Mercado Montadoras/Fábricas Veículos Comerciais

Foton começa comercialização de caminhões leves com 65% de nacionalização

foton-minitruck Foton começa comercialização de caminhões leves com 65% de nacionalização

A Foton Caminhões finalmente começou a comercialização de caminhões leves no Brasil, cuja produção começou em abril. A marca chinesa – representada no país pelo empresário e ex-presidente do BNDES Luiz Carlos Mendonça de Barros – está montando os veículos em Caixas do Sul-RS, na fábrica da Agrale. O foco da empresa foi a nacionalização de peças e componentes alcançando um índice de 65% em suas duas linhas de produtos.



Para a Foton, a nacionalização da maioria dos componentes reduz o tempo de fabricação e os custos. A estratégia é utilizar peças que já estão disponíveis no mercado nacional, adaptando-as aos caminhões de origem chinesa. Com isso, a empresa menciona que conseguiu economia de até 80%.

O projeto dos caminhões brasileiros da Foton passou pela matriz chinesa e teve a cooperação de empresas nacionais, facilitando assim a introdução destes componentes locais. Como o projeto da fábrica em Guaíba-RS atrasou – a previsão é para 2018, mas somente se o mercado nacional se recuperar – a empresa decidiu utilizar a planta da gaúcha Agrale, que estava subutilizada. Assim, permitiu-se que os caminhões chegassem ao mercado bem antes do previsto.

Com capacidade para 20 mil caminhões por ano, a fábrica de Guaíba terá 190 mil m2 e deverá receber um investimento total de R$ 250 milhões, sendo R$ 160 milhões para a construção da planta de produção e o restante para um centro de desenvolvimento de produto. O BNDES já liberou R$ 65 milhões para a obra.

foton-citytruck Foton começa comercialização de caminhões leves com 65% de nacionalização

A Foton passa a oferecer no Brasil as linhas Minitruck e Citytruck, respectivamente com capacidades de carga de 3,5 ton e 10 ton. Os Minitruck 3.5-12 DT e 3.5-14 ST/DT têm três opções de entre eixos, sendo um com rodado duplo traseiro. Estes utilizam motor Cummins ISF 2.8 e tem câmbio manual de cinco marchas. Eles também possuem ar-condicionado, defletor de teto, vidros e travas elétricos, sistema de áudio com USB, freio-motor, direção hidráulica, freios ABS e airbag duplo.

O caminhão leve Citytruck 10-16 tem capacidade para até 10 toneladas e vem com os mesmos itens, bem como motor diesel Cummins, eixos da Dana, por exemplo. Este modelo, de acordo com a Foton, é focado em “distribuição urbana de carga, VUC e transportes de curta e média distância”.

Por enquanto, a marca estará concentrada no segmento de caminhões leves, que representa 25% do mercado, sendo o que menos perdas teve em relação aos outros segmentos. Para a comercialização, a empresa conta com uma rede de 23 revendedores espalhados pelo país. No momento, não há planos para exportação, mas o Brasil deverá ser uma plataforma da Foton para a América Latina.

 

  • Catucadao

    esses chineses caminhão estranho

  • Tosca16

    Nada mal, e bem mais fácil nacionalizar este tipo de produto que veículos de passeio.

    • André

      E aí Tosca, a Chery f@de ou saí de cima? Cadê o Tiggo 2? O Tiggo 5 já não vem, e o Tiggo 7? E o Arrizo5? Com a chegada do Virtus, essa categoria pode esquentar. Estão esperando o quê? O Celer, vai continuar apenas como figurante? As vendas do QQ melhoraram, mas não basta. Acho um erro esperar para ver como fica depois do fim do InovarAuto, a Chery precisa de css e sair do anonimato.

      • Tosca16

        A Chery Tiggo 2 sai agora em outubro, e teremos novidades até o final do ano.

        • Luciano RC

          Trabalha na Chery?

          • Tosca16

            Não, mas tenho contato com vendedores, alguns da fábrica e nos grupos do QQ e Tiggo.

            • Luciano RC

              Bom saber amigo. Obrigado.

      • Márcio Motta

        acho que a Chery tem uma gama boa de veiculos la fora e se vier pro brasil creio que podem vender bem. eu torço pra que eles cresçam no pais. quanto mais concorrencia,melhor.

  • Luciano RC

    Esse caminhão é sensacional. Lembro que fui conhece-lo a uns 2 anos atrás. A unica coisa que me deixou preocupado foi o modelo de 3,5T (que o enquadra como camionete e roda em SP tranquilamente como carro de passeio) foi ter rodado duplo na traseira e pagar dois pedagios. O resto, ele é muito melhor.

  • Leandro Porcino

    para indice de nacionalização de 65% leia-se: “Dá FINAME”. sacode o mercado ae

  • Junoba

    Espero que faça sucesso, quanto mais concorrência melhor.

    • Luciano RC

      E esse dai tem potencial para mexer a concorrência. Olha a lista de itens de série do modelo.

  • Gu92

    Lembrando que a Foton produz os carros da Borgward também!!

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend