*Destaque Fiat Pickups Veículos Comerciais

Fiat prepara nova geração da picape Strada

fiat-strada-2017-5 Fiat prepara nova geração da picape Strada

Após o Cronos, a Fiat prepara mais um lançamento importante para o mercado brasileiro, a sucessora da picape Strada. O novo produto será um desenvolvimento que aproveitará elementos da plataforma original 178, que deu origem ao modelo e também ao Palio, que se despede oficialmente após 21 anos de mercado, bem como da 327, que originou recentemente os modelos Uno e Mobi. O lançamento está previsto para meados de 2019.



Essa sinergia entre as bases será fundamental para o projeto da nova picape, que aproveitará parte da base atual e parte da plataforma mais recente. Essa mescla deve reduzir custos de produção e especialmente em desenvolvimento. A Nova Strada 2019 deverá conviver com a atual, que será aos poucos canibalizada para dar lugar à mais recente.

Assim como o modelo atual, a Nova Strada 2019 deverá chegar com cabines simples ou dupla, bem como boa capacidade de carga e provavelmente com a suspensão traseira por eixo rígido e molas semielípticas, que tem custo menor e maior resistência para o dia a dia. Líder do segmento de comerciais leves, embora sob pressão da Fiat Toro, a picape leve da Fiat envelheceu muito nessas mais de duas décadas de mercado.

Ainda assim, ela é a mais preferida no segmento, que ainda tem a Saveiro sempre próxima e a Montana, mais distante e sem condições de fazer a diferença numa disputa de mercado. Para chamar a atenção, a Nova Strada 2019 deve empregar um estilo frontal inspirado no Argo, enquanto a traseira terá também elementos da Fiorino. A mistura de estilos deve fazer surgir um modelo bem individual, mas como todo Fiat, bem apelativo em termos visuais.

Na Nova Strada 2019, as longarinas da dianteira deverão ser as mesmas do Argo, a fim de resistir mais aos impactos frontais e obter uma classificação melhor no Latin NCAP. Já assoalho e outros componentes serão da Fiorino. Estima-se que a picape terá mais que os 4,47 m atuais da Strada, bem como um entre-eixos mais generoso que o presente, que tem 2,75 m. Na mecânica, o motor 1,3 Firefly de até 109 cv estaria garantido, assim como uma inédita versão automatizada GSR-Comfort.

Já a motorização 1.8 E.torQ Evo de até 139 cv e uma eventual opção automática de seis marchas ainda não teriam sido confirmadas internamente, mas a possibilidade de serem ofertadas é grande. No entanto, a Fiat tem projeto para introdução de turbo e injeção direta de combustível, além de cabeçote com quatro válvulas por cilindro e comandos variáveis, para os motores Firefly 1.0 e 1.3. O fato foi mencionado pela engenharia da marca no lançamento dos motores.

Se o caminho for esse, de usar pelo menos o Firefly Turbo com algo próximo do desempenho do motor 1.8, então a rival Saveiro deve ir pelo mesmo caminho, mas provavelmente em nova geração e com o EA211 1.0 TSI dotado de Tiptronic, além de cabine dupla. A única questão é o preço, visto que na Fiat existe a Toro e na Volkswagen haverá uma equivalente a esta.

[Fonte: Diário de Pernambuco]

Agradecimentos ao Vinícius.

  • Bruno Silva

    Mesma plataforma velha misturada com a base do Mobi que tirou 1 estrela. Era melhor remendar essa aí de novo.

    • dor53

      Na Nova Strada 2019, as longarinas da dianteira deverão ser as mesmas do
      Argo, a fim de resistir mais aos impactos frontais e obter uma
      classificação melhor no Latin NCAP

      • Flight_Falcon

        E qual a pontuação do Argo mesmo? Tem “argo” estranho nascendo ai…

        • dor53

          vc precisa pesquisar um pouco mais.
          não foi testado ainda

          • Flight_Falcon

            Estava em ironic mode

    • G.Alonso

      O negócio é fazer uma nova geração mantendo as qualidades da atual. Trabalho em um posto de molas e o mais difícil é aparecer esses carros com molas quebradas, desde Strada, Fiorino, Doblò e Uno. Aproveitar essa resistência para o trabalho pesado é uma boa para a marca e para quem precisa da picapinha para o trabalho pesado (tem quem coloque mais de 1 tonelada nas Strada’s), além de manter a manutenção da nova tão baixa quanto a atual.

