*Destaque *Featured Fiat Lançamentos Pickups Test Drive

Fiat Toro Freedom 2.4 Flex: Impressões ao dirigir

fiat-toro-freedom-24-flex-impressões-NA-34 Fiat Toro Freedom 2.4 Flex: Impressões ao dirigir

Vice-líder do mercado de comerciais leves em 2016 e líder de vendas no mês de outubro em seu segmento, a Fiat Toro comemora sua nova conquista coincidentemente com a chegada da versão Freedom 2.4 Flex, que chega por R$ 98.730.



A nova opção traz um novo motor ao lineup da FCA no Brasil, o Tigershark 2.4 MultiAir. Este trabalha com a transmissão automática ZF 9HP de nove marchas, anteriormente servida nos modelos da Fiat e Jeep apenas com motorização diesel e tração nas quatro rodas.

fiat-toro-freedom-24-flex-impressões-NA-35 Fiat Toro Freedom 2.4 Flex: Impressões ao dirigir

O novo propulsor da Fiat Toro Freedom 2.4 Flex adota tecnologias semelhantes às do motor Tigershark 2.0 Flex, que equipa o Novo Jeep Compass 2017. Com bloco e cabeçote em alumínio, o Tigershark 2.4 Flex vem com duplo comando de válvulas com sistema MultiAir de segunda geração, que ajusta as aberturas de válvulas através de cinco modos de operação, permitindo ao motor mais eficiência em performance e economia.

O Tigershark 2.4 Flex ainda dispõe de alternador inteligente para recarga da bateria em desacelerações e sistema de pré-aquecimento do combustível para partida a frio. A Fiat realizou testes de durabilidade e a garantia mínima é de 240.000 km. Com tudo isso, o novo motor entrega 174/186 cv a 6.400 rpm e 23,5/24,9 kgfm a 4.000 rpm, respectivamente com gasolina e etanol.

fiat-toro-freedom-24-flex-impressões-NA-19 Fiat Toro Freedom 2.4 Flex: Impressões ao dirigir

A transmissão automática de nove marchas vem ainda com modo Sport para realçar a performance da Fiat Toro Freedom 2.4 Flex, que ainda dispõe de Start&Stop, que é o desligamento e partida automática do propulsor quando o veículo para engatado, gerando assim economia de combustível no uso urbano. A Fiat quer ter 20% do mix com essa nova opção, deixando a versão 1.8 com 50% das vendas e as demais, diesel, com os 30% restantes.  Clique aqui para saber tudo sobre a novidade da Fiat.

fiat-toro-freedom-24-flex-impressões-NA-11 Fiat Toro Freedom 2.4 Flex: Impressões ao dirigir

Fiat Toro Freedom 2.4 Flex – Impressões ao dirigir

São Paulo/SP – A Fiat Toro Freedom 2.4 Flex apresenta um desempenho muito superior ao da Freedom equipada com o motor E.torQ 1.8 de até 138 cv. A diferença entre os dois é enorme, sendo que o Tigershark 2.4 Flex apresenta um funcionamento muito mais elástico e suave, além de entregar rapidamente a potência desejada.

A força em baixa começa com 91% do torque a partir de 2.000 rpm, o que é muito bom para uso no dia a dia, dando mais prazer ao dirigir. Em acelerações mais vigorosas, o propulsor aliado ao câmbio de nove marchas, garante boas saídas e disposição, ainda mais pela Fiat Toro Freedom 2.4 Flex ter somente tração dianteira, reduzindo assim seu peso em relação ao 4×4 da Volcano, por exemplo.

fiat-toro-freedom-24-flex-impressões-NA-32 Fiat Toro Freedom 2.4 Flex: Impressões ao dirigir

Rapidamente o ponteiro alcança 6.000 rpm e a troca de marcha se dá de forma suave. Para uma condução normal, as trocas ocorrem entre 2.000 e 2.500 rpm. Com a oferta generosa de nove velocidades, é possível manter de forma manual a nona um pouco abaixo de 90 km/h, algo impossível nos Jeep Compass e Renegade diesel, por conta da baixa rotação característica desse do Multijet.

