Ford Híbridos Sedãs

Fusion híbrido: equipamentos, preços, motor, consumo, garantia

Fusion híbrido: equipamentos, preços, motor, consumo, garantia
Ford Fusion híbrido 2019

Já ouviu falar do Fusion híbrido? O Ford Fusion sempre foi um dos carros mais importantes para a marca americana no mercado brasileiro.

Por liderar em seu segmento durante anos, o modelo aparecia como fonte de novidades e atualizações da empresa. Como exemplo, o Ford Fusion híbrido foi um dos primeiros híbridos a chegar por aqui.


Lançado no ano de 2010, o Ford Fusion Hybrid tornou a tecnologia híbrida um pouco mais acessível para os consumidores locais.

Tudo bem que ele não era tão barato assim, visto que custava acima de R$ 130 mil. Ainda assim, podia ser considerado por pessoas mais endinheiradas que buscavam por economia e eficiência no dia a dia.

Atualmente, o Fusion híbrido 2019 está em sua segunda geração, sendo que esta já passou por duas reestilizações.


É a versão mais cara do sedã à venda no Brasil, com preço que hoje ultrapassa a casa dos R$ 180 mil.

Saiba tudo sobre ele:

Fusion híbrido: equipamentos, preços, motor, consumo, garantia

Fusion híbrido – detalhes

O Ford Fusion em sua versão híbrida é bastante semelhante ao modelo Titanium com motor somente a combustão.

No visual, você dificilmente irá perceber que se trata de um Fusion Hybrid passando pela rua. A única diferença fica por conta do logotipo da versão estampado nas portas dianteiras e na tampa do porta-malas.

De resto, ele segue a mesma linha das variantes “civis” da linha Fusion 2019. O interior também é praticamente o mesmo, ressaltando o bom acabamento com detalhes em couro, plástico emborrachado e alumínio por todos os lados.

Ele conta apenas com alguns recursos extras no painel de instrumentos, no sistema multimídia SYNC e alguns botões exclusivos no console central.

Além disso, o porta-malas do Fusion Hybrid 2019 é ligeiramente menor devido ao espaço ocupado pela bateria de íon de lítio que alimenta o motor elétrico.

No Fusion original, são 514 litros, enquanto o modelo híbrido comporta até 392 litros.

O Fusion 2019 original já é um carro bastante espaçoso. Conta com um visual harmônico e interior esmerado, além de um bom espaço interno.

Condizendo com a sua proposta, é um carro grande, com dimensões generosas, tendo como destaque o comprimento de 4,87 metros e a distância entre-eixos de 2,85 metros.

Ele oferece também uma boa dose de equipamentos de série, com alguns recursos exclusivos em sua faixa de preço.

Entre eles, os cintos de segurança laterais traseiros infláveis, que consegue distribuir força do impacto por uma área maior do que a de um cinto de segurança comum.

Fusion híbrido – novidades

Lançamento do primeiro Fusion Hybrid em 2010

Fusion híbrido: equipamentos, preços, motor, consumo, garantia

O primeiro carro híbrido do Brasil foi o Mercedes-Benz S400 Hybrid.

Já o segundo foi o Ford Fusion Hybrid de antiga geração, que começou a ser vendido por aqui em novembro de 2010 como a versão topo de linha do sedã médio/grande em nosso País.

A primeira leva do Fusion Hybrid começou a ser vendida em nosso mercado com preço de R$ 133.900, ou seja, uma diferença de R$ 48,7 mil frente a versão de entrada do Fusion, que na época podia ser encontrada pelo valor de R$ 85.160.

Já frente ao Fusion V6, o híbrido cobrava R$ 26,5 mil a mais pela tecnologia e eficiência.

Este modelo chegou com o mesmo motor 2.5 litros a gasolina da versão de entrada, mas numa versão mais “mansa”, com 158 cv ante os 173 cv da variante normal, além de 18 kgfm contra 22,9 kgfm.

Junto a ele está um outro elétrico, que juntos entregam uma potência combinada de 193 cv, além de transmissão automática do tipo CVT e tração dianteira.

