Condução autônoma Elétricos Finanças GM Mercado Montadoras/Fábricas

GM apresenta detalhes de seu plano para carros autônomos que começa em 2019

chevrolet-bolt-autonomo-3 GM apresenta detalhes de seu plano para carros autônomos que começa em 2019

Dan Ammann, presidente da General Motors, apresentou aos investidores os planos da montadora para os carros autônomos, maior aposta da empresa no momento. Para a gigante, o futuro é uma frota de táxis autônomos em serviços de compartilhamento e ou de transporte por aplicativo, como Uber e Lyft, esta última parceira da GM.



Ammann revelou que, financeiramente, a mudança de rumo trará aos investidores várias “centenas de milhares de dólares” em receita, considerada “vitalícia”. Atualmente, o preço médio da GM é de US$ 30.000 no mercado americano e o lucro obtido após a venda é muito pequeno, relativo aos serviços de pós-venda através dos concessionários. Ou seja, o que se ganha após a venda vem da venda de peças aos distribuidores, que também vão buscar algum dinheiro nessa operação.

Obviamente, os serviços financeiros da GM e de qualquer fabricante trarão mais algum lucro, mas fora isso, o que se vendeu, não volta mais. Até os revendedores podem fazer mais com a revenda de carros usados. No entanto, no modelo apresentado por Ammann, a venda para consumidores finais poderá ficar em segundo plano muito em breve.

Apesar de que no momento o lucro da GM vem mesmo das vendas de picapes e utilitários esportivos, cada vez maiores dentro e fora dos EUA, a ideia é que os serviços de transporte garantam margens muito melhores para a montadora. Chuck Stevens, diretor financeiro da General Motors disse: “potencialmente maior [o serviço de robô-táxi] do que o nosso negócio atual, com melhores margens”.

Para Stevens, a GM pode obter 40% do custo das viagens com carros autônomos. Para que isso ocorra, a montadora busca reduzir o custo em dólares por milha percorrida dos atuais US$ 2,50 para menos de US$ 1,00 em 2025. Isso significa margens de lucro entre 20% e 30%. O diferencial em relação ao atual modelo de negócios, que é produzir e vender ao cliente final, é que a montadora pode obter receita com o carro autônomo fabricado por toda a vida útil do veículo.

Mas, como já mencionado, os custos precisam ser enxutos. Por conta disso, a GM comprou a empresa Strobe, que produz radares laser de tecnologia LiDAR. Para o futuro da condução autônoma, a tecnologia é fundamental para o carro “ver” o ambiente a sua volta. O objetivo é reduzir o custo dos atuais US$ 20.000 por veículo para apenas US$ 300. Segundo a montadora, a Strobe reduzirá o custo do sensor em 99%.

Em relação à produção de carros autônomos, Ammann revelou que o Chevrolet Bolt com tecnologia da Cruise Automation -que agora é parte da GM – pode ser feito em qualquer planta da empresa, reduzindo assim enormemente os custos de produção, pois não precisaria de uma fábrica dedicada. “Somos a única empresa que tem isso sob um mesmo teto”, disse o presidente da GM. Já Mary Barra, CEO da companhia, diz que os prazos para os carros autônomos não serão em anos, mas em “trimestres”.

A GM vê grandes centros, densamente ocupados, como os principais mercados para os carros urbanos e a capacidade do fabricante de atende-los de forma rápida e em larga escala é uma vantagem que os rivais não têm. O plano atual da GM é vender um milhão de carros elétricos por ano a partir de 2026, mas já anunciou 20 modelos plugados até 2023. Por ora, Ammann ou Barra não falam como serão introduzidos os robô-táxis da empresa no mercado dos EUA. Podem ser vendidos como Cruise ou mesmo receber as marcas do grupo.

[Fonte: Autoblog]

  • Deadlock

    Motorista, profissão em extinção, inclusive amadores. Quem sabe assim menos gente morra no trânsito…

    • ricmoriah

      o objetivo – segundo os fabricantes – é que a automação gere mais segurança no trânsito.

    • Pedro Henrique

      relaxa, quando chegar a vez do brasil, não vai rolar, algum sindicato vai meter a mão, algum politico vai ter a mão molhada e vai surgir uma lei proibindo que rode sem motorista.
      igual fizeram com os postos de combustíveis que você não pode abastecer o próprio carro (ou ter a opção disso).
      é obrigado a pagar o salario de um funcionário embutido no preço pra ele fazer isso pra você

      • Louis

        É a mentalidade atrasada dos socialistas acabando com a competitividade e produtividade do país.

        • carroair30

          sinceramente estou mais preocupado em perder esse motor do MONZA vai deixar saudades! >>>>>

      • zekinha71

        É só lembrar que ainda existem milhares de cobradores de onibus, que ficam dormindo no banco, enquanto o pessoal passa o bilhete eletrônico, e os ascensoristas onde a função é apertar um botão que qualquer um pode fazer.

        • Deadlock

          Calma, que essa profissão vai acabar, pois o transporte privado vai ser mais barato que o público, assim espero.

          • Pedro Henrique

            difícil, primeiro que as empresas de ônibus tem vários subsídios (mesmo com um sindicato forte sugando nas costas) e segundo que 1 ônibus cabem 40~50~60 pessoas, enquanto no transporte privado no máximo 4 quando são amigos indo pro mesmo lugar… é um custo muito menor no público.
            E quanto a carros de compartilhamento… cara aqui é brasil kkkkk se não fizerem tramoia pra roubar o carro e depenar vai ter alguma lei de imposto sobre isso obrigando a mil coisas pq mexe com um povo muito forte (taxistas E empresas de ônibus, além dos uber’s agora…)

            • Cosi fan Tutti

              O proprio Uber esta testando carros autonomos proprios nos Eua.

              • Pedro Henrique

                nos eua é outra parada, aqui a cobra fuma
                até porque aqui pelo menos, um pessoal do uber na vdd trabalhava com taxi e migrou porque viu vantagem em se modernizar…

      • Eric Palamar Blaca

        alem dos sindicatos e outros interesses capitais; nossas próprias ruas esburacadas, sem sinalizações já fariam bugar o carro!!

  • Será que em 2019 finalmente teremos o Bolt, um elétrico a preço acessível, veículos autônomo ainda é para um futuro mais distante.

    • Zergling

      Acho que em 2020 sim

      • th!nk.t4nk

        O problema é que o poder público não está fazendo investimento nenhum pra promover a criação de infra-estrutura (pontos de recarga, sistema de créditos, etc). Com isso, um Bolt no Brasil seria apenas um brinquedo exótico pra poucos.

        • Zergling

          Esquece o poder público, cara. O governo não tem a mínima competência de fazer nada disso, e quanto antes você tirar isso da sua cabeça, melhor. A viabilidade do carro elétrico vem da constante queda exponencial do preço das baterias, até chegar o ponto que vai ser mais barato um elétrico que um de combustão interna.

          • th!nk.t4nk

            Zergling, sem o poder público regulamentar e dar algum suporte, a eletromobilidade simplesmente não acontecerá. Também sou meio libertário, mas mesmo nos EUA o apoio do governo a carros elétricos e autônomos é bem forte. Idem na Europa. Empresa nenhuma vai criar uma rede de milhares de pontos de recargas sem algum suporte governamental. No mínimo uma bela isenção de impostos temporária pra isso precisa ocorrer.

            • Basil Sandhurst

              Regulamentação de transporte autônomo nível quatro me dá calafrios. Em caso de acidente você processa o motorista? O governo? O desenvolvedor do sistema operacional? O fabricante do Lidar que deveria avisar do trânsito à frente?
              Enfim…será uma realidade, mas ainda precisa como vc lembrou percorrer um longo caminho.
              Abs

        • Edu

          Exótico e caro, pelo menos na primeira década, sendo otimista.

Quem somos

O Notícias Automotivas é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 11 anos. Saiba mais.

Notícias por email

Send this to a friend