F250: história, versões, modelos, motores, equipamentos

ford f 250

Uma das picapes mais famosas da Ford, a F250 faz parte de uma longa linhagem de picapes que ajudaram a construir os Estados Unidos e até hoje continua a fazer história.


Antes de falar sobre o modelo da Ford F250 que ainda é vendido nos Estados Unidos, vamos inverter um pouco a história e contar a sua participação no mercado nacional.

A nossa Ford F250 brasileira deixou de ser produzida pela Ford do Brasil em meados de 2012.

F250: vendida entre 1998 e 2012 no Brasil

Apresentada para ser a sucessora da Ford F1000, que até então era a maior caminhonete da marca no mercado nacional, a Ford F250 chegava também para concorrer com sua eterna conterrânea, a Chevrolet Silverado, lançada em 1997.

Montada em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, desde 1998, a Ford F250 vinha com um motor 3.9 litros de seis cilindros com 145 cavalos e torque de 47 kgfm, movido a diesel, com tração traseira e câmbio manual de 5 velocidades.

Outra opção de motor era oferecida na Ford F250 a gasolina, tendo um 4.2 de seis cilindros com 205 cavalos e 35,7 kgfm de torque, tração traseira e câmbio manual de 5 velocidades.

O motor a gasolina da F250 foi descontinuado cerca de dois anos depois do seu lançamento, devido ao grande consumo de combustível – algo não muito bem visto para um veículo dessa categoria.

E em meados de 1999, a Ford opta por mudar o seu motor a diesel da Ford F250 – trocando a fornecedora Cummins Diesel pelo mesmo motor empregado na concorrente Chevrolet Silverado, que usava um MWM, mas com a diferença de que o motor na Ford F250 rendia mais, por conta do auxílio de um Intercooler.

F250 Brasil3

Em 2003, a Ford passa a oferecer no mercado nacional a F250 cabine dupla, o que era esperado por muitos dos compradores, pois a F250 cabine estendida era boa para carregar crianças e só.

Antes de oferecer a opção de cabine dupla na F250, os consumidores tinham que recorrer a preparadoras, para transformarem suas F250 de cabine simples em dupla. E para evitar que seus compradores migrassem para a concorrência, ou sofrer algum acidente por conta da transformação indevida no modelo, a marca aderiu ao pedido do mercado.

F250 Brasil2

A Ford F250 sempre teve fama de “picape de agroboy”, pois seu tamanho sempre foi grande e pouco usual para quem precisasse utilizar a picape na cidade.

Por conta do seu enorme entre-eixos e caçamba longa, a picape facilmente passava dos 6 metros de comprimento. Ou seja, não era uma picape para levar as crianças na escola, parar na frente daquele restaurante badalado e muito menos estacionar nas vagas de shoppings centers.

Além do seu tamanho exagerado, a Ford F250 ainda exigia – e exige – que os condutores portem a habilitação de categoria C – para veículos que ultrapassem os 3.500 kg de carga bruta.

E isso a torna um caminhão perante as leis de trânsito brasileiras, ainda que seja de pequeno porte (mas ainda sim um caminhão). Para 2006, a Ford atualiza o visual da F250, onde recebe novos faróis, grade e lanternas.

O visual agora segue a mesma receita dos modelos à venda no mercado norte-americano, e a deixa mais imponente, graças à sua enorme grade cromada, com o logo oval da Ford ao centro.

No interior, novos materiais no acabamento, um novo desenho para o quadro de instrumentos e novas opções de cores para o revestimento dos bancos são adicionados. As enormes rodas da F250 contrastam com as diminutas lanternas traseiras, que ficam meio perdidas na imensidão da carroceria da picape.

Ford F 250 Super Duty Crew Cab 1999–2004

Além da atualização do visual, chega finalmente a F250 4×4, um velho pedido dos clientes da marca desde seu lançamento em 1998. A Ford troca também o fornecedor do seu motor, que no começo era Cummins, mudou para MWM e voltou a ser Cummins.

Para alguns proprietários, isso foi uma troca inteligente, já para outros – bom, eles torceram o nariz. O detalhe é que esse era o mesmo motor de 1998, apenas com alguns reajustes para render mais e consumir menos.

Algo com o qual estamos já acostumados – Volkswagen e Chevrolet que o digam.

Agora o motor 3.9 da Ford F250 rendia 203 cavalos, com 56 kgfm de torque e tração integral. Para o câmbio, nenhuma novidade, mantendo o bom e velho conjunto de 5 velocidades manual.

Um dos detalhes extras que o “novo” motor tinha, era a adoção da injeção eletrônica, sendo o primeiro motor a diesel dentro da linha F a receber esse tipo de tecnologia.

A adoção da injeção eletrônica deu um novo respiro ao motor do final dos anos 90. Mas como nem tudo nessa vida pode ser resumido em um mar de rosas, o motor não conseguia ser tão potente quanto a versão a gasolina, e ainda era muito chegado no diesel.

Seu fim foi decretado de forma bem silenciosa, já que não estava mais despertando o desejo de abrir uma fazenda no interior e viver disso.

O motor da Ford F250 era o mesmo de 2006, sendo vendido nas opções com tração 4X2 e 4X4. As opções de cabine também eram bem restritas, apenas a dupla ou a simples eram ofertadas.

Outro fator que não ajudava muito era o preço do modelo.

1999–2004 Ford F 250 Super Duty Regular Cab 1

Com valores iniciando em cerca de R$ 111.140 reais para a cabine simples, com tração 4X2, e chegando até R$ 138.330 reais na versão com cabine dupla e tração 4X4, a Ford F250 se despediu do nosso mercado sem deixar um sucessor.

Atualmente, as únicas opções acima da Ford Ranger são os modelos da Série F – F-350, F-4000 e F-4000 4X4 – e caso você tenha uma boa grana sobrando, pode importar a nova Ford F-250 XLT Super Duty 2022 com seu enorme e poderoso motor de 6.7 litros, V8 turbo diesel com 485 cavalos de potência e monstruosos 145,1 kgfm de torque.

Sempre acompanhado da tração integral e do câmbio automático de 6 velocidades.

Veja também: F250 cabine dupla / Que carros precisam de cambagem?

Ford F250 no mundo

Agora vamos ao modelo da F250 que ainda continua em produção, e segue líder de vendas nos mercados onde atua.

Ford F250 de 1999 a 2007

A primeira geração da F250, que no mercado norte-americano recebe o nome de Ford Super Duty ou Ford F-Series Super Duty, foi apresentado em 1998. O modelo seguia basicamente os mesmos princípios do modelo a venda no mercado nacional. Isso se traduz em motores, potência e outros aspectos.

E no ano de 2002, o modelo recebe um pequeno facelift no painel, que ganha novas opções de cores, novos revestimentos e um renovado grafismo para o quadro de instrumentos.

Ford F 250 Super Duty XL Chassis Cab AU spec RM 07.2001–03

Para 2005, a Ford F250 ganha seu primeiro facelift completo, com direito a grade cromada, faróis novos com lentes brancas e atualizações no interior que recebia novos revestimentos e acabamentos pela cabine.

O modelo também recebia um novo computador de bordo, trazendo o sistema de frenagem com ABS.

Diferentemente do modelo brasileiro da F250, que tinha apenas duas opções de início e acabou por encerrar seus dias com um velho conhecido, a versão da terra do tio Sam vinha com mais opções de motores e potências muito mais relevantes do que o modelo vendido por aqui.

O mesmo poderia ser dito no quesito de opções de câmbio, uma vez que nós contávamos apenas com o câmbio de 5 velocidades, mas para o mercado norte-americano era oferecido 4 tipos de transmissões.

Opções de transmissão manual, de 5 velocidades, ou automáticas de 6 velocidades fabricadas pela alemã ZF faziam com que a Ford F250 entregasse ao consumidor uma enorme variedade de combinações de transmissão e tração.

E por falar nas trações, o que nós demoramos anos para receber, o público norte americano já tinha há tempos.

F250 2008 – 2010

A segunda geração da F250 / Super Duty era apresentada em 2008, introduzindo um novo motor 6.4 litros V8 Diesel, com cerca de 354 cavalos e impressionantes 89,7 kgfm de torque.

