*Destaque China Ford México Montadoras/Fábricas Sedãs

Ford Fusion deixará o México em 2019 para se tornar chinês

ford-fusion-hybrid-2017-NA-6 Ford Fusion deixará o México em 2019 para se tornar chinês

De acordo com a Reuters, o Ford Fusion se despede do México em 2019. O sedã grande da marca americana é fabricado atualmente em Hermosillo, sendo importado para o mercado brasileiro através de acordo automotivo com o país da América do Norte. No entanto, isso vai mudar daqui a dois anos.



Segundo três fontes ligadas à Ford, a decisão de encerrar a produção do Fusion no México se dá pela mudança de estratégia da Ford para a virada de 2020. O sedã e seu similar europeu Mondeo, que é feito hoje em Valência, Espanha, serão fabricados em Chongqing, China, onde a Changan-Ford possui uma grande planta de produção.

ford-fusion-hybrid-2017-NA-6 Ford Fusion deixará o México em 2019 para se tornar chinês

A ideia da Ford é exportar o Fusion/Mondeo para os EUA e Europa, a partir da China. Ou seja, a próxima geração do sedã poderá chegar ao Brasil com a mesma origem. Mas, outro motivo mais crucial para essa mudança de direção da empresa é a queda nas vendas de sedãs e outros tipos de carros, que não sejam crossovers, SUVs e picapes.



Não por acaso, a Ford mudou a planta de produção do Model E para o México, vislumbrando seu provável crossover elétrico e derivados. Outro modelo da marca que seguirá o caminho da China é o Focus, que deixará de ser feito no parceiro latino para continuar a produção na China, embora ainda não se saiba se a produção europeia e a argentina seriam afetadas.

ford-fusion-hybrid-2017-NA-6 Ford Fusion deixará o México em 2019 para se tornar chinês

Outro que deve deixar a produção mexicana é o Lincoln MKZ, que também deve ser feito na China, especialmente no momento em que a marca premium americana começa a se fixar entre os clientes locais. De acordo com o site Al Volante, ex-executivos da Ford dizem que a operação vai desmantelar a filial mexicana, que perderá em 2018 a produção do Fiesta e já não fará o próximo Focus.

Nessa história toda, ainda tem a declaração do banco JP Morgan de que a Ford sairá de alguns mercados da América do Sul para reduzir os prejuízos obtidos na região. Mas, de qualquer forma, até agora, o único país que está passando por mudanças profundas nas operações da montadora é o México, onde a Ford mantém Hermosillo e Cuautítlan para produção de veículos e Chihuahua, onde faz motores.

Um sindicato de Sonora, estado onde fica a fábrica do Fusion, revelou que a empresa pretende demitir 850 funcionários por causa da queda na demanda de veículos nos EUA. No México, as vendas do sedã grande também não andam boas, tendo ele perdido espaço para Volkswagen Passat, Kia Optima e Toyota Camry. Por aqui, o modelo vendeu 3.907 de janeiro a novembro e é o mais vendido em seu segmento.

Ford Fusion 2018 – Galeria de fotos

 

[Fonte: Al Volante/Reuters]

COMPARTILHAR:
  • Antonio Di Pietro

    Parece que a previsão do PC Chinês de que o País produzirá, em breve, metade dos carros do mundo vai se concretizar.

    • ViniciusVS

      Na prática a maioria das peças de várias marcas já vem de lá direta ou indiretamente, tem também muitas peças nacionais que são montadas aqui com partes que vem da China.

      • SDS SP

        Tem muita coisa que vem da Índia também. Peças brutas e semi-acabadas, principalmente.

      • Antonio Di Pietro

        O parque industrial chinês é colossal.
        Não há igual no mundo.
        Li, há pouco tempo, que agora eles querem priorizar ainda mais a qualidade em detrimento da quantidade.
        E mesmo assim, a economia deve crescer cerca de 6,7% esse ano.
        Um fenômeno.

      • Davi Millan

        Um exemplo são alguns filtros de alguns carros da VW que são feitos na China.

  • Diego

    Um bom motivo para não comprar, coisas produzidas na china em sua maioria tem um péssimo controle de qualidade, mesmo usando peças de marcas confiáveis a falta de comprometimento com o trabalho é enorme, isso se deve muito as jornadas longas dos trabalhadores e condições questionáveis de salubridade, praticamente uma mão de obra escrava.

    • Luis Burro

      Praticamente!!!!!!!!!!!!!!!?

    • Antonio Di Pietro

      Acho que vc está um pouco desatualizado.
      A China já enviou astronautas ao espaço, produzem TGV, aviões stealth e etc.
      Isso que vc está falando deve ser coisa da década passada.

      • DiMais

        produz iPhones

  • FearWRX

    Obrigado, vou continuar nos japoneses.

  • Cleidson

    Se a ford faz lincoln no mexico podia trazer pra cá com a marca ford mesmo e vender pra concorrer com as alemãs.

  • No Facebook um leitor apontou que a Ford negou isso, mas é aquilo, montadora negar é igual político negar…

    • SDS SP

      Estão especulando isso pada o Focus também. Procede?

      • Davi Millan

        Sim, o próximo focus provavelmente será feito somente na Alemanha e China. Caso o nosso acordo automotivo com a união europeia saia do papel, há grandes chances do Focus vir da Alemanha, caso contrário será da China, isso se vier!

        • DiMais

          com os volumes de venda do segmento no nosso país é mais fácil esperar por algum crossover ou outro derivado do projeto.

          • Davi Millan

            Sem sombra de dúvidas! Nosso mercado está se resumindo a hatch enquanto populares ou compactos. Já sedan e SUV/Crossover estão com parcelas maiores quando médio/compactos. Hatch médio e com cambio manual ainda, será coisa rara logo logo, infelizmente. Carros hatch e cambio manuais estarão restritos a carros de categorias inferiores ou esportivos.

  • Hoffmann

    Se vier da China podem dar adeus ao bom custo x benefício do Fusion dentro do seu segmento. Provavelmente ele custará o mesmo que concorrentes japoneses, coreanos e alemão. Depois do Edge a insanos 240k eu não duvido de nada.
    E podem dar adeus ao primeiro lugar dele no ranking também. Quem em sã consciência iria preferir um Ford xing-ling ao invés de um Honda Accord, Toyota Camry, VW Passat, Kia Cadenza ou Hyundai Azera? Só quem é fã mesmo.

    • Davi Millan

      Pois é. Nesse cenário eu vou de coreano sem pensar duas vezes!

    • Zé Mundico

      O amigo esquece que serão carros exportados para atender os mercados dos EUA e Europa, que são altamente competitivos, tipo briga de foice no escuro.

      • Pedro Henrique

        mas o nosso acordo com o méxico possibilita uma redução considerável em taxas no veículo, sem a produção dele no méxico nossa opção é ter ele vindo da china, pagando todas as taxas possíveis, o carro vai ficar mais caro e ai, tendo mesmo preço dos concorrentes e vindo da china enquanto a concorrência vem de europa-EUA-coreia do sul-japão, não vai ter muitos prós pra ele se manter no topo não

      • Hoffmann

        Então vamos ver se os EUA e Europa vão aceitar um Fusion chino. Porque até onde eu sei os poucos carros que saem da China e são vendidos nesses mercados são motivo de chacota, aka Volvo S60 chinês nos EUA e os MG no Reino Unido. Se prestam? Provavelmente sim, especialmente o Volvo, mas que são rechaçados pelos consumidores por serem chineses isso é fato.

  • No_Name

    O Focus 4 já era certo que seria concentrado somente na Alemanha e na China, porque a Ford já confirmou isso internamente para a cadeia de fornecedores (Argentina adeus). Mas caramba, agora isso também com a próxima geração do Fusion/Mondeo é de cair da cadeira. E no caso dele sequer terá produção européia, será 100% chinesa segundo a notícia… Os belgas irão rir da cara dos espanhóis.