      • Vitor Barcellos

        Isso é verdade. Se tem uma coisa que a Strada é boa, é o trabalho pesado

        • Luciano RC

          Por isso ela dominou o mercado. Com certeza vai continuar vendendo bem e pode aumentar a distancia da Saveiro.

      • Rbs

        Excelente comentário!!

      • fredggp .

        Concordo com seu comentário, mas discordo de um ponto: esse negócio de aguentar mais de uma tonelada. A estrutura dessas picapinhas de um modo geral até pode aguentar eventualmente, mas o limite de carga de fábrica de setecentos e poucos kilos leva em conta também outros fatores, como sistema de frenagem, a capacidade do motor vencer um aclive com esta carga sem forçar tanto a transmissão, etc. Agora, de fato, o sistema de molas elípticas são mais resistentes e de manutenção mais em conta.

        • th!nk.t4nk

          No interiorzão o pessoal abusa dessas picapinhas. É por isso que a Strada vende tanto, porque é a que aguenta melhor os abusos. Mas concordo plenamente quanto ao compromisso com a segurança. O duro é exigir isso das pessoas em países pobres como Brasil, Índia, etc. Cada um se vira como pode.

  • Vinícius

    Porque não fazer sob a plataforma do Argo e Cronos?

    • Tosca16

      Ou é muito boa e por isso não usarão. Ou é muito ruim e pelo mesmo motivo não utilizarão kkkk.

    • Railson Corrêa

      Acredito que o motivo seja custo; ela tem obrigação de ser barata para frotistas.

    • Emanuel Schott

      Porque é muito caro adaptar a suspensão traseira da atual Strada nessa plataforma. Isso faria o carro ficar com preço de Toro.

    • Debraido

      Por que investir muito num segmento que você já domina e só tem 1 concorrente de peso? A Montana eu nem considero.
      Essa é a resposta.

    • Filipo

      A plataforma de Argo e Cronos utiliza a seção dianteira da plataforma 178. Como tal plataforma não é modular, não será possível utilizar a mesma desses dois, pois a destes é maior. Portanto, vai ser outra derivação. E pelo visto, para atender as novas normas de segurança e impacto do LatinNCap, deve ser a pick-up mais pesada do segmento, assim como acontece com o Argo. Nada de monobloco com materiais modernos.

  • Pedro Henrique

    frankstein

    • Mario

      Porém boa pra chuchu!

  • Maycon Farias

    Base antiga + Base nova + Design dianteiro inspirado no Argo + assoalho componentes do Fiorino + Longarina de Argo. Nunca duvidei da durabilidade para fins de trabalho e carga da Strada, mas esse projeto do modelo novo parece um filme de terror! Espero que seja seguro pelo menos.

  • Tosca16

    No passado já tivemos, hoje eu sei que o custo seria elevadíssimo mas a FIAT como é “pioneira” aqui, mesmo que não fosse nesse caso, poderia lançar uma versão 4X4; acho que teria um nicho de mercado especialmente para zonas rurais. Agora ia passar fácil dos 100 mil temers kkkk.

    • leandro

      No passado já tivemos se refere apenas a pampa 4×4 né?
      Aquela que a Ford Brasil fez a lambança de não sincronizar o diferencial traseiro com o dianteiro e quando vc engrenava o 4×4 um dos dois ia pro espaço quando ela andava.

      A Fiat tem solução mais elegante pronta (o panda 4×4, que no caso seria o nosso uno) e nunca quis trazer

      • Tosca16

        Sim, e faria bastante sucesso uma Strada 4×4; imagino uma versão acima da Adventure Locker…

        • Raimundo A.

          Tem mídia relatando que essa nova geração perderá a versão Adventure. Outra, seria literalmente um nicho a oferta da tração 4×4 e se venderia muito pouco, não ofertam.

          • Tosca16

            Depende muito do preço, pra produtor rural vende; mas preferencialmente cabine simples, maior caçamba.

