Ford Montadoras/Fábricas Tecnologia Test Drive

Ford alcança 250 milhões de km em testes no Campos de Provas de Tatuí/SP

ford-campo-de-provas-1

A Ford alcançou a impressionante marca de 250 milhões de km rodados em testes no Campo de Provas de Tatuí, interior de São Paulo. A quilometragem atingida é suficiente para dar 6.250 voltas em torno da Terra.

Operando há 37 anos no país, o Campo de Provas da Ford testa automóveis, picapes e caminhões, sendo um dos poucos que existem na América Latina. No local, a Ford testou dois projetos globais, o EcoSport e o Novo Ka.

ford-campo-de-provas-2

Modelos como Fusion, Edge, Ranger, New Fiesta, Focus e Focus Hatch foram testados para se adaptarem ao mercado nacional. No segmento de caminhões, a Ford desenvolveu os modelos F-350, F-4000 e F-4000 4×4, bem como o Novo Cargo e em breve o extrapesado Cargo automático.

Para mostrar como funciona seu Campo de Provas, a Ford criou um game com um tour interativo pelo complexo, podendo o “jogador” escolher entre Ka, EcoSport e Focus Fastback, tendo oito fases. Cada etapa passa pelos setores do Campo de Provas, entre eles Laboratório de Emissões, Laboratório Acústico, Pista de Rampas, entre outros.

ford-campo-de-provas-3

Com 4,63 milhões de m2, o Campo de Provas da Ford tem em sua área 3,63 milhões de m2 de mata nativa ou de reflorestamento. Há também 50 km de pistas de diversos tipos e pisos, reproduzindo todas as condições de rodagem do Brasil e da América do Sul.

Os técnicos analisam assim desempenho, consumo de combustível, emissões, evaporação, arrefecimento, freios, penetração de água e poeira, cabines de névoa salina, nível sonoro interno e externo, dinâmica veicular, calibração e desenvolvimento de motores e durabilidade. O complexo ainda dispõe de uma oficina experimental para a construção de protótipos.





  • Silas Rana

    Será que não testaram nenhum Powershift lá?
    No meu não precisaram nem de 20 mil km pra começarem a trepidar.
    Há quem tenha tido o problema antes mesmo dos 10 mil…

    250 milhões de km é fácil. Consertar os problemas e melhorar o pós-vendas que é a dificuldade…

    • MauroRF

      KKKKKKKKKKK, ao ler esta reportagem, foi a primeira coisa que pensei, e pimba, você escreveu aqui. Aliás, nem preciso escrever nada, disse tudo em seu comentário, a Ford do Brasil é exatamente isso que você descreveu.

      • Silas Rana

        haha Coincidiu a hora que eu abri o site e a postagem…! hahah
        E vou te falar, Mauro… O New Fiesta é sem dúvidas o melhor carro que já tivemos. Pena a Ford não ajudar.
        Por sorte talvez, ainda consigo ‘controlar’ a trepidação pelo acelerador. Mas ela tem se tornado mais frequente ultimamente, mesmo que de forma bem ‘suave’.
        Entretanto, somando isso (e todos os depoimentos do fórum) e diversos outros pequenos problemas (amortecedores, barulhos na caixa/coluna de direção, ruídos internos…) e o péssimo pós vendas aqui da cidade, perdi totalmente o tesão no carro.
        Diria que caímos na rotina. Não há aquela empolgação inicial de inicio de relacionamento… hahahaha

        • MauroRF

          Hahahaha, verdade.

          Sim, eu perdi o tesão no carro por conta desse problema, porque, enquanto funcionava normal, era gostoso de guiar. Aí, cai na rotina mesmo, Aí, aconteceu o que eu disse em tom de brincadeira alguns posts para baixo: “terminei” o “casamento” com a Ford e “comecei a namorar” uma “japonesa” (que minha esposa não ouça isso, kkkkkkkkkkk).

        • Offspring

          Uma sacanagem não colocarem o mesmo câmbio Powershift do Focus 2.0 e Volvos no Ecosport, Focus 1.6 e Fiesta. MUITA sacanagem, diga-se.

