Fiorino 2010: motor, consumo, equipamentos, versão e detalhes

Fiorino 2010: motor, consumo, equipamentos, versão e detalhes

A Fiorino 2010 é o modelo de carga baseado ainda no Uno de geração passada. Ela ainda tinha o design anterior ao modelo atual, que foi lançado apenas em 2013.

E essa mudança veio apenas pela obrigatoriedade de itens de segurança, como freios ABS e airbag duplo, o que motivou a Fiat a atualizar seu produto.

Mesmo com seu desenho mais quadrado, a Fiorino 2010 fez um grande sucesso entre aqueles que precisavam de um comercial leve, sendo até hoje um dos modelos mais vistos nas ruas quando falamos sobre esse segmento.

Confira abaixo todos os detalhes da Fiorino 2010!

Fiorino 2010 – detalhes

O Fiorino 2010 marcou os 30 anos de sua história, mas já chegava aos últimos anos de vida da segunda geração. Enquanto a geração inicial foi baseada no Fiat 147, essa já tinha como inspiração o Uno, tendo basicamente o mesmo visual do hatch, tanto por dentro quanto por fora.

A dianteira do Fiorino 2010 tinha faróis quadrados e uma grade preta, que era feita de plástico e tinha três faixas horizontais.

O logotipo da marca ainda era bem mais discreto que estamos acostumados a ver nos modelos atuais, e estava colocado numa posição elevada e bem ao centro da grade.

Todo o para-choque era feito de plástico, mostrando a simplicidade do projeto, mas também destacando seu baixo custo de manutenção. Como era vendido em apenas uma versão, o Fiorino 2010 sempre teve esse visual comum e descomplicado.

O capô, que também tinha um desenho bem simples, contava apenas com dois vincos que acompanhavam as extremidades da grade e seguiam até o para-brisa. No final da peça ainda havia uma pequena abertura.

Além disso, o Fiorino 2010 também tinha outros detalhes incomuns para a maioria dos carros atuais, como apenas um esguicho de água e um limpador para a limpeza do para-brisa.

Passando para o teto, vemos que ele era bem elevado, tanto na parte superior da cabine quanto no compartimento de carga. A altura elevada acima da cabine também servia para melhorar a aerodinâmica do modelo.

Tudo isso mostrava que o Fiorino 2010 não tinha outro objetivo além de ser um ótimo aliado nas entregas em centros urbanos e para o uso de transportadoras.

Fiorino 2010: motor, consumo, equipamentos, versão e detalhes

A lateral do comercial leve da Fiat seguia a mesma receita da dianteira, com desenho simples e prático. Um vinco mais destacado ligava as duas caixas de roda, na altura dos para-choques e passando pelo centro da porta.

Maçanetas e espelhos retrovisores não eram pintados na cor da carroceria, que quase sempre era branca. Os vidros também eram quadrados e a caçamba, sem qualquer abertura lateral, tinha dois recortes que se destacavam.

As rodas eram sempre de aço, com 13 polegadas e pneus de tamanho 165/70.

Finalmente, chegamos à traseira do Fiorino 2010. Ela mantinha as mesmas lanternas usadas por anos em modelos da Fiat, com visual bem discreto e tamanho reduzido. O para-choque, também de plástico e sem a mesma pintura da carroceria, tinha dois ganchos na parte inferior.

As portas que davam acesso ao compartimento de carga tinham uma boa abertura e dois vidros com tamanho excelente. A maçaneta também era pintada de preta, enquanto que o logotipo da marca e o emblema com o nome Fiorino ficavam nas extremidades.

E era exatamente ao abrir essas portas que a principal qualidade da Fiorino 2010 aparecia: sua boa capacidade de carga, mostrando a valentia de um carro que conquistou o mundo dos comerciais leves no Brasil.

Esse compartimento contava com ganchos para amarração da carga, iluminação e assoalho em plástico, itens que facilitavam e muito o dia a dia com ele.