          • Tosca16

            Outra que forças policiais, corpo de bombeiros e etc poderia se utilizar desta versão; ambulâncias para áreas de difícil acesso…

        • Edson Fernandes

          Duvido. Com proximidade de preço a Toro é mais negocio. E valendo dizer que a Toro por R$103000 não deveria nada a Strada, o pessoal iria preferir a toro R$100000 (103000 como eu disse).

          A não ser que a Strada fosse mlhor equipada, mas a Toro diesel ainda é mais negocio pelo motor. Eu duvido que terá versão adventure, quem dirá uma 4×4…rs

          • Tosca16

            Esse é o único ponto crucial, preço; viabilidade teria, mas preço é o ponto fundamental. E a opção manteria-se Flex, sendo “barata” frente as diesel com mesma tração.

    • Debraido

      Acho que 4×4 é dispensável. Seria interessante uma 1.6 multijet com capacidade de 1ton. Seria sucesso garantido. Picape para trabalho mesmo e com economia.

  • zeh

    …Argo, Cronos e Frankenstein….chamado de sinergia entre as bases…kkk

  • Fernando Bento Chaves Santana

    Será algo mais simples: Um Fiorino sem baú com desenho atualizado e eixo traseiro “ômega” da Strada. Pode ser um pouco maior, uns 10cm, para propiciar uma cabine dupla com mais espaço interno e quatro portas tradicionais.

    • Vitor Barcellos

      Sim, já que a parte traseira da Fiorino é a mesma da Strada, ambas do projeto 178

  • Ricardo Blume

    Será que a velha Strada não merece um chassi totalmente novo? Maior robustez, leveza e resistência são sempre bem vindos. Talvez esteja errado, mas eu não acredito em um Firefly Turbo para a Strada, pois isso a tornaria “sport” demais encarecendo ainda mais o modelo (os 80k pela topo de linha já estão surreais demais).

    • ViniciusVS

      Carro de trabalho tem que ser o mais padaria possível…

      8v com peças baratas, fácil de dar manutenção e com pouca eletrônica… Não é um veículo de passeio e sim uma ferramenta e cada centavo no CxB conta…

      • Ricardo Blume

        Concordo com você. Carro para colocar nas mãos de peão não precisa de luxo por que vai para o pau do dia-a-dia até virar sucata mesmo, mas tudo tem limites ou ainda estaríamos andando de Kombi (que tinha seu méritos, claro) que deixava muito a desejar em consumo, emissão, nível de ruído e segurança.

        • Mario

          Concordo com os dois. A Strada tem que continuar sendo forte e resistente, para encarar as estradinhas de terra desse brasilzão! Também acho que o turbo não é uma boa opção.

        • mjprio

          Nao vamos esquecer a Jumpy com um belo motor 1.6HDI e capacidade de carga excelente a 80 mil!!!!

      • Vitor C

        O problema é que hoje a estrada não atende apenas esse público, vide as versões que passam dos 80 mil e vendem como a adventure, que tem outro público. Esse público tende a subir para a toro mas não é tão simples.
        Creio que a melhor solução é sim investir em variações do mesmo produto, versões mais para trabalho e versões mais sofisticadas.

        • ViniciusVS

          Exatamente.

        • Thiago Miotto

          Mas acho que depois da Toro as vendas dessa versão despencaram. Soube de gente que comprou Aventure de 3 portas com 10 mil de desconto do preço de tabela.

      • Edson Fernandes

        Lembrando que ela já teve o motor 1.6 16v e usa até hoje opção do 1.8 16v.

        • ViniciusVS

          Sim, a linha Adventure é mais para quem gosta do carro e quer como veículo de passeio, para o trabalho mesmo a versão que mais vende é com o 1.4 Fire

  • Alvaro Guatura

    Nossa, precisa ainda arrastar até 2019, e lá conviver com a geração atual?
    Já está tudo pronto mesmo

  • afonso200

    bota AT de verdadee

  • Guilherme Camargo

    Slogan de lançamento sera: “Ele vive!!!!” kkkkk

  • George

    Mas já? Tão cedo gente!

    • Robinho

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Luconces

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Raimundo A.

    Alguns falam na adaptação da plataforma Mobi/Uno e outros, apenas a parte frontal do Argo mais reforços na carroceria para obter nível de segurança maior. A outra metade da plataforma seria do Fiorino.