    • Gustavobrtt

      Isso pq o powershift do NF era “mágico” srsrrssr
      Demorou mas as pessoas se tocaram que o NF não é nada mais que um projeto de baixo custo.
      Confesso que também fui iludido, mas ainda bem que a Ford subiu os preços a patamares que eu não consegui acompanhar, senão teria entrado na onda. Sinto por quem comprou.

      • No_Name

        LOL… Projeto de “baixo custo” (a fabricante, é claro) é Gol, Onix, HB20, Fox, Logan/Sandero, Palio, Uno, Ka etc, fera. Não confunda alhos com bugalhos. Tecnicamente falando, o Fiesta daqui é exatamente igual ao oferecido no primeiro mundo. A transmissão é a mesma no mundo todo e os problemas dela também percorrem o mundo.

        • Silas Rana

          Eu ia me dar ao trabalho de responder, mas você já deu uma ótima resposta! Obrigado! :D

    • shdn2010

      Foi exatamente o que pensei quando li a reportagem…. powershift….

  • duhehe

    “No local, a Ford testou dois projetos globais, o EcoSport e o Novo Ka.”
    Devem ter contrato o Serginho malandro para testar o Ecosport.
    No final do dia perguntavam e ai : Ficou bom ? A resposta era: iéié.
    Ai ficou essa carroça que alguns tem coragem de comprar.

    • Rodrigo

      Estranho… a Ford inaugurou este segmento no Brasil e reinou por mais de uma década, perdendo a liderança só agora para competidores que finalmente acertaram a mão.
      Demorou para baterem essa “carroça”, hein!

      • No_Name

        Também acho exagerado dizer que é uma carroça. O carrinho tem seus méritos e bônus, só está desatualizado pois subestimaram a concorrência. Agora a Ford tem que correr atrás.

      • CharlesAle

        Não acho a Eco uma carroça. Seus maior problema é pouco espaço e acabamento sem refinamento, mas moderno. Me diga, antes da HRV , qual mini SUV nacional oferecia tudo que ela oferece de equipamentos…

        • Robinho

          carroça para quen não tem ou não gosta, temos 4 na familia e ja houve carros muito piores. aff.

      • duhehe

        Você mesmo ja respondeu, inaugurou o segmento e ficou um bom tempo sem competidores ( Duster é tão ou mais carroça).
        Inaugurar o segmento não significa que o carro seja exatamente bom.
        Há quem goste, a esses eu recomendo conhecer outros carros.

        • Rodrigo

          É aceitável não gostar de determinado modelo. Não é obrigação gostar porque a maioria gosta!
          Mas as outras montadoras levaram mais de 10 anos para entender a fórmula deste veículo para poder finalmente competir.
          Inaugurar o segmento não significa ter o produto extremamente bom, mas manter-se na liderança por 12 anos sem ameaça real mostra que foi difícil superá-lo, pois é um produto bom.
          Eu queria uma carroça dessa em casa!

          • duhehe

            Concordo que a formula dele era unica, afinal era um SUV proveniente de um compacto de entrada, algo completamente fora dos padrões e sem sentido até então.
            Tanto que os outros que existiam era SUV de medios como Tiguan, Q3….
            As outras montadoras não entenderam o que fazia da Eco um segmento a parte, tanto que lançaram Palio Adventure Locker e CrossFox justamente por achar que aqueles carros eram ao menos parecidos com a Eco.
            Até obtiveram sucesso, embora que considere esses cross muito piores que o Ecosport dinamicamente falando.

    • Peraldiano

      O problema é que a Ecosport é feita lá na Bahia e o responsável pelo teste passou o dia deitado numa rede tomando água de côco.

      • leomix leo

        Oxente, sou baiano e não passo o dia deitado em rede e não gosto de água de côco. Reveja seus conceitos.

      • Paulo Reis

        parabens, deixou claro seu preconceito!

      • Rodrigo

        Argumentação bem convincente… Como muitos comentaristas do NA.
        Conteúdo zero, preconceito e raiva 10.

      • Clayton Martins

        Você é italiano?

  • iCardeX

    Enquanto isso na Alemanha…..

    https://www.youtube.com/watch?v=BoBLXQ5swW8

    • No_Name

      Todas fabricantes praticamente fazem esse teste automatizado de estresse com o monobloco ou chassis. A Mercedes-Benz já fazia, de uma forma mais rústica, com seus caminhões nos anos 1960. Novidade talvez, entre os players, seja esse teste de ficar testando as portas inúmeras vezes.

