*Destaque Argentina Ford SUVs

Ford EcoSport FreeStyle 4×4 2018 adianta na Argentina aventureiro Storm no Brasil

eco-4x4 Ford EcoSport FreeStyle 4x4 2018 adianta na Argentina aventureiro Storm no Brasil

Enquanto o personalizado Ford EcoSport Storm 2018 não chega, a filial argentina da marca americana já comercializa por lá o modelo na versão FreeStyle 4×4. Sim, ela já existia, mas com a última atualização do SUV compacto feito em Camaçari-BA, algumas mudanças importantes ocorreram para melhorar essa opção e fazer o concorrente Renault Duster 2018 correr atrás da bola.



No país vizinho, essa nova opção é chamada oficialmente de Ford EcoSport FreeStyle 2.0 Duractec GDI 4×4 AT. Pelo que o nome indica, as novidades aparecem de cara. O SUV brasileiro chega aos hermanos com o motor 2.0 Duratec Direct com 170 cv e 20,5 kgfm, abastecido apenas por gasolina. O propulsor é bem mais possante que o antigo, que tinha injeção indireta e entregava até 147 cv.

eco-4x4 Ford EcoSport FreeStyle 4x4 2018 adianta na Argentina aventureiro Storm no Brasil

Outra mudança muito importante foi finalmente a retirada do câmbio manual de seis marchas em prol de uma caixa automática de seis velocidades com conversor de torque. Isso vai gerar mais conforto ao dirigir esse 4×4 da Ford. (Se quiser saber como andava o modelo anterior, confira nossa Avaliação NA).

Além disso, o EcoSport FreeStyle 4×4 na Argentina agrega o mesmo pacote de equipamentos da versão com outra motorização, que inclui sensor de estacionamento, câmera de ré, navegador GPS, SYNC 3 com Android Auto e Car Play, AppLink, comandos de voz, faróis de neblina, rodas de liga leve aro 16 polegadas, bancos em tecido e couro, volante em couro, ar-condicionado automático, piloto automático, entre outros. Por lá, ele custa 524.400 ou cerca de R$ 84,3 mil.

eco-4x4 Ford EcoSport FreeStyle 4x4 2018 adianta na Argentina aventureiro Storm no Brasil

Aqui, o EcoSport 4×4 será chamado Storm e virá completamente personalizado. Uma cor laranja bem chamativa será o destaque do modelo, que ainda contará com faixas decorativas em várias partes da carroceria, barras longitudinais e transversais no teto exclusivas, rodas de liga leve esportivas e escurecidas, saias de rodas e proteções laterais pretas, para-choque atualizado com proteção adicional e acabamento escurecido nos detalhes, em especial na grade, que ostentará um enorme “Storm”. Os faróis terão máscara negra.

Maçanetas, retrovisores, lanternas escurecidas, entre outros, farão parte do pacote visual, que no interior terá detalhes em tonalidade laranja como destaque, além de SYNC 3 com os sistemas de Google e Apple, bem como o cluster com TFT de 4,2 polegadas, entre outros. Assim como no argentino, o brasileiro terá também motor 2.0 Duratec Direct com até 176 cv e transmissão automática de seis velocidades. Preço? Saberemos no lançamento, mas de antemão, o anterior estava sendo vendido por R$ 91.000. Com essa versão mais radical, a Ford espera ampliar as vendas do EcoSport, que em 2017 vendeu 31.195 exemplares e ficou em 21º entre os automóveis e sexto no segmento.

COMPARTILHAR:
  • DevXav

    Ao meu ver, vai vender bem sim, principalmente pela falta de opções 4×4 nessa categoria e faixa de preço. A Tracker por exemplo não tem essa opção.

    • leandro

      Eu mesmo fiquei esperando desde agosto ou a 4×4 ou a 1.5 titanium, como não saiu peguei a freestyle 1.5 AT mesmo.
      Só posso dizer uma coisa desse carro: que saudades do powerShift do meu New Fiesta..

      • No_Name

        Esse câmbio AT do Eco parece que dá uns tranquinhos, né?

        • leandro

          Tranco muito raro e não chega a ser problema, o problema maior dele é mania de redução… Pra cidade fica bom, mas na estrada irrita a mania dele de sempre ficar voltando marcha.
          o PowerShift mantinha o carro mais vivo na sua mão, tá difícil acostumar com AT convencional novamente depois de usar um DCT

