Flagra: Fiat 500e Abarth é visto e pode vir ao Brasil

fiat 500e abarth 1

O Fiat 500e está por aí rodando na energia, porém, a Abarth prepara um equivalente “eletrizante” do tradicional modelo a gasolina, um Fiat 500e Abarth.


Na Itália, esse carrinho elétrico de alta performance foi flagrado finalmente e ainda com um detalhe marcante: trata-se do primeiro protótipo do pequeno bólido.

O Fiat 500e Abarth em questão levava na vigia lateral traseira um papel que indicava ser o protótipo número um (M 001) e o código do projeto na Fiat: 332.

BEV Abarth, significa 100% elétrico para a marca do escorpião, que este ano começa sua jornada brasileira como submarca oficial da Fiat, inclusive com rede autorizada exclusiva.

fiat 500e abarth 2

Por fora, a única coisa que chama atenção para o Fiat 500e em questão é o conjunto de rodas esportivas de tamanho considerável.

Conseguimos identificar que as rodas são de aro 17 polegadas com pneus 205/45 R17 e o conjunto dará ao Fiat 500e Abarth a estabilidade necessária para fazer curvas divertidamente.

Com freios a disco ventilados nas quatro rodas e sistema regenerativo, o Progetto 332 deve ainda considerar uma bateria robusta e um propulsor muito mais forte que o atual.

Hoje, o Fiat 500e tem 118 cavalos e 22,4 kgfm, enquanto sua bateria de 42 kWh lhe confere autonomia de 322 km.

fiat 500e abarth 3

Num Abarth 500e, o motor terá bem mais cavalos, mas ainda não se viu nada parecido na Fiat ou marcas oriundas da FCA.

O propulsor mais acessível no momento é o elétrico francês da ex-PSA, que move o Peugeot e-208, igualmente vendido no Brasil.

Com 136 cavalos e 26,5 kgfm, ele é o propulsor padrão do ramo francês da Stellantis.

fiat 500e abarth 4

Pode ser uma adição interessante para começar a conversa na Abarth, com possíveis variantes 595e e 695e de maior potência, usando propulsores novos das plataformas Small ou Medium STLA.

Já em relação à bateria, células de 50 kWh parecem admissíveis no pequenino italiano, sendo estas igualmente oriundas da França. Será assim? Veremos. Virá? Não seria ruim.

[Fonte: Cochespias]

Autor: Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 26 anos. Há 15 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.