      • iCardeX

        Não devem ter feito com o meu antigo G5. A cada 7.000km ele perdia o alinhamento. As pancadas na suspensão me irritavam ao limite. Em estrada de terra, vinham poeiras sabe-se lá de onde, capazes até de sufocar o próprio motorista. Falar nisso, o veículo tinha ar-condicionado sem filtro de poeira e pólen (que constava no manual para troca em revisão obrigatória). Ruídos? Não fosse suficiente, me presentearam com grilos de tudo quanto é tipo, em vários pontos. Fui obrigado a desmontar os forros de todas as portas para verificar que diabos de projeto era aquele donde minavam grilos… Chegou a beirar o cúmulo do ridículo ter que refazer com as próprias mãos o serviços porco da VW. Dá uma olhadinha nessas fotos, e veja com os seus próprios olhos que o proprietário teve que dar um “jeitinho” em veículo que custou R$ 37.800,00 em 2009, com menos de 30.000km..

        • afonso200

          só digo uma coisa, voce ainda tem ele ??? se voce vendeu, creio que voce vendeu com orgulho e disse VW nunca mais

          • iCardeX

            Vendi com 178.000Km. Mecanicamente nada quebrou, mas que esse carro me irritou com os seus ruídos e certas fragilidades da própria montagem, isso eu garanto com todas letras.

            Já o Golf Mk7 no padrão alemão parece ter sido fabricado em outro nível. Aos 70.000km esse veículo ainda não precisou fazer sequer um único alinhamento ou balanceamento. Nem mesmo quando levou uma porrada na roda traseira por conta de uma colisão lateiral/traseira aos 25.000km. Incrível: Foi para a uma máquina de alinhamento 3D (em uma especialista pilantra daquelas) e nem mesmo a máquina deles conseguiu identificar qualquer variação na posição da roda. Não satisfeito levei para análise na máquina da autorizada, e novamente sem constatação de valores fora do padrão. Semana passada peguei uma estrada de terra com aquelas “costelinhas” terríveis. E dentro do Golf eu não sentia o retorno de impacto de nada. Nada….

            Há um abismo tecnológico sem tamanho e dimensão entre o Gol e Golf.

            • Paulo Reis

              Por curiosidade, tenho um focus 08 MK1 com 186 mil KM, sempre q levo para alinhar, rodizio e balanceamento, nada de desvio! Chego a suspeitar do alinhador, que é uma maquina Bosh. Ja tive fiesta e fox, tipo a cada 20 mil km tinha cambagem… fora os alinhamentos. Pneus duram entre 65 a 75 mil, depende da marca. Sei bem como esta se sentindo com um carro bom, até hj não consigo largar o osso, o carro simplesmente não dá nenhum defeito, somente preventiva. Acho que cada marca tem sua jóia, basta descobir…

              • iCardeX

                Rapaz, e o detalhe é que eu sou chato: para mim ou funciona a 100% ou está ruim. Tanto é que eu já tenho peças do Golf para reposição (hábito herdado do Gol) imediata e que ainda estão lacradas como, por exemplo, os limpadores de vidros e pastilhas de freio. No Gol os limpadores duravam, no máximo, 1 ano. Esse Golf beirando os 2 anos ainda estão com os mesmos limpadores. Agora 7 alinhamentos e balanceamentos do Gol contra nenhum do Golf para um intervalo de 70.000km (21 meses, para ambos), nos mesmos percursos, foi muita apelação construtiva da alemanha.

            • zekinha71

              Deve ser assim: Alemanha vamos fazer um carro, surge o Golf, no Brasil faz qualquer coisa pra vender caro, surge um Gol, e as outras montadoras devem ser assim também.

              • iCardeX

                E desmontar as portas do G5 só me trouxe mais raiva: havia muita sujeira, umidade impregnada, e até lama no compartimento de acomodação do vidro (quando ele desce). Aquele espaço atrás do ridículo forro de plástico branco. Tenho absoluta certeza que aquela parte do veículo não aguentaria 10 anos de garantia corrosiva. E nunca que se poderia chamar aquelas chapinhas (podiam ser amassadas à mão) dentro da porta do G5 de barras de proteção.