          • MauroRF

            Opa, não tinha lido aqui, então pegou a Freestyle 1.5 (alguns comentários abaixo, eu tinha perguntado qual você pegou). Não guiei a minha na estrada ainda (na verdade, apenas peguei a Rodovia Anchieta, quando vou do ABC, onde moro, para SP capital, mas são 6 km apenas, é muito pouco de “estrada” (nesse trecho, tá mais para avenida Anchieta, rsrsrsrs). Pelo menos nesse trecho que guio, não notei redução desnecessária, nem na cidade. Na cidade, algumas vezes, ele segura um pouco, mas nesse pouco trecho de estrada, ele só reduz se pisar mais fundo ou se, numa subida, a rotação estiver baixa a ponto de fazer o carro perder velocidade. E ele sobe marcha logo, tipo, aliviou o pé, ele sobe a marcha. Quando eu fico andando de boa na cidade, pisando pouco, mal se escuta o motor, pois a rotação fica sempre baixa. Talvez tenham feito essa programação no câmbio na versão 1.5, pela menor potência do motor, mas nada que uma reprogramação não resolva. Outra coisa é o “creeping” dele, não sei na sua 1.5, mas na 2.0 é muito forte. Parado no semáforo, se estiver em D, mesmo com o pé no freio, ele fica empurrando bem o carro, é exagerado. Se o semáforo ou a parada demorarem um pouco, eu coloco em N logo porque chega a irritar. Vou ver se entro em contato com a Ford para relatar isso porque é algo irritante. Quanto ao câmbio, sem trancos, trocas muito suaves, eu gostei. E a 2.0, se pisar fundo, você vê o ponteiro do velocímetro subindo rápido, rsrsrs, as retomadas são bem ágeis, gostei sim. O consumo está entre 8,5 e 9 km/l na gasolina, vamos ver se melhora um pouco depois que amaciar.

            • leandro

              O creeping é muito forte sim, tão forte que passar do ‘R’ pro ‘P’ dá um tranco perceptível, eu já tinha reparado isso no test drive. Minha patroa quando pegou primeira vez assustou.
              Eu ainda não acostumei completamente sair de Sedan pra um SUV, mas tem hora que acho q tô dirigindo uma pata choca, não por potência pq o 1.5 dá conta (sem louvor), mas sim pelo fator trombolho… Já tomei susto em curva umas 3x

              • MauroRF

                Kkkkkkkk, também nunca tive um SUV. Nos primeiros dias, estranhei ter aquela visão toda alta, mas agora acostumei bem e estou gostando. Dá a sensação de poder antever algumas coisas por estar mais alto e enxergando um pouco além. Até por isso, eu estou andando com mais cuidado. Sim, é um trambolho mesmo, rs. Em curva, achei que ela segura muito bem por ser SUV. Guiei uma vez uma Eco 2008 de um amigo por poucos km e me lembro bem de que aquela era bem molenga em curvas. A atual tá muito melhor nesse quesito.

                • Edson Fernandes

                  É Mauro… vejo que seu trajeto não é tão pesado de transito…rs

                  Isso permite boas médias como a que vc citou. Você pega a Lions?

                  • MauroRF

                    Fala, Edson!

                    Sim, eu notei já que quando a gente pega avenidas que permitem desenvolver uma velocidade um pouco maior e um pouco mais constante, como uma Avenida Lions ou dos Bandeirantes, as médias melhoram bem. No meu caso, se eu ficar andando bem localmente, se fizer 8 km/l será muito. Isso vale para qualquer carro. Quando eu falo localmente é, por exemplo, ficar andando só em ruas de bairro, desenvolvendo velocidade baixa, para ir de casa ao mercado que não fica muito longe, de casa ao centro da cidade, sabe esses trajetos curtos?

                    Sim, pego a Lions sim.

                    Então, quando vou a SP, seja levando a esposa no médico (na Unifesp, na Vila Clementino, ela precisa fazer um acompanhamento médico lá), seja visitando cliente, indo a alguma reunião ou visitando parente, procuro sempre ir fora do horário de pico, mas não adianta muito, pois tem dia que não precisa ser horário de pico para pegar trânsito. Só para você ter uma noção, nestes dias que fui com a Eco para SP, eu sempre peguei o trânsito parado na Anchieta no sentido capital, e parado desde o km 13 até o 10, ali na saída para a Rua Vergueiro. É incrível, aquele trecho, muitas vezes, fica congestionado durante o dia ou ainda tipo 6 e pouco da manhã. Isso mesmo 6h da manhã aquilo começa a travar, rs. Já na Lions, tem vez que fica carregado entre mais ou menos a Senador Vergueiro, em SBC, até a saída para a Anchieta. Nestes dias, por sorte, foi só uma vez que peguei trânsito moroso ali. Porém, na Anchieta, foram todas as vezes, rs. No mais, depois peguei o trânsito normal/carregado de horário de vale. Outro lugar que costuma travar é na subida da Loefgreen: na maioria das vezes, trava lá pra baixo, a partir da Rua Prof Tranquili ou da Rua Jureia e só melhora depois que cruza a Domingos de Morais. Cara, aquele subidão da Loefgreen antes de chegar à Afonso Celso é um trecho fritador de embreagem, kkkkkk. Imagina um anda-para naquela subida íngreme. Vou te dizer que, naquele trecho específico ali, ter um carro com transmissão AT e hill holder é uma grande salvação, rsrsrs.

                    Mas sim, resumindo, não sou daqueles que vai para SP no horário de pico e leva, 2, até 3h para ir do ABC a algum ponto da Zona Sul, por exemplo. Nesse caso, as médias seriam péssimas, mesmo com um 3 cilindros econômico.

                    • Edson Fernandes

                      Eu imagino. Sobre essa subida… não tem jeito, meu carro não tem hill holder, então é hand holder mesmo…rsrsrsrs

              • Edson Fernandes

                Leandro, costume passar de R ou D para N, para depois ir para o P. Pois qdo vc joga direto para o P, ele joga o peso do carro parao cambio. Talvez inclusive, assim seja mais suave.

