_Destaque Antigos Clássicos Conversíveis Esportivos Ford Hatches

Ford comemora 35 anos do clássico esportivo Escort XR3

escort-xr3-4 Ford comemora 35 anos do clássico esportivo Escort XR3

Para quem tem mais idade, um clássico do segmento de esportivos do mercado nacional está fazendo 35 anos de lançamento na Europa e 34 de Brasil. Em 1983, a Ford lançava no Brasil o Escort XR3, exatamente como o europeu, lançado em 1982, embora sem injeção eletrônica.



Equipado com motor CHT 1.6 a álcool, o Ford Escort XR3 entregava 82,9 cv e vinha com defletor dianteiro, aerofólio traseiro, teto solar de vidro com persiana interna, faróis de longo alcance com lavadores e de neblina. O interior tinha bancos esportivos e painel bem equipado. Na época, seu visual garantia o melhor coeficiente aerodinâmico do mercado (Cx 0,385).

escort-xr3-3 Ford comemora 35 anos do clássico esportivo Escort XR3

Dois anos depois, feito na Karmann-Ghia, surgia o Escort XR3 conversível, que vinha com sistema de acionamento manual que facilitava a movimentação da capota e vidro vigia traseiro com desembaçador elétrico. Em 1987, ganhou um facelift, que adicionou linhas mais suaves e para-choques de plástico envolventes que melhoraram a aerodinâmica, novas rodas de alumínio, aerofólio, painel com iluminação indireta e volante com revestimento imitando couro perfurado.

Já com a Autolatina, a Ford introduziu no XR3 o motor Volkswagen AP 1.8 com 99 cv. No ano seguinte, o esportivo recebeu aerofólio redesenhado e para-choques e saias na cor da carroceria, enquanto o conversível introduziu a capota com acionamento eletro-hidráulico. Em 1991, a versão mais desejada do Escort ganhou amortecedores ajustáveis com controle eletrônico, variando a carga conforme a velocidade. O item era de série no XR3 Fórmula, mas acabou virando opcional em 1992.

escort-xr3-2 Ford comemora 35 anos do clássico esportivo Escort XR3

Nesse mesmo ano, surge a segunda geração do Escort e com ela a do XR3. Maior e com melhor aerodinâmica, o esportivo da Ford veio com motor AP 2.0 de 115,5 cv, freio a disco nas quatro rodas e suspensão mais firme, além de faróis de duplo refletor e faróis de neblina no para-choque.

O Escort XR3 teve duas injeções no período: LE-Jetronic e EEC-IV. Em 1996, o Escort deixa a produção nacional e vai para a Argentina. O nome XR3 morre e dá lugar ao “Racer”. A partir daí, surge o RS com motor Zetec 1.8 um ano depois. Em 2003, o Escort se despede para ressurgir em 2015 como um sedã chinês.

 

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Send this to a friend