Na Fiat Toro Freedom 2.4 Flex a gestão de marchas impede que se baixe demais a rotação. Em nona, uma retomada simples para ultrapassagem faz o câmbio reduzir quatro marchas, por exemplo. Rodando a 110 km/h, a rotação fica em 1.700 rpm, ótimo para o conforto a bordo e economia.

fiat-toro-freedom-24-flex-impressões-NA-23 Fiat Toro Freedom 2.4 Flex: Impressões ao dirigir

Com desempenho animador no modo drive e mesmo com intervenções manuais na alavanca e paddle shifts, a Fiat Toro Freedom 2.4 Flex ainda garante um “plus” com o modo Sport acionado, que mantém o giro alto e marchas mais curtas para entregar melhor performance. Nessa situação, o Tigershark 2.4 Flex fica sempre cheio. As retomadas são muito superiores e a aceleração acompanha essa alteração na programação do conjunto motriz. As reduções também são pontuais, garantindo menor uso dos freios, que por sinal são muito bons.

Todo o conjunto da Fiat Toro Freedom 2.4 Flex é muito bem equilibrado, não gerando instabilidade em frenagens fortes. Nas curvas, o conjunto apresenta características mais próximas às de um crossover do que de uma picape média.

fiat-toro-freedom-24-flex-impressões-NA-24 Fiat Toro Freedom 2.4 Flex: Impressões ao dirigir

Com direção elétrica bastante leve e progressiva, a picape da FCA tem ainda um bom ajuste da suspensão, filtrando bem as irregularidades. No anda e para do ciclo urbano, a Fiat Toro Freedom 2.4 Flex também apresenta boa condução e seu sistema Start&Stop funciona de forma rápida nas saídas.

De forma geral, as impressões ao dirigir da Fiat Toro Freedom 2.4 Flex foram muito boas. A picape agora tem um desempenho que merece, negado naturalmente pelo E.torQ 1.8. O câmbio de nove marchas também ajuda na performance dessa nova versão.

Este adiciona ao lineup da Fiat Toro 2017 uma segunda opção para clientes mais urbanos, que querem mais desempenho e preferem o flex ao diesel, tendo ainda o conforto de um câmbio automático de nove marchas, lembrando que o preço é o mesmo da Freedom 2.0 diesel 4×2, que tem câmbio manual de seis marchas. Se a Freedom 1.8 não te atende, então essa 2.4 é a escolha certa, mas aí a diferença é de R$ 15.800.

Fiat Toro Freedom 2.4 Flex – Galeria de fotos

5.0

  • Edison Volpe

    Me intriga um carro dessa faixa de preço com um sistema multimédia padrão Uno. Destoa do conjunto.

    • Tosca16

      Eu sendo a Fiat melhoraria o interior, colocaria um design externo diferenciado e venderia uma “irmã” da Toro como Jeep; era só colocar 10 mil reais a mais em cada versão equivalente e seria outro sucesso de vendas.

      • ALVIN_1982

        A Jeep já tem a Wrangler… o que falta é um SUV menor que o Renegade com motor 1.3 flex GSE e outro 1.3 Flex GSE Turbo, e outro entre o Renegade e o Compass da Fiat de 5 ou 7 lugares. Com 2.0 Gasolina e Diesel, além de um 1.3 Turbo flex GSE… de uns 140 CV…

        • Tosca16

          Menor que o Renegade acho difícil.

          • Edson Fernandes

            Só o fato de melhorar um pouco mais o conteudo já seria suficiente. O interior do carro em si é moderno e não deve ser mexido tão cedo.

