Ford Bronco Sport 1.5 EcoBoost chega ao Uruguai – Brasil espera

Ford Bronco Sport 1.5 EcoBoost chega ao Uruguai - Brasil espera

O Ford Bronco Sport já está disponível no mercado uruguaio, mas com motor 1.5 EcoBoost, não disponível por aqui. Contudo, o preço é altamente salgado, custando US$ 49.900 ou R$ 257,2 mil.

Aqui, o Bronco Sport 2.0 EcoBoost custa R$ 264.690, por exemplo. No vizinho do sul, contudo, há somente opção do motor menor, oferecido na versão Big Bend, com tração nas quatro rodas e câmbio automático.

Ford Bronco Sport 1.5 EcoBoost chega ao Uruguai - Brasil espera

Nessa configuração, o Bronco Sport para os uruguaios vem com o 1.5 EcoBoost de três cilindros, com 175 cavalos a 6.000 rpm e 26,2 kgfm a 3.000 rpm. Com turbo e injeção direta, o propulsor trabalha com câmbio automático de oito marchas.

Tendo esse conjunto, o SUV da Ford vai de 0 a 100 km/h em 10,1 segundos com máxima de 194 km/h. O sistema de tração AWD é o mesmo empregado com motor 2.0 EcoBoost, que aqui entrega 240 cavalos e 37,9 kgfm.

Bem equipada, vem com nove airbags, ar-condicionado dual zone, faróis full LED, lanternas em LED, SYNC 3, rodas de liga leve aro 18 polegadas, bancos em couro, modos de condução, sensor de chuva e crepuscular, monitoramento em 360 graus, carregamento indutivo de smartphone, entre outros.

Ford Bronco Sport 1.5 EcoBoost chega ao Uruguai - Brasil espera

O pacote é bem completo, mas o preço é exorbitante em dólar, ainda mais com a cotação atual. Por aqui, o Bronco Sport vem somente na versão Wildtrak, criada especialmente para o mercado nacional.

Com praticamente os mesmos itens do Big Bend, o SUV tem espaço para crescer no mercado brasileiro, oferecendo uma ou mais versões com motor 1.5 EcoBoost e, em algum momento, substituir o Territory.

Ford Bronco Sport 1.5 EcoBoost chega ao Uruguai - Brasil espera

O lado ruim é a importação do México, cotada em dólar e com custo de logística marítima, assim como a dependência de disponibilidade de produção em Hermosillo, que atende o importante mercado americano e o canadense.

Com pandemia, escassez de chips e outros imbróglios, ampliar a gama será mais difícil e isso ficará mais evidente com a Maverick, em 2022, também tendo que enfrentar as mesmas dificuldades.

[Fonte: Autoblog Uruguai]

 

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.