Crossovers Hyundai Mercado Rússia

Futuro nacional, Hyundai Creta chega ao mercado russo

hyundai-creta-russia-1

O Hyundai Creta, também conhecido como ix25, está chegando ao mercado russo. O crossover da marca sul-coreana vai desembarcar no país com duas opções de motores e três níveis de acabamento/equipamento.

hyundai-creta-russia-2

O Creta para a Rússia terá motor 1.6 de 123 cv alimentado por gasolina, além do 2.0 de 149 cv, também com o mesmo combustível. O crossover terá ainda opção de câmbio automático de seis marchas. Uma versão AWD será oferecida com o motor maior.

hyundai-creta-oficial-3 - Copia

Aqui no Brasil, há expectativa pela chegada do Creta/ix25, modelo que já vende bem na China e Índia. A produção será feita em Piracicaba/SP, onde a linha de montagem será ajustada para fabricar o novo modelo, que deve utilizar a mesma mecânica do HB20.





  • Franco da Silva

    Mais um que não precisa desse motor 1.6. Coloca o 1.0 turbo que é muito melhor (embora a HB tenha dado um migué com esse motor sem injeção direta).

    • Pacheco

      Espero que chegue com o 1.0 Turbo em sua versão Completa. É um carro para brigar de frente com o Renegade e HR-V.

    • Gustavo73

      Se fosse o 1.0TGDI eu concordaria. Mas como não deve ser colocada o 1.8 do I30 mesmo.

      • Filipo

        Ou o motor Gamma com variação de comando para escapamento, o chamado Gamma II, que rende 130 cv e os mesmos 16 kgfm do Gamma I, na gasolina, lá fora.
        Ou até o Gamma II GDi, que nada mais é que o Gamma I com o comando variável para escapamento e injeção direta, rendendo 140 cv e 17 kgfm.
        Devidamente condicionados a rodar com E100, tais motores poderiam gerar cerca de 136 cv/ 16,5 kgfm e 146 cv/ 17,5 kgfm, respectivamente.
        Sou mais favorável ao segundo propulsor (Gamma II GDi).

        • Gustavo73

          Seriam opções também. Mas o 1.8 seria o mais viável pois já é oferecido aqui. Todos os outros teriam que ser adaptados ao nosso combustível.

          • Filipo

            Você tem toda a razão. Mas trouxe à tona o Gamma II GDi, pois, penso, que poderia ser melhor a médio e longo prazo para a Hyundai Brasil, levando em conta os limites de “eficiência” impostos pelo programa Inovar Auto.
            Não que o 1,8L MPi seja ruim, mas penso que o 1,6L GDi poderia ser mais econômico e ainda servir a futura geração do HB20, que dizem, será mais corpulenta, daqui a cerca de 3 anos.

            • Gustavo73

              Sem dúvida motores com injeção direta mesmo que aspirados são uma opção melhor. E seriam mais mais econômicos e até com um desempenho melhor frente aos aspirados atuais (Brasil). É provável que sejam a solução intermediária até os turbo injetados (direta) fiquem mais populares, pelo menos nos compactos.

              • Filipo

                Sim, acho que a única coisa que pesa contra os turbinados no país é o temor quanto à manutenção a longo prazo. Não nos primeiros 60.000 km, mas depois disso, em relação as peças principais, como turbina ou o intercooler, por exemplo. Não que motores turbinados de fábrica durem pouco, pelo contrário atualmente, mas todos sabemos como é a manutenção de um carro por um brasileiro médio (a maioria).
                Um motor mais moderno, é também um motor, não diria mais delicado, mas mais sensível à falta de manutenção. E o brasileiro, infelizmente, não liga muito para isso, parte pelo alto custo de vida do país.
                Portanto, penso que o GDi sem turbina, seria uma jogada boa da Hyundai Brasil. Atrair aqueles que têm receio e pré-conceito quanto a motores turbinados e a uma tabela de revisões a preços fixos razoável.
                * Em tempo: visitei há 15 dias uma concessionária da Hyundai Brasil e eles ainda não tinham, assim como o site da Hyundai, a tabela de revisões a preço fixo do HB20 turbo, como têm para os motores Kappa aspirado e Gamma.
                Isso é uma falha enorme, que gera receio ao consumidor.

                • Gustavo73

                  Não se troca turbina ou intercooler são equipamentos life time. Acho que o medo maior vem da falta de conhecimento mesmo. Na VW a diferença entre o MPI e o TSi no Up com relação as revisões são pequenas.

                  • Filipo

                    Geralmente o óleo do motor é o mesmo que lubrifica a turbina. Sendo assim, a longo prazo na mão de um brasileiro desleixado, pode conprometê-la.

                    • T1000

                      mas aí não é culpa do carro.

                    • Filipo

                      Claro que não, mas é justamente disso que falo. Da manutenção descuidada a longo prazo.

                    • Gustavo73

                      Infelizmente isso pode acontecer. Mas seria um problema pro segundo, terceiro proprietário. O primeiro com a garantia padrão hoje de 3 anos não teria problema, e é esse que compra o carro agora. O mesmo com a injeção direta e combustível adulterado . Mas a coisa será gradual, mesmo quem já tem os motores turbo na linha não colocará em vários produtos. No máximo nos médios pelos preços de hoje.

                    • Filipo

                      Sim, mas geralmente o brasileiro passa 5 anos com o mesmo carro.

                    • Gustavo73

                      Não sei se é assim, mas os donos do carro desde novo tem uma tendência maior de serem mais criteriosos na manutenção. Nem que seja uma simples troca de óleo.

    • Filipo

      Na europa, o Kappa turbo é oferecido em duas configurações no i20: a mesma que vem para cá, sem injeção direta, intercooler ar/água (é ar/ar na nossa), e variação de comando também para escapamento (só admissão na nossa), entre outros detalhes e outra, que emprega estes recursos mais modernos que já citei, dentre outros.
      O Kappa TGDi rende 121 cv e 17,4 kgfm, com gasolina.

  • CanalhaRS

    Em fotos eu achei ele meio sem graça, quadrado demais. Mas talvez ao vivo seja mais agradável.

    • Pois é, me passou a mesma impressão. Vamos esperar a visão dele ao vivo.

  • Christian Balzano

    Não consigo olhar e não ver o Kia Soul por trás dele.

  • Cão Preto

    Tem chances de fazer sucesso.
    A minha mulher, que tem um HB20, vai se apaixonar (é claro que ela já adora o ix35, mas o seu valor é um pouco alto, e também é desnecessário para o uso feito por ela).
    Alguém tem interesse em comprar um HB20 usado, 12/13, única dona, somente para faculdade/trabalho, 20 e poucos mil km, todas as calotas raladas, ambos os para-choques ralados, todas as portas raladas, trocas de óleo anuais e somente usado gasolina comum?

    • Emilio

      kkkkkkkkkkkkkkkkkk! Honestidade!

    • Pacheco

      Se aceitar parcelado eu tenho.

      • Cão Preto

        Aceito a metade agora e o resto daqui 15 minutos :D

        • Pacheco

          Eu tinha pensado em a metade de entrada e o restante quando a fiat subir os preços… kkkkkk

  • paulo sergio berezovski

    Esse carro deve ficar bom com o 1.6 gdi ou com o 1.0 tgdi

  • Cassio

    Na época do lançamento, até achava o IX25, esteticamente, interessante.
    Mas hoje, em um mercado com HR-V, Renegane, Kicks e com a revelação do que será o C-HR, esse Hyundai já não parece atrair na mesma intensidade.
    Fico com a impressão de que a concorrência acentuou muito o processo de envelhecimento do IX25.

    • T1000

      eu nunca achei essa frente de caminhão interessante.
      talvez seja interessante na Índia.

  • Hugosw

    Se o nosso governo não tivesse criado o super IPI para proteger as carroças “nacionais” poderíamos estar comprando carros coreanos com preços muito interessando, como aconteceu na época do lançamento do i30.
    Gostaria muito de ter o modelo atual do Kia Soul, porém com esse super IPI o preço se tornou impraticável. Mesmo que ele conte com o motor 1.6 do HB20, não vejo isso como um demérito do carro, já que a sua proposta é ser um carro para a cidade.

    • afonso200

      vide Azera 2011 tinha preço de Corolla, civic e focus TOP, voce levava um V6 top, com bancos eletricos, som top com subwoofer, etc

      • luciano gavioli

        Pois é Afonso, por isso naquela época peguei meu 2011 top e estou com ele até agora. Não vale mais do que 40/45 mil e está com 80 mil km…..recebm saiu da garantia e não me deu nenhuma despesa fora as revisões. Hoje em dia não tem nada parecido com esse C x B ….na hora de trocar vai ser bem dificil …só mesmo um seminovo e na faixa dos 100 mil a preços de hoje.

        • afonso200

          tenho um 2011 top, peguei com 41mil km ano passado, vai bater os 60mil daqui 2 meses, foto dele, só adesivei o teto de black piano, e fiz um detalhe no parachoque trasiro em spray de envelopamento, pra destacar as ponteiras

          • luciano gavioli

            Também troquei o kit CVVT na garantia em Setembro/2015 ainda em garantia. Ficou pérfeito. Uso sempre Militec e tb tenho filtro K&N inbox, fora que o meu só roda na Podium….Se quiser entrar nos grupos de whatsap do Azera entre em contato comigo. lugavioli@gmail.com

            • afonso200

              fala amigo, ja estou no grupo, acabei de mandar um print aqui da tela no grupo, Att Afonso

        • afonso200

          …. mas o meu foi trocado o comando CVVT por causa dos ruidos da partida a frio até o oleo subir nas polias do CVVT, na garantia 10mil de graça sem pagar nada. isso na epoca com 42mil km (março ano passado).

  • Léo Faria

    Se vier por 80 k pode enfiar no c…

  • PH Sacchi

    Pena que vão vender a preço de ouro, seria uma boa opção p/ fugir do sedã ( se o porta malas for bom é claro ), e poderia vir com o 2.0 do elantra 178 cv e torque acima dos 20kgfm para bater o hrv e renegade …

  • Tomtilt

    Não é feio mas é meio sem graça. Com certeza virá por no mínimo uns 75 mil, já que um simples HB20x parte de 58k e pode chegar aos quase 70 mil na versão top de linha e com pintura metálica (preço base da top de linha AT com pintura sem custo adicional é de R$68.335).



Send this to friend