Um outro motor 5.4 V8 também era ofertado na nova geração da picape mais vendida dos Estados Unidos.

Ford F 250 Super Duty Crew Cab Harley Davidson 2009

No quesito visual, a Ford F250 ficava ainda mais imponente com seus enormes faróis quadrados, que agora vinham acompanhados com uma faixa âmbar para sinalizar a seta.

O painel também repetia muitas das características vistas no conceito apresentado em 2006, com linha sóbrias e retas para anunciar a segunda geração da Ford F250.

Novos revestimentos, bem como novidades para o quadro de instrumentos e opções de acabamento, tornavam o habitáculo da picape ainda mais agradável e confortável.

Ford F 250 Super Duty Crew Cab Harley Davidson

O modelo ainda vinha com opções de tração integral e tração traseira, assim como na primeira geração.

As opções de câmbio eram 3, sendo duas manuais – de 5 ou 6 velocidades, e 1 automática – de 5 velocidades.

F250 2011 – 2016

A terceira geração da F250 vinha para mostrar que quanto maior, melhor. E ao gosto dos norte-americanos, quanto mais cromado melhor ainda.

A terceira geração tinha novos faróis ainda maiores que os anteriores, um pouco menos quadrados do que a geração anterior, uma vez que agora eles eram um pouco trapezoidais.

A grade ficava em maior destaque, com o logo da Ford ao centro de duas barras cromadas bem grossas. Acima do logo, a inscrição “Super Duty” mostrava que a picape vinha para marcar terreno. As enormes rodas, de 8 furos, também estavam lá para dizer que não se tratava de um carro pequeno ou dócil.

O painel da Ford F250 também recebia novos revestimentos, opções de couro de novas cores e sistema multimídia mais interativo e com novas funções. A inscrição Super Duty também era vista dentro do painel, para reforçar ainda mais em qual picape de Ford você estava.

2013–pr. Ford F 250 Super Duty Platinum Crew Cab

Um dos detalhes mais interessantes da terceira geração da F250 foi a adoção de um diferencial de bloqueio. Este item era oferecido apenas nas versões mais caras e com tração nas quatro rodas.

Os motores eram dois, sendo um a gasolina de 6.2 litros V8 com 385 cavalos de potência e 56 kgfm de torque e um movido a diesel, com 6.7 litros V8 de 395 cavalos e 97 kgfm de torque.

Front panel 2011–pr. Ford F 250 Super Duty Lariat Crew Cab

Em meados de 2011, a Chevrolet apresentou um novo motor para a Silverado – um 6.7 litros V8 que produzia 397 cavalos e 105, kgfm de torque. O mesmo motor era aplicado no GMC Sierra – que divide plataforma e motores com a Silverado.

E como a Ford não queria ficar para trás no quesito potência, a marca optou por atualizar gratuitamente os motores de suas picapes da linha F250 em suas concessionarias e elevar a potência para 400 cavalos e 113 kgfm de torque.

A outra opção de motor disponível para a F250 também recebia o upgrade que fazia com que o motor agora rendesse 440 cavalos e 119,3 kgfm de torque.

No quesito transmissão, a terceira geração deixava de oferecer no mercado norte-americano a opção de 5 velocidades manual, ficando apenas com a caixa de 6 velocidades.

F250 2017 – presente

A quarta geração da Ford F250 chega em 2017 com um novo design, novos motores e estilo ainda mais agressivo que qualquer geração anterior.

Na parte frontal, o modelo ganha um novo conjunto ótico, agora mais vertical e retangular. A grade central invade o desenho dos faróis, que tem desenho em formato de “C” invertido.

O logo ficou maior e mais destacado – agora ele pode vir na barra pintada de um tom preto grafite ou totalmente cromada. A inscrição “Super Duty” fica no capô da picape e deixa o visual externo mais agressivo que qualquer geração anterior.

2017–pr. Ford F 250 Super Duty Lariat Crew Cab 2016

Na traseira, as lanternas cresceram e apareceram, com desenho mais retangular e posicionadas na tampa da caçamba. O logo se destaca bem e a inscrição “Super Duty” deixa sua marca para quem ficar olhando para saber de qual picape se trata – ou seja, não fique na cola de uma F250.