    Não terá cabine dupla com quatro portas, pois quem precisar disso que migre para o Toro. Há quem aposte no crescimento da cabine e entre-eixos, mas outros apenas na largura da cabine mantendo entre-eixos. Precisa de mais espaço interno, novamente, salte para o Toro.

    A mecânica num patamar superior é uma incógnita, pois a FCA ofertando Firefly Turbo, um 1.0 T seria suficiente para rivalizar com a Saveiro que usa o MSI em versões mais caras. Aí, dependeria numa nova geração da citada vir a ter o 1.0 TSI.

    Com o 1.0 T, tem que estime ganhar a opção do AT6, acho também, e assim poderiam descartar o 1.8 na Strada. Não entregaria a mesma potência, mas o torque seria similar e o consumo melhor. Tendo o AT6, melhor ainda.

    • Fernando Bento Chaves Santana

      Penso que só teremos motores Firefly Turbo se o Etorq 1.8 for aposentado, pois este último foi um projeto que saiu relativamente barato para a FCA e é um verdadeiro coringa para o fabricante

      Acho que a Strada continuará a oferecer uma versão com cabine dupla pois esta continua a obter boas vendas, mesmo com a chegada da Toro, graças a versão Working 1.4.

      Dizem que nova cabine será derivada do Mobi e por isto o modelo poderá contar com terá quatro portas tradicionais e não três. Lembrando que já há um precedente: Toro e Compass compartilham as mesmas estruturas das quatro portas, muda apenas a estampa externa. Acho o modelo não poderá crescer para além de 4,6m para continuar adequado ao trânsito urbano. Além disto uma nova Strada cabine dupla com um pouco mais de espaço interno poderá eliminar a Toro 1.8 e empurrar as demais versões para cima, para preços pareados com os do Compass.

      Se realmente a picape crescer cerca de 10cm, tanto no entre-eixos quanto no comprimento, talvez a cabine estendida seja extinta, ja que esta é a versão menos vendida do modelo. Para tanto bastará que a nova cabine simples ofereça mais espaço interno que a atual versão. E para não deixar insatisfeitos aqueles que buscam na cabine estendida espaço fechado para guardar objetos com segurança a FIAT poderia oferecer como opcional as excelentes RAMBox.

      Outra inovação que a FIAT poderia introduzir no mercado seria uma Strada em versão plataforma-cabine para ocupar o nicho de mercado aberto pelos frágeis, porém versáteis, mini-VUC asiáticos. Este versão atenderia aqueles que precisam de implementos muito específicos, tais como caçamba de madeira, baú de alumínio, baú-frigorífico, food-trucks. Seria uma alternativa viável e confiável aos caminhõezinhos chineses.

  • Mauro Moraes

    Um dos carros de maior sucesso da indústria brasileira, já é quase uma marca dentro da Fiat. Se defasada como está, ainda é líder. Acredito que qualquer mudança será bem vinda. Continuará imbatível.

  • Ricardo

    Pior que venderá aos montes!

  • Legacy_EJ20

    FrankStrada! Mas pode falar o que for… pra quem usa o carro pra trabalho não tem jeito. Nem saveiro nem montana tem a manutenção tão barata e baixa desvalorização de mercado.

    • Ricardo

      A Montana se desmonta em 1 ano de trabalho.

  • Brasil_MG

    FIAT tá virando especialista em REMENDOS.

    • Rngd1.0

      antigamente a Fiat era mais inovadora.

    • Luconces

      Logo logo vem o Rafael Tardelle falar que remendo é Polo, fica vendo…

      • Brasil_MG

        kkkkkkkkkk

        • Luconces

          Te marco se ele responder para mim kkkk

  • REDDINGTON

    Guerreira…aguenta o trabalho.

  • Mario

    Fenômeno da indústria automobilística brasileira! Podem falar o que quiserem, mas a ‘velhinha’ é pau para toda obra! Não adianta vir com mi-mi-mi, ainda assim dá conta do recado!
    Sobre a utilização de motores turbo, não considero uma boa, pois as condições de uso desta picape são severas e empoeiradas, onde encontrar um mecânico é coisa rara. Tem que ser forte e resistente. O turbo, deixa para as picapes de asfalto.