Com 3.200 litros de volume e capacidade de levar até 620 kg, o Fiorino 2010 não fazia corpo mole quando o assunto era trabalho. Além disso, as medidas de sua carroceria o tornavam um modelo ideal para os apertados centros urbanos.

Fiorino 2010: motor, consumo, equipamentos, versão e detalhes

O longevo modelo da Fiat tinha 4.183 mm de comprimento, 1.622 mm de largura, 1.873 mm de altura e entre-eixos com 2.576 mm. É verdade que seu motor nunca foi dos mais potentes, como vamos falar mais abaixo, mas seu peso de 1.000 kg contribuía para um desempenho razoável e um bom consumo de combustível.

Ao entrar no Fiorino 2010, você logo tem a impressão de que já esteve ali antes, mesmo que nunca tenha feito isso. A maioria dos componentes usados ali, se não todos, vinham de outros produtos da Fiat, especialmente do Uno.

E simplicidade novamente era a palavra de ordem.

Itens como ar-condicionado, desembaçador, direção hidráulica, predisposição para rádio (com 2 alto-falantes nas portas e antena), vidros elétricos e outros eram apenas opcionais.

O volante tinha uma boa empunhadura, mesmo sendo convencional e sem qualquer comando além da buzina. Com linhas bem quadradas, o painel do furgão contava com quatro saídas de ar (ar-condicionado e ar quente eram opcionais), comandos poucos ergonômicos e um porta-objetos à frente da alavanca de câmbio que não era feito de plástico, como é mais comum, mas tinha o mesmo carpete do assoalho.

Na parte superior do painel havia outra característica marcante do Fiorino 2010 (e também do Uno), que eram alguns nichos que funcionavam muito bem como porta-objetos.

Já o painel de instrumentos tinha quatro marcadores: velocímetro, nível de combustível, temperatura do motor e econômetro.

Uma história de sucesso no Brasil

Fiorino 2010: motor, consumo, equipamentos, versão e detalhes

Como dito acima, o Fiorino 2010 já se aproximava do fim da segunda geração desse modelo da Fiat. A primeira havia aparecido em setembro de 1980, quando a marca italiana transformou a picape 147 no Fiorino, com capacidade de levar até 420 kg.

Em 1988 veio a segunda geração, já baseada no Uno, produto Fiat que foi reestilizado pela primeira vez em 1991 com algumas mudanças na dianteira.

Nessa mesma década ganhou suas versões picapes, com a versão Trekking sendo lançada em 1995 e a Working em 1996. Mas tudo isso durou pouco tempo, já que em 1998 a Fiat encerrou a produção desses modelos.

O furgão, porém, continuou firme no mercado brasileiro, ganhando inclusive outra reestilização em agosto de 2000. Em 2002, o Fiorino recebeu outra novidade que o acompanharia por muito tempo, que foi o valente motor Fire 1.3.

Dois anos depois, outra reestilização, e em 2004 o propulsor 1.3 recebeu a tecnologia flex, rendendo até 71 cv com etanol. Pouco antes do Fiorino 2010 chegar ao mercado, uma outra reestilização foi promovida pela Fiat, enquanto que a nova geração só chegaria em 2013, sendo o vendido até hoje.

Atualmente ele tem preços entre R$ 73.990 e R$ 109.190, lembrando que o Fiorino 2021 conta com versões preparadas pela marca para usos específicos. Esse é o caso da versão mais cara, que é o Fiorino Ambulância.

Liderança confirmada

A liderança entre os comerciais leves sempre foi algo importante para a Fiat. Além da sempre líder Strada, o Fiorino 2010 foi um dos muitos modelos que ajudaram a marca a alcançar essa posição.

Durante os 12 meses desse ano, o furgão emplacou 17.413 unidades, o que representou incríveis 68,57% de participação no segmento de furgões pequenos. Mesmo se a contagem incluísse todos os furgões, o Fiorino 2010 só ficaria atrás da Volkswagen Kombi, que ainda vendia muito bem nessa época.

Voltando a falar sobre o segmento do Fiorino 2010, a diferença para o segundo colocado era enorme. Cerca de 13.600 unidades o separavam do Doblò, que teve apenas 3.763 unidades vendidas, ficando com 14,82% de participação.

Ao pensar em todos os comerciais leves, o bom desempenho do Fiorino 2010 o colocou na 8ª posição, superando em vendas veículos como Ford Ranger, Fiat Ducato, Nissan Frontier, Volkswagen Amarok e outros.

Fiorino 2010 – versões

A Fiorino 2010 era vendida em apenas uma versão, como ocorreu na maioria dos anos de vida do furgão. A exceção era quando a Fiat colocava no mercado versões preparadas do modelo, como ocorre atualmente, mas nem isso ocorreu nesse ano.

Com isso, vinha apenas com o motor 1.3 de 71 cv e câmbio manual de cinco marchas.

  • Fiorino Furgão 1.3 2010

Fiorino 2010 – equipamentos

Fiorino 2010: motor, consumo, equipamentos, versão e detalhes

Fiorino Furgão 1.3 2010 – motor 1.3 de 70/71 cv e 11,4/11,6 kgfm de torque, com câmbio manual de cinco marchas.

ITENS DE SÉRIE: Assoalho do vão de carga em plástico, assoalho em carpete, bancos dianteiros reclináveis, barra de proteção nas portas, bolsa porta-objetos nas portas, carroceria com áreas de deformação programada, chapa pintada em branco no lugar do vidro na tampa traseira, cintos de segurança retráteis, coluna de direção articulada com deformação programada, console parcial, Fiat code 2ª geração, ganchos para amarração de carga na caçamba, grade dianteira na cor preta, hodômetro digital (total e parcial), iluminação no compartimento de carga, indicador gradual de temperatura da água, indicador gradual do nível de combustível, inibidor de marcha a ré, limpador e lavador do para-brisas com intermitência, motor 1.3 Flex, para-choques na cor preta, para-sóis biarticulados, para-sol motorista com porta documentos, parede divisória (habitáculo/vão de carga), porta-luvas com tampa, porta objetos sob o teto, portas traseiras sem vidro, quadro de instrumentos com iluminação branca, retrovisores externos com comando interno mecânico, retrovisores externos na cor preta, rodas em aço estampado 5.0 x 13 + pneus 165/70 R13, tomada 12V, vidros climatizados verdes, volante espumado, entre outros.

OPCIONAIS:

  • Ar-condicionado
  • Brake light
  • Desembaçador com ar quente
  • Direção hidráulica
  • Portas traseiras com vidros
  • Predisposição para rádio (2 alto-falantes nas portas e Antena)
  • Vidro traseiro térmico
  • Vidros elétricos

Fiorino 2010 – preços

  • Fiorino Furgão 1.3 2010 – R$ 33.720

O preço do Fiorino 2010 ficava bem próximo do que a Fiat pedia pelo Uno, modelo no qual o furgão era baseado.

Atualmente, o Fiorino 2010 pode ser encontrado por cerca de R$ 20.700 no mercado de usados, sendo um dos modelos mais procurados entre os usados para o serviço de entrega porta a porta ou até mesmo viagens de pequenas transportadoras.

Fiorino 2010 – motor

O Fiorino 2010 já contava com a tecnologia flex em sua motorização desde 2006, quando a Fiat também lançou essa novidade para o Uno Furgão.

Esse propulsor é o Fire 1.3, com disposição transversal, aspiração natural e injeção multiponto. Além disso, ele tinha 4 cilindros em linha, 8 válvulas, comando de válvulas simples no cabeçote e correia dentada.

Sua potência máxima era de 70 cavalos com gasolina e 71 cavalos com etanol, números alcançados a 5.500 rotações por minuto. Já o torque mais elevado era de 11,4 kgfm com gasolina e 11,6 kgfm com etanol, sempre a 2.500 giros do motor.

Com tração dianteira e câmbio manual de cinco marchas, o Fiorino 2010 tinha uma relação peso/potência de 14,1 kg/cv, enquanto sua relação peso/torque era de 86,2 kg/kgfm. A potência específica era de 57,2 cv/litro, e o torque específico ficava em 9,3 kgfm/litro.

Apesar de números não tão impressionantes, o Fiorino 2010 era elogiado por sua valentia no trabalho, mesmo totalmente carregado. Além disso, seu consumo de combustível também agradava, especialmente depois de receber a tecnologia flex.

Fiorino 2010 – desempenho

Confira o desempenho do Fiorino 2010 no tempo de aceleração até os 100 km/h e na velocidade máxima:

  • Fiorino 1.3 2010 – 14 segundos e 145 km/h

Fiorino 2010 – consumo

Focado em oferecer o melhor custo-benefício, o Fiorino 2010 não desapontava seus compradores quando o assunto era o consumo de combustível. Especialmente com gasolina, o furgão da Fiat apresentava números bem interessantes, não deixando a desejar mesmo no ciclo urbano.

Apesar de ter um consumo inferior com etanol, ele não poderia ser classificado como um carro “gastão” com esse combustível, principalmente ao levarmos em conta que o custo do litro de etanol em 2010 tornava esse consumo ainda mais atraente.

Confira os números completos de consumo do Fiorino 2010:

CONSUMO URBANO:

  • Fiorino 1.3 2010 – 7,2 km/l com etanol e 10,6 km/l com gasolina

CONSUMO RODOVIÁRIO:

  • Fiorino 1.3 2010 – 8,1 km/l com etanol e 11,8 km/l com gasolina

Fiorino 2010 – manutenção e revisão

As revisões do Fiorino 2010 eram feitas a cada 10.000 km ou 12 meses, o que ocorresse primeiro. Os valores começavam em R$ 232, mas ultrapassavam os R$ 1.300 na última parada, totalizando R$ 3.892 até os 60 mil km.

Confira em detalhes:

  • 10.000 km ou 12 meses – R$ 232
  • 20.000 km ou 24 meses – R$ 480
  • 30.000 km ou 36 meses – R$ 712
  • 40.000 km ou 48 meses – R$ 644
  • 50.000 km ou 60 meses – R$ 452
  • 60.000 km ou 72 meses – R$ 1.372

Fiorino 2010 – ficha técnica

Motor do Fiorino 2010

1.3

Tipo

Dianteiro, Transversal e Flex

Número de cilindros

4 em linha

Cilindrada em cm3

1.242

Válvulas

8

Taxa de compressão

11:1

Injeção eletrônica de combustível

Multiponto

Potência Máxima

Gasolina: 70 cv @ 5500 rpm / Etanol: 71 cv @ 5500 rpm

Torque Máximo

Gasolina: 11,4 kgfm @ 2500 rpm / Etanol: 11,6 kgfm @ 2500 rpm

Transmissão

Tipo

Manual de 5 marchas

Tração

Tipo

Dianteira

Freios do Fiorino 2010

Tipo

Discos sólidos (dianteira) e tambor (traseira)

Direção do Fiorino 2010

Tipo

Não assistida/Hidráulica (opcional)

Suspensão do Fiorino 2010

Dianteira

Independentes, McPherson

Traseira

Eixo rígido

Rodas e Pneus

Rodas

Roda de aço de 13 polegadas

Pneus

165/70 R13

Dimensões do Fiorino 2010

Comprimento total (mm)

4183

Largura (mm)

1622

Altura (mm)

1873

Distância entre os eixos (mm)

2576

Capacidades

Capacidade de carga (kg)

620

Tanque (litros)

61

Peso vazio em ordem de marcha (kg)

1.000

Peso bruto total (kg)

1.620

Coeficiente de penetração aerodinâmica (Cx)

0,35

Fiorino 2010 – fotos

https://www.youtube.com/watch?v=3PBhkNYl3OE&ab_channel=Not%C3%ADciasAutomotivas

Viny Furlani

Formado em Gestão de Negócios, trabalha no segmento automotivo há mais de 17 anos. Em 2009, passou a escrever avaliações e notícias sobre carros, totalizando mais de 2.000 artigos, em vários sites. Além das matérias escritas para o NA, também cuida das mídias sociais do site.