                • MauroRF

                  Edson, corrija-me se eu estiver errado, mas o que faço é, estando em D: com o pé no freio, coloco em N. Tiro o pé do freio, piso no freio de novo, e coloco em P. Aí solto o pé do freio. Estando em R, a mesma coisa: para N, tiro pé do freio, piso de novo e coloco em P.

                  O que está irritando na Eco, e isso vou entrar em contato com a Ford, é o creeping: é muito exagerado. Todo mundo está notando isso/reclamando disso. Se a parada demorar mais que, digamos, 10s, eu já coloco em N. Parado, em D, parece que tem alguém empurrando o carro com força. No mais, o carro é muito bom.

                  • Edson Fernandes

                    Eu além do que você faz, puxo o freio de mão para sentir o carro “parando” no freio de mão.

                    Depois jogo no P.

                    Sobre o creeping: Me lembro que minha esposa quase bateu um Fusion 2.5 (que tinha um creeping muito forte) e não foi problema de braço, foi assustador como ele saiu forte.

                    Sobre o Eco: Eu já li de alguns donos mesmo. Talvez isso tenha sido feito para evitar com que o carro volte para trás em alguma situação.

                    Mas é bom verificar se já existe atualização de fato.

              • Leandro

                Carro alto, não tem mágica. As ecos antigas vinham com um aviso de risco de capotamento no quebra-sol, não sei essa nova… Não dá pra abusar, pois o centro de gravidade é alto.

            • Leandro Balmant

              Nossa. Meu pai tem uma Freestyle 1.6 manual e faz 6 km/l na cidade e 12 km/l na estrada com gasolina.

          • Edson Fernandes

            Leandro, nessas condições não seria melhor tentar utilizar o modo sequencial para apenas segurar a marcha mais alta e ver se o carro consegue manter a velocidade?

            Algo que você vai perceber se já não percebeu… mas a sexta marcha geralmente num cambio como do Ecosport, tem bem menos força que as demais e então acontece redução mesmo. Mas… o modo sequencial pode lhe ajudar se tiver certeza que irá suprir a necessidade de força de um aclive não tão acentuado.

            • MauroRF

              Sim, notei que é um overdrive mesmo a sexta. Em sexta, a 120 km/h, fica algo como 2550-2600 RPM. No meu, se andar na manha em trânsito urbano, ele sobe marcha e deixa o giro sempre baixo, praticamente não se escuta o motor. Eu gostei da programação e da suavidade das trocas dele. A única coisa de que não gostei foi o creeping mesmo.

            • leandro

              Você tem razão, a sexta marcha dele é bem fraca, no trajeto que faço são 80km de serra então o câmbio quase não vê a sexta, diferente do PowerShift que não tinha medo de testar marcha.
              Outra coisa que notei de diferença é q nesse AT convencional a retomada é muito mais lenta, dá pra rezar um terço durante a ultrapassagem se vc não calcular bem, coisa que também não acontecia no PS.
              Já com relação a usar as marchas sequenciais se usar ele com o câmbio no D ela fica só 5 segundos na marcha selecionada, se usar no S ele trava o câmbio em modo manual

              • MauroRF

                Leandro, será que isso tem a ver com a programação do câmbio ou seria uma “limitação”? Digo, agora, o câmbio é tradicional, com conversor de torque, então há perda de potência. No 1.6 antigo com PS, não tinha essa perda, e as trocas eram “diretas”. Nas retomadas, tem aquilo que te disse ontem, pode ser que depois, com o motor amaciado, isso melhore bem. Claro, no 2.0, com a força extra que ele tem, não tenho do que reclamar em retomadas.

                • leandro

                  Acho que é um pouco de programação e um pouco de diferencial muito longo. Penso q quem mora em região plana pode até gerar economia.

              • RVS

                Uma dica: se estiver em S, e usar os padrões, ele mantém em modo manual. Mas caso queira que o câmbio faça as trocas novamente, pressione e segure o paddle “+” por alguns poucos segundos e ele volta a trocar.

              • Edson Fernandes

                É…. pelo comportamento que voce está citando é isso mesmo que um cambio automatico faz.

                E é nessas horas que quem já teve dupla embreagem sente muita falta. Além do consumo menor.

                Muito do cambio que rouba força em determinadas situações com a necessidade do conversor para trazer o torque as rodas. Aí a sexta sente e troca para a quinta para ter força. No Fluence que é CVT, para evitar aumento de rotação, eu jogo no sequencial para ter mais controle.

          • Guilherme Batista

            Vendo seu relato penso o mesmo, saudade do Focus Powershift que tivemos aqui em casa, infelizmente tivemos que desfazer dele por questões financeiras, mas depois que se acostuma com aquelas trocas de marcha, é dificil de gostar de outra

            • Wilson Junior

              No Focus 2.0 esse cambio fica show mesmo.

          • Leandro

            isso aí, funcionando bem o PS é uma maravilha.