                • No_Name

                  Essa é a diferença de um carro de terceiro mundo para um de primeiro. Os detalhes mais importantes estão escondidos, pena que gente como você para perceber essa diferença são poucas… E isso não deve ser diferente com Onix, Fox, HB20, Ka etc…

        • lucas

          Tenho um clio e já fiz tudo isso também. Tem mais fita anti-ruído que plástico. Sábado passado tive que colocar em mais pontos pq não aguentava mais tanto lugar batendo. Resumindo, qualidade brasileira dos carros.

          • iCardeX

            Primeir eu tentei utilizar espuma de baixa densidade com cola, mas ficou difícil montar a parte plástica à parte metálica da porta porque havia pouquíssimo espaço para manter a pressão dos fixadores e seus 3 únicos parafusos. Tive que partir para adesivos de borracha, e fita de espuma adesivada que não foram nada baratos.

            • lucas

              Dá uma olhada depois no mercado livre sobre estas fitas, são baratas. No meu foi uma benção, resolvi muitos problemas com ela. Aprendi a usar com a concessionária, que também tacou este tipo de fita quando o carro estava com apenas 1.000 KM rodados. Já andei também num gol que tinha apenas 10 mil rodados e batia mais que escola de samba no auge do desfile, bem sofrível. O pior de tudo, pra nós que somos donos do carro, irrita de uma forma que se pudesse dava vontade de quebrar tudo e ir comprar outro carro. Rsrsrsrs

              • iCardeX

                Eu levei 6 meses para percorrer 30.000km. Saí da concessionária com os vidros semi-abertos e seus irritantes ruídos. Eu só podia andar ou com os vidros completamente levantadas, ou completamente recolhidos.

                • lucas

                  O vidro do lado do motorista do meu carro bate desde quando saiu da concessionária e sempre me informaram que era característica do carro. Chegou um dia que eu estressei e larguei de mão, nunca mais voltei na para fazer serviços. Atualmente só compro peças.

  • iCardeX

    Pronto! Manda essa bagaça para o teste…..

    https://www.youtube.com/watch?v=kNqHnAjc1e8

  • Rodrigo

    Tive a impressão que ficou faltando a marca de notícia patrocinada…
    Acho interessante todo esse investimento em testes, mas precisa ter resultado prático. Testar por testar não surte resultado. Pode rodar 3 trilhões de quilômetros.

    • André

      Já tive 1 Corcel, 1 Del Rey, 2 Escort, 1 Fiesta e 3 Focus. Todos foram carros muito bons e sou fã de carteirinha da Ford, com exceção da Ecosport (odeio estepe pendurado), compraria outro Ford sem nenhum problema.

      • Silas Rana

        A raiz dos problemas não são os carros em si. É a Ford mesmo.
        Meu pai já teve diversas belinas quando era novo. Tivemos um Escort L 1.8 (o AP fruto da Autolatina) por 8 anos. Meu pai comprou 0km em 1992 e ficamos até 2000 com ele. Foram perto dos 300 mil km sem nenhum problema mecânico grave, porém diversos pequenos problemas de acabamento e pintura do carro (que esbranquiçava com o tempo…).
        Em 2010 tivemos um Focus sedan também comprado 0km e, antes dos 1000 km houve um problema no câmbio mecânico e, pouco depois, problemas nos amortecedores dianteiros. Mesmo havendo o famoso ‘recall branco’ por parte da montadora, houve muita relutância para eu conseguir a troca.
        Agora, o Fiesta Sedan Powershift e seu famigerado problema da trepidação no câmbio (sem contar diversos outros problemas menores).
        O que mata é a morosidade da fábrica e o pós vendas pífio. Ninguém sabe, ninguém viu… concessionária nega o problema com todas as forças.
        Sinceramente, gosto muito da marca. O NF é um baita de um carro, econômico, forte, bonito e bom de dirigir. Mas, certamente, será o último Ford! Infelizmente hoje, não compramos só um carro, pagamos por uma garantia estendida que, pelo menos aqui no interior de sp onde eu moro, não funciona…

        • Offspring

          A Ford sabe que estes câmbios do Fiesta, Focus 1.6 e Ecosport são versões antigas e que sempre muito criticadas há quase uma década lá fora.

