Ford: menos de um mês de fechamento já faltam peças nas revendas

Ford: menos de um mês de fechamento já faltam peças nas revendas

Nem bem completou um mês de fechamento das fábricas da Ford em Camaçari-BA e Taubaté-SP, a rede de distribuidores da marca americana já sente os efeitos no pós-venda, de acordo com o site UOL.


Numa circular da Abradif (Associação Brasileira de Distribuidores Ford), a entidade já indica a falta de peças de componentes para os modelos Ka, Ka Sedan e EcoSport, que foram retirados de linha com o fechamento da planta baiana.

Segundo a entidade, o Procon tem enviado notificações com reclamações de clientes da Ford, que alegam falta de peças na rede autorizada.

A Abradif ainda comunicou os revendedores que estará cobrando a montadora pela situação que gerou, responsabilizando-a pelos danos aos clientes e lojistas.

Além disso, a associação recomenda que os distribuidores façam sua defesa, alegando que não há controle sobre a disponibilidade e produção de peças e acessórios dos modelos da Ford.

Com isso, a situação dos proprietários de carros da Ford vai se complicando. Além da desvalorização acelerada com o fim da produção e consequente saídas dos produtos do mercado, a falta de peças é um problema ainda maior.

A rede Ford continua funcionando e dando assistência aos donos de carros da marca, porém, sem peças e componentes, fica difícil manter a manutenção dos veículos que entram nas oficinas.

Desde o anúncio do fechamento das fábricas em 11 de janeiro, a Ford mantém suas plantas paradas, tendo convocado os trabalhadores novamente para produzir peças para a rede de distribuidores e o mercado de autopeças.

Contudo, os empregados não voltaram às unidades e as linhas estão completamente abandonadas. Apenas a Troller ainda funciona normalmente, mas já com prazo para fechar.

Na rede Ford, além da falta de peças, os empresários rejeitaram uma proposta de indenização da marca e pedem pelo menos R$ 1,5 bilhão para o descredenciamento dos distribuidores, que serão reduzidos de 283 para algo entre 120 e 130 lojas.

[Fonte: UOL]

 

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.