          • Wilson Junior

            Uma marca que tem feito bastante sucesso entre as montadoras é a japonesa Aisin, que produz o câmbio automático de seis velocidades que equipa diversos modelos da Peugeot (308, 408, 508, 3008 e RCZ), Citroën (C4 Lounge), Fiat Toro Flex, Jeep Renegade e Compass, entre outros. Entre os reparadores, esta é uma caixa de transmissão que tem pouco a dizer, pela robustez e qualidade e foi recentemente adotada também pelos Peugeot 208 e 2008.
            Eu particularmente achei que não casou esse cambio com o 1.5 da Eco nem com o 1.8 do Renegade.
            Já no Fusion ele ficou bom.

            • MauroRF

              Então, a 1.5 eu dirigi pouco, apenas em test-drive, então não deu para notar muita coisa. Eu tenho a Eco 2.0 Titanium 2018, o AT6 nela ficou bem legal, eu achei.

      • Tygra

        Esse é meu maior medo na hora de trocar de carro, como encontrar um câmbio tão bom como o powershift? Depois que vc se acostuma com um DCT, dificilmente consegue ficar satisfeito com AT convencional. Depois de 4 anos com o meu New Fiesta, eu tenho certeza que o powershift troca as marchas melhor que eu poderia fazer em 90% das situações. Na verdade, considero que ele é quase uma continuidade do meu cérebro, o tempo de troca, a agilidade das trocas e o uso da marcha ideal para cada situação é quase perfeita. Só não dou nota dez, porque em algumas situações de aclive (principalmente aqueles que não são tão ingrime) ele demora um pouco para reduzir marcha, mas nada que pisando fundo não resolva.

        • leandro

          Olha.. falar verdade com vc, coração tá apertado aqui achando q fiz lambança..
          Já tô planejando daqui uns 2 anos passar ele pra frente e pegar um Focus 2.0 Titanium e ficar com ele até começar a cair aos pedaços

        • leandro

          Olha.. falar verdade com vc, coração tá apertado aqui achando q fiz lambança..
          Já tô planejando daqui uns 2 anos passar ele pra frente e pegar um Focus 2.0 Titanium e ficar com ele até começar a cair aos pedaços

        • leandro

          Olha.. falar verdade com vc, coração tá apertado aqui achando q fiz lambança..
          Já tô planejando daqui uns 2 anos passar ele pra frente e pegar um Focus 2.0 Titanium e ficar com ele até começar a cair aos pedaços

          • Tygra

            Foi o que eu fiz, eu pensava em partir para um um sedan médio, mas aí parei para refletir: pra quê trocar de carro se o Fiesta está atendendo as minhas necessidades? Então resolvi continuar com o Fiesta. Só vou trocar de carro daqui dois ou três anos, até lá vou continuar sendo feliz com meu Fiesta e com o câmbio powershift.

            • MauroRF

              Se o PS não der nenhum problema, é um câmbio bom sim. Tomara que não dê. Pelo que andei lendo, os modelos fabricados de 2015 para cá dão bem menos problema.

      • Tygra

        Esse é meu maior medo na hora de trocar de carro, como encontrar um câmbio tão bom como o powershift? Depois que vc se acostuma com um DCT, dificilmente consegue ficar satisfeito com AT convencional. Depois de 4 anos com o meu New Fiesta, eu tenho certeza que o powershift troca as marchas melhor que eu poderia fazer em 90% das situações. Na verdade, considero que ele é quase uma continuidade do meu cérebro, o tempo de troca, a agilidade das trocas e o uso da marcha ideal para cada situação é quase perfeita. Só não dou nota dez, porque em algumas situações de aclive (principalmente aqueles que não são tão ingrime) ele demora um pouco para reduzir marcha, mas nada que pisando fundo não resolva.

      • Tygra

        Esse é meu maior medo na hora de trocar de carro, como encontrar um câmbio tão bom como o powershift? Depois que vc se acostuma com um DCT, dificilmente consegue ficar satisfeito com AT convencional. Depois de 4 anos com o meu New Fiesta, eu tenho certeza que o powershift troca as marchas melhor que eu poderia fazer em 90% das situações. Na verdade, considero que ele é quase uma continuidade do meu cérebro, o tempo de troca, a agilidade das trocas e o uso da marcha ideal para cada situação é quase perfeita. Só não dou nota dez, porque em algumas situações de aclive (principalmente aqueles que não são tão íngreme) ele demora um pouco para reduzir marcha, mas nada que pisando fundo não resolva.

        • Edson Fernandes

          Então, é questão de se acostumar.

          Eu acredito que a troca mais real sobre quem tem ou teve dupla embreagem, seriam os cambios de 8 ou 9 marchas. Eu tenho um carro com cambio CVT que eu adoro rodar em rotação baixa com ele (puxa com força).

          Mas a depender da situação, eu prefiro utilizar o modo sequencial do que deixar o CVT funcionar ao ganho de potencia e velocidade (as vezes eu quero apenas ter um ganho pequeno, mas o CVT despeja muita força e eu ganho mais velocidade do que gostaria).

          Então acredito que esses cambios com um numero de marcha maior, além de rapidos, se entender melhor com o motor. E eu considero eles uma evolução da dupla embreagem em termos de respostas e como eles atendem.