          Fazem recall branco e colocam o Powershift do Focus 2.0/Volvo e ai o problema some.

          Mas o pós-venda Ford é de me dar raiva…………

      • MauroRF

        Eu também, André, tive inúmeros Fords por 13 anos, até o Fiesta PowerShift dar problemas e eu ser tratado com descaso. Aí, acabou o casamento, e “comecei a namorar” uma “japonesa”.

        • afonso200

          eu fui pra uma Coreana

          • André

            Só falta agora alguém dizer que pegou uma chinesa. rsrsrs

            • afonso200

              china nao, hehe, coreana V6

      • Robinho

        eu tbm, alias para mim hj é Ford, Honda ou um Nissam Sentra…o resto é resto.

  • No_Name

    E cadê o game???

  • Darwin Rigamonti

    Aproveitei pra postar sobre o meu New Fiesta TREMEshift que não resolveram. Uma droga. Todo mundo que anda no carro pergunta instantaneamente qual o problema do carro.

    • No_Name

      Kkkkk. Sei que não deveria rir, mas eu ri na parte que todo mundo que anda pergunta instantaneamente qual o problema do carro.

      • MauroRF

        O PowerShift sofre de Mal de Parkison, rsrsrs.

        • No_Name

          Tragicômico haha.

  • Bruno Gomes

    250.000.000km que não foram suficientes para avaliação do New Fiesta antes da nacionalização, afinal já perdi as contas de quantos defeitos esse carro tem apresentado!

    • No_Name

      Esse negócio do PowerShift tá ficando tenso na net, o povo tá mais revoltado com essa transmissão do que com a Dilma rsrsrs.
      O PowerShift do Fiesta é uma caixa antiga, a Getrag 6DCT250, que teve seu desenvolvimento concluído em 2003 e lançada ao mercado em 2007. Foi uma das primeiras DCT disponíveis para automóveis comuns de passeio. Acho que por ser a primeira, os erros são quase inevitáveis. Os japas passaram anos testando o CVT até decidirem colocar no mercado…

      • Gustavo73

        O do Focus é diferente? Ou pelo menos no 1.6 é a mesma.

        • No_Name

          Focus usa outra transmissão, a Getrag 6DCT450, de 2008. Essa, inclusive, é ou foi aplicada em alguns Volvo.

          • Gustavo73

            Fiz a pergunta pois das reclamações que leio. A infinita maioria é sobre o Fiesta, um número muito menor no Focus 1.6 e algo ínfimo no 2.0, todos com o powershift. As mais acaloradas são sempre no Fiesta.

            • MauroRF

              De Focus 1.6 eu já vi sim, inclusive na CSS onde eu levava meu ex-Fiesta. Do 2.0 tem casos isolados. Mas, acredito que seja ínfimo por vender menos, também.

              • Gustavo73

                Sim, no Focus 1.6 também li. Mas bem menos que no irmão menor. O Focus 1.6 16v algumas no 2.0 apesar de falarem em alguma lentidão em algumas trocas, não é nada grave. Mas tem mais Focus 2.0 Powershift nas ruas que inclui o sedan, que o Focus 1.6 16v com powershift que era opção em uma única versão. Acho que inclusive foi um doa motivos dele sair de linha.

                • No_Name

                  Quase todos os Focus com PowerShift, diria que uns 85%, são 2.0. A diferença de preço do 1.6 para o maior era ínfima, o que fazia quase todos optarem pelo 2.0. A caixa que equipa os carros com o Duratec tem uma incidência baixíssima relacionada a problemas, no mesmo nível dos carros com DSG (que também apresenta problemas com alguns).
                  O problema mesmo está nessa transmissão do Fiesta.

                  • Gustavo73

                    Por isso a pergunta anterior. E sim o dsg também tem algumas reclamações. Mas bem pouxas como retenção de marchas em pisos deteriorados. No caso do barulhos, na infinita maioria os relatos são em baixa velocidade novamente em pisos ruin(normalmente paralelepípedo mal conservado) com som desligado e vidros abertos. Alguns falam que ainda tem que ter uma barreira para o som retornar como uma parede. O Powershift na versão 2.0 parece funcionar bem, pode não ter o ajuste fino do DSG que está no mercado a mais tempo. Mas nem de longe parece ter os problemas do Fiesta.

