Chevrolet Coréia Finanças GM Mercado Montadoras/Fábricas

GM adia pedido de falência após acordo salarial na Coreia do Sul

gm-coreia-1024x682

A General Motors Korea conseguiu neste domingo (22) um novo acordo salarial com seus 3,2 mil empregados no país asiático. A aceitação de uma proposta da empresa abre as portas para que a montadora tenha acesso a mais dinheiro para recuperar suas finanças, mas mesmo assim o pedido de falência ainda está sobre a mesa. A decisão teria sido apenas adiado a ideia de ir à bancarrota com a nova posição junto aos trabalhadores.


Com quase 75% das ações da GM Korea, a montadora americana não vai disponibilizar nenhum centavo para salvar sua filial deficitária, sendo que a única esperança da empresa é obter um novo recurso junto ao Banco de Desenvolvimento da Coreia do Sul, que tem 17% das ações. A outra acionista de peso é a chinesa SAIC, que também é sócia da GM na China. A empresa tem como objetivo produzir novos carros no país para ampliar as exportações e melhorar as vendas internas.

Porém, com os principais mercados abastecidos por outras plantas da montadora, a GMK se vê numa situação difícil mesmo assim. De qualquer forma, o otimismo ainda pode ser encontrado na empresa. Kaher Kazem, CEO da General Motors Korea disse: “Através do mais recente acordo, a GM Korea será uma empresa de manufatura competitiva”.

gm-coreia-2-1024x576


Só de 2014 a 2016, a GMK perdeu nada menos que US$ 1,8 bilhão. Se conseguir reverter esse quadro, a filial escapará de ir à falência, um triste fim para uma empresa que quando era Daewoo instalou-se em diversas partes do mundo. Para a GM, no entanto, a situação na Coreia do Sul já passou do limite. Em histórico recente, a empresa simplesmente se retirou (em termos de produção local) de mercados importantes como Austrália, Rússia e Indonésia.

Além disso, fez o mais improvável, saiu da União Europeia, algo impensável há poucos anos atrás, vendendo a Opel/Vauxhall após ter retirado a Chevrolet depois de quase 100 anos. Como já demonstrou, a General Motors não tem problemas quanto à sair de mercados que considera não rentáveis. Atualmente, mais da metade da produção da GMK vai para exportação e a empresa comercializa as marcas Chevrolet e Cadillac no país.

Após anos de operação com custo elevado e dificuldades econômicas oriundas de má gestão, a GMK agora enfrenta o duro dilema de tentar sobreviver no pior cenário comercial automotivo. Os EUA, mesmo com o acordo de livre comércio com a Coreia do Sul, está comprando menos compactos e sedãs, mas emplacando mais SUVs, algo que a filial asiática já não pode contar com a exclusividade, pois o Trax agora é feito no México. Este país, por sua vez, arrebatou as exportações sul-coreanas e até importa de outras plantas do grupo.

[Fonte: CNBC]

 

COMPARTILHAR:
  • Catucadao

    tão grande e pedido falência vai entender

    • Yago G. Oliveira

      Talvez seja melhor começar do zero.

    • pedro

      GM já faliu uma vez nos EUA. Oficialmente a empresa só tem oito anos.

      • carlos4carros

        E vendeu a Opel toda endividade para a PSA. A Holden tava falindo também.

        • th!nk.t4nk

          No fim foi bom que vendeu. Os últimos modelos Opel tiveram tanto corte de custo, que dá desgosto andar nesses carros. A PSA agora tá substituindo por projetos próprios, que por incrível que pareça é capaz de serem melhorzinhos.

          • carlos4carros

            A linha de compactos da Chevrolet no Brasil é bem defasada, pelo menos a mecanica e a plataforma. Aqui dá certo porque as pessoas ainda prezam muito pela mecânica confiável e de fácil manutenção. Mas em outros mercados, principalmente os desenvolvidos, essa estratégia não funciona porque as pessoas são mais exigentes.

            • Renato Duarte

              Mas é um ciclo vicioso complexo que causa a defasagem dos carros comercializados aqui. As montadoras aproveitam do fato de que o Brasil não produz nada praticamente de alto valor agregado. A população brasileira é refém dessa realidade, e como consequência trabalha muito para ter pouco dinheiro…

              • carlos4carros

                É verdade. Carros que em outros mercados são populares, como Focus, Corolla, Civic, e Golf, a cada seis ou sete anos ganham novas gerações e todo ano recebem melhorias mecânicas, equipamentos tecnológicos. Já os nossos populares ficam mais de 10 anos sem receber nenhuma atualização. As montadoras vão esperar a obrigatoriedade do controle de estabilidade para implantar nos nossos compacto e isso é um absurdo, porque dizem ser um dispositivo de baixissímo custo.

          • Danilo Pelucio

            Veja o ranking 2018 J e D alemão.

    • Renato Duarte

      O mundo empresarial tem dessas coisas, faz parte do cotidiano de quem precisa de lucro pra sobreviver.

  • CanalhaRS

    Nenhum dos três grandes fabricantes americanos consegue crescer e se fortalecer no mercado, ao contrário dos asiáticos e europeus. Parece que o futuro para o trio será a aquisição por outra marca ou o fechamento.

    • carlos4carros

      Ou uma união, pelo menos entre a GM e a Ford.

  • NYC_Man

    Pessoal da Koreia só deve comprar Hyundai e Kia.
    O restante fica lutando.

    • Fábio Henrique

      Sim, o ranking la eh praticamente soh hyundai, kia e a sussusyang (preguiça de procurar o nome) kkkkk.
      Inclusive a gm eh a unica marca ‘extrangeira’ q tem fabricas la junto com a renault q vende como sansung se nao me falho a memoria

      • Rogério R.

        A Renault adquiriu a Samsung e se chama Renault-Samsung Motors.

        • carlos4carros

          Inclusive o nosso Fluence é um Samsung.

          • Rogério R.

            Verdade. Assim como o Koleos que já está presente na maioria dos países da América do Sul menos aqui.

            • carlos4carros

              E se um dia chegar no Brasil é bem capaz da Renault usar a base do Duster.

              • Rogério R.

                Parece que ele virá importado da Coreia. Se realmente vier.

                • carlos4carros

                  Eis a questão: R$ 150 mil importado da Coreia ou R$ 120 mil com a base do Duster?

                  • Rogério R.

                    Acho pouco provável que ele seja feito na América Latina.

                  • Edson Fernandes

                    Em um primeiro momento se pensou em um novo produto acima do Captur utilizando a mesma base do Duster e o Koleos.

                    • carlos4carros

                      A base do Duster nem é o problema. O Captur tirou 4 e 3 estrelas nos testes de impacto, que é um bom resultado. O problema é ter a base e o acabamento do Duster. rsrs

                    • Edson Fernandes

                      Mas essa é a ideia. A Renault sabe e quer utilizar a mesma plataforma porque é versatil e cabe mais produtos. O problema é uqe o consumidor da faixa de preço pretendida, já tem opção de médios altinhos de verdade. Então será dificil convencer a comprar um conjunto mais obsoleto e talvez de powertrain ruim.

  • carlos4carros

    A GM sobrevive dos SUVs e Pick ups, nos EUA, e da Buick, na China. E talvez o Onix dê um bom faturamento na América do Sul.

  • Daniel Poli Germany

    Se não me engano o Buick Encore que é a versão Buick do Trax ainda produzido na Coreia,e vendeu 15000 unidades nos EUA em março 2018 enquanto o Trax mexicano vendeu 8000.

  • Mario Souza

    Como explicado no post anterior, investe em carro popular num mercado que prefere carros melhores, gestão ruim acontece isso.

  • Fabão Rocky

    Q carro é esse da 1ª imagem? Mto bonito!

    • Pedrov

      Malibu.

  • Seven23

    Pra mim não faz diferença nenhuma.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email