        • Paulo Reis

          Curioso o seu comentário, vendo as cíticas ao PS, o pessoal esquece que não se aplica a 100% dos carros vendidos com ele. Ficou 4 anos sem problemas e ainda contente a ponto de criticar um cambio AT que veio do fusion – lógico q estamos falando da experiencia DCT vs AT. Penso em pegar um focus PS no meu proximo carro, ouvi falar para evitar versões de 2013 até JAN/2016, onde a ford teve as maiores incidências de problemas.

          • MauroRF

            Precisaria entrar em contato com donos dos Focus fabricados de 2016 para cá para ter uma ideia. Pelo pouco que vi, tem bem menos reclamação do que de 2015 para trás.

            • Wilson Junior

              O Focus foram raros os problemas no cambio PS. Foram mais no Fiesta.
              Eu particularmente acho que esse cambio casou muito bem com o 2.0 do Focus.

              • MauroRF

                Tente imaginar 178 cv sem nenhuma perda de potência. Nunca dirigi esse 2.0 PS, mas deve andar que só.

        • alexandre

          Pois é amigo, para mim, dirigir está diretamente ligado a prazer. Troquei um 308 thp por um Focus 2.0 dct justamente porque o câmbio at convencional do Peugeot, apesar de ser um irretocável Aisin 6 marchas, anula muito aquele belo motor. Quase fui de 2008 thp (mt), mas senti a dianteira boba demais. Depois do Focus, só outro dct ou manual.

    • Rodrigo

      Acho que só o Renegade Diesel (bem mais caro) e o novo Vitara com All Grip (que na verdade é uma tração AWD). Abaixo disso só o Jimny mesmo.

      • Luis LC

        A tração do Renegade também é um on demand

        • Baetatrip

          A “reduzida” e somente a 1 marcha….. Nem a ré é reduzido…..
          Imagine… esse “unão” agarrado na lama ou valeta e quer dar ré….. Vai ficar uma merd@ pois e caixa alta!

      • Baetatrip

        NV e bom……… Moderninho!
        Mas prefiro o belo GV3 4×4 que e mais off road que da seguranca em viajar e tambem encarar mau caminhos… Nem NV entra (Carro de cidade …… Ae a SZK errou muito feio!)
        Aqui na A.Latina ainda tem GV3 4×4 0km….. Fico na maior vontade de trazer belo 2.4 VVT!

    • Dudu Pimentel

      Duvido mto que a tração 4×4 seja integral…até pq ele não tem altura prá fazer trajetos off-road…acho mais possível a tração 4×4 servir só prá dar uma estabilidade ao carro

      • RRodrigo Souza

        mas se vier será 4×4 , eles podem mexer na suspenção e elevar um pouco, mas lembre-se que a ecosport e muitos SUV não é para fazer tinha off road igual a jepp willis, troller, e sim se você estiver em algum lugar com estradas horríveis ele te ajudar a passar, mitsubish pajeto tr4 é 4×4 por exemplo, o namorado da minha prima tem uma e um Jeep, e a Pajero não chega aonde o jeep velho dele chega por vários motivos.

        Para fazer trilha off road pessada extrema não servirá ,mas para demais irá ajudar muito

  • No_Name

    As rodas desse EcoSport papagaiado que será lançado são bem interessantes, 17″ e com um desenho e cor (um preto meio cromado) bem esportiva. Será interessante para colocar num Fiesta. Mas o Eco Storm está muito feio, aqueles plásticos nas caixas de rodas não casam com o carro, estão com cara de gambi. Pra ficar bom o carro precisava ter sido concebido com esses plásticos desde os primeiros sketchs.

    • Handlay P.B.

      Aparentemente a Ford não foi parca em engendrar essa novel versão do Ecosport, mas faixas de adesivos são muito ruins, posto que dá para tirar. Provavelmente a propaganda do Ecosport Storm terá uma superprodução radical como subterfúgio para incitar os telespectadores a comprarem o carro, daí quando usarem talvez só será um mero SUV de shopping com capacidade de enfrentar uns terrenos off-road leve. Certamente os futuros donos desse carro devem tomar cuidado para não quebrarem esses plásticos, tem alguns Uno Way sem os plásticos das caixas de roda.

  • Alvarenga

    4X4 com pneu serie 50 e rodinha de 15″……uma maravilha !

    • No_Name

      O Storm é 17″, pneus 205/50. O Freestyle é aro 16″ com pneus 205/60.

      • MauroRF

        Mesmo conjunto da Titanium.

        • Edson Fernandes

          Para uma proposta 4×4 eu iria preferir os aro 16″ então viu…

  • Japa palio adventure

    Seu por R$ 109.990,00

    • leandro

      Na tabela, Ford na agência vc acha sempre com 10% abaixo do preço do site

  • Leko Correia

    Off-tópic: o endereço curto pra acessar o NA (na.cm) não está mais funcionando há alguns dias. É só aqui?

    • Edson Fernandes

      Testei agora e tbm não está funcionando.