Já no interior, um desenho mais retilíneo e elegante traz a picape para o luxo e sofisticação que as gerações anteriores não dispunham.

Um novo e totalmente remodelado quadro de instrumentos pode ser visto atrás do novo volante multifuncional, que abriga basicamente todas as funções do novo sistema multimídia, para que o condutor não tire os olhos da estrada.

2017–pr. Ford F 250 Super Duty Lariat Crew Cab

Na parte de motorização, a F250 atualiza os motores de 2016 e acrescenta algumas melhorias para se adequar às novas normas de emissão de poluentes e consumo de combustível.

Mas isso não é levado muito em conta no poderoso motor 6.7 litros turbo diesel com 446 cavalos e 127,9 kgfm de torque. Para esse motor a tração é do tipo integral e o câmbio é o de 6 velocidades automático.

Front panel 2017–pr. Ford F 250 Super Duty Lariat Crew Cab

Com preços que partem de 35.200 dólares e vão até 85.535 dólares, ela ainda é uma das picapes mais queridas e consagradas do mercado norte americano.

Concorrentes da Ford F250

Desde o início de sua carreira, a Ford F250 não esteve só. A Chevrolet tinha duas opções para brigar com a queridinha da América. São elas a Chevrolet Silverado e sua irmã gêmea GMC Sierra.

Do outro lado do ringue está a Dodge com a RAM 1500, que veio ao mundo em 1981 e desde então mostra que o grupo FCA (agora Stellantis) tem know-how para brigar de igual com igual no segmento das picapes médias e grandes.

2019 Chevrolet Silverado LT Z71 Trailboss Crew Cab 2018

No caso da Chevrolet Silverado, a Chevrolet investe num visual mais retilíneo, com pequenos faróis retangulares em posição elevada, que são ligados por uma faixa de LED em formato de “C”.

Na versão TrailBoss Z71, o visual fica ainda mais invocado com a grade que cobre basicamente toda a frente do modelo em preto grafite – isso inclui o logo da Chevrolet. Na traseira, as lanternas também são mais finas que a maioria das picapes, e trazem um desenho mais recortado.

2019 Chevrolet Silverado LT Z71 Trailboss Crew Cab 2018

A palavra “Chevrolet” fica grafada na traseira para mostrar que a marca manja de fazer picapes desde o início.

No interior, o elogiado sistema multimídia MyLink fica em posição bem elevada, o que garante que o motorista não tire tanto os olhos da estrada. O volante também é novo em relação à geração anterior, assim como o quadro de instrumentos e os revestimentos usados no habitáculo.

2019 GMC Sierra AT4 Crew Cab 2018

Sua irmã gêmea, a GMC Sierra, vem com uma grade cromada com o logo centralizado e faróis com desenho irregular em formato de “C”. A traseira segue o mesmo padrão da GM, com desenho fino e retilíneo para as lanternas e a marca GMC fica grafada em vermelho na tampa da caçamba.

Por conta de redução de custos, o painel da GMC Sierra é idêntico ao da Silverado – por compartilharem também motores, carroceria e diversos itens.

2019 GMC Sierra AT4 Crew Cab 2018

A outra opção de picape do Grupo Stellantis, a RAM 1500, aposta em um visual bem intimidador. Ainda mais na versão Rebel, que aposta em uma grande com desenho diferenciado e o logo da RAM centralizado e bem destacado.

Já os faróis são mais tradicionais em relação aos concorrentes.

2019 Ram 1500 Rebel Quad Cab DT

O painel segue um desenho sóbrio e elegante, mesmo na versão que tem mais foco em ser “esportiva”. Detalhes em vermelho rodeiam a central multimídia, saídas de ar condicionado e marcam bem as laterais das portas, bem como detalhes dos bancos e console central.

2019 Ram 1500 Rebel Quad Cab DT

Autor: Kleber Silva

Kleber, 28 anos, designer e apaixonado por carros desde pequeno. Formado em design gráfico pela UNIP, ouvinte assíduo de música pop e master chef nas horas vagas.