Nos equipamentos, ele dispõe de sete airbags, controles de estabilidade e tração, monitoramento de ponto cego, alerta de tráfego cruzado, câmera de ré, painel de instrumentos com duas telas configuráveis, monitoramento da pressão dos pneus, ar-condicionado automático elétrico (que funciona independente do motor), sistema SYNC, entre outros.

Nova geração do Fusion Hybrid em 2013

Fusion híbrido: equipamentos, preços, motor, consumo, garantia

A primeira geração do Ford Fusion Hybrid até que vendeu bem, considerando a falta de incentivos para carros híbridos e elétricos por parte do governo e o preço bem salgado do carro.

Em um ano, ele vendeu 174 unidades. E para repetir as boas vendas, a marca seguiu oferecendo a variante híbrida na nova geração do Fusion.

O novo Ford Fusion Hybrid estreou em agosto de 2013 com preço de R$ 124.990. Ou seja, mais barato que o seu antecessor.

Ele passou a contar com um propulsor 2.0 litros a gasolina de 145 cv e outro elétrico de 88 kW, que rendem, juntos, 191 cv. A unidade elétrica é alimentada por uma bateria de íons de lítio, que ficou 23 kg mais leve que a do antigo.

A lista de equipamentos seguiu o padrão do então novo Fusion Titanium Ecoboost AWD, com auxílio de permanência em faixa, monitoramento de ponto cego, alerta de colisão, teto solar elétrico, chave presencial, partida por botão, rodas de 18 polegadas, sistema de estacionamento automático (Park Assist), controle de cruzeiro adaptativo, direção elétrica, entre outros.

Naquela época, ele já enfrentou concorrentes híbridos na mesma faixa de preço, como o Toyota Prius por R$ 120,8 mil e o seu “primo rico” Lexus CT 200h, por R$ 149 mil.

Fusion Hybrid 2015 com mais equipamentos

As primeiras mudanças do Fusion Hybrid de segunda geração chegaram na linha 2015 do sedã. Todas as versões passaram a sair de fábrica com novos equipamentos, inclusive o modelo híbrido.

Ele adotou cintos de segurança traseiros infláveis e assistente de emergência, que aciona o resgate em caso de acidentes.

Além disso, recebeu um novo tom de cinza para a carroceria, interior com acabamento claro, bancos dianteiros refrigerados e ajuste elétrico do banco do passageiro em 10 posições.

O preço saltou para R$ 133,9 mil – o mesmo preço do primeiro Fusion Hybrid.

Chegada do Fusion Hybrid reestilizado em 2016

Fusion híbrido: equipamentos, preços, motor, consumo, garantia

Já o primeiro facelift do carro foi anunciado em outubro de 2016. O Ford Fusion Hybrid 2016/2017 adotou um visual retocado, com formas mais modernas, interior com novos detalhes e uma lista de equipamentos mais recheada.

Ele recebeu itens como controle de cruzeiro adaptativo, alerta de colisão frontal com frenagem automática de emergência, detector de pedestres, sistema de manutenção do veículo na faixa de rolagem em rodovias. Além disso, o sistema SYNC foi aprimorado e trouxe novos recursos.

Outra novidade foi a introdução de um botão seletor do câmbio, ao invés da tradicional alavanca, seguindo a linha dos modelos da Land Rover.

De resto, ele seguiu igual ao antigo.

O preço passou para R$ 159.500.

Ford Fusion Hybrid 2019 estreia com novo visual

Eis a atual cara do Fusion Hybrid no mercado brasileiro. Apresentado em fevereiro de 2019, o modelo ganhou retoques nos para-choques, grades e rodas de liga-leve. O interior recebeu pequenos detalhes.

No Salão do Automóvel de São Paulo, a Ford apresentou o Fusion híbrido do tipo plug-in, com opção de carregamento externo.

Porém, o Fusion Hybrid 2019 seguiu com o conjunto convencional, com o 2.0 litros a gasolina e outro elétrico de até 190 cv, sempre com câmbio CVT e tração dianteira.

O carregamento da bateria é feito pelo motor a combustão ou pela energia cinética gerada nas desacelerações.

O preço do Titanium Hybrid subiu consideravelmente, com reajuste de R$ 18 mil frente a tabela praticada anteriormente. Ele passou a custar R$ 182.990.

Fusion híbrido: equipamentos, preços, motor, consumo, garantia

Fusion híbrido – equipamentos

Segurança: oito airbags, controles de estabilidade e tração, alarme perimétrico, alerta de colisão com assistente de frenagem, detecção de pedestres, assistente de partida em rampas, chave My Key programável, monitoramento da pressão dos pneus,  faróis de neblina em LED, faróis full LED, luzes diurnas em LED, lanternas traseiras em LED, farol alto automático, piloto automático adaptativo com Stop & Go, alerta pós acidente,  monitoramento de ponto cego com alerta de tráfego cruzado, sistema de permanência em faixa, cintos de segurança laterais traseiros infláveis, entre outros.

Conforto: ar-condicionado automático e digital de duas zonas, ajuste elétrico do banco do motorista e do passageiro dianteiro em 10 posições, banco do motorista e retrovisores externos com memória, bancos dianteiros refrigerados e com aquecimento, porta-malas com abertura elétrica, saída de ar para o banco traseiro e faróis com acendimento automático.

Oferece também chave presencial, partida por botão, retrovisores interno e externos eletrocrômicos, partida remota do motor pela chave, sensor de chuva, sistema Park Assist de estacionamento automático, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, retrovisores externos com rebatimento elétrico e luz de aproximação, entre outros.

Visual e acabamento: aerofólio traseiro na cor da carroceria, grade frontal cromada, maçanetas externas na cor do carro com inserto cromado, bancos revestidos em couro, luz ambiente personalizável, teto solar com acionamento elétrico, faróis com acabamento interno cromado, banco traseiro bipartido e rebatível, bolso porta-revistas nos bancos dianteiros, descansa-braço central dianteiro e traseiro, tapetes em carpete, entre outros.

Tecnologia: sistema de som premium Sony com oito alto-falantes e quatro tweeters, App Link, Assistência de Emergência, câmera de ré, sistema multimídia SYNC 3 com tela sensível ao toque de oito polegadas, painel de instrumentos multifuncional configurável com duas telas de 4,2 polegadas, sistema de navegação, conectividade com Android Auto e Apple CarPlay, comandos de voz, entre outros.

Fusion híbrido – preços

Veja o preço do modelo:

  • Ford Fusion Titanium Hybrid 2019: R$ 182.990

Fusion híbrido: equipamentos, preços, motor, consumo, garantia

Fusion híbrido – motor

Este é, obviamente, o principal diferencial do novo Fusion Hybrid.

A atual geração do modelo é equipada com um motor 2.0 litros aspirado de quatro cilindros a gasolina de ciclo Atkinson, além de um outro propulsor elétrico alimentado por uma bateria de íons de lítio.

O propulsor a gasolina tem capacidade para entregar 143 cavalos de potência, 6.000 rpm, e 17,8 kgfm de torque, a 4.000 giros, ao passo que a unidade elétrica rende 120 cv e 18 kgfm.

Juntos, conseguem entregar uma potência combinada de 191 cv.

A unidade a combustão é dotada de duplo comando de válvulas no cabeçote, coletor de admissão composto e bloco e cabeçote em alumínio.

Há um câmbio automático e-CVT (continuamente variável) e tração dianteira. Este câmbio, inclusive, conta com um modo “low”, de marcha reduzida”, que pode ser acionado por um botão no console e atua em aclives ou declives acentuados, ajudando a segurar o carro usando o freio-motor.

Além disso, a transmissão tem uma função de segurança. Ao abrir a porta do carro, o câmbio entra automaticamente no modo de estacionamento (P).

No caso do motor elétrico, a alimentação é feita por uma bateria de íon de lítio de 1,4 kWh (montada atrás do banco traseiro) que carrega com o auxilio da unidade a combustão ou através da energia cinética gerada durante as desacelerações (pelo movimento das rodas quando não há aceleração ou na energia desperdiçada nas frenagens).

O uso de cada um dos motores é determinado de forma automática, variando conforme as condições do trânsito, requisição de potência, carga da bateria, entre outros.

Como exemplo, na fase fria do conjunto o motor a combustão trabalha mais intensivamente para garantir o aquecimento, reduzindo assim as emissões de poluentes.

Já com ele aquecido, o motor a combustão fica desligada em condições mais severas, como em paradas do trânsito. Ao pisar no pedal de acelerador, o 2.0 litros a gasolina volta a atuar de maneira quase imperceptível.

Na realidade, ambos os motores trabalham juntos na maior parte do tempo, mas o motorista não consegue perceber o quanto cada um está entregando de potência.

O conjunto dificilmente irá usar somente o motor elétrico por longos períodos, já que ele tem uma bateria pequena e, consequentemente, de autonomia limitada.

O motor elétrico pode ser usado somente em velocidades de até 100 km/h – depois disso, o motor a combustão funciona sozinho.

Outro ponto interessante é que o Fusion Hybrid usa um ar-condicionado automático digital de duas zonas acionado por um compressor elétrico.

Com isso, o sistema não rouba potência do motor a combustão e segue em funcionamento mesmo com o propulsor a gasolina desligado. Juntamente com a direção elétrica, o ar-condicionado “elétrico” contribui para a eficiência energética.

A bomba d’água do conjunto mecânico também funciona com motor elétrico independente.

Ainda nas soluções exclusivas do carro, ele tem uma grade dianteira com controle ativo que fecha as aletas automaticamente quando não há a necessidade de refrigerar o motor, como forma de reduzir o arrasto aerodinâmico e, assim, economizar combustível/energia.

Fusion híbrido: equipamentos, preços, motor, consumo, garantia

Fusion híbrido – consumo

Como você já deve imaginar, o novo Fusion Hybrid é um carro extremamente econômico. Ele é um dos melhores neste quesito entre os carros vendidos no Brasil.

Entre os modelos da mesma faixa de preço, perde somente para o Toyota Prius – o restante da lista inclui veículos mais caros, como Volvo S90 T8 e XC60 T8, Panamera E-Hybrid, entre outros.

De acordo com dados do Inmetro, o novo Fusion Hybrid 2019 entrega consumo de 16,8 km/l na cidade e 15,1 km/l na estrada.

Ele ganhou nota “A” na comparação relativa na categoria e também na comparação absoluta geração, com selo Conpet de eficiência energética.

Com tanque de combustível de 52,7 litros, ele consegue registrar uma autonomia de até 885 quilômetros.

Para ajudar no consumo, o Fusion híbrido exibe nas telas LCD de 4,2 polegadas do painel de instrumentos algumas informações como nível de carga da bateria, autonomia e consumo de combustível.

Há também o Ecoguide, que sinaliza um modo de condução mais sustentável, com aceleração suave e sem freadas bruscas, por meio de desenhos de folhas.

Ele oferece ainda o sistema EV+, que reconhece os destinos mais frequentes através do navegador GPS padrão do carro e prioriza o uso do motor elétrico para economizar combustível, otimizando as rotas.

Fusion híbrido – desempenho

Confira abaixo os números de desempenho do Fusion híbrido:

  • Aceleração de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos
  • Velocidade máxima de 180 km/h

Fusion híbrido: equipamentos, preços, motor, consumo, garantia

Fusion híbrido – garantia e revisões

O Ford Fusion Hybrid conta com garantia total de três anos e cobertura de oito anos para a bateria.

Todavia, a Ford prevê que a bateria dure por todo o ciclo de uso do carro.

Pelo menos até o momento, a marca não informou se algum exemplar do Fusion híbrido precisou ser submetido à troca da bateria.

Caso o proprietário necessite troca-la, deverá desembolsar algo em torno de R$ 40 mil.

Veja abaixo os preços das revisões do carro:

  • 10.000 km ou 12 meses: R$ 299
  • 20.000 km ou 24 meses: R$ 599
  • 30.000 km ou 36 meses: R$ 499
  • 40.000 km ou 48 meses: R$ 1.249
  • 50.000 km ou 60 meses: R$ 531
  • 60.000 km ou 72 meses: R$ 1.288

Fusion híbrido – ficha técnica

Motor

2.0 Hybrid

Tipo

Dianteiro, transversal e híbrido a gasolina

Número de cilindros4 em linha
Cilindrada em cm31.999
Válvulas16 (4 por cilindro)
Taxa de compressão12,3:1
Injeção eletrônica de combustívelMultiponto
Potência Máxima

143 cv com gasolina a 6.000 rpm / 120 cv elétrico / 191 cv combinado

Torque Máximo17,8 kgfm a 4.000 rpm

Transmissão

TipoAutomática do tipo CVT

Tração

TipoDianteira

Freios

TipoDiscos ventilados (dianteira) e discos sólidos (traseira)

Direção

TipoElétrica

Suspensão

DianteiraIndependente, McPherson, com barra estabilizadora
TraseiraMultilink

Rodas e Pneus

RodasLiga-leve de 18 polegadas
Pneus235/45 R18

Dimensões

Comprimento total (mm)4.871
Largura (mm)1.852
Altura (mm)1.493
Distância entre os eixos (mm)2.850

Capacidades

Capacidade de carga (kg)386
Tanque (litros)53
Peso vazio em ordem de marcha (kg)1.670
Coeficiente de arrasto (Cx)0,28

Ford Fusion Hybrid – fotos

 

Fusion híbrido: equipamentos, preços, motor, consumo, garantia
Nota média 4.8 de 4 votos

Leonardo Andrade

Leonardo Andrade

Leonardo atua no segmento automotivo há quase nove anos. Tem experiência/formação em administração de empresas, marketing digital e inbound marketing. Já foi colaborador em mais de sete portais do Brasil. Fissurado por carros, em especial pelo mercado e por essa transformação que o mundo automotivo está vivendo.

  • Louis

    Uma dúvida que eu tenho, esses híbridos têm a tradicional bateria de chumbo-ácido, para partidas? Ou utiliza somente uma bateria, a maior?

    • BillyTheKid

      Pelo que sei até carros 100% elétricos tem uma bateria 12V comum, a qual é recarregada pela bateria de alta voltagem.

  • Victor Eduardo

    “Caso o proprietário necessite troca-la, deverá desembolsar algo em torno de R$ 40 mil.” :'(

  • Robinho

    Carro lindo em todas as gerações, pena que o fim esta próximo…

  • th!nk.t4nk

    Foi interessante na época, mas completamente desatualizado pros dias de hoje. Bateria minúscula, motor aspirado, desempenho fraco, sem plug-in, etc. Hoje em dia poderia usar uma bateria de 10-12 kWh plug-in combinada ao motor 1.5 turbo. De qualquer forma como a Ford decidiu matar o Fusion, nunca veremos a atualizaçao dessa versão.

    • tiago

      O Kia Niro foi lançado recentemente nos EUA com bateria de 1.56 kWh e foi muito bem recebido pela crítica, por ser um SUV que entrega 50 MPG (EPA), compensa mais 100 carros com 1,5 kWh de bateria que 2 carros com 150 kWh, visto que é um componente caro e pesado e, com 1,5 kWh já permite ao carro recuperar energia e deixar o motor a combustão em um regime mais vantajoso.

    • Luis Burro

      Sem plug in no Brasil,pq tem o maxi nos EUA!

    • T1000

      devem ter realizado um estudo para diminuir o tamanho da bateria, pois é um componente extremamente caro quando houver necessidade de substituição. E, pelo visto, esta otimização foi correta, pois mesmo com as baterias pequenas, manteve o nível de consumo da geração anterior com baterias maiores.
      Acredito que o que mais contribui para o consumo elevado na cidade são as arrancadas e frenagens. Esta capacidade de bateria é a necessária para arrancar nos semáforos e depois recuperar a energia quando frear no próximo ou numa lombada.

  • Gabriel

    Ciclo Atkinson, por essa eu não esperava.

    • Louis

      O Prius também é Atkinson.

  • A manutenção da bateria é sempre o calcanhar de Aquiles desses carros híbridos e elétricos. A venda destes usados deve ser um pesadelo, visto que é muito provável que o novo dono tenha que trocar a bateria. Ao menos a princípio, a desvalorização deve ser monstra! Mas eu espero sinceramente que com a popularização, o custo venha a cair.

    • João Silva

      Exato! Esse foi o meu medo a uns 2 anos atrás…. Quase comprei um 2014 com bom preço, km adequada, mas o medo de troca da bateria durante o tempo que ficaria com o carro me fizeram desistir.
      No Brasil ainda é o tipo carro para quem usa muito, roda muito, e tem $$ bastante, para comprar novo, rodar bastante durante a garantia e passar adiante ao final dela pelo que conseguir….
      Tb espero que hibridos e eletricos se popularizem por aqui, para o custo de manutenção cair….

  • F30FLORIPA

    Nesse preço vou de Lexus UX250h

  • F30FLORIPA

    Carro híbrido bom tem q ser plug-in.

  • G. de F.

    O carro que, em 2019, a “Dona” Ford já anunciou que, em 2020, não será mais importado/fabricado.

    Cá entre nós, a Ford nem precisa de concorrente mais. Ela sozinha se encarrega de derrubar as vendas de seus poucos modelos no mercado nacional quando faz “anúncios” assim…

  • Alvarenga

    Era uma proposta excelente quando foi lançado. O grande senão é a vida media de 7 anos das baterias. Isso ajuda a que o investimento nunca se pague.

  • TchauQueridos

    Ótimo pacote tecnológico, inclusive muitos itens de tecnologia que muito Premium não tem.
    Porém não carrega oque os consumidores de sedam Premium mais desejam “status”.
    Agora em fim de linha não esperemos mais nenhuma novidade…

  • Domenico Monteleone

    Essa banheira é muito, muito inferior ao Passat em termos de refinamento. Vai tarde

    • João Silva

      Não me lembro de Passat Híbrido aqui no Brasil? Não é só o 2.0 TSI??

    • afonso200

      mas o assunto nao é de carros hibridos??

  • afonso200

    esposa teve um 0km 2015 hybrid, com 700km ele falhava, oscilava as luzes do painel, tremia como se tivesse bico in jetor travado ou faltando gasolina, a ford olhou, devolveu, com 900km voltou, quase apagava o carro, a ford olhou de novo, depois com 1030km deu problema de novo, dai saiu de Porto Alegre para SP desmontaram o carro e nao sabiam o que era, ou na real nao fizeram nada,,,, detalhe, ação judicial sobre produto com defeito, a ford comprou ele de volta….. eles nao estao preparados para manutenção de carros grandes, imagina HYBRIDOS, maior furada

  • Emygdio Carlos

    Carro interessante, mas possui uma suspensão muito baixa.

    Se o comprador morar em áreas periféricas e com aquelas valetas caprichadas, vai acabar detonando o veículo.

    Creio que nem na entrada da garagem passe sem raspar.

    Uma pena!

  • Rubens

    Antes de comprar um elétrico, aqui no Brasil, será que devemos nos perguntar : Qual será a durabilidade da bateria? E será que dá para trocá-la e o custo para isso?
    E daqui alguns anos com a durabilidade das baterias para vencer, será que terá mercado de usados?

    • alemigav

      A bateria deve “durar” toda a vida útil do carro, mas sua eficiência diminuirá com o tempo. Com uns 30 anos de idade uma bateria de carro elétrico totalmente carregada deve dar metade da autonomia de quando zero.

      Lendo na gringa sobre como não ter problemas e dar mais longevidade à bateria do meu Prius, eu vi que o Prius não deixa a bateria diminuir a menos de 20% nem deixa ser carregada mais de 90%, porque descarregar e carregar completamente diminui a vida útil dela.
      Eu também li que o que faz a bateria estragar é ela ficar parada. Se a bateria é usada todos os dias de maneira consistente, ela dura mais.

      • Rubens

        Obrigado pela resposta. Em outra matéria um leitor respondeu o seguinte : A Toyota garante as baterias de todos os seus híbridos por 8 anos. Nas outras marcas devem ser iguais.
        Depois disso, se tiver de trocar as baterias dos híbridos, sairá bem caro.

        • leomix leo

          A Ford tb garante por 8 anos.

  • alemigav

    O preço da bateria (R$40.000) é muito caro comparado ao do Prius, que é R$10.000.

    • Alexandro Vieira Lopes

      verdade

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros para mais de 450 milhões de pessoas, por mais de 13 anos. Saiba mais.

Notícias por email