      Mas sinceramente, nunca tinha ouvido falar de url curta para acesso…rs

  • Lucas086

    Ai nas promoções Fiat, vc tira uma Toro Volcano por pouco mais de 100 mil… esse carro devia custar uns 90 estourando… sem espaço, a gasolina… 105 mil tem renegade a diesel, que é uma galáxia mais carro.

    • leandro

      Vc definitivamente não conhece a Ford…
      Preço de tabela é para os fracos, vc acha hoje a freestyle 17/18 0km por 80,5 mil reais e com taxa 0%..
      A minha com pintura metálica saiu por 82 mil

      • Lucas086

        Graças a Deus que não conheço kkkkk e “desconto” todas estão oferecendo, a Jeep mesmo consegue 9% sem muito choro.

        • leandro

          Durante processo de compra olhei várias, Jeep/Fiat dá desconto sim mas as versões mais interessantes além de caras tem a famigerada mania Fiat de opcionais, minha prioridade era pelo menos 6 airbags e isso tornava o preço inviável pq desconto é pra carro de pátio e nessa configuração era só por encomenda pq brasileiro não liga pra segurança..
          Tem um Renegade custon que oferecem muito desconto, mas o bichano vem até com roda de aço e calota…
          Nissan e Honda se vc passar lá e pedir desconto volta pra casa com um olho a menos

          • Lucas086

            Ai é verdade, Nissan parece que tá vendendo ouro, não baixa um centavo nesse Kicks… Honda nem comento, marca “premium” no mercado brasileiro… quem procura equipamentos e tal, realmente não tem mada melhor que a Ecosport, que supri a falta de espaço e tal, com equipamentos… um amigo meu acabou de pegar um renegade longitude com kit dos air bags, 9% e emplacada, não consigo ver carro melhor nessa faixa de preço, a custom também consegue ótimos descontos e as rodas por mais ou menos 2 mil nas ccs.

            • MauroRF

              Lucas, seu amigo pegou a Flex ou a Diesel? Um amigo meu pegou em dezembro uma Longitude Diesel e pagou 150k, preço já incluía desconto, era o pacote com os 6 airbags mais alguns equipamentos. Acredite se quiser, tem a “básica” com 2 AB e sem coisa como espelho eletrocrômico, sem teto por 148k de tabela, fui ver no site e não acreditei. Peguei a Eco Titanium pelo conjunto segurança + tecnologia e equipamentos. Questões como estepe pendurado, porta-malas pequeno e espaço pequeno atrás ficaram em segundo plano, já que somos um casal sem filhos (a única “filha” é uma cachorrinha, na verdade, rs).

              • Lucas086

                Diesel… seu amigo pegou uma Compass né? Pq eu tou falando da Renegade.

                • MauroRF

                  Putz, cara, confundi as bolas, rs. Juro que tinha entendido Compass, rs, sorry.
                  Você lembra o preço que ele pagou? Sim, ele pegou o Compass. Agora vou encher o saco dele para guiar o Compass, rs.

                  • Lucas086

                    Blz cara, então pagou 110 mil, emplacada… rapaz em casa tem uma compass longitude com tudo menos o teto e não irás se arrepender, o carro é muito bom e forte, gostoso demais de dirigir, meu pai está apaixonado kkk

            • Edson Fernandes

              Sabe porque Lucas? Porque Kicks e HR-V estão vendendo tudo que produzem.

              Se esses tiverem baixa de vendas com ociosidade, começam a descer ou descontar no preço.

              • Lucas086

                Isso mesmo, mas a concorrência esta aí e o Kicks não é esses carros todos para a Nissan ficar nessa estrategia… Honda vende de qq maneira, é “premium”

                • Edson Fernandes

                  Os dois estão perdendo vendas. A Honda sabe disso.

                  E a Nissan qdo melhorar os itnes de série colocando itens simples que fazem falta, irá melhorar. Mas deveriam lançar uma versão de topo com um motor mais forte.

                  • Lucas086

                    Um kicks com o motor do sentra ou até o antigo 1.8 do tiida, era uma boa

                    • Edson Fernandes

                      Na verdade o 1.8 do tiida ganhou uma atualização no Sentra americano. Ele pulou de 126cv para 132cv e ficou mais economico. Seria o motor ideal para equipar Sentra e Kicks. Se a Nissan ainda quisesse, poderia lançar um March “Nismo” com esse motor 1.8 que a proposta seria boa (desde que fosse com cambio de 6 marchas).

                    • Lucas086

                      Vc leu meus pensamentos… o kicks com esse motor repaginado, ia ficar muuuuito bom e o march ia virar nismo mesmo, já que o 1.6 anda a contento

              • MauroRF

                Hyundai idem, Edson, tudo o que produzem, vende. Tente desconto lá, não rola. Só aqui no prédio tem vários HB20s e já são 3 Cretas.

          • Edson Fernandes

            Nossa a Renegade Custom é ridicula. Simples de tudo e os opcionais mais ridiculos ainda. Você olha um opcional que eles te oferecem pelo preço do carro e não acredita que aquilo que ofertam é opcional do carro (porque já deveria ser de série).

            Talvez por isso o Renegade tenha perdido posições no ranking e o Compass tenha ganho mais vendas, pois ele tem enormes descontos sem ser tão franciscano nos itens.

      • MauroRF

        Fechei no final de dezembro (e peguei há 10 dias) uma Titanium azul. No CNPJ, e negociando, consegui pegar por 83390. E estou adorando o carro. A sua é a Freestyle? Se sim, está gostando do desempenho e do consumo do motor 1.5?

        • leandro

          Sim, freestyle. Desempenho urbano é bom, rodovia é preciso apertar o pescoço dela pra não passar raiva…
          Consumo misto 80% estrada e 20% cidade tá dando 9km/l no álcool (não sou de correr e nem lento.. pé moderado).
          Ainda não testei gasolina e ainda não acostumei com o câmbio, acredito q assim q passar dos 2 mil km rodados posso te falar melhor

          • MauroRF

            Vou te dizer que está bem econômico por ainda ser nova. Quando amaciar, além de melhorar o consumo, o motor vai ficar mais solto e acredito que não passará mais raiva. Eu tive um Ka 1.0 3 cilindros que foi bem assim, depois que amaciou, deu bastante diferença de desempenho e consumo.

            Veja que situação interessante a minha: em dezembro, quando ainda estava com o Ka, precisei fazer a revisão dele em uma cidade do interior de SP onde estava. Nisso, aproveitei para fazer o test-drive da Eco, e só tinha a versão 1.5 para testar. Como a concessionária ficava na beira de uma estrada duplicada, não tive dúvida em fazer o teste ali. Não achei ela tão lenta (claro, tinha que apertar mais o pescoço como vc disse, kkkkk), mas a do teste já tinha 5 mil km, então por isso que acredito que a sua ainda vai andar mais. E gostei do desempenho da 1.5 na cidade, bem suficiente. Quando voltei aqui para o ABC, fui à concessionária e testei a 2.0, porém, apenas em trânsito urbano em torno da CSS. É mais forte sim, bem ágil. E nos trechos da Anchieta onde acelerei mais, é bem rápida, principalmente nas retomadas. Por exemplo, ela atinge 140 km/h com muita rapidez.

            No meu caso, nas negociações, usando CNPJ, dava para levar a Freestyle por 77.500 ou a Titanium por 83390. Estava com receio da Titanium pelo consumo do 2.0, mas ao mesmo tempo eu a queria porque a diferença de preço não era tanta pelo número de equipamentos a mais na Titanium. Mas já percebi que, andando na manha, se não pegar muito anda-para, ela não é tão gastona pelo porte do motor. Em breve, devo ir ao interior com minha esposa visitar o sogro e aí vou ver na estrada como ela se sai.

            • leandro

              Bom, se vc tava de 1.0 e pulou pra 2.0 deve estar rindo de orelha a orelha.
              Eu também considerei muito a titanium 2.0 pelos opcionais, mas como rodo 3000km por mês qualquer economia de combustível é bem vinda nessa altura do campeonato.
              Eu também tenho CNPJ e conseguiria um desconto um pouco maior, mas como CNPJ eu perderia 2 benefícios que era o taxa 0 e o Ford valoriza que pagou 2 mil a mais no meu usado… Então no fim das contas saiu quase na mesma. Mas preço de carro em SP sem dúvida é melhor que aqui em MG

              • MauroRF

                Rsrs, sim, tive 2.0 antes, fiquei 1 ano com o Ka e voltei agora para 2.0. Nossa, eu rodo bem menos que isso, devo rodar 1000 km por mês em média. Se fosse rodar 3 mil km, não pensaria duas vezes em pegar a 1.5, fez a escolha certa para o perfil.

                Ah, é verdade, para CNPJ, não tinha taxa zero, nem valorização maior do usado. No meu caso, dava para pegar à vista, e deixei o Ka na loja de um amigo do meu pai para vender, aí vendi um pouco abaixo do que venderia para particular. No final das contas, não foi um negócio ruim. Lá na Ford, queriam pagar absurdamente pouco no Ka. Se fosse compra pessoa física, eles pagariam os 2 mil a mais, porém, o desconto era menor no zero km. Compensava mais pegar à vista usando CNPJ e vender lá na loja do amigo do meu pai.

  • Dudu Pimentel

    Será que o futuro Ka “aventureiro” usará o nome Freestyle? Ou a Ford vai resgatar o nome Trail? Ou então usará um nome inédito? Acho que Freestyle caíria bem no Ka…e tb um Ka com o visual esportivo seria bem vindo prá fazer frente ao Onix Effect, HB20 R-Spec, quem sabe um March e um Etios com a mesma proposta…

    • RRodrigo Souza

      Ford ka trail já existe atualmente ,e no meu ver só tem adesivos,rack e apliques de paralama, deveriam fazer realmente uma versão que mudassem mais , e sobre a versão esportiva tem que colocar o 1.0 turbo do fiesta e colocar o nome ST ou resgatar o XR, fazer a palhaçada de ônix efect e Hb20 R-spec que não mudaram a potencia do carro ,só colocaram um detalhes de outra cor e adesivos ,isso para mim não é ser esportivo nem aki e nem na china

      • leandro

        Não é só adesivo, ele tem a suspensão bem mais elevada que a versão urbana.
        Na agência olhei de relance e por algumas frações de segundo cheguei a achar que era uma Eco sem estepe dependurado

      • Dudu Pimentel

        A vdd é que mtos brasileiros só ligam prá visual…por isso coloquei aspas. Se fosse fazer um Ka esportivo, ele viria com o motor 1.5 Ecoboost, rodas aro 16 com design esportivo e exclusivo (talvez diamantada); freios a disco nas 4 rodas; entrada de ar prá resfriar os freios; entrada de ar prá resfriar o motor; volante com base achatada com guia prá mostrar o centro do volante, bancos-concha; ajuste do volante em altura e distância; suspensão rebaixada; haletas atrás do volante, câmbio manual de 6 marchas e claro, todo o kit esportivo: aerofólio, spoiler dianteiro, saias laterais, spoiler traseiro, máscara negra nos faróis dianteiro e luzes traseiras e ponteira de escapamento esportiva com borboleta dentro prá deixar o ronco mais grave. Mas o preço seria de, pelo menos 80 mil reais…vc compraria um Ka por esse preço? Mtos só pensam no preço final e na categoria (carro de entrada), não no que tem em relação ao preço, então não compram.

  • Handlay P.B.

    Embora que o futuro Ecosport Storm seja mais legal que essa versão argentina, os adesivos de faixa não são bons, visto que podem ser arrancados. A Ford dominava o segmento de SUVs compactos e agora o Ecosport está quase na lanterna. Para a Ford ter a chance de sobrepujar os concorrentes só mesmo engendrando uma novel geração para o Ecosport.

  • cefaf

    A reportagem fala tantas vezes o termo “4×4” mas em nenhum momento diz quais são os modos de tração do veículo, que é uma informação bem importante. Dá para melhorar isso, não?

    • leandro

      Assim que lançarem com certeza dá, por enquanto aqui no Br só especulação

  • Joe Peterson Silva Ribeiro

    Aqui em São Luís um Hrv modelo ELX está custando 109.000,00 com a etiqueta do preço pendurada, ou seja, 4000, 00 a mais. A versao Touring está com a etiqueta de 113 mil.

    • leandro

      Pra isso existe concorrência… Só ir na Ford que a etiqueta vai estar 4 mil a menos

      • MauroRF

        Fora que na Honda não rola desconto, pelo contrário, se for chorar desconto lá, capaz que te expulsem da concessionária, kkkkk.

        Já tive Honda, o atendimento é impecável, pós, idem, mas é aquilo: os carros são caros e vêm com menos coisa. E outra: os caras não dão desconto, as taxas de juros são altas, e a concessionária sempre cheia de gente comprando.

    • Lucas086

      113 mil em um Fit alto kkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • IPZ.4

    Mantenham o câmbio MT, carai! É confortável, com a vantagem de se ter todo o controle.

    • Edson Fernandes

      Ou dar as duas opções. 4×4 Mt e AT6.

      Ainda achando que escolheriam na grande maioria o AT6.

  • Razzo

    Pena que o argentino ainda venha com freios traseiros à tambor (indícios fortes que o nosso também…):

    https://www.ford.com.ar/crossovers-suvs-4×4/nueva-ecosport/models/freestyle-2-0-l-duratec-gdi-4×4-at/?intcmp=vhp-return-model

  • Edson Fernandes

    Alguns errinhos na reportagem:
    “Duractec”, Torque de 20,5kgmf, não seria 22kgmf na gasolina?

    Mas achoque terá publico essa versão .

    • MauroRF

      O torque será igual ao Titanium aqui: se não me engano, 20,6 na gasolina, 22,5 no álcool. Só usei gasolina até agora e acho que anda demais, vou colocar álcool qualquer dia desses para ver.

      • Kaleb

        Mauro, boa noite.

        Você encontrou algum forum bom para a nova eco? Tambem peguei uma titanium e gostaria de trocar experiências com o pessoal.

        Obrigado

      • Edson Fernandes

        Cara…. 20kgmf de torque empurra bem. Eu adoro essa caracteristica no Fluence tbm.

  • kirig

    Cilada, Bino!

  • Robinho

    ao mer ver a Eco voltou a ser bem mais interessante que a maioria do seus concorrentes…um pena a Ford não ter dado uma mudada na traseira dela, mas enfim…seria a minha escolha.

  • pedro

    Eu fico pensado que é um baita desperdício o 4×4 nos SUVs brasileiro, pois a grande maioria sequer andam em entrada de chão batido que qualquer carro passa. Em verdade deveria lançar um 4×4 robusto mesmo, mudando os para-choques dianteiro e traseiro, permitindo choques de verdade, eleva a suspensão, trocando amortecedores, colocando-os invertidos e rodas de ferro, como tinha da Saveiro Trooper., quem sabe até um Snorke e um motor de rebocador de aço na dianteira. Isso no mínimo. Aí faz sentido o 4×4

  • Gran RS 78

    Essa cor azul do Ecosport ficou muito bonito e interessante. Já está na hora dos consumidores deixarem de lado as cores tradicionais como prata, preto e branco.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

receber-noticias Notícias por email