Ford Ranger Black chega com diesel 2.2 e parte de R$ 179.900

Ford Ranger Black chega com diesel 2.2 e parte de R$ 179.900

A Ford Ranger Black chega ao mercado nacional com visual personalizado, motor diesel 2.2 com transmissão automática de seis marchas e tração 4×2, com preço sugerido de R$ 179.900.


Antônio Freitas, gerente de Marketing de Picapes da Ford, diz: “A Ranger Black foi criada para atender um consumidor que não tinha opção similar no segmento”.

Ele completa: “É uma picape de uso urbano com design robusto e sofisticado, motor Diesel e tração 4×2, que oferece excelente dirigibilidade e tecnologia com propósito para ampliar o sucesso da Ranger.”

A Ranger Black chega com pintura preta, estribos laterais, rodas de liga leve aro 18 polegadas escurecidas, santantônio personalizado, grade dianteira preta e faróis com máscara negra.

Por dentro, a Ranger Black vem com ar-condicionado dual zone, piloto automático, sete airbags, controle de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, controle de descida, controle de reboque, sistema anticapotamento, multimídia SYNC 3 com Google Android Auto e Apple CarPlay, FordPass Connect, entre outros.

Ford Ranger Black chega com diesel 2.2 e parte de R$ 179.900

Ford disse que os 100 “primeiros clientes da Ranger Black ganham um kit de acessórios composto por protetor de caçamba, capota
rígida elétrica e rede porta-objetos. Esses itens, que somam R$10.000, também poderão ser adquiridos separadamente nas revendas.”

Apresentada em prévia para imprensa antes do Salão do Automóvel 2018 (o último realizado), a Ranger Black foi apresentada na mostra paulistana, mas o que era para vir rápido, demorou muito tempo, embora agora esteja disponível.

Equipada com motor diesel Duratorq 2.2 com 160 cavalos a 3.200 rpm e 39,2 kgfm a 1.600 e 2.500 rpm, tendo uma caixa automática de seis marchas e tração 4×2. Com cabine dupla, a Ford Ranger Black tem rodas aro 18 com pneus 265/60 R18 e 2.032 kg de peso em ordem de marcha.

Medindo 5,354 m de comprimento, 1,977 m de largura, 1,848 m de altura e 3,220 m de entre-eixos, a Ranger Black tem capacidade de carga de 1.168 kg e 1.180 litros de volume na caçamba.

Ricardo de Oliveira
Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações. Também trabalhou nas áreas de retificação de motores, comércio e energia.

76 comentários em “Ford Ranger Black chega com diesel 2.2 e parte de R$ 179.900”

    • De morto ela não tem nada. As vendas fa Ranger não foram afetadas com o fechamento das fábricas, só olhar o resultado de vendas dela em fevereiro.
      02/2020 = 1.316
      02/2021 = 1.307

          • Aaah sei ñ, com uma menor qntidade de assistência técnica qm vai querer atravessar o país pra reparar seu modelo???
            Com ctza a marca vai concentrar nas regiões de maior público pra elas, mas ficará restrita!

        • Emplacamentos em março 2021 ante fevereiro de 2021, até dia 24/3:

          VEÍCULO FEV/21 MAR/21 CRESCIMENTO OU QUEDA %
          TOYOTA/HILUX 2.663 2.594 -2,6%
          FORD/RANGER 1.307 1.893 +44,8% (subiu muito)
          GM/S10 1.602 1.028 -35,8%

          • Tenho um fusion, fui fazer revisão dele e tinha um ranger storm emplacada, mas não vendida … além de poucos carros no showroom .. acredito que as css estão emplacando os carros

            • Isso é muito comum, e não é exclusividade da Ford não, pois é só ver a quantidade de carros Okm emplacados em lojas multimarcas para se ter uma ideia que muitas concessionárias fazem isso, pois elas tem uma cota para vender, e se não conseguem atingir essa cota, usam desse “artifício”.

            • Sei que a Chevrolet está com a produção parcialmente comprometida, mas se fosse só isso, acho que as vendas seriam pulverizadas para outras marcas (vide Toyota). Talvez a Ford esteja fazendo promoção para encorajar o pessoal a “correr o risco”.

