Fiat Hatches Minivans Sedãs Segredos-Flagras

Fiat pode deixar de produzir os modelos Uno Vivace, Idea, Linea e Bravo

Depois da picape Toro, a Fiat prepara o lançamento do compacto Mobi no mercado nacional. No entanto, para a chegada dos novos modelos, a montadora italiana deve deixar de oferecer outros quatro carros no País. Segundo uma fonte ligada às concessionárias da marca, os modelos Uno Vivace, Idea, Linea e Bravo deverão deixar a linha de produção em breve, ainda neste ano de 2016.

No caso do Fiat Uno Vivace, assim como o Palio Fire, vai dar lugar ao Mobi, com preço na casa dos R$ 30 mil. Já o monovolume e o hatch e sedã médios devem ser descontinuados devido as baixas vendas.


O Idea teve 687 unidades emplacadas no acumulado de 2016, abaixo do rival Citroën Aircross, por exemplo, que vendeu 890 exemplares nos dois primeiros meses do ano. E esse número registrado pelo modelo da Fiat deve cair ainda mais, visto o crescimento dos crossovers compactos no mercado.

Já o Fiat Linea deve sair da linha por demonstrar fortes sinais de cansaço, mesmo após ter sofrido sua primeira reestilização. O sedã já soma oito anos de mercado e neste ano conseguiu somar 449 unidades, ficando na 11ª posição no ranking do segmento de sedãs médios.

O Bravo, por fim, sofre o mesmo mal do Linea, mas sua situação ainda é um pouco pior. Foram 401 exemplares vendidos em janeiro e fevereiro, ficando com a sexta colocação no ranking da categoria.


Caso o Idea seja realmente descontinuado, a Fiat deve ficar sem um representante para o segmento. Já o Linea e o Bravo devem ser substituídos pelos novos Tipo sedã e hatch, apresentados recentemente lá fora, que podem chegar por aqui com produção na Argentina ou até mesmo em Goiana (PE), já que os novos modelos dividem plataforma com a Toro e o Jeep Renegade.

[Fonte: Quatro Rodas]

Fiat pode deixar de produzir os modelos Uno Vivace, Idea, Linea e Bravo
Este texto lhe foi útil??

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email