    Eu acho que a Ford está muito agressiva nessa estratégia de corte de custos. Não sei se isso pode ser benéfico, tudo que é muito exagerado acaba sendo prejudicial de alguma forma.

    • Luis Burro

      E tem outra.Esnobes e discriminadores q são Europa e EUA duvido muito vender até o nível atual.

      • Zé Mundico

        Por esnobes e discriminadores você quer dizer exigentes e criteriosos, né mesmo?……rsrsrsrsrs

        • Luis Burro

          Não,msmo q o veículo seja comprovadamente o nível de lá eles ainda torcem a cara.
          Tô falando do ocidente europeu,o oriente não sei se acontece,mas seria uma baita hipocrisia pq não tão muito diferente em qualidade.

    • th!nk.t4nk

      Exato. Por que um alemao pegaria um Fusion chinês, se pode pegar um Insignia feito localmente? Curiosidade: pra quem nunca entrou num supermercado alemao (que nao sejam os de baixo custo), há sempre uma seçao de produtos locais. Em alguns mercados é uma seçao de tamanho bem considerável. O povo tem asco a coisas chinesas. Até tem seu mercado, mas de forma bem limitada. A Ford que se cuide nessa estratégia aí.

      • No_Name

        E o europeu é bem bairrista por assim dizer. O norte-americano não se importa tanto com origem, mas o europeu sim. O próprio Mondeo é um exemplo, depois que saiu da Bélgica e foi para a Espanha viu suas vendas caírem no primeiro e subir no segundo kkkkk. Isso estando ainda dentro da própria Europa, agora imagina se passar a vir de outro continente… Podem terminar de matar o Mondeo na Europa (que já vende muito pouco).

      • Leonardo

        A Alemanha é o melhor lugar da Europa para comprar produtos europeus de verdade, bem menos made in china que nos outros lugares.

  • Luis Burro

    No México o modelo foi mula de drogas,na China ele vai ser do q, crianças? :P

  • Luis Burro

    Quero só ver qndo os preços voltarem a subir,qm vai se dar bem vão ser as japonesas com seus híbridos!

  • Luis Burro

    Mas não sei se vai ser uma boa ideia,diz q tem regiões por lá q a mão de obra já está igual ao resto do mundo.

  • Zé Mundico

    Redução de custos, nada mais. A China hoje fabrica quase todas as marcas de carro sob parceria ou licença. De Toyota a Volswagen, passando por Peugeot, GM, Volvo e Citroen.
    Quanto a qualidade, deixem de bobagem, será a mesma da matriz pois o projeto e execução serão administrados pelo patrão lá na linha de montagem. Além do mais, serão carros para exportação e terão que atender especificações dos EUA e Europa. Tavez seja essa a salvação…..
    Se viessem exclusivamente para um certo país da América Latina, eu até teria minhas dúvidas…..

    • DiMais

      o que é difícil mesmo hoje em dia é ter um produto qualquer que não tenha uma única peça com origem na China.

  • No_Name

    Estava aqui pensando com meus botões: apesar do grande volume, logo também desejarão retirar o Fiesta da Europa, pois os custos de produção no continente são altos e como a Ford é sempre agressiva nos descontos, a rentabilidade do Fiesta deve ser baixa, ainda mais agora com a nova geração mais sofisticada. Capaz de deixarem na Europa só o Focus e a dupla EcoSport e Kuga. As fabricantes precisam de aulas com a VW: cobram caro, dão poucos descontos e ainda vendem muito e portanto com margens saudáveis hehe.

    • th!nk.t4nk

      Se tirarem o Fiesta de Colônia o estado de NRW vai à falência de vez, porque daí não sobra mais nada da Ford. Creio que os políticos locais iriam brigar muito pra isso nao acontecer, iria muita gente pra rua. É por isso que digo: estudem, porque ninguém é insubstituível. A Ford tá aos pouquinhos seguindo o caminho da GM.

  • zekinha71

    Um dia todos teremos um carro chinês.

  • kravmaga

    Estou começando a achar que vai ser o fim do Fusion no Brasil ou ele venderá muito menos se vier importado da China.

    O trunfo do Fusion sempre foi o bom preço por vir do México, sem impostos de importação.

    Aliás, já tive gente falando que a Ford pode desistir do mercado latino-americano.

    • No_Name

      “Desistir” de um mercado é um feito para empresas de pequeno porte. Uma empresa do porte da Ford pode fechar fábricas, mas sair de algum país onde ela já é estabelecida é muito difícil. Aqui no Brasil, SBC é séria candidata a fechar. O Fiesta atual só não foi produzido em Camaçari em 2013 porque a matriz não aprovou a linha de produção e seu controle de qualidade para o carro.
      Agora, com o futuro do Fiesta incerto por aqui, SBC vira incógnita.

  • Piston head

    Já ouviram falar que generalizar é sempre burrice? Vocês provavelmente tem produtos que acham excelentes e nem sabem que foram fabricados na China. Existem fábricas e fábricas.

  • alex

    Essa estratégia deve ter atenção dos países. No brasil as marcas utilizam lobistas e afins para influenciar em acordos comerciais como o tal Rota 2030, as pessoas só levam em consideração que menos impostos de importação; preços mais baixos; vantagem para o consumidor. Mas as fabricantes pensam somente em suas estratégias como produzir na china e exportar para diversos países com custo reduzido.Não teremos produção ou desenvolvimento de automóveis aqui, ou seja, seremos sugados sem nenhum benefício para a população local com essa produção massiva na China.

    • No_Name

      Se o país Brasil não melhorar como um todo a tendência é que produziremos somente produtos low cost como Onix, Ka, Dacias, Mobi, Argo, Gol etc, enquanto produtos de maior custo e valor agregado (Civic, Corolla, Golf, Renegade, Compass, Fit, HRV etc) deixem de ser produzidos localmente e passem a vir de lugares onde seja mais competitivo para tal. É lamentável.

      • alex

        Mesmo com essa melhora, se regras de livre comércio forem aprovadas sem um critério mínimo, acredito que não conseguiremos competir. A china já detém know how da produção (incluindo mão de obra barata) e está conseguindo o de desenvolvimento de tecnologias (vide elétricos e autônomos), com taxas de importações zeradas não teremos nenhuma chance. Quem deveria proteger nossos interesses são os governantes que são facilmente convencidos (ou corrompidos) por lobistas. Nem quero ver esse Rota 2030. É lamentável mesmo.

  • Adriano Feroli

    Chamou me a atenção a pequena parte do texto que diz: …a declaração do banco JP Morgan de que a Ford sairá de alguns mercados da América do Sul para reduzir os prejuízos obtidos na região.” O Brasil será que está na lista? Não seria a primeira vez essa cogitação pela Ford. Lembro que antes da chegada do Ecosport houve o risco da saída da Ford do Brasil. Fiesta nova não vem, Focus novo sabe-se lá, Ecosport requentado, Fusion indo para a China, KA zero Ncap …. futuro sombrio se apresenta pelos indícios.

  • DiMais

    é a realidade, mesmo motivo que fez a FCA desistir do 200 por lá.. o mercado mundial tem se desenhado para os dois extremos: suv’s e picapes grandes x híbridos e elétricos, nesse cenário a variedade de modelos à disposição para os consumidores tende a diminuir cada vez mais.

  • Claudio

    O grande problemas são os custos de produção. Há tempos vi um programa de TV sobre os motores estacionários Briggs @ Straton que passaram a ser fabricados na China e não mais nos EEUU. Neste, o custo de um operário era de US$20,00 a hora enquanto na Chima era de US$20,00 POR SEMANA .Assim para este fabricante não havia alternativa: Ou se mudava para a China ou fechava a fábrica nos EEUU. O mesmo está acontecendo como muitas outras fábricas inclusive brasileiras.Ao assinarem acordos de livre comercio com a China, os países compraram a corda que os irão enforcar.

  • afonso200

    vai subir uns 50mil com mais imposto

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

receber-noticias Notícias por email