              • Só a velhinha de Taubaté para acreditar no que a Ford diz. Isso q eu tenho um produto dela, um Troller 2018. Mas nunca mais compro nada dessa quadrilha. Faz anos que a Ford vinha mentindo na cara dura sobre problemas técnicos em seus carros. Tive um Focus Titanium Plus comprado zero em 2016. A Ford disse q Focus de 2016 em diante não teria problema com o powershift. Quando a carroça começou a dar trancos, O gerente de oficina da concess da minha cidade ( q acabou de fechar, ainda bem) mostrou o boletim da Ford que informava que os Focus 2016 tinham garantia estendida para as embreagens, em particular, devido a problemas (novidade) no material de abrasão. Até ele ficava revoltado com a Ford com suas mentiras, zero suporte. Mentem, omitem mais q governo Norte Coreano nos seus boletins “informativos” a população. O Mustang está com problema grave no seu câmbio de 10 marchas. Aqui nem se ouve falar, claro, mas nos EUA já tem ação coletiva p a Ford se mexer. Ah, esse mesmo Focus foi 11 (ONZE) vezes a concess por problemas de infiltração de água!!!! Marca de veículos mais omissa presente no Brasil nesse momento. Fui muito fã, hoje tenho nojo!

                • Tive 2 Focus (G1) e não tive problemas com eles. Tenho parente que teve uma Ecosport que teve problema no PS, sei muito bem a porcaria que o câmbio era. Como era alugado em contrato de 2 anos, eles devolveram bem antes do prazo para não ter dor de cabeça (A Ford ainda não tinha estendido a garantia).
                  Também fui fã da marca. Mas o lineup atual dela (mesmo o global) simplesmente não é para mim. Pra mim, esse encerramento abrupto de produção de veículos no Brasil foi só o golpe de misericórdia.

      • A picape até pode ser boa, mas que adianta se que a fabrica não está nem aí para seus clientes?

        Eu ia dizer “aproveite enquanto está na garantia” mas tenho minhas dúvidas quanto ao suporte fornecido.

    • Difícil a escolha. Eu penderia para a Ranger por ser mais “picape”, mas a Toro tem predicados que também são mais vantajosos em relação a Ranger. Teria que ver o uso e o espaço que o sujeito vai ter em casa.

    • Por 180K não levaria nenhuma das duas, mas sendo racional a toro é uma compra muito, mas muito melhor.

      Toro tem a vantagem de andar MUITO mais, beber menos, ter revisões mais espaçadas e baratas, 4×4, melhor revenda, peças mais baratas, suspensão mais confortável e estável, ser fabricada no brasil e um sucesso de vendas, bancos em couro e chave presencial, além de coisas que essa ranger so vai dar aos 100 primeiros compradores como protetor de caçamba e capota marítima (pqp em ford, 180k e vir com caçamba no aço) e sem esquecer que a toro ultra esta sendo vendida com desconto de 31k, recebi SMS da FIAT essa semana inclusive.

      A ranger tem a vantagem de ser maior, suspensão que aguenta mais peso, so isso mesmo.

      (provavelmente ainda assim se fosse obrigatório eu escolher levaria a ranger, o lado emocional picapeiro ia falar mais alto kkkk)

      • 4×4 da toro não serve pra lama e o seguro é absurdo de caro. Meu tipo de uso, que é caçamba grande pra pegar peso, a Ranger seria minha escolha, mas a GM aqui vende a S10 LT a diesel por 176k, aí não tem outra escolha, vou na GM pela 4×4 com reduzida e o desempenho

        • Paulo, tudo bem?

          São 8 opções na Ranger:

          1) XL Cabine Simples 2.2 Diesel 4×4 MT 2022 – R$ 163.490;

          2) XL Cabine Dupla 2.2 Diesel 4×4 MT 2022 – R$ 171.590;

          3) XLS 2.2 Diesel 4×2 AT 2022 – R$ 167.790;

          4) XLS 2.2 Diesel 4×4 AT 2022 – R$ 200.990;

          5) Ranger Black 2.2 Diesel 4×2 AT 2022 – R$ 179.900;

          6) Storm 3.2 Diesel 4X4 AT 2022 – R$ 200.390;

          7) XLT 3.2 Diesel 4×4 AT 2022 – R$ 228.990;

          8) LIMITED 3.2 Diesel 4×4 AT 2022 – R$ 249.990.