    • Jose Silva

      Multimidia de carro nenhum presta. Ideal é ir no Mercado Livre e comprar um com tela 7 a 8 polegadas com sistema Android que tem GPS que você mesmo coloca e atualiza com radar, Bluray, DVD, CD, Aceita instalação de software do android, coloca um chip de celular nele para ter acesso a internet e usar um Waze da vida… Etc etc etc …

      Tenho uma central 2009 com tela 7 que comprei no Paraguai, ela é velha mas tem todas essas opções destas centrais atuais, já troquei de carro 2 vezes e continuo com ela. Maior besteira é escolher um carro por causa de tela, vai no mercado livre e compra uma para seu carro com uma infinidade de opções a mais que a original e tudo plug and play, só encaixa e a mesma coisa todas informações do carro como uma original e com uma diferença, custa 3x menos que o pessoal pede na original.

      • Daniel

        Já pensei em fazer isso, mas fiquei com uma dúvida que talvez vc possa me responder: a instalação desse equipamento não implica na perda de garantia do carro? No caso, meu carro tem 3 anos de garantia e acabou de entrar no 2o. ano dela…

        • Artur

          Não perde a garantia, mas desde que não tenha de cortar algum fio. Atualmente é tudo plug & play, então é muito difícil ter de cortar algum fio.
          Se a multimídia ainda for própria para o veículo (tem vários modelos para a Toro, por exemplo) você mantém todas as funções dos comandos do volante e, certamente, não vai precisar cortar fio (se for do modelo específico).
          Eu pus uma CMM universal (2 din) de 6,2″ da Pioneer (modelo AVIC-F970TV) no meu Civic e tive de comprar um chicote separado para evitar o corte de fios, além de uma interface para funcionar os botões do volante. Mas foi no próprio instalador que tinha esses equipamentos em estoque.
          Se for em qualquer instalador meia boca, é capaz do cara cortar os fios e você nem ficar sabendo! Rsrs

          • Daniel

            Obrigado pelas dicas!

      • Artur

        Você tem razão. Atualmente tem CMM até da Pioneer, além das específicas para cada modelo de carro, como as da M1 (que possuem versões com Android), que também são ótimas.

        • Ernesto

          Tive uma CMM da M1 e ela deu problema no touchscreen. Pelo que sei, a melhor marca, das chinesas, é a Caska, mas também é a mais cara.

          • Artur

            Caska é boa também, mas atualmente não é superior à M1. A Caska utiliza hardware mais modesto na grande maioria dos modelos.
            As M1 mais atuais tem modelos com Android e já vêm com processadores similares aos celulares mid end do mercado.

            • Ernesto

              Sério? Na época que comprei minha CMM a referência era Caska.

              • Artur

                A Caska é realmente muito boa. Salvo engano quem fabrica ela é a chinesa Coagent. Só que alguns produtos não são muito bons: a Coagent também fabrica os modelos da H-Buster, por exemplo, que são bem meia boca.
                Já a M1 vende as CMM da marca chinesa Road Rover. Elas são muito boas. Parece que marcas de “grife” (BMW, Audi e outras) vendem centrais originais fabricadas pela Road Rover.

              • kravmaga

                O problema das Caska é usar o Windows CE como sistema operacional em vez do Android. Não sei se as atuais já estão usando Android.

                • Ernesto

                  Legal saber, Kravmaga. Obrigado pela informação.

      • ####Carlao GTS

        Tudo isso funciona legal no carro manual. …

      • Luis LC

        Essa que vc fala que compra no ML veio de série no meu S-Cross…presta sim? E como….

    • Artur

      É o Uconnect oferecido na maioria dos carros da linha Fiat (Uno incluído). Vem também no Renegade, mas para este há uma versão com tela de 6,2″.
      Eu também acho pequena, mas nada impede você comprar uma multimídia própria para a Toro de 7″ (acho que tem modelos de até 8″) no Mercado Livre (se bobear sai mais barato e o produto será melhor que o original).

    • Raphael Pereira

      Até um Sandero tem uma mais apresentavel!

      • Artur

        Sim, mas o Uconnect, pelo que conheço, é melhor. O GPS é da Tom Tom, por exemplo.

        • Tenho dois carros, um com GPS Igo e outro Tom Tom, e prefiro o IGO, sem dúvidas. O único GPS que achei ruim de fato foi o Auto Guia (Quatro Rodas). Até o Sygic e o Mapas Brasil satisfazem.

          • Artur

            O IGO é, de fato, excelente. Eu tenho também ele na minha CMM da Pioneer. Mas o Tom Tom também é muito bom e acho ele mais “intuitivo”. Mais fácil de usar.

        • Raphael Pereira

          Nao, quis dizer em termos de tamanho, pois essa da toro parece de carro de entrada, tela muito pequena, muitos botoes, a do sandero é mais ”clean”.

          • Artur

            Isso é verdade. Em termos de tamanho até o MyLink é maior e mais “vistoso”. Acho que a Fiat deveria trabalhar nisso. Não deve haver muita diferença de preço entre um CMM de 5″ e uma de 7″.

  • dallebu

    Agora o desempenho ta animador, combinando com o estilo esportivo da Toro. No entanto achei que a diferença de preço em relação á Freedom 1.8 é muito grande, embora além do motor ela venha com uns equipamentos a mais. Se a 1.8 ta un 86.000, acho que essa deveria vir por uns 92.000 no máximo. Eu que não ligo pra câmbio automático ficaria com a Diesel 4×2 MT6 fácil fácil.
    Mesmo assim continua sendo um ótimo produto, junto com a Diesel.

    • Eduardo Gregório

      Não conheço nenhum carro que a diferença de preço entre um motor horrível e um bom seja tão pequena. No máximo o up, mas a Toro 2.4 paga mais impostos que a 1.8, então considerei adequada a diferença.

      Lembre-se que o Civic botou 25 mil a mais por um motor melhor!

      • Raimundo A.

        Não paga mais imposto (IPI) porque é um comercial leve. Demais impostos que atuam sobre o preço do veículo, sim, serão maiores porque é um percentual sobre o valor comprado ou de mercado.

        Se fosse um SUV, a tributação do IPI varia conforme a faixa de cilindrada e potência, além do tipo de combustível (diesel é a mais alta, gasolina superior a etanol e flex). Por isso que aqui, o Renegade e o Compass não ganharam o motor 2.4 Flex, pois com a tributação alta para motores acima de 2L, e a FCA costuma nos SUV usar o 2.4 com a tração 4×4, o preço ficaria talvez até igual ao diesel 4×4.

        O Renegade Trailhawk de exportação já usa o 2.4, vendido na Argentina, e acredito, a nova versão Limited deste deverá também. A Limited e Trailhawk do Compass, devem seguir o mesmo.

      • Leônidas Salazar

        Não é por causa do IPI, pois é o mesmo por ser uma picape. O motor 2.4 Multi-air 2 é bem mais caro do que o motor 1.8 E-torQ evo, e o câmbio ZF de 9 marchas é muito mais caro do que o Aisin AT6.

    • Martini Stripes

      Só sei que acertaram em cheio com essa Toro.

  • Alfredo Araujo

    Rapaz… 12 cavalos e 1,4 kg de torque, como diferença entre a gasolina e o etanol.
    Nunca antes na história desse país, abastecer com etanol foi tão divertido… rs

    • Tosca16

      Sinceramente eu ainda sonho com carros novos movidos a Etanol, somente álcool, nada de Flex … poderíamos ter motores mais eficientes e compensar o maior consumo do Etanol frente a gasolina, além é claro de extrair mais potência dos motores.

      • oscar.fr

        O único problema é que na maior parte do país não compensa etanol não.

        • Tosca16

          Cara, eu disse que um motor monofuel movido a etanol poderia ser melhor em números que estes flexíveis que temos, e isso seria mais compensador que usar ambos combustíveis e consumir mais independente se vc usa gasolina ou etanol; digamos que um carro que faz 10 no etanol poderia fazer tranquilamente 12/13 se usasse apenas o combustível da cana-de-açúcar, e no mais poderíamos extrair mais potência desta nova levada de turboalimentados .

          • Cebobina

            Sim meu avô tinha uma Pampa CHT 1.6 a álcool e com manutenção apenas corretiva e caburador, fazia seus 11km/L. Depois de 30 anos de “evolução” chegar perto disso é considerado economia.

            • Tosca16

              Né isso, esses flex são horríveis .

      • Marcello Caetano

        Já existiu. Tornou-se obsoleto com o advento do flexível.

        • Tosca16

          Que se mostrou ruim e não uma saída viável, por isso com a tecnologia atual seria melhor investirmos na volta dos monofuel, quer sejam à gasolina ou etanol. Imagina um UP TSI Turbo Etanol, dando uns 130cv e tendo médias pouco piores as de consumo de gasolina hoje como Flex, não é pensar alto, é possível .

          • Artur

            Os flex só se tornarão mais eficientes quando sair um sistema de taxa de compressão variável. Hoje eles adotam uma taxa fixa que não é a ideal nem para o etanol e nem para a gasolina, o que impede melhor eficiência com ambos os combustíveis. Parece que um flex consome cerca de 10% a mais que um monocombustível.

            • G.Alonso

              Teria de ser um sistema bastante inteligente, pois ele precisaria ver a quantidade de etanol misturado a gasolina e vice-versa, pois nem sempre uma pessoa usa 100% só de um combustível, e, também, tem pessoas que usam colocar um tanto de gasolina e completar com etanol, o que deixaria a mistura bem diversificada, fazendo o sistema trabalhar bastante para rapidamente achar uma taxa ideal para aquela queima.

              • A Renault-Nissan que apresentou há pouco tempo o primeiro motor de compressão variáve do mundo, inicialmente para a linha Infiniti. Creio que, em pouco tempo, vários destes irão surgir, se este funcionar conforme a expectativa.

              • Artur

                Com certeza. Acho que por isso ainda não criaram um sistema assim, pela complexidade.

              • Tosca16

                Por isso que ao meu ver se podemos ter um motor monofuel mais eficiente que os flexíveis vamos voltar aos monofuel, a questão é apenas mercadológica porque na prática a tempos os flexíveis deixaram de ser “boas” escolhas … outro ponto também, não sei se tenho um fundo de razão nisso, é que nossa gasolina já tem adição de etanol, um motor importado mesmo continuando monofuel tem que se adequar a “mistureba” brasileira, sendo assim a adoção do sistema flex é quase que obrigatório, sendo a melhor e mais simples opção as fabricantes.

          • Marcello Caetano

            Claro que é possível. Mas não é racional por não poder usar dois ou mais combustíveis diferentes no mesmo carro. Penso que a tecnologia permitirá deixar o flexível “a altura” do mono.

            • Tosca16

              Eu acho que podemos seguir as duas tendências, o flexível e o monofuel, e hoje sinceramente vejo em especial no caso do uso do Etanol a maior viabilidade para o monofuel; poderíamos até exportar tecnologia se é claro desenvolvêssemos bons motores a etanol, o flex acho que nunca veremos em mercados maiores que o nosso, no máximo no Mercosul e olhe que não tão cedo assim…

              • Dp Som

                Tem que ver o país como um todo (e inclusive a América do Sul como um todo (gasolina), aqui no interior do RS mesmo… com gasol somente 10% mais cara que o alcool, em alguns postos, nem 10% de diferença… não tem como andar no etanol.. com seus 25 a 35% a mais de consumo em média.

      • ALVIN_1982

        Na realidade todos os veículos com motores nacionais são movidos apenas à Etanol, o diferencial é que com a eletrônica embarcada permite o uso da gasolina. Um motor à gasolina, a taxa de compressão máxima é de 9:1, e nos motores à Etanol começa em 10,5:1. Em todos os Flex a taxa é superior a esta chegando até 13:1. Por isso que em quase todos os motores flex quando abastecido com Etanol é evidente como o motor trabalha melhor.

    • KevinGR

      Multiair é duca! ter controle total eletronicamente do levante e tempo de abertura das válvulas é genial.

    • Tosca16

      Hoje eu imagino um UP TSI sem muitas alterações pulando de 105 para uns 120 ou até 130, não duvido isso, é claro sendo turbo-etanol … Seria até interessante como marketing “UP TSI TURBO-ETANOL” … Um Sandero destes RS poderia ganhar uns 10cv no mínimo, e com a tecnologia de hoje deverá consumir menos que o modelo Flex rodando no Etanol.

    • Dp Som

      Se equiparou ao Rocam 1.6 alcool que na epoca tb tinha 14cvs a mais que sua versão gasolina. 95cvs no gasol e 109 no alcool, na epoca..

  • SDS SP

    Versão interessante para aqueles que pretendem migrar dos sedans (que possuem desempenho melhor) e não queriam a versão EtorQ.

  • Ailton Junior

    Poderia ter uma versão manual por uns 10 contos a menos.

  • GPE

    Mais de 15mil pra ter apenas o motor e o câmbio a mais? Ou existem alguns itens relevantes frente a Freedom 1.8 AT6 que justifiquem tamanha quantia?
    Pq se for só pelo motor e câmbio, 6 ou 7 mil reais estão mt bem pagos.

    • th!nk.t4nk

      Motor nacional x motor importado, fora as diferenças tecnológicas entre eles. O variaçao cambial infelizmente nao ajuda.

    • Artur

      O Tigershark é importado e o custo de produção deve ser bem maior que o 1.8 Etorq (nacional, bem mais defasado e com custo de desenvolvimento há muito amortizado).
      Tem alguns itens a mais que a versão Freedom “normal” (capota marítima e paddle shifters), mas nada anormal.

    • Luis_Zo

      Motor (que é importado) com cabeçote multiair (que é caro), cambio, stop&start, smart charger, HCSS… fora outros “mimos” menores que se não me engano não vem na freedom (tipo capota, brake light etc).

    • G.Alonso

      A versão 2.4 ganha capota marítima, volante revestido em couro com paddles shifters, retrovisores elétricos com rebatimento e tilt down, start stop, além do motor e câmbio novos e mais caros por serem importados. Diferença justa.

  • Tosca16

    Aos que estão reclamando da diferença absurda nos preços em relação à versão 1.8 E-TorQ não se preocupem, se a FIAT quiser vender essa versão 2.4 ela irá aumentar os preços da 1.8 para deixar a nova versão mais atrativa.

  • Interessante… melhorou o desempenho e o consumo ficou próximo da 1.8…

    A Jeep poderia acordar e colocar o 2.0 do Compass no Renegade.

  • José Eduardo Borba

    A Diesel ainda é melhor opção.

    • Artur

      Eu também acho, mas porque não me importo em cambiar. Para quem curte o conforto do câmbio automático e não se importa muito com consumo, essa versão cai como uma luva.

  • HugoCT

    Sensacional. Tem versões para todos os gostos, com certeza a mais bela pickup do brasil

    • Maycon Farias

      Ela ganhou um prêmio Internacional de carro mais bonito de 2016.

    • Mardem

      Realmente é um belo projeto. Bem no perfil daquela Fiat ousada e que pensa fora da caixinha. Quem diria que a Fiat, meio que iniciante no segmento de picapes médias (ou compacta grande [?]) seria capaz de fazer tanto barulho! Estão de parabéns e merecem a liderança do segmento e o reconhecimento do mercado.
      Mas como tudo tem um porém, deixo aqui minha decepção por essa filosofia de inovação e ousadia da Toro não ter sido aplicada no Mobi.

  • cefaf

    Não entendo colocarem pneu de bicicleta como estepe de uma caminhonete…

    • Eduardo Gregório

      Pela foto, o estepe pareceu ter a mesma medida dos demais.

      • cefaf

        Um parente meu tem uma Fiat Toro e reclamou deste “detalhe” do estepe.

  • Ernesto

    R$15.800,00 de diferença entre um e outro é bastante dinheiro.
    Não sei como funciona a questão de impostos para pick ups, mas se houver diferença de alíquota de um 2.0 para um 2.4, a Fiat poderia optar pelo 2.0 com AT6 para ficar um preço menor, talvez uns R$7.000,00 ~ R$8.000,00 de diferença.

