Europa Fiat Hatches India Mercado

Fiat Primo? Este pode ser o nome do sucessor do Punto na Europa

fiat-argo-2018-28 Fiat Primo? Este pode ser o nome do sucessor do Punto na Europa

Recentemente, os rumores sobre a volta do Fiat Punto ao mercado europeu ganharam mais força. Fontes internas da FCA teriam comentado que o novo hatch compacto será anunciado em novembro e com vendas no começo de 2018. O que se fala é que o modelo terá estilo influenciado pelo Argo, mas terá outras características relacionadas com o irmão maior, o Tipo.



Lançado em 2005, a terceira geração do Punto (Grande Punto na Europa) não sobreviveu à chegada do Argo no Brasil, assim como o Palio mais recente, unificados pela proposta da novidade. Na Europa, o processo será apenas de substituição do modelo antigo, visto que o Tipo está posicionado mais acima e tem porte médio, apesar do uso de plataforma compacta.

Abaixo, a Fiat tem apenas o Panda, que tem o tamanho entre Mobi e Uno. Ou seja, falta algo em torno de 4 metros na gama europeia. Se diz também que a plataforma poderia ser a do próprio Argo, mas atualizada para atender aos padrões de segurança da Europa. Em relação ao nome, Primo seria a escolha da marca para o novo produto, segundo o site International Business Times.

fiat-tipo-sw-6 Fiat Primo? Este pode ser o nome do sucessor do Punto na Europa

O site indiano também fala sobre a mistura de estilos de Argo e Tipo no esperado Fiat Primo, que é de especial importância para o mercado local. O interessante nesse caso nem seria mesmo o visual e nome do produto, mas o seu tamanho. Como se sabe, o Punto mede 4,06 m e tecnicamente está fora da zona de incentivos fiscais do governo da Índia, feito apenas para carros com até 4,00 metros. E quanto mede o Argo? No Brasil, ele mede exatos 4,00 m.

O tamanho é sugestivo e poderia indicar realmente o uso da plataforma brasileira no modelo europeu – como divulgado pelo site alemão Auto Bild – e especialmente na Índia. Como comparação, o projeto do Honda WR-V levou o tamanho em consideração para assim poder ser vendido também naquele país, onde mede 3,99 m ante os 4,00 m da versão brasileira. Além disso, as vantagens em termos de custos e logística seriam enormes, o que é muito importante na Índia, bem sensível aos preços.

Como já falamos recentemente, já se fala até em um SUV baseado no Jeep Compass e com estilo inspirado no Argo. Ou seja, a influência do estilo deste hatch feito em Betim já é forte no cenário europeu e indiano. Não seria surpresa se o Fiat Primo, seja no velho continente ou no país das monções, for em realidade um Argo atualizado. Nesse caso, o Cronos poderia seguir da Argentina para a Índia, substituindo o Linea.

Na mecânica, o modelo poderia levar o propulsor GSE, cuja designação indica uma atuação mais ampla do que o cenário sul-americano. Nesse caso, ao invés de 1.0 de três cilindros, um 1.2 16V com algo em torno de 90 cv faria mais sentido nesses dois mercados, assim como um 1.3 16V de até 120 cv, alternativa ao 1.4 MultiAir Turbo na Índia. O TwinAir Turbo 0.9 também poderia ser usado. Diesel? Multijet 1.3 e 1.6, variando de 95 cv a 120 cv. O automatizado GSR e o automático Aisin de seis marchas também seriam opções.

[Fonte: International Business Times/Auto Bild/Indav Design]

  • Verdades sobre o mercado

    Sem desmerecer o Argo, mas obviamente que se tivesse padrão para atender o mercado europeu era ele que seria lançado por lá. Não tem como negar, Polo é superior em conjunto como já comprovado pelos diversos órgãos da imprensa especializada.

    • Renato Duarte

      A plataforma do Argo serve para o mercado europeu, levando em conta que a Fiat o projetou para conquistar 4 estrelas no Latin NCAP,, agora a casca… Provavelmente será um carro inédito usando a mesma plataforma, porém preparado para os testes do Euro NCAP

      • GTIke (GTIke)

        Não quero nem imaginar o peso dessa bagaça. O Argo já tem peso de Golf TSi mesmo sendo um projeto que muito provavelmente não vai tirar nota máxima no Latin n Cap. Imagina a versão européia que teria que vir com reforços. Vai pesar 1.500kg haha

      • Raimundo A.

        Não é tão simples, meu caro. O veículo ainda não foi avaliado, então a Fiat dizer que foi pensado para quatro estrelas e essa nota não ter sido confirmada é prematuro. O produto poderia tirar essa nota e ter várias ponderações.

        Já foi dito que a carroceria do veículo tem peças com aços de várias resistências assim como a plataforma, e não é leve. É herança do projeto ao meu ver a plataforma ser pesada, pois a B-Wide como a do Argo partiram da mesma plataforma para época mais flexível feita por GM e Fiat. A B-Wide está num patamar superior de construção e segurança, mas não é leve como disse.

        Que a base do Argo pode ser vendida na Europa não tenho dúvidas, mas aí sem saber a sua avaliação, não adianta a carroceria mais reforçada, porque muito depende da plataforma, e a Fiat com ela tenderia a se limitar numa avaliação de segurança na Europa.

        Nesse ponto, teríamos que nos perguntar se um sucessor para o Punto teria que garantir o mesmo nível de excelência em segurança que a concorrência ou ser um produto tipo Sandero por lá cuja Renault/Dacia claramente dizem que o veículo pode melhorar, crescer, mas haveria limitação que seria a segurança não atender a níveis mais altos porque isso é caro?

        A B-Wide, usada pelo 500L, 500X, Jeeps, Toro, Tipos, pode ser mais útil num sucessor do Punto porque já está pronta e com ampla gama de veículos usando, custos menores, que investir num melhoramento da plataforma do Argo. Basta ver que os Tipos são pouco mais caros que o Punto ainda vendido por lá mesmo sendo maiores e com plataforma moderna.

        Não vejo porque na Europa desenvolver uma base nova para tal produto. Que façam como a Renault/Nissan usando plataformas que são versões modernas de outras permitindo uma certa compatibilidade. Se o mesmo veículo seria vendido na Europa e na Índia, usem plataformas diferentes, mas compatíveis. A com menor custo e nível de segurança iria para a Índia.

        • GTIke (GTIke)

          De qualquer maneira, não tem justificativa nenhuma pra Fiat ter um carro compacto tão pesado assim, quando existem montadoras que conseguem um alto nível de rigidez, conforto e segurança em plataformas levíssimas (MQB por exemplo). É falta de desenvolvimento da Fiat. Porque possível fazer, a gente sabe que é.

          Golf que é um carro de 2013 pesa 1.230kg na versão 1.4 TSI. Tem Peugeots modernos (Tipo o Novo 308 Europeu – Não o nosso requentado) que também pesam seus 1.200kg. O Civic 2.0 CVT pesa ~1.280kg e é absurdamente maior que o Argo. Não tem justificativa plausível pra um carro desses pesar 1.243kg, ou Renegade pesando 1400kg (Mesmo sendo minúsculo, um caixote) quando o próprio HR-V pesa 1.276kg (E dá um esculacho em espaço interno e porta-malas)…A Fiat precisa se modernizar.

      • Filipo

        Sabe porque não serve? Pois carece de eficiência! Não é tão moderna, visto que deriva da antiga plataforma que a Fiat usa desde o “old” Palio. Para conseguirem um nível de segurança elevado (mas isso ainda não foi comprovado), tiveram que fazer muitos reforços na plataforma, que não foi desenvolvida do 0, com o uso de novas tecnologias. A consequência disso foi o peso elevado do Argo.
        Vale lembrar que a plataforma utilizada aqui para o Punto era totalmente diferente da utilizada no Punto (Grande Punto) europeu.
        O consumidor e principalmente as Leis do velho mundo (europa) são mais exigentes.
        Fiat nacional aqui, me desculpe, é “basura”, como dizem os argentinos.

    • Lauro Agrizzi

      Isso, o Polo brasileiro é exportado para a Europa por causa disso.Também não conhecia esse “Diversos órgãos da imprensa especializada.” Ganhou quanto para postar essa asneira?

      • Verdades sobre o mercado

        1) o Polo brasileiro na sua essência é o mesmo Polo europeu, só não temos todas as tecnologias disponíveis na Europa e nos modelos mais caros alguns detalhes de acabamento por uma questão de adequação ao mercado consumidor brasileiro(menor poder aquisitivo).
        2) me equivoquei não são órgãos de imprensa e sim veículos da imprensa. Já editado
        3) da uma olhada na quantidade de pessoas que concordam com meu comentário.

    • Joel Oliveira

      Realmente, se a FIAT nao leva o projeto original por inteiro para lá é porque sabe que o modelo brasileiro é inferior. Ponto positivo para o POLO mesmo.

  • Mauro Moraes

    Pode até ser o Argo, mas com outro nome, mudanças na estrutura e, principalmente, detalhes estéticos internos e externos. Como a dupla Uno X Panda. Vale lembrar que o gosto do europeu é diferente do brasileiro. Os europeus são mais conservadores, enquanto aqui preferem mais ousadia, um carro mais invocado.

    • Raimundo A.

      Argo com outro nome, estrutura, etc, não é o Argo, é outra coisa. No mínimo, o nome tinha que ser mantido, a exemplo do Captur nosso, derivado do Duster, que é totalmente diferente do Captur do Clio em nível de construção, plataforma, e no design, há algumas diferenças para não divergir tanto.

  • Henrique

    Tenho o meu a 4 anos, o carro esta com quase 40 mil km. Me da o mesmo prazer e conforte ate hoje, como se ainda fosse um 0 Km. O Argo a meu ver e um carro apenas atualizado tecnologicamente em relação ao Punto, quando atualizado me refiro se apenas a conectividade. Como carro, dirigibilidade, estabilidade, prazer em dirigir, segurança, 10 a 0 pro Punto. So que tem um sabe o que estou dizendo. Que venha próxima geração, o verdadeiro Punto e não esse remendado de Palio e Punto. Alias que pena que o Tipo não veio pra cá também. A FIAT errou e espero que corrija rapidamente seu erro.

    • Retrato do Papai

      punto dá de 10 a 0 no argo em segurança? tá de brincanagem HUEHUEHUE

      esse punto morreu e nunca viu controle de estabilidade, controle de tração, airbags laterais, isofix, entre outras coisas que o argo tem… além disso, o argo tem maior resistência à torção, o que indica melhor segurança nas colisões e desempenho em curvas… só para efeito de comparação, o punto tem rigidez torcional inferior ao fox e golf 4 (1997)…

      o punto foi um carro interessante, ano passado quase peguei um essence 2014 (não o fiz por conta do letárgico motor etorq 1.6), mas também não é isso tudo…

      • Edson Fernandes

        Como não? O Punto podia receber 6 air bags(era um pacote opcional) e esse Argo apenas 4. Será mesmo que ele ganhou tanta resistencia assim? PS: Eu prefiro um T-Jet com tal opcional a um Argo HGT.

        • Retrato do Papai

          É verdade, alguns anos atrás ele podia ter os airbags laterais e de cortina, nesse ponto ele ganha do argo que possui apenas os laterais, obrigado pela correção… A fiat afirmou que ele ganhou alguns % a mais em resistência torcional em relação ao punto, talvez por isso eles digam que o crash test terá bom resultado (não deve ter a resistência do novo polo, mas é interessante um carro com preço de zeronix com esse atributo)… No seu comparativo eu ficaria com o argo por conta da modernidade, manutenção mais tranquila (esse tjet tem muitos problemas de trinca na carcaça quente do turbo e outras coisas crônicas), e ser flex (o tjet deve sofrer com nossa alcoolina)… Mas tenho que admitir que visualmente o punto é mais harmônico… OBS: o argo hgt foi recentemente testado pelo acelerados e ficou mais ou menos 1 segundo atrás do punto tjet, nada mal…

          • Edson Fernandes

            Nada mal mesmo. No caso do Punto e os problemas dele, realmente existem. O do turbo é dureza. Mas penso que nisso a Fiat poderia atualizar também. Eles ficaram desatualizados e cobravam muito pelo Punto.

            Ele totalmente completo iria para mais de R$90000! Em epoca que os concorrentes diretos custavam em sua versão de topo até R$70000. O 208 quando veio quebrou essa barreira e chutou o balde com o 208 GT, mas esse facilmnete encontrado abaixo de R$80000. Já o Argo utilizou tudo de prateleira e não ao meu ver fez o que deveria para justificar o preço dele.

  • Marcus Vinicius

    Vai ser o Primo do Tipo na europa só se for !

  • leandro

    Essa história de 4m na Índia tá é fuds com a gente aqui

  • Mardem

    Influência de estilo do Argo na linha européia?
    FAÇA-ME O FAVOR!
    O Argo se baseia mal e porcamente no Tipo e se perde no estilo ao agregar traços que remetem ao design dos (já cansados) concorrentes, ficando, de maneira geral, muito genérico e datado, mesmo sendo recém lançado.
    Para esse Punto/Primo, devemos esperar a evolução do design visto no Tipo! Esse sim, o alicerce da linha racional da Fiat, que deveria ter inspirado mais o estilo do brasileiro Argo.

    • Mauro Moraes

      Se o Argo já nasce cansado, o que dizer do Novo Polo? Fruto de um conceito no mercado ha mais de 10 anos, apenas “atualiza” o estilo do irmão Gol. Mais parece uma reestilização. Este sim, em matéria de design, nada inova nem dentro da própria linha da VW, imaginem diante dos concorrentes.

      • Luconces

        Falar que o Polo não inova na linha é deixar claro que você não entende de Design…

        O Argo sofre do mesmo mal da Hyundai de 5 anos atrás com a linha Fluidic Sculpture.

        Fiat quer inovar com curvas, formas exageradas e elásticas. Funciona tão bem que o Elantra de 2017 não carrega nada das curvas e exageros do Elantra de 2012.

      • Edson Fernandes

        Só um parenteses: Foi o Gol que recebeu o desenho do Polo e não o inverso.

      • th!nk.t4nk

        Até acho o Polo meio sem-sal, mas feio não é. O carrinho é todo harmônico, feito pra envelhecer devagar. Já o Argo é o oposto. Desarmônico, e em pouco tempo vai parecer super envelhecido. Já vimos isso ocorrer inúmeras vezes.

    • Raimundo A.

      Cara, você já viu um Alfa Giulietta? Se não viu, então veja. O Argo usa a identidade visual nova que o faz lembrar o Tipo, mas antes veio o Mobi, daí brincarem parecer um Mobão de frente. A VW é especialista nisso. Já a lateral e traseiro vejo muito do Guilietta.

      Claro, tendo veículos que tem estilo de lanterna similar, vincos nas laterais, o Argo parece genérico, mas isso não quer dizer que copiou a concorrência no design. Se for nessa linha, então a Porsche recorreu ao Dodge Dart nos novos veículos que estão usando lanternas que vão de ponta a ponta ligadas.

      • Filipo

        Olha, de traseira, por conta da lanterna, o Argo pode até lembrar o Giulietta, mas de perfil (lateral) não há nada de Giulietta. De perfil mais parece um HB20!
        De frente o Argo se parece com o Mobi, de perfil com o HB20 e de traseira com o Ka. Com lanternas inspiradas no Giulietta. Uma salada só! Carece de identidade visual e como é uma mistura de desenhos, carece também de personalidade. Sem falar que o desenho tende a cansar mais rápido. Essa é a minha avaliação.

        • Raimundo A.

          O HB20 veio inovador, com personalidade, mas vez ou outra leio comentários sobre as formas dele cansarem rápido. Parecer muito ou pouco com outros para quem é bom observador, tem a sensação que você disse e eu também noto, mas aí entramos naquela situação que ter boa percepção permite ver coisas similares em concorrentes e esquecer o que tem na própria marca.

          Conheço pessoas que não sabem diferenciar um Celta de um Corsa. Mais ainda, confundem Hyundai com Honda, e por aí vai.

          O Toro quando foi lançado, vários citaram a cara do Cherokee, mas antes na mesma época, o Jeep e o Citroen C4 Picasso vieram com proposta de design frontal parecida, que já remete a veículos mais antigos, Doblò primeira geração e mais antigo ainda, aqui, tivemos a Silverado.

          O Kona da Hyundai vem com o mesmo estilo de frente do Toro, dos novos Citroen, etc. Quebrando a cuca, invoco o que é tendência de estilo, que pode ser adotado em vários veículos de diferentes marcas. Não quer dizer que será sempre igual, mas a ideia base é usada. Aquele que explora mais ou menos, a depender do projeto, poderá ter resultado final bom ou ruim quanto a personalidade ,mas, novamente, dependerá da percepção das pessoas.

          Os seus argumentos não estão errados sobre a sua queixa, mas outros, com certeza, vão discordar.

          • Edson Fernandes

            Se o HB20 cansasse rapido as pessoas deixariam de comprar ele, coisa que ao ver o mercado não é bem realidade.

        • Luconces

          Argo é a maior salada.

          Se você pensar, parece estratégia de marca chinesa. Não sabe o que fazer? Então copia ai outros players diretos, mistura tudo que dá certinho…

    • Henrique12

      Eu não acho o desenho do Argo datado…

    • Luconces

      Resumindo, a Fiat Europa vai ter design europeu.

      A Fiat Brasil segue com esse design brasileiro tão duvidoso…

  • No_Name

    Apesar da ascensão dos crossovers, ainda tem peso relevante esse segmento de Clio, Polo, Fiesta, 208 e cia na Europa. Se a FIAT criar algo para vender pelo menos 100000 unidades por ano no continente sem canibalizar com seus outros compactos já estará no lucro.

  • Filipo

    Isso é um tapa na cara dos Fiat lovers, que dizem que o Argo é superior ao Punto. Argo é o novo Palio, isso sim!

    • FearWRX

      Sem contar que visivelmente é menor que o Punto. Já vi vários nas ruas e não o acho tão bonito quanto o Punto, pra mim, pelo tamanho, é bem como você falou, um substituto do Palio e não do Punto.

      • CharlesAle

        Sim.O Argo é mais um “novo” Palio, que substituto do Punto. Só pela maçaneta da porta o cidadão já percebe a decadência. Aliás, Punto nunca teve versão 1.0..

        • Luconces

          Nunca teve 1.0 e nunca concorreu com Onix e Hb20.

    • Edson Fernandes

      Pra mim… o Punto sempre uma atualização do Palio…rs
      O ARgo continua sendo um facelift nesse aspecto e um Punto piorado e um Palio melhorado…rs

      Ou seja… uma nova atualização para o Palio. O Punto alias, se recebesse as atualizações no seu T-Jet era melhor que opção que o Argo. Mas o Punto era um carro que ao colocar itens opcionais ficava bem mais caro que se comparado ao Argo tbm.

  • Arnon Coelho Junior

    ate europeus vao de remendos lamentavel dona FCA

  • pedro

    No caso, Primo Rico.

  • Hernán Diego Ceccarelli

    Argo=Auto Tercermundista decadente y brasilero. Primo= Auto para el primer mundo, NO TENDRA NADA QUE VER CON LA “BASURA” DE ARGO (ni un poco) . No quieran convencerse de nada, Argo es infinitamente INFERIOR al punto, en diseño y en prestaciones, motores viejos y obsoletos. Espero que fiat argentia importe el Fiat Primo.

    • Henrique12

      Decadente?

    • Luconces

      A Fiat BR está perdida em termos de Design. Isso é fato.

      Sinto lhe dizer mas infelizmente os Hermanos terão o Argo.

    • Danilo Siqueira

      Hola, la Argentina, el país que tienes Chevrolet spark e quieres Fiat primo…

      • Luconces

        Antes um Spark do que um Onix kkk

  • Marco

    Penso que o Argo poderia ter sido lançado com uns retoques mais aprimorados, como por exemplo, as maçanetas do Punto, que são infinitamente mais bonitas que as adotadas, que são do estilo VW. A meu ver (opinião minha, deixo claro) acho as maçanetas do Onix/Prisma, por exemplo, mais bonitas e fáceis de manusear que as adotadas no Argo. Agora se eu fosse o “Mandachuva” de uma grande montadora, daria prioridade a um nome já existente, de peso, tal como a VW faz com o Golf e aToyota com o Corolla. Isso valoriza e dá status ao produto, tirando ele a gama de “produto descartável” tapa-buraco.

    • Alvaro

      É verdade, Fiat é campeão nisso… Tipo > Bravo/a > Stilo > Bravo > Egea/Tipo, não tem nem tipo de constância ou intenção de construir um legado como Golf, Astra ou etc. Isso é muito positivo, como exemplo, na apresentação de uma nova geração que mostra o carro novo com todas gerações anteriores para evocar justamente a tradição do modelo, não sendo um produto descartável da moda. É um pesar, se eles eliminarem o nome Punto que é tão consolidado e forte no seu país de origem.

  • Fernando Bento Chaves Santana

    Provavalmente o Punto não terá um sucessor direto na Europa pois o próximo Panda crescerá para cerca de 3,8m e poderá contar com habitalidade igual ou até superior à do Punto. Além disto os preços baixos do Tipo, comparável a propostas do segmento B (lembremos que o Tipo tem 4,3m) fazem crer que não haverá um hatch intermediário entre Panda e Tipo – mas talvez exista a possibilidade de haver um SUV/Crossover maior que o Panda e menor que o Tipo.

  • Alvaro

    Interessante a foto do Argo e depois do Tipo que dá para notar alguns detalhes pequenos que faltou no auto-proclamado “hatch premium” Argo. A moldura das portas deveria ser rente e integrado aos vidros como a do Tipo, dá um aspecto de construção mais apurada (o HB20 possui esse detalhe também). Outra coisa que a Fiat adora fazer é poluir muito as versões superiores e esportivas com enfeites e adesivos. Embora no Argo não tenha mais os adesivos exagerados do “Sporting”, o desenho do pará-choque poderia ser mais sóbrios e esses borrachões preto do HGT achei bem desnecessário. Uma saia na cor do carro já era suficiente.

  • Bruno Gomes

    É, parece que o Argo não vai ganhar passaporte para o mercado europeu. Sinal de que a Fiat Europa não gostou muito do projeto brasileiro. O curioso é que as mulas do Palio com frente de Grand Siena usadas por aqui também foram usadas lá fora, dando a entender que o projeto X6H seria um projeto global, ou até mesmo o sucessor do Punto em diversos mercados.
    Ainda não o vejo como substituo do Punto, sei lá, o Argo não me agradou. Na Fiat somente Toro e 500 me interessam e são bons projetos, de resto, não salva um.

  • Luis Burro

    Ué e pq não se pode continuar o nome?

  • Vinícius Lima

    Não entendo pq a Fiat vive mudando os nomes dos carros na troca de gerações, qual o problema do argo se chamar Punto?

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend