiat Panda ganhará motor Firefly 1.0 e hibridização leve

Lançado em 1980, na Itália, o Fiat Panda sobreviveu às fases da marca europeia, inclusive aos irmãos Uno, Tipo e Punto, continuando firme na luta pelo consumidor de casa. O hatch compacto terá novidades em breve, de acordo com o site espanhol Actualidad Motor.


Com quase 10 anos da geração atual, o Fiat Panda precisa atender as exigências ambientais mais severas da União Europeia para 2021. Assim, se faz necessária uma alteração no conjunto motriz, aposentando de vez os motores da família Fire, após o fim da comercialização do diesel 1.3 Multijet II.

Fiat Panda ganhará motor Firefly 1.0 e hibridização leve

Devido ao alto custo envolvido para limpar a opção movida por óleo combustível, a Fiat desistiu nesse caso. Já no modelo com gasolina, o Fiat Panda terá mesmo que buscar uma solução e essa se dará de duas formas. A primeira será o uso do mais moderno Firefly 1.0, que pertence a atual família GSE, já em uso no Brasil.


O pequeno três cilindros terá 70 cavalos de potência e substituirá o 1.2 Fire de 69 cavalos, utilizado há muitos anos. Não se sabe se esta versão do GSE terá cabeçote de seis válvulas como no Brasil, onde equipa os modelos Mobi, Uno e Argo. Aqui, ele entrega 72 cavalos na gasolina e 77 cavalos no etanol.

Fiat Panda ganhará motor Firefly 1.0 e hibridização leve

Esse motor será a linha de entrada do Fiat Panda, mas ele não estará sozinho a bordo do urbano italiano. Comenta-se que terá também Start&Stop com sistema elétrico de 12V, compreendendo um dispositivo híbrido leve, com força no alternador/motor suficiente para impulsiona-lo nos primeiros metros antes do Firefly 1.0 entrar em ação.

Com estreia para breve, o Fiat Panda Firefly chegará próximo do Fiat 500 Firefly, que deverá substituir também o 1.2 Fire nas versões de acesso, usando esse mesmo motor e provavelmente com a mesma tecnologia micro-híbrido. Assim, a Fiat garante que a dupla continue vendendo e atendendo as normas até 2021, quando uma proposta de eletrificação total deve ser introduzida.

[Fonte: Actualidad Motor]

Fiat Panda ganhará motor Firefly 1.0 e hibridização leve
Nota média 4.3 de 6 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Domenico Monteleone

    Fiat anda mesmo mal das pernas por lá, motor novo em carro com dez anos de projeto…

    • Vitor Meireles

      Fiat Panda + Fiat 500 respondem por metade das vendas do segmento A na Europa…

      • Dudu Pimentel

        Engraçado…o Punto era projeto novo prá nós, com um motor velho
        Logan e Sandero são projetos velhos e tem motores novos (SCe 1.0 e 1.6) e ninguém fla nada…

        • Cesar

          Gol, Fox, Uno, ônix (este nem motor novo tem), march, versa, ka, ecosport, duster, se procurar por estas bandas é capaz que nenhuma fabricante escape.

          • Unknown

            O Ka é moderno, principalmente na motorização.

            • Cesar

              Ford Ka é de 2013/2014 o motor concordamos.

              • Unknown

                Mas o Sandero é um projeto de mais baixo custo que o Ka, com certeza.

                • Cesar

                  Aonde?
                  Estão no mesmo nível assim como gol, march, uno e companhia.

        • Walter Augusto

          Tá de brinks ? Logan e Sandero são subprodutos da Renault. Nem merecem essa comparação que você falou.

          • Edson Fernandes

            E o ka ‘e o que?

            • oscar.fr

              Esquece, Edson. Nessas bandas, apenas os Renault são considerados low-cost, isso é o problema de usar esses estrangeirismos que ninguém conhece o real significado. É bonito dizer que a família Logan é low-cost e não falar nenhuma vírgula dos concorrentes. Gol, Ka, HB20.. todos são low-cost

              • Unknown

                Ate concordo que seja low cost também, mas em menor grau que a dupla da Dacia, com certeza.

      • Edinaldo_Tapica

        i10 vende bem também

      • Walter Augusto

        Tb, o que mais a Fiat tem no seu portfólio ? Acho que é só isso mesmo….kkkk

        • Vitor Meireles

          Depois da fusão com a Chrysler, a Fiat – como marca de um grupo maior e não mais a marca líder de um grupo onde só ela tinha condições de atingir maior volume – não tem mais necessidade de ter um portfólio imenso para preencher vários segmentos. A Jeep entrou forte na Europa pra isso. O mesmo aconteceu aqui no Brasil.

          • Walter Augusto Barandas

            Então me aponte um Sedan que seja Fiat ou Chrysler pra concorrer com Civic, Corolla, Cruze, Jetta, Sentra, etc….
            Aponte um SUV qualquer da Fiat ou Chrysler pra concorrer com HRV, Creta, Kicks, T-Cross, Tracker, etc.
            Aponte uma pickup Grande (estou falando grande, toro não vale) pra concorrer com S-10, Hilux, Ranger, etc.
            É, o portfólio fiat se resume a carros pequenos…..somente…….

            • Vitor Meireles

              Sedans médios estão em crise. Chevrolet Cruze e Ford Focus já saíram/sairão de linha. A FCA percebeu e reagiu antes de todos com o Dodge Dart e o Chrysler 200. No entanto, como o segmento premium não sentiu tanto, tratou de fazer o Alfa Romeo Giulia pra bater com BMW Série 3 e Mercedes Classe C. Mesmo com um volume de vendas bem menor, a margem de lucro nesse segmento é maior.

              Pra que um SUV da Fiat se a FCA tem a Jeep, uma marca destinada exclusivamente à SUVs? Somente em mercados onde a marca Fiat tem maior penetração é que justifica a competição interna. Pra isso ela tem o Fiat 500X, esqueceu? Ou que tal os dois SUVs que ela desenvolve aqui no Brasil (Projetos 363 e 376)?

              Novamente, pra que a Fiat vai investir pesado numa picape grande se ela tem a Jeep e a RAM, que apresentaram a Jeep Gladiator e, neste exato momento, desenvolvem uma picape menor que a RAM 1500? No mercado Europeu, onde a italiana tem maior aceitação, ela fez parceria com a Mitsubishi pra vender a L200 como Fiat Fullback pra tapar esse buraco, já que lá a Gladiator não é vendida lá e a RAM ainda é muito “americana”.

              O povo ainda tem uma dificuldade imensa pra entender que o grupo deixou de ser “Fiat e as outras”. Agora ele tem marcas com potencial global igual ou maior que a Fiat e isso implica que a italiana vai perder espaço.

              • Ernesto

                Pelo que você escreveu, a FCA está de vento em polpa, ganhando muito dinheiro. Mas então, por que ela quer desesperadamente se associar a outra marca?

                • Vitor Meireles

                  Foi alguma das poucas marcas que apresentaram crescimento dos lucros em 2018. Veja o desespero da Ford e Chevrolet para cortar modelos e fechar fábricas, principalmente, nas operações sulamericanas. A Ford fechando parceria com a VW, a Chevrolet vendendo a Opel… Alguém diz que essas marcas estão desesperadas?

                  O que a FCA busca é um parceiro, de preferência europeu, para ganhar volume e viabilizar o desenvolvimento de produtos estratégicos que, hoje, não apresentam margem de viabilidade ou rentabilidade significativa para a FCA encarar sozinha. O grupo não está à venda, não tem desespero, como vejo aqui nos comentários, muito pelo contrário, nas negociações com PSA e, principalmente, com Renault foi ela quem deu a palavra final. Ambas as negociações foram rejeitadas pela própria FCA. Se não for nos termos que ela acha melhor para ela, a FCA vai desenvolver os produtos sozinha.

                  • oscar.fr

                    Sugiro reler todas as notícias sobre as negociações com PSA e Grupo Renault para ver quem realmente rejeitou a proposta dos italianos.

                • tiago

                  Custos massivos de eletrificação e direção autônoma. Se vc você olhar dos últimos 10 anos pra cá a tendencia é de consolidação em grupos cada vez maiores.

            • Anderson Giovani

              Comentário engraçado de alguém que conhece pouco sobre carros…lamentável.

            • Paulo Lustosa

              500X bate em pé de igualdade com os SUVs que você citou lá na Europa e nos EUA e possui mecânica com até 190 cv e 27kgfm de torque na gasolina.

            • João Silva

              Esqueceu o Renegade e Compass, colega! Estão vendendo muito bem, então esse segmento não é problema para o grupo. HRV, Creta, Kicks, etc, todos vendem menos que a dupla

            • Emanuel Schott

              Sedã: Alta Romeo Giulia

              SUVs: 500X, 500L, Renegade, Compass, Cherokee, Grand Cherokee, Commander, Grand Commander.

              Picapes: Fullback, 1500, 2500.

              Tá sabendo legal ein parceiro..

  • afonso200

    lembro que o fiat panda tem versao 2 cilindros , kkkkk no top ggear da BBC, os caras demoraram 10minutos para chegar a uns 130km/h

  • THM

    A eletrificação foi anunciada para a nova geração do Fiat 500, bem como o modelo derivado do conceito CentoiVenti que foi apresentaod no salão de Genebra

  • daRio

    è uma tristeza ver uma concessionária fiat aqui na Itália, praticamente não tem mais nada alem de panda e 500 e suas variantes

    • Se pra você é tristeza ver um 500x e Tipo na concessionária, parabéns. Nossa tristeza no Brasil é ver Mobi.

      • daRio

        Kkkk

        • 4lex5andro

          Países pobres (Portugal, países do leste) da Europa são muito acima, em termos de carros, do que o Brasil em seu melhor momento.

          E em se tratando de Itália, lógico que seu line-up está em outro patamar (esse atual Panda comparado ao Moby é uma espaçonave).

      • Edson Fernandes

        Mas o Panda e tao trista quanto o mobi viu.

        • Meu amigo, NENHUM carro europeu é tão triste quanto um Mobi.

        • daRio

          do panda vale a pena só o 4×4 que é um verdadeiro tanque, pelo menos as primeiras gerações, a ultima ficou civil demais para o meu gosto

    • Alberto Rigattoni

      É tipo um concessionária da Ford no Brasil então. Só tem Ka e Ecosport,

      • Marcos Paulo

        Pior que trabalho em uma e é só isso mesmo que sobrou kk

        • Alberto Rigattoni

          Lamentável mesmo, na prática ainda tem Ranger, Mustang e Fusion, este último tambem com dias contados, mas estes são de baixo volume, infelizmente.
          Torço para que a sua empresa consiga se manter, mesmo com o desleixo da marca para com seus concessionários.

  • RKK

    Cadê o “JEEP Panda 4×4” no Brasil ?

  • Zé Mundico

    Já rodei em vários Panda diesel locados na Hertz. A necessidade me obriga a isso, tentei até mudar para o Lancia Y, mas foi pior. Esse carro é ruim, se você for para o inferno, vá nele para ir se acostumando.

    • Dod

      O Lancia Y é pior que o Panda?

  • Emygdio Carlos

    Gostaria que essa mecânica híbrida viesse rapidamente para os veículos brasileiros.

  • 4lex5andro

    Tem uma revista 4R, de 1989, a do comparativo na capa entre Gol Gti e Kadett GS, com uma reportagem que já alertava que no ”novo milênio”, haveriam poucos grandes fabricantes (holdings/grupos) de carros no mundo.

    Hoje, excetuando as chinesas, de fato são uma dúzia destes: MB, Vag, Bmw, Ford, GM-Vauxhall, PSA, FCA, Mazda, Renault-Nissan-Mit, Toyota, Honda e Subaru.

  • Cromo

    O Panda tem certa proximidade com o protótipo Taigun da VW. Sempre achei q uma categoria de SUVs abaixo de Ecosport teria sucesso, acho q a VW pisou na casca de banana ao cancelar este projeto. Opinião de quem não gosta de SUVs.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email