    • Qual 2.0?Desenvolver um sairia muito mais caro . . .

      • Lucas de Lucca

        Acredito que ele se referiu ao powertrain do primo maior Jeep Compass, que usa um 2.0 Tigershark acoplado a uma transmissão AT6 Aisin.

      • Gustavo73

        2.0 do Compass

      • Ernesto

        Do Compass como o pessoal comentou.

    • Fabrício Sanches

      Até onde eu sei utilitários não sofrem alteração na tributação.

  • Lucas086

    Desempenho muito superior e consumo parecido ao 1.8, já era de se esperar. Fiat mais uma vez acertou.

  • Quase 100 mil nisso aí??? Preço de Ranger, s10? Bem… tem gente que não tem dó do seu dinheiro….

    • cepereira2006

      Vai ver o que Ranger e S10 oferecem a este preço.

      • Na s10, por exemplo, à excessão da transmissão automática, a todo perde em espaço, motor, revenda, capacidade de carga, robustez, custo-beneficio, etc. Na foto acima eu vejo uma caminhonete bonita cheia de perfumarias, carro pra passeio. Tanto a ranger e a s10 são mais produto do que essa para proposta de utilitários…

  • R1 – o comentário no1

    Pronto! Satisfeitos agora?

  • Agora sim , com o mesmo motor do renegade vendido aqui no EUA . Pena o preço dos carros no BR , beiram o ridículo .

  • RKK

    “A Fiat Toro Freedom 2.4 Flex apresenta um desempenho muito superior ao da Freedom equipada com o motor E.torQ 1.8 de até 138 cv. A diferença entre os dois é enorme, sendo que o Tigershark 2.4 Flex apresenta um funcionamento muito mais elástico e suave, além de entregar rapidamente apotência desejada” -> Show de bola !
    E consumo equivalente ! https://uploads.disquscdn.com/images/342fb0f0fee650b80934dafa46e1487994f488ad852340b726af1c56166b97d8.png

    • ALVIN_1982

      A tecnologia que tem hoje é uma vergonha esse consumo… se eu mandasse em alguma bagaceira nesse país, eu impediria que qualquer automóvel saísse da fábrica com consumo menor que 12 km/l com ETANOL na Cidade.

  • francis

    A Fiat demorou a lançar um modelo de picape acima da Strada, mas deu certo com a Toro, agora veremos se ela voltará a se dar bem nos segmentos em que vão entrar o X6H, o X6S, e a substituta da guerreira Strada…..

  • Miguel

    Pronto! Pra mim esse carro nao tem mais nenhum defeito.

  • O_Domador_d_Xana

    Só 10 km/L na estrada??!!!! Esse câmbio pelo visto não fez diferença. Beberrão!!

  • Hugo Avelar

    Não entendo, pessoal reclama que tava faltando motor e era pra tirar o 1.8, beleza! Aí a Fiat atende o pedido e o pessoal ainda reclama. Seja do preço ou de qualquer coisa. Carro no Brasil tá difícil agradar alguém!

    • Leônidas Salazar

      O pessoal reclamava que o câmbio AT9 só era oferecido na caríssima versão Volcano, pronto, agora ficou muito mais acessível.

  • Done Bardam

    Falaram..falaram mas o consumo que é bom nada, esta reportagem tá mais para propaganda da Fiat do que teste.

  • Luis LC

    A Folha de São Paulo fez uma reportagem desse carro no domingo (06/11), rodaram 90Km na estrada com gasolina e o CB marcou 7,0Km/L (??) A NA dirigiu o carro? Cade o consumo NA? Motorzão “boca de litro”!!!!

  • ALVIN_1982

    Mas esse Fiat não presta, não aguenta o tranco, não é feixe de molas… (_)

  • Edson Fernandes

    Me chama atenção é o fato do motor 1.8 também ter o cambio de 6 marchas. Não seria muito valido ter esse mesmo cambio de 9 marchas para o motor 1.8? Creio que iria melhorar bastante retirar potencia do motor. Isso é um fator que vai contra a versão 1.8 qdo se diz em performance.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend