Ford Pickups

Ford: Picape cabine dupla derivada do Focus terá motor 2.0

Ford: Picape cabine dupla derivada do Focus terá motor 2.0

A picape cabine dupla derivada do Focus está tomando forma e mais detalhes do modelo, que deverá chegar ao mercado brasileiro, começam a surgir. Na Austrália, o site Wheels publicou uma informação sobre o projeto, que fará uso de motor 2.0, algo que é considerado inusitado, já que o hatch médio da Ford não utiliza mais esse tamanho de propulsor.


A picape cabine dupla, que está em desenvolvimento nos EUA e que pode ser fabricada no México ou no próprio território americano, não é um projeto novo, segundo o relatório, que indica sua proposta há algum tempo. Ainda sem um nome definido, que pode ser Courier ou Ranchero, entre outros, o produto será a resposta da Ford à Fiat Toro.

Essa nova picape será feita sobre a plataforma do Focus C2, que é a atual geração do modelo, feita apenas na Europa e China. Com carroceria monobloco e cabine dupla, esse modelo fará uso de motor 2.0, que no portfólio da Ford só existem duas opções viáveis para o produto.

Um deles é o motor 2.0 Duratec, já bem antiquado. O outro é o EcoBlue 2.0, diesel, que é bem recente e equipa a picape Ranger (incluindo a Raptor), além do Edge e outros modelos da marca. Nesse caso, o propulsor movido por óleo combustível seria indicado para uso em mercados como da América do Sul e Austrália, por exemplo.


No entanto, o relatório diz que o motor 2.0 é movido por gasolina em um protótipo testado. Como se sabe, o Duratec ainda é oferecido em alguns carros da Ford, como o EcoSport Storm no Brasil, podendo ainda ser oferecido no Territory fabricado na Argentina.

Isso daria ao modelo, pelo menos por aqui, algo em torno de 170 cavalos. A informação ainda diz que a picape da Ford terá transmissão automática de oito marchas. Provavelmente a utilitária terá ainda tração nas quatro rodas.

[Fonte: Wheels via Whichcar]

Ford: Picape cabine dupla derivada do Focus terá motor 2.0
Nota média 3.6 de 11 votos

Ricardo de Oliveira

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 23 anos. Há 12 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

  • Andre Cupertino

    Vcs estão esquecendo do 2.0 Ecoboost de 240cv q equipa o Fusion. Aposto nele tb.

    • Pedrob

      2.0 ecoboost pro nosso mercado seria um puta overkill, já que a toro vai estar usando um 1.3T e a Tarok deve chegar com o 1.4T do T-Cross.

      • Não é impossível, já que o escape/kuga usa esse motor.

        • Pedrob

          De forma alguma, é possível de fato, mas para o Brasil acredito que não rola. Para aqui, faria mais sentido o 1.5T de 3 cilindros (Família Dragon) ou mesmo o 2.0L Duratec citado pela matéria.

    • Marcelo Ceno Dutra

      Um bom motor, mas com o consumo muito alto.

    • fsjal

      O 2.0 ecoboost bebe demais. Tive um Fusion e andando na casquinha era 7 km/l na cidade, mas não é incomum gente que não consegue mais de 6,5.

      Mas a Ford tem 1.0 e 1.5 ecoboost. Pode ser mais viável

      • Fabricio

        também tenho a mesma experiência.. andando no vácuo da galera kkkkk sem nem encostar no pedal, só assoprando, minhas médias eram de 6… e olha que aqui é interior, e nem congestionamento tem.. e poucos semaforos também…. Também imagino que essa combinação seria legal pra quem gosta de andar forte.. mas não sei se é o público alvo de caminhonetes desse porte.. (embora a amarok v6 seja sucesso de vendas)

        • fsjal

          sim kkkkk mas a amarok tá num patamar superior.

          imagina uma caminhonetinha de 90k fazendo 6km/l na gasolina. ninguém aguenta

    • Fabricio

      lembrando que esse motor atualmente entrega 248 cv na versão atual do fusion. Uma pena o câmbio ser bastante ruim… Se colocassem o mesmo conjunto da Evoque anterior, que usava esse motor com um cambio muito superior, essa caminhonete poderia fazer bastante sucesso.

  • Chap

    Proteto P758. Será produzido no México, na Turquia e na Tailândia. Apresentação no primeiro trimestre do ano que vem.

  • Yuri Lima

    Os nomes Courier ou Ranchero seriam legais para utilizar.
    Mas não duvido usarem também Falcon em alusão à UTE australiana. Se a Ford já colocou Galaxy e Maverick em SUV na Europa…
    Vai ser excelente opção! Ford dormiu no ponto e poderia ter inaugurado o segmento de picape compacta plus size muito tempo antes com uma picape do Ecosport aqui. Deixou o pioneirismo para Oroch e Toro.

    • Tosca16

      Ranchero, ok; Courier, não; mas preferiria que a Courier voltasse agora baseada no KA. Caberia ambas na gama brasileira da FORD.

      • Yuri Lima

        Haveria espaço para ambas mesmo. Como Strada e Toro.
        Mas a Ford é lerda em sacar essas oportunidades.
        Era pra ela ter sido a pioneira nessa área de picape compacta bombada tipo Toro e Oroch, aproveitando o Ecosport da primeira geração.

        • Piston head

          Lerda ou desinteressada? Claramente qualquer comentarista do NA escolheria melhor o portfólio, não é ironia. Não é possível que não tenham um profissional capacitado para tal.

      • Cromo

        Concordo, este nome Courier é muito guei (com todo respeito aos gueis).

    • Ubiratã Muniz Silva

      na época ainda da primeira geração do Eco, uma picapinha com aquela cara (e uma caçamba decente pra trabalho) ia vender MUITO.

      A Ford comeu mosca ali.

      (A Renault tb podia ter trazido a picape do Logan como carro para trabalho)

  • Marcelo Ceno Dutra

    “Essa nova picape será feita sobre a plataforma do Focus C2”
    A pessoa já fica com o pé atrás, pois o espaço traseiro do Focus é péssimo! Aliás com excessão do Ka, Fusion, Focus, Ecosport, fiesta sedan e Hatch tem um péssimo espaço traseiro. O Fusion salva por causa do tamanho, mas quando comparado ao Passat por exemplo, anda menos, bebe mais, mais pesado e não é lá tão confiável também não.
    Todo mundo migrando para motores turbos, híbridos a Ford não lançaria uma pickup anti Toro com motor a gasolina aspirado, vai ser um tiro no pé.

    • Doyle

      A plataforma C2 do Focus é a modular presente no Focus de quarta geração, e não a C1 que você está se referindo, do Focus vendido para nós. O atual Focus 2020 com a plataforma C2 tem um dos maiores espaços no banco traseiro do segmento.

  • RKK

    O Duratec 2.0 Direct Flex é um bom motor. Só poderia elevar ainda mais a taxa de compressão de 12:1 para 13:1, como no novo motor Dynamic Force do Toyota.

    • Chap

      Esse motor da Toyota na gasolina deve ser tenso, hein.
      O Dura com essa compressão passaria de 180 cv fácil.

  • Emanuel Schott

    Enquanto a Toro já testa o 1.3 Turbo e a Tarek vira com o 1.4 Turbo, acho que pela concorrência caberia um Ecoboost menor aí ao invés de um 2.0 aspirado.

  • El Gato!

    Chamar o Duratec de “antiquado” é ridículo. Fui proprietário de um Focus por três anos, e esse motor é excelente. Elástico, forte, econômico… 178 cv que deixam a condução bem prazerosa, apesar do péssimo câmbio do carro.
    Não é porque a moda é turbo de baixa litragem que o Duratec deixa de ser uma excelente opção.

    • Emanuel Schott

      Antiquado = Concepção antiga, não ruim.

      • El Gato!

        Antiquado = obsoleto, ultrapassado.

        Na minha colocação, cito que não o considero ultrapassado. É excelente, performando tão bem ou até melhor do que os motores da moda.

        Pra mim a expressão denota uma depreciação. Questão de interpretação. Poderiam ter utilizado outra palavra.

        • caio gomides gonçalves

          Perto dos TSI e 1.4t da GM, ele é uma peça de museu. Não da pra ficar comparando só com os piores, tem que olhar o que há de bom no mercado tb.

    • Zé Mundico

      Mas se eu tenho um motor 1.5 T, por exemplo, que vá me entregar o mesmo resultado de um 2.0 aspirado com mais desempenho e mais economia, porque não vou usar esse 1.5 T?

      • El Gato!

        Porque seria de 30 a 40k mais barato?
        (considerando os valores do Focus no ano passado)

      • Leo

        Custo de manutenção, facilidade de aquisição de peças e confiabilidade.

        • Zé Mundico

          Peraí,né? Até parece que motor turbo tem prazo de validade e só dura 4 invernos…..rsrsrss

          • Paulo Lustosa

            Pior que dependendo da pressão da turbina tem prazo de validade, fora que os retentores e juntas (tirando a de cabeçote) estragam mais cedo que dos aspirados. Eu sou dono de turbo diesel (que é mais reforçado nessa questão de juntas e retentores que motor a gasolina por trabalhar com pressão entre 1,5 e 2kg, que os turbo a gasolina ou flex, que em média é entre 0,5 a 1kg, exceto o 1.4 TSI que trabalha com 1,5kg no lombo), e com menos de 100 mil km rodados na época, estragou retentor de volante e junta de tampa de válvulas, no qual eu troquei na época todo o jogo de juntas e retentores (menos os retentores de válvulas e junta de cabeçote) para parar o vazamento de óleo. O 1.4 TSI já é conhecido por vazar óleo cedo, e os Duratec não possuem essa fama, além de ser bem mais elástico..

      • Toyo_Highlander fan

        Digo até que o 1,5 T vai dar bem mais manutenção do que o 2.0 aspirado. Por se tratar de um motor com cilindrada menores, ainda que totalmente projetado para entregar a mesma potência de um 2.0, seus componentes devem se desgastar mais.

        • Rodrigo

          Não necessariamente. A tecnologia de motores turbos evoluiu bastante nos últimos anos, haja visto que a maioria dos fabricantes possui um ou mais exemplares de motores assim em seu portfólio, inclusive marcas que, tradicionalmente, sempre apostaram em motores aspirados (Honda e Toyota).
          A diferença é que um motor turbo downsized requer um pouco mais de zelo na manutenção preventiva (óleo, filtros) e até um maior cuidado com combustível.
          Essa desculpa de baixa confiabilidade já caiu por terra faz tempo.

          • Paulo Lustosa

            Parte de juntas e retentores o turbo precisa da troca mais cedo.

            • Rodrigo

              Isso varia muito de fabricante, motor, versão e período de fabricação, potência e torque, não dá pra generalizar. Só o motor EA-888 da VW possui 3 gerações oficiais e mais umas 5 ou 6 versões de turbina. Isso falando apenas de versões OEM, desconsiderando preparações. É leviano generalizar.

          • Toyo_Highlander fan

            Vc viu um caso nos EUA de um VW Jetta 1.8 T ano 2001 por lá que rodou 1 milhão de quilômetros e com o motor intacto, nunca retificado? Até a própria VW recomprou o carro para estudar tamanha durabilidade!

            • Rodrigo

              Não vi, mas não duvido. Ainda mais lá onde mesmo na garantia o proprietário tem a liberdade de fazer algumas manutenções por conta própria sem afetar a garantia (exemplo, troca de óleo e filtros). Além do combustível ser melhor também. Esse Jetta era a diesel ou gasolina?

              • Toyo_Highlander fan

                Era gasolina! O vídeo está no YT. Só não posso colocar o link aqui pois o site tem que aprovar o link através do moderador.

      • Rodrigo

        A economia e o desempenho com certeza. Porém existe uma armadilha nessa onda do downsizing: por serem motores de alto rendimento, alguns proprietários acabam se rendendo a preparações, chipagem, stages e o escambau, acreditando possuírem verdadeiros esportivos. Depois que dá problema, botam a culpa no motor que “não aguenta”, sem se darem conta que mesmo preparações exageradas em modelos aspirados, cedo ou tarde, acabam por abreviar a vida útil desses também.

  • Tosca16

    Seria uma boa mas acertaria ainda mais se viesse essa junto com a volta da Courier, baseada agora no compacto KA, pois não pode a FORD deixar de ter sua pequena pro trabalho.

  • Danilo

    Pra um veículo que tem que ser confiável, esse motor 2.0 Duratec dá e sobra. É só lembrar, que agora é que a Toyota lançou um motor 2.0 com potência parecida. Esse motor Ford 2.0 não é ultrapassado, é datado, más está longe de ser ultrapassado, e se vier pro Brasil nessa caminhonete, ajuda a manter um custo de manutenção razoável visto que já possui peças e informações para sua manutenção.

  • Robinho

    aleluia! primeira projeção que enxertaram a toro no desenho…

  • Luis Burro

    Se fosse por especulação a marca então já teria lançado a picape derivado do EcoSport já em 2002…ela pode até lançar o modelo mas ñ terá nd além do q as concorrentes já oferecem!

  • Faheina

    E essa projeção basicamente um eco cortado? Algum fundamento? Tomara q só coincida as rodas.

  • Toyo_Highlander fan

    Por se tratar de um 2.0 aspirado bem potente, já vi gente dizer que o recém lançado Toyota Corolla na versão XEi é o PRIMEIRO dessa cilindrada com tal potência que ultrapassa os 170 cv. Mentira: em 2013 com a chegada do Focus de terceira geração no brasil ele já tinha potência de 176 cv na versão aspirada e já com injeção direta. Um motor muito avançado ainda hoje.

  • Eric Locatelli Martini

    Eu gostei. Seria uma opção muito interessante para o mercado. O know-how da Ford em picapes já seria um grande diferencial nesse mercado.

  • Toyo_Highlander fan

    Agora , se vier com esse design a Toro na frente dessa Ford fica que nem a Renault Oroch na frente da própria Toro.

  • Ubiratã Muniz Silva

    para a Austrália, uma versão cabine simples seria uma ressureição das UTE…

  • Igor Bastos

    Se a Ford lançar algo similar a essa projeção esta de parabéns, coisa linda de se ver.

  • Guilherme Batista

    Se ficar parecido com essa imagem ia ser lindo demais, pq os ultimos carros lançados estão bem feios.
    Só não estão piores que a Hyundai

  • Jose Antonio

    Tomara que se vier que venha do México porque os carros Ford feitos na Argentina e na Bahia deixam muito à desejar em vários itens

  • Thiago Lima

    Eu sou bem mais o 2.0 do Focus com injeção direta e 168cv que um 1.4t da vida com a mesma potência.
    Esses motores novos são pendurados na pressão. Peça que não existe não estraga, quanto menos componentes para falhar melhor e componentes é o que não falta nesses turbinados.

  • Paulo Lustosa

    Seria bom era se colocasse em linha um 2.5L com injeção direta e a mesma potência, mas com seus 25kgfm de torque por conta da maior cilindrada, em rotação bem mais baixa que o obtido pelo 2.0, pra concorrer com a Toro 2.4L, que essa pelo visto não será substituída pela 1.3L Multiair II Turbo.

  • Wilibaldo

    Qualidade construtiva de ecosporte AT

  • Paulino Lino

    Se chegar parecida com a da foto será uma bola certa!! Belíssima.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email