    • Mario

      Câmbio automatizado ou automático, também não precisa.

    • Fernando Bento Chaves Santana

      Não acho que a manutenção seria problemática ou pouco acessível pois as picapes turbodiesel são padrão e já rodam pelo interiorzão há mais de 25 anos. Assim existe mão-de-obra familiarizada com o equipamento. Mas a turbina poderia tornar a manutenção mais complexa e cara e por tanto desnecessáriárai, pois as picapes pequenas, a parte usos abusivos, levam cargas leves, demandam pouca potência e prezam pela simplicidade e agilidade.

    • Robert

      Strada é strada né! Guenta trampo, não é pick up de boyzinho igual temos uma por aí…rsrsrs

  • Eng Turbo

    A Strada seria uma variante do Argos, o famoso projeto X6P, porém ele foi engavetado….na sequencia apareceu o novo projeto MLA que………foi engavetado e agora vão extrair alguma coisa da plataforma 178 dos anos 90. Realmente fica difícil tentar defender a Fiat.

    • Vitor Barcellos

      Mas só a caçamba será da plataforma 178, que é a mesma utilizada na atual Fiorino

    • Debraido

      Acho que guardaram os 2 na mesma gaveta, quando foram retirar saiu isso ai da matéria. kkk

  • Esquilo Tranquilo

    Vai se chamar Fiat Rodovia?

  • Filipo

    Eita povo maltratado o brasileiro! Vai continuar com um veículo derivado de um de 1996. Mas como o brasileiro gosta de uma carniça, se merecem!

    • CanalhaRS

      Acho que a Fiat é marca que mais enrola o brasileiro. Só dá um tapa no visual de seus carros e mantém motores e plataformas por décadas…impressionante. Se ainda fossem mais baratos que a concorrência, poderia se aceitar, mas são até mais caros, dependendo do caso.

  • Alisson Bona

    levando consideração ser FIAT, vai lançar com os motores atuais, e depois de 1 ano muda para o turbo

  • Gurgelando

    Frankstrada?

  • Vitor C

    Porque a Fiat não desenvolve logo uma plataforma modular (não sei se a 326 é) e para de ficar fazendo 1000 remendos tem plataforma de mais de 20 anos ?

    • Luconces

      Remendo?

      Logo logo aparece alguém aqui falando do Polo, quer valer? kkk

  • yurieu

    A sucessora da Strada chama-se Toro. Baixem esse preço aí, FCA.

  • Luis Burro

    Acho q as medidas já estão boas.O q tlvz deveriam fazer é deixala mais parruda,proxima da Oroch.
    Incrível ela vender tanto,quase não vejo por aqui.Tem mais saveiro,mas o q mais tem é media.

  • Luis Burro

    Mas remendar plataformas com engenharia diferentes não compromete a rigidez torcional?

  • Schack Bauer

    #demorou

  • Edson Fernandes

    Espero que a Fiat possa fazer o interiro dela baseado no Argo.

    Se fizer isso, a chance de sucesso é gigantesca. E o motor 1.3 será um alento perante o 1.4. Agora, se descontinuar o motor 1.8 nela, estará dando um tiro no pé. Tem até hoje, que continue!

    Esse motor na Strada vai levar bem além de agregar com uma inedita opção automatica. Consumidores não rejeitariam tal produto no preço certo.

  • pedro

    Eu penso que a Fiat não precisaria desenvolver uma nova Strada. Bastaria tirar o baú da Fiorino. Talbez utilizando um design mais novo, ao invés daquele do Uno.

  • Ubiratã Muniz Silva

    pega o Fiorino, arranca o baú e chama de City. Pronto, temos a nova picape da Fiat.

    edit: lembrando do velho 147 City, esqueci que já existe no mercado hoje o Honda City.. Mas ainda assim, a melhor receita seria aproveitar o Fiorino. Deixa até com frente de Uno, pelo menos num carro direcionado a uso comercial.

  • MARCELO

    Dinostrada, essa pick up é pre-histórica!!!!

  • Guimasi

    Mais preferida????????

  • Bruno@BRN.CS

    Não tinha subido no telhado?

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend