Gigantes de tecnologia podem dominar mercado automotivo

Gigantes de tecnologia podem dominar mercado automotivo

Google, Apple e Amazon avançam cada vez mais no mercado automotivo mundial, mas não vendendo carros. Parceiras de fabricantes de veículos, essas e outras gigantes de tecnologia querem construir o carro do futuro.

Contudo, nem todos veem isso com bons olhos. A parceria da Ford com o Google, feita há algum tempo, onde esta introduziria seus aplicativos como Google Maps e Play Store de fábrica nos carros da americana, é visto por analistas de mercado como perigosa.

O motivo é que as gigantes de tecnologia poderão introduzir “sistemas operacionais exclusivos a produtos específicos para expulsar concorrentes e dominar uma grande parte da economia global”.

Ou seja, fazer com os carros o que fizeram com os smartphones. Com Google e Apple vencendo a guerra do smartphone, agora elas se juntam à Amazon para “dominar” nos automóveis, segundo especialistas do setor.

Nesse sentido, o maior temor de legisladores e pesquisadores, nos EUA, é que haja um monopólio de serviços e entretenimento a bordo dos carros, assim como houve com os celulares.

Com base nisso, eles acreditam que ainda há tempo de barrar tais associações que podem minar a concorrência. O principal alvo são os carros autônomos e legisladores estaduais americanos, que mudaram a direção.

Muitos deles processando o Google desde 2020 por monopólio nas buscas da internet, agora se voltam para impedir que o gigante de tecnologia também domine o automóvel.

Gigantes de tecnologia podem dominar mercado automotivo

Para especialistas, o mercado automotivo é o próximo filão que as “Big Tech´s” buscam para oferecer seus produtos, afinal, milhões de americanos gastam boa parte de seu tempo ao volante de seus carros.

Isso significa uma montanha de dinheiro a ser explorada. Com o carro agora sendo visto como uma extensão de casa, seja para lazer ou trabalho, o tráfego de dados será a mina de ouro no velho oeste.

Por trás de entretenimento a bordo, serviços de pagamentos e compras, navegação com direção autônoma e redes sociais em tempo integral, a ideia do carro do futuro deixa a locomoção como algo secundário.

Na indústria, a Ford-Google fracassou porque a primeira quis exclusividade e a segunda disse não, pois, desejava oferecer o mesmo pacote de software para outros fabricantes e assim se deu.

Hoje, o Google Automotive Services é um pacote “com tudo dentro” para os fabricantes de veículos, mas alguns resistem ainda, adicionando um sistema básico com aplicações de Apple ou Amazon, como o Alexa.

Gigantes de tecnologia podem dominar mercado automotivo

A Apple usa o Car Play atualmente, mas o projeto Titan pode não só materializar sua ideia de automóvel, mas um ecossistema digital para carros de outras marcas.

Por fim, a Amazon fracassou com o smartphone Fire, mas o Alexa não e ele está hoje em muitos automóveis, comandos de simples navegação até funcionalidades como abrir e fechar janelas, ou mesmo ligar o ar-condicionado, entre outras.

No final, o temor é de que essas empresas, que dominarão os dados dos clientes, usem isso de maneira ilegal para benefício próprio.

Com a falta de regras nos EUA para esse mercado, não existem atualmente mecanismos que impeçam que Google, Apple e Amazon se tornem as “Big Three” do futuro do automóvel.

[Fonte: Politico]

Ricardo de Oliveira

Técnico mecânico, formado há 25 anos. Há 14 anos trabalha como jornalista no Notícias Automotivas, escreve sobre as mais recentes novidades do setor, frequenta eventos de lançamentos das montadoras e faz nossos testes e avaliações.