Ford fecha acordo para fechamento da fábrica de Camaçari

Ford fecha acordo para fechamento da fábrica de Camaçari

A Ford fechou um acordo trabalhista com os empregados da fábrica de Camaçari-BA, onde 4.000 funcionários aguardavam um entendimento com a montadora americana para encerrar o processo de desligamento.


Segundo a montadora, os funcionários terão as verbas rescisórias garantidas por lei, sendo que o pessoal de chão de fábrica receberá dois salários por ano trabalhado como compensação, enquanto o pessoal administrativo levará um por ano. A empresa diz que nenhuma indenização será menor que R$ 130 mil.

Com a indenização maior que o comum, os ex-funcionários da Ford terão mais tranquilidade para buscar novas ocupações. A Ford ainda liberou mais seis meses de convênio médico e remuneração adicional para os empregados com restrição médica ocupacional.

Em Taubaté-SP, a Ford fechou acordo com os trabalhadores no mês de abril, encerrando assim definitivamente a questão da continuidade operacional da fábrica paulista, onde eram feitos motores e transmissões para os modelos Ka, Ka Sedan e EcoSport, que eram feitos em Camaçari.

Ford fecha acordo para fechamento da fábrica de Camaçari

Na Troller, o acordo sindical já foi feito e a empresa continua operando até o último trimestre de 2021. Negociações para sua venda já estão em curso, sendo que dois interessados disputam a compra do fabricante nordestino, que tem sua sede em Horizonte-CE.

Com a Troller tem um desfecho mais nobre, as demais plantas ainda geram questões. A primeira é qual fabricante de veículos irá adquirir a instalação da Ford na Bahia?

Montadoras chinesas são as mais cogitadas para tal, mas não se pode descartar outras origens, como a japonesa Mazda ou a americana Tesla, por exemplo, conforme citado pela Federação das Indústrias da Bahia (Fieb). Moderna, a planta tem capacidade para 300.000 carros por ano.

Já a unidade paulista tem uma estrutura montada para fazer motores, mas não é impossível convertê-la para fazer automóveis. Trata-se de uma instalação que poderia atrair empresas do setor, como também de outras áreas. Nesse caso, a planta do ABC é um bom exemplo…

[Fonte: Valor Investe]

 

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.