                    • MauroRF

                      E o Focus 2.0 é bem rápido, já tive o prazer de guiar um, o DSG ainda não.

                    • Gustavo73

                      Eu já dirigi o dsg, é muito rápido. Mas nunca o powershift, mas mesmo lá fora com o powershift atrelado ao Ecoboost as análises sempre falam no dsg ainda ser a referência. Em parte o fato de ter mais tempo conta. Afinal os ajustes aconteceram antes. Gosto do Fiesta e fiquei “procurando” com os relatos do powershift. No início fiquei com o pé atrás nos comentários. Achei que era gente criando fatos pelos comentários doa barulhos no DSG. Mas com os relatos aumentando, inclusive de comentaristas frequentes do site e que tinham o Fiesta vi que era verdade. Espero que a Ford ajeita isso, pois sabemos como é aqui. Pra generalizar e os dct nos compactos ficarem queimados não custa.

            • Peraldiano

              Simples, o Fiesta vende mais do que os outros.

              • Gustavo73

                Pelos comentários aqui, inclusive de gente que trabalha na Ford o problema é o powershift colocado no Fiesta mesmo. E nem todo Fiesta mesmo 1.6 tem o powershift, mas todo Focus 2.0 tem.

      • MauroRF

        KKKKKKKKKK, agora eu ri com “o povo tá mais revoltado com essa transmissão do que com a Dilma”.

        Tive um Fiesta Titanium com esse famigerado câmbio. Começou a tremer, sofri o descaso da Ford e, antes que o carro começasse a trepidar muito, vendi (fiz isso em maio, e pelo que percebi, fiz a coisa certa, pois o câmbio está se queimando).

        • No_Name

          Daqui a pouco vão pedir pra Ford sair do país, impeachment! KKKKK!
          O Fiesta é um ótimo carro e tem uma ótima reputação. Vão colocar tudo a perder com o nome se persistirem esses problemas.

  • V.mario

    Acho que qualquer modelo de carro, independentemente da marca, antes de ser lançado, a montadora deveria rodar no mínimo 120.000 km por unidade de teste em média.

    Não adianta a montadora dizer que rodou 1.000.000 km para lançar um carro, utilizando-se 80 unidades de testes para isso.

  • afonso200

    gostaria de ser piloto de testes, mas isso requer formação em engenharia automotiva

    • André

      Conheço 2 pilotos de teste, um trabalhou durante anos na Ford e o outro foi demitido mês passado da GM. Nenhum dos 2 tem terceiro grau completo.

      • No_Name

        Talvez sejam “das antigas” porque atualmente as fábricas procuram colocar pessoas com formação nessa profissão.

        • André

          Fato, são das antigas.

          • Davi P. Ribeiro

            Na Ford não existem mais pilotos de testes, que foram substituídos por motoristas terceirizados que fazem o serviço de condução, todos são técnicos. (2º grau)

  • Robinho

    Não vou dizer que a Ford é uma santa…mas na minha experiencia de carros é uma das poucas que não me deu dor de cabeça…e aprendi a gostar justamente porque na minha familia tem varios Ford, com exceção de um caso, o resto foi e esta sendo muito bem avaliado (inclusive a Eco que tantos criticam e juro que não consigo entender).

  • Wall André

    Eu não sei pessoal, eu devo ser muito sortudo, pois tenho um focus sedan se 2014-15 com o powershift e não tem nenhuma trepidação!! OBS: 38mil km!

  • Agenor Souza

    Jura que o Eco passou por este campo de provas ?

  • Airplane

    Pelo menos para a Powershift do Fiesta de nada adiantou a quilometragem de testes pois essa transmissão é uma m…, só dá problema A Ford está jogando dinheiro fora pois os testes não foram efetivos.

  • Robinho

    Imagine esta noticia das outras montadoras que não fosse as japonesas…eu diria que também estão jogando dinheiro fora…



Send this to friend