          • Se a Ford continuar com a palhaçada de não colocar todas as informações oficialmente para os demitidos, governo, fornecedores, ser TRANSPARENTE, pq até agora só podemos chama -la de SA FA DA, PI CA RE TA, logo diremos: ERAM 8 opções de Ranger.

          • Então, pela quantidade de problemas que conheço da Ranger e pela mecânica mais fraca principalmente no caso da 2.2 Duratorq, eu dou preferência pra S10 LT, que é mecânica que já conheço, que no caso é o velho motor VM A428 de 200cv e 51kgfm de torque, contra 160cv e 39kgfm de torque. Só nisso aí garante o tipo de agilidade que eu quero com o carro carregado (eu mesmo transporto muito peso por conta de roça e por conta do trabalho com marcenaria para confecção de caixas de som tanto pra galera de som automotivo quanto pra igrejas, e aí quando joga os equipamentos ou insumos, não tem jeito, agilidade de um motor mais potente e torcudo fala mais alto.

      • A Ranger Black também tem bancos de couro.
        Tem 7 air bags de série.
        E tem também:
        Controle Adaptativo de Carga (a Toro não tem)
        Controle Anticapotamento (acredito que a Toro tenha)
        Controle de Oscilação de Reboque (a Toro não tem)
        Controle eletrônico de estabilidade e tração (a Toro tem)

    • Pode, não há problemas em relação a isso já que o critério para o carro de passeio a diesel ser vendido no Brasil é a capacidade de carga superior ou igual a mil quilos. Já em relação aos carros como Renegade e Compass, o inciso primeiro da lei permite que jipes tbm possam utilizar motor diesel e classifica como jipes todos os veículos com tração 4×4 com caixa reduzida.

      • Carro de passeio com capacidade de1 ton????? A S10 é carro de passeio? No meu planeta é uma picape. O Renegade é Jipe? Audi Q5 é Jipe então pode usar diesel? Para ser classificado como jipe tem outros quesitos q vx desconhece por completo. Por isso só o Troller, Jimny, Wrangler e Mercedes classe G tem essa classificação no Brasil .O Renê pode usar motor diesel pq é 4×4 e tem uma(falsa) reduzida q o governo passou a aceitar desde quando o ML foi lançado pela Mercedes. O Renê é um crossover. Está a 1 milhão de anos -luz de ser um Jipe.Para q eu quero descer. Abobrinha demais, cara….

        • Amigo, me mostre onde eu disse que uma picape é um carro de passeio, estou apenas reproduzindo o que diz a lei, se um carro de passeio tiver capacidade de carga superior a 1000kgs ele pode usar motor a diesel, mas é óbvio que não é viável construir um carro de passeio para isso, daí então existem as camionetes e picapes que cumprem esse requisito e podem usar o motor a diesel.
          PORTARIA Nº 23, DE 6 DE JUNHO DE 1994
          “RESOLVE: Proibir o consumo de óleo diesel em veículos automotores de passageiros, de carga e de uso misto com capacidade inferior a 1.000 kg, altera o texto da Portaria DNC N° 16 de 29/06/93.”

          E sim, a lei trata como jipe veículos 4×4 com reduzida, vc gostando ou não.
          “§ 2° Excetuam-se do disposto no caput deste artigo os veículos automotores denominados, jipes, com tração nas quatro rodas, caixa de mudança múltipla e redutor, que atendam aos requisitos do Ato Declaratório (Normativo) n° 32, de 28 de setembro de 1.993, da Coordenação Geral do Sistema de Tributação da Secretaria da Receita Federal, mesmo os que atendam, simultaneamente, as condições de jipes e de uso misto, conforme Parecer Normativo n° 2, de 24 de março de 1.994, da citada Coordenação.”

          • que atendam aos requisitos do Ato Declaratório (Normativo) n° 32, de 28 de setembro de 1.993!!! Fala sofre ângulo de ataque, altura min do solo , local para instalar guincho p ser definido como jipe.
            Veículo de passageiro não é carro de passeio!!!! É uma van, por ex, um ônibus!Depois q vc concluir suas aulas de interpretação de texto, nos falamos.

              • Já expliquei no comentário acima. Percebe-se q vc é meio lento e tem preguiça de ler. Além do Renê ter tração 4×4, a primeira marcha do câmbio com 8 marchas simula a redução por engrenagens/corrente que existe dentro da caixa de transferência dos fora de estrada de verdade. Essa redução, em uma nova S10 por ex é de 2,62:1!! Multiplique isso pela relação da primeira marcha dela e você verá o que é reduzida de verdade. O DENATRAN aceita isso (uma palhaçada pq é aoenas um pouco mais curta que o normal) e não cobra a existência da cx de transferência física. Como dito acima, essa primeira marcha do Renê, q chamam de “super reduzida” não chega nem perto de substituir uma redução verdadeira, que também precisa de espaço p ser instalada. É a Nutellização mostrando sua força.
                Se vc puser um conjunto assim em um Duster, um IX35, etc, eles também poderiam ter um motor diesel. Não colocam pq é muito caro p ser desenvolvido , produzido…. entendeu agora? Só esqueci de dizer que também tem q colocar DIESEL no tanque. Melhor colocar tudo explicadinho p vc!

        • Sim….!
          Lembrando que tem 1 jipe brasileiro que nao oferece reduzida e somente a 1 marcha: Engesa!
          E a MB conseguiu a brecha de “reduzida simulada” vindo do ML……. E resto adotou a idéia de não ter a caixa baixa que seja a reduzida…!
          Sou a moda antiga……. Adoro reduzida e tenho 2 4×4 que tem a reduzida (Suzuki´s)
          Reduzida é superior que o sistema moderno 4×4 que oferece somente a 1 marcha!

          • Eu também prefiro mil vezes a reduzida da caixa de transferência. Não tem nem comparação . Estou no meu segundo Troller e essa característica, junto com motor diesel, chassi separado muito reforçado e 2 eixos rígidos , me fazem adorar o bichão. Pena q a maior probabilidade é de q ele pare de ser produzido….Já qto ao Engesa, tinha 1 marcha c/ redução de 6,89 e diferencial 4,88.Dá p se divertir. Mas a redução na caixa de transferência faz falta, já q como você disse, só se tem 1 marcha realmente forte. O Marruá foi lançado sem reduzida, depois passou a ser oferecida como opcional.

            • …Concordo!
              A parte opcional era fabricada pela própria Engesa? Essa eu não sabia!
              Outro 4×4 que oferece sem reduzida… Mesma receita do Engesa que acho muito bom e robusto: Renault Duster 2.0 4×4…Tem a 1 marcha e a ré são curtinhas
              O de Renegayde + Compass+ Toro só oferece a 1 marcha e a ré é na caixa alta….
              Se o cara se enroscar… Nem a ré vai salvar direito!

              Gosto muito do Troller, só acho erro que a Ford comprou em 2009 e mandou matar a rival da Ranger que era fabricado pela Troller que era lindo: Pantanal!
              Qu na época estava alegando que tinha problema na solda do chassi… Era pura balela!
              Comprou a Troller e quis aproveitar o incentivos fiscais em Horionte CE!
              Torço que a Troller consiga se mudar livrando a Ford que acabou com a marca 100% brasileira
              Cade o Araripe que era fundador da marca lá nos anos 1995 quando começou…..?!
              Tomare que recompre! hehe!

              Pena que a “reduzida” está virando peça de museu…. Nem gerações futiras saberão o que foi a reduzida…!

              Exemplo: Samurai original feixe: caixa alta e 4×4: 1:32 e a baixa 2:26
              No meu Samurai ficou assim: Caixa alta e 4×4: 1.58 e a baixa 4.16
              Meu GV3 4×4 2015: caixa alta 4×4 :1:00 e a baixa : 2:00

              Reduzida duplica a força nas rodas e encara facilmente as trilhas

              Só a TR4 foi meio “mal feito”… Alta e 4×4 é 1:00 e a baixa 1:50! (tipo meia reduzida)
              TR4 e boa na areia…. Mas trilhas boas ela sofre por falta dessa meia reduzida!

  1. A um ou dois meses tiraram a versão 4×2 AT de 150k que era um belo custo-beneficio, agora vão e re-lançam ela, com uns acessórios esteticos a mais, so que por 180k, acabando com o custo beneficio, a única vantagem dessa combinação (4×2 AT 2.2 ), boa ford, parabens.

  2. Pelos ultimos numeros de venda a Ranger parece ainda não ter sido afetada com o fechamento das fábricas e redução das concessionárias e deve continuar sendo o cavalo de batalha da Ford, vamos ver daqui a alguns meses. Enquanto a proposta achei bem interessante pra quem precisa da capacidade de carga e economia do 2.2 Diesel mas não necessariamente do 4×4.

            • Eu também respeito a sua, mas por experiência própria o Duratorq não vale nada, isso como ex usuário de Ranger Limited 3.2 2015. Nesse segmento em robustez mecânica pra aguentar, inclusive em gestão de frotas pra trabalho pesado, hoje os motores GD da Toyota e os VM A428 da S10 são os que mais aguentam desaforo.

              • Lamento a sua experiência negativa.
                Mas, se for levantar problemas individuais, vai achar em todas as marcas.
                Não é um problema crônico de todas as gerações e anos do 3,2, muito menos do 2,2.
                Em recente pesquisa realizada pela 4 Rodas os donos mais satifeitos com o seu próprio veículo, foram os donos de Ranger, veja não donos de picapes, mas de todos os carros do mercado.
                É um dado positivo considerável.
                Mas concordo, que uma experiência negativa, afasta o usuário de uma marca qualquer.

  3. Tive uma XLT 3.2 16-17 automática que custou 144 mil reais à época. Hoje se pega uma fraca 2.2, com bancos de tecido, sem acessórios e o mais importante: sem tração 4×4, por 180 mil reais. Um mico de mercado. Que mundo é esse?

    • A Ranger Black tem bancos em couro, painel digital, ar digital de duas zonas, Sync3 com câmera de ré, santo antônio aerodinâmico, tudo isso oriundo da Limited (exceto os bancos com ajustes elétricos).

      A Ranger tem 8 versões.

      Quem não gosta de 4×2, pode optar pelas 4×4, quem não gosta de carro todo preto pode optar pelas 7 demais versões que tem cores variadas, quem não gosta do motor 2,2 pode optar por 3 versões 3,2, que não gosta de câmbio automático pode optar por duas versões com câmbio manual, quem quer cabine simples há uma versão.

      1) XL Cabine Simples 2.2 Diesel 4×4 MT 2022 – R$ 163.490;

      2) XL Cabine Dupla 2.2 Diesel 4×4 MT 2022 – R$ 171.590;

      3) XLS 2.2 Diesel 4×2 AT 2022 – R$ 167.790;

      4) XLS 2.2 Diesel 4×4 AT 2022 – R$ 200.990;

      5) Ranger Black 2.2 Diesel 4×2 AT 2022 – R$ 179.900;

      6) Storm 3.2 Diesel 4X4 AT 2022 – R$ 200.390;

      7) XLT 3.2 Diesel 4×4 AT 2022 – R$ 228.990;

      8) LIMITED 3.2 Diesel 4×4 AT 2022 – R$ 249.990.

  4. Divulgado o primeiro teste com a Ranger Black (AE):

    Ford Ranger Black

    Teste
    Aceleração
    0 – 100 km/h: 12,6 s
    0 – 400 m: 18,5 s
    0 – 1.000 m: 34,3 s
    Veloc. a 1.000 m: 151 km/h
    Vel. real a 100 km/h: 96 km/h
    Retomada
    40 – 80 km/h (Drive): 5,4 s
    60 – 100 km/h (D): 7 s
    80 – 120 km/h (D): 9,4 s
    Frenagem
    100 – 0 km/h: 45,3 m
    80 – 0 km/h: 30,7 m
    60 – 0 km/h: 19 m
    Consumo
    Urbano: 10,8 km/l
    Rodoviário: 13,1 km/l
    Média: 11,9 km/l
    Aut. em estrada: 1.048 km

  5. No mercado de usados com até 5 anos, picape diesel 4×2 não e um mico, é um Gorila . O 4×4 p/ picapes médias é até questão de status, mesmo q nunca seja usado. O próprio motor diesel é status, mesmo q se rode pouquíssimo. Parecido com o teto solar do Golf Gti. Tente vender um sem o teto tendo tantos a venda com o teto.

  6. Acho engraçado este marketing das montadoras: ” “A Ranger Black foi criada para atender um consumidor que não tinha opção similar no segmento” ” … mas se então ñ tinha nem a própria marca oferecia, ué então pra q toda aquela ladainha de ter a linha mais completa???😅

Deixe um comentário